Zé Dirceu: JN cola cobertura do mensalão na propaganda eleitoral do PT

Tempo de leitura: 2 min

Jornal Nacional não divulga pesquisa que a própria Globo contratou

Publicado em 18-Out-2012

por Zé Dirceu, em seu blog

As Organizações Globo – à frente a Rede Globo, que nunca é demais lembrar, é uma concessão de serviço público – contrataram a pesquisa IBOPE que saiu ontem, sobre o 2º turno em São Paulo, mas relegaram os resultados apenas ao seu noticiário local, o SPTV da noite. Não disseram uma palavra a respeito em seu mais importante telejornal, o Jornal Nacional.

É porque a pesquisa dá 49% das intenções de voto para o candidato Fernando Haddad, do PT e partidos aliados contra 33% atribuídas ao concorrente tucano José Serra? É porque, se considerados apenas os votos válidos (excluídos brancos, nulos e indecisos), Haddad chega a 60% e José Serra fica com 40%? É porque José caiu quatro pontos percentuais em relação ao IBOPE anterior e Haddad continua subindo na preferência do eleitorado?

Ao não noticiar a pesquisa IBOPE ontem, a despeito da importância política e econômica dessa eleição de São Paulo e de sua dimensão nacional, o JN dá provas de que está, na prática, fazendo campanha para o Serra. A ponto de não noticiar pesquisa que a própria Rede Globo contratou.

Manobra coloca o julgamento do STF colado à propaganda do PT

E fazendo campanha, inclusive pelo espaço que dá para o julgamento da Ação Penal 470 (o chamado mensalão),  e a sequência em que o veicula, colocando o noticiário a respeito colado à propaganda eleitoral petista. Vão negar, mas é mais uma daquelas manobrinhas ridículas da cúpula da Globo.

Neste caso da pesquisa IBOPE divulgada ontem (não pelo JN…) cabe inclusive uma ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF)  para fazer valer o principio constitucional, artigo 220 parágrafo 2º, que estabelece ser vedada toda censura de natureza politica, ideológica e artística.

Ao não noticiar a pesquisa que mostra seu candidato o tucano José Serra com 33% das intenções de votos e Fernando Haddad com 49% a TV Globo viola abertamente a Constituição e impõe censura a uma notícia pública que ela mesmo contratou e que veicula, em horário nobre no JN, desde o início da campanha eleitoral desse ano. Menos ontem.

PS do Viomundo: Isso não é exatamente uma novidade. Veja aqui um exemplo de como foi a paginação do JN durante a campanha de 2010.

Leia também:

Bia Barbosa: Dilma não comparece à reunião da SIP; diretor do Grupo Estado compara-a a Collor

Emiliano José: O pesadelo interminável do urubu

David Leigh: Uma taxa mensal para sustentar os jornais

Bia Barbosa: SIP elege Equador e Argentina como alvos principais

Janio de Freitas: A mentira da mesada de Roberto Jefferson

Comparato: Pretos, pobres, prostitutas e petistas

Rosane Bertotti: Lula e Dilma, muito a desejar na área da comunicação

Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária?

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Roberto Amaral: Chávez e a derrota dos barões da imprensa brasileira « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Zé Dirceu: JN cola cobertura do mensalão na propaganda eleitoral do PT […]

jcm

Disse bem, cabe! Mas quem é que vai levantar o traseiro e entrar com a ação no STE, o PT? O PT vê os tucanos trabalharem e fica chorando porque eles esperneiam. Cabe, mas só se algum blogueiro sujo entrar com a ação. Cabe e já coube a você, José Dirceu, democratizar a mídia no Brasil, quando era o capo, mas fez o quê? Ficou indo no programa do Jô desfilar seu poder.Ficou babando ovo pra globo e outras midias. Agora, paga-se o preço, não você,mas a sociedade que não tem informação.

    Mário SF Alves

    É. Parece simples, não é, prezado jcm? Pois não é. Eu também acreditava que bastava chegar ao Governo Federal e tudo, séculos de subdesenvolvimento, se resolveriam assim, como num passe de mágica. Mas, aí, logo após a primeira vitória do Lula, veio o Plínio de Arruda Sampaio e disse (nas entranhas do PiG): “uma coisa é ganhar o governo, outra coisa, muito diferente, é conquistar o poder.” E ele tinha toda a razão. Lembro-me da especialização que fiz em planejamento agrícola. Naquela ocasião, tive a oportunidade de refletir sobre o Estatuto da Terra, elaborado durante o primeiro período da ditadura militar (ou civil-militar, como queira). O fato é, tal documento, cuja finalidade era corrigir as graves distorções na estrutura fundiária brasileira, jamais saiu da gaveta. Ficou lá mofando, não obstante sua pertinência socioeconômica e viabilidade técnica. Sabe por quê? Simples. Os latifundiários não o queriam. E assim foi. Ficou lá, inerte.
    .
    Moral da história: nesse “nosso” querido Brasil oriundo de capitanias hereditárias e sesmarias; de passado escravocrata; de industrialização tardia e de capitalismo selvagem, acontece disso, nem a ditadura de direita foi capaz de humanizar ou sociabilizar a mencionada estrutura; causa maior de nosso eterno subdesenvolvimento.

adriana m carvalho

É SÓ LIGAR E RECLAMAR, CENTRAL GLOBO 4002-2884

denis dias ferreira

O Lula não deveria ter renovado a concessão da GLOBOGOLPE, que ainda enxerga o Brasil como uma desprezível republiqueta latino-americana. Esse veículo de comunicação não se deu ainda conta de que o país está mudando e que a mudança é irreversível. No novo Brasil que está surgindo não há mais espaço político para esse tipo de emissora.

    razumikhin

    Iço, cumpanhêro. Vâmo imprantá a dentadura nos proletáru!

    denis dias ferreira

    Ô Zé Plim-Plim, você é jenial!

    Mário SF Alves

    Vazakasputin!

    Antonio Marcos

    Xô zé plim plim, pousou no lugar errado.

    Seu partidinho corrupto-PSDB vai ser bandido do Brasil até 2022.

    A Globo_Veja estão afundando junto com PSDB+DEM.

    O povo acordou, a imprensa não manda mais no Brasil.

    marco

    Ora Denis,estes senhores são representantes do ¨¨Particular¨¨ inimigos portanto do que é público.Intitulam os opositores de Populistas,e eles são unicamente,Banquistas. abraços

João Paulo Ferreira de Assis

De pleno acordo com o senhor Jose Moyses Rossin, aquem respondo aqui por não estou em nenhuma rede social.

Assistir às novelas da Globo com olhos críticos é útil porque podemos surpreender várias vezes o uso de uma linguagem subliminar. A novela Irmãos Coragem apresentou um núcleo ”bom”, o João, o Jerônimo, o Duda (craque de bola) e sua mãe Ana Coragem, para dizer os principais. Esses queriam vender os diamantes para os estrangeiros que aqui vinham contrabandear. O coronel Pedro Barros, que comprava os diamantes dos garimpeiros, era tido como um homem tosco, que contratou um ”beato” para dar uma surra de chicote na filha, que tinha problema de dupla personalidade (filha heroína, mulher do João Coragem). E no fim o coronel ficou louco furioso.

Percebam a dicotomia:
favorecedores dos contrabandistas: BONS no entender da Globo.
brasileiro nacionalista: RUIM no entender da mesma Globo.

Por aí ela procurou injetar no povo brasileiro a repulsa por seus verdadeiros amigos, e preparou-o para quando viesse a democracia (a novela foi produzida durante a ditadura) o povo elegesse os candidatos que a Globo queria.

    João Paulo Ferreira de Assis

    Observem uma outra faceta da Globo:

    Ela só é ”nacionalista” quando o Brasil ganha algum título de futebol sobre a Argentina. Ela incentiva inclusive a inimizade entre os nossos povos. Como se o futebol fosse a coisa mais importante do mundo.

Datafolha: Hadadd tem 60% dos votos válidos; rejeição a Serra sobe para 52% « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Zé Dirceu: JN cola cobertura do mensalão na propaganda eleitoral do PT […]

Rodrigo Leme

O Dirceu quer recorrer ao STF contra a Globo? Que coisa, não? Agora a corte é boa?

Em tempo: o site dele vai mudar de nome para “memórias do cárcere”?

Em tempo 2: o PT vai executar seu estatuto interno e expulsar Dirceu, por ter sido condenado na justiça?

    Marcelo de Matos

    Em tempo 3: não existe estatuto “interno”. Todo estatuto partidário é público, já que registrado no TSE. O PT, como todo partido, é uma pessoa jurídica de direito privado. Só expulsará Dirceu se essa for a vontade de seus filiados e você sabe perfeitamente que não é. Portanto, Dirceu continuará no PT. Como Roberto Jefferson, que você não citou, embora condenado, continuará como presidente nacional do PTB. O PIG e vocês piguistas só cobram a expulsão de petistas. Por que não pede a cabeça do Bob Jefferson?

    Rodrigo Leme

    Boa. Que expulsem o Jefferson, acho justo. Se isso estiver previsto no estatuto do partido, claro.

    Agora, o do PT diz:

    Art. 231. Dar-se-á a expulsão nos casos em que ocorrer:
    I – infração grave às disposições legais e estatutárias;
    II – inobservância grave dos princípios programáticos, da ética, da disciplina e dos deveres partidários;
    VI – improbidade no exercício de mandato parlamentar ou executivo, bem como no de órgãopartidário ou função administrativa;
    XII – condenação por crime infamante ou por práticas administrativas ilícitas, com sentença transitada em julgado.

    Lembrando que, por exemplo, o DEM expulsou o Arruda sem nem precisar de julgamento. Quando o DEM age mais corretamente que seu partido é que o negócio tá feio.

    Edineuza

    Oxente, mas não é essa corte que tem os poderes de julgar “os crimes”, vamos ver se de fato cumpre com o seu papel, coisa que até hoje só o fez de modo parcial e caolha.

    Luiz (o outro)

    Pode chorar, mané! Está sendo divertido ver as besteiras que vocês dizem quando a vaca tá indo pro brejo…

    Maria Izabel L Silva

    O PT não vai expulsar ninguém. Inclusive ja reintegrou o Delubio. Em tempo 4: dane-se você, o PIG e o julgamento de exceção …

    RicardãoCarioca

    Não precisa achar o STF bom para acioná-lo. Não precisa nem gostar dele e concordar com ele. Afinal, certa ou errada é a suprema corte.

    Santo pensamento binário e obtuso que mantem a direita brasileira longe do poder.

    Rodrigo Leme

    Pensamento binário tipo “é ruim pro PT é corrupto, sujo, vendido”?

    Antonio Marcos

    Zé ruela some daqui, está no lugar errado, seu lugar é no Blog do “chapéu atolado – vulgo tanga frouxa”. rs

Mardones Ferreira

Mais uma vez parece que o Lula mostrou que é um animal político e vai para galeria dos maiores do Brasil ao lado de Ulisses e Getúlio. Mesmo contra a torcida do PIG que contrata e esconde pesquisa desfavorável a seu pupilo.

Nem eu acreditava no Haddad.

    Edineuza

    Para mim ele já estava lá. Agora só reafirma a sua posição.

    Bonifa

    Ulisses foi um grande político, um dos maiores responsáveis pelas lutas e negociações da redemocratização, mas não tem a estatura de Lula ou Getúlio. O único outro politico brasileiro que tem tal estatura, nos tempos republicanos, é Juscelino.

Marcelo de Matos

O pessoal da Globo aprendeu essas manhas com a mídia venezuelana.

Rossi

Consta-se que o Sr.Dirceu logo após a valorização abrupta do U$ no final do governo fhc e início do Lula,deu u’a forcinha pra’s “organizações” endividadas em dólar.É a história da carona do escorpião,Dirceu.Confirma a versão?

    Marcelo de Matos

    O Dirceu é consultor de empresas. Alguma novidade? Não é isso o que fizeram e fazem Mailson da Nóbrega (gênio revelado ao mundo por José Sarney), Pérsio Arida e tantos outros gênios revelados no período FHC?

    denis dias ferreira

    Não acuse nem condene se você não tem provas. Seu fofoqueiro maledicente!

    MARCELO

    Se o Zé Dirceu fosse do PSDB,você
    estaria criticando até a tataravó
    dele,né?kkkkkkkkkkkk

FrancoAtirador

.
.
Datafolha antes da Folha: Haddad 49%, Serra 32%

Diferença de 17 pontos é ainda maior que a do Ibope,
que apontou 48% a 32%

Estranhamente, instituto do grupo Folha ainda não divulgou
os resultados da sua pesquisa desta semana.

Depois de o Ibope apontar distância de 16 pontos percentuais entre Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB) na corrida pela Prefeitura de São Paulo, o Datafolha aponta diferença ainda maior: 49% a 32%.

Estranhamente, contudo, instituto do grupo Folha ainda não divulgou os resultados da sua pesquisa desta semana. 247 teve acesso aos números inéditos e os divulga antes mesmo da empresa autora da pesquisa.

A pesquisa do Datafolha corrobora o Ibope no registro do desastre que foi a abordagem da campanha de Serra sobre o famigerado ‘kit gay’ do Ministério da Educação.

A exemplo do que ocorreu na campanha presidencial de 2010, o tucano só se desgastou ao adotar o discurso conservador, desta vez escorado em pastores, como Silas Malafaia.

Até aí, nada de novo.

Estranho mesmo é o fato de o Grupo Folha ter os dados, e seu jornal, Folha de S.Paulo, não os ter publicados, como faz, com exclusividade, assim que eles são consolidados.

No 247, via Com Texto Livre

(http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/10/datafolha-antes-da-folha-haddad-49.html)

<a href="” rel=”lightbox”><img src="” class=”comment-img” title=”clique para ampliar”>

<a href="” rel=”lightbox”><img src="” class=”comment-img” title=”clique para ampliar”>

Messias Franca de Macedo

GOLPE TELEVISIONADO… E IMPRESSO! ENTENDA A IMPORTÂNCIA *VITAL DA LEI DOS MEIOS!
*VITAL para a nossa subdemocracia de bananas!…

… Navegando pela internete, vislumbrei o ‘fac-simile’ da edição impressa da ‘Folha de São Paulo’… E a manchete que ocupava quase a metade da capa do notável(!) periódico, em letras garrafais: ‘PARA RELATOR, JOSÉ DIRCEU COMANDAVA A QUADRILHA’

NOTA: está lá, em tempo real, “imexível”, num espaço superior e à esquerda (sic) da página da ‘folha online’!…

UMA PERGUNTA SOBRE ‘O DOMÍNIO DO FATO'(!):
Amanhã, a mesma ‘Folha’ estampará a manchete ‘PARA MINISTRO REVISOR, NEM QUADRILHA [“comandada” por José Dirceu do PT] EXISTIA’

EM TEMPO: aguardemos o tempo que virá, inexorável, amanhã, “nada melhor do que um dia após o outro”!…

Que país é esse, sô?! ‘República dos Estados Unidos do Brazil’(!), segundo *’o santo de melhor biografia entre as biografias de todos os santos’(!)
*[José] (S)erra Rossi MalaFALSA, um mero político conservador, segundo o jornalista Kennedy Alencar [RISOS]

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

    Maria Libia

    Messias, acesse, assine e mande para seus amigos: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=privata – Petição sobre a PRIVATARIA TUCANA. http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N30128-Solidariedade àqueles que lutaram pela democracia – Genuino e Dirceu.

