VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia


17/09/2012 - 11h52

por Rodrigo Vianna, no Escrevinhador

Já nos primeiros meses de governo, tudo estava claro. O governo Dilma significou um movimento rumo ao centro. Parecia uma estratégia inteligente, como escrevi na época aqui: Lula tinha já o apoio da “esquerda” tradicional – com sindicatos, movimentos sociais e também a massa de eleitores de baixa renda beneficiados pelos programas sociais. Dilma avançou para o centro, com acenos para a classe média que preferira Serra e Marina em 2010. A agenda “técnica” e a “faxina” são a face visível desse giro ao centro. Não é à toa que Dilma alcançou mais de 80% de aprovação.

Mas ela não fez só isso. Abriu mão de conquistas importantes dos anos Lula: houve retrocessos na Cultura e na área Ambiental, pouca disposição para dialogar com os movimentos sociais, nenhuma disposição para qualquer avanço na área de Comunicações. São apenas alguns exemplos.

Concentro-me nesse último ponto:  o Brasil tem uma legislação retrógrada e um mercado de mídia dominado por meia dúzia de famílias. Não é só um problema de falta de concorrência, mas um problema político – na medida em que essas famílias  impedem a diversidade de opinião e interditam o debate no país.

No segundo mandato, Lula percebeu a necessidade de mexer nessa área; convocou a Confecom (Conferência Nacional de Comunicação) e encomendou a Franklin Martins um novo Marco Regulatório para o setor. Dilma preferiu o silêncio, mandou o ministro Paulo Bernardo guardar o projeto de Franklin numa gaveta profunda.

Dilma foi a festinhas em jornais e TVs, logo após a posse, e aceitou as pressões da velha mídia para  barrar a investigação da “Veja” e de Policarpo na CPI do Cachoeira. O governo foge do confronto. Ao mesmo tempo, entope de anúncios – e de dinheiro- as empresas que são as primeiras a barrar qualquer tentativa de avanço no país – como escreveu Paulo Henrique Amorim.

A turma que cuida da Comunicação no governo Dilma parece dividir-se em duas: uma tem medo da Globo e da Abril, a outra quer garantir empregos na Globo e Abril quando terminar o mandato.

Dilma segue popular. Mas a base tradicional lulista está ressabiada.

A velha mídia e os tucanos perceberam a possibilidade de abrir uma cunha entre Dilma e o lulismo. A estratégia é simples: poupa-se Dilma agora, concentra-se todo o ódio no PT e em Lula. Com PT e Lula fracos, ficará mais fácil derrotar Dilma logo à frente.

A presidente, pessimamente aconselhada na área de Comunicações, parece acreditar na possibilidade de uma “bandeira branca” com a mídia. Não percebe que ali está o coração da oposição.

A velha mídia, derrotada por Lula em 2006 e 2010, mostra que segue fortíssima com esse episódio do “Mensalão”. Colunistas de quinta categoria pautaram os ministros do STF, capas da “Veja” e manchetes do “JN” empurraram o julgamento para as vésperas da eleição municipal. O STF adota uma linha “nova” para o julgamento, que rompe com a jurisprudência adotada até aqui, e  aceita indícios como elementos para a condenação.

Evidentemente que – nesse episódio do chamado “Mensalão” – dirigentes do PT erraram feio: está claro que a rede de promiscuidade e troca de favores entre agências de publicidade, bancos privados e entes públicos precisava ser investigada e punida. Não era “mensalão”, mas era ilícito.

O que chama atenção é o moralismo seletivo da Justiça e da velha mídia. Querer transformar o arranjo mambembe – e desastrado – feito pelo PT de Delúbio Soares no  “maior escândalo da história republicana” é quase uma piada.

O fato é que a velha mídia ganhou esse jogo até aqui. Outro fato: ninguém acredita que “indícios” serão suficientes para condenar mensalões tucanos, nem banqueiros ou publicitários que tenham se lambuzado em operações com outras forças políticas. Não. O roteiro está preparado para condenar o PT. E só isso. É parte da estratégia de retomar o Estado brasileiro.

No dia em que o julgamento começou, Dilma anunciou o tal “pacote de concessões” para a iniciativa privada, na área de infra-estrutura. Não foi à toa. Era como se a presidenta tentasse se desvincular: o “velho PT” vai pro banco dos réus; ela não, é “moderna” e confiável. Hum…

Imaginem Zé Dirceu condenado. Na manhã seguinte, o alvo será Lula. Consolidado o ataque a Lula, as baterias estarão voltadas contra Dilma. Rapidamente, a sucessora de Lula perceberá que a ilusão de um trato “republicano” com a velha mídia brasileira não era nada além disso: ilusão.

Será que Dilma deu-se conta do erro que é apostar na lua-de-mel com os conservadores? Afinal, bateu pesado em FHC, quando este último escreveu sobre a “herança” pesada que Lula teria deixado pra ela. Mas e a relação com a mídia? Preocupante saber que Dilma teria confirmado presença no Congresso da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa). Trata-se de uma espécie de  Instituto Millenium, maior e mais articulado em todas as Américas. FHC e Marina estarão lá na SIP. Se Dilma também for,  o círculo estará fechado.

Leia também:

Leandro Fortes: Dilma começa a acordar

Leonardo Boff: Por que tentam ferir letalmente o PT?

Polícia provocou massacre que desencadeou deposição de Lugo

Marcos Coimbra: O Paraíso, o Inferno e o mensalão

Maria Izabel Noronha: Apeoesp vai à Justiça contra ensino médio em tempo integral

Saul Leblon: Serra deu uma mega-sena por mês à mídia demotucana

Arthur Virgílio contra Vanessa Grazziotin: Baixaria e truculência

Bancários em greve: Taxa de retorno de bancos brasileiros é de 11%

Pepe Escobar: Como o Mal se tornou o Bem e agora voltou a ser o Mal

Requião: Não me arrependo de ter extinto a publicidade oficial quando governador do Paraná

O “surto de pequena autoridade” do reitor nomeado por Serra





62 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O apoio do PDT nacional a Haddad em SP « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de outubro de 2012 às 10h27

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

Obama “de esquerda” vence o debate por pontos « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de outubro de 2012 às 10h18

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

H. Back™

12 de outubro de 2012 às 01h15

A presidenta parece uma versão moderna de “Cavalo de Tróia” que os conservadores plantaram no terreno dos progressistas.

Responder

Rodrigo Vianna: O choramingo de Clóvis Rossi na Folha « Viomundo – O que você não vê na mídia

11 de outubro de 2012 às 22h35

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

Cristina Kirchner: “Ninguém pode estar acima dos três poderes do Estado” « Viomundo – O que você não vê na mídia

11 de outubro de 2012 às 14h30

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

Vargas Llosa e a máquina de propaganda contra Chávez « Viomundo – O que você não vê na mídia

11 de outubro de 2012 às 14h23

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

Ayres Britto: “O sentido das alianças é o da sua transitoriedade” « Viomundo – O que você não vê na mídia

11 de outubro de 2012 às 12h14

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

João Pedro

20 de setembro de 2012 às 20h12

A Dilma sabe o que faz gente! Embora a turma que cuida da Comunicação no governo Dilma parece dividir-se em duas: uma tem medo da Globo e da Abril, a outra quer garantir empregos na Globo e Abril quando terminar o mandato.Estou meio aéreo e confusa com tudo que está acontecendo em torno do “mensalão”,Só sei que estou muito preocupada com todas as diferentes análises feitas por diferentes jornalistas blogueiros. Estou preferindo acreditar no que eu gostaria que fosse.Eu acho que Bancar o PIG com o nosso dinheiro é um absurdo, tem que cortar as verbas para o PIG e utilizar este dinheiro para investir na educação e saúde.

Responder

jaime

18 de setembro de 2012 às 17h06

Guinada para o centro? Centro de que? Pelo visto até a FIESP está mais à esquerda.

“Entre os vetos da presidenta Dilma Rousseff à lei que amplia o Plano Brasil Maior, publicada nesta terça-feira (18) no Diário Oficial da União, está o que reduziria a zero algumas taxas para produtos da cesta básica.

Em vez disso, o governo criou um grupo de trabalho que deve apresentar uma proposta de composição dessa cesta e dos respectivos cortes de tributos.

Convertida para a Lei 12.715, a Medida Provisória (MP) 563, do Plano Brasil Maior, desoneraria –do pagamento de Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI)– os alimentos que compõem a cesta básica, entre diversos outros produtos.

O veto recebeu críticas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). De acordo com a entidade, os benefícios dessa desoneração atenderiam, em especial, um grupo de famílias que utilizam mais de 30% da sua renda para a compra de alimentos. Pelos estudos da Fiesp, essas pessoas representam 70% das famílias brasileiras.

“A desoneração seria o primeiro passo para corrigir uma grande distorção que contraria as próprias políticas sociais do governo federal: as famílias menos abastadas pagam proporcionalmente três vezes mais tributos do que aquelas com maior renda”, diz em nota a entidade.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, declarou que o governo está no rumo certo quando faz desonerações na folha de pagamento de vários setores e veta as modificações no conceito de receita bruta que reduziriam o efeito dessas desonerações. “Mas erra ao não aliviar os alimentos da cesta básica”, ponderou.

“O governo deixa de dar o exemplo aos Estados, ao não desonerar os tributos que dependem exclusivamente do ato do Executivo Federal”, completou Skaf.”

Responder

    H. Back™

    12 de outubro de 2012 às 01h13

    Essa desoneração da cesta básica resultará inócua, pois os empresários e que tais não repassarão esse desconto para a população alvo.

Observadoro

18 de setembro de 2012 às 16h02

Na sanha de detonar o governo petista, até site apolítico que acompanha promoções em passagens aéreas anda “sofrendo” com o PIG. Veja trecho de matéria publicada no Melhores Destinos:

“Com bastante frequência veículos de imprensa procuram o Melhores Destinos para opinar em reportagens sobre o meio aéreo, viagens e turismo de uma forma geral. Entre os temas favoritos dos jornalistas está o porquê das passagens aéreas serem tão caras no Brasil, o aumento das tarifas nos últimos meses, a previsão das empresas de que as passagens vão subir ainda mais e coisas do gênero. Nesses casos nós sempre explicamos que as passagens baixaram bastante nos últimos 10 anos e que são, inclusive, mais baratas que as passagens de ônibus em boa parte dos trechos. A resposta não agrada a todos e muitos nem a citam em suas matérias.”

http://www.melhoresdestinos.com.br/passagens-aereas-ponte-aerea.html

Responder

augusto2

18 de setembro de 2012 às 14h13

como informaçao ao distinto publico: o predio Infinity, novinho em sampa, na av. faria lima, notavel por ter o formato de uma vela de barco inflada, abriga entre outros o Goldman Sachs, o Banco credit suisse.
Este ultimo tem quatro andares no predio. Empresas financeiras indigitadas no ilustre cassino mundial que tantas glorias tem trazido a economia global.
dois detalhes: só pode uma empresa por andar – e cada andar custa o aluguelzinho de 300 mil R$ /mês.

