VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Tucanos querem que STF investigue Lula
Falatório

Tucanos querem que STF investigue Lula


10/10/2012 - 01h17

Tucanos querem que STF investigue Lula

Rosa Costa, no Hoje em Dia

A condenação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, apontado como o “chefe da quadrilha” pelo Ministério Público, reforçou nesta terça a proposta do PSDB de entrar com representação na Procuradoria-Geral da República contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O líder tucano no Senado, Alvaro Dias (PR), entende que Dirceu e Lula agiam em conjunto e que não há argumento capaz de isolar as ações de ambos. “É uma heresia dar tratamento diferenciado ao ex-ministro e ao ex-presidente”, alega. “Lula não só sabia do esquema como participou de toda a farsa. No mínimo ele cometeu crime de responsabilidade”. O líder lembrou que os presidentes do DEM e do PPS já se manifestaram favoráveis à representação contra o ex-presidente logo que terminar a fase atual do julgamento do mensalão.

Para o tucano, o desempenho do STF de “condenar a corrupção onde existiu corrupção” obriga a classe política a rever todos os tipos de comportamentos que impliquem relacionamento promíscuo no poder. “Não se aceita mais rimar governabilidade com promiscuidade e nem a instalação de balcões de negócio dentro do governo”, alegou.

O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), destacou igualmente como repercussão da condenação de José Dirceu o envolvimento de Lula na prática de usar dinheiro público para “comprar” deputados. “A condenação do Supremo pelo crime de corrupção ativa carimba o governo Lula como o mais corrupto da história do País”, constata.

No entender do líder, a provável prisão de “homens fortes do PT” marca uma nova etapa no País no que se refere ao combate à corrupção. “O que assistimos até hoje eram políticos corruptos sendo acusados, algumas vezes até presos, mas na Justiça eles eram beneficiados pela prescrição dos crimes, pela demora no julgamento ou mesmo inocentados”, lembra. “Ao condenar a quadrilha do mensalão, o Supremo dá ao País o recado de que os poderosos não estão acima da lei”.

Para o presidente do DEM, senador José Agripino (RN), a condenação de Dirceu “complementa” o processo entre os mandantes do esquema e aqueles que cumpriam as ordens. “Morre a história da farsa e do mensalão que diziam não ter existido”, afirma. “O esquema existiu com seus mandantes e seus mandados”. Agripino entende que a condenação de José Dirceu retira todas as dúvidas quanto à participação de Lula no esquema. “Na hora em que o chefe da Casa Civil é condenado, o problema se situa na antessala do presidente da República”, afirma. No entender do democrata, a situação de Lula tende a se agravar, já que ele não conseguirá convencer quanto ao desconhecimento do que se passava na sua antessala.

Leia também:

Zé Dirceu: ‘Não me calarei, não abandonarei a luta’

Dirceu, Genoino e Delúbio são condenados pelo STF

Lewandowski: Genoino será condenado apenas por ter sido presidente do PT

Saul Leblon: Engrenagem se move para esmagar referência de luta

Rubens Casara: “Risco da tentação populista é produzir decisões casuísticas”

Paulo Moreira Leite: O lugar de Genoino

Genoino: “Vocês são urubus e torturadores da alma humana”

Leonardo Boff: Justiça ou preconceito jurídico?

Lewandowski: Cabe qualquer um no “figurino genérico”

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mardones Ferreira

11 de outubro de 2012 às 08h41

Nas urnas foi impossível, então restou o tapetão (STF). No entanto, vai ser difícil condenar o Lula pelo “Domínio do fato”, pois o clone do Jô e o ministro revisor isentaram o ex-presidente do julgamento do Mensalão.

Logo, o que a oposição quer é apenas ter material para disputar as eleições de 2014. Já que candidatos e propostas estão em falta na direita.

Se perderem em Sampa, como tudo indica que vai ocorrer, então a direita deve seguir para o Paraguai. E levará junto os membros do STF que não viram o mensalão do PSDB até agora. k k k k k

Responder

Nilton Costa

10 de outubro de 2012 às 22h39

E necessario cuidado com esse “ensaio”de golpe que se aproxima conduzido pelo capitao do mato do seculo XXI,que se perdeu no engodo e na vaidade que a toga lhe proporciona e me faz pensar se sera tao algoz com os envolvidos na privataria tucana,pois ao cessar dos holofotes “pigais”depois do advento do presente”justicamento”me pergunto se tera a mesma euforia e boa vontade quando a midia nao for mais tao euforica e nem tiver mais a boa vontade que apresenta agora!

Responder

sandro

10 de outubro de 2012 às 01h58

Não.
Não é tão facil assim, Lula como eles mesmos dizem apenas deu sequência
ao projeto de FHC. Esta ai a dica, pois FHC tem o domínio do fato.

Responder

Tiago Tobias

10 de outubro de 2012 às 01h32

Tá aí ó.

Esse era o caminho planejado desde 2005 por esses nojentos. O plano da direita foi muito bem articulado. Derrubaram um por um, com calma até chegarem ao Lula. Essa insinuação deste imbecil do Álvaro Dias é um sinal de alerta. PSDB, PPS, DEM e o diabo não tem força suficiente para abrirem uma representação contra o Lula. Mas com a amplificação midiática, com a lavagem cerebral do pig, tudo fica mais fácil.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.