VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária?


12/10/2012 - 13h57

por Altamiro Borges, em seu blog

A partir de amanhã (12), cerca de 600 donos e executivos da mídia do continente estarão em São Paulo, no Hotel Renaissance, para participar da 68ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP). A entidade regional, um biombo da famigerada CIA, aprovará resoluções raivosas contra governos da América Latina que promovem mudanças democratizantes no setor da comunicação e fará discursos acalorados em defesa da liberdade de expressão e “contra a censura”. Balela pura!

Já que está tão preocupada com a perseguição aos veículos da comunicação, a SIP poderia aprovar uma nota de repúdio ao PSDB, que acionou a Justiça e a PM para invadir a sede do Sindicato dos Bancários de São Paulo e censurar seu órgão oficial, a Folha Bancária. A ação truculenta foi desfechada na sexta-feira, na véspera do primeiro turno da eleição para a prefeitura paulistana. Visou criar um factoide político favorável à candidatura do tucano José Serra, conhecido por agredir e pedir a cabeça de jornalistas aos patrões.

Hoje, o juiz eleitoral Marco Antonio Martin Vargas reforçou a perseguição à entidade sindical, fixando multa de R$ 5 mil pela edição da Folha Bancária sobre as eleições. Um verdadeiro absurdo! No Brasil, os sindicatos de trabalhadores são proibidos de participar das eleições. Já as entidades patronais doam grana, que ainda é debitada do Imposto de Renda. Em vários países, inclusive nos EUA, a legislação permite a participação do sindicalismo nas disputas eleitorais, inclusive fixando cotas de contribuição financeira.

Para não cair no total descrédito – se é que ainda possui algum –, a SIP deveria condenar a truculência do PSDB contra a Folha Bancária. Também poderia aproveitar o convescote para manifestar solidariedade aos blogueiros brasileiros vítimas de perseguição, violência e da judicialização da censura. Ela até poderia dar uma bronca num de seus afiliados, a famiglia Frias, que censurou o sítio irreverente Falha de S.Paulo. Evidente que ela não fará nada disto. A SIP representa os barões da mídia. O discurso sobre liberdade de expressão é pura falsidade. Ela defende, de fato, a liberdade dos monopólios e a ditadura midiática.

Leia também:

Barão de Itararé: Vamos organizar o nosso ato contra os golpistas midiáticos da SIP

Serra pede apreensão de jornal alegando que texto denegria sua imagem; Sindicato dos Bancários acusa tucano de praticar censura

Altamiro Borges: SIP, antro da mídia golpista

Altamiro Borges: Dilma no palanque dos golpistas?

Maringoni e a presença de Dilma na assembleia da SIP

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bia Barbosa: Novo presidente da SIP diz que Assange pratica jornalismo fraudulento « Viomundo – O que você não vê na mídia

18 de outubro de 2012 às 12h05

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

Os vetos de Dilma ao Código Florestal « Viomundo – O que você não vê na mídia

18 de outubro de 2012 às 01h39

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

Obama “de esquerda” vence o debate por pontos « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de outubro de 2012 às 10h21

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

“Vai lá para o Haddad. É a pauta dele. Não precisa ter uma assessora a mais para ele” « Viomundo – O que você não vê na mídia

16 de outubro de 2012 às 01h25

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

Maria Izabel Noronha: Parecer elimina dúvidas sobre a jornada do professor « Viomundo – O que você não vê na mídia

16 de outubro de 2012 às 01h06

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

Bia Barbosa: SIP elege Equador e Argentina como alvos principais « Viomundo – O que você não vê na mídia

15 de outubro de 2012 às 11h24

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

Janio de Freitas: A mentira da mesada de Roberto Jefferson « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de outubro de 2012 às 17h54

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

FrancoAtirador

13 de outubro de 2012 às 21h06

.
.
Fernando Haddad: “FALTAM 15 DIAS PARA SÃO PAULO ACORDAR DO PESADELO”

Haddad (PT) criticou administrações Serra (PSDB) / Kassab(PSDemB)

SÃO PAULO – No segundo evento de campanha do dia, o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, participou de um comício no Jardim Macedônia, periferia da zona sul da cidade, onde defendeu seu plano de governo e elevou o tom contra seu adversário na eleição municipal, José Serra (PSDB).