Responder

Palomino

18 de setembro de 2012 às 13h51

O Rodrigo não quis ir além, mas o fato é que tanto Lula como Dilma fazem um socialismo envergonhado, só pra ganhar eleições. Ambos sempre fugiram de confrontos com a direita e por conta disso acabam assumindo a agenda demotucana, inobstante o ódio que esta gente destila contra o PT. Os lideres vizinhos (Chavez, Evo, etc) já perceberam esse jogo de mentirinha e têm se afastado de nós. Não é medo da Globo ou da Abril não, mas uma certa identidade com o suposto inimigo é que explica essa pusilânimidade do governo.

Responder

    jaime

    18 de setembro de 2012 às 14h30

    Exatamente Palomino, e isso significa estelionato eleitoral; não foi nesse programa de governo que os Petistas votaram. Quem vence uma eleição deve implementar o programa de governo apregoado ao invés de contemporizar, fazer conchavos, maquiar para que tudo fique igual parecendo diferente. Democracia não é regime de consenso, democracia é a exposição e solução de conflitos, o embate entre projetos diferentes e no caso do Brasil diametralmente opostos – o entreguismo via privatismo e o nacionalismo via preservação da coisa pública.

    augusto2

    18 de setembro de 2012 às 14h47

    Nao acuse Lula de ser socialista envergonhado. Ele mesmo disse mais de uma vez que nao é e nunca foi socialista. Dilma ate que ja foi mas ela mesmo disse que o mundo mudou e ela mudou tambem. (mas acrescentou a seguir que nao mudou de lado).Suas palavras portanto tem o alvo errado e estao fora do contexto.
    Contradiçoes e inconclusivismos eles tem. Mas é por isso que conseguem fazer politica no brasil onde nao há credos sociais no povo. O que há é apenas o desejo de melhorar de vida. Isto é obvio, mas estou repetindo porque as vezes precisa.

Zé Roberto

18 de setembro de 2012 às 11h01

Algumas perguntas:

A comunicação do Planalto é comandada por Helena Chagas?
Esta Helena Chagas é a ex-diretora da sucursal de Brasília do jornal o Globo e ex-colunista do mesmo?
Esta Helena Chagas é a mesma que trabalhou na TV Globo, no SBT, e é filha do jornalista Carlos Chagas, que integra o PIG e foi secretário de comunicação da Presidência no governo de Costa e Silva (1967-1969)?
Esta Helena Chagas é a mesma que prefaciou o livro Memorial do Escândalo, dos seus coleguinhas da sucursal do Globo, em Brasilía, Gerson Camarotti e Bernardo de la Peña, com o propósito de macular o governo Lula e o PT, a partir de “fundamentos” da Veja?
E ainda, assim, querem pauta positiva para governo ou a paz com o PIG?
A mudança na Secom pelo que parece foi “apenas técnica” ou há engano? O problema era o Franklin Martins. E o governo deu um jeito nele. O PIG articulou e agradeceu.
Ainda há tempo de acabar com a submissão e fortalecer a democracia na comunicação. Não dá mais para evidenciar a falta de coragem e produzir acuados que sempre retrocederão mais um pouco nesta área. Não vale a desculpa da falta de acúmulo de força política.
Por enquanto, a comunicação do Planalto e o Paulo Bernardo dão o tom afinado para interditar qualquer avanço no marco regulatório e no fim do monopólio, oligopólio e domínios cruzados, verticalizados e associados.
Os coronéis midiáticos continuam rindo à toa, com direito à visita de Dilma e choro do Lula. A mídia quer o caos para dividir o governo e continuar com o controle de factóides para produzir uma opinião desconexa, mas que tem objetivos: desestabilização política e disseminação do preconceito e do ódio.

Responder

Ruy Barbosa de Oliveira

18 de setembro de 2012 às 10h51

Verdadeiramente tudo que se comenta tem seu sentido real e conveniente, entretanto, percebo que cada um que saber somente de suas metas e objetivos, não se preocupando com o que realmente deve ser, observem que nossa educação esta entre as piores do planeta, nossa saúde deixada ao leo, assistimos todos os dias seres humanos serem ceifados por falta de assistência médica, bom mesmo é esse pessoal que administra o “BEM PÚBLICO” irem para as filas de esperas para consultas, chegar na porta dos laboratórios e esperarem até cansar e ainda não serem atendidos, esperar por um medicamento que nunca chega, frequentar uma sala de aula com mobiliario todo danificado, professor desmotivado, inexistência até mesmo daquele que já deveria ter sido excluído da sala “o giz”, material didatico através de dados informatizados só pra poucos.
ENTÃO SENHORES ADMINISTRADORES TOMEM VERGONHA NESSA SUA CARA SEM VERGONHA E OLHE PARA O POVO QUE TODAS AS VEZES QUE VOCE CHAMA PRA VOTAR ESTÃO LÁ PRONTOS A LHE OBEDECER NA ESPERANÇA DE SEREM RECONHECIDOS. ESQUEÇA ESSES BANDIDOS DA MIDIA E OLHE PARA O POVO, PEGA ESSE DINHEIRO QUE ESTAIS GASTANDO COM PROPAGANDA E COMPRE MEDICAMENTOS, CONTRATE MAIS MEDICOS, INVISTA E APARELHOS DIGNOSTICOS, ENFIM FAÇA PELO POVO E PARA O POVO, MANDA ESSES URUBUS FALANTES PROCURAREM O QUE FAZER AO INVÉS DE FICAREM SUGANDO O DINHEIRO DA SAUDE E DA EDUCAÇÃO.

