VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Eduardo Guimarães: O celular invisível de Carlinhos Cachoeira


31/03/2012 - 10h41

por Eduardo Guimarães, do Blog Cidadania

Após a divulgação na internet da íntegra do inquérito da Operação Monte Carlo, leitores menos familiarizados com o caso indagaram a ausência dos diálogos entre o senador Demóstenes Torres e Carlinhos Cachoeira em um processo fundamentado quase que exclusivamente em grampos dos telefones que o bicheiro goiano habilitou nos Estados Unidos.

Há que explicar que o inquérito não citou as escutas que capturou entre o senador e o bicheiro porque o primeiro, por ter imunidade parlamentar, não pôde ser incluído na peça que foi ao judiciário, daí a ausência dos diálogos que constam nas investigações da Polícia Federal.

Nas  verdade, nesse inquérito figuram mais telefones do que os 15 citados pelas matérias na imprensa e na internet como tendo sido adquiridos por Cachoeira nos Estados Unidos e entregues à sua quadrilha, que, agora se sabe, inclui o senador pelo DEM de Goiás. Isso ocorre porque, talvez pela certeza de impunidade, até telefones convencionais foram usados pela quadrilha para delinquir.

Outro fato que não foi devidamente explicado e que fonte ouvida pelo blog explicou em contato feito nesta sexta-feira é o de que não teriam sido só 15 telefones Nextel que o bicheiro adquiriu nos Estados Unidos, mas, pelo menos, 18. Destes, três teriam sido adquiridos antes dos outros 15 – um foi entregue ao irmão e outro à ex-mulher do bicheiro. O terceiro era do próprio.

Como costuma ocorrer com pacotes de celulares comprados de operadoras de telefonia, esses telefones têm números seqüenciais. Abaixo, os números dos telefones usados pela quadrilha e que figuram no inquérito que este blog reproduziu no post anterior.

1 – 316010027445095

2 – 316010027445264

3 – 316010027445292

4 – 316010027445309

5 – 316010027446892

6 – 316010027446986

7 – 316010027448599

8 – 316010027449244

9 – 316010027449754

10 – 316010027450123

11 – 316010027450381

12 – 316010027450738

13 – 316010027451241

14 – 316010027451562

15 – 316010027452005

16 – 316010027459804

O primeiro número (316010027445095) era usado por Cachoeira, outros dois pela sua ex-mulher e por seu irmão. Faltam, portanto, dois telefones. Um deles, que não figura no processo, era usado pelo senador Demóstenes Torres. Resta um celular perdido, invisível. Alguém arrisca um palpite sobre a quem foi entregue?

Quem quiser ter acesso à íntegra do inquérito, pode acessar seus três volumes aqui, aqui e aqui.

Leandro Fortes em CC: Demóstenes ficava com 30% do que Cachoeira





27 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ronald

04 de abril de 2012 às 20h54

Eu apostaria que é de um juiz muito famoso, que adora mídia e grampo sem áudio!

Responder

marcosomag

02 de abril de 2012 às 21h22

Pelo "cheiro da mortadela", o celular foi dado ao RC. Não é aquele das "emoções", não!

Responder

jura

31 de março de 2012 às 23h24

Marconi Perillo.

Responder

Helio Filho

31 de março de 2012 às 21h13

Porque o deputado do PPS aceitou a grana do bicheiro?
Respondo – segundo o proprio deputado, ficou com medo de nao conseguir o emprestimo bancario e recorreu ao amigo (sic) Cachoeira… So devolveu a grana do contraventor quando o banco resolveu financiar o apartamento. Quanta ingenuidade, do deputado! Deve ter achado, como disse Demostenes, que Cachoeira tinha de regenerado. E, afinal, o contraventor era tao gente boa que emprestana 160 mil pra um amigo, assim, na boa. Um doce de bicheiro, amigo solicito, sempre as ordens, pronto pra ajudar.
Com certeza, sem esperar nada em troca…
E tem gente que ainda acredita nesse pessoal (lembro que o PPS se autodenominava o Partido Ficha Limpa).

Responder

Genghis Khan

31 de março de 2012 às 20h03

100% gilmar dantas.

Responder

FrancoAtirador

31 de março de 2012 às 17h07

.
.
Há mais de 200 ligações trocadas entre o bicheiro Carlinhos Cachoeira e o redator-chefe da revista Veja, Policarpo Júnior.

Outro jornalista que passou por Veja, Alexandre Oltramari, trabalhou na campanha para o governo de Goiás de Marconi Perillo, em 2010. Atuou em conjunto com o sargento Dadá, que hoje está preso.

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/03/gra

Responder

FrancoAtirador

31 de março de 2012 às 14h44

.
.
Demóstenes Torres emprega uma familiar de Gilmar Mendes, em cargo de confiança, em seu gabinete no Senado
Enteada de ministro do STF é assessora de senador do DEM

A enteada do ministro é servidora de carreira do Ministério Público Federal, nível médio, e foi cedida para ser funcionária comissionada do gabinete do senador.

Ketlin Feitosa Ramos, que é tratada na família como filha do ministro do STF, ocupa desde setembro o cargo de assessora parlamentar de Demóstenes, posto de confiança e livre nomeação.

Demóstenes e Mendes negaram haver conflito de interesse (SIC) e afirmaram, por meio das assessorias, que a nomeação de Ketlin Feitosa foi feita por critérios técnicos (SIC).

Por escrito, Ketlin disse que procurou por conta própria (SIC) emprego no Senado:

"Demóstenes me fez uma proposta de trabalho para que eu atuasse em sua assessoria jurídica e que estava precisando de um servidor com o meu perfil pois tinha muito interesse na área ambiental."

http://www1.folha.uol.com.br/poder/1068107-entead
https://www.viomundo.com.br/denuncias/demostenes-t

Responder

Abelardo Silva

31 de março de 2012 às 14h36

Qual o numero do celular usado para praticar este mal feito?-
Sucessor de Ideli Salvatti no Ministério da Pesca, o deputado petista Luiz Sérgio classificou nesta sexta-feira, 30, de “malfeito” a ação da pasta de cobrar dinheiro para o PT de Santa Catarina de uma empresa contratada pelo governo federal. A Intech Boating, que forneceu por R$ 31 milhões lanchas-patrulha para o ministério, doou R$ 150 mil ao comitê financeiro do PT, que bancou 81% dos custos da candidatura de Ideli em 2010 ao governo de Santa Catarina, como revelou com exclusividade o Estado. O contrato das lanchas é considerado suspeito pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A petista, hoje, é titular da pasta de Relações Institucionais

Responder

    Abel

    31 de março de 2012 às 18h42

    E onde entram o DEM e o Cachoeira nessa história…?

    luiz pinheiro

    31 de março de 2012 às 19h36

    Cada vez fica mais evidente a necessidade do financiamento público exclusivo das campanhas eleitorais. É a prova dos nove. Quem é contra? Quem é favor?

    luiz pinheiro

    31 de março de 2012 às 21h41

    O Luiz Sérgio explica em seu twiter:
    "Faltou um detalhe na minha entrevista hj no Estadao. Disse à repórter que seria um malfeito CASO fosse verdadeira a versão do empresário
    Hoje o empresário desmente versão de que tenha recebido pedido do MPA para doar à campanha do PT-SC. Isso SERIA absurdo, SERIA malfeito."
    Esclarecido, Abelardo? Ou voce ainda não entende comio são feitas as notícias pelo PIG desse nosso querido Brasil?

FrancoAtirador

31 de março de 2012 às 14h28

.
.
Gilmar Mendes – Oi, Demóstenes, tudo bem? Muito obrigado pelas suas declarações.
Demóstenes Torres – Que é isso, Gilmar. Esse pessoal está maluco. Impeachment? Isso é coisa para bandido, não para presidente do Supremo. Podem até discordar do julgado, mas impeachment…
Gilmar – Querem fazer tudo contra a lei, Demóstenes, só pelo gosto…
Demóstenes – A segunda decisão foi uma afronta à sua, só pra te constranger, mas, felizmente, não tem ninguém aqui que embarcou nessa “porra-louquice”. Se houver mesmo esse pedido, não anda um milímetro. Não tem sentido.
Gilmar – Obrigado.

Demóstenes – GILMAR, OBRIGADO PELO RETORNO, EU TE LIGUEI PORQUE TEM UM CASO AQUI QUE VOU PRECISAR DE VOCÊ. É o seguinte: eu sou o relator da CPI da Pedofilia aqui no Senado e acabo de ser comunicado pelo pessoal do Ministério da Justiça que um juiz estadual de Roraima mandou uma decisão dele para o programa de proteção de vítimas ameaçadas para que uma pessoa protegida não seja ouvida pela CPI antes do juiz.
Gilmar – Como é que é?
Demóstenes – É isso mesmo! Dois promotores entraram com o pedido e o juiz estadual interferiu na agenda da CPI. Tem cabimento?
Gilmar – É grave.
Demóstenes – É uma vítima menor que foi molestada por um monte de autoridades de lá e parece que até por um deputado federal. É por isso que nós queremos ouvi-la, mas o juiz lá não tem qualquer noção de competência.
Gilmar – O que você quer fazer?

Demóstenes – EU ESTOU PENSANDO EM LIGAR PARA O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA E VER SE ELE MOSTRA PARA OS PROMOTORES QUE ELES NÃO PODEM INTERVIR EM CPI FEDERAL, QUE AQUI SÓ PODE CHEGAR ORDEM DO SUPREMO.
SE ELES RESOLVEREM LÁ, TUDO BEM.
SE NÃO, VOU PEDIR AO ADVOGADO-GERAL DA CASA PARA PREPARAR ALGUMA MEDIDA JUDICIAL PARA VOCÊ RESTABELECER O DIREITO.

Gilmar – Está demais, não é, Demóstenes?
Demóstenes – Burrice também devia ter limites, não é, Gilmar? Isso é caso até de Conselhão. (risos)
Gilmar – Então está bom.

Demóstenes – SE EU NÃO RESOLVER ATÉ AMANHÃ, EU TE PROCURO COM UMA AÇÃO PARA VOCÊ ANALISAR. ESTÁ BOM?

Gilmar – ESTÁ BOM. Um abraço, e obrigado de novo.

Demóstenes – Um abração, Gilmar. Até logo.

https://www.viomundo.com.br/politica/paulo-moreira

Responder

gilberto silva

31 de março de 2012 às 13h26

este outro aparelho deve estar na mão de algum governador……

Responder

    jura

    31 de março de 2012 às 23h25

    Que mora em Goiânia…

    Edmar

    01 de abril de 2012 às 15h40

    Mas provável que esteja no DF, com algum ministro do STF, talvez oriundo do MT. Aqui há entendimento, diria São João. Quem conhece o Brasil calcule o nome da BESTA.

Julio Silveira

31 de março de 2012 às 12h44

Esse que falta pode ser o do Audio do grampo desaparecido. Aquele que serviu para mandar um agente publico que trabalhava pelo bem do Brasil, para um exilio de lazer em Portugal, uma promoção para baixo, como costuma se fazer no Brasil, para abafar coisas e agradar turcos e cipriotas quando um cidadão incomoda, e quase destroi a carreira de outro, um delegado federal de alto valor para a cidadania, hoje Deputado Federal. Duvido que alguem saiba associar a quem pertence.

Responder

Wildner Arcanjo

31 de março de 2012 às 12h34

Houdini! Ele o fez sumir!

Responder

Rafael

31 de março de 2012 às 12h20

Essa descoberta do Demóstenes tem com certeza a mão do governo. Acho isso positivo, muito positivo. Desmascarou essa ladrão.

Responder

Mello

31 de março de 2012 às 11h48

Posso chutar, Azenha???

Gilmar Mendes

Responder

Julio_De_Bem

31 de março de 2012 às 11h37

A essas alturas pode estar com um dos capangas do mato grosso :)

Responder

Regina Braga

31 de março de 2012 às 11h36

Foi para o Policarpo Quaresma…

Responder

Nicolas

31 de março de 2012 às 11h25

"Resta um celular perdido, invisível. Alguém arrisca um palpite sobre a quem foi entregue?"

Não teria sido entregue ao insigne GM?

Responder

Marcelo de Matos

31 de março de 2012 às 11h23

Nos tempos do mensalão andaram desfiando a teoria do lenço de papel: você puxa um e vem uma "renca". Já apareceram o ator global Stepan (ou Stephan) Nercessiam e dois deputados, um do PSDB e outro do PP de Goiás. Se a PF passar um pente fino ali em Anápolis deve aparecer mais coisa. Muito mais.

Responder

    Ataíde

    31 de março de 2012 às 12h41

    ele devolveu o dinheiroe já mostrou o comprovante de devolução

    Marcelo de Matos

    31 de março de 2012 às 13h09

    No caso da oposição, muito amiga do PIG, acho que a devolução resolve tudo. No caso do PT a devolução não serviria para nada. O PIG continuaria escrachando.

    Helio Filho

    31 de março de 2012 às 21h01

    E porque aceitou, antes?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding