VIOMUNDO

Diário da Resistência


Blog da Mulher

Dilma e a ‘Operação doçura’ na mídia velha


02/03/2011 - 20h36

Por Conceição Oliveira do Blog Maria Frô, twitter: @maria_fro

Nas últimas semanas é de fato impressionante a ‘operação transformação‘  ocorrida na mídia velha em relação ao tratamento dado à imagem e à história de Dilma Rousseff. Para avaliar o tamanho da mudança, recordemos alguns breves episódios:

Folha e as ‘acusações de futuro’

A gama de adjetivos detratores que a então ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, recebeu quando a velha mídia entendeu que ela seria a candidata à sucessão de Lula foi imensa. Desde 2009 pelo menos os ataques foram constantes: ‘terrorista’ com direito até a publicação em primeira página de spam produzido em blog de extrema-direita pela Folha de São Paulo; ‘princesinha nórdica‘ como gostava de repetir o ex-presidente FHC, ‘poste’, ‘imunda‘, ‘abortista‘, ‘assassina de criancinhas’, ‘lésbica’ (como se isso fosse um defeito grave) e ainda por cima ‘infiel’ e outros termos, somados a calúnias e factóides repetidos exaustivamente por políticos demotucanos, reverberados na mídia velha e retro-alimentados pela TFP, passando pelo Pró-vida, por Mônica Serra, mulher do candidato José Serra…

Tais calúnias e preconceitos de toda ordem inundaram a Internet nos blogs de extrema-direita oficiais e oficiosos, redes sociais, e-mail e foram materializados em panfletos colados em porta de igrejas, supermercados, postes nas ruas…

Durante a campanha, o jornal Folha de São Paulo fez até ‘acusação de futuro’ contra a candidata Dilma Rousseff. Ela respondeu as acusações denominando o jornal e a matéria de: “parciais, enviesados, escandalosos e de má-fé”:

Nem após a vitória de Dilma Rousseff sobre José Serra o jornal Folha de São Paulo, a revista Veja e afins lhe deram folga: dia 1 de novembro várias manchetes estampavam a ‘denúncia’, bem ao estilo do velho PIG, de que a presidenta não havia ido à festa da vitória celebrar com os militantes em Brasília. A intenção era, como sempre, a de reforçar a imagem de Dilma como ‘antipática’ e ‘anti-popular’.

PIG pedindo arrego e o tal ‘tapa com luvas de pelica’

Oito anos de ataques sistemáticos ao presidente Lula e a entrada com todas as fichas na campanha pró-Serra e contra Dilma Rousseff sangraram um pouco os recursos do PIG. Franklin Martins no comando da SECOM descentralizou a política de publicidade, fazendo com que pequenos jornais, rádios e tvs locais conseguissem uma fatia de publicidade governamental que até então era gasta em bloco para alimentar os grandes jornais do Rio de Janeiro e São Paulo e Tv Globo.

Na esperança de convencer a presidenta a esquecer as mágoas e com seu cargo e importância prestigiar a festa da Ditabranda, os irmãos Frias foram bater na porta do Planalto com o pires nas mãos. Foram atendidos: Dilma compareceu e fez um discurso lamentável, confundindo liberdade de imprensa com liberdade de expressão, chancelando o jornalismo da Folha.

Parecela da blogosfera lamentou o discurso da presidenta para a qual esta mesma blogofera entrou de cabeça na campanha afins de elegê-la contra uma candidatura que ameaçava não apenas os ganhos sociais do governo Lula, mas a manutenção dos parcos direitos civis que temos garantidos no país. Entre esta blogosfera que repudiou/lamentou o prestígio que a presidenta conferiu ao jornalismo ditabranda está esta blogueira, Maurício Caleiro, Eugênio Neves, Leandro Fortes, Eduardo Guimarães, Luiz Carlos Azenha, Antônio Mello, aqui e aqui. E mais uma vez a polêmica se instaurou entre a blogosfera à esquerda e/ou progressista, com blogueiros governistas acusando os críticos ao discurso laudatório aos 90 anos da Folha de ‘traíras’, ‘portadores de problemas psicológicos’ e outros termos detratores. Foi também bastante curiosa a operação que se deu na imagem dessa parcela da blogosfera de esquerda e/ou progressista: de blogueiros ‘chapa branca’ nos tornamos quase uma espécie de Soninha Francine, aliás alguns me disseram isso com todas as letras e me denominaram de ‘Miss Sabotagem’.

Mello definiu bem este exercício de silenciar a parcela da blogosfera que repudiou/lamentou o discurso da presidenta na festa de 90 anos da Ditabranda: “Para mim, o discurso da presidenta Dilma na Folha é indefensável, lamentável. Muitos companheiros certamente estão em tratamento para o torcicolo de girafa que adquiriram com o contorcionismo para justificar o discurso.”

A presidenta em programas femininos de mulheres do século XX

Depois de uma semana bradando no twitter contra o discurso feito por Dilma Rousseff na festa da Folha Ditabranda, ontem pela manhã liguei a tevê na Globo (emissora que há anos não assisto e só acompanhei em dias de debate ou de ida de Dilma Rousseff  durante a campanha). Não foi a toa que o programa em queda livre de audiência recuperou ibope: nunca dantes na história deste país esta blogueira feminista tinha assistido o Mais Você.

No dia anterior à exibição da entrevista fui intensamente provocada no twitter e respondia, mesmo sem saber como seria o programa, que não achava ruim a ida de Dilma ao Mais Você. Alguns ficaram confusos, porque para eles a ida de Dilma Rousseff no programa da Ana Maria Braga é da mesma categoria da ida à festa da Folha. Não é, e vou explicar os porquês.

O programa foi gravado, certamente com acompanhamento e anuência da equipe da presidenta; Dilma não precisou fazer discurso laudatório do casal 20; durante o enfrentamento do linfoma Dilma recebeu a solidariedade de Ana Maria Braga, que também teve câncer e não fez uso de seu gesto para se promover (fato revelado pela presidenta assim que começou o bate papo com a apresentadora); o programa tem como público alvo mulheres da classe C e D, mas Dilma falou, inclusive, para senhoras de sua idade que tiveram educação de classe média: leitoras da ‘Coleção das Moças’.

Foi uma chance ímpar de Dilma Rousseff passar mais de duas horas reconstruindo sua imagem para um público importantíssimo e de algum modo se aproximar dele.  Em vários momentos a presidenta se dirigia para a câmera como se falasse a cada uma das telespectadoras. Algumas matérias na velha mídia chegaram a afirmar que isso era ‘vício de campanha’, equivocassem, isso é aprendizado de campanha. A presidenta, até mais que durante o período eleitoral, discorreu sobre uma série de programas voltados para as mulheres, problematizou a questão da desigualdade de gênero e não perdeu uma única chance de reforçar um discurso feminista e de auto-estima das mulheres.

Durante todo o programa houve empenho de Dilma (com grande ajuda de Ana Maria Braga e da edição da Rede Globo) em transmitir uma imagem da presidenta como uma mulher doce, governanta próxima de seus cidadãos, uma gestora competente, inteligente, capacitada, mas que sabe ouvir e acatar as críticas, que se emociona, que é uma amiga fiel…

Quem viu o programa se emocionou: Ana Maria Braga com sua voz suave, estava vestida de gala pra receber a presidenta: foi recebê-la na porta e apresentar todo o estúdio para Dilma. As telespectadoras puderam conhecer até mesmo o lago e a ponte sobre ele no entorno do estúdio de gravações do programa Mais Você. Soubemos até que ali se gravava o Sítio do Pica-pau Amarelo

A Globo com toda sua competência pra fazer televisão (para o bem ou para o mal) se esmerou na produção e nos depoimentos: de @pretozeze, o presidente da Cufa, ao ex-marido de Dilma, passando por amigas da juventude, crianças da escola vizinha do apartamento de Dilma em Porto Alegre e vizinhas de Dilma até a estilista que há 17 anos cuida de suas roupas e a quem a presidenta foi fiel na escolha do traje usado na posse.

A cada depoimento ouvíamos as pessoas mais próximas ou que tiveram convivência com a presidenta elogiar a sua doçura, fidelidade, competência e o orgulho que  sentiam de Dilma. Uma ‘gracinha’ como diria Hebe Camargo.

O ex-marido e também ex-preso político, Carlos Franklin de Araújo, confessa ao som de uma música suave que se apaixonou à primeira vista, enquanto isso na tela, em quadro menor,  Dilma abre um largo sorriso diante da declaração do ex-companheiro. Em off, o repórter faz questão de reafirmar que mesmo após a separação do casal, eles continuam grandes amigos, afirmação endossada pela bela mensagem que Carlos dedica à presidenta. Na sequência, em off, o repórter reafirma a idéia de uma mulher que é fiel a seus princípios e amizades, a partir do depoimento da psiquiatra Vera Stringuini, ex-presa política e amiga da presidenta. Em seu depoimento, Vera conta como se conheceram logo após ambas saírem da prisão durante a Ditadura Militar, fala de como aprenderam a dirigir automóveis, dos preconceitos enfrentado pelas mulheres no trânsito. Para mostrar o distanciamento de amigas tão solidárias durante a juventude, a edição intercala cenas de Dilma em sua trajetória administrativa e, em off, o repórter argumenta que a falta de tempo de Dilma para as amigas decorreu de seus compromissos políticos. Corta pra Vera, que foi convidada para a festa da posse no Itamaraty, e nos conta que Dilma não perdeu a doçura e a feminilidade: ambas amigas no reencontro elogiaram a maquiagem uma da outra. Vera diz: ” Por incrível que pareça, ou não tão incrível, é a minha amiga de sempre”.

Toda a sequência é positiva, a estilista que mostra que a presidenta é fiel e doce, a vizinha que se sente orgulhosa, a diretora da escola do prédio vizinho da presidenta que para além do orgulho de ter recebido visita tão ilustre, conta o quanto a Dilma foi respeitosa ao perguntar se podia ir visitar a escola. A chave de ouro dessa sequência simpática e reveladora do lado humanizado e doce de Dilma Rousseff é a entrevista com as crianças da escolinha que a presidenta visitou em 14 de dezembro do ano passado, dia de seu aniversário.

A personagem principal é um garoto fofo de 5 anos chamado João Pedro Vendruscolo. Extrovertido, espontâneo, o guri encantou a todos. O repórter do Mais Você pergunta ao menino João o que ele havia dito à presidenta quando ela visitou a escola. Ele responde: “Falei que ela é bonita”.  O repórter complementa: “Mas não foi só isso que ele disse” e corta pra as cenas de arquivo do dia  14 de dezembro de 2010. Na arte editorial, uma seta aponta para  João todo espevitado no meio de um grupo de crianças que rodeiam em festa a presidenta. Na cena seguinte vemos legendado o diálogo de João com a Dilma que, obviamente, a Globo não passou no Jornal Nacional, mesmo tendo mostrado as cenas no dia do aniversário da presidenta:

João: “Sabe que a Cláudia e minha mãe votaram em ti?”

Dilma: “Votaram em mim? Mas que legal!”

João: “E que o Serra não ganhou?”

Corta novamente para entrevista de João que nos revela que ficou triste por não ter sido convidado para a posse. É de uma meiguice sem fim ver o sentimento de uma criança de cinco anos que confessa, sem cerimônias, ter chorado por não ter ido à posse da presidenta. Ele se sente amigo íntimo da presidenta. Não há como não se comover com sua fala:  “Eu não fui convidado”. Repórter: Pra quê? João: “Pra festa da Dilma (a posse), aí eu chorei”. Repórter: Você iria pra Brasília? João: “Eu sou do Brasil”.

Trechos dos programas (veja na íntegra aqui e aqui:

Ana Maria Braga: “Crianças sabem das coisas, né, presidenta?”

Dilma reforça mais uma vez a idéia de que é uma presidenta próxima de seus eleitores, argumentando que os brasileiros não são submissos e tratam seus governantes de igual para igual, reclamam, fazem sugestões, elogiam, contam histórias pessoais, tratam o/a presidente/a como uma mistura de parente, conselheiro, amigo. A presidenta argumenta que deve haver uma relação de igualdade na República, que os governantes devem estar preparados para receber críticas.

Dilma reforça ainda a idéia que o fato de ser mulher, ter menos força física, não a fragiliza e contrapõe o discurso machista que nos naturaliza como seres frágeis, carentes de proteção, à idéia de que é uma mulher forte, mas nem por isso dura. Num dado momento diz: “Sou uma mulher forte cercada de homens meigos”, e se põe como exemplo de quebra de paradigmas como fez em seu discurso da vitória.

Usando o espaço conservador para dar o seu recado

Ontem, durante a nossa fala no Sindicato dos Bancários, transmitida por twitcam, Azenha trollou a mim e a Conceição Lemes e escreveu este post aqui. Não há como não concordar com ele que Ana Maria Braga, Hebe Camargo, a senhora do “Cansei”,  reproduzem em seus programas seus valores conservadores (Hebe eu diria que reproduz os valores pré-primeira guerra mundial onde mulher ‘decente’ deveria conseguir um ‘bom casamento’, ler revista feminina em busca de receitas e de conselhos pra educar os filhos).

É fato que o cenário principal do programa da Ana Maria Braga é a cozinha, espaço privado da casa, visto como de domínio ‘natural’ das mulheres, esses sujeitos estranhos que sagram todos os meses em idade fértil, e para as quais ainda há machista que nos reservam o papel de ‘rainha do lar’: responsável pela higiene da casa, alimentação da família, educação dos filhos.

Já caminhamos distâncias astronômicas em relação a este papel restrito e restritivo, mas nem todas temos discursos politizados contra o machismo. Muitas das telespectadoras de Ana Maria Braga são donas de casa, gostam de cozinhar e, apesar de se ajustarem ao perfil ‘do lar’, são chefes de seus lares, têm dupla, tripla jornadas. Por isso,  Dilma Rousseff ter sido a entrevistada abre um campo novo naquele cenário doméstico e idílico do Mais Você. E a presidenta (que está se saindo um ‘animal político’ melhor do que encomenda) olhava pra câmera, sorria inúmeras vezes, falava com doçura e atenção, olho no olho, de ‘mulher pra mulher’.

Em cada fala de Dilma, (acompanhada de uma edição cuidadosa e camarada) sobre os preconceitos contra mulher, também vividos por ela (quando aprendia a dirigir por exemplo), ou no campo amoroso (o carinho de seu ex-companheiro), do amor fraternal das amigas, vizinhas, a imagem de avó carinhosa com o neto e também com as crianças da escola infantil em seu aniversário, construíam uma imagem de Dilma extremamente humanizada.

A Dilma é uma de nós, é como nós!  As telespectadoras puderam ouvi-la, se reconhecerem na presidenta, compreenderem e aprovarem as políticas públicas de seu governo voltada para esta parcela da população.  Enquanto isso Dilma que é melhor presidenta que cozinheira ia quebrando os ovos, falando do salário mínimo (entendido pelos sindicatos como arrocho), versava com segurança sobre a macro economia e aprontava o seu omelete com bicarbonato de sódio, aprovado pelo louro José, pela Ana Maria Braga.

Quanto a mim, retenho na memória o dia deste abraço sincero. Sou mulher de fibra e sei que Dilma também é e sabe disso.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



111 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

“É urgente pressionar o governo Dilma Rousseff, pautado e refém da mídia, a mudar de atitude” | Maria Frô

27 de outubro de 2011 às 00h59

[…] Dilma e a ‘Operação doçura’ na mídia velha […]

Responder

Nem a presença de duas candidatas competitivas nas eleições presidenciais impediu a mídia de julgá-las pelo aspecto físico | Viomundo - O que você não vê na mídia

24 de agosto de 2011 às 14h35

[…] que precisa de uma ampla faxina é a linguagem sexista da mídia velha Dilma e a ‘Operação doçura’ na mídia velha E os chargistas não têm nada mais a fazer do que piadas sexistas? Dilma Rousseff: “Sim, a mulher […]

Responder

O que precisa de uma ampla faxina é a linguagem sexista da mídia velha | Viomundo - O que você não vê na mídia

06 de agosto de 2011 às 16h42

[…] fiz duras críticas à presidenta Dilma por sua ida à festa da Folha e nunca acreditei na tal da ‘lua de mel’ da imprensalona com a presidenta Dilma e dito isso, não desejo da mídia institucional matérias governistas como os muitos textos […]

Responder

Dilma: Festa da Folha, Ana Maria Braga, Hebe, Obama e a mídia velha | Maria Frô

16 de março de 2011 às 13h33

[…] estabeleceu boas relações com programas voltados para o público feminino da classe C primeiro na Ana Maria Braga, depois na […]

Responder

8 de março, omeletes e ladeira a baixo « BiDê Brasil

07 de março de 2011 às 11h39

[…] precisa seguir em conjunto com a luta socialista, sem contorcionismos explicando o por que é bom ir a programas que só reafirmam o lugar em que o machismo nos coloca ao passar dos séculos. Mais do que nunca é […]

Responder

Vacarezza, o bolsa família, a cachaça e o contexto | Maria Frô

07 de março de 2011 às 09h39

[…] primeira vez que vi menção ao vídeo do Vacarezza foi num dos comentários de um post meu no blog da mulher no […]

Responder

IVAN NOGUEIRA

06 de março de 2011 às 18h09

Olá meu caro Azenha,
Tudo bem que a nossa presidenta seja a governante de todos os brasileiros. Agora, uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa; é preciso ficar claro que político sério precisa ter cara e lado.É preciso se dar ao respeito para que todos percebam qual a verdadeira posição política de um governante. Eu acredito no BRASIL!!! viva a DEMOCRACIA!!
Respeitosamente,
Ivan Nogueira de Morais

Responder

lia vinhas

06 de março de 2011 às 01h23

Para os autores de cr´ticas njustas e precipitadas e para os trolls disfarçados um pedido: Deixemaz mulher trabalhar, ela tem a matreirice mineira, sabe o que faz. aAnaliso pela reação entusiasmada de minhas amigas reacionárias por desinformação e ingenuidade.

Responder

    Gustavo Pamplona

    06 de março de 2011 às 02h28

    Gostei do termo "matreirice mineira"! ;-) Então eu diria que sou um MMM – matuto matreiro mineiro!!!

    Enquanto alguns nos ridicularizam (leia-se mídia paulista) por causa daquela expressão "mineirim come quietim" estamos quietinhos planejando golpes ardilosos contra os paulistas!!!!!!!!!!! hahahahahahahhah

    Vide o que o Aécim fez na campanha presidencial contra o Serra (o lance dos sigilos)

    Esta até merece aquela minha assinatura ridícula que agora apenas uso em casos especiais.

    —-
    Gustavo Eduardo Paim Pamplona – Belo Horizonte – MG
    Desde Jun/2007 matutando matreiramente e mineiramente no "Vi o Mundo"! ;-)
    Fundador do PORCO – Partido de Oligarcas Representantes de Capitalistas Opressores (PIG)

Léo

05 de março de 2011 às 22h28

Até agora os sinais do governo Dilma não são exatamente o que eu esperava de um governo dito "progressista" (e não falo de ajustes econômicos, falo de outros aspectos)… Me lembra um outro governo, de um tal FHC… Veremos, veremos, mas os sinais não apontam para um bom caminho. Enquanto isso a critica fica travada como que por mágica, ou conveniência, na questão do genero…

Espero estar enganado, para o nosso bem.

Responder

    Conceição Oliveira

    06 de março de 2011 às 10h35

    Crítica travada? Explique.

    Léo

    07 de março de 2011 às 00h19

    O que mais me preocupa é uma suposta modificação da política externa, para um realinhamento com as potências tradicionais (e não falo das questões sobre direitos humanos, ok?).

    Léo

    07 de março de 2011 às 00h37

    Desculpe, você me perguntou uma coisa e eu respondi outra. Acho que algumas vezes focamos em assuntos de menor importância, deixando em segundo plano outros que nos causarão, necessariamente, maior impacto.

Glecio_Tavares

05 de março de 2011 às 20h48

Agora é blogosfera governista? Quer dizer que as pessoas não podem ter opinião própria? Por mais que muitos achem inaceitável Dilma ter ido a festa da folha, isso não pode ser motivo para que quem aceita seja chamado de puxasaco ou qualquer outro nome depreciativo. Não vamos rotular as pessoas, por favor!
Tem muita gente preocupada com o dinheiro das verbas publicitárias. Vamos criticar depois que acontecer? Vamos deixar o pig ser o paranóico?
Antes de qualquer posição politica eu sou brasileiro e tenho orgulho de ser patriota, sou a favor da distribuição de renda e melhoria de qualidade de vida para quem esta a margem da sociedade. Acho importante que a Dilma seja democrata, e vou continuar apoiando os movimentos sociais. Reforma Agrária urgente, essa é a critica necessária, o resto é dispensável. Eu comemorei quando Lula ampliou o bolsa familia para pessoas que não tem onde morar, mas não vi ninguém brigando para que isso se efetivasse. Foi em 24/12/2009.

Responder

Jac Jan

04 de março de 2011 às 23h55

Grande sacada!
Seu texto aponta uma visão ampla e inteligente! Com certeza Dilma não daria um passo em falso em direção ao abismo!
Confio nela!
Obrigada
Jac Jan

Responder

FrancoAtirador

04 de março de 2011 às 17h31

.
.
Vocês não acham isso um tanto maquiavélico:

OS FINS NO IBOPE JUSTIFICAM OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO ?
.
.

Responder

Luciana

04 de março de 2011 às 12h46

Pra mim a ida da presidenta Dilma ao programa Mais Você foi uma grande sacada de marketing!
Ali ela pode desmontar toda aquela imagem negativa que foi construída e disseminada pela oposição. E pode mandar sua mensagem a uma parcela da população que não acessa os "blogs sujos", sendo portanto mais influenciável pelo PIG. Aposto que ela ganhou muitas admiradoras naquele dia!!
Recomendo aos que não aprovaram que acessem o site do programa e assistam, com certeza vão mudar de idéia.
O da Hebe só assisiti um pequeno trecho em um site, não tenho como avaliar.
Mas uma coisa é indiscutível: os locais onde ela precisa se mostrar são exatamente estes! Seus eleitores já a conhecem, é o resto que ela tem que focar, buscando aprovação justamente no terreno do inimigo!

Responder

    JotaCe

    04 de março de 2011 às 17h36

    Cara Luciana,

    Suas conclusões ‘indiscutíveis’, estão acima de qualquer lógica e até a sabedoria do povo a rejeita no provérbio de comparação um tante rude, mas muito sábio: ‘Quem com porcos se mistura, farelo come’. Pelo visto, a sua pregação de que os ‘locais em que ela precisa se mostrar’ são aqueles como a Globo, a falha, e outros similares, ao lado de exemplares do PIG implicaria fortificá-lo e promover o esvaziamento dos blogues progressistas. Estes representam o mais combativo (e talvez o único) bastião que a Dilma pode contar para que possa não só rejeitar a pressão do PIG, mas até de figurões do seu governo, e não se desmoralizar ao descumprir suas promessas de campanha. Abraços,

    JotaCe

    beattrice

    04 de março de 2011 às 19h00

    Um adendo na mesma linha de raciocínio "porquinho" ou PiGueana: "Não se atira pérolas aos porcos". Talvez seja possível listar vários provérbios de inspiração pigueana.

    Jair de Souza

    04 de março de 2011 às 19h10

    Estimado JotaCê, vou opinar sem saber o que diria nossa Luciana. Entendo que o que ela diz é que Dilma deve fazer chegar sua mensagem prioritariamente àqueles que não são atingidos pelos (diminutos) veículos de comunicação progressistas. Quem frequenta blogs progressistas já sabe qual é a proposta de Dilma, não requer sua presença com tanta constância. Não creio que ela tenha feito referência à Folha-OBAN, pois está atinge um público reduzidíssimo e quase todo cabeça feita (majoritariamente de direita). É diferente do público alcançado pelos programas da rede Globo. Estes, lamentavelmente, chegam a grande parcela de nosso povo. Se Dilma consegue fazer sua mensagem progressista fluir através desses canais, acho muito bom. Só não quero que o preço para tal seja alto demais. Mas, aí, eu estaria especulando. Só com o passar do tempo será possível dirimir dúvidas quanto a isso.

    José Vitor

    05 de março de 2011 às 19h31

    A participação da Dilma em programas populares de televisão é uma maneira dela disseminar uma imagem positiva e suas propostas de governo para um grande público (potencialmente, milhões de pessoas) que em geral não segue o noticiário político diariamente. É o mesmo público que foi alvo de propaganda anti-Dilma pela durante a campanha, e que foi bombardeado com propaganda anti-Lula em praticamente todo o governo Lula. Esta ação (populista) de Dilma faz bastante sentido, com a única ressalva que não sabemos qual vai ser o custo disso, dessa mudança de direção de 180 graus da Globo (especificamente da Globo, imagino que as outras redes sejam mais maleáveis).

    A participação da Dilma no evento da Folha (e possivelmente em outros parecidos) não traz absolutamente nenhum ganho ao governo. Ao contrário, Dilma se desgastou bastante com parte de seu eleitorado, e se humilhou ao prestigiar o PIG impresso, o mesmo PIG que fez uma campanha canalha contra ela. Como a Dilma pode prestigiar o evento da Folha, que até hoje não voltou atrás no episódio da ficha falsa ? É inadmissível, é inaceitável. Isso sem contar que em seu discurso ela acabou validando o discurso de "liberdade de imprensa" propalado pelo PIG, quando a gente sabe que na linguagem orwelliana do PIG a "liberdade de imprensa" é a liberdade do PIG mentir, manipular, destruir reputações, etc, tudo isso sem sofrer nenhum tipo de retaliação legal.

    Então, são duas situações diferentes.

    A participação em programas populares da televisão (mesmo da Globo) traz (pelo menos potencialmente) benefícios tangíveis ao governo, já que Dilma vai poder se dirigir DIRETAMENTE ao grande público, milhões de pessoas. Tem uma coisa que sempre cito, que é o seguinte: da mídia tradicional, a única que não morreu com a massificação da internet foi a televisão. Portanto, o investimento de Dilma nessa mídia faz sentido.

    A participação no evento da Folha, por sua vez não trouxe benefícios, pois o (relativamente) pequeno público que se importou com tal participação já tem opinião formada. Neste caso, realmente, a participação de Dilma foi como jogar "pérolas aos porcos".

Jair de Souza

04 de março de 2011 às 10h47

Creio que entendi assim: para Conceição de Olveira, a ida de Dilma à festa da Folha-OBAN e seu discurso lá foram negativos. Já sua ida ao programa da Ana Maria Braga pode ser considerada positiva. Se entendi corretamente o artigo, eu compartilho desta visão. Num país onde os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de reduzido grupo, todas as oportunidades que um governante popular tiver de passar suas mensagens através deles devem ser aproveitadas. Foi o caso no programa da tal Ana Maria. O caso da Folha-OBAN, lamentavelmente, foi diferente. Lá, Dilma se viu compelida a transmitia a mensagem deles (da máfia midiática) e não a de interesse do povo que a elegeu. Mas também não acho que isto seja o fim do mundo, nem motivo para começar a perder as esperanças. Foi um erro, em meu entender, e outros virão, com certeza. Mas nada desesperador. Devemos fazer nosso papel de cobrança e organização para que o resultado final seja muito mais de acertos do que de erros, especialmente naquilo que de fato importa: a melhoria da vida de noso povo.

Responder

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 14h36

    Obrigada pela leitura, Jair.
    Sim, é por aí. Fiz a análise do Ana Maria Braga para identificar os ganhos políticos que ela possivelmente teve. Não deve ter saído barato não, porque a edição do programa foi muito favorável a ela e esta não é prática da Rede Globo.
    E continuo achando lamentável a ida a Folha, mas especialmente o discurso chancelador (e que na minha opinião poderia ter sido evitado).
    abraços

    Geysa Guimarães

    06 de março de 2011 às 19h00

    Conceição:

    Chancelador é o termo exato.
    Entendo o comparecimento, mas o discurso ……foi isso aí que vc falou.

shevek_br

04 de março de 2011 às 09h49

Eu achei a interpretação da Conceição inteligente, até onde consegui entender.

(1) Tudo tem um custo (político, ou outro).

(2) Os benefícios políticos da ida de Dilma ao programa da Ana Maria Braga (e, provavelmente, ao programa da Hebe, e possivelmente a outros programas populares) compensam o custo de sua ida a esse programas.

(3) Os benefícios políticos (se é que houveram) da ida de Dilma à comemoração da Folha NÃO compensam o custo dessa ida.

Responder

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 14h38

    Obrigada, Vitor, assino embaixo o item 3, sintetizou o meu argumento :)

    JotaCe

    04 de março de 2011 às 18h43

    Caro José Vitor,

    De minha parte, aprecio como você, a inteligência da Conceição refletida na capacidade descritiva. Mas, seu raciocínio da relação dos custos/benefícios da confraternização da Presidente com o PIG desconsidera dois aspectos importantes. O primeiro é que a ação é como uma mensagem ao PIG da obediência governamental às políticas do sórdido modelo neoliberalista que, por sinal já vêm sendo adotadas. O segundo deles é que, ao longo do tempo, a confraternização com o PIG dará ainda mais fôlego ao mesmo e implicará no natural esvaziamento dos blogues progressistas. Os assessores da Presidência, ao esquecerem ou desprezarem os esforços e combatividade desses blogues, não atentam que eles são indispensáveis para que a Presidente possa cumprir sua plataforma de governo, já rejeitada até mesmo por alguns dos atuais ministros.
    Abraços,

    JotaCe

    Conceição Oliveira

    05 de março de 2011 às 12h40

    JotaCe como será que a gente consegue deixar claro isso para esta militância que já deve estar em "tratamento para o torcicolo de girafa que adquiriram com o contorcionismo para justificar o discurso.”? ( A frase é do Mello: http://blogdomello.blogspot.com/2011/02/de-dilma-

    teresa b

    07 de março de 2011 às 07h01

    No programa da Ana Maria e Hebe Camargo, a Dilma foi como PRESIDENTA do BRASIL.
    Na Falha, como presidente do brazil, para reverenciar os que se consideram donos do país.

Adriana

04 de março de 2011 às 09h40

Belo texto da Conceição Oliveira!!! Não poderia ter se expressado melhor!!! Confesso que eu não estava engolindo muito esse lance da Dilma ir no Mais Você… mas depois de tudo que rolou contra ela no período pré-eleitoral dá pra entender. Acertou na lata!!!

Responder

Dorotea

04 de março de 2011 às 07h39

Não seria nada inteligente de parte de Dilma "bater de frente" com o PIG desde o início do governo. Sobre a ida dela ao estúdio de Ana Maria Braga, o que importa é a mensagem subliminar: "não se faz omelete sem quebrar os ovos."

Responder

Candido

04 de março de 2011 às 00h41

Essa senhora passou dos limites da estupidez. Dilma e presidenta do Brasil, de todos os brasleiros.Deixe de ranco, veja e raciocine o modo e tempo, pra tudo ha um meio, um procedimento,uma atitude,uma resposta,deixe as blandicias para PIG, a Presidenta sabe o que o que faz,joga o jogo deles. Avalie,medite e veras que Dilma nao se viu em nenhum momento constrangida ou mesmo afrontada, alias vem colocando todos eles atordoados a cada lance jogado.

Responder

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 08h12

    Cândido há comentaristas que ultrapassam também, especialmente quando não se dão ao trabalho de ler o texto para comentar.

    Moreira

    04 de março de 2011 às 14h48

    Candido, tenho más notícias: você não entendeu nadica de nada.
    Vamos lá: respire fundo e releia tudo com bastante calma

Sandra Ryas

03 de março de 2011 às 21h56

Depois que eu consegui ler inteiro o texto dessa Conceição sem dormir de tédio cheguei a mesma conclusão daqueles que ela ataca aqui: ela precisa urgente de uma boa terapia!

Responder

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 08h06

    Obrigada pela leitura e diagnóstico.
    Quanto você está cobrando a consulta?

Geysa Guimarães

03 de março de 2011 às 20h27

Pelo que entendi, a Conceição Oliveira aprovou a performance da Presidenta no Mais Você. Gostei.
Pra doçura ficar no ponto, faltou Dilma se desculpar ao João Pedro por não ter sido convidado à posse. Tadinho do garoto, a decepção por ter ficado fora da cerimônia foi de tocar o coração.
Reclame quem quiser, a Presidenta está certa. É assim que se conquista São Paulo: bregando.

Responder

IV Avatar

03 de março de 2011 às 20h19

Muito arriscado ficar detonando Dilma sem motivo, por uma simples ida a um programa de TV, que por sinal é o unico elo com o povão
É um grande erro acusa Dilma, já vi esse filme antes, a mesma ladainha contra Erundina, a chamavam de administrativista
Segue link para pesquisa sobre comentáiros contra ou a favor de Dilma na web
http://www.redebrasilatual.com.br/temas/tecnologi

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 21h12

    Eu adoraria que os comentaristas lessem ao menos o texto…..

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 21h16

    Seria bom também ler os links indicados. No da Rede Brasil atual trata-se da avaliação dos primeiros DIAS de governo, antes de ela ter ido aos 90 anos da Folha discursar, votar salário mínimo, cortar 50 bilhões do orçamento e aumentar 1% a taxa de juros.

Raul

03 de março de 2011 às 18h22

Faço questão de comentar esta matéria. Primeiro porque precisamos esclarecer alguns pontos: Dilma é a Presidenta do Brasil e não da Blogosfera(na qual me incluo como participe), precisa chegar a todos os brasileiros, é bom que se aproxime da dona de casa, das mulheres e possa desconstruir a imagem que o próprio PIG tentou construir para ela.
Ninguém pode ficar enciumado porque ela foi na Festa da Folha, ou na Ana Maria, Hebe, etc… Evidente que quem ajudou a criar condições para sua aceitação eleitoral preferiria que ela virasse as costas para estes meios de comunciação, mas não se governa assim.
Segundo precisa ficar claro que como Presidenta do Brasil, ela precisa ter espaço na mídia e se chegar ao povo, principalmente se aproximar daqueles que não a elegeram.
Vamos combinar que a Dilma esta agindo tão sorrateiramente, que o PIG não consegue bater nela como fazia com Lula, ela vai conseguir colocar todo mundo no bolso do colete. Aliás já conseguiu, a Hebe se rendeu a Dilma, a Ana Maria Braga também, até o Otavinho teve que fazer sala para ela.
Para finalizar a Dilma é a Dilma e estamos conversados.

Responder

vania maria

03 de março de 2011 às 14h21

A Dilma sabe o que faz…e conhece muito bem o PIG.
Eu confio na nossa presidentA como sempre confiei no meu querido presidente Lula!!!
E como disse o Lula: Confio plenamente na integridade, no compromisso, na ideologia da companheira Dilma… E tenho certeza, pelo que conheço da companheira Dilma, esse país vai permitir que a classe C logo vá para a classe B.”
E tenho dito.

Responder

Yarus

03 de março de 2011 às 12h47

Será que alguem pode me dizer, qual é a da Record? Deu uma "aula" de edição, de dar enveja as PIGonas bravas. Vejam a manchete do vídeo no R7 :

"Cândido Vaccareza diz que dinheiro do Bolsa Família vai ser usado em bebida alcoólica"
http://noticias.r7.com/videos/candido-vaccareza-d

Obrigado Azenha, por ter publicado um outro comentário meu.

Estou sendo por várias vezes censurado em outro blog sujo.

Lamentável ser censurado por escrever a verdade, e por passar um link do R7. LAMENTÁVAL!

Ley dos médios já!

Responder

    Yarus

    03 de março de 2011 às 18h20

    Vou reproduzir aqui, o texto na qual fui censurado por varias vezes em outro blog sujo.

    (Vejam este Vídeo:
    http://noticias.r7.com/videos/candido-vaccareza-d… )

    3 palavrinhas e o link. . Hora, se tem alguem fazendo besteiras, esse alguem não sou eu!

    Grato.

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 21h42

    O Vacarezza pode ser criticado por muita coisa, mas neste caso ele foi literalmente sacaneado pelo JR e pela manchete do R7, aqui a fala na íntegra, dentro do contexto http://glo.bo/dRQLiR .

Mariana Rodrigues

03 de março de 2011 às 12h38

Oh, dois comentários meus CORTADOS?
Mas vou insistir. Conceição deveria ter refletido mais para escrever. Ficou mal na foto, parecendo gente despeitada. Não combina com você, mulher!

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 14h19

    Eu não cortei comentário algum, fiquei mal na foto? Pô, nem aparece meu rosto :P

    Mariana Rodrigues

    03 de março de 2011 às 15h44

    Pois bem amiga, ontem à noite escrevi dois longos comentários; eles foram enviados e SUMIRAM no buracão. Será que no buracão da cabeça inchada rsrsrsrsr…

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 16h07

    Acabo de ver que o Azenha abriu um post sobre comentários deletados. Não sei o que pode ter ocorrido, eu faço um exercício imenso pra não deletar nada, nem aqui, nem no Maria Frô. Ontem à noite tinha poucos comentários pra aprovar, a notinha da pergunta da Miss “Macho Selvagem” rendeu muitos comentários. Hoje é que parece que os leitores do Viomundo descobriram o outros textos. Tem certeza que vc os postou aqui? Às vezes nos confundimos e vc pode ter postado em outro post.
    Poste novamente, ok?

    Luiz Carlos Azenha

    03 de março de 2011 às 20h54

    Mariana, tivemos problemas — como se diz nos bancos — com o "sistema". abs

isnard

03 de março de 2011 às 11h05

Estão descontentes com a ida da Presidenta Dilma ao 'Mais Você' da Ana Maria Braga/ Globo?
A Presidenta Dilma vai a 'inauguração do Programa da Hebe, a mais ultra-direita, conservadora e anti-pobre da TV Brasileira, para mim será MAIS UM TAPA COM LUVAS DE PELICA NO PIG, que está com medo de perder verbas das propagandas do Governo Federal… A Hebe fazendo propaganda das Farmácias Populares, como se ela usasse as farmácias, e fosse 'popular'… A Hebe quer mais é que o "Povo se exploda"!

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 16h08

    Acho que vc não leu o texto, por nada não, mas é bacana que ao menos se leia o texto, né?

Luciano Prado

03 de março de 2011 às 10h15

Dilma já agendou ida a casa do Big Brother.

Ela não é uma gracinha?

Responder

Mário Salerno

03 de março de 2011 às 07h16

O que eu mais notei ao ler os vários comentários nos blogues foi a total hipocrisia e incoerência daqueles que se pretendem de esquerda e que tiveram a oportunidade de votar na Dilma. Segundo essas pessoas, para quem o PIG, até a eleição, era um partido político disfarçado, em vez de empresas de comunicação, passou a ser um conjunto de empresas de comunicação e jornalismo em vez de um partido político disfarçado!!

Sim, pois a tônica dos discursos passou a ser o "espertísimo" uso político que a Dilma faz ( ou fez, ou está fazendo) desse espaço.

Quanto a mim não tenho dúvida. Isso expressa mesmo é a visão política conservadora da Presidenta.

Responder

    beattrice

    03 de março de 2011 às 12h20

    Seguindo seu raciocínio fica mais que explicada a presença do Tony Palocci no gabinete ou não?

    Mário Salerno

    04 de março de 2011 às 16h51

    A do "Malocci" e a do Cardozo, que é empregado do Daniel Dantas. O mais engraçado, Beatricce, a meu ver, é o fato de a política econômica estar agora sob a batuta do "Malocci". A Dilma jogou no lixo a experiência dos anos passados, em que a gestão neoliberal "maloccista" foi sucedida pela desenvolvimentista (e com muito sucesso) para voltar a ser ortodoxa, contracionista, neoliberal e fadada ao fracasso.

    beattrice

    04 de março de 2011 às 19h06

    Seria engraçado se não houvesse um cheiro de omelete queimando no fogo.

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 17h47

    Beatricce se o Último Segundo não mentiu, Palloci na avaliação da presidenta é seu melhor ministro.

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 14h22

    Mário, acho que deixei clara a minha posição, não? Repudio e repudiarei a ida/discurso chancelador da Folha. A ida na Ana Maria Braga, acho que foi muito diferente do que fez na Folha. Agora sim, resta saber quanto custou este omelete, os ovos quebrados saíram da nossa granja.

    Mário Salerno

    04 de março de 2011 às 16h45

    E em quê, minha cara, essas duas aparições destoam tanto? Seria porque Ana Maria Braga por ser apresentadora de "programa feminino" é menos, digamos assim, politizada? A Globo, não esqueçamos é aquela emissora de tevê (na verdade, conglomerado de comunicação) que já realizou entre outras proezas a edição do debate do Lula com o Collor e a tentativa de golpe eleitoral contra o Brizola (o famoso caso Proconsult). O jornal O Globo lembremos, foi desde o primeiro momento, a favor do golpe militar de 64. E não só isso; Roberto Marinho foi um dos mandarins do regime militar. Não é muito diferente do que fez a Folha.

    Portanto, reafirmo, há um grande equívoco em não se considerar a Globo como o que é, um partido político disfarçado; um instrumento da direita que, apesar de politicamente debilitada, ainda mantém o poder.

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 17h46

    Mário, Dilma não precisou fazer discurso laudatório dizendo que a globo ou qq um de seus programas é EXEMPLO DE JORNALISMO como fez na Folha de São Paulo, chancelando um jornalixo exemplar que publica até spam de blogs de extrema-direita. Esta diferença é crucial.
    abraços

    beattrice

    04 de março de 2011 às 19h05

    Em tempo,
    como muitos vêm demarcando oportunamente, de repente, não mais que de repente, estes primores de "imprensa", FSP, GLOBOPE & cia., passaram a ser "órgãos de comunicação" e muita gente parece esquecer que constituem um Partido da Imprensa Golpista.

Myriam Marques

03 de março de 2011 às 05h25

É isso aí, Frô … Eu também gostei muito do programa e acho que Dilma fez muito bem em ir. Sou feminista, mas como gosto de cozinhar, de vez em quando ja vi o programa e conheço um monte de feminista que também gosta. A gente tem que aproveitar todos os espaços porque nossos adversários tem de sobra, infelizmente. E a Dilma esta impecável mostrando seu lado avó, falando do trabalho duro, da mãe, etc …! Acho que as mulheres que assistem dvem ter adorado também !
Agora … é natural que a blogosfera progressita fique confusa porque e desapontada porque, é mesmo muito mimo ( ir na festa da Folha) , deveria ter mandado só um cartãozinho prá não ficar chato e pronto.

Responder

zé cachorro

03 de março de 2011 às 00h38

Agora entendo porque a Cristina não veio à posse. Ela não é burra. Ela sabia quem era Dilma.
Uma bajuladora da direita. Eu te odeio Dilma, votei em você e me arrependo amargamente.
TRAIDORA !!!!!!!!!!!!!!!!!11

Responder

    Felipe

    03 de março de 2011 às 22h29

    Troll?

    Conceição Oliveira

    04 de março de 2011 às 17h48

    Pode ser, mas ando descobrindo que a trolls à esquerda também. Acompanhemos.

Marat

03 de março de 2011 às 00h10

Eu votei na Dilma, até porque Serra seria o mal maior para o país, mas eu nunca deixei de ser crítico, uma vez que não sou petista. Considero o PT um partido de direita que ainda abriga ALGUNS POUCOS esquerdistas… Quando eu critiquei Dilma aqui no Viomundo (o melhor remédio contra esse vil mundo), fui duramente criticado… ora, Dilma se encontrava dentro de um carro, ao lado de uma janela e, ao ser interpelada por uma repórter, posicionada ao lado da janela oposta, e lhe dizer: "Presidente Dilma, por favor, responda uma pergunta para o Fantásitico" e a Dilma, de maneira grotescamente incontinenti, virou-se rapidamente para a repórter, de cara me causou uma péssima impressão… depois disso a omelete com a extrema-direitista Ana Maria Braga. Agora, elogios da Maitê… ora, sejamos francos, eu preferia uma Cristina Kirchner!!!

Responder

    Gustavo Pamplona

    03 de março de 2011 às 01h41

    Existe uma teoria que eu conheço que assim que todo partido que fica tempo demais no poder, caso agora do PT que pode vir a completar 12 anos em 2014 (*) ele acaba se tornando um partido de "direita" ainda mais quando setores conservadores da sociedade começam a apoiar as políticas.

    Isto porque depois de muito, muito tempo… vamos supor, uns 20 anos no poder vão acabar surgindo grupos de "esquerda" querendo a derrubada do governo. Isto é totalmente factível já que ninguém vai aguentar o mesmo partido no poder.

    Bom… sou um PTista… mas sei que alguns programas do governo são ruins… o Minha Casa Minha Vida é um deles… só fez encarecer os imóveis já que as imobiliárias para fugirem da obrigatoriedade elevaram os preços de maneira especulativa…além do mais… alguns financiamentos do MCMV podem chegar a 30 anos… ou seja uma vida inteira pagando…

    Além do mais todos nós sabemos o porque que o PIG agora anda passando mel na presidenta.

    1 – Não existe mais um Gilmar Dantas e a influência dele hoje no judiciário se tornou restrita.
    2 – A oposição está na UTI (palavras de Katia Abreu) morrendo lentamente.
    3 – Além de quase 390 deputados e pouco mais de 50 senadores

    E não esquecendo da temida "Ley de Medios" e que sinceramente tenho minhas dúvidas se um dia ainda vão regular a mídia no Brasil e tal da Comissão da Verdade.

    (*) bom… pode acontecer algo e o PMDB do Temer assumir

    Marat

    03 de março de 2011 às 07h49

    Prezado Gustavo, realmente quaisquer partidos acabam tendo de fazer alguns ajustes aqui e ali, e, as vezes, algumas alianças esdrúxulas, para conseguir votos e maiorias, mas não se pode dar muita abertura aos direitistas, ainda mais aqui no Brasil, onde se confunde lamentavelmente, o público com o particular e onde a distribuição de renda é tenebrosa. Já que a turma ADORA o capitalismo e adora copiar os EEUU, que tal copiar as (poucas) coisas boas que vêm de lá, como um judiciário eficiente, uma justiça que ao menos prende os mais abastados, quando pegos em suas falcatruas, um sistema de ensino um pouco melhor, e um sistema de transporte e de saúde minimamente eficientes e respeitadores? Esse namoro (direita do) PT com o PIG me lembra demais o atraso, a desigualdade, o cinismo, a leviandade e o descaso com o qual as pessoas da sala de jantar tratam os mais necessitados daqui. De malandragem, acho que já basta a prefeitura e o governo de SP…

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 10h15

    Marat, sistema de Saúde eficiente nos EUA?

    Luiz Carlos Azenha

    03 de março de 2011 às 12h15

    Conceição, faltou apenas um pequeno detalhe: quanto custou o omelete? bj

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 14h23

    Não sei, Azenha, não me informaram, se descobrir nos conte, bjs

    Mário SF Alves

    03 de março de 2011 às 23h00

    Incluam mais um aí nessa lista dos que querem saber do orçamento. Ô, Azenha, que história é essa de omelete? Não, não diz nada não, a mim já basta o preço!

    Marat

    04 de março de 2011 às 22h41

    O preço é muito alto. Talvez custe reputações!!!

    Ivanir o. da silva

    06 de março de 2011 às 10h02

    Luiz Carlos, nunca vamos saber esse custo que seria muito bem colocado nos postos de saude e hospitaIs onde ela deveria ir parAa marcar uma consulta u ser atendida com uma dor de cabeça bem forte para sentir na pele os que os brasileiros estão passando todos os dias.

    Marat

    03 de março de 2011 às 14h26

    Conceição, tudo bem? Digamos que ele é menos ineficiente que o daqui…

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 16h09

    Uai, Marat, Obama foi eleito pra fazer um SUS e nem isso ele conseguiu :(

    beattrice

    04 de março de 2011 às 19h09

    Contanto que não queiram transformar o SUS numa gigantesca OS depois que mandaram o Temporão pra casa.

    Andre

    04 de março de 2011 às 08h33

    Voce quer me convencer que o sistema de saúde americano nao é melhor que o Brasileiro?

    OBS.: Eu morei em NY 3 anos (2006, 2007, 2008), nao preciso de documentário algum pra ter minha opinião.

    Maria José Rêgo

    03 de março de 2011 às 18h29

    Marat, o sistema de saúde dos USA não é bom. Sugiro assistir o documentário Sicko.

    beattrice

    03 de março de 2011 às 02h56

    Os sintomas são deveras preocupantes, simbolizam tudo o que foi derrotado nas urnas em 2010.

Selma

02 de março de 2011 às 23h58

Concordo com vc, Conceição! Entendo perfeitamente a Presidenta! Ela sabe que não é Lula e que necessita desses momentos informais para reverter os estragos que tentaram fazer na sua imagem.
A primeira Presidenta do País esteve no programa da AMB na Semana da Mulher e, mantendo a coerência, foi à RedeTV, uma emissora minúscula em relação à Globo. É interessante que aceitou ser entrevistada pela Hebe que também lutou contra um câncer. Acredito que esse elo entre as três transpõe as demais barreiras e só entende mesmo quem enfrentou o mesmo dragão. Para mim, Dilma está dando um baile nessa galera do PIG! Ela sabe o que quer, já para eles está posto o desafio do filme: "Decifra-me ou te devoro!!!" Dá-lhe, Dilma!

Responder

beattrice

02 de março de 2011 às 23h49

Excelente texto Conceição, e esta sua análise reforça a percepção da sutileza da trampa preparada pela mídia reacionária, a ser deflagrada nos próximos movimentos do tabuleiro montado diante de todos nós.

Responder

Marat

02 de março de 2011 às 23h47

Partido da Imprensa Governista é ótimo… Mas, que coisa triste estamos vivendo… Durante a campanha o PSDB procurava, as vezes, fingir que era o PT. Agora no governo o PT finge (será que só finge?) ser o PSDB, por medo do PIG… As vezes acho que o PIG é mais que PIG: é um Javali…

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 16h10

    Javali, boa!
    Mas este Javali em peso não conseguiu levar a eleição para o Serra. Daí o meu protesto do beija mão ao Frias.

    Marat

    03 de março de 2011 às 20h09

    O negócio é não alimentar o javali. Tem de fazê-lo passar um pouco de fome, para ver se ele aprende. E não se trata aqui, de amansar, pois os que os aman$$$am são certos consulados e certas embaixadas. Apenas devemos ensinar que o espaço para eles fazeem suas necessidades é um pouco menor do que eles pensam, ensiná-los que, se atacarem, serão atacados etc… Lidar com animais pouco inteligentes é muito difícil…

    beattrice

    04 de março de 2011 às 19h10

    Difícil, mas não impossível, desde que haja determinação de mostrar quem é o dono e quem é o animal.

    Mário SF Alves

    03 de março de 2011 às 23h21

    Que estardalhaço! Por que tanto barulho por uma homenagem inocentezinha dessas à sucursal do Rupert Murdoch no Brasil?
    E que preciosismo é esse de se estranhar a troca do A pelo E de (a) governante? Ou será que não dá para imaginar o brilhantismo/genialidade da estratégia do governo? Será (e agora é sério!) que não dá para entender que esse movimento já é a moeda de troca ligada ao conteúdo do dossiê-prospecção-histórica elaborado pelo ex-PIG FSP?
    Bom, sei lá, mas, seja como for, o governo pode ter razões que a própria razão desconhece, ou não?
    Portanto, pensemos… pensemos até envelhecermos de vez. Pensemos, quem sabe, até que a morte nos encontre um dia sem ter feito aquilo que tanto queríamos: o Brasil País de Todos!
    A propósito, por falar em R. Murdoch, vale cada segundo de uma visitinha ao site do Avaaz: http://www.avaaz.org/po/stop_rupert_murdoch_3/97….

Joaozinho santana

02 de março de 2011 às 23h30

Sinceramente, só os fracos capitulam. A Dilma não é fraca e sabe que os caras estão querendo seduzi-la com mimos! Ela aproveita o espaço e eles ficam chupando o dedo!

JS

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 14h24

    João, a ida em vários veículos de televisão sinaliza que haverá mudanças na linha publicitária das verbas federais? Esta é a pergunta que falta responder.

João Carlos - SP

02 de março de 2011 às 23h20

Seis é igual a meia-dúzia

A ida à festa da Folha, ao programa da Ana Maria Braga e à Hebe são da mesma natureza.

Dilma sempre respeitou seus adversários e nunca agiu com rancor.

Querem que Dilma seja quem ela não é.

Dilma é a mesma de antes, apenas decepcionou alguns que pensavam que ela era rancorosa e atacaria o PIG.

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 10h17

    Na Ana Maria Braga controlou a pauta em programa gravado. Na Folha chancelou o jornalismo praticado pelos Frias por meio de um discurso laudatório são coisas muito diferentes.

    Luiz Carlos Azenha

    03 de março de 2011 às 12h17

    Desculpe discordar aqui, Conceição. "Controlar a pauta" é, necessariamente, bom?

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 14h31

    Querido Luiz, a blogosfera governista me acha ingênua, romântica e sonhadora, outros burrinha e deslumbrada,traíra….

    Resolvi olhar a tal da realpolitik que está muito em voga. Não estou defendendo ou justificando o controle de pauta, né? Senão nem teria me dado trabalho de fazer uma leitura semiótica, do programa (de alguns trechos pelo menos).

    Interessou-me ver o jogo político que ela fez no programa, seus ganhos ou perdas políticas. É diferente. Jogo este, ao meu ver, dentro da #realpolitik, mais inteligente que o tal 'tapa de luva de pelica' na Festa de 90 anos.

    Mário SF Alves

    03 de março de 2011 às 23h25

    Aí, Conceição! É disso que a gente gosta. Por favor, siga adiante.

    beattrice

    03 de março de 2011 às 12h22

    Ao comentário do Azenha acrescento, ambos os cenários são redutos do Partido da Imprensa Golpista e Ana Maria Braga não é simplesmente uma apresentadora de televisão, é um ícone da extrema direita paulista.

Julio Cesar

02 de março de 2011 às 23h11

Adorei isso aqui! Fala boa essa! Nota mil pra vc!

Responder

Nanda Tardin

02 de março de 2011 às 22h10

O que mais gostei vc. não falou: Do papo entre 'amigas' com a Maite. A Maite até perdeu o medo. Putzzzzzzzz Sou Mais Você Fro. bj

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 10h18

    :) Desculpa Nanda, mas Maitê teve até sua questão cortada, quem dominou a pauta da Ana foi a equipe de Dilma, resta saber o custo publicitário disso.

Cláudio

02 de março de 2011 às 21h52

Gostei não, muita seda rasgada… Eles estão precisando dela, estão fazendo lobby.

Responder

Post novo no blog da mulher: Dilma e a Operação ternurinha | Maria Frô

02 de março de 2011 às 21h51

[…] Por Conceição Oliveira do Blog Maria Frô, twitter: @maria_fro, no Blog da Mulher […]

Responder

Gustavo Pamplona

02 de março de 2011 às 21h23

Infelizmente a Dilma está cuspindo no prato que comeu… e jogando fora toda a militância que a ajudou a eleger.

Responder

shevek_br

02 de março de 2011 às 21h16

O que a Conceição escreveu é muito legal. Minha preocupação é o que a Globo espera ganhar com a Operação Doçura. Porque a lógica diz que alguma coisa eles esperam ganhar. Eles obviamente fazem tudo pensando no bolso (próprio).

Responder

    Conceição Oliveira

    03 de março de 2011 às 10h20

    A minha também. Mas Dilma não tem nada de ingênua, aliás não há ingênuos nesta relação do governo com o novo pig de pelúcia cor de rosa como diz @bemvindo_ator

Gerson Carneiro

02 de março de 2011 às 21h05

" Ana Maria Braga: 'Crianças sabem das coisas, né, presidenta?' "

É por isso que eu não quero crescer.

Já me indignei, esbravejei, briguei, fiquei zangado mas… devo reconhecer: no fundo é ciúmes.

Lutei tanto pela eleição de Dilma. Dispensei amizades, briguei… agora não suporto ver o PIG paquerando a minha Presidenta. É como ver um safado paquerando a minha mãe, ou minha irmã.

Mas reitero tudo que eu disse até aqui. Em especial porque será difícil para mim defender Dilma quando o PIG voltar a insultá-la. Com quê cara voltarei a defendê-la do PIG? Ainda não consegui compreender isso.

Responder

    Ricardo_Alves

    03 de março de 2011 às 07h31

    se voce tiver na casa dos 40 anos , como eu deve se lembrar de um desenho animado no qual o lider do grupo erquia uma espada e dizia. " espada justiceira dei-me a visao alem do alcance." as vezes nao conseguimos ver alem de nossa compreensao. devemos confiar, assim como confiamos en nossos pais.

    sou pt deste dos meus 14anos quando fazia a 8 serie, era o ano de 1985 estudei com militares dentro da sala de aula ficavam de olho em nos. naquela epoca era ridiculo falar em pt principalmente aqui em minha cidade ultra direita ate a alma. hoje orgulhoso devolvo na mesma moeda a indiverenca aqueles 4% que odeiam o brasil. viva lula e viva a dilminha por mais 8 anos

    Gerson Carneiro

    03 de março de 2011 às 09h09

    O desenho era o "Thundercats".

    " Ana Maria Braga: 'Crianças sabem das coisas, né, presidenta?' "

    É por isso que eu não quero crescer.

    [youtube qglqlRtpxKA http://www.youtube.com/watch?v=qglqlRtpxKA youtube]

Raphael Tsavkko

02 de março de 2011 às 21h02

Aqui tem mais um blogueiro que criticou a atitude da Dilma de ir na Folha, na Ana Maria Brega… http://tsavkko.blogspot.com/2011/03/blogosfera-re

Responder

    Sandra Ryas

    03 de março de 2011 às 21h58

    O dia que um seguidor do PSOL elogiar alguém do atual governo eu vou ficar preoucpada…! risos! Afinal eles pregaram voto nulo, vanmos esperar o que deles??


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.