Responder

Hélio Jorge Cordeiro

18 de setembro de 2012 às 10h32

O problema é que, quem conhece propaganda por dentro, sabe os “porquês” da não suspensão dos anúncios e veiculações nos rádios, jornais e tvs das instituições federais, estaduais e municipais. O bonus é mesmo o bicho papão do negócio!

Responder

Guanabara

18 de setembro de 2012 às 09h30

Perfeito, infelizmente.

Responder

Francisco

17 de setembro de 2012 às 23h37

O que assombrará os historiadores no futuro é que o mandato eleito esta apanhando furiosamente de áreas que não só o governo pode regular sem precisar de grande apoio parlamentar, como, inclusive, é forçado a regular pelas leis vigentes. Quando jovem militante, me ensinaram no partido que, na revolução, é preciso correr em cima de comunicação, energia e transporte. Me diziam: quem não é dono disso, não é dono do poder. O partido eleito não esta dono do poder!!

E não regula! Deixa o Conselho de Comunicação ser formado por um afiliado da Globo (José Sarney). O PT esta pedindo…

Responder

Fabio Passos

17 de setembro de 2012 às 21h27

O PiG e os partidos da direita são uma mesma organização.

globo = psdb = veja = dem = estadão = pps = fsp

É tudo a mesma coisa.
É uma coisa só.

Todo mundo já sabe disso… e o PT vai continuar fingindo que não vê?

Responder

    Moacir Moreira

    18 de setembro de 2012 às 00h15

    globo = psdb = veja = dem = estadão = pps = fsp = PT

    Tudo filhote da ditadura, como diria o saudoso Leonel Brizola.

FrancoAtirador

17 de setembro de 2012 às 20h16

.
.
Golpismo age como se não houvesse amanhã

Por Saul Leblon, no Blog das Frases – Cata Maior

Carlinhos Cachoeira e seu ubíquo braço-direito, o araponga Dadá, não estão mais à solta para emprestar artes e ofício às reportagens’ e ‘denúncias’ programadas por ‘Veja’. Quase não se nota.
Se o plantel perdeu talento específico, o engajamento na meliância política ganhou em arrojo e sofreguidão.
A constelação de colunistas que orbita em torno daquilo que ‘Veja’ excreta arregaçou mangas e redobra esforços.

A afinação do jogral não deixa dúvida sobre o alvo mais cobiçado, como mostra a meticulosa análise de Marco Aurélio Weissheimer(http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20898).

O troféu da vez é Lula, não a pessoa, mas o símbolo de uma barragem que reordenou a política brasileira criando espaço à ascensão do campo popular.

Buliçosos escribas do jornalismo isento sugerem nesta 2ª-feira que podem superar as mais dilatadas expectativas na caça ao tesouro.

As postagens do colunismo amigo de Demóstenes Torres — outro centurião da linha de frente abatido sem deixar vácuo — sugerem a travessia de um Rubicão.

O conservadorismo age como se não houvesse amanhã.
A crise econômica não destruiu o governo do PT e o país retoma o crescimento neste 4º trimestre.
Então, é agora ou nunca.

Com a ajuda das togas que atiçam o linchamento contra o partido no STF, a mídia demotucana arranca uma escalada preventiva vertiginosa.
Comete-se de forma explícita aquilo que até mesmo Dadá e Cachoeira teriam pejo em praticar desguarnecidos das sombras: a chantagem ancorada em ‘provas’ improváveis, mas tornadas críveis através do incessante centrifugador de carniça de quatro hélices: Veja-colunistas- bancada demotucana-Procuradoria geral da República.

No manuseio dessa engrenagem exibem o que sabem fazer melhor: regurgitar guerra política travestida de jornalismo; incorporar denúncias palatáveis à heterodoxia jurídica; arredondar a massa informe em escândalo e criminalização de forças e lideranças que não derrotam na urna há três eleições presidenciais.

Nas últimas 72 horas uma não-entrevista do publicitário Marcus Valério a ‘Veja’, talvez pela pífia credibilidade e repercussão do meio e da mensagem, transformou-se em ‘entrevista gravada’ — mas cujo áudio a revista ‘estuda’ se vai liberar’, avisam os relações públicas do comboio em marcha.

Ato contínuo, o renitente vácuo de credibilidade é ocupado pelo anúncio da existência de um suposto vídeo, ‘de 4 cópias’ (sempre é oportuno um detalhe para granjear confiabilidade à impostura) em que um desesperado Marcus Valério faria revelações para divulgação imediata — ‘caso sofra um atentado’, acena um operador da usina de carniça midiática, exalando o odor característico que o inebria.

Claro, o indefectível procurador Roberto Gurgel está disponível para dar uma pala, emprestando glacê jurídico aos fuzarqueiros do golpismo; porém, evocando parcimônia: ‘só’ posteriormente ao julgamento em curso no STF, as denúncias de Valério contra Lula — negadas pelo próprio e por seu advogado, até segunda ordem — poderão, eventualmente, ser examinadas pelo ministério público.

No fecho do rally desta segunda-feira, o PSDB e seu rodapé gasto, Roberto Freire, ‘exigiam’ que Lula se pronunciasse sobre a maromba desatada.

Esse é o idioma político adotado pelo dispositivo midiático conservador –que recebeu 70% da publicidade federal do governo Dilma — a dois anos da sucessão de 2014.

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=1094

Responder

Cesar

17 de setembro de 2012 às 19h24

Bem feito! Dilma usou recentemente a mídia conservadora para jogar a população contra as greves dos servidores públiocs federais. Agora, tomou uma na cara da Veja pra deixar de ser besta!

Responder

    Carlos Cruz

    17 de setembro de 2012 às 20h21

    Ano passado fiquei “fulo” com os agrados do governo petista para com a ala conservadora: festa da Folha, programa Ana Maria Braga, conversas e concessoes as grandes empresas, programa conservador (treceirização, fim da CLT, etc) e excludente de governo. As verbas que mais sofreram contigenciamento foram as de investimento social, como saude e educação. Tentaram fazer com o funcionalismo o que fizeram agora mas desistiram. Ante-se o desprezo do governo para com sindicatos e ONGS que ajudaram a eleger a candidata do PT quando a derrota parecia certa, em uma virada impressionante em pouco mais de 30 dias. Ate o presidente da CUT protestou e ameaçou tirar apoio político. Protestei e fui criticado pois eram medidas destinadas a “colocar o pais” no rumo certo devido os gastos efetuados no ultimo ano de governo Lula e o agravamento da crise internacional. Se não me engano fui chamado de “troll” ou bicho parecido. Ano 2 do governo e o distanciamento com seus eleitores aumenta, perda de APOIO com quem a elegeu. Cortes (mais cortes) no orçamento atingem a educação,a saude, a manutenção do Estado. Os alvos são escolhidos: saude, professores, universidades, o funcionalismo publico em geral. Greves imensas e impensadas acontecem e o governo imovel não conversa, apenas se desgasta e perde o resto de apoio. O PT tem que entender que para a tal “elite” ele sempre será da cozinha pra fora. O PT “fede” com seu cheiro de povo. No ano eleitoral o tal PIG deita e rola. Quem muito de baixa o fundo das calças aparece. Basta ver como está morna e sem emoção as eleições. Não há sindicatos e ONGS envolvidos, apenas um imenso silencio. Governo burro, que não ouve, escuta e vê dá nisso. Acordem! Antes tarde que mais tarde, quando será impossivel mudar o quadro político. Acordem seus incompetentes!

Eduardo Lima

17 de setembro de 2012 às 19h20

O risco de um golpe paraguaio é muito grande!

Responder

Gerson Carneiro

17 de setembro de 2012 às 19h16

Ave Maria, Cheia de Graça,
o Senhor é convosco,
Bendita sois vós entre as mulheres
e bendito é o Fruto de Vosso Ventre, Jesus

Santa Maria, Mãe de Deus
Rogai por nós pecadores
agora e na hora de nossa morte.
Amém.

Pai Nosso que estais no céu,
santificado seja o vosso nome,
vem a nós o vosso reino,
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no céu.

O pão nosso de cada dia nos daí hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas,
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido,
não nos deixei cair em tentação
mas livrai-nos do mal.

Amém.

Responder

Dinis

17 de setembro de 2012 às 17h57

A Dilma sabe o que faz gente! É muito importante os 80% de popularidade que a mídia sem querer ajudou-a a conquistar.O FHC já levou uma na orelha, os banqueiros também. A hora do PIG não tardará! Tenham paciência, estamos numa gerra!

Responder

    tiago carneiro

    17 de setembro de 2012 às 20h11

    heheehhhee!!!! Será que ela sabe mesmo o que faz, camarada? Vejo a Dilma como uma senhora conservadora, pseudoesquerdista, perdida, além de uma babona do PIG.

    Vamos ver daqui pra frente.

Pedro Cruz

17 de setembro de 2012 às 17h47

Mêdo da Globo, que sacanagem. Assuma seu papel contra este governo popular e democrático. Bando de quinta coluna. Isto mesmo ajudem a veja a derrotar este governo. Quando a correlação de fôrças mudar, virão correndo apoiar. Aí é muito facil, são muito covardes e oportunistas.

Responder

Mardones Ferreira

17 de setembro de 2012 às 16h40

Dilma iniciou na política pelo PDT, sem mostrar alinhamento com o postura combativa e nacionalista do Brizola.

No governo de Alceu Colares no Rio Grande do Sul fechou os olhos para casos de corrupção que envolviam o Germano Rigotto.

Migrou para o PT, sem mostrar interesse em seguir o que Lula deixou apenas encaminhado – o projeto de lei de regulamentação dos meios de comunicação como manda a CF/88.

Tem marcado seu mandato por manter o assistencialismo do Lula com os ricos (via BNDES) e com os pobres via Bolsa Família e Brasil Carinhoso sem mexer na estrutura da SECOM e na forma de financiamento das empresas de comunicação pelo governo federal. Sem contar que empossou o Ministro Paulo Bernardo para unicamente barrar a tentativa de enquadrar o PIG, via uma regulamentação.

Responder

nona fernandes

17 de setembro de 2012 às 16h36

Estou meio aérea e confusa com tudo que está acontecendo em torno do “mensalão”, com a matéria de FHC X herança pesada, com Lula e Dilma, enfim, não sei o que pensar. Só sei que estou muito preocupada com todas as diferentes análises feitas por diferentes jornalistas blogueiros. Estou preferindo acreditar no que eu gostaria que fosse, para que eu não entre em depressão. Não aguento mais levar as preocupações para o meu travesseiro. Só de uma coisa tenho quase certeza, a Rede Globo deve ser a maior e principal articuladora de todos os movimentos contra o Brasil e o seu povo.

Responder

Urbano

17 de setembro de 2012 às 16h27

O estrago está feito, pois a Prefeitura do Recife ó… bye, bye. Basta lhes dizer que, em termos de volume de propaganda, a coisa está cem pra um, a favor do outro partido. Creio mesmo que o PT abriu mão, só pode ser, pois nem combater o estelionato político combate

Responder

Antonio Marcos

17 de setembro de 2012 às 16h02

Parece que agora a Dilma abriu os olhos, demorou para perceber que não existe acordo com os golpistas.
Tem que parar de investir nesta imprensa manipuladora e golpista, até quando veremos o governo bancando seu próprio inimigo.
Bancar o PIG com o nosso dinheiro é um absurdo, tem que cortar as verbas para o PIG e utilizar este dinheiro para investir na educação e saúde.
Roberto Requião quando foi governador do PR cortou todos os gastos com propaganda oficial do Estado, mesmo assim o PIG não conseguiu tirá-lo da política….Para fazer isso basta ter coragem.

Responder

José Livramento

17 de setembro de 2012 às 15h28

Gostaria que alguém cruzasse a seguinte informação:

– Gastos com publicidade e Número de assinaturas compradas ao Grupo Abril por prefeituras e governos estaduais do PSDB/PSD/DEM.

– Gastos com publicidade e número de assinaturas compradas à Editora Confiança (Carta Capital) por prefeituras e governos estaduais do PT/PSB.

Só isso que peço!

Responder

Roberto Locatelli

17 de setembro de 2012 às 14h52

Ironicamente, esse “novo” PT, que não tem mais raízes no movimento popular, foi arquitetado por Zé Dirceu e sua corrente interna do PT. A ideia ingênua por trás era que, com o PT menos assustador, menos “radical”, tudo se resolveria numa convivência pacífica entre a esquerda e a direita.

Dirceu só se esqueceu de um “detalhe”: a luta de classes. O resultado é que Dirceu está sendo vítima de sua própria ilusão centrista.

Responder

    Marcelo de Matos

    17 de setembro de 2012 às 15h31

    Interessante: o Dirceu tem opositores na direita e na esquerda. Qual seria o seu índice de rejeição? Deve ser alto, somando-se comentaristas de blog, direitistas, radicais de esquerda, etc. Quando se candidatava a deputado tinha um altíssimo número de votos. Resta apurar sua rejeição.

Marisa Lancaster

17 de setembro de 2012 às 14h40

Poxa que legal.

Responder

Jairo Beraldo

17 de setembro de 2012 às 14h24

Do G1, em Brasília
“Receita inicia programa de cobrança de R$ 86 bilhões em dívidas vencidas.
Débitos englobam Simples Nacional, Refis da Crise e grandes devedores.
Mais de 540 mil contribuintes pessoa física, e empresas, serão notificados.
A Secretaria da Receita Federal informou nesta segunda-feira (17) que vai iniciar, nos próximos dias, um processo de cobrança de R$ 86 bilhões em dívidas vencidas de contribuintes pessoa física e de empresas, configurando o maior procedimento de recuperação de débitos da história.
“Estamos selecionando, em um primeiro momento, dívidas vencidas acima de R$ 10 milhões”, disse Carlos Occaso, subsecretário de Arrecadação.A maior parte da cobrança, ainda segundo o Fisco, será feita de grandes contribuintes, no valor de R$ 42 bilhões, quase metade de todo o valor cobrado (R$ 86 bilhões). São 317 grandes empresas que respondem por este débito, dentre as quais 15 pessoas físicas.”

Será que agora vai?
Será que os meios de comunicação serão COMUNICADOS de seus débitos??

Responder

    Marcelo de Matos

    17 de setembro de 2012 às 15h41

    “Entre os devedores estão 317 grandes contribuintes, 441.149 empresas do regimes tributário Simples, e 100.424 contribuintes do Programa de Recuperação Fiscal (Refis)”. O texto, já de início, mostra onde deve ser apertado o torniquete. O simples, por exemplo, foi criado para simplificar a tributação, não para facilitar a sonegação. E o programa de recuperação fiscal foi criado para recuperar créditos ou para torná-los ainda mais incobráveis? E os 317 grandes contribuintes? Deixaram de ser fiscalizados? Ah, como faz falta a CPMF.

Willian

17 de setembro de 2012 às 14h21

É uma pena Dilma não ter conselheiros ligados a blogosfera progressista. Uma pena para os adversários, fique claro. Aliás, uma pena também não seguir os conselhos econômicos e políticos de vocês. Mas o PT (que sabe como chegou ao poder e como se manter lá) sabe como usar a sapiência dos gênios progressistas. E estes, gostam de ser usados…rs

Responder

    augusto2

    17 de setembro de 2012 às 15h21

    em materia de conselhos, deveria ao contrario, seguir os teus.

    rodrigo

    17 de setembro de 2012 às 15h24

    Tá vendo troll, vocês não conseguem ficar quietos.
    A gente dá uma boa noção da realidade, uma enorme mastigada intelectual na realidade social de presente, e vocês não conseguem fazer outra coisa a não ser fazer piadas e tripudiar em cima. Não sabem o que é compaixão, não sabem o que é misericórdia. Nenhuma solução coletiva, muito menos criativa ou participativa. Tá vendo porque a maioria da gente de “esquerda” nunca vai levar vocês em conta?

    Valdeci Elias

    17 de setembro de 2012 às 15h29

    Pode chorar, Willian . O Poste de Lula, vai ser re-eleito. sbuaaaa buaaaa !!!

    Willian

    17 de setembro de 2012 às 16h52

    Sim, será eleito, mas nunca seguirá os conselhos do pessoal daqui. Como disse, o PT sabe como chegar e se manter no poder e não é seguindo o conselho da blogosfera. Então, nada de reforma agrária, nada de Ley dos Medios, nada de revisão das privatizações, nada de fim da Lei de Responsabilidade Fiscal, nada de fim do superavit,nada de bater de frente com a Globo e a Veja. Nada.

Marcelo de Matos

17 de setembro de 2012 às 13h28

Na minha ignorância não consigo entender essa campanha dos blogs Conversa Afiada, Viomundo e Escrevinhador contra a “nenhuma disposição [da Dilma] para qualquer avanço na área de Comunicações”. O que seria um avanço nessa área? Retirar verbas de publicidade dos barões da mídia e repassá-la para os blogs sujinhos? Dispensar a contratação de João Santana e aconselhar-se com um comitê de blogueiros? Não é ironia, mas, um sincero desejo de entender melhor. O post do Rodrigo foi considerado genial em comentários de outro blog. Eu que não sou da área comunicacional talvez tenha dificuldade de entender todo seu alcance. Fico com a ideia, provavelmente errônea, de que certos blogueiros saíram agastados de um dos encontros com Lula. Dali para cá o ex-presidente ganhou defensores fervorosos, mas, que sentam a ripa em sua sucessora… Dizem que o PIG quer desconstruir Lula para depois fazer o mesmo com Dilma. Será que esses blogueiros não estão tentando fazer o mesmo, embora procurando o caminho das Índias pelo ocidente?

Responder

    Ricardo JC

    17 de setembro de 2012 às 21h13

    Antes de perguntar sobre o que está perguntando, vá se informar sobre as propostas da “Ley de Medios”…como, por exemplo, o fim da propriedade cruzada dos meios de comunicação, no meu entender, um dos pontos mais importantes do projeto. Meu amigo, como disse o Rodrigo Vianna (não com estas palavras), este país precisa avançar na politização e educação do seu povo. A deliberada interdição do debate político no país simplesmente destrói esta ideia. É isso que você quer? Você acha justo e democrático que um bem fundamental de nossa sociedade como as concessões dos meios de comunicação permaneçam nas mãos em que estão há mais de 60 anos sem nenhuma discussão sobre se, de fato, tem sido produtivo para nós, como povo? O que tenho lido na blogosfera progressista não é a vontade de simplesmente acabar com tudo, mas que o assunto possa ser discutido e esclarecido para a maioria, que a partir das informações obtidas possa se posicionar sobre o assunto. Isto é algo impensável para nossa imprensa atual, que já serve o prato pronto e digerido.

    augusto2

    18 de setembro de 2012 às 14h50

    campanhas dos blogs nao, marcelo.
    Constataçao deles sobre dilma, sim. É diferente de campanha.

    francisco.latorre

    18 de outubro de 2012 às 09h28

    os caras mimetizam o pig.

    pior. esperam gestos.

    podem esperar.

    ..

    lula. e dilma. sabem.

    em jogo. o brasil. o mundo. as pessoas.

    ..

    bravata. gestos.

    faniquito. burguês.

    ..

Ana Cruzzeli

17 de setembro de 2012 às 13h21

Essa parte para mim é DIFICIL de entender

¨Evidentemente que – nesse episódio do chamado “Mensalão” – dirigentes do PT erraram feio: está claro que a rede de promiscuidade e troca de favores entre agências de publicidade, bancos privados e entes públicos precisava ser investigada e punida. Não era “mensalão”, mas era ilícito.¨

1- Como houve ilicito associação bancária, haja visto que houve um EMPRÉSTIMO com assinatura de avalista e tudo e no final o PT pagou TUDINHO com o dinheiro de arrecadação de campanha em 2003 e teve até sobra para 2004????
2- Como contrato com empresas publicitárias é ilicito se foi feito contrato de prestação de serviços e tais serviços foram prestados e depois pagos com dinheiro de emprestimos bancarios tudo registrado com nome do contratante e avalistas que foram pagos com arrecadação de campanha???

3- Como houve ilicito se o governo Lula democratizou verbas de patrocionio para todo mundo que tinha empresa registrada e uma delas foi a Record que nunca ganhou absolutamente nada.

A Dilma poderia sim acabar com todas as verbas de publicidades, mas se vale para a Globo vale para todos e até nisso o José Dirceu foi justo. Não podemos tirar da Globo pois teremos que tirar das Records da vida. Então esse mal é melhor que o outro.

Com relação a postura de Dilma agora…
1- Há momentos e momentos, e nessas horas que se provam o carater das pessoas. Ela engoliu tudo que engoliu para o bem da esquerda de SP, e em menos de 12 meses já havia quebrado o nucleo duro do conservadorismo da direita burra de SP.
Com relação a postura de José Dirceu naquela ocasião
1- Muitos brasileiros que sobreviveram precariamente aos 2 anos do Collor e aos 8 anos do Bambi agradecem com paixão por ele ter lutado para que Lula tomasse o poder, afinal só se faz revolução se lá se chegar.

Agora essas abobrinhas que houve ILICITO, vai catar coquinho…

Responder

Leandro Fortes: Dilma começa a acordar « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de setembro de 2012 às 13h19

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

Rasec

17 de setembro de 2012 às 13h01

Não tem ninguém por aí que possa conseguir entrevistar a presidenta Dilma?

Responder

Elias

17 de setembro de 2012 às 12h45

Às vezes faz-se necessário dar linha ao peixe até cansá-lo. Ao tê-lo em mãos convém mantê-lo em ambiente frio ou gelado. Esse aparente namoro com a mídia não passa de flerte. Creio na estratégia sofisticada de Dilma. Ela chegou ao Planalto para govenar o Brasil por oito anos. E jamais, alguém em sã consciência consegue imaginar Dilma mudar os rumos traçados em sua campanha. Na China, o socialismo (sem voto) administra o capitalismo. No Brasil, o capitalismo é administrado pelo socialismo (com voto). Dois governos parecidos e ao mesmo tempo distintos. Mas convenhamos, o nosso é bem mais difícil, há de se ter traquejo na democracia e isso Dilma nos demonstra que tem de sobra.

Responder

Leonardo Boff: Por que tentam ferir letalmente o PT? « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de setembro de 2012 às 12h20

[…] Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia […]

Responder

Julio Silveira

17 de setembro de 2012 às 12h14

Perfeito, leitura perfeita e onde reside minha critica visceral a essa “esquerda”. Meu incoformismo com as oportunidades perdidas.
O unico ponto frágil, para mim, nessa leitura é o que verifico, quase como uma propensão paranoica, na defesa do Zé. Para meu senso critico, o arquiteto disso tudo dessa busca por convivência harmonica e adoção de praticas politicas. Observadores atentos poderão confirmar, até quando expurgaram os contraditórios inconvenientes para prevalecer a atual postura partidária. Só esqueceram da surra vintenaria que aplicavam na retórica do conservadorismo, e isso evidentemente deixou sequelas que só quem bate esquece.

Responder

    paulo roberto

    17 de setembro de 2012 às 12h40

    Concordo com o Júlio. O Zé Dirceu, se não é o principal arquiteto dessa busca por convivência harmonica com o PIG e a direita retrógrada, é um de seus principais articuladores. Quem sabe, sendo condenado, ele aprenda a lição e ajude o PT e o governo a livrar o Brasil de ser comandado pelo pessoal da Casa Grande…

    Jairo Beraldo

    17 de setembro de 2012 às 13h16

    E a ultima parte de sua colocação, Julio, está explicito no artigo de Leonardo Boff, aqui postado. E quanto ao PHA, é uma versão SEM LINHA da Mãe Dinah, erra todos seus palpites, além de ser daqueles que pregam o jargão – “FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO.”

    Valdeci Elias

    17 de setembro de 2012 às 15h08

    Jairo ,quando foi que PHA , errou feio ? Foi quando disse Lula ia ser re-eleito, ou quando Lula ia eleger seu sucessor, ou quando afirmou que Serra não passava dos 30 % ?

    Julio Silveira

    17 de setembro de 2012 às 15h33

    Jairo, eu participava bastante do Blog do PH, hoje só do uma olhadinha de vez em quando, por que percebi exatamente isso.

    jaime

    17 de setembro de 2012 às 14h03

    Concordo com o Julio Silveira. Há tantas referências a coisas que a Dilma não percebeu que cabe a pergunta: em que planeta ela e o pessoal que a aconselha estiveram vivendo nos últimos 15 anos?
    O problema não é o STF, não é o “mensalão”, não é a bancada ruralista – em qualquer desses casos e dos que vierem – o problema é o que a MÍDIA faz com eles e se uma frase entre tantas do texto merece destaque, na minha opinião é esta:”o governo foge do confronto”. Essa estratégia com essa mídia nunca vai dar certo; comer o pirão pelas bordas, como dizia Brizola, é estratégia para algumas coisas, não todas, mas neste caso quem está sendo comido é o governo. Eu conheço uma pessoa que adotou a estratégia correta: Roberto Requião aqui no Brasil; e os Kirchner na Argentina.
    O que está acontecendo é novamente a tentativa de uma grande mudança para que tudo continue igual.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding