VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Zé Dirceu diz que foi envolvido pela mídia em 7 denúncias vazias


29/11/2012 - 08h20

O irresponsável envolvimento de meu nome em escândalos

Por várias vezes em anos recentes, a imprensa vinculou-me a escândalos que, depois de concluídas as investigações, denunciados os responsáveis e finalizados os inquéritos, comprovou-se que eu nada tinha a ver com tais episódios. Meu nome nem sequer figurou como testemunha nestes processos.

Foi assim pelo menos seis vezes: nos casos Celso Daniel; MSI-Corinthians; Eletronet; Operação Satiagraha; Carlos Alberto Bejani, ex-prefeito de Juiz de Fora (MG), do PTB; e Alberto Mourão, ex-prefeito de Praia Grande (SP), do PSDB.

Em alguns desses casos – como Bejani, Eletronet e Satiagraha –, meu nome foi parar no noticiário das TVs. Repito: encerradas as investigações, denunciados os responsáveis e finalizados os inquéritos, comprovou-se que eu nunca tive ligações com nada disso.

Agora, a história se repete.

A partir de declarações de Cyonil Borges, ex-auditor do TCU sob investigação da Polícia Federal na Operação Porto Seguro, que apura denúncias relacionadas a Paulo Vieira (ex-diretor da Agência Nacional de Águas-ANA), de novo sou envolvido.

Gratuitamente. Irresponsavelmente, como das outras vezes. As investigações ainda estão em curso e meu nome já é escandalosamente noticiado como relacionado ao caso.

Não custa recordar que Francisco Daniel, irmão do ex-prefeito assassinado de Santo André, Celso Daniel, fez o mesmo: acusou-me de beneficiário de esquema de corrupção que teria havido em Santo André. Quando o processei por calúnia, ele afirmou em juízo que ouvira de terceiros que eu era o destinatário de recursos financeiros ilegais para campanhas eleitorais do PT.

Francisco Daniel retratou-se, de forma cabal e indiscutível na Justiça. Mas isso praticamente não foi noticiado pela imprensa. E continua sem ser noticiado quando a mídia com frequência volta ao caso Celso Daniel. Ela repete a acusação que me foi feita por Francisco, sem registrar – ou fazendo-o sem o menor destaque – que ele se retratou.

Assim foi em todos os demais casos que lembrei. Envolvem meu nome no noticiário com o maior estardalhaço, mas encerrados a “temporada” e o sucesso midiático do escândalo, silenciam quanto ao fato de nada ter se provado contra mim – pelo contrário, as investigações terem concluído que eu não tive o menor envolvimento com o caso em pauta.

São Paulo, 28/11/2012

José Dirceu

Leia também:

Marcos Coimbra: A história do mensalão faz água por todos os lados

Lincoln Secco: A guerra contra a esquerda no Brasil

Rodrigo Vianna: Inglaterra investiga crimes de imprensa; no Brasil, não pode: seria “revanchismo”!

Mauricio Dias: Roberto Gurgel volta a atacar

Santayana: Julgamento da AP 470 corre o risco de ser um dos erros judiciários mais pesados da História

PT: STF não garantiu amplo direito de defesa, fez julgamento político e desrespeitou a Constituição

Nassif: Por que o ministro Ayres Britto se calou?

Marcos Coimbra: A pretexto de ‘sanear instituições’, o que a mídia e o STF desejam é atingir adversários

Leandro Fortes:Trâmite do mensalão tucano desafia a noção de que o Brasil mudou

Lewandowski: “A teoria do domínio do fato, nem mesmo se chamássemos Roxin, poderia ser aplicada”

Jurista alemão adverte sobre o mau uso de sua “Teoria do Domínio do Fato”Patrick Mariano: Decisão do ministro Joaquim Barbosa viola a Constituição e as leis vigentes

José Dirceu acusa Joaquim Barbosa de “populismo jurídico” e diz que “não estamos no absolutismo real”

Bernardo Kucinski: Macartismo à brasileira

Ramatis Jacino, do Inspir: O sonho do ministro Joaquim Barbosa pode virar pesadelo

Comparato: Pretos, pobres, prostitutas e petistas

Dalmo Dallari critica vazamento de votos e diz que mídia cobre STF “como se fosse um comício”

Rubens Casara: “Risco da tentação populista é produzir decisões casuísticas”

Luiz Flávio Gomes: “Um mesmo ministro do Supremo investigar e julgar é do tempo da Inquisição”

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alessandro Gusmão

30 de novembro de 2012 às 18h59

O partido que transforma bandido em herói já deixou clara sua moral. Para o PT, a mais alta corte do Brasil tem legitimidade para julgar a todos, exceto os petistas. Nesse mundo ideal, os petistas são sempre inocentes, mesmo quando culpados, e seus adversários são sempre culpados, mesmo quando inocentes.

Responder

Julio Silveira

30 de novembro de 2012 às 06h42

Infelizmente, para o Dirceu, ele terá um grande trabalho, junto com seus advogados, para tentar suprimir o que a midia corporativa tem produzido.
Por que eles não inventam, podem até trazer coisas improvaveis, mas elas são de fato citadas nas reportagens como a que eu vi, veja bem eu vi na tv quando o auditor que originou todo esse furduncio, em que chafurdam diversos porcos que atuam no governo, disse que o encanado réu Rubem Vieira citou o nome do zé. Não foi imaginação do reporter, pode ter sido do Auditor, não do reporter da Globo, mas que ele falou, falou.

Responder

Helder

30 de novembro de 2012 às 03h05

Quem manda não ter uma Ley de Medios…

Responder

Gersier

29 de novembro de 2012 às 21h12

Dirceu,elegemos o LULA e a DILMA para dar um basta as fafarrices de demos e tucanóides,mas a covardia petista os deixa fazer o que querem,inclusive caluniar e denegrir reputações.
Fosse aqui,alienados e o PIG estariam dizendo que “os petralhas” querem calar a “imprensa”.
“Depois de meses de investigação e pesquisa, a Comissão Leveson sugeriu a criação de um novo órgão independente para regular a imprensa britânica, após o escândalo das escutas ilegais praticadas por jornais do magnata australiano Rupert Murdoch. O juiz Brian Leveson, responsável pelo relatório, destacou que não é dever do governo ou do Parlamento regular o setor, mas que a Comissão de Queixas sobre a Imprensa (PCC, na sigla em inglês) fracassou em seu papel e que o sistema deve ser alterado. Ele defendeu uma forma mais severa de regulação, respaldada por uma lei de imprensa.

Responder

CARLOS ZÜRCK CRUZ

29 de novembro de 2012 às 21h11

Meu caro Azenha, o blog do Zé Dirceu está sobre ataque de “rackers” provavelmente,não se consegue acessá-lo, vê se você consegue comunicá-lo, não podemos ficar sem a voz da vítima principal desse julgamento injusto, estão tentando fazer isso, abraços!

Responder

Francisco

29 de novembro de 2012 às 18h49

Pois é Dirceu, fez a Lei de Mídia? Não fez? Se lascou e me lascou junto.

QUANDO a ditadura de direita voltar, a Globo vai poder inventar que eu sou terrorista, e eu não vou poder fazer nada.

Poder é para quê? Poder para minar os poderes…

Responder

José Eduardo

29 de novembro de 2012 às 17h18

Para a direita jurássica e sua mídia criminosa Dirceu é e será sempre o boneco de Judas, única forma que conseguem pra bater na esquerda.

Responder

lulipe

29 de novembro de 2012 às 16h20

Estou com uma peninha do Zé Dirceu, tão injustiçado, tão perseguido…Seus admiradores deveriam fazer uma “vaquinha” para ajudá-lo no seu tempo de cárcere.

Responder

    Gersier

    29 de novembro de 2012 às 21h06

    Pois é imbecilizado pelo PIG e cia.Bons mesmos são os santinhos demoniacos e emplumados do bico grande e amarelo que continuam fazendo das suas e aplaudidos pelos que são mrionetados pelos cordões dos tais “barões da mídia” fajuta e podre.
    Que o digam os éticos demóstenes da vida.

juan

29 de novembro de 2012 às 11h35

A esquerda não precisa enfrentar o conglomerado da midia para acabar com ela. O caminho é o bolso. Bastaria cortar as verbas publicitárias e cobrar as dividas destas empresas com o Governo Federal, BNDES, previdência, etc. Mas, infelizmente, além de falar fino o PT passa a mão na cabeça do monstrengo. Todos sabemos que a grande midia é o restolho da ditadura militar. Está mais perdida do que nunca, mas segue fazendo barulho.

Responder

    LEANDRO

    29 de novembro de 2012 às 15h44

    Certo, então empresas amigas do partido teriam tudo e as que fizessem críticas seriam punidas. Que grande aula de democracia. Isso que é a tal lei de medios?

Amigo

29 de novembro de 2012 às 10h55

Vale lembrar também daquela vez quando veicularam que o Dirceu havia dito que existiria “excesso” de liberdade de imprensa no Brasil, (em veja, folha e estadão), até que surgiu o vídeo que mostrava categoricamente que havia sido alguém da platéia que havia dito isso e em resposta Dirceu disse categoricamente que NÃO EXISTE liberdade de imprensa em excesso (exatamente o oposto do que havia sido veiculado), e que havia sim ABUSO por parte da imprensa.

A imprensa nunca se retratou por mais essa mentira…. ou seja, mais um ABUSO foi cometido.

Enfim…
O engraçado é lembrar que Dirceu foi o principal responsável pela aproximação dialogada e amigável da esquerda com forças da direita, e é assim que a direita hoje o trata. A lição a ser tirada é que em períodos de instabilidade são os moderados os primeiros a serem atacados.

Responder

florival

29 de novembro de 2012 às 10h39

O Brasil não é um país desenvolvido com leis de meios como a Argentina.
Sem meios, aqui te comem pelas beiradas da esquerda.

Responder

jairo

29 de novembro de 2012 às 10h23

Daqui a pouco, qualquer mulher que aparecer grávida, vão dizer que o José Dirceu é o pai da criança.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.