“FALTAM 15 DIAS PARA SÃO PAULO ACORDAR DO MAIOR PESADELO DA HISTÓRIA DESSA CIDADE, QUE FORAM OS OITO ANOS DE SERRA E KASSAB”, afirmou o petista, referindo-se à proximidade de 27 de outubro, dia da votação do segundo turno do pleito eleitoral na capital paulista.

Em seu discurso, Haddad disse que vai acabar com a cobrança do que chamou de “taxa do carro” – pagamento pela inspeção veicular criado na gestão anterior -, defendeu o Bilhete Único Mensal e a criação de dois CEUs (Centros Educacionais Unificados) e três hospitais, além da ampliação da rede escolar para o período integral (escola em tempo integral).

“São mudanças que já estavam em andamento nas gestões de Luiza Erundina e Marta Suplicy, mas que o Serra e o Kassab interromperam de propósito”, afirmou.

Além de enfatizar a parceria de Serra com Kassab, que conta com baixos índices de aprovação, Haddad buscou associar seu nome ao da presidente Dilma Roussef, que vive situação oposta ao do prefeito paulistano.

“Enquanto Kassab tem 80% de reprovação, Dilma tem 80% de aprovação.
Tem alguma coisa errada”, discursou,

reforçando que pretende estreitar os vínculos com o Governo Federal de Dilma Rosseff (PT), para aprofundar na cidade programas como o Minha Casa, Minha Vida e o Pronatec, de educação.

“São Paulo não vai virar as costas para o Brasil”, disse.

Antes do comício, Haddad visitou lojas do comércio da região, cumprimentou e tirou foto com eleitores e, depois, subiu no carro de som, onde foi recebido por lideranças locais e vereadores recém eleitos.

Cercado pela população, ouviu palavras de incentivo, reivindicações por melhorias no bairro e exclamações perguntando pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não pôde comparecer ao evento, por recomendação médica, devendo permanecer um período em repouso, após o desgaste que sofreu na campanha eleitoral do primeiro turno, considerando que ainda está se recuperando do tratamento do câncer de laringe que o havia acometido.

Por essa razão, Lula não poderá fazer, no segundo turno, todos os comícios que pretendia. Porém, depois que retornar da Argentina, para onde viaja no dia 17, o ex-presidente ainda pretende participar diretamente das campanhas eleitorais nos diversos municípios onde o PT concorre Brasil afora.

Com informações da Agência Estado

Responder

Pedro

13 de outubro de 2012 às 19h49

A liberdade de expressão que a SIP defende é a proibição do povo pensar. Mordaçã no povo, eis a sua liberdade de expressão. Seu desespero é que a sua liberdade de expressão está em decadência porque o capitalismo que a sustenta vive, em boa medida, sua crise terminal. Portanto, tudo o que sobra a essa gente é uma radicalização vazia, que não interessa mais ao povo. Querem ser lidos, mas como e por quem? Fizeram todo o esforço possível para analfabetizar o povo, expropriando-o de tudo. Conseguiram. Este foi seu grande feito. É agora querem que o povo os leia, apoie a sua liberdade. Qual? A de fazer dele um analfabeto, um ser que só conhece o sofrimento, a ignorância, proibido de pensar livremente, transformado em puro burro de carga, explorado pelos capitalistas que abençoam a sua liberdade de dizer que só resta ao pobre rezar para não morrer de fome. Precisa de mais para consagrar sua liberdade de expressão? Precisa do discurso da “namoradinha do Brasil”, assim consagrada pela ditadura que defendeu, como ninguém, a liberdade de expressão da imprensa. Não falemos mal da Regina Duarte. Afinal de contas as várias formas de prostituição se explicam como fenômenos sociais. E o capitalismo é, dos fenômenos sociais, riquíssimo nesta modalidade.

Responder

Marcos Coimbra: STF invade atribuições dos demais Poderes « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de outubro de 2012 às 14h09

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

A carta da dupla de “comportamento suspeito” « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de outubro de 2012 às 14h08

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

João-PR

13 de outubro de 2012 às 12h34

A SIP…credo! Esse órgãozinho deveria deixar de existir.
Defendem o monopólio da mídia, e vem falar em liberdade de expressão.
Quem serão os nobres jornalistas que preferirão palestras no encontro da SIP? Por acaso o Prates (de Floripa) será um deles?

Responder

Rosana Bertotti: Lula e Dilma, muito a desejar na área da comunicação « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de outubro de 2012 às 08h33

[…] Altamiro Borges: A SIP vai condenar a censura à Folha Bancária? […]

Responder

FrancoAtirador

13 de outubro de 2012 às 04h57

.
.
Censura da Folha de S. Paulo a blog ameaça liberdade de imprensa

Em audiência pública na Comissão de Legislação Participativa da Câmara, realizada nesta quarta-feira (27), parlamentares e convidados manifestaram preocupação quanto à possibilidade de a ação judicial movida pelo jornal Folha de S. Paulo contra o blog Falha de São Paulo gerar uma jurisprudência que coloque em risco a liberdade de expressão na Internet e a própria liberdade de imprensa.

O debate foi proposto pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS). A Folha de S. Paulo e a Associação Nacional dos Jornais (ANJ) foram convidados, mas não enviaram representante à audiência.

“Estou convencido de que esse caso ‘Folha x Falha’ vai gerar uma jurisprudência. Esse não é um episódio particular, e os próprios grandes meios de comunicação poderão ser julgados com base nessa jurisprudência. Se esse entendimento da Folha sobre a ação do blog virar jurisprudência, abriremos um precedente muito perigoso”, afirmou Pimenta.

“Se a Folha ganhar esse processo, será criada uma jurisprudência horrorosa”, complementou Lino Bocchini, jornalista responsável pelo blog. “Caso a Folha perca em última instância, ganhamos todos nós, inclusive, a própria Folha. Dois dias depois de nos censurar, ela publicou uma charge do Angeli fazendo uma brincadeira com o Wikileaks, botando o ‘M’ do McDonalds ao contrário, fazendo um ‘W’. O McDonalds poderia processar a Folha de S. Paulo usando a mesma peça jurídica que eles usaram contra nós”, lembrou Lino.

“Liberdade de empresa”

O deputado Luiz Couto (PT-PB) ressaltou que “o grande problema é que alguns grupos dominam não apenas as emissoras de rádio e TV, mas também a imprensa escrita. Muitas vezes, se fala em liberdade de imprensa, quando, na realidade, o que existe é a liberdade da empresa”.

O deputado Pedro Uczai (PT-SC) também criticou a Folha de S. Paulo em razão de carta enviada à Comissão, na qual o jornal, além de se recusar a participar da audiência, chama o deputado Paulo Pimenta de “desinformado”.

“Discutir esse caso é discutir a vitória ou a derrota da democracia brasileira, não só na questão jurídica, mas no aspecto cultural. Por dizer que o deputado é desinformado ao propor um debate como esse, acho que deveríamos escrever uma nota de repúdio à Folha de S. Paulo”, declarou Uczai.

Fonte: Agência Câmara

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=6&id_noticia=167329

Responder

FrancoAtirador

13 de outubro de 2012 às 04h48 Responder

Rasec

12 de outubro de 2012 às 23h20

Afinal, depois de muita gente bater terror por todo canto, a Dilma foi pra esse encontro da SIP? Alguém pode informar? Vi hj à noite zapeando na GloboNews: a Regina Duarte estava na tal reunião? Como assim? O que tem a ver? Ela era apresentadora? Alguém sabe? Alguém viu?

Responder

Marat

12 de outubro de 2012 às 22h54

A SIP é um mero instrumento da impren$$$a marrom, que infesta o mundo, tal qual erva daninha, financiada pelo escabroso e doentio Tio Sam… que podemos esperar da SIP? Apenas Sif…

Responder

José X.

12 de outubro de 2012 às 18h12

“Hoje, o juiz eleitoral Marco Antonio Martin Vargas reforçou a perseguição à entidade sindical, fixando multa de R$ 5 mil pela edição da Folha Bancária sobre as eleições. […] No Brasil, os sindicatos de trabalhadores são proibidos de participar das eleições. Já as entidades patronais doam grana, que ainda é debitada do Imposto de Renda.”

Isso me lembra uma greve dos professores em SP, acho que em 2010, que foi julgada “ilegal” por ser considerada propaganda eleitoral contra Serra…não tenho certeza, mas acho que isso foi antes de ele abandonar o cargo (como sempre sói fazer) de governador para ser candidato a presidente. O judiciário em SP é majoritariamente tucano. (Até me espanta que tenha aceito a impugnação da candidatura de Celso Giglio a prefeito da cidade de Osasco, na Grande São paulo).

Responder

FrancoAtirador

12 de outubro de 2012 às 16h54

.
.
TSE indefere recurso de candidato do PSDB à prefeitura de Osasco

Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indeferiu hoje (11) o recurso do candidato a prefeito de Osasco Celso Giglio (PSDB). A relatora, ministra Luciana Lóssio, considerou que Giglio cometeu ato doloso de improbidade administrativa quando estava à frente da prefeitura de Osasco em 2004, o que levou a ter o registro de candidatura negado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo. A relatora foi acompanhada pela unanimidade dos ministros do TSE.

Celso Giglio teve as contas rejeitadas pela Câmara de Vereadores de Osasco quando era prefeito em 2004, acusado de improbidade administrativa. Os vereadores entenderam que ele não obedeceu à Lei de Responsabilidade Fiscal no que se refere às reservas financeiras para o pagamento de precatórios, além de ter cometido outras irregularidades como, por exemplo, o não recolhimento dos pagamentos à Previdência Municipal.

A defesa de Giglio alegou que não houve dolo no ato do então prefeito, o que não foi aceito pela relatora, nem pelos demais ministros. “É de ser ver, portanto, que não se trata de fatos isolados, como quer fazer entender o recorrente. E sim de conduta recorrente e gravíssima, no meu entender”, declarou Luciana Lóssio.

Em concordância com a relatora, o ministro Dias Toffoli ressaltou a importância da obediência à Lei de Responsabilidade Fiscal para o saneamento das contas públicas e citou o crise europeia como uma das consequências da falta de responsabilidade dos políticos locais com a questão. “Descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal é o maior pecado que um administrador público pode cometer”, disse Toffoli.

A decisão sobre Celso Giglio mantém, por enquanto, o resultado anunciado das eleições em Osasco, cujo vencedor anunciado foi Jorge Lapas (PT). Celso Giglio recebeu quase 150 mil votos e poderia levar as eleições para o segundo turno se o recurso tivesse sido aceito pelo tribunal. Diante da manutenção do indeferimento do registro, os votos dados a Giglio permanecem nulos e Lapas é mantido como vencedor das eleições. O petista teve 138 mil votos, o que equivale a 60% dos válidos.

Celso Giglio ainda pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal. Por isso, o resultado da eleição ainda não pode ser considerado definitivo. Esta semana a ministra Cármen Lúcia declarou entender que enquanto um candidato estiver recorrendo à Justiça, ele continua na disputa eleitoral e deve ir ao segundo turno se for o caso, conforme Artigo 16A da Lei Eleitoral. No entanto, quem deverá definir se Giglio tem direito de continuar concorrendo, caso ele recorra ao STF, será o juiz Eleitoral local.

Edição: Aécio Amado

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-10-11/tse-indefere-recurso-de-candidato-prefeitura-de-osasco

Responder

    Marat

    13 de outubro de 2012 às 00h35

    Franco, será que o Giglio poderá recorrer ao proptetor dos direitistas, o STF?

    FrancoAtirador

    13 de outubro de 2012 às 19h28

    .
    .
    Sim, Marat.

    O PSDB vai entrar com Recurso Extraordinário no STF.

    Quero só ver se, até o julgamento do recurso tucano,

    ainda estará em vigor o supremo moralismo hipócrita

    da Suprema Corte de Ministros da Casa Grande Estelar.
    .
    .

lando carlos

12 de outubro de 2012 às 16h40

e uma cambada de traidores deviam ir para o paredão.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!