    Messias Franca de Macedo

    Prezada Maria Líbia, muito obrigado pela deferência. Aproveito para informar-lhe que já assinei a “suprema” [RISOS] petição… Naquele momento já havia cerca de 5.900 assinaturas…

    Felicidades!

    Hasta la Victoria Siempre!

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Vlad

Que mensalão?

    lulipe

    O que condenou José Dirceu, Genoíno e Delúbio, lembra???

    Avelino

    Caro Lulipe
    Deve ser o salário dos ministros que estão lá para condenar todo e qualquer petista que lá conseguiur chegar. Os ministros são muito bem pago para isso, por isso, o mensalão.
    Saudações

    Edineuza

    E aquele que deu origem a tudo isso, o de AZEREDO, AÉCIO-PSDB e o do DEM de Brasilia e mais o de CACHOEIRA, MARCONE PIRILO, DEMOSTENES TORRES, JOSE AGRIPINO MAIA, porque não está na midia nem são julgados? Ah, já sei. o Procurador Geral da Republica e a maioria do STF são cegos, mudos, surdos e claro “imparciais”.

    Luiz (o outro)

    Divertido vai ser a partir do dia 29 ver um monte de trollha sem trabalho…

ZePovinho

Joaquim Barbosa está nas mãos da Globo.Já pensou a platinadaq exibindo (no JN) o BO que a mulher dele fez,quando o Batman a espancava?????
A reportagem é do Poli………..Policarpo Junior- o sócio de Carlinhos Cachoeira(o Cachú):

http://veja.abril.com.br/140503/p_050.html

Enfim, um negro chega lá

Ao indicar ministro negro para o STF, Lula manda mensagem emblemática à sociedade

Policarpo Junior

………….Enquanto o governo decidia o que fazer, os comentários pipocaram no próprio Supremo. A ministra Ellen Gracie, a única mulher da corte, no intervalo entre uma sessão e outra, mostrou-se preocupada. “Vai vir para cá um espancador de mulher?”, perguntou ao colega Carlos Velloso. “Foi uma separação traumática”, conciliou Velloso. “Mas existe alguma separação que não é traumática?”, interveio o ministro Gilmar Mendes. Para desanuviar o ambiente, o ministro Nelson Jobim saiu-se com uma brincadeira machista, a pretexto de justificar a agressão: “A mulher era dele”. O governo preocupou-se à toa. Indagado sobre o episódio pelo ministro da Justiça, Barbosa Gomes explicou que fora um desentendimento árduo, mas superado. Dias depois, Barbosa Gomes encaminhou ao Gabinete Civil da Presidência da República uma carta, assinada pela ex-mulher, reafirmando que tudo fora superado. Mais que isso, na carta Marileuza abonou o ex-marido – que não voltou a se casar e hoje mora com o filho do casal. “Na verdade, houve uma agressão mútua. Isso aconteceu num dia de ânimos acirrados. Somos amigos até hoje”, disse Marileuza a VEJA. “Foi uma briga de família provocada por ressentimentos naturais numa separação”, explicou Barbosa Gomes à revista. Com isso, o governo completou a trinca do Supremo sem temor. Agora, falta apenas o Senado aprovar o nome dos três candidatos.

Alexandre Tambelli

Tinha escrito em abril este texto, até virou Post no Nassif e fiz pequenas correções com o passar do tempo. Vale postar aqui:

OS TRUQUES DA EDIÇÃO JORNALÍSTICA NA REDE GLOBO

A seletividade da denúncia e da informação na Rede Globo sempre existiu. (Eu não assisto mais a Rede Globo – desde o final de 2009).
A grande mídia costuma informar sobre qualquer assunto segundo sua ótica (visão política ou interesses políticos) e ainda pode omitir informações, notícias relevantes, conforme o seu interesse.
As Organizações Globo representada pela TV GLOBO, Revista Época, Jornal O Globo, Portal G1, Rádio CBN, etc. faz parte da grande mídia e pode veicular matérias sobre uma notícia importante, por exemplo: o Mensalão. Durante minutos seguidos, pode o seu telejornal, informar sobre os acusados e acusações do Processo e mostrar os detalhes do seu Julgamento pelo STF e ao mesmo tempo, pode negligenciar a informação de que existe outro Mensalão, anterior ao do PT e batizado de Mensalinho, um processo que não está tendo a mesma celeridade no STF.
A emissora veicula desde sempre notícias sobre o Mensalão aos seus telespectadores, ouvintes e leitores, trazendo informações básicas do seu surgimento, dos políticos envolvidos e das acusações. Já sobre o Mensalinho, pouco ou nada noticia, pelo fato dos indiciados serem seus aliados políticos. Veremos que as notícias veiculadas do Mensalão têm um viés mais de denúncias aos seus opositores do que de espaço para o equilíbrio entre a denúncia e o direito de defesa do sujeito que ela coloca como réu. Durante a enumeração dos truques de edição ficará clara esta afirmação.
Conforme a ideologia política um sujeito ou partido está mais a mercê de ser denunciado do que outro sujeito ou partido pela emissora dos “marinhos”. Mesmo que o primeiro seja honesto e o segundo seja, comprovadamente, corrupto.
É interessante, um Best Sellers como A Privataria Tucana (livro que já vendeu mais de 120 mil exemplares), do Jornalista Amaury Junior, denunciando com provas robustas (vários documentos anexados) como foi uma parte do processo fraudulento das privatizações de empresas públicas no Governo FHC; e colocando até familiares do candidato a Prefeito de São Paulo José Serra do PSDB (incluindo sua filha Verônica Serra) em maus-lençóis não mereceu sequer uma reportagem investigativa por parte da emissora ou de seus jornais, revistas, rádios e portal. Nenhuma indignação, nem cobranças para a Justiça apurar se são verdadeiras as denúncias do livro. Nenhuma mudança de comportamento para com seu aliado político.
Somos diariamente levados a compreender o mundo de forma seletiva pela Rede Globo. A informação que for do interesse das Organizações Globo divulgada será, e a que não for do seu interesse será omitida.
Muitas pessoas honestas têm suas reputações manchadas por uma simples necessidade de destruir os inimigos de suas ideias, ou para favorecer políticos que defendam seus interesses. Além é claro de serem as Organizações Globo a porta-voz do Capitalismo e das Grandes Potências mundiais, dos grandes grupos econômicos mundiais no Brasil. Ela defende a ideologia do capitalismo central (o que não seria problema), se na sua defesa não se utilizasse de diferentes métodos ilegais, inclusive o da denúncia sem uma investigação precisa do que se acusa, da omissão de notícias ou da notícia apenas até a primeira página, da destruição de reputações de pessoas honestas e governos e governantes honestos, e até de posicionamentos antinacionalistas, etc. (Leiam na internet sobre a contenda Brasil X EUA sobre os subsídios americanos sobre o algodão e vejam como se posicionou as Organizações Globo).
É interessante observar um exemplo prático da destruição de reputação, o de Erenice Guerra, ex-assessora da Presidenta Dilma Rousseff, para compreender o Jornalismo das Organizações Globo.
Erenice Guerra foi acusada de diferentes irregularidades em 2010, no exercício da função de Ministra da Casa Civil, após Dilma sair candidata à Presidenta. Era na época da eleição presidencial, então a Revista Veja criou uma denúncia nem um pouco consistente de lobby e emprego de parentes no serviço público e as Organizações Globo repercutiram a notícia com toda a força, porque era uma maneira de privilegiar o candidato que a emissora simpatizava e ainda simpatiza: José Serra. Um ano e sete meses após as denúncias, o MPF – Ministério Público Federal arquiva o Processo contra a Ex-ministra por total falta de provas! E onde está a retratação pública para com a Ex-ministra Erenice, por parte das Organizações Globo? Caso semelhante ocorreu com o Ex-ministro dos Esportes Orlando Silva que foi, também, absolvido pelo MPF das denúncias que pululavam no noticiário da Rede Globo e associadas no ano passado.
A mola mestra das denúncias que fez com que a Presidenta Dilma trocasse Ministros nos seus meses iniciais de Mandato era desestabilizar seu Governo e não uma batalha anticorrupção.
Aliás, a corrupção dos seus aliados políticos é jogada para baixo do pano! Como exemplo temos o escândalo da inspeção veicular, sabem aquele selo que fomos obrigados a colocar no carro? Houve um grande escândalo de corrupção, na realização dessa inspeção, envolvendo políticos do Rio Grande do Norte e de São Paulo, incluindo o subchefe de gabinete da Casa Civil de José Serra, quando ele foi Governador do Estado de São Paulo, chamado João Faustino. O subchefe de gabinete da Casa Civil de José Serra foi até preso junto com outros aliados políticos, na Operação da Polícia Federal Sinal Fechado por causa da “controlar” e foi omitida a informação da íntima ligação do preso com seu aliado político, por parte da TV Globo. (Coloque essas duas palavras e leia mais a respeito: “escândalo controlar”; e muitos outros casos).
Viram a diferença de tratamento dado a Erenice e ao João Faustino pela Rede Globo?
Quem ouviu falar de João Faustino subchefe da casa Civil do Serra? Preso pela Polícia Federal? Se ouviu ou leu o nome dele em algum veículo de mídia das Organizações Globo, soube que era intimamente ligado a José Serra e que coordenou sua campanha para as eleições de 2010 no Nordeste? Sobre a Erenice todo mundo ouviu falar, só que esta foi absolvida por falta de provas. Os dois trabalhavam na Casa Civil, ela no Governo Federal e o João Faustino no Estado de São Paulo.
A informação do “escândalo da controlar” tivemos com detalhes, através da internet, em blogs de Jornalistas, que não mais fazem parte desse círculo fechado, que seleciona as informações a serem noticiadas e que podemos chamar de “grande mídia” ou “velha mídia”, como queiram, da qual as Organizações Globo é a mais forte representante.
Para este processo de ora informar ou ora desinformar, de informar até a primeira página ou de omitir a informação, de acusar uma pessoa sem provas consistentes, manchando sua reputação a emissora dos “marinhos” possui diferentes técnicas (truques jornalísticos).
Acabei listando um conjunto delas, técnicas que fui observando ao longo dos anos, ao assistir seus telejornais, até o final de 2009, quando definitivamente, abandonei quase por completo, a relação com as Organizações Globo em Jornal, Revista, Rádio, TV e Internet, excetuando a área esportiva, quando da falta de outra opção em assistir um evento esportivo, pelo desrespeito dela para com a informação a mais precisa possível, sem a seletividade da informação e pela parcialidade e viés da notícia.

Métodos básicos, que sempre assisti nos seus telejornais (lembrando-me, de memória, do tempo em que assistia com meu pai, já falecido, e em locais públicos, onde acabo assistindo porque está a TV ligada no canal):

1. Seleção. Corrupção no Governo, hospitais públicos com pessoas em leitos nos corredores, obras superfaturadas, etc. existem, quase sempre, nos Governos que ela não apoia; Os telejornais da Rede Globo selecionam os estados ou cidades das matérias. Quanto mais perto das eleições mais evidente fica este modo de agir. Elogios são, na maioria das vezes, para administrações do DEM, PSDB, PPS e demais opositores do Governo Federal. Quase toda reportagem negativa está situada em um Estado ou cidade governado por quem ela não apoia ou na técnica de mostrar problemas em obras ou estabelecimentos “FEDERAIS” no Estado ou cidade oposicionista. Por que nos federais? Porque ela é opositora às ideias do PT e oposição ao(s) seu(s) Governo(s).
Na eleição passada, vendo o Jornal Nacional, próximo da época do voto, observei uma reportagem, apontando problemas na separação do lixo hospitalar no Hospital São Paulo da capital paulista, ele é administrado pelo Governo federal, pois, pertence à Unifesp – Universidade Federal de São Paulo. Fica a impressão de que a Rede Globo faz reportagens investigativas, denúncias em todos os estados e que só se encontram erros em obras e estabelecimentos do Governo Federal no Estado de São Paulo. 1***
1.1. Seleção do comentarista. Todo comentarista e especialista defende a mesma posição. A emissora tem um grupo de pessoas, que revezam nos seus microfones. Eles aparecem umas 8, 10 vezes ao ano, para dar uma disfarçada. No Jornal Nacional, de vez em quando via um Economista, homem de estatura média para alta, utilizava óculos, cabelo branco, peso normal e fala mansa. Vinha para dar respaldo a toda tese econômica da emissora.
1.2. Seleção da pergunta. Todo apresentador e repórter tem um tipo de pergunta e de atitude para com o entrevistado. Se for seu aliado, ameniza todas as críticas e faz perguntas para “encher a sua bola”. Se tiver outro pensamento político, aterroriza nas perguntas, não dá trégua ao entrevistado e busca emparedá-lo.
Em 2010. É só lembrar o tratamento dado pelo JN e seus apresentadores, nas entrevistas da campanha eleitoral. A DILMA quase foi fuzilada pelo apresentador e o SERRA parecia íntimo da casa. Ficou célebre a chamada que a Fátima Bernardes deu no Willian Bonner pela indelicadeza no tratamento de Bonner para com Dilma, vi na internet no dia seguinte ao ocorrido – foi quase um fuzilamento da, então, candidata, perante seus telespectadores. 2***
1.3. Seleção do momento de exposição. Alguns políticos, opositores às ideias da emissora, tem vez e voz na Rede Globo, em determinados momentos.
Se surgir uma denúncia contra o Governo Federal, um político da extrema-esquerda pode ser entrevistado, para falar mal do Governo. Não para expor suas ideias, estas não possuem espaço nos microfones da emissora.
Se for útil, em determinado momento, a exposição de um político e suas ideias, de um movimento social contrário às suas ideias, a emissora aceita sua presença diante de seus microfones, e depois, ao bel-prazer a emissora colocará o político ou o movimento social em total descrédito, como é o caso do MST, que do nada ficou, respeitado e conhecido no Brasil todo, por uma novela e foi para as páginas policiais da emissora algum tempo depois.
Como é o caso da Marina Silva e da Heloísa Helena, espécies de “quarentena” da emissora para atacar seus opositores, por terem saído do PT, seus adversários máximos, segundo a lógica da emissora. Quando precisaram delas para atacar o Governo LULA foi só tirá-las da quarentena e colocar na caixa de entrada. Depois, foi só jogá-las na quarentena novamente. Marina Silva, que teve até suas ideias políticas veiculadas, para tirar votos de Dilma Rousseff em 2010. ***3
1.4. Seleção do entrevistado comum (Dissociação). Este truque consiste em dissociar a matéria dos entrevistados comuns, por motivos ideológicos. Um exemplo típico foi quando morreu o Cazuza. No enterro dele, escolheram senhoras, senhor e até criança para falar sobre a morte do Cazuza. O interessante é que as pessoas escolhidas não pareciam em nada com o espírito contestador e rebelde do cantor e optou-se, apenas em falar da batalha pela vida, por causa da AIDS. Eles foram escolhidos a dedo, porque falar da Rebeldia de Cazuza, dizendo o que realmente importava sobre o cantor e suas posições político-ideológicas, não se encaixaria nos interesses globais. Nem na vestimenta, nem na fala, nem na intimidade entrevistado e personagem da reportagem se pareciam. 4***
1.5. Seleção das imagens favoráveis e desfavoráveis. É comum, em período eleitoral destaca-se. Lembram-se do debate para Presidente entre Collor e do Lula em 1989? A emissora editou a matéria sobre o debate. Filtrou cenas favoráveis ao Collor e desfavoráveis ao Lula para exibir no Jornal Nacional, na véspera da eleição. 5***
2. Omissão. Quando existe uma denúncia grave de corrupção no Governo, seu aliado, diz-se o nome do denunciado, mas se evita falar a sigla partidária; ou simplesmente, ignora-se o fato. E ainda, se acusam envolvidos, o Governante é poupado; já na corrupção dos seus opositores, o Governante opositor, tem partido e é suspeito de prevaricação.
Certo dia no Jornal local da noite, assisti no médico, houve uma reportagem com um Prefeito que recebia propina, o apresentador fez questão de falar o nome do partido do Prefeito: PMDB. PMDB – aliado do Governo Federal; PSDB – oposição. 6***
Obras inauguradas da oposição têm partido, belas imagens, sorrisos e discurso, vide a reportagem de inauguração de trecho do Rodoanel no Jornal nacional***7; quando é do Governo federal geralmente as Organizações Globo não anunciam, como foi o caso da criação do SAMU 2003, em que mostraram o LULA em uma fábrica automotiva do ABCD paulista discursando, mas não disseram o que ele tinha ido fazer lá: criar o SAMU; ou no caso da inauguração em SUAPE, Pernambuco, do Petroleiro Almirante Negro, um momento histórico de recuperação da Indústria Naval brasileira, que não foi motivo de reportagem para a Rede Globo.

3. Edição. Escolha de imagens para ilustrar um ponto de vista da emissora. Subjetividade e propaganda subliminar. A técnica dessa emissora é apurada.
Lembro-me da eleição de 1989, onde, na véspera da eleição, colocaram a imagem do Collor sentado em uma poltrona de couro, dentro de uma biblioteca, lendo um livro; e colocaram a imagem do LULA jogando bola na rua com o filho. Mais editado impossível, aquele era homem culto, preparado, este, um ignorante, que ocupa seu tempo livre jogando bola e pouco preocupado com o cargo que pleiteava de Presidente da República. 8***
Na última eleição, calhou de estar na padaria comendo Pizza, bem na hora do JN. E era uns três dias antes da eleição. Outra edição. Aparecia a DILMA toda suada em cima de uma caminhonete, de baixo de um sol enorme – parecia uma pessoa desesperada a caça de votos; enquanto isso o SERRA aparecia numa moderna sala de reuniões, discutindo “questões importantes” com uma bela assessora, se não falha a memória, sobre o escândalo da licitação combinada do metrô da cidade de São Paulo. Moral da história, idêntica a de Collor e de LULA – o SERRA com a imagem de quem decide as coisas, um homem preparado, sábio e sanando questões de corrupção; a DILMA, em desespero, buscando um último suspiro para ganhar alguns votos, uma candidata derrotada.

4. Divisão. Outro truque da Rede Globo é o truque da divisão. Ela coloca o Brasil, quando não gosta de uma decisão do Governo Federal em âmbito internacional, ao lado dos países que ela considera ser ditaduras, sempre as mesmas: Cuba, Venezuela e Bolívia (principalmente) + o Irã e a Coréia do Norte, Países da Ásia. Em um assunto que casa as posições desses países e a do Brasil, dá-lhe divisão. De um lado a Europa, os Estados Unidos e o Japão; do outro o Brasil e as supostas ditaduras.
Pense em qualquer tema: o Irã e a bomba atômica. Quando o Brasil, no Governo LULA, defende que o Irã poderia utilizar a energia nuclear para fins pacíficos, fomos colocados no grupo dos países que defendem ditaduras e citaram os três países de sempre, como, também, partidários do direito do Irã utilizar do enriquecimento do urânio para a produção de energia nuclear. Nesse truque existe a omissão inclusa. Países como Israel, já possuem, até a bomba atômica, e são uma ameaça à paz no Oriente Médio, e não existe nenhuma menção do fato e grita para com eles, talvez, porque são aliados dos Estados Unidos.
É clássico o que vou dizer: em Países da África e a da Ásia há ditaduras, se forem aliados os seus Governantes aos Estados Unidos, mesmo que seja uma ditadura sanguinolenta, a Rede Globo não coloca estes Países no grupo seleto das ditaduras, omite ou fica do lado do Ditador.
E a técnica da divisão tem o truque da não citação. Se Países de distintas bandeiras políticas possuem uma posição semelhante em determinado assunto e a Rede Globo tem outra, se calhar de fazer uma reportagem dirá assim: Brasil, Cuba, Venezuela, Grécia (está caindo pelas tabelas, inclui para dar um ar de diversidade) são favoráveis; Japão, EUA, Dinamarca são contrários. Só que no grupo em que se encontra o Brasil, podem estar: França, Alemanha, Canadá e a Rede Globo engambela quem assiste o seu telejornal, omitindo a informação. Fica sempre parecendo que o Governo do PT (seu opositor ideologicamente) está do lado de ditaduras e/ou de países subdesenvolvidos.

5. Acusação. A emissora decide fazer uma acusação grave contra uma pessoa, partido político, etc.
Exemplo: um Ministro de Estado. O acusado se tem direito de resposta, não é o último a falar. Vem depois dele a personalidade que respalda a acusação. Geralmente, colocam um político da oposição. As figuras “carimbadas” – os “supostamente” paladinos da moralidade e incorruptíveis, de sempre, aqueles políticos que vivem dos holofotes da mídia, para referendar a matéria acusativa (até serem desmascarados, como é o caso do Demóstenes Torres). O acusado, por exemplo, de corrupção, está, quase sempre, numa pose desesperada e quem respalda a notícia (o último a falar) muitas vezes aumenta a voz e diz: – são fatos gravíssimos e devemos apurar o mais breve possível! Já parece, de antemão, o julgamento final e a culpabilidade do acusado (hoje, o porta-voz oficial e principal da moralidade é o Senador Álvaro Dias do PSDB).

6. Reputação. É clássico na emissora o derrubar de reputações por interesses escusos. Eles dão aos seus opositores políticos um tratamento desrespeitoso.
Quando quiseram atingir o Governo Dilma, as ONGS e por tabela o PCdoB (Partido comunista do Brasil), dá-lhe atacar o Ministro Orlando Silva por todos os lados, sem nenhuma prova contundente, tanto é que o Ministério Público Federal arquivou o processo contra o Ex-ministro dos Esportes por falta de provas. É interessante, que jogam a reputação da pessoa e até de seus familiares se preciso for, de partido político, País, etc. no chão, sem o menor constrangimento. E qualquer acusado fica marcado como corrupto e mesmo que consiga provar sua inocência e honestidade a Rede Globo não faz nenhuma retratação pública.
No quesito reputação é praxe se dizer: Fidel castro, Evo Morales, Hugo Chaves são uma ameaça para a Democracia. Insistem, nos mesmos inimigos, dia e noite. E vivem propalando que qualquer tentativa de se buscar uma moralização da Profissão de Jornalista em suas redações, tendo um código de ética e conduta, uma Lei que garanta ao acusado, o direito de resposta às acusações; que as reportagens se pautem pela verdade dos fatos; que sejam realizadas de uma maneira correta, sem ilicitudes, com o equilíbrio da informação, não tendendo a mostrar a ilicitude só de seus opositores seria um cerceamento à liberdade de expressão e uma afronta à Democracia.

7. Investigação. Quando um político opositor aos seus interesses é acusado de algo, imediatamente a Rede Globo repercute, investiga e condena de antemão; mas quando se trata de um aliado político ela não condena, de antemão, e coloca alguém para falar: – só ao término do inquérito policial, do Processo na Justiça é que poderemos dizer se o Réu é culpado ou inocente.
Geralmente, a emissora, desqualifica a denúncia e dá toda voz do mundo para o acusado se defender.

8. Postergação. Um fato de relevância pulula no País e investigações e mais investigações acontecem. A população toma partido e fica do lado da oposição às suas convicções e parceiros, a Rede Globo finca o pé nas suas convicções até o instante que não dá mais para segurar, então, ela posa de partícipe da causa defendida pela população, a um bom tempo.
Nas Diretas Já e no impeachment do Collor demorou a estar do lado vencedor. E será assim, na CPI do Cachoeira. Quando ela sentir que não dá mais para defender o indefensável, irá posar de defensora da verdade desde o limiar do fato e execrar todos os culpados, que até bem pouco tempo, eram defendidos ardorosamente.

9. Criação. Uma ideia, um personagem é criado no decorrer do tempo. Os dois, ideia e personagem caminham juntos.
A. Vai sendo moldada uma ideia: a do Mensalão do PT, do PT criador de dossiês contra a oposição, etc. Ideia – mensalão, personagem – PT.
B. Vai sendo moldado um político: Collor, o caçador de marajás; Serra, o grande gestor, criador dos medicamentos genéricos, etc. Ideia – Caçador de marajás, personagem – Collor. Ideia – grande gestor, personagem – Serra.
9.1. Apartação. A ideia e o personagem podem ser abandonados no decorrer dos meses, anos.
Exemplos clássicos de apartação: o caso do Ex-senador Demóstenes Torres e do Ex-senador José Inácio Arruda, além do Ex-presidente Fernando Collor, que de Caçador de Marajás virou um sujeito que realiza magia negra. Do nada, a intimidade da emissora com o personagem desaparece e o mesmo some de seus holofotes. Parece que o personagem só serve para garantir os interesses de momento da emissora, são como robôs, descarta-se se tornar obsoleto. E ao haver a apartação, outro personagem ocupa o espaço daquele que não serve mais à emissora.

10. Diferenciação. Tratamento desigual para situações semelhantes. Cai um enorme temporal com várias vítimas fatais, em dois estados distintos, um de seu aliado político outro de um opositor às suas ideias. O tratamento é diferenciado.
Em 2010 choveu uma barbaridade na cidade de São Paulo e na cidade de Niterói. Em São Paulo, o Governador sequer apareceu para dar entrevistas, visitar os locais afetados, após as enormes enchentes nas avenidas marginais e outros locais. A Rede Globo culpou as chuvas torrenciais e a população pelas enchentes, por jogar lixo nas ruas. A emissora não exigiu do Governador, seu aliado, explicações para o ocorrido e nem reclamou de sua conduta, um tanto estranha, de se esquivar de ir aos locais afetados.
Já na cidade de Niterói que fica no Estado do Rio de janeiro, o Governador do Estado, opositor da Rede Globo, foi acusado dos transtornos, das enchentes e das mortes ocorridas, naquele ano, por exemplo, no Morro do Bumba, onde aconteceu grande tragédia. Foram pedidas explicações imediatas para o Governador sobre as chuvas e não se utilizou em defesa do governador do Rio de janeiro, a quantidade de chuvas e nem o lixo jogado pelos moradores da cidade, bem como a população não foi considerada culpada. O Governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral era aliado de LULA e o Governador SERRA oposição e o candidato preferido da Rede Globo nas eleições de 2010.
No Rio de janeiro parecia um jornalismo policialesco, o fato ocorreu pelo descaso do poder público. Em São Paulo, a culpa foi de São Pedro.
Aqui cabe o tratamento desigual da notícia e do acusado. Os 3 mil reais de propina do Waldomiro flagrado em um vídeo (hoje já se sabe que o vídeo foi feito por, nada maia nada menos que, Carlinhos Cachoeira – o famoso bicheiro preso pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo e entregue para a Revista Veja publicar e a Globo repercutir o vídeo, no intuito de desestabilizar o Governo LULA) valem muito mais que os 1,4 bilhões de reais desviados da Sudene no Governo FHC, seu aliado, e o primeiro caso, merece muito mais apuração, mais reportagens da emissora, só pelo fato de ser uma corrupção que pode incriminar e desmoralizar seus opositores.

11. Desqualificação e inversão. Se surge uma notícia (denúncia) que não seja favorável aos seus aliados de momento, a emissora corre logo para desqualificar a denúncia e provar que não é verdade o que está sendo denunciado. A Rede Globo pode até inverter a situação, acusar quem fez a denúncia e provar a inocência do denunciado.
Na Operação Monte Carlo está bem claro este processo. Pegaram o Deputado Protógenes Queiroz e começaram a acusar a pessoa que primeiro quis investigar numa CPI o Cachoeira e suas ilicitudes e tentaram incriminá-lo como parte integrante do grupo do contraventor. O Deputado Protógenes Queiroz foi até processado pelo PSDB, para tirá-lo das investigações da CPMI do Cachoeira, e absolvido por falta de provas, pelo Conselho de Ética da Câmara por 18 votos contra 1.
11.1. Desqualificação com mudança de foco. Se surge uma notícia (denúncia), impossível de ser contestada, muda-se o foco das reportagens da emissora e aparecem denúncias outras, envolvendo seus opositores.
Na Operação Monte Carlo está bem claro, também, este processo. Deputado Protógenes, Governo Federal, Governo do PT do Distrito Federal, Governo do PMDB do Rio de janeiro são colocados no meio das denúncias, enquanto os agentes principais são quase esquecidos. Fica a impressão de que políticos de todos os partidos estão envolvidos com as ilicitudes do Carlinhos Cachoeira.
Se não tem como envolver seus opositores na denúncia com provas robustas, cria-se outra denúncia explosiva, mesmo sem prova alguma, e centram todas as reportagens nela. Até o esquecimento quase total da denúncia com provas robustas.
Um exemplo foi no período de efervescência da Operação Monte Carlo. A Rede Globo começou com uma série de denúncias contra o Governo do Rio de Janeiro na área de Saúde, por causa de contratos irregulares. O intuito foi para desviar o foco da Operação que prendeu o Carlinhos Cachoeira, pois, as investigações acertavam em cheio seus aliados políticos.
Passou-se um ou dois dias, e se descobre, por exemplo, que uma das Empresas beneficiadas por estes contratos iniciou suas atividades de prestação de serviços públicos com partido político aliado da Rede Globo, então, a emissora e suas as denúncias foram minguando do noticiário. Sem, é claro, dizer que na cidade de São Paulo, por exemplo, quando o seu aliado maior na política atual, José Serra, era Prefeito, a empresa que a emissora utilizou na acusação contra o Governo do Rio de Janeiro, teve, também, contratos.

12. Associação. Muito comum esta ação. Consiste em combinar ou simplesmente repercutir reportagem da mídia aliada, abrindo uma ótima pauta para atacar os opositores da emissora, o inimigo em comum. Por exemplo, a revista Veja solta uma reportagem, então os meios impressos e sites, as rádios e a TV das Organizações Globo amplificam a reportagem durante o dia, iniciando um processo de chamamento para que nós assistamos seus telejornais, principalmente o Jornal Nacional, onde a audiência é a maior de todas e a notícia surgirá com a maior força possível. Assim, a denúncia fica amplificada e em toda parte se repercute o que foi noticiado.
Pode haver a associação com um político, também, via horário eleitoral. Esta é uma técnica que consiste em jogar uma matéria no Telejornal da emissora e que o político associado à emissora, está pronto para repercutir, seja matéria em seu favor ou contra os adversários da emissora e do político. Na eleição para Presidente de 2010 ocorreu, algumas vezes, em horário nobre. E por que o político está pronto para repercuti-la? Porque a matéria foi feita por ambas as partes: emissora e político associado.

13. Organização. É o truque de como aparecem as reportagens, no decorrer do Jornal.

VÍDEOS DEMONSTRATIVOS:

1*** http://www.youtube.com/watch?v=cGSaPQH63aw
Nesta matéria existem diferente cidades citadas. Ênfase para duas, maiores. Aracaju – SE, administrada pelo PCdoB. E São Paulo, onde foram checados 5 hospitais e 1 deles o da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) encontrou-se problemas. O detalhe é para a ênfase de que o hospital é da Unifesp. Moral: termina a reportagem com a valorização da reportagem/denúncia, onde a Prefeitura de Aracaju diz que irá tomar providências.
(Na matéria condensada do Jornal Nacional a ênfase era para o Hospital São Paulo).

2*** Seleção das perguntas para SERRA e para DILMA.
Tentei encontrar a entrevista mais radical, onde a Fátima Bernardes teve de intervir. Pena não ter encontrado.

3*** Heloisa Helena no Jornal Nacional.
Seria legal fazer uma retrospectiva das aparições de Heloísa Helena nos Jornais da Rede Globo e ver a quantidade de vezes que ela foi entrevistada, apenas para falar mal do PT e/ou de seus políticos.

4*** É possível fazer uma cobertura da morte do Cazuza sem entrevistar um “fã de carteirinha”? Veja como é possível, no link abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=mgrUhK-exGc&feature=relmfu

5*** Debate entre Collor X Lula. (Não encontrei o vídeo)
A edição do Jornal Nacional é um clássico do Jornalismo parcial da emissora.

6*** Vídeos: um com omissão e outro com citação do partido político.
Seria legal observar no dia a dia este detalhe. Será fácil subsidiar a técnica que apontei.
7*** Aqui aparece o SERRA discursando para a plateia. Diz-se que a obra foi inaugurada sem estar totalmente pronta, mas termina a reportagem com um motorista de carro que diz que tem que inaugurar logo o Rodoanel, para diminuir o trânsito de caminhões na cidade. Moral: Mesmo não estando, totalmente pronta, a Rede Globo tenta incutir a ideia de que era vantajoso entregar a obra inconclusa.
http://www.youtube.com/watch?v=hU07YA5lInM
Se fosse um político opositor às suas ideias, certamente, a reportagem seria sobre os perigos de se entregar uma obra viária inconclusa, onde carros com pessoas trafegam.

8*** Edição JN 1989 – Lula e Collor e 2010 Dilma e Serra.
Pena não encontrar o vídeo. Mais ilustrativo impossível.

    João Paulo Ferreira de Assis

    Atenção colegas:

    Embora enorme, aconselho a todos ler o comentário do sr Alexandre Tambelli que mostra muito bem o que é a Rede Globo. Perder alguns minutos lendo o referido comentário será produtivo, pois abrirá nossos olhos.

Carlos Ribeiro

Hoje tive um comentário censurado no Postal Terra. Eu só perguntei se a Hemorróida havia afetado o cérebro do Ministro Relator.

Fabio Passos

O PiG é o verdadeiro partido de josé serra.

manipular, mentir e omitir são a regra da rede globo para beneficiar seus candidatos.

A famiglia marinho vai tomar uma nova surra nas urnas.

Chupa, PiG!

Messias Franca de Macedo

BOMBA ! GILMAR PRESTIGIA
LIVRO CONTRA “PETRALHAS”
Quando o Dr Piovesan vai pedir outro impeachment ?
Num intervalo do julgamento do Dirceu, Gilmar prestigiou o *renomado autor. Perdeu a noção ou é mesmo uma provocação ?
Publicado em 18/10/2012
em http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/10/18/bomba-gilmar-prestigia-livro-contra-petralhas/#comment-928739
*um notável (sic) escritor “dos Civitas”! [Adendo nosso]

LÁ VEM O MATUTO!

… ‘O fato’ relatado neste ‘post’, de per si, constitui-se em prova cabal do ‘domínio do fato’ numa ação no sentido de anular, nestes termos, o julgamento do mensalão [o mensalão do PT, revisor]!

EM TEMPO: [no debate de hoje] Deus ajude(!) que nenhum(a) repórter pergunte ao candidato (S)erra se ele confirma que tem uma filha que responde pelo nome de ‘Mônica’!… E, por favor, senhores(as) repórteres, nada de tocar em assuntos futebolísticos: ‘o porco palmeirense’ (sic) – ou o ‘urubu’, símbolo do Clube de Regatas Flamengo: “vá lá” que o candidato imagine que a intenção ‘plausível’ e ‘crível’ do interlocutor seja a de “contemplar” a ‘Ilha do Urubu’, que o **Preciado “tanto apreciou” dos indígenas, os aborígines verdadeiros donos da terra, premissa confirmadíssima pelo Tribunal de Justiça da Bahia…
**Gregório Preciado é um notável (idem sic) espanhol casado com uma conspícua (ibidem sic) prima do ‘padroeiro da República dos Estados Unidos do Brazil(!)’, o [DEMotucano] José (S)erra Rossi MalaFEIA(!) No último dia do mandato, o [DEMotucano] governador ***Paulo Souto assinou um decreto “conceDANDO” [RISOS] ao parente do (S)erra a ‘Ilha do Urubu’, na Bahia… Os proprietários das terras, os índios da região, recorreram ao Ministério público que, por sua vez, ingressou com uma ação contra a estúpida delinquência! Após vários anos, enfim, o Tribunal de Justiça da Bahia anulou a famigerada negociata!…
***Paulo Souto do DEMo carlista!…

Que país é esse, sô?!…

República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, impunemente terrorista, antinacionalista, corrupta, golpista de meia-tigela…

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

    Mário SF Alves

    Caras como esse, eternos línguas de trapo, vão continuar até à morte usando o fantasma do comunismo. Não têm saída. Enquanto houver o PT, Lula, Dilma e Haddad eles estarão presos ao círculo vicioso da dialética virtual; aquela que não dialoga nem sequer com a realidade. É… Deve ser terrível mesmo o vício nessa droga que é ter de diuturnamente caluniar o PT. Mas, fazer o que, se os patrões não lhes destinam outra?
    .
    O gozado é que esse ditadorzinho metido a bom juntador de letrinhas ainda encontra plateia. Ainda bem que pra incensar e abrilhantar esse verdadeiro culto ao superego de visão superfrontal, surge, “assim do nada”, nada mais, nada menos que o impoluto, democrático, isentíssimo e simpático Gilmar Mendes.
    .
    Um dos problemas desse (in)Veja deve ser acordar e se deparar com a missão de ter descontruir a realidade política dia após dia. Todos os dias. Haja chão pra segurar consciência tão pesada e ego tão inflado.
    .
    E ele ainda tem a pachorra de falar assim tão cruelmente daquela menina Dilma. Não respeita a história; não respeita o semelhante; não respeita a realidade e não respeita a vida. Mal de neoconservador ao estilo Mitt Romney. Ao que parece não se deu ao trabalho de sequer ler a biografia do pai dela. Queria ver ele se esbravejando feito macho nas barbas dos ditadores de 68. Aliás, nesse caso esbravejar pra quê, se, afinal, estariam todos eles no mesmo time?

Messias Franca de Macedo

BOMBA ! GILMAR PRESTIGIA
LIVRO CONTRA “PETRALHAS”
Quando o Dr Piovesan vai pedir outro impeachment ?
Num intervalo do julgamento do Dirceu, Gilmar prestigiou o *renomado autor. Perdeu a noção ou é mesmo uma provocação ?

Publicado em 18/10/2012
em http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/10/18/bomba-gilmar-prestigia-livro-contra-petralhas/#comment-928739

*um notável (sic) escritor “dos Civitas”! [Adendo nosso]

LÁ VEM O MATUTO!

… Nunca é demais lembrar a profecia lapidar do eminente e catedrático jurista *Dalmo Dallari: **“A confirmação da indicação de Gilmar Mendes para o STF significa a total DES-MO-RA-LI-ZA-ÇÃO, DESMORALIZAÇÃO, da suprema Corte deste país!”
“Dito e acontecido!”
**Mais uma “OBRA-prima” privada (sic) do FFHH do mesmo partido político do (S)erra, ‘o padroeiro do Brazil(!)’, ‘o Santo de melhor biografia entre todas as biografias de todos os Santos’! [RISOS]
(Que país é esse, sô?!…
… Coisas do ‘Brazil’ – perdão, ato falho -, Brasil! Ô elitizinha ordinária e capacha!…)
*Dalmo Dallari, jurista brasileiro pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.
É Professor Emérito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Entre as suas principais obras destaca-se Elementos de Teoria Geral do Estado.
Em 1996 tornou-se o professor catedrático da UNESCO na cadeira de Educação para a Paz, Direitos Humanos e Democracia e Tolerância, criada na USP.

BRASIL NAÇÃO – em homenagem ao conspícuo e catedrático brasileiro doutor Dalmo Dallari
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Messias Franca de Macedo

OUTRO VIÉS: por que o estropício do Silas ‘malaFEIA’ – fundamentalista contratado pelo candidato *(S)erra no domicílio eleitoral do Rio de Janeiro (sic) – não faz campanha contra a doutrinação das imoralidades e outras perversões apresentadas nas novelas chinfrins da ‘Rede Roubo’?!

… Que país é esse, sô?! República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia
República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, impunemente terrorista, fundamentalista, golpista de meia-tigela…

    Messias Franca de Macedo

    EM TEMPO DE GOLPE TELEVISIONADO!

    … Novelas chinfrins da ‘Rede Roubo’ exibidas em “supremos” horários – quer dizer, horários “nobres”!…

    Que país é esse, sô?! ‘República dos Estados Unidos do Brazil'(!), segundo o *’santo de melhor biografia entre as biografias de todos os santos'(!)
    *[José] (S)erra Rossi MalaFALSA, um mero político conservador, segundo o jornalista Kennedy Alencar [RISOS]

    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

FrancoAtirador

.
.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está na Argentina, onde almoçou com a presidenta Cristina Kirchner, na quarta (17)

Em entrevista ao jornal La Nación, ecoando o amplo debate a respeito da entrada em vigor da Lei dos Meios naquele país, Lula foi taxativo ao avaliar a situação do Brasil:
“aqui precisamos instalar uma discussão política sobre um novo marco regulatório da comunicação”.

Por Vanessa Silva, da Redação do Vermelho

Íntegra em: (http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=196702&id_secao=7)
.
.
Escárnio

Por Saul Leblon, no Blog das Frases – Carta Maior

A maior rede de televisão do país contrata uma pesquisa sobre a disputa eleitoral em São Paulo; omite o resultado esfericamente desfavorável a seu candidato, no telejornal de maior audiência.

O relator de um julgamento polêmico contra o maior partido de esquerda da América Latina estabelece um calendário desfrutável e acopla os trabalhos ao processo eleitoral em curso; na véspera do primeiro turno oferece as cabeças de algumas das principais lideranças partidárias à boca de urna; agora, alega consulta médica –na Alemanha– para acelerar o anúncio das penas, 48 horas antes do 2º turno.

O candidato do conservadorismo em baixa nas pesquisas age com deselegância contra jornalistas, dispara ofensas no ar e boicota desairosamente os que não seguem a pauta de sua conveniência.
Os editoriais e colunistas da indignação seletiva emudecem miseravelmente.

Reunida no país, a 68ª assembleia geral da SIP, diretório interamericano da mídia conservadora, emite um balanço no qual denuncia ‘ o cerco à liberdade de imprensa’ por parte de governos latino-americanos (leia editorial de Carta Maior*).

O alvo principal da SIP é a Lei dos Meios da Argentina, na qual a radiodiodifusão é definida como atividade a serviço do direito à informação e não um simples negócio, imiscível com a ubiquidade do monopólio que aborta a pluralidade –e o discernimento crítico daí indissociável.

A lei argentina coíbe expressamente qualquer forma de pressão ou punição a empresas ou instituições em função de sua opinião ou linha editorial, desde que pautadas pelo respeito ao estado de direito democrático e pela observação dos direitos humanos.

A lei argentina diz que o Estado tem o direito e o dever de exercer seu papel soberano que garanta a diversidade cultural e o pluralismo das comunicações.

A lei argentina diz que isso requer a igualdade de gênero e igualdade de oportunidade no acesso e participação de todos os setores na titularidade e na gestão dos serviços de radiodifusão.

Literalmente, a lei argentina tipifica a mídia estatal como veículos públicos e não governamentais que devem prover uma ampla variedade de informação noticiosa, cultural e educativa, e sublinha:
‘Se poucos controlam a informação, não é possível a democracia’.

A ONU reconheceu a legislação argentina como modelar e destaca a sua contribuição ao fortalecimento da democracia e à diversidade da informação (leia reportagem**).

Sugestivamente, o ponto de vista da ONU não mereceu uma única linha de referência nos veículos que endossam o diagnóstico da SIP; os mesmos que silenciam diante do comportamento belicoso do candidato conservador contra jornalistas; que fecham os olhos ante a seletiva forma de divulgar pesquisas eleitorais; e que aplaudem -induzem?– a desconcertante alternância de rigor e omissão, a depender da coloração partidária, que empurra a suprema corte do país para além da fronteira que separa a legítima opinião política de um togado, de um cabo eleitoral de toga.

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=1116

* Editorial – Carta Maior

SIP, uma ameaça à liberdade de expressão e à democracia

A 68ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), realizada de 12 a 17 de outubro, em São Paulo, mostrou mais uma vez que essa entidade, que na prática funciona como um sindicato dos donos dos grandes conglomerados de comunicação, representa hoje uma das mais graves ameaças à liberdade de expressão na América Latina. A SIP e seus dirigentes, aliás, têm uma longa e sólida ficha corrida de serviços prestados à violação de liberdades e de apoio a governos golpistas na região.

Íntegra em: (http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21102)

** “Ley de Medios da Argentina é modelo”

“A Argentina tem uma lei avançada.
É um modelo para todo o continente e para outras regiões do mundo”,
afirmou Frank La Rue, relator especial da ONU para a Liberdade de Opinião e de Expressão, ao se referir à Lei de Serviços de Comunicação Audiovisual.
“Eu a considero um modelo e a mencionei no Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra. E ela é importante porque para a liberdade de expressão os princípios da diversidade de meios de comunicação e de pluralismo de ideias é fundamental”, defendeu.

Página/12, via Carta Maior com tradução de Katarina Peixoto

Íntegra em: (http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=21094)

    Mário SF Alves

    “consulta médica –na Alemanha– para acelerar o anúncio das penas, 48 horas antes do 2º turno.” Detalhe: tinha mesmo de ser na Alemanha. Será esse o advento do IV Reich mídio-corporativo? Quantos brasileiros eles pretendiam relegar à própria sorte e morrer à míngua no desgoverno FHC(b)? Quantos pretenderão matar agora com o advento do novo líder pós-PT?

Deixe seu comentário

Leia também