VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Altamiro Borges: Clarin perde na Justiça, mídia brasileira chora


28/11/2012 - 13h36

por Altamiro Borges, em seu blog

 A Suprema Corte da Argentina negou ontem pedido do Grupo Clarín de extensão da medida cautelar contra a entrada em vigor da “Ley de Medios”, que define regras para reduzir os monopólios midiáticos no país e para garantir maior liberdade de expressão, com maior concorrência e diversidade de veículos. Com mais esta decisão da Justiça, o Grupo Clarín, que detém 237 licenças de TV a cabo e 25 de TV aberta, terá que se desfazer de vários negócios. A lei só permite que cada operadora tenha 24 no cabo e 10 abertas.

A Ley de Medios deverá entrar em vigor no dia 7 de dezembro – “o 7D, da democracia e da diversidade”. Segundo o jornal O Globo, a Suprema Corte indeferiu o pedido de ampliação deste prazo e “solicitou à Câmara Civil e Comercial que resolva, com urgência, o caso iniciado pelo grupo após a aprovação da lei, em 2009”. Ou seja: o Grupo Clarín não poderá mais protelar a vigência da nova legislação, principalmente dos artigos 45 e 161 contra os monopólios. No mínimo, ele terá que negociar as formas para se desfazer do seu império.
Mesmo assim, os barões da mídia da Argentina já anunciaram que não acatarão a Ley de Medios. Na luta contra a decisão da Justiça, eles contam com o apoio dos seus “hermanos” do continente, aglutinados na mafiosa Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP). No caso do Brasil, o jornal O Globo de hoje – o mesmo que endeusa o STF no julgamento do “mensalão do PT” – satanizou a decisão da Suprema Corte da Argentina. Já a Folha publicou hoje uma notinha de três linhas sobre a derrota do Grupo Clarín.

Leia também:

Relator da ONU para liberdade de opinião e expressão vem Brasil em dezembro

Miguel do Rosário: O insustentável golpismo da mídia

Altamiro Borges: Chega de esperar a democratização da mídia pelo governo Dilma!

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

[email protected]_2

29 de novembro de 2012 às 13h20

Na Argentina, eles tem um STF, midia democratica, punição aos ditadores.
No Brasil, temos o supremo circo, onde banqueiros bilionarios e outros bandidos menos aquinhoados recebem HCs quantos forem necessarios, assassinos da ditadura seguem impunes e ricos, demotucanos soltos e roendo o Estado onde detém o poder.

Punição, só pra pobre, preto, prostituta e petista…

Que inveja da Argentina!

Responder

Gerson Carneiro

29 de novembro de 2012 às 09h53

Quando não havia os blogues sujos chegava ao nosso conhecimento apenas a polêmica se Maradonna era melhor que o nosso Pelé. Agora a gente fica sabendo até que o STF deles é muito melhor.

Responder

Sérgio

29 de novembro de 2012 às 01h08

Quem sabe, no futuro, ainda teremos um Judiciário altivo e que não se dobre ao clamor da “opinião publicada”.

Responder

Rodrigo Leme

28 de novembro de 2012 às 22h51

A justiça argentina é o sonho do PT: de 4 pro governo.

Responder

    Abel

    28 de novembro de 2012 às 23h06

    E a Justiça brasileira é o sonho das elites: de quatro para os barões da mídia (e seus sabujos)…

    ronaldo silva

    29 de novembro de 2012 às 01h15

    …que coincidência, a mesma forma como vc se posiciona à direita…

paulo

28 de novembro de 2012 às 21h38

Manda a noticia pro PT.

Responder

Mateus Silva Ferreira

28 de novembro de 2012 às 21h20

Eu já tive tanto orgulho do PT,mas agora…que vergonha!

Responder

Urbano

28 de novembro de 2012 às 20h53

Só que na Argentina existe uma Suprema Corte. Já aqui no Brasil existe uma urupema corte; é furo pra dedéu. Já perdi até as contas de HCs para bandidos ricos…

Responder

Rose PE

28 de novembro de 2012 às 20h12

Argentina de parabéns pela coragem de enfrentar essa mídia elitista nojenta que nada contribui para democracia de um País. Viva Cristina! Viva a nação Argentina!

Responder

    Carlos Yomuri

    29 de novembro de 2012 às 08h02

    Muda pra la!
    E submeta-se aos caprichos da filhota do Hugo Chavez.
    O Brasil ja viveu sob ditadura, e a experiencia nao foi boa.
    Prefiro a nossa democracia, com todos os Sarneys, Calheiros, Cachoeiras, Lulas, Dirceus, Genoinos e afins.

renato

28 de novembro de 2012 às 19h25

A Globo tem que pagar pelos desmandos
que faz, coloca o bom nome do JORNALISMO.
num saco sem fundo, de interesses politicos
partidários, que com certeza visa o lucro
e o interesse em dominar o pensamento do
povo brasileiro, não ajuda a construir uma
democracia forte, baseada na credibilidade
de nossos jornais. Que deveriam levar a
honradez, os interesses do país acima de
tudo. Nos somos o Brasil, lavamos nossas
roupas dentro da nossa cozinha.
Depois de lavada e e alvejada aí sim,
colocamos no varal para secar, e os vizinhos
invejarem tamanha dedicação com a verdade!
Me envergonha que nossa imprensa se envolva
tanto com a mesquinhez de alguns ratos.
Para ratos as devidas ratoeiras.

Responder

MariaC

28 de novembro de 2012 às 16h41

Viva!Viva!Bum! Bum! Bum!

Responder

lulipe

28 de novembro de 2012 às 16h32

Ainda bem que por aqui presidente nenhum manda em juízes ou ministros dos tribunais superiores.A presidente da Argentina é conhecida por perseguir magistrados que não aceitam seu cabresto. Um deles,o juiz Daniel Ostropolsky, que integra o Conselho Judicial da Argentina (órgão que define os novos juízes argentinos, atuando de forma conjunta com a Suprema Corte local),disse que as autoridades agem de forma “absolutamente inaceitável” ao tentar decidir como ele, e outros juízes de oposição, devem votar sobre um determinado assunto.

Responder

    MariaC

    28 de novembro de 2012 às 16h43

    Não há correlação entre seu comentário e o texto.

    lulipe

    28 de novembro de 2012 às 19h40

    Se você não tivesse faltado às aulas de interpretação de texto, talvez entendesse o meu comentário…Ainda é tempo….

    Caracol

    29 de novembro de 2012 às 05h53

    E se o seu texto precisa de interpretação, então é melhor não escrevê-lo.

    milton2

    28 de novembro de 2012 às 21h33

    Se é inaceitável tal ingerência nas cortes superiores, porque então decidem do jeito que o governo de lá quer (punição para crimes da ditadura, ley de médios)??????

    Abel

    28 de novembro de 2012 às 23h08

    Aqui só temos juízes que dão dois habeas-corpus em menos de 48 h para um banqueiro. Isso sim, é que é independência do Judiciário!

Gesi

28 de novembro de 2012 às 16h23

Inveja da Argentina! O cavalo está passando celado e o PT com medão de não aparecer nas páginas amarelas do detrito de maré baixa. Isso é omissão. Lei de Medios, Hibernando!

Responder

Mardones Ferreira

28 de novembro de 2012 às 15h17

A Argentina nada de braçada, enquanto o Brasil ainda não livrou-se das pranchas.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.