VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

Bancários repudiam declaração de Felipão


29/11/2012 - 17h50

da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT)

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) repudia a declaração do técnico Luis Felipe Scolari sobre o trabalho dos bancários do Banco do Brasil, feita na entrevista coletiva desta quinta-feira 29, no Rio de Janeiro, ao reassumir o posto de treinador da Seleção Brasileira.

Ao afirmar que, “se não tiver pressão, vai trabalhar no Banco do Brasil, senta no escritório e não faz nada”, Felipão não apenas desrespeita os trabalhadores bancários, como demonstra total desconhecimento sobre a realidade do trabalho no sistema financeiro nacional.

Cerca de 1.200 bancários são afastados do trabalho mensalmente, por razões de saúde, vítimas do assédio moral e da pressão violenta para que cumpram as metas abusivas de produção e vendas impostas pelas instituições financeiras, inclusive o Banco do Brasil.

Luis Felipe Scolari começou mal como novo técnico da Seleção Brasileira. Esperamos que ele não esteja tão desatualizado sobre futebol quanto está sobre as relações de trabalho nos bancos.

Carlos Cordeiro

Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT)

*****

Rio de Janeiro, 29 de novembro de 2012.

NOTA DE REPÚDIO DOS BANCÁRIOS DO RIO 
À DECLARAÇÃO DE FELIPE SCOLARI 
SOBRE OS BANCÁRIOS DO BANCO DO BRASIL

O ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol e novamente seu treinador, Luiz Felipe Scolari, é o mesmo responsável pela armação do atual time do Palmeiras que acaba de cair para a Segunda Divisão, embora tenha pulado antes fora do barco. Na posição que ora assume, fruto de um complô interno com os cartolas da CBF, deveria conhecer melhor o trabalho e a participação dos 500 mil bancários brasileiros, em especial os do Banco do Brasil, na construção de uma economia mais sólida e respeitada em todo o mundo.

No Banco do Brasil seus funcionários têm feito verdadeiros gols de placa. Apesar da redução dos juros do BB em benefício da população, conseguiram levar a instituição a conquistar um lucro lucro líquido de R$ 8,347 bilhões nos nove primeiros meses de 2012, fazendo os ativos da empresa chegarem a R$ 1,1 trilhão ao final de setembro. Resultados alcançados mesmo tendo de trabalhar sob pressão e com assédio moral, obrigados a cumprir metas muitas vezes inatingíveis, o que prejudica sua saúde.

Lamentamos a declaração irresponsável do técnico Felipão a respeito dos bancários do Banco do Brasil, que, segundo ele, sentam no escritório para nada fazer. Felipão, que faz elogios públicos ao sanguinário ex-ditador chileno Pinochet, pisou na bola outra vez, após mentir ontem à imprensa, ao afirmar que jamais teve contato com a atual direção da CBF visando à sua contratação. Aliás, instituição presidida por um ex-deputado que apoiou a ditadura militar e que, em pronunciamentos à época, na Câmara Federal, denunciou “jornalistas de esquerda na TV Cultura de São Paulo”, o que culminou na prisão e, a seguir, na tortura e no assassinato do jornalista Vladimir Herzog, um herói da resistência democrática brasileira.

Torcemos pelo Brasil e fazemos votos de que o técnico da segundona tenha sorte ao comandar uma seleção de primeira.

Almir Aguiar

Presidente do Sindicato dos Bancários do Município do Rio de Janeiro

Leia também:

Marcos Coimbra: A história do mensalão faz água por todos os lados

Lincoln Secco: A guerra contra a esquerda no Brasil

Rodrigo Vianna: Inglaterra investiga crimes de imprensa; no Brasil, não pode: seria “revanchismo”!

Mauricio Dias: Roberto Gurgel volta a atacar

Santayana: Julgamento da AP 470 corre o risco de ser um dos erros judiciários mais pesados da História

PT: STF não garantiu amplo direito de defesa, fez julgamento político e desrespeitou a Constituição

Nassif: Por que o ministro Ayres Britto se calou?

Marcos Coimbra: A pretexto de ‘sanear instituições’, o que a mídia e o STF desejam é atingir adversários

Leandro Fortes:Trâmite do mensalão tucano desafia a noção de que o Brasil mudou

Lewandowski: “A teoria do domínio do fato, nem mesmo se chamássemos Roxin, poderia ser aplicada”

Jurista alemão adverte sobre o mau uso de sua “Teoria do Domínio do Fato”Patrick Mariano: Decisão do ministro Joaquim Barbosa viola a Constituição e as leis vigentes

José Dirceu acusa Joaquim Barbosa de “populismo jurídico” e diz que “não estamos no absolutismo real”

Bernardo Kucinski: Macartismo à brasileira

Ramatis Jacino, do Inspir: O sonho do ministro Joaquim Barbosa pode virar pesadelo

Comparato: Pretos, pobres, prostitutas e petistas

Dalmo Dallari critica vazamento de votos e diz que mídia cobre STF “como se fosse um comício”

Rubens Casara: “Risco da tentação populista é produzir decisões casuísticas”

Luiz Flávio Gomes: “Um mesmo ministro do Supremo investigar e julgar é do tempo da Inquisição”



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


67 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Tiago Ripa: Classe “C”, de Corinthians « Viomundo – O que você não vê na mídia

19 de dezembro de 2012 às 20h17

[…] Bancários repudiam declaração de Felipão […]

Responder

Juíza suspende demissões no Santander; multa de R$ 100 mil/dia se descumprir « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de dezembro de 2012 às 22h35

[…] Bancários repudiam declaração de Felipão […]

Responder

romu

03 de dezembro de 2012 às 00h41

Já trabalhei no Banco do Brasil e sei que o que passa na cabeça do Filipão é o mesmo equívoco que passa na cabeça de muita gente. Certa vez, fui procurado por um empresário emergente que queria abrir uma conta e fazer algumas aplicações. Ao me perguntar qual pacote seria melhor para ele, disse: “o que pode te proporcionar maior equilíbrio entre rentabilidade, liquidez e segurança é esse. Entretanto, para o banco, seria mais interessante que você investisse nesse outro”. O empresário, espantado, me perguntou porque ele iria então aplicar em algo que seria melhor para o banco em vez de melhor para ele mesmo. Disse que o outro pacote não era tão ruim e que, a longo prazo, o banco poderia reconhecer e oferecer-lhe alguns descontos em taxas de administração, por exemplo. O empresário preferiu fazer um mix. O meu chefe, ouvindo a conversa, me “delatou” para o gerente dizendo que eu estava agindo contra os interesses do banco.
O gerente me xingou até, rs: “maldito delegado sindical. Já não basta insuflar os outros funcionários, agora dá prejuízo para o banco e blá, blá, blá”. Um tempo depois, veio uma greve dos bancários em que tivemos 90% de adesão na agência em que eu trabalhava. Finda a greve, fui procurado pelo tal empresário que me disse: “a greve de vcs me deixou p… Só não fechei minha conta porque gostei da sua sinceridade”. Não resisti e contei o que havia acontecido comigo por causa daquela sinceridade. O empresário se indignou e foi ao gerente protestar em minha defesa. O incrível é que o gerente o escorraçou falando que se era para defender “sindicalista insubordinado”, não fazia questão que o empresário mantivesse negócios com a agência “dele” (sic). Resultado: o empresário fechou a suculenta carteira que tinha no banco e saiu esbravejando e prometendo falar mal do Banco do Brasil para todo mundo. É a cúpula que sempre difamou o próprio banco.

Responder

xacal

30 de novembro de 2012 às 15h04

Se não der certo na seleção, felipão vai fundar um novo clube: os WASP, White Anglo-saxans of São Paulo!

Um palpite para o local do estádio e sede (anti)social do novo clube.

Responder

Teco

30 de novembro de 2012 às 13h17

O Scolari com essa frase coroa sua ignorância, e prova que temos
muito ainda a investir em educação. Pois provou cabalmente que
lhe falta mesmo é E..SCOLARIDADE,para ocupar um cargo deste.

Responder

    morgana profana

    30 de novembro de 2012 às 13h39

    Teeeco, lindo. Neste quesito titia vai discordar de você.

    Tem muuuuuuuuiiiita gente aqui escolarizada falando mais bobiça que o troglô dos pampas.

    Já leu gil roxa leandro e lulipe, o trio ternura?

    E o merval? e o jabour? E o Ali Kamel?

    Xente, não é uó este pessoal letrado falando tanta m.?

Edno Lima

30 de novembro de 2012 às 12h38

A nota do Presidente do Sindicato dos Bancários do Município do Rio de Janeiro conseguiu, de longe, ser mais estúpida do que a declaração do Felipão. É coisa de fofoqueiro!!!

Responder

JC Tavares

30 de novembro de 2012 às 12h09

FELIPE SCOLARI = BORIS CASOY = DONOS DE MÍDIA = CARTOLAS

Esse quarteto tem algo em comum. Detestam trabalhadores, povo humilde e dignidade, palavra que não faz parte do vocabulário deles. Tanto que Felipão abandonou o barco na hora em que o Palmeiras mais dele precisava.Porque será que ele não se referiu ao patronato que fica em seu pomposo gabinete, enquanto os que suam a camisa dão o sangue pra que eles fiquem mais ricos. Esse quarteto é de embrulhar o estômago até de avestruz.

Responder

H. Back™

30 de novembro de 2012 às 11h59

Sob o comando do Felipão, tenho a estranha sensação de que o Brasil já começou a perder a copa de 2014.

Responder

Rafael

30 de novembro de 2012 às 11h56

O pronunciamento do sindicato conseguiu ser muito mais desrespeitoso do que a declaração do Felipão, com a agravante de ter sido feito por escrito, com tempo para a devida reflexão. Omitiu também que ele ganhou a Copa do Brasil e classificou o Palmeiras para a Libertadores 2013. E as teorias conspiratórias…, bem, nem vale a pena comentar.

Responder

H. Back™

30 de novembro de 2012 às 11h27

Alguém tem que avisar – e rápido – pro Felipão se ocupar exclusivamente com FUTEBOL e não com política.

Responder

MariaC

30 de novembro de 2012 às 10h52

Nossa! ainda existe esse tipo de declaração pública!

Bem, ele é um brasileiro que se acha italiano, como a maioria dos descendentes de italianos que deixaram a Itália passando fome e miséria total de esperança, e nascidos aqui, tratam logo de tirar o passaporte italiano, para serem humilhados na Itália,jogar alguma sujeirinha no chão, e voltar contando vantagem.

Responder

assalariado.

30 de novembro de 2012 às 10h32

Para o Sr. Galo Depenado pelo apito;

Pelo jeito o seu cerebro está encabrestado pelo capital, vai na mesma linha do manipulado Felipão. Acho que o senhor é tipico midiotizado, que a midia burguesa gosta de dar voz e espaço no horário “nobre” nos seus telejornais. Devido que, pelo jeito o Sr. nunca foi assalariado e muito menos trabalha 44 horas semanais. Logo, ve -se que sua visão de mundo é de gente mesquinha, quando dizes que não tens nada haver com a luta do capital x trabalho.

Quando diz:

“Eu não comentei sobre os BANQUEIROS, mas sobre os BANCARIOS, que os UUSUARIOS não tem nada com isto sobre suas diferenças!”

O Sr. tem a visão de senso comum que a imprensa do capital, nos impõe e que, a culpa das coisas ruins, que acontecem no dia/ dia do nosso povo é do próprio povo. Nunca paramos analisar onde está a verdadeira raiz dos sofrimentos sociais, e dos explorados da nação. Voce como a maioria do povão, jogam a culpa do mau atendimento publico (no geral), em cima dos assalariados, e não, nos patrões que, em nome de seus lucros demitem funcionários das empresas publicas ou privadas, para que, os que ficam na linha de produção (seja qual for o ramo empresarial, bancos, mercados,…), trabalhem em dobro pelos mesmos miseros salários.

Inclusive, por esses dias estava eu na fila do banco Itau e o pessoal começou a falar mau dos caixas que atendiam, e a demora para nos atender, foi que perguntei: quantos caixas o banco tem, e quantos estavam abertos para nos atender? Ou seja, dei um cala boca no povo por motivo de que, dos 8 caixas existentes, só 3 estavam abertos ao publico. Pelo jeito, desconheces totalmente o que é o mundo do trabalho e, portanto, nada sabe o que é a luta dos assalariados pela sua libertação do jugo da burguesia patronal, seja da cidade, seja do campo. Entendeu onde está o problema?

Com respeitos.

Abraços.

Responder

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 11h41

    Assalariado,

    Eu acho que você vai ter que desenhar…

LEANDRO

30 de novembro de 2012 às 09h58

Certíssimo. O pior atendimento entre os grandes bancos é o do BB. Chega a ser patético você ficar na fila um tempão e na hora de ser atendido o funcionário se acha no direito de uma pausa para um cigarrinho ou comentar a novela com o colega ao lado. Faz isso num banco privado…

Responder

    Jorge Portugal

    30 de novembro de 2012 às 11h34

    Concordo!!!! Eu fiquei mais de 1 hora esperando aparecer alguém para me atender no Banco do Brasil, pois eu precisava fazer um deposito judicial que não se faz no caix. Era funcionário para lá e pra cá, ia para o telefone, juntava uma turma em volta da mesa, eu esperando, até uma hora que eu não aguentei e dei um grito lá dentro, em menos de um minuto uma dona resolveu me atender, infelizmente tive que voltar no outro dia e pensava que ia ser diferente, foi à mesma coisa. Bando de desocupado e que não tem quem fiscaliza, se você reclamar eles mandam procurar o gerente, então você faz, mas o gerente tá em casa.

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 12h28

    Uau, genial.

    Para que gastar tanto tempo e dinheiro com Banco Central e suas instruções normativas, Tribunais, sindicatos que debatem a eterna luta entre patrões e empregados, e toda sorte de freios, contra-pesos, direitos, deveres, mercado e o escambal.

    É só levar o Jorge aos bancos e pronto! Um grito, e voilá, atendimento-padrão!

    Problemas nos processos ou qualquer outro problema mais grave. Dê-lhe uma arma.

    Sempre há uma solução de “força” disponível! O problema é o julgamento dele, mas nada é perfeito, né não!

    Então gente: quando algo te incomodar, grite, berre, bata…nunca procure as causas, nem estude saídas racionais…só esteja preparado para levar o troco!!!!

    rs.

    morgana profana

    30 de novembro de 2012 às 13h20

    Joooooooorxe!

    Promete que vai gritar assim com titia, prometchi?

    Eu me visto de bancária, faço o balanço e tiro sua liquidez bem devagar, só para você ficar loooooooquinho.

    Adoro o tipo classe média brucutu. São recalcadinhos, cheios de não toque aqui, nem toque ali, mas depois de uns birinaites, soltam as frangas.

    Por trás deste truculência toda sempre tem um bom minino…come na mão, mininas, acreditem.

    Jorge Portugal

    30 de novembro de 2012 às 18h59

    Geralmente quem defende essa gente é porque está na mamata e sabe que estou com razão. Bando de desocupado para não dizer outro nome. Não gosto de FHC, mas, a coisa que eu sinto muita raiva em seu governo foi não tem privatizado a Caixa e o Banco do Brasil, mas do jeito que o PT vai, eles voltam e meu sonho vai se realizar.

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 21h30

    Depois desta, dizer mais o quê?

    Bom, pelo menos o jorge foi sincero. Desastradamente sincero, mas foi. Mas um que não resiste ao debate, e mostra a verdadeira cara por detrás daquela chorumela pelo “atendimento”, etc e tal.

    Eu, jorge, não te considero portador de uma deficiência moral incurável por discordar de mim, mas apenas um pobre desinformado.

    Do meu modo de ver, e eu não sou desocupado, nem vivo em nenhuma mamata(como aquela que o presidente da PREVI fez para ffhhcc na privatização das teles, lembra, aquele troço de “no limite da irresponsabilidade”?), e entendo que o BB e a CEF não precisam ser privatizados, ao contrário, precisam ser re-estatizados de vez, para voltarem a ser, totalmente, instrumentos de intervenção estatal no mercado financeiro e na indução dos investimentos, e equilibrar as assimetrias do sistema, como foi feito em 2008/2009, evitando a contaminação das instituições bancárias pela crise subprime internacional.

    Em outras palavras para você entender: reparar as cagadas que o mercado privado faz.

    Ou como fizeram agora, baixando o spread (você sabe o que é spread, não?) e as taxas bancárias oferecidas aos clientes.

    Estas medidas, só podem ser realizadas se o governo dispõe de ativos(bancos).

    O próximo…

Fabricio Britto Goyannes

30 de novembro de 2012 às 09h40

A declaração do atual técnico da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari, foi lamentável. Sou funcionário do Banco do Brasil e afirmo que a pressão hoje em cima de toda categoria bancária (ao contrário do que o “Felipão” acha) é brutal. Os números de adoecimentos e mortes causados por doenças cardíacas e psiquiátricas são cada vez maiores. Importante frisar que o setor bancário é um dos que mais lucram no mundo. Os banqueiros e, no caso do Banco do Brasil o patrão é o governo, diga-se de passagem, cumprem o papel nefasto de enriquecer às custas do massacre aos trabalhadores e clientes.
Lamentável uma empresa bicentenária, que faz parte da história do país e carrega inclusive o seu nome, tratar de forma desumana seus funcionários.
Peço a solidariedade da imprensa brasileira para um fato que está acontecendo atualmente no Banco do Brasil, que é a reestruturação nas áreas de apoio a nível nacional, os CSL’s e CSO’s. Uma redução brutal de inúmeros postos de trabalho pelo país, imapctando a vida de centenas de famílias.
Abraço,

Fabricio

Responder

Mardones Ferreira

30 de novembro de 2012 às 09h31

Pensei nessa reação ontem. Ainda bem que o sindicato reagiu. Respeito e educação nunca é demais para ninguém.

Ser grosseiro para passar uma ideia de firmeza é um artifício deplorável. Ainda mais quando vem acompanhado de generalizações.

Como alguém disse acima, ele perdeu uma excelente chance de ficar calado. Imagino se tivesse a Copa do Brasil e o Brasileirinho juntos. Teria mandado matar todo servidor público.

Responder

xacal

30 de novembro de 2012 às 08h50

Meus deus!

Felipão é um idiota e cretino? Claro!

Agora eu pergunto: O que me interessa a opinião de um “técnico de futebol”?(ãh?, o que é isto mesmo, um adestrador de palhaços e equilibristas?).

Tenham paciência, o que ele expressou está em boa parte das mentes limitadas da classe mé(r)dia, que engole (alguns com gosto masoquista) a tese da superioridade e eficiência do setor privado em detrimento da coisa pública.

Pobres coitados. Sequer entendem que se tratam de parâmetros diferentes, ainda que no caso do BB e dos sistema financeiro, de fato, o Estado esteja incorporando e disputando um espaço eminentemente privado.

Talvez aí esteja o mote: O BB se torna cada vez pior quando assume para si os valores privados, e não o contrário.

Enquanto isso, os idiotas mofam nas filas da Unimed, ou esperam meses para marcar um exame(o ruim é o SUS não), pagam pequenas fortunas anuais para isto, ou “gozam” com a “qualidade” da telefonia privada móvel, e depois entopem os “procons”(este tipo de engana trouxa chamado “defesa do consumidor”) porque a Justiça sequer dá muita atenção (e indenização) as quebras de contratos, tudo para beneficiar as corporações privadas e seu “passivo jurídico”(fica mais barato pagar indenizações chulas determinadas por juízes complacentes em juizados já “tabelados” pelas varas especiais a consertar os procedimentos que geram as queixas).

Mas repito: Felipão é um idiota, mas para lidar com um negócio tão idiota(mas tão apaixonante) como o futebol e seus “artistas”(na maioria mal conseguem andar em duas pernas) tá de bom tamanho.

E lembrem-se: no mundo, ele é um vencedor! Perdedor é quem pensa antes de falar!!!!

Responder

    Jose Mario HRP

    30 de novembro de 2012 às 09h48

    SENSACIONAL!
    CLASSE MÉRDIA!

Ana Paula

30 de novembro de 2012 às 07h39

Algumas outras declarações de Felipão:

1) Sobre o Pinochet:

“Luiz Felipe Scolari: Eu quis dizer que o Pinochet fez muita coisa para o Chile, iniciou uma nova etapa no Chile. Agora, quantos que ele matou lá no estádio, eu não sei. Para chegar num ponto bom, num ponto que o Chile cresceu, alguma coisa tinha que ser feita, foi ele. Iniciou, fez a parte boa, fez a parte ruim, a parte ruim eu não conto, eu só conto a parte boa. Eu fiz um elogio de que foi assim.

2) Sobre a possibilidade de um regime autoritário no Brasil:

Juca Kfouri: Mas o Brasil não está precisando de alguém como ele nesse momento?

Luiz Felipe Scolari: Olha, as pessoas ficam bravas comigo, mas eu digo uma coisa: Liberdade, liberdade. Democracia com esculhambação, faz o quê? Às vezes é bom dar um “pára, te quieto” e vamos fazer isso, daqui para frente vamos ver o que vai acontecer.”

3) Sobre racismo:

“Luiz Felipe Scolari: É claro, está bom, dá liberdade. Hoje, no Brasil, tu não podes falar uma palavra qualquer porque é racismo, tu não podes falar uma outra, porque se tu falares é processado, falar em homossexual está processado, falar preto é processado.
Paulo Markun: Como que você vê o caso do Grafite [referindo-se ao caso de racismo que o jogador Grafite, então do São Paulo, havia sofrido do jogador argentino, Leandro Desábato, em campo]?
Luiz Felipe Scolari: Besteira absoluta.
Paulo Markun: De quem?
Luiz Felipe Scolari: De todos. Maior palhaçada.
Ruy Carlos Ostermann: De todos?
Luiz Felipe Scolari: De todos claro, porque dentro de campo pode chamar de quê?
Ruy Carlos Ostermann: Isso é sabido.
Luiz Felipe Scolari: Pode chamar de que dentro de campo? Quer que eu diga que pode chamar?
Ruy Carlos Ostermann: Não, não, não, o Markum não deixa.
Luiz Felipe Scolari: Pode chamar de tudo, só não pode chamar de quê? De preto. Besteira, besteira, está dentro de campo é outra vida, os caras levaram isso aí… Palhaçada, palhaçada total.”

Calado é um poeta!

Responder

Jose Mario HRP

30 de novembro de 2012 às 05h38

Essa anta fascista só podia fazer esse tipo de coisa!
Admirador de Pinochet só fala m…….
Vamos fazer fiasco na Copa!

Responder

Alexandro Rodrigues

30 de novembro de 2012 às 05h13

Certamente o Felipão vive em outro país não é mesmo minha gente…

Os funcionários da Caixa e do Banco do Brasil são altamente qualificados e gentis e atendem a população com toda educação e atenção que ela merece, afinal somos nós que pagamos o seu salário.

Todo idoso ou idosa que vai a algum posto da Previdência Social sai de lá mais do que contente não só pela rapidez e eficiência no atendimento, bem como pela forma polida e respeitosa que os funcionários desempenham essa especial função tendo em vista este mais do especial público: os idosos e idosas do Brasil que ajudaram com seu trabalho a construir a riqueza do país.

Com certeza policiais, professores, médicos e enfermeiros no Brasil estão entre os mais dedicados profissionais públicos.

Policiais no Brasil não são máquinas de matar gente jovem, pobre e preta!

Professores, ahh os professores, honram sua missão de formar intelectualmente as novas gerações. Não, eles não entram em greve, e quando o fazem é somente para pressionar o Estado à garantir mais investimento ao ensino público. Não, se tentarem comprá-los com um aumentozinho no percentual de rendimentos eles não aceitam. O que importa é qualidade de ensino para as crianças e jovens do Brasil. Eles são uns heróis!

Médicos e enfermeiros, profissionais da nobre área da saúde, esses são outros valentes. Desbravam sertões para ajudar os que mais precisam. Não se rendem as investidas das empresas de planos de saúde e farmacêuticas. A nobre missão de ajudar o próximo é que interessa.

Acho que eu também estou falando de outro país, sei lá, talvez a Finlândia!

Falar a verdade, ainda mais usando uma pitada de ironia, virou crime de morte no Brasil!

Responder

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 10h21

    Alexandre, desculpe eu te decepcionar, mas:

    Houve um tempo, quando eu tinha 06 ou 07 anos, que eu acreditava que poderiam existir servidores públicos, médicos, policiais, professores, etc, cordiais, pacíficos, e eficientes em uma sociedade violenta, excludente, preconceituosa, que acha normal morrerem tantos pretos, pobres, mulheres agredidas, etc.

    Eu acreditava em plano de saúde! E que o SUS era uma merda! Acreditei também que meu carro custava três vezes mais que na Europa por causa do “custo Brasil”, veja só. E na Europa, o imposto sobre veículos e a mão-de-obra dos trabalhadores do setor é bem maior, como pode?

    Acreditei que pudéssemos ter uma política de segurança cidadã.

    Mas veja, tem cidade que até elege vereadores e deputados afinados com esta agenda de “extermínio” como método oficial. Tem coronel da ROTA vereador, deputado “cidade-alerta”.
    Será que este pessoal se elegeu com os votos dos marcianos?

    Houve um tempo que eu pensei que a corrupção fosse coisa de político, e só. Nós somos os mocinhos, e eles eram os bandidos.
    Não tinha nada a ver com o caráter dos eleitores. Com o nosso caráter.

    Olha, eu acreditava em democracia racial que o Ali Kamel fala, e acreditei até que nós somos fruto de uma miscigenação racial consentida, como se houvesse consenso possível entre o chicote e o pelourinho e a senzala.
    Ou entre o quartinho da empregada e o filho do patrão!

    Houve um tempo que eu imaginei que só dentro do BB ou da CEF é que os velhos, pensionistas, enfim o público devessem ser tratados com cordialidade, embora na fila todo mundo resmungasse com a “tal prioridade”, e só lá fora da agência as calçadas estivessem sem rampas para deficientes, os velhos fossem abandonados nos pontos por motoristas de ônibus(de empresas privadas, não?) carros em cima das calçadas, e toda sorte de deseducação e péssimos modos, e mais: Uma ausência total de políticas de diminuição de dificuldades para acesso a locais públicos e mobilidade urbana.

    Eu acreditei nestas “ilhas de excelência”, nestes “territórios neutros”. Nesta época eu acreditava que podia pedir qualquer coisa a papai noel, e tudo tinha que ver só com meu comportamento, e não com o poder aquisitivo de meus pais.

    Pois é…

Jorge Portugal

30 de novembro de 2012 às 00h16

Felipão tá certíssimo!!!! Quer moleza vai trabalhar como funcionário publico, Melhor, no banco do Brasil.

Responder

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 10h07

    Hu-hum. O concurso então, é uma moleza! Duro mesmo é trabalhar no Cruzeiro do Sul, ou deve ter sido duro trabalhar no Econômico.

    Pobre gente “qualificada”, escolhida “à dedo” das mãos invisíveis do mercado, que mesmo recebendo oceanos de dinheiro público(alguns casos, com fraude) não dão os resultados “moles” do BB e da CEF.

    Ahhhh, deve ser porque o paquidérmico e lento Estado não é um bom gestor, e deveria ter dado mais dinheiro aos bancos privados ao invés de ter seu próprio banco…entendi.

    Assim como policiais, médicos, professores, etc. Todos na moleza! Todos incompetentes.

    Bom mesmo é o critério de escolha de empregados que torna planos de saúde, seguradoras, empresas de telefonia as campeãs em reclamações.

Luiz

30 de novembro de 2012 às 00h03

Felipão perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado.

Responder

Adilson

29 de novembro de 2012 às 23h56

Um fascita no comando do time que uma entidade fascista se apropriou e pintou de amarelo.

Tá tudo nos conformes no futebol brasileiro

ps:Quanto ao futebol, a bola jogada, que é o que interessa, agora finalmente os brasileiros terão a oportunidade de conhecer quem é ele de fato: Um “raio com Rivaldo e Ronaldo” não cai duas vezes na mesma cabeça dura.

Responder

ricardo silveira

29 de novembro de 2012 às 23h14

Felipão é aquele que certa vez elogiou o Pinochet, então tá certo, Felipão, Marin, os fascistas se entendem. Mas fascismo não tem nada com o futebol jogado no campo, e isso explica porque o Palmeiras foi rebaixado para a segunda divisão.

Responder

Sr. Indignado

29 de novembro de 2012 às 22h38

Se toda vez que eu fosse maltratado pelo Banco do Brasil eu fizesse uma carta de repúdio, eu não faria outra coisa.

A propaganda é linda, mas seus funcionários, na maioria, dão informações erradas e não se reponsabilizam pelos erros, você quem paga, fazem um monte de propostas enganosas e sabem que você vai se ferrar, mas primeiro os deles.

O Felipão tá errado mesmo, eles trabalham, trabalham para te ferrar.

Responder

    Scan

    30 de novembro de 2012 às 00h31

    Experimente o Santander, Bradesco ou Itaú. Tudo atendimento de primeira…
    Talvez você fique um pouco mais indignado, mas terá aprendido alguma coisa.

    Sr.Indignado

    30 de novembro de 2012 às 08h35

    Scan… Scan … Scan…
    Sempre fui bem atendido nestes bancos, mas suas taxas e juros são altos, mas sempre me explicaram quando pedi e sempre se responsabilizaram pelas informações.

    Além diso, eles não são obrigados a usar o slogan “País Rico é um País sem pobreza” ou “Brasil, um país de todos”.

    Já o Banco do Brasil e a Caixa, são bancos do governo. Não deveriam ter um caráter social mais pujante? Não deveriam ter mais responsabilidade com o público? Porque o Banco do Brasil é um banco de ricos?

Galo Depenado Pelo Apito

29 de novembro de 2012 às 22h18

Vida mansa quem tem é o Felipão…ganhou a Copa do Brasil, pediu reforços, não foi atendido, e a cupula do Palmeiras o mandou embora, para tirar o deles da reta e colocou o porco çerrano na 2ª divisão, para onde também irá o Bahia de ACM.E quanto aos bancarios, que gostam de chamar clientes por “numeros”, devem ter horror pelos “numerarios” do Felipão. Tomem, senhores!

Responder

lulipe

29 de novembro de 2012 às 22h15

Não vi nada aqui sobre a morte do grande jornalista Joelmir Beting, será por que ele disse que, “O PT era, de fato, um partido interessante.Começou com presos políticos e vai terminar com políticos presos”.???

Responder

    M. S. Romares

    30 de novembro de 2012 às 02h06

    Grande pra voce que é muito pequeno.

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 08h53

    Soube que a viúva tá contratando carpideira. Têm preferência as viúvas de ffhhcc, vivandeiras de quartel, teóricos aposentados do neoliberalsimo, e sócios do instituto millenium, e outros tipos de mesmo “curriculum”.

    Ah, tem também vaga para “os amigos do boris casoy”.

Pedro luiz

29 de novembro de 2012 às 22h01

Já cansei de ouvir que o futebol foi usado pela ditadura militar na conquista de 70.Estamos na democracia da corrupção da cartolagem da CBF, onde o corrupto A quer tirar o B e vice-versa.Uma “paixão” nacional que virou politicagem, scanagem e muito, mas muito dinheiro. Felipão e seus comandados são os ricos do futebol.Quanto ao comentário sobre os bancários, vocês esperavam o que do Felipão? o dele tá garantido.

Responder

Luana

29 de novembro de 2012 às 21h58

Putz… tá ficando difícil viver neste país.
Não vi nada de mais no que o Felipão falou.
Fui bancária por 15 anos e concordo com ele.
É um emprego fixo, sem a mínima emoção, rotineiro e pacato.

Agora não se pode nem falar nada que lá vem a turma dos recalcados.
Ah, chega, né? Vamos ser mais livres, este politicamente correto já passou dos limites. Dá vontade de ir morar no mato e ser eremita. CREDO.

Responder

    M. S. Romares

    30 de novembro de 2012 às 02h10

    Quer dizer que VS passou 15 anos tornando um inferno a vida dos correntistas? E quando descobriram, o que aconteceu? Conta pra gente.
    Ah, se for morar no mato não se esqueça de levar a danuza coringa leão com voce.

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 09h12

    M.S,

    Descobrimos, foi a Luana que deve ter atendido o Felipão!

    Santo deus, eu não consigo entender que as pessoas sejam incapazes de diferenciar as instâncias onde são ditas as coisas, e pior, quem diz as coisas.

    Se você faz uma piada sobre o morto no velório dele, vai esperar aprovação? Só se for um idiota.

    Como um treinador de uma seleção brasileira(que neste país ainda recebe atenção de “jornalistas” para falar asneiras deste tipo)fala mal de uma categoria que trabalha no Banco que leva o nome da seleção que dirige?

    Sendo a seleção brasileira(hoje bem menos, é verdade)a representação em nosso imaginário mais próximo da noção de coletividade e coisa pública?

    Ninguém está fora do alcance das críticas. Nenhuma instituição ou categoria.

    Mas estas críticas ditas em tom generalizante, ainda que sob a informalidade(autoritária) da ironia geram reações, ou o “técnico”(qual sua especialidade técnica mesmo?) apresentou algum dado ou evidência(além de sua percepção pessoal baseada em senso comum) que valide o que disse?

    E logo ele, que se utilizarmos a mesma metáfora que ele, está mais para “técnico” do Merryl Linch ou do Cruzeiro do Sul, a julgar pelo seu “ótimo” trabalho no Palmeiras, que para presidente do BB.

carlos quintela

29 de novembro de 2012 às 21h31

Este deve ser mais um que não teve sucesso em entrar nos quadros do Banco e vem com estes estereotípos dos tempos do Collor. Scolari começa mal. Aliás, parece estar emendando um insucesso no outro…

Responder

Ana Paula

29 de novembro de 2012 às 20h31

Não se esqueçam de que além de tudo o Felipão é homofóbico:

http://www.pinknews.co.uk/2006/04/28/anti-gay-scolari-rejects-england-job/

Responder

Arthur Schieck

29 de novembro de 2012 às 20h22

Não dá pra entender. Tantos nomes melhores…
a começar por:
Guardiola
Murici
Luxa
até mesmo o Joel.

Responder

    Fernando

    29 de novembro de 2012 às 21h12

    Luxemburgo é filiado ao PT de Tocantins, nunca que o PIG iria aceitar ele.

    lulipe

    29 de novembro de 2012 às 21h20

    Joel????Você só pode estar de brincadeira, caro Arthur.

Jota

29 de novembro de 2012 às 19h44

Desta vez nem as moscas trocaram…

Responder

Indio Tupi

29 de novembro de 2012 às 19h28

Aqui do Alto Xingu, os indios acham que, pensando bem, deram capim para o burro e ele começou a zurrar. Cada Presidente da CBF tem o técnico que merece e este está à altura do passado do Cartola paulista.

Responder

    Paulo Figueira

    30 de novembro de 2012 às 10h45

    Indio Tupi tem razão, a CBF é uma instituição corrupta e fascista

Indio Tupi

29 de novembro de 2012 às 19h17

Aqui no Alto Xingu, os indios repudiam a infame declaração do ex-beque gaúcho, que vem de treinar uma equipe de futebol da primeira divisão, rebaixada para a segunda, pago a peso de ouro, o qual supõe que bancário ganha o mesmo salário de marajá que ele aufere para uma simples jornada diária de 3 horas, em comparação com a categoria trabalhadora dos bancários, cuja jornada é, no minimo, de 8 horas, para um salário médio pouco superior a 3 salários-mínimos, e onde existe o maior índice de suicídios e doenças nervosas. Esse técnico é um cafajeste.

Responder

Jorge Moraes

29 de novembro de 2012 às 19h00

Felipão só é solução como rima.

Pra quem já elogiou o Pinochet, ser criticado pelo Scolari é até honroso.

Uma vez mais, a CBF-Globo resolveu priorizar o simbólico, no caso como simulacro do real: coloca-se o técnico pentacampeão com um coordenador técnico tetracampeão e … zás … ter-se-á uma estrela a mais.

O pseudo-chefe da pseudo-família é mais uma invenção da Globo. Na Copa de 2002, se não tivesse havido pressão – inclusive popular – para parar com a fórmula 4-3-1-2, incluídos Gilberto Silva e Cleberson a partir das quartas, isso sem falar no favorecimento do Brasil no jogo com a Bélgica (oitavas), teríamos entrado pelo cano.

Continuarei torcendo, mas o ímpeto é menor (ainda menor) do que com o Mano. Gostava mais do Décio da Viola.

Santos!

Responder

Marcos Gomes

29 de novembro de 2012 às 18h58

Felipão é um brucutu tupiniquim.

Responder

Evandro Trigueiro Tavares

29 de novembro de 2012 às 18h56

Para quem já teceu elogios a Pinochet…

Responder

Galo Depenado Pelo Apito

29 de novembro de 2012 às 18h38

Assino embaixo, Felipão…começou com o pé direito no comando da seleção!!!!
E a doença que mais atinge bancário é a SINDROME DO TRABALHO VAZIO, que faz com que usuarios de bancos sejam desrespeitados nas filas, no atendimento direto e indireto e pelos senhores gerentes que destratam idosos que recebem beneficios do INSS.

Responder

    Oliveira

    29 de novembro de 2012 às 22h31

    Galo, tanto vc. quanto Felipão não conhecem como funciona o sistema financeiro brasileiro. Os bancos tem lucros astronômicos surrupiando os seus clientes com taxas de juros exorbitantes e tarifas escorchantes. E quanto mais lucram enxugam o quadro de funcionários. E vem um ignorante faz uma declaração infeliz dessa e ainda acha um idiota como vc. para dar apoio.

    Galo Depenado Pelo Apito

    30 de novembro de 2012 às 00h13

    Eu não comentei sobre os BANQUEIROS, mas sobre os BANCARIOS, que os UUSUARIOS não tem nada com isto sobre suas diferenças!

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 09h23

    Galo, eu acho que você não foi depenado pelo apito. Obtusidade é uma doença quase fatal e faz cair penas.

    Observei isto em algumas galinhas aqui da roça. As galinhas mais espertas nunca vão para panela, logo, mantêm as penas e o pescoço, rs.

    Fiote, como diferenciar ou separar a ação sistêmica entre bancários e banqueiros, se os dois são causa e efeito entre si.

    Ora, regimes draconianos de trabalho não geram bom atendimento, urbanidade solidariedade com o próximo, meu caro bípede ovíparo.

    Para fazer a afirmação que você fez é preciso apresentar dados, fazer algum estudo que determine se há, de fato, alguma rejeição de funcionários deste ou daquele banco com esta ou aquela categoria de usuários(pensionistas, etc).

    Fiote, a NOSSA SOCIEDADE, incluindo eu e VOCÊ, tratamos mal velhos crianças, mulheres, pretos, pessoas com necessidades especiais e de acesso, e todo mundo que seja “mais fraco”.

    Nós furamos fila(ou entregamos as contas para o conhecido que está mais a frente na fila), resmungamos para dar prioridade ao mais velhos, geralmente, confinados e segregados naquelas intermináveis filas de idosos, quando a lei MANDA priorizar em qualquer caixa ou box de atendimento, e por aí vai.

    Dê uma voltinha, fiote, VEJA as calçadas sem rampas, veículos nas filas dos idosos e deficientes, mulheres grávidas em pé nos ônibus, cruzamentos fechados por motoristas mal educados, 50 mil mortos por ano nos incidentes de trânsito, etc.

    Fiote, se é verdade que alguns ouvem o galo cantar sem saber onde, há galos que cantam sem saber o porquê. É o seu caso. Cuidado com a panela.

    Galo Depenado Pelo Apito

    30 de novembro de 2012 às 10h14

    Oh, Xacal, que meda senti de voce…que meda…zurra como um asno, ri como uma hiena e é sábio como um ministro do STF…felizmente temos mais um “democrata” com a sua sapiencia para julgar, ter dominio de fato e condenar a sua vontade…viva a blogosfera…viva o Xacal!

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 11h40

    Galo, você não precisa sentir “mêda”.

    Eu aprendi(a duras penas…olha aí o trocadilho)algum coisa na internet.

    Há duas formas de sacanear alguém.

    Uma você argumenta, desmonta o que o cara disse, e salpica alguma ironia.

    Na outra, você esperneia, se bate, classifica o outro, e não diz nada sobre o debate em si.

    Pois é.

    Eu iria até agradecer (ou retrucar) seus “adjetivos”, mas cheguei a conclusão que nem precisa.

    É como se a gente fosse discutir com o “cuco”, ou a voz do estacionamento do shopping.

    Desculpe estragar seu “barato” com minha intromissão, afinal você não quer debater banqueiros, bancários, sociedade, Estado, violência, sistema financeiro ou atendimento, etc.

    Seu negócio é só cacarejar, ciscar…e quem sabe, dormir sentado no pau(do poleiro, veja bem, sem homofobia!)

    xacal, ri como asno, zurra como ministro e sábio como a hiena…se você quiser tenho outras tantas combinações…

    E quando quiser também, sobre qualquer assunto, estou pronto para o debate…e pode deixar, se eu não souber o que dizer, te aviso ou pesquiso…te pouparei dos adjetivos sem qualquer relação com o assunto!

    xacal

    30 de novembro de 2012 às 21h33

    Vai, fiote, vai pela sombra. Nós sabemos que você vai só trocar de apelido, e tentar de novo.

    Estamos aqui. Esperando algum argumento…nada ainda, mas esperança é última que morre.

    PS: para debater com alguém como você não é preciso gastar meio neurônio. Fraco!

renato

29 de novembro de 2012 às 18h29

E todos estes jogos que foram feito, vão aproveitar alguem?
Ou a rapaziada pode desistir?
Não vou torçer para a seleção, ela não tem espirito de
companheirismo, não é profissional, é Global!
Mas tomara que assim que passe a Copa. Venha a Lei dos
Medios e acabe com a mordomia da Globo!
Este cara é um ridiculo, O Felipão…
Mas ele não está nem aí. Já ganha o suficiente!!
Ganha mais que muitos funcionários do BB juntos.
E nem é presidente da Republica!

Responder

Julio Silveira

29 de novembro de 2012 às 18h28

Foi uma tremenda rateada do Felipão. É gente boa, mas sua tosquice o faz cometer cada gafe.

Responder

    Bonifa

    29 de novembro de 2012 às 21h36

    Concordamos inteiramente. Certas pessoas ficam furiosas com algum mau atendimento, alguma bobagem, e despejam sua ira quando pegam o microfone. Sinceramente, não queremos alguém “politicamente correto”, que segue as leis do Serra, não fuma nem bebe nem esconde o pensa, como treinador da nossa seleção. Queremos alguém que comande os jogadores e leve o time à vitória, ainda que seja um Patton do futebol. Na hora em que ele vencer, estará perdoado pela multidão de toda a sua grosseria. Treinador não tem que ser exemplo de polidez.

Gerson Carneiro

29 de novembro de 2012 às 18h26

Vida mansa quem tem é o Felipão. Recebeu um baita salário mensal, colocou o Palmeiras na segunda divisão, e ainda foi premiado com o posto de técnico da Seleção (sem obrigação de conquistar o caneco).

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!