Sindicalistas consideram Serra e PSDB “inimigos da classe trabalhadora”

Tempo de leitura: 2 min

11 DE OUTUBRO DE 2012 – 19H59

Dirigentes das centrais sindicais selam apoio a Haddad

do Vermelho

Dirigentes das principais centrais sindicais preparam um ato público na quarta-feira (17), às 12h, para oficializar o apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições, em São Paulo (SP). O evento contará com a presença do ministro do Trabalho, Brizola Neto (PDT-RJ), contrariando decisão do PDT de São Paulo, que declarou apoio ao tucano José Serra.

Uma reunião foi realizada na tarde desta quinta-feira (11) para definir os detalhes do ato, que acontecerá no Sindicato dos Eletricitários, na Liberdade, centro da capital, e terá presença do próprio Haddad e de sua vice, Nádia Campeão (PCdoB-SP).

Nádia também participou das negociações, na tarde de hoje, além dos presidentes da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes; da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas; representantes da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e União Geral de Trabalhadores (UGT), como o secretário-geral Francisco Canindé Pegado do Nascimento, e o também secretário-geral, João Carlos Gonçalves, o Juruna, da Força Sindical —  que tem como presidente Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, que foi candidato a prefeito pelo PDT no primeiro turno.

Os sindicalistas consideram José Serra e o PSDB inimigos da classe trabalhadora. Entre outras questões, foi no governo Fernando Henrique Cardoso que foi aprovado o Fator Previdenciário (em 1999), Lei Nº 9.876, com o objetivo de reduzir o valor dos benefícios previdenciários, no momento de sua concessão, de maneira inversamente proporcional à idade de aposentadoria do segurado. Quanto menor a idade de aposentadoria, maior o redutor e, consequentemente, menor o valor do benefício. Para eles, eleger Serra significa fortalecer uma perspectiva neoliberal.

Leia também:

Zé Dirceu: ‘Não me calarei, não abandonarei a luta’

Dirceu, Genoino e Delúbio são condenados pelo STF

Lewandowski: Genoino será condenado apenas por ter sido presidente do PT

Genoino: “Vocês são urubus e torturadores da alma humana”

Paulo Moreira Leite: O lugar de Genoino

Carta aberta: “Somos contra a transformação do julgamento em espetáculo”

Altamiro Borges: SIP, antro da mídia golpista

Altamiro Borges: Dilma no palanque dos golpistas?

Maringoni e a presença de Dilma na assembleia da SIP

Rodrigo Vianna: Dilma, a ilusão de um acordo com a mídia

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Roberto Locatelli

É tudo uma questão de luta de classes. O PT, mesmo sendo um partido de centro-esquerda, representa os trabalhadores. O PSDB e o PIG representam – e defendem – os interesses dos banqueiros, latifundiários e especuladores.

Para quem acha que luta de classes não existe, é só lembrar da frase recente do bilionário estadunidense Warren Buffet: “há uma guerra de classes, e a minha classe está vencendo”.

Sagarana

Vem aí a “lei de greve” da madama.

Sérgio

A única bolsa que os tucanos querem encher além da deles é a bolsa
banqueiro.
Gastar com o povo trabalhador, para eles, é desperdício, é péssimo uso dos recursos públicos.
Os “especialistas do PIG não conseguem mais esconder isso da maioria das pessoas.
públicos

Sergio Barros

O PT pagou caro por esse apoio!

No Governo Lula, passou a lei q dá às centrais sindicais e sindicatos, o repasse de aproximadamente R$ 1 Bilhão/ano!

E Lula ainda vetou a parte q previa o controle dos gastos desse dinheiro pelo TCU, sob a desculpa q isso iria ferir a “independencia sindical”

R$ 1 Bi/ano de dinheiro público sem controle de gastos!

Esse é o Mensalão do apoio dos sindicatos ao PT…

ps: não entendi a censura! é mentira a lei, o repasse e o veto presidencial ao controle do TCU?

Fabiano Araujo

ATÉ QUE ENFIM, os sindicatos resolvem apontar aqueles que reduziram os direitos dos trabalhadores,quando atentarem contra a aposentadoria. O PSDB e o governo de FHC atacaram os direitos dos mais pobres, ao introduzirem idade mínima para a aposentadoria, pois o garoto pobre, que ingressa no mercado de trabalho aos 14 ou 15 anos, acaba trabalhando 10, 12 anos, ou mais que o rapaz de classe média ou rico que começa sua atividade profissional aos 24 ou 25 anos.
É bom denunciar também a falácia que os tucanos inventaram que se não tivessem feito isso “a previdência iria quebrar”. Para evitar tal “quebra” basta aumentar a alíquota do imposto de renda para as os mais ricos e grandes empresas e taxar pesadamente artigos de luxo e supérfluos.

Fabio Passos

Excelente iniciativa.
Os trabalhadores precisam se unir e lutar com todas as forças para derrotar o poder economico.

serra é capacho das corporações, pau-mandado dos poderosos, candidato do PiG, boneco da “elite” branca e rica… e inimigo dos trabalhadores.

    Rose di San Bernardo

    Os trabalhadores unidos devem forçar a negociação de modo a fazerem parte dos Conselhos de administração das fábricas em que trabalham. Paulatinamente, como disse Gramsci, ir tomando o poder na fábrica, expropriando a propriedade, que passará das mãos do capitalista para o trabalhador. Essa é a fórmula do sucesso do socialismo, que foi usada na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, e que trouxe prosperidade, igualdade e felicidade para todo o povo russo. Viva Stálin.

Leniéverson Azeredo

Centrais, vendidas ao Lulopetismo?Que novidade?São verdadeiros puxa-sacos de Lula.

Rose PE

A Centrais consideram? na verdade ele é , veja o que ele fez com os servidores públicos do estado, por exemplo, o professor só pode adoecer 6 vezes durante o ano, isso é , só tem direito a ir ao médico 6 vezes ao ano, e outros descalabros,lembrem o que ele fez com os professores em greve. Esse ato das Centrais é o mínimo. Quanto ao Paulinho da Farsa Sindical, esse apoio a Serra por ele não é novidade.os dois se merecem.

Willian

Eu gosto é disto: um sindicalismo isento, que não serve de instrumento para partido algum. Parabéns.

    Zé das Couves

    E desde quando que sindicatos tem que ser isentos, criatura?
    Cada uma…

Deixe seu comentário

Leia também