VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Feministas perguntam: Seria possível melhorar o nível?


14/09/2011 - 02h20

Nota de apoio à Presidenta

NÃO SE PODE TRATAR ASSIM UMA PRESIDENTA!

do Articulação de Mulheres Brasileiras, via Paula de Andrade

Na noite deste domingo 11 de setembro, assistimos entre preocupadas e estarrecidas à entrevista do Fantástico à presidenta Dilma.

Embora tenhamos ficado satisfeitas com o resultado final, vimos a público apresentar nossos protestos à Rede Globo e sua equipe de jornalismo.

A presidenta Dilma, mulher com atuação política de longa data, se viu obrigada a responder perguntas medíocres e cretinas sobre sua aparência, hábitos pessoais….enfim, amenidades.

Na nossa leitura a maioria das perguntas não se fazem a presidentes muito menos a uma mulher com a historia política da presidenta Dilma.

Por acaso é tão exótico uma mulher presidenta que o jornalismo brasileiro não sabe como lidar com esta realidade?

Seja como for, por incapacidade ou preconceito, o Fantástico foi indelicado, desrespeitoso e ofensivo à inteligência e capacidade da mulher, que, pela força do voto da maioria da população brasileira, ocupa o hoje o lugar de presidente.

Brasília, 12 de setembro de 2011

Leia também:

Nem a presença de duas candidatas competitivas nas eleições 2010 impediu a mídia de julgá-las pelo aspecto físico

O que precisa de uma ampla faxina é a linguagem sexista da mídia velha

Dilma e a ‘Operação doçura’ na mídia velha

Veja o diálogo que sumiu na edição

Dilma: varrer ou voar?, pergunta o UOL

Gilberto Maringoni e os limites da campanha contra a corrupção

Ciro acusa a mídia de tentar enfraquecer o governo. Novidade!

Lungaretti, Battisti e a Folha

À espera da pílula do amor

Bernardo Kucinski e a tradução do Vila Vudu

O seminário da Carta Maior sobre o neoliberalismo

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



46 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O combate ao preconceito contra as brasileiras em Portugal | Viomundo - O que você não vê na mídia

20 de setembro de 2011 às 23h19

[…] Feministas perguntam: Dá para melhorar o nível das perguntas? […]

Responder

graciliano

16 de setembro de 2011 às 15h05

A Globo está acostumada a lidar com Presidentes da República como empregados ou sócios (veja-se Sarney e Collor, por exemplo). A Presidenta Dilma só vai tratar de coisa importante na Globo quando convocar Rede Nacional. Na programação normal, será sempre usada e suas palavras deturpadas. Figurante.

Responder

graciliano

16 de setembro de 2011 às 15h03

Estou com a Cantanhêde e não abro! Quero o Paulo Preto, o Robson Marinho e seus sócios na cadeia, antes que a Interpol entre no jogo (o coitado do Robson já está com bens congelados na Suiça, embora sua ilha em Parati continue livre

Responder

beattrice

15 de setembro de 2011 às 14h56

A presidente foi desrespeitosa e ofensiva à inteligência e capacidade de seus eleitores, já que pela força do voto ocupa o hoje o lugar de presidente.

Responder

FrancoAtirador

15 de setembro de 2011 às 11h11

HUMOR

Provou e Gostou

Jornalista gay senta no colo de Bolsonaro e diz que "domou a fera"

Por Jorge Lourenço, no Jornal do Brasil, via Luis Nassif OnLine

Crítico ferrenho das políticas de inclusão de homossexuais e anti-homofobia, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi pego de surpresa por um jornalista gay durante o programa "Quem Convence Ganha Mais", exibido pelo SBT na última sexta-feira.

Durante uma discussão sobre como os pais deveriam lidar com filhos gays, o jornalista Felipeh Campos se aproximou do deputado e não fez cerimônia: sentou no colo de Bolsonaro.

Sem reação

Militar reservista e adepto da linha dura, o deputado ficou completamente sem reação.

Num primeiro momento, ele tentou evitar o incidente, mas acabou se rendendo ao gesto de Felipeh Campos, que chegou a fazer carícias nele.

Bolsonaro ainda mostrou bom humor e, sorrindo, disse que o jornalista "não iria convencê-lo".

<img src="http://www.jb.com.br/media/fotos/2011/09/14/300w/apesar-de-constrangido-bolsonaro-regiu-ao-gesto-do-jornalista-com-bom-hu_1.jpg"&gt;

<img src="http://portalimprensa.uol.com.br/content_file_storage/2011/setembro/13/Jair.jpg400.jpg"&gt;

Responder

    Werner_Piana

    16 de setembro de 2011 às 08h34

    deprimente o papel do "jornalista"…

    :(

augusto

15 de setembro de 2011 às 10h36

porque não a Camila Vallejo, no lugar da poetisa?
só porque aquela nao é brasileira?
mas ai tambem ja era demais (prá Plimplim é claro)
Taí: aqui apoiamos o neolibelês : vamos globalizar a Camila!

Responder

leo

15 de setembro de 2011 às 09h15

Lula apanha até hoje. É sexismo?
A futilidade do programa todos já sabiam. O texto questiona a futilidade da Poeta?
Erro de quem montou essa estratégia tola de abraçar o PIG. Quem tomou lá foi o PIG?

Responder

    beattrice

    15 de setembro de 2011 às 14h54

    A futilidade maior é atender em privado à Globo, o resto é o resto.

virginia langley

15 de setembro de 2011 às 06h51

parece que as feministas mesmo vão ter de responder sua pergunta já que Dilma foi majoritariamente eleita por homens…isso pq as mulheres brasileiras são as mais ferrenhas guardiãs do machismo pátrio, e são radicalmente de direita, coisa que acontece no mundo inteiro, mas aqui os defeitos comuns da humanidade sempre parecem ampliados..sei que esse tema (o machismo feminino é o maior tabu de todos, em uma sociedade cheia de tabus, como toda comunidade primitiva pre-iluminista) mas enfim… alguém tem de dizer o indizível não é?

Responder

FrancoAtirador

14 de setembro de 2011 às 20h57

.
.
A patricinha "tomou lá" uma palmadinha bem dada.

Só por isso, valeu a entrevista.
.
.

Responder

Silvio I

14 de setembro de 2011 às 20h03

Azenha:
Minha mulher me diz um dia, que no programa da Hebe estaria o governador de São Paulo. Eu não vejo o programa da Hebe, mais fui a ver o programa para saber o que teria para disser o governador. Mais ai começarão as perguntas ,quem era que elegia suas roupas si ele o a mulher de ele. Desligue o aparelho, e fui a dormir. O seja que as perguntas que fez a Globo não têm diferenças.

Responder

Marcelo

14 de setembro de 2011 às 18h01

Discordo . O Fantastico é um programa imbecil feito para um publico igualmente imbecil , nada mais logico do que as perguntas feitas fossem tambem imbecis .

Responder

Cabeda

14 de setembro de 2011 às 15h42

Não há dúvida que o preconceito sexista faz parte desse cenário, mas não é só. Essa pauta faz parte da cultura jornalística brasileira, que é pródiga em falta de criatividade. Quantas matérias já não assistimos sobre a vaidade das atletas, mostrando-as se maquiando, arrumando o cabelo, pintando as unhas? Já perdi a conta.

Isso, sem falar nas matérias sobre receitas (ranço da censura na ditadura?), como se vestir numa entrevista de emprego, como agir em relação a filhos adolescentes, como tratar os vizinhos, como montar uma mesa de jantar, como usar determinada peça de vestuário e outros enchimentos de linguiça…

Responder

augusto

14 de setembro de 2011 às 13h34

Nao, Sras. feminalistas…
nao era possivel.
Nem midiaticamente, nem politicamente.
Nem mesmo custo-beneficiáriamente, digamos.
Sorry.
A montanha nunca vai ao profeta – mas o inverso ocorre.

Responder

    Juliana Paiva

    15 de setembro de 2011 às 16h51

    feminalistas…OI?!

Gustavo Pamplona

14 de setembro de 2011 às 12h51

Só sei que como rodo um Fã-Clube dedicado a Monica Iozzi do CQC "Monica Iozzi News" (http://monicaiozzinews.wordpress.com/) e seu twitter @MonicaIozziNews alguns tuitaram para mim dizendo que preferiram ter visto a Monica no lugar da Patrícia Poeta.

Se bem que a Monica já tinha entrevistado a Dilma antes, ano passado durante a campanha presidencial (várias vezes) e este ano já como presidente, mas foi apenas uma breve conversa.

Responder

eunice

14 de setembro de 2011 às 12h41

Quem mandou comparecer ao Ana Marota Brega?

Responder

Alexandre Felix

14 de setembro de 2011 às 11h19

Patricia Poeta não é jornalista…tantas mulheres geniais, com muito…mas muito mais competência que ela, poderiam nos brindar com essa entrevista. Pô, uma entrevista com a Presidenta Dilma, coisa grande. Acontece que muitas dessas mulheres não se encaixam no padrão de "beleza" da Globo, nem são "bem casadas" como a apresentadora em questão (Eita que desenterrei o velho Malufão). Pelo menos a Presidenta Dilma nos fez rir com o papo do "toma lá, dá cá" … Abraço!

Responder

    Morvan

    14 de setembro de 2011 às 15h35

    Boa tarde.
    Na mosca, Alexandre Felix.
    De há muito que a televisão (não só a Rede Globo) privilegia o estético em detrimento do intelecto e trabalha com a fragilização intelectual do ser humano. Na mulher, a televisão preconiza o visual em detrimento da dimensão holística do ser, privilegia o acessório, em detrimento de discussões, como por exemplo, saúde feminina e assim vai tornando mais difícil a organização das pessoas. Este individualismo estético não é por acaso, como nada neste mundo o é.
    Parabéns pelo seu Post e parabéns às pessoas que sugeriram o artigo.
    Mais discussão e menos veleidades.

    Morvan, Usuário Linux #433640.

FrancoAtirador

14 de setembro de 2011 às 10h57

.
.
Agora, convenhamos:

Que tipo de público assiste ao Fantástico ?
.
.

Responder

    beattrice

    15 de setembro de 2011 às 14h59

    A pergunta deve ser feita á assessoria de imprensa do Planalto, que prefere desinformar o eleitor ao inves de formá-lo.

francisco.latorre

14 de setembro de 2011 às 10h47

tou nessa.

chega de palhaçada. sexista. e boçal.

..

por outro lado.

cada um dá o que tem.

a globo. dá o que tem. essa merda aí.

tem mais é que piorar. cair a máscara.

..

Responder

damastor dagobé

14 de setembro de 2011 às 10h36

aqui onde moro, em certa parte paradisíaca do litoral brasileiro – não se pode dizer onde senão deixa de ser paradisíaca, começam a chegar aqueles carros com trio elétrico no porta mala e coisas assim – a maioria das pousadas recebe professores e intelectuais alemães e suíços, pessoas em ferias, escritores, roteiristas de cinema..se no quarto da pousada tiver uma televisão eles nem entram.. não aceitam conviver com o desgraçado objeto nem desligado..

Responder

    Isafan

    14 de setembro de 2011 às 16h21

    Desgraçado objeto? ai vem a generalização. Certamente esse intelectual tbm não assiste esse horrendo aparelho. nem tanto ao mar nem tanto a terra.

    oalfinete

    14 de setembro de 2011 às 20h39

    Objeto abjeto! É um aparelho reprodutor de formas que deforma a realidade.

rafael

14 de setembro de 2011 às 10h01

Queriam o que? Perguntas complexas? No Fantástico? Ademais a Dilma não é boba, aceitou porque quis, respondeu as bobagens porque quis.

Responder

    beattrice

    15 de setembro de 2011 às 14h59

    E faz o seu eleitorado de bobo porque quer.

tiago tobias

14 de setembro de 2011 às 09h42

Reparem no final da entrevista meus caros…A Patrícia Poeta agradece pela entrevista, a Dilma faz uma cara de "até que enfim acabou essa porcaria" e sai andando, sem cerimônia, deixando a Poetinha de falando com a mesinha…É demais

Responder

    beattrice

    15 de setembro de 2011 às 14h58

    Quem vai à GLOBO espera o quê exatamente?

Zelina

14 de setembro de 2011 às 09h42

Parabéns para a Articulação de Mulheres Brasileiras pela precisão da análise. Meu repúdio à Rede Globo

Responder

Samyra

14 de setembro de 2011 às 09h10

Totalmente de acordo.
"Celebrização" tem tudo a ver com "mulherfobia".

Responder

Klaus

14 de setembro de 2011 às 09h07

Que objetivos Dilma queria alcançar ao dar uma entrevista ao Fantástico? Estes objetivos foram alcançados? Quem é o público do Fantástico? Após a entrevista, a imagem de Dilma ficou mais próxima e humanizada perante este público? As perguntas sobre aparência, hábitos pessoais e amenidades foram combinadas antes ou foram uma surpresa para a presidenta? Vocês não acham que quando nós estamos indo com o fubá a assessoria dela já está voltando com o angu?

Responder

leo

14 de setembro de 2011 às 08h53

não vão fazer uma marcha?

Responder

usuario

14 de setembro de 2011 às 08h36

Eu quando assisti esta entrevista pelo youtube, achei que eles estavam tentando diminui-la.

Responder

Cleber

14 de setembro de 2011 às 08h22

Indelicado somente? Foi uma situação vexatória, aqui para nós, minha sobrinha com menos de 10 anos de idade teria feito perguntas mais interessantes, mais desafiadoras, mais pertinentes. Perder tempo de uma grade de programação e do expediente da presidenta com bate-papo de comadres forçou demais toda a gentileza de nossa querida mandatária. Vergonha pelo vexame alheio, debulhado e descascado. Repórter despreparada, para não dizer outra coisa.

Responder

Caracol

14 de setembro de 2011 às 07h42

Além de Partido da Imprensa Golpista, PIG pode significar também Programa de Imbecilização Generalizada.

Responder

    rosangela

    14 de setembro de 2011 às 12h23

    PCC Partido das Comunicacões Criminosas!

Fabio_Passos

14 de setembro de 2011 às 07h28

Por que a Dilma aceitou dar entrevista a este programa decadente e frívolo da rede globo?

Responder

    Klaus

    14 de setembro de 2011 às 11h49

    Excelente pergunta. A resposta está com a assessoria dela. Há um motivo lógico e pertinente para a construção da imagem da presidenta.

    Fabio_Passos

    14 de setembro de 2011 às 12h58

    Parece uma mancada.
    Este programa é um lixo.

    Grego

    14 de setembro de 2011 às 13h19

    Pois é, se a Presidenta, o governo, o PT e o "Nunca Dantes" sabem que a Globo é parte do PIG, porque a Presidenta concorda em dar entrevista?

    beattrice

    15 de setembro de 2011 às 15h00

    Porque está abraçada diuturnamente ao PiG desde o festim diabólico do Tavinho.

Caracol

14 de setembro de 2011 às 05h59

É… é bom protestar mesmo, dou a maior força e na minha condição masculina, assino em baixo.
A entrevista com a presidenta faz parte do processo de imbecilização geral do povo brasileiro, em especial as mulheres, que numa sociedade machista, racista, e escravagista como a nossa, são cidadãs de segunda classe.
Trata-se de uma estratégia: atingindo a líder presidenta – que muitos (e muitas) não engolem porque mulher – tentam reduzir e menosprezar as mulheres brasileiras.
Depois vem os moralistas de plantão se queixar de como as mulheres muçulmanas são tratadas.
É revoltante mesmo ver uma concessão pública e uma energúmena que conseguiu ascender à essa condição de injustificado estrelismo baixarem o nível até esses patamares patéticos.

Responder

Ludmilla Lima

14 de setembro de 2011 às 03h21

Cabe notar que a entrevista foi cuidadosamente feita por uma repórter mulher para não parecer machista.

Como se isso fosse possível!

Responder

Marcio H Silva

14 de setembro de 2011 às 02h38

Desculpe discordar de um ponto do texto: "que o jornalismo brasileiro não sabe como lidar com esta realidade?"
Generalizou, porque comparou a Jornalista da Globo, agenda da Globo, com Todos os Jornalistas do Brasil. Medíocre é o pessoal da Globo, que discrimona uma mulher, de esquerda chegar a presidenta deste país. Eles não vão engolir nunca. Nem com lei de medios.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.