VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Arthur Virgílio contra Vanessa Grazziotin: Baixaria e truculência


15/09/2012 - 17h53

por Iram de Sena Alfaia, para o Blog do Altamiro Borges

O candidato do PSDB à Prefeitura de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ex-ministro de FHC, não perde a oportunidade de revelar o lado truculento que lhe caracterizou quando foi parlamentar. Ele chamou a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), sua principal adversária, de farsante. Isso porque um dos seus cabos eleitorais está sendo acusado de cuspir no rosto da candidata, antes de um debate na TV Em Tempo no último dia 11.

O tucano atropelou as principais evidências do caso (fotos e vídeos) para apresentar uma montagem grosseira de fotos sustentando que a candidata havia forjado a agressão. Não teve sucesso. Cometeu um erro primário de ignorar a ação policial durante o acontecimento.

No relatório de ocorrência da Polícia Militar, o principal acusado, apontado por quatro testemunhas, concedeu o nome falso de José Henrique Gonçalves (ele não portava a carteira de identidade). Mais tarde, no seu depoimento à delegada de polícia Sylvia Laureana Arruda da Silva, revelou que se chamava Arthur Macedo Bulcão, contratado como cabo eleitoral da campanha de Arthur.

O acusado, que negou a autoria da agressão, está sendo processado pela candidata por ainda levar ao local uma boneca de bruxa numa clara manifestação para atacar a imagem dela. Ou seja, ao contrário do que diz Arthur, existem fatos e a polícia está apurando o caso.

Outra ação criminal está sendo movida por Vanessa pela débil acusação do tucano dizendo que ela cometeu farsa. Os blogs e veículos de comunicação que deram guarita somente para a versão tucana também serão processados.

Conheça o caso, segundo relato do assessor jurídico Daniel Nogueira

1. As imagens utilizadas para justificar a versão da “farsa” são de MINUTOS DEPOIS DA AGRESSÃO.

As imagens que compõem a teoria conspiracionista de Arthur são todas da candidata Vanessa andando, fora do carro, com resíduos no rosto.

Apesar de debater temas de alta indagação como “em que mão está a caixa de halls” , “olhe como a roupa dela está limpa” e “percebam o confete metálico na testa”, tais imagens são inconsequentes ao fato. Como se verá mais embaixo, no momento em que foi agredida, a candidata estava dentro do seu veículo. Aliás, a agressão ocorreu alguns minutos ANTES que essas fotos fossem tiradas.

2. As imagens verdadeiras mostram que a agressão verdadeiramente ocorreu.

Antes de mostrar o momento da agressão, tenho desde logo que externar minha imensa tristeza em fazê-lo. É degradante ter que publicar essas imagens, que mostram uma mulher, uma senadora da República, numa situação de absoluta humilhação, para provar que a agressão que sofreu foi, de fato, verdadeira. Nenhuma mulher gostaria de tornar públicas imagens como essas.

Não bastasse o vilipêndio de receber um escarrado cuspe nos olhos (o que, convenhamos, é muito pior do que um ovo), a candidata se viu obrigada à nova indignidade de ter que ser exposta naquele momento triste.

A denegação de fatos evidentes não é uma técnica nova. Até hoje os nazistas denegam a ocorrência do holocausto, como forma de legitimar suas odiosas pretensões. É sempre haverão incautos que acreditarão, sem questionar, a denegação feita. As nossas redes sociais mostram – tristemente – quanto corpo tomou a tese de denegação da ofensa, encampada por Arthur e sua campanha (apesar de as imagens apresentadas por ele se constituírem, em essência, prova de absolutamente nada para aqueles com qualquer senso crítico).

É para jogar uma pá de cal em cima da tresloucada tese adotada que apresentamos os fatos. Eis a verdade.

As imagens abaixo mostram uma sequência de fotografias tiradas no momento em que Vanessa chegava ao debate.

Sorridente, alegria nos olhos, pondo-se à disputa democrática pelos meios republicanos.

A alegria continua. A moça de boné se aproxima. Continua a festa na próxima imagem. E então, ocorre a agressão. Vejam, no detalhe, a primeira imagem após a candidata ter sido alvejada por uma cusparada. As imagens que se seguem mostram o desespero, o asco e o horror de alguém que é atingida por uma substância viscosa na face e nos olhos. Aviso que não são imagens fáceis de ver. Eis a resposta mais eloquente possível à insensibilidade e malícia da campanha de Arthur.

3. Não era ovo. Quem insistiu na história de ovo foi a imprensa e não a campanha.

No meio da confusão da entrada no debate, a candidata Vanessa foi alvejada por algo gosmento no rosto enquanto ainda estava no carro. Não presenciou de onde veio a agressão. Ao sair do carro, presumiu pela consistência que tivesse sido um ovo e disse isso àqueles que a cercavam.

Quando o jurídico identificou testemunhas da ofensa, ainda no local do debate, estas foram unânimes em dizer que a senadora foi alvejada por uma cusparada e não um ovo. Desde então, não mais se falou em ovo.

Senadores prestam solidariedade a Vanessa contra agressão

A sessão do Senado de quarta-feira acabou se transformando num ato político de solidariedade à senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e em repúdio às agressões que sofreu de cabos eleitorais ligados ao candidato Arthur Neto (PSDB). A senadora levou fotos ao plenário do grupo de pessoas de onde partiu a violência.

“Foi um ato planejado, um ato que partiu de um grupo que foi para a frente da emissora de forma organizada, (…) a serviço de um candidato concorrente, portava bonecas que representavam bruxas, cartazes denegrindo a minha imagem e ovos na mão (…). Sofri uma agressão como nunca a cidade de Manaus viu nos últimos tempos”, discursou a senadora.

Ela expediu um ofício ao presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), para que reforce um pedido de apuração feito à polícia e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amazonas.

“Não compreendemos como possa ser vítima de uma agressão dessa natureza, porque ela não só a atinge, mas atinge todos nós e o País, porque os costumes políticos que levam a esse tipo de procedimento realmente denigrem o próprio País, onde estamos assistindo, e temos assistido sempre, à festa da democracia, que têm sido as eleições. Senadora Vanessa, a senhora teve a solidariedade da Casa, de todos nós, e acredito que terá do povo amazonense”, disse Sarney, após outros se posicionarem.

Primeiro a prestar solidariedade, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), lembrou que os amazonenses não têm a tradição de um povo truculento e agressivo. “Não conheço isso na história de 30 anos da vida pública do Amazonas”, reagiu.

Denúncia do senador Magno Malta

Ao prestar solidariedade à colega, o senador Magno Malta (PR-ES) fez uma denúncia: “Quero dizer ao Brasil e à senadora que o que estão preparando para ela ou o que tentavam preparar é absolutamente pior. Tenho recebido no meu gabinete telefonemas. E já recebi uma equipe de gravação, vinda de Manaus, para me gravar, dizendo-me que eu deveria fazer uma palavra, falando tão somente que eu afirmava que a senadora Vanessa Grazzotin era a favor do aborto”, acusou. “Nunca conheci a senadora como abortista. E, se fosse, eu não o faria”.

“Receba de mim este apoio. Eu precisava revelar em plenário os convites e os apelos que tenho recebido, dizendo o seguinte: se você gravar isso e entrar no ar em Manaus, acaba a campanha de Vanessa Grazziotin. Isso é muito indigno, senhor presidente!”, protestou Malta.

O ex-ministro Alfredo Nascimento (PR-AM), que apoia o candidato do seu partido em Manaus, fez o que ele considerou o primeiro pedido ao governador Omar Aziz para que a Secretaria de Segurança do seu governo “instale imediatamente uma investigação para apurar os responsáveis por esse ato desonesto cometido contra a senadora Vanessa”.

A vice-presidente do Senado, Marta Suplicy (PT-SP), reagiu com indignação: “E eu digo uma coisa, senador Eduardo Braga: alguém que faz isso com uma adversária – com qualquer adversário, mas com uma adversária – perdeu a eleição ali! Eu acredito que nós temos que ser respeitados como políticos, e mulheres políticas têm que ser respeitadas muito mais! Toda a minha solidariedade, senadora Vanessa, e tenho certeza de que o povo de Manaus saberá honrá-la”.

Ainda prestaram solidariedade à senadora, Ana Amélia (PP-RS), João Capiberibe (PSB-AP), Lídice da Mata (PSB-BA) e Eduardo Suplicy (PT-SP).

Leia também:

Requião: Não me arrependo de ter extinto a publicidade oficial quando governador do Paraná

O “surto de pequena autoridade” do reitor nomeado por Serra

Ibope: Russomanno chega a 35%; Serra e Haddad seguem em empate técnico

Haddad diz que baixaria em campanhas de Serra “é genética”

Serra diz que Marta ganhou cargo por falar mal dele

Donato: Foco do PT é mostrar o que Serra-Kassab prometeram e não fizeram

Barão de Itararé: Querem sufocar a blogosfera

Datafolha: Rejeição a Serra lidera em todos os cenários





32 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Waldecy Rodrigues

10 de outubro de 2012 às 12h03

É incrível mais compreensível que nesse episódio alguém tente defender a “Candidata sentada”.
Ela foi ao Senado dizer que levou Ovo na cara. Mentiu em tribuna.
Ela teve tempo de saber, se é que não sabia, de que se tratava de cuspe. A imprensa insistiu? ELA FOI Á TRIBUNA e falou em ovo.
Façam-me o favor de pelo menos respeitar nossa inteligência e acesso a informação

Responder

Jemima Perez

19 de setembro de 2012 às 16h13

O que mas acho graça e como voces acoitam essa Sra.. que ja vem por tras toda sua panelinha que ja roubou muito o Amazonas, falo isso pois nasci e cresci aqui, nunca se viu uma ponte que nos leva apenas a um lugar custar mas caro que a ponte da China.. Gente acorda essa mulher e sua e montou essa farsa toda ou melhor esse circo todo pra se passar de vitima nessa historia, conheco bem esses politicos pois se do que fazem para estar no poder, e Artu ja foi dessa panelinha suja e sabe tudo que ja se provou toda a tramoia que fizeram … E melhor vcs acordarem e ver a verdadeira realida.

Responder

Eleitor Manauara

18 de setembro de 2012 às 18h55

O caso do ovo-cuspe: a visão de umo eleitor manauara

Não tem jeito, a cada dois anos, nas eleições de governador e prefeito, observamos o grande circo eleitoral que se arma em nossa capital. Como é grande a certeza dos políticos que os eleitores são manipuláveis, fáceis de convencer, simples de persuadir, e como último recurso, apelar, isso sem entrar no mérito das compras de votos e favores no melhor “me ajuda que eu te ajudo”, eles fazem o espetáculo no picadeiro.
Venho acompanhando a campanha política, como sempre faço, como um eleitor que ama esta cidade, como um cidadão que busca ver o que muitos não vêem ou não querem ver, neste cenário podre da disputa que mancha a política que deveria ser nosso espelho democrático de busca contínua por melhorias para nossa cidade, estado e país.
Nos debates conseguimos ver os paraquedistas, os desleixados, oportunistas e despreparados apostando na ignorância e facilidade de enganar o eleitor e toda uma população, utilizando-se de chantagens, projetos surreais, promessas vazias e aqueles que nem conteúdo tem, prometendo mundos e fundos. É fácil observar estes senhores e senhora no afã de ganhar seus eleitores, tentar enganá-los a qualquer custo, mesmo que isso signifique atropelar a ética, a moral e suas vertentes.
Observamos o caso do ovo-cuspe, poderia ser um incidente que se acompanha em eleições, mas a senhora candidata, junto com seus marqueteiros, logo fizeram do episódio um símbolo da “vítima martirizada“, incapaz de se defender e humilhada. Esta não perdeu a oportunidade de se vitimizar para colocar ao eleitor tão grande violência sofreu. Triste, muito triste fazer esse papel, que poderia ser muito mais uma oportunidade de mostrar serenidade, compreensão e sensatez do que tornar o ocorrido uma lamúria. O que pensa esta mulher?, que somos eleitores tolos? Imbecís e fúteis? Que são massa de manobra para acreditar em “A” ou “B”? Que não temos a capacidade de distinguir as coisas? E finalmente, que servimos apenas para votar, nada mais?
A atitude tosca desta candidata que logo foi correndo para Brasília, utilizando-se de sua posição de senadora, chorar aos pés de Dilma e protagonizar cenas lamentáveis de discurso de sofredora mulher, que foi agredida brutalmente, e que não mediu esforços para apelar para as mulheres, afirmando que por ser mulher foi agredida, retirando o foco e colocando os holofotes ao fato de ser mulher, atiçando feministas despreparadas que saem em sua defesa pelo simples fato de ser mulher, achando que as mulheres manauaras não saberiam distinguir o contexto dos fatos. Isso é nos chamar de burros.
Sua empáfia permite ainda solicitar ao presidente do senado uma apuração séria, com punições, tentando atribuir a outro candidato a autoria. Ora senhora Vanessa, correndo atrás do presidente do senado e o pior, foi ao ministro da justiça pedir providências, utilizando de sua autoridade de senadora para resolver o tal ovo-cuspe, enquanto inúmeras pessoas de Manaus não têm essa carta branca de conversar com o ministro, que se tivesse, seria mais relevante que o seu assunto, pois pediria justiça aos crimes que acontecem em Manaus, e a senhora usa este poder para limpar o ovo-cuspe?
Por ser a única mulher do pleito, que alias é moda, atribui o fato da violência por ser mulher, esquecendo-se da grande violência que praticaram, Vanessa e seu grupo político capitaneado pelo senador Eduardo Braga, à mulher Rebecca Garcia. Ainda pensa que somos tolos?, e outra, o senhor Eduardo Braga ainda usa da tribuna do senado para defender a sua então injustiçada candidata a prefeita, utilizando o senado como um palanque para receber inúmeros apoios de políticos que nada mais pensam no que em seu próprio umbigo. Paciência tem limite.
É horrível ter que ouvir tudo isso e ficarmos calados, onde esta candidata acha que só porque o Amazonas deu a maior votação proporcional a Dilma e anteriormente a Lula, ela vai ter o mesmo sucesso só porque é apoiada pelos dois e mais o governador Omar e o senador Eduardo, mas esse é outro assunto, a senhora Vanessa deve compreender que cenário local é diferente do nacional, e seu grande poder midiático não será suficiente.
E finalizando, para não ficar por trás e ao mesmo tempo se livrar de qualquer rótulo, os marqueteiros de Artur Neto completam o circo com fotos e vídeos tentando provar que tudo foi uma farsa, armação e tudo mais. É mais um candidato duvidando de nossa capacidade de pensar, de agir, de observar, nos olhando como meros instrumentos de manobra. Que defesa foi essa? Desqualificar? Inventar? Tentar mudar os fatos para enganar os eleitores não ganha eleição.
O fato aconteceu, uma usou como pôde para se fazer de vítima, o outro usou para dizer que foi uma fraude, e nós usamos este episódio para ter a certeza que nenhum dos dois merece o nosso voto.

De um eleitor manauara.

Responder

FrancoAtirador

16 de setembro de 2012 às 15h18

.
.
Esse tucano crápula é um dos responsáveis pela baixaria

da campanha eleitoral de Jose Serra contra Dilma, em 2010.

Tenho esperança de que, agora, definitivamente os manauaras

expurguem esse cancro da vida pública amazonense e brasileira.
.
.

Responder

Antonio Marcos

16 de setembro de 2012 às 13h43

Truculento, corrupto, embusteiro, arrogante,inescrupuloso, execrável….
O povo de Manaus tem que dar a resposta nas urnas e extirpar de vez este engodo – coroné Virgilio.

Responder

Gerson Carneiro

16 de setembro de 2012 às 13h36

Eles são assim.

Nesse vídeo um vereador do DEM bate nem uma repórter:

http://www.youtube.com/watch?v=-dqjvN7aMnk

Responder

Marisa Lancaster

16 de setembro de 2012 às 07h53

Vocês não vão pedir o áudio?

Responder

Prego

16 de setembro de 2012 às 01h30

Ao que parece o Arthur “valentão” Virgilio conta com a cumplicidade da midia corporativa lá do Amazonas. Por isso lidera as pesquisas. Enquanto o povo não se libertar dessa manipulação midiática o nosso pais não avança.

Responder

Renato Lira

16 de setembro de 2012 às 00h32

Em poucas palavras.

Arthur Virgílio em um moleque.

Um cafageste.

Responder

    Renato Lira

    16 de setembro de 2012 às 00h34

    Ops. Deixem-me corrigir.

    Arthur Virgílio é um moleque.

    Um cafajeste.

Alexandro Rodrigues

16 de setembro de 2012 às 00h06

Se fossemos cuspir em todos os políticos safados que existem no Brasil, faltaria saliva!

Responder

O_Brasileiro

15 de setembro de 2012 às 23h16

O grupo político que quer eleger esta senhora é o mesmo que elegeu o atual prefeito.
Para se ter uma noção, o atual prefeito nem sequer se candidatou à reeleição.
A manchete de um dos principais jornais da cidade diz na capa: “Manaus abandonada”.
Se alguém, duvida, faça uma visita à cidade…
E agora, o mesmo grupo político quer eleger novamente o prefeito da cidade.
Não é à toa que o tucano é líder nas pesquisas…
O que se fala em Brasília, que fica a milhares de quilômetros de Manaus, eu não sei.
Mas, em Manaus, o que se fala é que o “ovo da Vanessa” é como a “bolinha de papel do Serra”, pois foi um ato isolado de um cabo eleitoral, mas que está sendo explorado da mesma forma que o Serra fez em 2010.
Não preciso dizer do lado de quem o povo ficou naquela ocasião…

Responder

    carvalho filho

    16 de setembro de 2012 às 09h35

    Não, cara que se se diz Brasileiro, o que se faz em Manaus com as mulheres nada tem com o Zé Bolinha. Você deve ser um desses truculentos, apoiador desse tal te Athur. Manaus não é nada respeitossa com as mulheres mulheres. Vejam a sem-vergonhice que fizeram com a a Bianca Abinader, um ritual de de violência que nunca se viu neste estado. Claro que o senhor é adepto e faz campanha para esse homem que chamou o Lula para brigar, dizendo que ia dar uma surra nele. Respeitem as mulheres. E lembrem-se que as redes sociais fazem o seu trabalho divulgando fatos como esses que antes ficava o silencio dessa provincia cheia de canalhice com essa.

    O_Brasileiro

    16 de setembro de 2012 às 11h48

    Caro Sr. “Bene” Carvalho Filho (http://benecarv/),
    Sugiro que faça uma releitura do meu comentário.
    Em primeiro lugar, não apóio o Sr. Arthur Virgílio, mas também não apóio a Sra. Vanessa Grazziotin.
    Em segundo lugar, admito no comentário que foi um cabo eleitoral do Sr. Arthur Virgílio.
    Em terceiro lugar, me referi ao uso político do erro de um cabo eleitoral.
    Em quarto lugar, também me referi ao abandono da cidade pelo grupo político que há décadas domina a política desta cidade, e do qual agora a Sra. Vanessa Grazziotin faz parte.
    Ninguém apoiou o ato do cabo eleitoral, nem eu, nem a oposição a Sra. Grazziotin. E mesmo que ela fosse homem, também não apoiaria. Todos foram solidários a ela.
    O meu discurso não é, e nem será radical. Apenas estou relatando sentimentos de muitas pessoas que, por indignação, infelizmente votarão no candidato do mesmo PSDB que está tentando prejudicar a Zona Franca de Manaus, através da ações no STF.
    Abs

    Antonio Sousa

    16 de setembro de 2012 às 10h54

    Ô falso brasileiro, minta menos, por favor. Quem elegeu o atual prefeito foi o seu grupo, composto por tucanos e quejandos, que àquela altura considerava o cargo de prefeito de Manaus coisa aquém da importância do financiador de bolsas no estrangeiro para apaniguados à custa do contribuinte. Falo do seu candidato Artur (vale tudo) Virgílio.
    O que mais lhe doi, a você e seus iguais, é que o partido do seu candidato (PSDB), está acionando o estado do Amazonas na justiça com o intuito de inviabilizar a zona franca de Manaus e jogar ao desemprego milhares de trabalhadores amazonenses que atuam no PIM.
    O seu lider Artur Neto sempre foi contra a construção do gasoduto Urucu-Manaus, obra realizada pelo Lula e aprovada pela imensa maioria da população do povo amazonense, e que, inclusive, gerou à Dilma a votação estrondosa que ela teve no estado, apesar de você e dos seus.
    O povo de Manaus está com o Lula, a Dilma e a Vanessa.
    Eu trabalho no Amazonas há mais de vinte anos e sei da qualidade dos manauaras. Pessoas que tratam bem a todos , sobretudo às mulheres, e jamais concordariam com agressões de qualquer natureza.

    O_Brasileiro

    16 de setembro de 2012 às 18h52

    Caro Sr. Antônio Sousa,
    Sugiro que faça uma releitura do meu comentário.
    Em primeiro lugar, não apóio o Sr. Arthur Virgílio, mas também não apóio a Sra. Vanessa Grazziotin.
    Em segundo lugar, admito no comentário que foi um cabo eleitoral do Sr. Arthur Virgílio.
    Em terceiro lugar, me referi ao uso político do erro de um cabo eleitoral.
    Em quarto lugar, também me referi ao abandono da cidade pelo grupo político que há décadas domina a política desta cidade, e do qual agora a Sra. Vanessa Grazziotin faz parte.
    Ninguém apoiou o ato do cabo eleitoral, nem eu, nem a oposição a Sra. Grazziotin. E mesmo que ela fosse homem, também não apoiaria. Todos foram solidários a ela.
    O meu discurso não é, e nem será radical. Apenas estou relatando sentimentos de muitas pessoas que, por indignação, infelizmente votarão no candidato do mesmo PSDB que está tentando prejudicar a Zona Franca de Manaus, através da ações no STF.
    Abs

    Christiano Almeida

    16 de setembro de 2012 às 13h34

    Independentemente de ser uma senadora da república, é um ser humano. É uma mulher. Fato isoldado? Será o que o tratamento que o Sr. dispensaria ao fato seria o mesmo caso fosse, por exemplo, alguem da sua família. Bem próximo? Tal qual filha, esposa, irmã ou mesmo a genitora? Uma coisa é um ato, um fato político. Outro coisa, Senhor, é a agressão a alguem. Nada justifica tal barbárie. Pense nisso! Se é que consegue.

    O_Brasileiro

    16 de setembro de 2012 às 18h19

    Caro Sr. Christiano Almeida,
    Sugiro que faça uma releitura do meu comentário.
    Em primeiro lugar, não apóio o Sr. Arthur Virgílio, mas também não apóio a Sra. Vanessa Grazziotin.
    Em segundo lugar, admito no comentário que foi um cabo eleitoral do Sr. Arthur Virgílio.
    Em terceiro lugar, me referi ao uso político do erro de um cabo eleitoral.
    Em quarto lugar, também me referi ao abandono da cidade pelo grupo político que há décadas domina a política desta cidade, e do qual agora a Sra. Vanessa Grazziotin faz parte.
    Ninguém apoiou o ato do cabo eleitoral, nem eu, nem a oposição a Sra. Grazziotin. E mesmo que ela fosse homem, também não apoiaria. Todos foram solidários a ela.
    O meu discurso não é, e nem será radical. Apenas estou relatando sentimentos de muitas pessoas que, por indignação, infelizmente votarão no candidato do mesmo PSDB que está tentando prejudicar a Zona Franca de Manaus, através da ações no STF.
    Abs

Emília

15 de setembro de 2012 às 22h18

Esperar o que de uma pessoa que sobe à Tribuna do Senado para ameaçar o Presidente da República com tapas?

O povo de Manaus não pode deixar esse enercúmeno vencer as eleições. Ele, como todo tucano, acredita que é o rei da cocada preta.

Responder

Julio Silveira

15 de setembro de 2012 às 21h47

Esse cara não desiste de envergonhar os Amazonenses. Putz, vá ser tucano assim lá na Conchinchina.

Responder

João-PR

15 de setembro de 2012 às 21h23

A Vanessa Graziotin tem mais é que processar a todos os envolvidos neste triste episódio : nada do “politicamente correto”, de dizer que “entende as circunstâncias, etc, etc”. Processe a todos Senadora, e quiçá, Prefeita de Manaus. Ataque o que eles tem de principal nos valores deles: o bolso!! Peça indenizações, reparações,retratações e tudo o mais que tiver direito.
Daqui do Paraná torço pela Senhora.
Aos Manauenses: o tal Virgílio tem que ser extirpado da política, assim como se extirpa um câncer!

Responder

Elias

15 de setembro de 2012 às 21h06

Porco manda porco aporcalhar eleições em Manaus

Os manauenses vão optar por limpeza

Sem dúvida irão digitar nas urnas eletrônicas

O número limpo de Vanessa Grazziottin

Responder

Hélio Pereira

15 de setembro de 2012 às 20h21

A atitude de Arthur Virgilio já era esperada,pois um sujeito que se vale de Imunidade Parlamentar e da condição de Lider do PSDB no Senado pra dizer que “seria capaz de dar uma SURRA no Pres LULA” é capaz de tudo.
Arthur Virgilio,Serra,Álvaro Dias e ACM Neto utilizam dos mesmos métodos agressivos e covardes e se assemelham ao “Detrito de Maré Baixa” chamado Revista Veja que vive agredindo o Pres Lula,como fez na edição desta semana,forjando uma suposta declaração de Marcos Valério que já foi desmentida por Valério e seu Advogado!
Fazer o que se esta é a forma como fazem Politica?

Responder

pedro - bahia

15 de setembro de 2012 às 19h45

Nenhuma novidade. Desde os tempos de parlamentar, o candidato Artur Virgílio já se comportava dessa maneira. Comportamento idêntico tem o seu colega de partido José Serra. Quem sabe é uma orientação do partido. Veja que o Senador Álvaro Dias também segue essa linha.

Responder

souza

15 de setembro de 2012 às 19h24

este elemento é da pior estirpe.
se tudo der certo é o fim da linha para ele.

Responder

Messias Franca de Macedo

15 de setembro de 2012 às 19h07

… É a impunidade deste país!… A propósito, este *energúmeno devolveu ao erário os recursos que foram surrupiados por ele do Senado federal?!…
*[DEMotucano] Arthur Virgílio, leia-se Artur Neto (sic), o ‘réu confesso mais réu confesso do país’! “Pau que nasce torto, morre torto!” Muda, simplesmente, de nome! O líder [líder!] de FHC no Congresso Nacional! A bagagem genética [dos ‘coronés’] também explica, e não, apenas, Freud!…

República Destes Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Messias Franca de Macedo

    15 de setembro de 2012 às 21h16

    Ajuste: …. Senado Federal…
    Respeito à gramática, ainda que, rigorosamente, o nome da instituição devesse ser grafado com iniciais minúsculas!…

    República Destes Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Jairo Beraldo

15 de setembro de 2012 às 18h24

“O tucano atropelou as principais evidências do caso (fotos e vídeos) para apresentar uma montagem grosseira de fotos sustentando que a candidata havia forjado a agressão. Não teve sucesso. Cometeu um erro primário de ignorar a ação policial durante o acontecimento.”

Isto está virando moda em toda a blogosfera suja. Blogueiro que se julga “impedido” de escribar, censura “escriba” comentarista…comentarista que escreve graaaaaaaaaaannnde comentario, censura quem não concorda com sua Manú(e seu Zé Caridozo Dantas e seus recitais regados à MOET e CHANDON)…blogueira que tem simpatia com comentarista, agride em comentarios ocultos seus “discordantes”.Pelo menos, este biltre, escorraçado nas urnas, usa de sua boca para blasfemar, urrar e caluniar.

Responder

Marisa Lancaster

15 de setembro de 2012 às 18h16

Veja.

Responder

    Hélio Pereira

    15 de setembro de 2012 às 20h23

    Ora Marisa,
    Veja a resposta de Marcos Valério e do seu Advogado desmentindo a Revista VEJA,se liga “menina”.

    Renato Lira

    16 de setembro de 2012 às 00h35

    Teleguiada detectada.

José X.

15 de setembro de 2012 às 18h11

Esse é o PSDB, que o Nassif insiste em achar que é ruim só por causa do Serra. Não, não é não, o Serra na verdade é a mais perfeita encarnação do partido proto-nazista em que se tornou o PSDB.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding