VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Leitor reclama que parceria foi chamada de “corrupção”


04/11/2012 - 21h44

do leitor Gustavo Rocha, via Facebook

Olhe que absurdo o que acabo de ver do site do Estadão. Entro para ver a notícia da parceria da Dilma e Haddad em São Paulo e vejo um pouco acima, no “Agora do Estadão”, a manchete da matéria com a tag “Corrupção”. O PIG tá tão desesperado!

Dilma projeta parcerias com Haddad para renovar discurso petista em 2014

Plano de melhorar serviços públicos tem objetivo de conquistar nova classe média e preparar terreno para candidatos da legenda nas próximas eleições

03 de novembro de 2012 | 20h 10

Lu Aiko Otta e João Domingos – O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – O PT pretende utilizar a gestão de Fernando Haddad em São Paulo a partir de 1º de janeiro de 2013 para reciclar sua agenda programática. Cravada no coração do principal reduto do PSDB, a cidade promete ser, a partir do ano que vem, “laboratório” de testes de projetos do governo federal que poderão servir de bandeira na campanha eleitoral de 2014.

A promessa de Haddad de “derrubar os muros” que separam a população pobre da rica será complementada, segundo petistas, por um trabalho conjunto da Prefeitura com a presidente Dilma Rousseff com foco especial na nova classe média, um contingente de 40 milhões de consumidores surgido na última década.

Em conversas com seus conselheiros políticos, Dilma costuma repetir que essa parte da população brasileira continua sem acesso a planos de saúde e a escolas particulares. Acabará cobrando, portanto, a melhoria desses serviços do poder público.

“Nosso grande desafio é o da melhoria dos serviços públicos, porque esses 40 milhões que entraram na classe média recentemente ainda têm renda muito baixa”, disse o deputado Paulo Teixeira (SP), um dos petistas que trabalhará na tentativa de transformar projetos da gestão Haddad num laboratório para o programa de governo do partido com vistas à campanha de 2014.

Trata-se da conclusão de uma adaptação de rumo que o PT vem conduzindo desde os últimos anos de mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Representante do movimento sindical e ligado diretamente aos movimentos sociais, Lula e o PT chegaram ao poder com propostas voltadas diretamente à inclusão social da população pobre.

Por isso, no seu primeiro mandato como presidente, a partir de 2003, os principais programas do governo tinham esse claro tom, como o Fome Zero, Primeiro Emprego e Bolsa Família.

O modelo ampliou a popularidade de Lula e garantiu a ascensão de uma nova classe média. E passou a exigir da presidente Dilma e do PT a adoção de novas bandeiras, voltadas justamente para essa nova classe média.

A opção por São Paulo foi provocada pela eleição de Haddad para a prefeitura, interrompendo um ciclo de poder ligado politicamente ao tucano José Serra.

Bilhete. Os experimentos abrangerão áreas como o transporte público. O bilhete único mensal, uma das principais bandeiras de Haddad na eleição, é uma grande aposta. A economia que o projeto – adotado em cidades dos EUA e em vários países da Europa – poderá proporcionar às famílias abrirá, na expectativa das equipes de Haddad e de Dilma, mais espaço para mais consumo.

Na área de saúde, segundo Teixeira, a ideia é manter as parcerias com os hospitais Albert Einstein e Sírio Libanês no modelo em que organizações sociais administram os equipamentos da área. O assunto é controverso no PT – parte dos integrantes da legenda é contra tais parcerias -, motivo pelo qual a campanha de Serra, adversário de Haddad no 2º turno, utilizou bastante o tema na reta final da disputa de 28 de outubro. Haddad foi convencido a manter as parcerias, principalmente aquelas com instituições de renome.

Os convênios com o governo federal serão explorados. O ministro da Saúde é Alexandre Padilha, um dos pré-candidatos do PT ao governo do Estado em 2014.

Em habitação, a ideia é aumentar a presença do programa federal Minha Casa Minha Vida.

Quanto à segurança, a gestão Haddad tentará fazer parcerias com o Estado – governado pelo tucano Geraldo Alckmin – para que parte do policiamento seja feito pela guarda civil, que é de responsabilidade da Prefeitura.

Prioridade. Mas é na educação, área comandada nos últimos seis anos no governo federal pelo prefeito eleito, que a integração com o governo federal será prioritária. “Temos um imenso potencial de parceria nessa área”, diz o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, outro pré-candidato do PT ao governo estadual. “País rico é país sem pobreza, mas país desenvolvido é país com educação de qualidade.”

Um dia após ser eleito, Haddad esteve no Ministério da Educação, em Brasília, para discutir a construção de creches. O governo federal se propõe a construir 175 na cidade, num investimento total de R$ 228 milhões. Fotos das unidades já construídas mostram que são escolinhas bem equipadas que não ficam devendo às particulares.

Outro programa federal pouco aplicado em São Paulo que promete instrução padrão classe média para os alunos de escolas públicas é o Mais Educação. Nele, a jornada de estudos é estendida para sete horas.

No período adicional, o estudante tem aulas de reforço, esportes, artes, visita a museus, bibliotecas, laboratórios de instituições conveniadas. O governo fornece também transporte, monitores e refeições para o período.

Leia também:

JC: Flertando com uma teoria da conspiração

Altamiro Borges: Mídia prepara bote contra Lula

Carlos Lopes: Passadas as eleições, pressa do STF “sumiu”

Lincoln Secco: PSDB e Eduardo Campos só têm chance em 2014 se houver ”crise catastrófica”

Marcos Valério, o jogo político e a investigação do ex-presidente Lula

Vereador que fez campanha por Serra antecipa proposta de Haddad

Corrigindo o diagnóstico de Aécio Neves sobre o resultado eleitoral

Breno Altman: Quem tem domínio de fato, na democracia, é o povo

Fernando Ferro: Verba publicitária e sadomasoquismo





28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Wall Street vence com Obama, enquanto Partido Republicano se torna o partido dos brancos em minoria « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de novembro de 2012 às 12h16

[…] Leitor reclama que parceria foi chamada de “corrupção” Altamiro Borges: Donos da mídia nativa travam batalha externa na Argentina […]

Responder

Valério entregou ao ex-procurador os nomes dos políticos do PSDB que receberam dinheiro no mensalão tucano « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de novembro de 2012 às 18h31

[…] Leitor reclama que parceria foi chamada de “corrupção” Altamiro Borges: Donos da mídia nativa travam batalha externa na Argentina […]

Responder

abolicionista

05 de novembro de 2012 às 19h16

Tem que processar, tem que pressionar, não mais para deixar um acinte desses impune. O Haddad que se cuide, porque ele é o próximo alvo, não há dúvidas.

Responder

anac

05 de novembro de 2012 às 11h58

Desespero.

O PiG segue a famosa frase – suprassumo do golpismo – de Carlos Lacerda, de que “Juscelino não deveria ser candidato; se fosse, não deveria ganhar; se ganhasse, não deveria tomar posse; se tomasse posse, não deveria poder governar”. Paralisar o governo com afctoides é não deixar governar.
Colocando sob suspeição qualquer ato do governo tentam paralisar o governo. O PT foi colocado no julgamento golpista do Supremo sob suspeição de corrupção. Pros golpistas do Supremo, basta ser do PT para ser potencial criminoso. FHC (PSDB)pode comprar deputados para aprovar a emenda da reeleição, pode se lcupletar da doação das empresas publicas com dinheiro do BNDES ETC, tendo o Engavetador Geral e um SUPREMO aliado fica impune.. A Casa Grande pode praticar ilicitos pois lhe é garantida a impunidade. Cadeia apenas para os 4 Ps: p…, preto, pobre e petista. E não pensem os serviçais de qurtos e cozinha que porque estão na classe media não fazem parte dessa turma que são punidos exemplarmente pelos ilicito por menor que seja. Apenas aos Bilionarios, tipo dantas e seus aliados politicos estão garantida a impunidade.

Responder

ZePovinho

05 de novembro de 2012 às 11h35

[email protected],

Abaixo os links da revista Retratos do Brasil com matérias sobre a Ação Penal 470.

Att,

Equipe
Carta aberta ao povo brasileiro

Um julgamento de exceção: http://www.oretratodobrasil.com.br/revista/RB_63/pdf/RB63_parcial.pdf

A vertigem do supremo:
http://www.oretratodobrasil.com.br/revista/RB_64/pdf/RB64_parcial.pdf

Responder

Marcelo de Matos

05 de novembro de 2012 às 10h58

(parte 2)
Os indícios que incriminariam Cepollina são débeis. A empregada diz que a suposta mancha de sangue em sua roupa era molho de tomate. Carla, como todo “oriundi”, ama um espaguete ao sugo. Qual a importância de saber a verdade nesse caso? Evitar mais um erro judiciário? Não apenas isso. É preciso esclarecer a origem do morticínio que ocorre atualmente. O governo estadual diz agora que aceita a ajuda federal. Que ajuda poderia ser essa? Colocar tropas na rua, desfilar com tanques de guerra pelas avenidas? Isso poderia ter um efeito paliativo, mas, é preciso ir às causas. O problema é complexo e, ao mesmo tempo, muito simples: violência gera violência. É preciso romper esse círculo vicioso. A forma de atuação da polícia tem de mudar. O sistema prisional, idem. Não conseguimos, ao menos, impedir que os presos se comuniquem com seus comparsas via celular. Aí é que poderia entrar a ajuda federal.

Responder

    Marcelo de Matos

    05 de novembro de 2012 às 14h00

    PS do MM: especialistas, segundo o portal Terra, corroboram a opinião de que há uma tentativa de encobrir as ações do PCC: http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI6272240-EI5030,00-SP+para+especialistas+negar+e+atacar+PCC+sao+metodos+ultrapassados.html

Marcelo de Matos

05 de novembro de 2012 às 10h57

(parte 1)
Em Sampa, o improvável vai a júri popular hoje: Carla Cepollina será julgada pelo assassinato do Coronel Ubiratan. Nada impede que ela, de fato, seja a autora do homicídio e isso poderá ser comprovado. Por que, então, considero improvável que ela seja a autora? Primeiro não acredito que uma mulher na sua idade, advogada, vivendo em Sampa, fosse matar o coronel por ciúme. Elize Matsunaga matou o dono da Yoki por ciúme, mas, ela é uma provinciana – nasceu no interior do Paraná e lá as desavenças amorosas, muitas vezes, são resolvidas assim. Quem tinha mais motivos para matar o coronel? Basta lembrar que ele comandou a operação conhecida como massacre do Carandiru, que resultou na morte de 111 presos em 1992. Os fatos ocorridos posteriormente, em certa medida, lançam luz sobre o crime. O governo nega as ações do crime organizado. Não se reconhece oficialmente que estamos em estado de guerra.

Responder

Antônio

05 de novembro de 2012 às 10h22

Basta a Dilma alocar em São Paulo, durante a gestão Haddad, os recursos que o Serra, Kassab e Alckmin se NEGARAM a receber do governo federal para serem aplicados em programas sociais, tais como, construção de creches, de escolas, de casas e de hospítais. Agora o Alckmin reforça este comportamento ao se nega a receber ajuda do Goveno Federal para combater a violência em São Paulo.

Durante a campanha, o Serra disse mais ou menos o seguinte: esses programas (do governo federal) são inconsistentes e as exigências do planalto para a liberação de recursos são descabíveis.
Entenda-se por descabíveis o preenchimentos de fomulários que são preenchidos por todas as prefeituras do país inteiro,até por aquelas que se encontram nos grotões mais remotos da Amazônia, mas que não foram preenchidos pelos o trio da “incompetência” Serra-Kassab-Alckmin. Esse trio não sabe sequer preencher formulários. Ou melhor, sabe, mas não preenche por questão de má fé e de boicote. Se o Brasil fosse a China, esse trio já teria sido fuzilado.

É como disse o Haddad: “eles tratam São Paulo como se fosse um feudo”, e o povo paulista que se exploda.

Portanto, não foi suficiente derrotar o Serra em 2012.
Temos que derrotar o Alckmin em 2014.

Responder

    Maiac

    05 de novembro de 2012 às 17h20

    Alkmin já está derrotado pelo PCC. Vai pro brejo tal Serra.

FrancoAtirador

05 de novembro de 2012 às 08h56

.
.
Bateu de vez o desespero de perder o governo estadual de São Paulo.

A eleição do Haddad pirou a cabeça dos mafiosos do Grupo G.A.F.E.*
.
.

Responder

Roberto Locatelli

05 de novembro de 2012 às 07h51

O presidente Rafael Correa, do Equador, está certo: a batalha política do século 21 é a batalha dos movimentos sociais contra a mídia golpista, que está a serviço de banqueiros, especuladores e latifundiários.

Responder

    lulipe

    05 de novembro de 2012 às 12h26

    Geralmente estas concessões são dadas visando interesses políticos, como a concessão de uma rádio FM proposta por lula para o filho do Renan Calheiros, não é Locatelli????

Zezinho

05 de novembro de 2012 às 06h41

Interessante vcs destacarem essa parceria entre o governo federal e o município de SP.

O importante para o PT, fica claro, é manter-se no poder pelo poder.

Porque destinar tantos recursos a uma cidade tão rica que apesar de seus milhares de problemas tem muitos recursos disponíveis. Porque não concentrar a ajuda em parcerias com municípios que realmente não têm da onde alavancar recursos?

Responder

    FrancoAtirador

    05 de novembro de 2012 às 09h11

    roberto

    05 de novembro de 2012 às 09h50

    É o Zézinho 30?

    João

    05 de novembro de 2012 às 15h10

    Governo honesto é assim. Sobra dinheiro. Inclusive para investir na cidade mais rica do país. Nenhum município do Brasil está fora da lista de beneficiados. Basta querer.

    Vania Costa

    05 de novembro de 2012 às 20h41

    Zezinho,

    O importante para o PT, fica claro, é manter-se no poder pelo poder.

    Você poderia me dizer o que o PSDB quer o poder pelo quê?

    Eu posso lhe dar zilhões de respostas que com certeza você não vai gostar.

francisco pereira neto

05 de novembro de 2012 às 00h15

Vi e li a matéria no Estadão.
Mas confesso que não tinha observado o título ou subtitulo “corrupção”.
A visão pré concebida do leitor tradicional do jornalão com certeza viu, viu o que eu não vi.
Não adianta. Eles fazem jornal para público direcionado e mal intencionado.
Então para mim fica do mesmo tamanho.
Ontem eles acabaram com o Jornal da Tarde, amanhã será vez do Estadão.

Responder

Fernando Tolentino

04 de novembro de 2012 às 22h38

Não entendi onde está a corrupção!
No atendimento à nova classe média?
Pelo que entendi a atenção à população paulistana não implica em abandono dos demais estados.

Responder

    Marianne

    05 de novembro de 2012 às 07h01

    Deve ser automático. Tudo que se refere ao PT, já vem com essa rubrica…

    antonio fernandes

    05 de novembro de 2012 às 09h56

    esta na chamada da materia, o titulo é corrupção, observe bem na imagem do estadão

Fabio Passos

04 de novembro de 2012 às 22h35

O PiG não tem este nome à toa.
Uma fábrica de difamação. Uma máquina de idiotizar brasileiros.

Os jornais do PiG, para ficarem uma porcaria, ainda tem de melhorar muito. rsrs

Responder

Araújo

04 de novembro de 2012 às 22h12

E o Nordeste volta a ser esquecido. A mentalidade sudestina e sulista vem com força no governo Dilma. Principais obras paradas: Interligação de Bacias, Transnordestina, refinarias e outras, tudo parado. E agora o desmanche da CHESF.
VOLTA LULA!

Responder

    Francine

    04 de novembro de 2012 às 22h55

    O nordeste preferiu a volta do ACM.

    Matheus CõrôA

    05 de novembro de 2012 às 09h48

    Bom dia Francine!
    Sou LULA e Dilmista de coração, mas um erro da minha cidade (eleger grampinho), não justifica outro não – paralização de tudo na nossa região nordeste, como o colega falou!
    Na minha humilde opinião, precisa ser revisto essa perda do PT para o PSB em eleições municipais, aponto do estado que fez a diferença a favor de dilma e lula mudar sua convicção política por ausência de progesso nas nossas capitais nordestinas!!
    sds

    Antonio Sousa

    05 de novembro de 2012 às 13h10

    Querida Francine.
    Moro em Natal, uma das cidades onde a presença dos coronéis é mais forte.
    Nunca elegemos um prefeito verdadeiramente comprometido em minimizar as diferenças sociais. Aqui, revezam-se no poder, seja municipal ou estadual, apenas os membros das mesmas famílias, algumas desde 1898, isso mesmo 1898, data do início do poder pelo clã Rosado, que nos legou a atual governadora.
    Na eleição presidencial de 2010 perdemos em Natal para o candidato do PSDB.
    O pouco que conseguimos nesses anos todos através da lenta construção do PT, levando as propostas do Lula e da Dilma às pessoas que não têm escola, esgoto, tratamento odontológico e outras coisas básicas à cidadania pode ir por água abaixo caso não tenhamos os investimentos necessários.
    O nordeste não prefere a volta do ACM. A volta do filhotinho é fruto da inabilidade do governador Jaques Wagner.
    Sabemos que São Paulo é a jóia da coroa. Mas nada justifica a interrupção das obras estruturantes que nós nordestinos precisamos.
    Um abraço,
    Antonio Sousa

    rose mary

    06 de novembro de 2012 às 17h42

    E A DEMOCRACIA FOI GOLPEADA.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding