VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Eduardo Guimarães: A farsa do vídeo
Falatório

Eduardo Guimarães: A farsa do vídeo


09/09/2012 - 18h39

Vídeo que acusa Dilma de mentir sobre contas de luz é uma farsa

por Eduardo Guimarães, em seu blog 

Após o anúncio bombástico feito pela presidente Dilma Rousseff na última sexta-feira em pronunciamento nacional de rádio e televisão no sentido de que a partir de 2013 as contas de luz dos consumidores residenciais e comerciais cairão 16% e as das indústrias cairão 28%, uma farsa ridícula foi articulada e posta em vídeo que não para de circular na internet.

O vídeo farsesco usa comentário de um jornalista que atende pelo nome de Luiz Carlos Prates, que se notabilizou em 2011 por ter feito comentário em programa que mantinha na rede de televisão RBS, em Santa Catarina, que culpava o ex-presidente Lula pelos acidentes de carro por ter adotado políticas públicas que distribuíram renda e, assim, permitiram que “qualquer miserável que nunca leu um livro compre carro”.

Esse indivíduo, por conta dos protestos do público, foi demitido da RBS, mas acabou no SBT, onde continua produzindo seu lixo intelectual

Um blog de ultradireita desses que beiram a criminalidade usou o tal comentário desse demente correlato à questão energia elétrica a fim de produzir uma das farsas mais absurdas e burras que já se viu e que passo a relatar agora.

O tal blog acusa a presidente Dilma de mentir à população sobre a razão da medida que reduzirá as contas de luz. Diz que a redução anunciada se daria por conta de processo no Tribunal de Contas da União (TCU) que detectou erro de cálculo nos reajustes das tarifas de energia elétrica que, entre 2002 e 2009, surrupiou 7 bilhões de reais ao público.

O processo no TCU é verdadeiro. Cogita-se, realmente, devolver ao distinto público o que pagou a mais na conta de luz. Todavia, é uma deslavada mentira que a redução de tarifas anunciada por Dilma tenha qualquer relação com esse caso.

Em primeiro lugar, não se chegou, ainda, a uma decisão sobre como ou se haverá devolução do que foi cobrado a mais.

Aliás, se a presidente da República tivesse realmente feito o que o tal blog acusa teria cometido crime de responsabilidade e ficaria passível até de impeachment. É insano dizer que ela mentiria a quase 200 milhões de brasileiros atribuindo às suas políticas públicas o que, na verdade, decorreria da devolução de valores cobrados a mais.

A mais breve reflexão sobre esse vídeo, o uso de um mínimo lógica, permite a quem tenha mais de meio neurônio sacar que se nem a oposição nem a grande mídia fizeram a acusação é porque ela não cabe.

Aliás, há que fazer uma digressão.

A oposição atacou até o que não podia no pronunciamento de Dilma da última sexta-feira e anunciou que irá à Justiça contra a presidente porque criticou o modelo anterior de privatizações que, segundo ela, “torrou patrimônio público”. Ora, o cargo de presidente é político e não se pode negar a um primeiro mandatário que tenha opinião política…

Chega a ser ridículo que o partido de José Serra, que em 2010, enquanto governador, pôs a companhia de saneamento básico que opera exclusivamente em São Paulo (Sabesp) para fazer publicidade no Acre e em tantas outras unidades da federação para difundir os feitos do então candidato a presidente, agora acuse Dilma de usar a máquina pública.

Voltando ao vídeo-farsa, por mais que seja ridículo sequer considerar sua premissa façamos uma “conta de português” para entender o engodo.

Veja, leitor, o que diz o site da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel):

“O mercado de distribuição de energia elétrica do Brasil é atendido por 64 concessionárias, estatais ou privadas, de serviços públicos que abrangem todo o País.

As concessionárias estatais estão sob controle dos governos federal, estaduais e municipais. Em várias concessionárias privadas verifica-se a presença, em seus grupos de controle, de diversas empresas nacionais, norte-americanas, espanholas e portuguesas.

São atendidos cerca de 47 milhões de unidades consumidoras, das quais 85% são consumidores residenciais, em mais de 99% dos municípios brasileiros”

Façamos, então, a mal-chamada “conta de português”:

1 – O Brasil tem 47 milhões de unidades consumidoras entre empresas e residências

2 – 85% disso (39,95 milhões de unidades consumidoras) são residências.

3 – Digamos que a conta de luz de uma residência com 3 pessoas custe ao redor de 100 reais mensais – a residência deste blogueiro, com três pessoas, gasta quase 200 reais.

4 – 39,95 milhões de residências a 100 reais por residência dá 3,9 bilhões de reais ao mês

5 – 3,9 bilhões de reais ao mês são 46,8 bilhões de reais ao ano

6 – Como a conta errada teria sido cobrada entre 2002 e 2009, há que multiplicar 46,8 bilhões de reais por 7 anos, o que dá 327, 6 bilhões de reais

7 – Os 7 bilhões de reais que o blog criminoso cita correspondem a 2,13% do que gastaram apenas as residências em 7 anos ou a 14,95% do que gastam em um ano.

Pois bem: juntando residências e indústrias (cujas contas são exponencialmente maiores), em questão de meses os descontos de 16% e 28% anunciados por Dilma devolveriam à sociedade o que lhe teria sido cobrado a mais na década passada.

Depois de devolvidos os 7 bilhões, porém, os descontos continuariam. A menos que durassem poucos meses…

Como se vê, o desespero da direita com o bem-estar social e o progresso que o governo Dilma está gerando ao país chegou ao paroxismo. Os delírios autoritários que pretendem censurar a primeira mandatária ou a falta de decência dos que vendem farsas como essa comprovam o estado de desorientação dessa gente.

Leia também:

Maria do Rosário: Campanha promove ódio contra a comunidade LGBT

Leandro Fortes: Mais um surto político de catapora infantil

Marcos Coimbra: Pesquisas confirmam quadro previsível

Vladimir Safatle: A perda de hegemonia da esquerda

Cuba, sem o bloqueio informativo da mídia

Miguel do Rosário: O ódio contra a democracia

Mauro Santayana: Getúlio e a Nação dos brasileiros

Gilson Caroni Filho: 7 de setembro, as margens ainda são plácidas?

Laurindo Leal Filho: Criminalizar a política é convite ao golpismo

Joel Leite: Chávez, de novo; feito o Roosevelt

Janio de Freitas: Apresentação das defesas fez ruir pretensas provas da acusação

Mino Carta: Que diriam Brizola e Ulisses de como ficaram seus partidos?





8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Luiz Augusto de Freitas Guimarães

14 de setembro de 2012 às 10h56

É só dar uma olhada o quanto tivemos de pagar de aumento este mês pra saber que não vai haver diminuição da tarifa. Foi o mesmo que fizeram com o real, primeiro aumentaram as tarifas no máximo, o salário no mínimo e então seguiu-se à valorização da moeda. PSDB e os ditos “pig” fizeram escola junto ao Partido dos Traidores.

Responder

Eu

12 de setembro de 2012 às 21h25

Por que não lembram que:

1- a redução está ligada a renovação das concessões por 30 anos – ao invés de se proceder a uma nova licitação (onde poderiam ser obtidas tarifas menores);

2 – que parte da redução diz respeito a retirada da remuneração das empresas dos investimentos já realizados;

3 – que apesar de termos termo-elétrica, a energia hidroelétirca é a principal fonte de energia do Brail;

4- parcela da redução vai vir de redução da CDE;

5- A industria brasileira paga uma das energias elétricas mais caras do mundo;

6- Houve aumentos sucessivos das tarifas acima da inflação, nos ultimos 9 anos;

7 – a tributação também aumentou consideravelmente;

8 -Para garantir a redução e eliminação de encargos do setor elétrico, a MP permite que a União adquira créditos que a Eletrobras detém contra a hidrelétrica Itaipu Binacional e destine esses recursos à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE)

9 – O governo poderá autorizar os concessionários a expandir as usinas hidrelétricas que tiveram os contratos prorrogados. Nesses casos, os investimentos adicionais poderão ser contabilizados nas tarifas

“A principal condição para a renovação é a retirada da remuneração relativa a investimentos já amortizados do preço das tarifas – processo que contribuirá para a redução média de tarifas de energia de 20,2%.”

“A MP reduz em aproximadamente 75% a cobrança da CDE, extingue a cobrança da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) e elimina a cobrança da Reserva Global de Reversão (RGR) das distribuidoras, de novos empreendimentos de transmissão de energia e das usinas e linhas de transmissão que tiveram as concessões renovadas.”

Fonte:

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/governo-publica-no-diario-oficial-reducao-da-tarifa-de-energia-eletrica

http://oglobo.globo.com/economia/industria-brasileira-paga-uma-das-tarifas-eletricas-mais-caras-do-mundo-6065850

http://portal2.tcu.gov.br/portal/pls/portal/docs/2433029.PDF

Responder

JOSÉ CONRADO DE SOUZA

11 de setembro de 2012 às 22h08

Se o vídeo de Luiz Carlos Prates é uma farsa; mas, se o processo no TCU é verdadeiro; e se é verdade que se cogita, realmente, devolver ao distinto público o que dele foi indevida e criminosamente cobrado na conta de luz; mas, se é uma deslavada mentira que a redução de tarifas anunciada por Dilma tenha qualquer relação com esse caso, então qual seria a fundamentação técnica e econômica da redução do preço da tarifa de energia elétrica num momento em que o Brasil está obrigado a colocar todas as usinas termoelétricas em operação gerando, portanto, uma energia bem mais cara que a energia hidráulica; enfim, como explicar o texto seguinte?

ENERGIA ELÉTRICA 16% MAIS BARATA É ELEITOREIRA

Após dois meses, o aumento no preço da gasolina nas refinarias da Petrobrás com o governo reduzindo a zero a CIDE em favor da Petrobrás já perdeu seu efeito prático, ou seja, para evitar a alta no preço da gasolina para os consumidores, o governo reduziu a zero o valor da CIDE, um imposto sobre combustíveis, e as consequências não podiam ser piores: o governo abriu mão de uma arrecadação de CIDE de 40 bilhões/ano; o Brasil passou de exportador de gasolina com receita de R$ 3 bilhões/ano para importador com dispêndio de R$ 3 bilhões/ano ou mais; e isso resultou numa brutal queda do PIB fazendo com que o Brasil perdesse posições na classificação mundial e em um prejuízo para a Petrobrás de R$ 1,2 bilhões no último trimestre.

Nesse contexto de oba! oba! eleitoreiro do governo do PT, ou seja, com manutenção irresponsável da redução de IPI resultando num derrame ainda maior de carros sobre as ruas das cidades; e digo de todas as cidades, desde a menorzinha até a maior de todas, já tomadas por engarrafamentos gigantescos e insuportáveis com os carros trafegando a menos de 5 KM/h, obrigando os motoristas a terem muita paciência para suportar o tempo de 4 horas num trajeto que antes demorava menos de 15 minutos; e ainda tendo de respirar um ar altamente contaminado por gases do efeitos estufa.

Porém, isso não é o mais desagradável para o governo e nem para os brasileiros, pois, com as produções de gasolina e de etanol estagnadas, haverá uma necessidade cada vez maior de importação de maiores volumes de gasolina a um preço 30% superior ao que a Petrobrás é obrigada a vender em suas refinarias e isso significa a manutenção das condições economicamente desfavoráveis que resultaram num prejuízo de R$ 1,2 bilhões para a Petrobrás no trimestre passado. Claro que junto com o prejuízo da Petrobrás o governo terá de se contentar também com redução do PIB pela perda de arrecadação de IPI; e tudo isso vai atrasar ainda mais os investimentos nas obras do Pré-sal.

E a burrice do governo do PT não para por ai, ou seria melhor dizer o OPORTUNISMO ELEITOREIRO DO GOVERNO DO PT não para por ai, pois, a presidente Dilma, com toda pompa do sete de setembro, anunciou que a energia elétrica passará a ser vendida a um preço 16% mais barato. É claro que sendo a energia vendida a um preço menor o governo arrecadará menos impostos na venda de energia e, com isso, o PIB do Brasil cairá ainda mais; mas, a incompetência do governo do PT não para por ai, melhor dizendo, não para por ai A VONTADE DO PT EM ENGANAR OS ELEITORES lhes prometendo algo que será impossível manter por muito tempo.

Ou seja, se os eleitores tiverem pelo menos dois dedos de testa perceberão que comprar energia a preço 16% mais barato conforme anunciou a presidente Dilma é algo impossível de se manter por muito tempo nas condições vigentes: preço do petróleo a mais de US$ 115/barril, e com o preço sendo pressionado por aumentos decorrentes do conflito beligerante entre Irã e EUA; reservatórios das usinas hidráulicas em níveis baixos obrigando produção de energia térmica mais cara que a hidráulica etc.; e se tiverem mais de dois dedos de testa os eleitores perceberão que o tempo para suportar condições econômicas tão adversas será de, no máximo, dois meses, significando que, em fevereiro de 2013, quase imediatamente após o encerramento da contagem dos votos nas urnas do 2º turno das eleições ou mesmo antes, o governo do PT será obrigado a aumentar bastante o preço da energia elétrica e a restabelecer o IPI sobre carros, ficando claro que as medidas agora tomadas pela presidente Dilma são eleitoreiras e têm o objetivo único de O PT ENGANAR OS ELEITORES.

E digo isso me baseando no fato de que, devido aos períodos de secas que muitos Estados estão atravessando, o governo foi obrigado a colocar várias usinas termoelétricas para produzir eletricidade a fim de compensar a queda de geração de energia elétrica nas usinas hidráulicas, devido aos baixos níveis dos reservatórios das usinas; e como produzir energia em usinas termoelétrica é bem mais caro do que produzir em usinas hidráulicas, fica claríssimo que a REDUÇÃO DO PREÇO DA ELETRICIDADE EM 16% É ELEITOREIRA; e, assim, é preciso uma forte reação dos partidos de oposição a esse respeito, POIS, É IMPOSSÍVEL O GOVERNO DO PT TER UM ESTUDO SÉRIO mostrando ser possível vender energia elétrica a um preço 16% mais barato quando o esperado deveria ser o contrário, principalmente, nas condições adversas citadas, isto é, com as barragens das usinas em níveis mínimos, com a seca dos EUA pressionando os produtores do mundo inteiro a produzirem mais para exportar mais, com os preços dos combustíveis no mercado internacional sendo majorados a cada momento e, enfim, e com a obrigação de o governo do PT colocar várias usinas termoelétricas para operar com diesel importado a preço do mercado internacional.

Ou seja, se o Brasil passou a gastar mais para gerar a mesma quantidade de energia por ter sido obrigado a produzir energia térmica, bem mais cara que energia hidráulica, o correto, O ÓBVIO ULULANTE, seria aumentar o preço da energia elétrica ou no máximo manter o preço vigente em 7 de setembro. Enquanto, repito: REDUZIR O PREÇO DA ENERGIA ELÉTRICA EM 16% É, SIM, MEDIDA ELEITOREIRA, ou então, visa, sim, ao governo se antecipar a algo que será obrigado a fazer pelo TCU, ou seja, a devolver os R$ 7 bilhões que foram cobrados a mais dos consumidores.

Mas, voltando ao preço da gasolina nas refinarias da Petrobrás, que já está mais defasado em relação aos valores internacionais do que antes do reajuste de 25 de junho e considerando os derrames sucessivos de novos carros nas ruas sem que as cidades estejam preparadas, sem que as estradas estejam devidamente pavimentadas, sem que a Petrobrás tenha refinarias suficientes para atender essa demanda cada vez maior por gasolina e sem que, enfim, o etanol apareça como sobra apesar de os postos estarem quase sem vender etanol, indicando que a gasolina vendida nos postos deve estar sendo comercializada com teores de etanol bem acima de 30% (o limite atual é de 20%); e só não percebe isso quem não é capaz de fazer uma conta de somar 2 +2 e achar que vai dar cinco ou mais. Não vai: a matemática é precisa a esse respeito 2 + 2 só pode dar como resultado 4.

Ou seja, o que estou querendo dizer é que os proprietários de carros flex, com conivência das autoridades, melhor dizendo com aval aparente do governo do PT, estão comprando gato por lebre, ou seja, entram nos postos para abastecer seus carros com gasolina misturada com 20% de etanol, mas, estão abastecendo com gasolina misturada com 30% ou mais de etanol, aliás, conforme já foi demonstrado por jornalistas do Fantástico da TV Globo, num excelente trabalho investigativo, que deveria ter sido feito por técnicos da ANP, mostrando o absurdo de um carro flex ser abastecido com 100% de etanol como se fosse mistura de gasolina mais 20% de etanol, e ninguém foi preso e nenhum posto foi fechado por cometer crimes desse tipo contra os proprietários de carros flex que, pelo andar da carruagem, continuam sendo roubados, ou seja, continuam comprando etanol como se fosse gasolina com 20% de etanol.

É claro que alguns poucos estão se locupletando dessa tremenda sacanagem com os proprietários de carros flex; é claro que os usineiros devem estar vendendo etanol no câmbio negro, possivelmente, vendendo etanol ao preço da gasolina nas refinarias da Petrobrás; é claro que as distribuidoras também devem estar vendendo etanol a preços majorados e os postos devem continuar vendendo gasolina com teores de etanol de 30% ou até mesmo de 100%; e é claro que os partidos políticos da base de apoio do governo que permite essa sacanagem devem estar recebendo propinas eleitoreiras por baixo dos panos; os tais dos recursos não contabilizados.

E é nesse contexto de sacanagem que os eleitores vão votar nas eleições para prefeito e para vereador, podendo e devendo os eleitores dar uma resposta a altura ao governo do PT que acha que os eleitores não têm neurônios suficientes para perceberem que as medidas do IPI reduzido sobre carros flex e de venda de energia elétrica a preço 16% menor que o vigente em 7 de setembro são medidas meramente eleitoreiras e que OS ELEITORES PAGARÃO ALTO PREÇO TÃO LOGO AS URNAS DO 2 TURNO SEJAM ABERTAS E OS VOTOS CONTADOS, OU MESMO ANTES.

Portanto, o presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), está coberto de razão quando acusa a presidente Dilma Rousseff de usar a máquina pública para atacar adversários e de fazer propaganda eleitoral em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão; e disse que o PSDB adotará medidas legais contra a iniciativa da presidente Dilma anunciando a redução irresponsável de 16,2% no preço das tarifas de energia elétrica; e se essa representação judicial realmente ocorrer será bastante difícil ou até mesmo impossível a presidente Dilma justifiçar e defender essa redução no preço da tarifa de energia elétrica exatamente quando o governo foi obrigado a colocar várias usinas termoelétricas em operação gerando energia elétrica a um preço muito mais caro para compensar a redução de produção de energia mais barata nas usinas hidráulicas por estarem com reservatórios em níveis mínimos.

Ou seja, as condições vigentes são de aumento de preço de energia elétrica e jamais de redução; o máximo que se poderia admitir seria o governo manter o preço atual para não aumentar ainda mais o DESGASTE DO PT POR TER SIDO O PARTIDO QUE IDEALIZOU E CRIOU O MENSALÃO PARA ROUBAR DINHEIRO PÚBLICO A FIM DE COMPRAR VOTOS DE DEPUTADOS E SENADORES; e isso justifica, também, a fala do candidato a prefeito de São Paulo José Serra criticando a presidente Dilma por usar a cadeia nacional para fazer propaganda eleitoral para o PT, o que não seria novidade uma vez que, na visão de Serra, o PT sempre usou dessa prática; fazer campanha eleitoral é normal, agora, usar a cadeia nacional para fazer propaganda eleitoral é abuso de poder, principalmente porque, os fatos e dados conhecidos apontam que o máximo que se pode admitir com relação ao preço da tarifa de energia elétrica seria a manutenção do preço vigente em 7 de setembro, pois, REDUZIR O PREÇO DA TARIFA DE ENERGIA ELÉTRICA NAS CONDIÇÕES CITADAS É MEDIDA ELEITOREIRA, que terá de ser revertida tão logo ou mesmo antes de serem totalizados os votos do 2º turno; e por isso mesmo, data vênia, se provocada pelo PSDB a respeito, certamente, MERECERÁ ATITUDE SEVERA DA MINISTRA CÁRMEM LÚCIA ANTUNES ROCHA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL. E, finalmente, digo mais, os brasileiros podem se preparar que independente do resultado da eleição para prefeito, não importando que a oposição eleja a maioria dos prefeitos e que o governo eleja a maioria dos prefeitos, o fato é que admitindo como verdadeiro o estudo do TCU determinando uma devolução de R$ 7 bilhões, isso já está provocando reação das concessionárias dizendo que não haverá recursos para investir na expansão na geração, ou seja, devemos nos preparar para APAGÕES, e mais ainda, considerando que de cada R$ 100 cobrado nas contas de luz, R$ 45 são impostos, isso significa que o governo terá de abrir mão de impostos equivalentes a 45% dos R$ 7 bilhões, ou seja, R$ 3,15 bilhões e isso vai obrigar o governo a fazer cortes em projetos do Orçamento do próximo ano. Ou seja, boa coisa não vem por ai…

José Conrado de Souza
Engenheiro químico, 67 anos, formado pela UFRJ, trabalhou na Petrobrás até julho de 2000 quando, então, se aposentou, tendo atuado em postos de chefia na REPAR, na REPLAN, e no EDISE; foi presidente do Clube dos Empregados da Petrobrás em Araucária, foi membro do Conselho de Curadores da PETROS e foi Diretor da AEPET.

Responder

    Jorge

    11 de setembro de 2012 às 23h48

    Acho que os seus produtos químicos corroeram o seu cérebro…..

Regina Braga

10 de setembro de 2012 às 23h31

Ah! Virou palhaçada…não existe assessoria, para alertar a Presidenta que é redução e não devolução?Se a coisa fosse explicada,ninguém ia ter que aturar o jornalista(?)nem os palavrões no face.

Responder

Ivone Nunes

10 de setembro de 2012 às 21h44

Me digam em quem posso acreditar em jornalista que pelo que sei fez um comentário infeliz e do resto mais nada. Ou em ti Eduardo Guimarães que escreveu o texto acima que também não conheço e me diz que partido é o teu?O mesmo da presidenta, se for isto prefiro que me prove e quanto ao jornalista vou pesquisar mas sozinha.Até.

Responder

FrancoAtirador

09 de setembro de 2012 às 22h14

.
.
Há outro detalhe:

A redução de 16% da tarifa de energia elétrica anunciada pelo governo federal, a vigorar a partir de janeiro de 2013,
NÃO PREVÊ COMPENSAÇÃO DE EVENTUAIS CRÉDITOS DOS CONSUMIDORES,
SEJAM DECORRENTES DE DECISÕES ADMINISTRATIVAS, SEJAM JUDICIAIS.

Portanto, se houver determinação do TCU, da ANEEL ou do Poder Judiciário
para que as concessionárias de energia elétrica devolvam valores tarifários eventualmente cobrados indevidamente, será um ganho a mais para o consumidor, pois um direito não exclui o outro.
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding