VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Bancários em greve: Taxa de retorno de bancos brasileiros é de 11%


14/09/2012 - 16h28

Bancos brasileiros ganham 50% mais que dos EUA

Rentabilidade nos EUA foi de 7,6% no segundo trimestre, enquanto no país foi de 11,31%; percentual quase duplica nos maiores bancos nacionais

do site do Sindicato dos Bancários, na véspera da greve nacional

São Paulo – Estudo da consultoria Economatica mostra que os bancos brasileiros continuam ganhando 50% mais do que os bancos norte-americanos, mesmo depois das reduções na Selic e da iniciativa do governo em baixar os juros dos bancos públicos para forçar a competitividade no setor.

Segundo o levantamento, encomendado pelo Estadão.com, os bancos nacionais tiveram retorno de 11,31% do seu patrimônio no segundo trimestre, enquanto que nos Estados Unidos, o retorno das instituições financeiras foi de 7,68%. Ou seja, os bancos no Brasil tiveram ganho 47% superior ao dos americanos.

O estudo mostra também que a rentabilidade dos grandes bancos no Brasil foi ainda maior do que a média nacional. O Banco do Brasil, que por determinação do governo baixou suas taxas de juros, teve retorno de 20% do seu patrimônio líquido entre abril e junho. Isso é quase o dobro da rentabilidade média das instituições financeiras do país e 166% mais que a dos EUA.

Nos privados Bradesco e Itaú os ganhos também foram altos: 18,8% do patrimônio e 18,3%, respectivamente.

Para a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, o levantamento comprova que é possível reduzir os altos juros e spread bancários no país sem que as instituições financeiras percam no lucro. “Os juros e spread praticados pelo setor financeiro no país são dos mais altos do mundo. Já está mais do que na hora de os bancos cumprirem sua responsabilidade com a economia brasileira e apostarem em juros mais baixos e maior facilidade na concessão de crédito.”

A dirigente ressalta ainda que os números do estudo mostram que o setor financeiro no país vai bem apesar da crise internacional.

“Os bancários, em plena campanha por melhor remuneração e melhores condições de trabalho, sabem muito bem que não há crise para os bancos brasileiros e que o setor tem todas as condições de atender nossas reivindicações”, afirma.

Redação, com informações do Estadão.com – 13/9/2012

Leia também:

Haddad diz que baixaria em campanhas de Serra “é genética”

Serra diz que Marta ganhou cargo por falar mal dele

Donato: Foco do PT é mostrar o que Serra-Kassab prometeram e não fizeram

Barão de Itararé: Querem sufocar a blogosfera

Datafolha: Rejeição a Serra lidera em todos os cenários

Santayana: Em nenhum governo agentes públicos enriqueceram tão rápido quanto no de FHC

Saul Leblon aplica a matemática de Bill Clinton ao Brasil

Eduardo Guimarães: A farsa do vídeo

Santayana: O beijo de morte na campanha de Serra





7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Saul Leblon: Golpismo age como se não houvesse amanhã « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de setembro de 2012 às 23h56

[…] Bancários em greve: Taxa de retorno de bancos brasileiros é de 11% […]

Responder

Jose Mario HRP

15 de setembro de 2012 às 11h45

Mais uma categoria de trabalhador a ser execrada pela PIG e esse bando de brasileiros desinformados ou mal “formados”, que acham ainda que greve é crime!
Ô CABECINHA RUIM!!!!!

Responder

Bene

15 de setembro de 2012 às 10h20

E porque o meu fundo de acçoes do banco do brasil, nao sobe…?

Responder

    Willian

    15 de setembro de 2012 às 20h33

    Volta para a caderneta de poupança. Você está investindo sem saber no que está investindo, vai perder dinheiro. O rendimento de seu fundo nada tem a ver com a rentabilidade do banco. Informe-se.

Julio Silveira

14 de setembro de 2012 às 21h38

Brasileiro é muito bonzinho, e governo brasileiro também. Aposto que vão ser contra os bancários, principalmente se alguns ficarem impedidos de fazerem seus depositos. Os banqueiros sabem como agradar os Brasileiros, e seu governo. Entrem na fila por favor.

Responder

Mardones Ferreira

14 de setembro de 2012 às 16h41

Calma, gente. A Dilma ainda espera pela boa vontade dos executivos dos bancos para que ajudem no crescimento da economia, cortando seus ‘spreads’ e praticando níveis, digamos, civilizados.

O governo federal, coitado, não tem outra coisa a fazer a não ser esperar a boa vontade dos privados bancos.

É assim: ajudar as empresas a faturar mais, com cortes de tributos, financiamento a perder de vista, cortes de obrigações trabalhistas devidas pelos patrões, salário mínimo digno da denominação ‘mínimo’ e espera, muita espera.

Medidas como imposto sobre lucro dos bancos, aumento da concorrência no setor, nacionalização do sistema bancário ou separação das carteiras, nem pensar!

Responder

    Renato

    17 de setembro de 2012 às 10h41

    Senhores, o que é para a esquerda o aumento da concorrência no setor? Criar empresas estatais? Sou contra. Ainda prefiro mil vezes monopólio Privado do que empresa estatal, com funcionáriós públicos va….


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding