VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Reitor João Grandino Rodas expulsa seis estudantes da USP


17/12/2011 - 16h04

do Blog USP Em Greve, dica de Thiago Silva

Em despacho divulgado hoje no Diário Oficial do Estado de SP, o Reitor João Grandino Rodas decidiu expulsar 6 estudantes da USP moradores do CRUSP por conta da ocupação da sede da COSEAS (Moradia Retomada). As expulsões estão baseadas no decreto de 72, da ditadura militar, ainda vigente no Regimento Geral da USP, que permite perseguições e penalidades políticas.

Leia a seguir o  despacho do reitor divulgado hoje e dois artigos do decreto de 72:


Trecho do decreto de 1972, época da ditadura,  vigente na USP

Artigo 249 – As penas referidas no artigo 248 deste Regimento serão aplicadas nos seguintes casos:

I – pena de advertência, nos casos de manifestação de desrespeito às normas disciplinares, constantes do Regimento das Unidades, qualquer que seja a sua modalidade e reconhecida a sua mínima gravidade;

II – pena de repreensão nos casos de reincidência e todas as vezes em que ficar configurado um deliberado procedimento de indisciplina, reconhecido como de média gravidade;

III – pena de suspensão nos casos de reincidência de falta já punida com repreensão e todas as vezes em que a transgressão dá ordem se revestir de maior gravidade;

IV – pena de eliminação definitiva nos casos em que for demonstrado por meio de inquérito, ter o aluno praticado falta considerada grave.

§ 1º – A pena de suspensão implicará na consignação de falta aos trabalhos escolares, durante todo o período em que perdurar a punição, ficando o aluno impedido durante esse tempo de freqüentar a Unidade onde estiver matriculado.

§ 2º – A penalidade será agravada, em cada reincidência, o que não impede a aplicação, desde logo, a critério da autoridade, de qualquer das penas, segundo a natureza e gravidade da falta praticada.

§ 3º – A penalidade disciplinar constará do prontuário do infrator.

§ 4º – As sanções referidas neste artigo e parágrafos não isentas o infrator da responsabilidade criminal em que haja incorrido.

Artigo 250 – Constituem infração disciplinar do aluno, passíveis de sanção segundo a gravidade da falta cometida.

I – inutilizar, alterar ou fazer qualquer inscrição em editais ou avisos afixados pela administração;

II – fazer inscrições em próprios universitários, ou em suas imediações, ou nos objetos de propriedade da USP e afixar cartazes foi-a dos locais a eles destinados;

III – retirar, sem prévia permissão da autoridade competente, objeto ou documento existente em qualquer dependência da USP;

IV – praticar ato atentatório à moral ou aos bons costumes;

V – praticar jogos proibidos;

VI – guardar, transportar ou utilizar arma ou substância entorpecente;

VII – perturbar os trabalhos escolares bem como o funcionamento da administração da USP;

VIII – promover manifestação ou propaganda de caráter político-partidário, racial ou religioso, bem como incitar, promover ou apoiar ausências coletivas aos trabalhos escolares;

IX – desobedecer aos preceitos regulamentares constantes dos Regimentos das Unidades, Centros, bem como dos alojamentos e residências em próprios universitário.

PS do Viomundo: Se alguém tiver os nomes da comissão processante, por favor, encaminhe  para [email protected]

Leia também:

Relatório da Secretaria de Direitos Humanos confirma: Reitor da USP votou contra vítimas da ditadura





101 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

paulo rogerio gaeta

10 de agosto de 2012 às 20h26

Sr. Rodas,
Como sempre um oportunista, desde a época dos fontanas.

Responder

Denise

31 de dezembro de 2011 às 21h03

QUE ABSURDO!!!! EXPULSEM O REITOR

Responder

Reitor João Grandino Rodas expulsa seis estudantes da USP « Ágora

19 de dezembro de 2011 às 13h33

[…] Blog USP em greve e Viomundo […]

Responder

cronopio

18 de dezembro de 2011 às 19h55

Até onde sei, o órgão que representa "a totalidade dos dirigentes das Unidades de Ensino e Pesquisa e Orgãos Centrais" é a meia dúzia de pau-mandados do CO (Conselho Universtário: ridículo, mas a sigla é CO e não CU, como seria mais apropriado). O problema é que o CO é nomeado pelo Rodas. As atas das reuniões do CO (elas vazaram e circulam entre os alunos) mostram que quem decide tudo de modo unilateral é mesmo o Rodas. É por isso que o movimento estudantil tem, entre suas pautas, a reivindicação de uma estatuinte. Acabou de ser anunciada, aliás, uma reforma na pós-graduação, que vai funcionar nos moldes das universidades privadas norte-americanas. Um aluno de teoria literária terá de fazer um curso de "gestão empresarial" ou coisa que o valha. Os professores estão atônitos, mas não podem fazer nada. A triste realidade é que logo a USP vai perder a posição de melhor universidade da América Latina, abrindo caminho para as fundações salvadoras, que implementarão a privatização da insituição, bem ao gosto do tucanato.

Responder

Nahim

18 de dezembro de 2011 às 14h37

Um dos punidos por Rodas, Pedro Luiz Damião, estava na Alemanha na época em que a moradia foi retomada. Ao retornar da viagem, ficou sabendo que estava sendo processado por participar da ocupação do centro de assistência social da COSEAS. Outro dos expulsos, Marcus Padraic Dunne, também não participou da retomada, mas foi acusado pelo fato de estar na frente da ocupação conversando com amigos. Isso foi prova suficiente contra alguém que já era perseguido pela COSEAS por questões disciplinares, e que foi expulso do CRUSP por uma acusação infundada.
É significativo que o reitor da USP decrete demissões e expulsões sempre durante as férias escolares de fim de ano.

Responder

Luiz Virgulino

18 de dezembro de 2011 às 12h47

"Acorda amor
Eu tive um pesadelo agora
Sonhei que tinha gente lá fora
Batendo no portão, que aflição
Era a dura, numa muito escura viatura
Minha nossa santa criatura
Chame, chame, chame lá
Chame, chame o ladrão, chame o ladrão"

Responder

Thiago M Silva

18 de dezembro de 2011 às 12h31

Enquanto isso, na Venezuela: http://www.aljazeera.com/indepth/opinion/2011/12/

Responder

    ana

    18 de dezembro de 2011 às 17h57

    boa lembrança, Luiz

maria do carmo

18 de dezembro de 2011 às 11h56

o kassab esta feliz , privataria, usp.
o povo nao esqueceu da controlar ,
mesmo porque e o mesmo caminho
do serra corrupcao passando por
bom moco, tentando enganar,
a populacao esta escaldada.

Responder

Fabio SP

18 de dezembro de 2011 às 09h07

Em vez de brigar para mudar a lei democraticamente, querem agora invalidá-la… Tem um monte de lei "entulho" do tempo da ditadura ainda que são aplicadas sobre toda a sociedade e não vejo movimentos para modificá-las!!!

Responder

Horridus Bendegó

18 de dezembro de 2011 às 07h41

Os anos de chumbo ainda não acabaram. Seus remanescentes ainda estão aí aplicando princípios baseados no poder da força.
Que tal, agora que a maré virou, darmos uma lição neles?

Responder

EUNAOSABIA

18 de dezembro de 2011 às 07h36

Como dizia naquela propaganda da Parmalat: "Tomô?"

Responder

Paulo Henrique

18 de dezembro de 2011 às 07h08

Depoimento de estudante expulsa:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed…!

Responder

JOSE MARIO HRP!

18 de dezembro de 2011 às 06h40

ESSE SUJEITO É UM CANALHA MESMO, COMO SEUS SENHORES DO PSDB!

Responder

SILOÉ-RJ

18 de dezembro de 2011 às 01h42

Em São Paulo, a casa caiu, a USP caiu, parte do rodo anel caiu, a ponte caiu,o status caiu, o moral caiu, o ibope caiu, os rios transbordam, as ruas alagam, etc…etc… e o PSDB ainda continua de pé!!!
O que falta mais acontecer em São Paulo para que os cidadãos paulistanos se concientizem de que embarcaram numa canoa furada!!!
Errar é humano. Mas se não pularem fora agora, nessa eleição, afundarão com ela.

Responder

    Roberto Brandão

    20 de dezembro de 2011 às 14h26

    E aí no Rio, com o Cabralzinho fazendo uma limpeza étnica e social como nunca se viu antes? Temos de limpar São Paulo, Rio, Minas, etc etc. A coisa está muito feia para a democracia brasileira e os direitos civis.

    Ramalho

    20 de dezembro de 2011 às 18h56

    Meu caro, você está redondamente enganado. Onde você soube que o governo do estado do Rio de Janeiro faz "limpeza" étnica? Quais são os indícios do que afirmou?

    Sinais de racismo há, isto sim, em São Paulo: favelas que pegam fogo a toda hora, assassinatos de sem-tetos, ataques imotivados a homossexuais, hordas agressivas de punks, cultura de aversão a negros, nordestinos etc., isto sem se falar na denúncia que você mesmo faz. Há que se recordar, ainda, de Carandiru, massacre de mestiços e negros em maioria, cujo pior aspecto é o apoio que ainda hoje tem de boa parte da população paulista. Aliás, Datena, fenômeno paulista, fala a esta gente, e tem grande audiência.

    Esta coisa de eugenia é frequente entre adeptos de correntes políticas de direita e menos frequente entre os de esquerda. Exemplos são muitos. A direita americana, a da África do Sul, a inglesa são todas racistas. A direita francesa e a alemã, também, e ascenderam recentemente ao poder pela mão xenófoba das respectivas sociedades. São Paulo é estado cuja maioria é reconhecidamente de direita, o que a eleição reiterada de políticos do DEM e do PSDB prova. O fato do estado de São Paulo ser de direita é mais um indício de que o racismo nele viceja.

    Se há realmente limpeza étnica no Brasil, coisa da qual eu duvido, há em São Paulo.

Ana Paula

18 de dezembro de 2011 às 01h34

Deixe-me ver se eu entendi: "tendo em vista o respaldo de, praticamente, a totalidade dos dirigentes das Unidades de Ensino e Pesquisa e Orgãos Centrais, datado de 13.12.2011"

É impressão minha ou o Rodas teve respaldo quase unânime dos diretores dos institutos? Alguém pode esclarecer melhor?
Porque se foi assim, uma decisão conjunta, a coisa tá pior ainda! Quer dizer então que não é só o Rodas que manda e desmanda, mas o faz com seus asseclas…

Responder

JUra

18 de dezembro de 2011 às 01h00

Mais do que punição quase que exclusiva aos estudantes da FFLCH, trata-se da segregação, vingança e desprezo pelas ciências humanas, as únicas capazes de demonstrar o arbítrio.

Responder

Alessandro

18 de dezembro de 2011 às 00h52

Pra mim tá muito obvia essa atitude do Rodas: quem colocou ele lá na USP como um corpo estranho?O também democrata Padim Pade Cerra. Eles não suportam democracia!!!

Responder

beattrice

17 de dezembro de 2011 às 23h53

Para corroborar o histórico dos reitores da USP: http://www.consciencia.net/usp-um-foco-golpista/

e o currículo do RODAS,
na sua participação especial na Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP):
"Grandino Rodas interveio no caso do filho da estilista Zuzu Angel, no qual votou contra a culpabilidade da ditadura no assassinato do rapaz. Além disso, indeferiu outros 45 pedidos com diversos pretextos (falta de provas, esgotamento do prazo, etc.).
Embora a Comissão conseguiu algumas vitórias até o dia de hoje, os partidários da ditadura colocados nela foram fundamentais para retrasar o processo durante décadas"

Responder

    ana

    18 de dezembro de 2011 às 18h01

    ainda mais isso no currículo desse desqulificado?

beattrice

17 de dezembro de 2011 às 23h43

Rodas está a medir forças não com a USP, nem com os estudantes.
Ele mede forças com o estado democrático de direito.
Como a OAB-SP parece um morto vivo que caminha lado a lado com o udenismo alckmista
resta os advogados que militam em direitos humanos abraçarem a causa
e denunciarem a USP no exterior
a todos os órgãos internacionais.
Se o Brasil tivesse um MINISTRO da Justiça,
não tem, já se sabe, seria oc aso dele intervir e dar um basta.
A quem interessar possa,
segundo consta Rodas é ligado à TFP.
Sim.

Responder

ZePovinho

17 de dezembro de 2011 às 23h12

Coisas estranhas têm acontecido nos EUA.A FEMA construiu dezenas de campos de concentração:

[youtube W51eD3po63I http://www.youtube.com/watch?v=W51eD3po63I youtube]

O governo dos EUA também conseguiu autorização do Congresso para prender pessoas sem provas e devido processo legal:
http://www.voltairenet.org/From-America-to-Amerik

"…The most striking indication that all is not well turns out to be the activation of FEMA detention facilities across the county upon 72 hours notice, which has been taking place over the past few years, with bids now being taken for vendors to supply these centers. Staffing those facilities represents the final step preparing for their opening along with arranging for vendors contracted to start service with that same 72 hours notice. This has now been confirmed by published Army advertisements for “Internment Specialists”, which, it now appears, is being given legal cover by Senate Bill 1867, better known as the National Defense Authorization Act for Fiscal Year 2012 (NDAA), which authorizes holding U.S. citizens in indefinite detention with no legal rights of representation or due process provisions"…

Proof Obama will sign NDAA 1031 Citizen Imprisonment Law in a few days
http://www.youtube.com/watch?v=V5Oo3gzj2oc
http://www.goarmy.com/careers-and-jobs/browse-car
http://fellowshipofminds.files.wordpress.com/2011

Se os EUA se continuarem no caminho da ditadura como estão indo,sofreremos as consequências.Deppois do golpe de Estado que assassinou Kennedy,em 22/11/1963,a democracia no Brasil caiu em menos de 6 meses.

Responder

    ZePovinho

    17 de dezembro de 2011 às 23h35

    Não importa o que achemos de Alex Jones,mas não é estranho isso aqui:

    POR QUE É PROVÁVEL QUE OBAMA SANCIONE A LEI MARCIAL?

    [youtube UpGAql78K54 http://www.youtube.com/watch?v=UpGAql78K54 youtube]

    ???????????????????????????????????????????????????????????????????

Nana

17 de dezembro de 2011 às 22h44

Esperou as férias começarem,para não haver mobilização dos estudantes.

Responder

    luiz

    18 de dezembro de 2011 às 00h47

    Mas se os estudantes colocarem as ferias a frente de sua liberdade entao merecem o Kim Jong Rodas.

EUNAOSABIA

17 de dezembro de 2011 às 21h49

Tem uma pessoa pobre de espírito usando meu nick.

Deus te abençõe.

Responder

    P Pereira

    17 de dezembro de 2011 às 22h27

    E que o diabo te carregue!

    ZePovinho

    17 de dezembro de 2011 às 22h58

    Use seu nome verdadeiro:ANTONIO ALEXANDRE MURARO

    ana

    18 de dezembro de 2011 às 18h02

    mais pobre de espírito do que você?

    cronopio

    18 de dezembro de 2011 às 21h17

    Não sei quem seria louco de usar um nick tão impopular quanto o seu, mas, em todo caso, por que você não protesta? Reclame à PM de São Paulo, quem sabe, né?

João-PR

17 de dezembro de 2011 às 21h47

Alguém por aí sabe se esse tal de Rodas pertence à Opus Dei?

Responder

JORGE

17 de dezembro de 2011 às 21h45

Azenha

Pelo visto a ditadura UDENOMILITAR ainda está viva na USP.

Um abraço.

Responder

Avelino

17 de dezembro de 2011 às 21h44

Caro Azenha
O que se podia esperar, afinal Alckmin ainda é tucano, como se isso não fosse o bastante.
Se a questão das drogas foi um tiro no pé, esse é mais um.
Por eles, o militarismo ainda continua.
Saudações

Responder

jefferson

17 de dezembro de 2011 às 21h20

Agrava-se a crise de liderança na USP

"Nestes tempos de mediocridade, os prisioneiros do senso comum clamam: é preciso punir a dissidência, é preciso reduzir a pó aqueles que não aceitam as normas e as práticas hegemônicas".
http://vaz.blog.br/blog/?p=1365

Responder

Prof. José Carlos Vaz » Blog Archive » Agrava-se a crise de liderança acadêmica da USP

17 de dezembro de 2011 às 21h16

[…] Clique aqui para ler mais uma notícia deprimente, que deveria fazer corar de vergonha os professores da USP, mas nem será percebida. […]

Responder

FrancoAtirador

17 de dezembro de 2011 às 20h58

.
.
De que forma foi constituída a tal Comissão Processante?

Quem escolheu os membros que elaboraram o Relatório Final?

Quantos e quais foram os que opinaram pela expulsão dos estudantes ?

Está mais parecendo um processo de execução sumária.

Mais uma "aula de democracia" de Geraldo Alckmin.
.
.

Responder

SILOÉ-RJ

17 de dezembro de 2011 às 20h38

E a comissão da verdade não vai puni-lo também pelo seu passado na ditadura, não???
Com essa atitude, bem se vê que ele não evoluiu nada e morre de saudades os velhos tempos.

Responder

Ary

17 de dezembro de 2011 às 20h18

Doravante, passará a se chamar João grandino ROTAS.

Responder

    Jairo_Beraldo

    17 de dezembro de 2011 às 22h41

    Não…. Gilmar Dantas Mendes Abdelmassih Grandino Rodas, Marco Aurélio Cacciola de Mello Grandino Rodas, manterão sua "genialidade" moral, ética e decadencia decencia! VIVA SÃO PAULO…

    Gerson Carneiro

    18 de dezembro de 2011 às 04h34

    Ele prefere "João grandino José Serra Rotas".

    pedro

    18 de dezembro de 2011 às 09h16

    ISSO é cortina de fumaça para a sociedade esquecer a PrivatariaTucana, o roubo do século de mais de 1 TRILHÃO de dólares do povo brasileiro. NÃO vamos esquecer! NÃO vão nos distrair! Nem papai noel e reveillon vão nos fazer esquecer dos maiores criminosos que este país já viu.
    CADEIA e DEVOLUÇÃO do que nos roubaram!!!!

Vlad

17 de dezembro de 2011 às 20h11

Temos muita gente sendo expulsa injustamente. Nem 40 anos de militância valem alguma coisa.
Muito autoritarismo, mesmo.
http://www.folhaacademica.com.br/index.php?option

Responder

kaccira

17 de dezembro de 2011 às 19h44

Parabéns ao Reitor, são seis vagas a mais para quem deseja realmente estudar.O bom é que eles agora terão mais tempo para brincar de revolucionários!!!

Responder

    P Pereira

    17 de dezembro de 2011 às 22h34

    E você, está tendo tempo para brincar de reacionário(a)?

    cronopio

    20 de dezembro de 2011 às 00h18

    E o pior: esse tipo de aluno que faz comentários reacionários redige trabalhos medíocres e reclama de professores que dão textos muito compridos.

luiz pinheiro

17 de dezembro de 2011 às 19h43

Tá provado e comprovado, esse Rodas não tem freios mesmo. É urgente tirá-lo das ruas, ou ele vai seguir atropelando as pessoas. Deve ser defeito de fabricação, devia ter algum recall, não dá mais para conviver com esse fascismo extremo.

Responder

O_Brasileiro

17 de dezembro de 2011 às 19h36

Para aplicar tais regras do regimento que provavelmente nunca foram aplicadas antes, só mesmo sendo um amigo do político envolvido, só nos últimos meses, em dois escândalos de corrupção, dos quais um virou livro…
E por falar em cumprimento das leis, quem sabe algum reitor saia algemado… ops, isso é proibido para os "cheirosos", digo, saia detido para averiguação de suspeitas de corrupção ou improbidade administrativa…

Responder

Lucas Evilácio

17 de dezembro de 2011 às 19h19

Vale lembrar que Rodas não foi escolhido democraticamente. O conselho apresentou uma tríade, na qual Rodas foi o segundo votado pelo conselho. Mesmo assim, Alckmin acabou por escolhê-lo para reitor. Vale lembrar também que Grandino Rodas é considerado Persona Non Grata na Faculdade de Direito da USP, cuja diretoria já assumiu, e que também está sendo investigado por má administração do dinheiro público.

Responder

Outro Antonio

17 de dezembro de 2011 às 19h10

O neoliberalismo tem raízes na ditadura militar. Ele é o alongamento daquele tempo de horror. E SP está na mão desses pilantras há quase 17 anos. É nisso que dá: universidade ideologizada e déspota, alunos presos, como na ditadura, trabalhadores levando o cacete da polícia do chuchu e Educação desmoronando no Estado. Voita nos pilantras vota.

Ah, e o Eunãosabia está de volta, menos quando o assunto é PRIVATARIA TUCANA.

PSDB, EXTERMINADOR DO FUTURO… E DO PRESENTE.

Responder

    Roberto Brandão

    20 de dezembro de 2011 às 14h49

    Antonio,
    O neoliberalismo tem raízes nos EUA e atinge seu apogeu com a Dama de Ferro, Margareth Thatcher, que iniciou a venda da Grã-Bretanha aos norte-americanos. Infelizmente, decidimos copiá-lo, contrapondo os tempo "sarnentos". Seria nossa salvação da década perdida. Compramos a idéia e deturpamos coisas básicas como: o "lucro" de um órgão de estado é o SERVIÇO que ele presta aos participantes do Estado, ou seja, a população. Mas isto ficou "ultrapassado" e os órgãos públicos passaram a ser tratados como privados, pois tinham de dar "lucro". Desta distorção para as privatizações a preços vis, e para a cadeia de corrupção foi só um passo. Hoje, o mundo está endividado o equivalente a 14 anos de sua produção e, portanto, vale a frase de Lester R. Brown: "Nós não herdamos a Terra de nossos pais, estamos tomando-A emprestada de nossos filhos".

LUIZ FORTALEZA

17 de dezembro de 2011 às 18h56

Aqui na UFC, várias vezes na história da universidade, a reitoria foi invadida por estudantes e nunca, nenhum deles, foi expulso da Uni. Este reitor é um ditadorzinho e não entende os arrogos junenis, o espirito de rebeldia dos jovens. Intolerante… ditador.

Responder

    MARCELO

    21 de dezembro de 2011 às 11h42

    Arrogos juvenis?Estes filhinos de papai nunca levaram palmadas na vida.São burguesinhos
    que se passam por "inocentes".Espírito de rebeldia?Mandem estes maconheiros pra Coréia do
    Norte chorarem um pouquinho.Só quem não gosta do Rodas são maconheiros.Tirando a
    Soninha,é claro.

Fabio_Passos

17 de dezembro de 2011 às 18h54

Perseguição política. Que covarde é este rodas.
Ato repugnante cometido por um reitor desqualificado.

Responder

joão33

17 de dezembro de 2011 às 18h49

este reitor , acompanhou o cerra sempre , nos seus atos adminoistrativos com certesa haverá coisas do arco da velha e em toda sua vida pregressa tambem , faxina com ele nãso resiste a um mutirão de investigação . principalmente quando seus rastros chegarem perto de outros , ação já , contra esta herança maldita do cerra para a usp.

Responder

Paulo Chacon

17 de dezembro de 2011 às 18h47

Alvimar, como vc diz a lei é para ser cumprida. Então porque o seu governador Geraldo picolé Alckimin não cumpre a lei federal e aplica a jornada dos professores? Ou a lei é só para os outros? Cínicos e hipócritas.

Responder

waldir ferreira

17 de dezembro de 2011 às 18h46

Reacionarismo tucano,
esta atitude acaba na Primeira Liminar que a Justiça dará.

Responder

elias abdalla sp sp

17 de dezembro de 2011 às 18h29

Meus amigos onde andam?
Meu furor onde estará?
Como é que não me toco?
E não paro de falar
O que faço aqui sozinho?
Sem ninguém pra me escutar
Meus amigos onde andam?
Meu furor onde estará?
PUC USP UNICAMP
MAPOFEI E SÃO FRANCISCO
Onde andam meus amigos?
Pra explicar-me o que é isso?
Pra explicar-me o que é isso
Que não sei mais o que é
Que dói muito na cabeça
Quando não pega no pé

Responder

Regina Braga

17 de dezembro de 2011 às 18h17

Gente mais o Rodas precisa rodar…qq dia os alunos vão ter que,bater o calcanhar e levantar o braço,prá poder assistir aula.

Responder

CLÁUDIO LUIZ PESSUTI

17 de dezembro de 2011 às 18h12

Agora é entrar na Justiça para rever as punições.Com certeza, tais atos não serão referendados pela Justiça e o sr. Grandino Rodas ficará com a pecha que lhe é justa:DITADOR.

Responder

Vlad

17 de dezembro de 2011 às 18h12

Não dá de recorrer à Justiça?

Responder

Marcos

17 de dezembro de 2011 às 18h09

O próximo a ser expulso será o próprio reitor! Fora Rodas.

Responder

Leonardo Câmara

17 de dezembro de 2011 às 18h03

É preciso saber se foi respeitado o princípio da proporcionalidade. A pena é proporcional ao delito. Parece-nos óbvio que não. O cenário em São Paulo é cabuloso, hein? De onde veio tanto reacionarismo? O povo brasileiro não é assim!!!

Responder

    Leonardo Câmara

    17 de dezembro de 2011 às 18h05

    Aliás, basta entrar com uma liminar que qualquer juiz minimamente sensato derruba essa insanidade.

    Roberto Brandão

    20 de dezembro de 2011 às 14h36

    Apenas como exemplo do que escrevi anteriormente, conheço (infelizmente) um grupo (civil) que atua nas cidades do Vale do Itajaí, cuja função é fazer uma triagem dos que chegam à cidade sem emprego, dando-lhes R$ 50,00 e uma passagem para São Paulo. Se o tal passageiro insistir e voltar à cidade ou permanecer, este grupo encarrega-se de dar-lhe uma surra e deixá-lo às margens da BR 116. E a maioria da população e das autoridades tem orgulho disso e até apóia. É mole, isso?

    paulo

    17 de dezembro de 2011 às 19h03

    o povo brasileiro não é, mas o paulista é.

    Leonardo Câmara

    17 de dezembro de 2011 às 23h57

    E tem mais, se houve politização na comissão de sindicância (ou de inquérito administrativo), então esta e o reitor podem responder por assédio moral. Avisa isso aí pra eles tratarem logo da defesa.

    Roberto BRandão

    20 de dezembro de 2011 às 14h31

    Leonardo, infelizmente a burguesia contaminou o povo brasileiro. Existe uma enorme vontade de transformar tudo Miami, Singapura. É mais importante encher os prédios e condomínio de grades, câmeras, seguranças, do que enxergar a hipocrisia de conceitos do atual sistema e tentar mudar alguma coisa. Pelo menos, em São Paulo, existem pessoas falando, protestando. Conheço bem muitas cidades do Brasil, onde está acontecendo até coisa pior, mas ninguém fala ou denuncia. às vezes, até acha bom.

Alvimar

17 de dezembro de 2011 às 17h52

A lei deve ser cumprida.

Quem é contra as leis, que se manifeste.

Responder

    Che da Fiel

    17 de dezembro de 2011 às 18h47

    Quando as leis são ilegítimas (ou seja, quando elas não emanam da comunidade), elas não devem ser respeitadas. Esse foi o princípio que levou à Revolução Francesa e, depois, à Revolução Russa. Eu sou contra as leis ilegítimas, aquelas outorgadas por ditadores, e aqui me manifesto, conforme você pediu. As leis da USP são ilegítimas, assim como o mandato deste Reitor. Portanto, não devem ser respeitadas.

    luiz

    17 de dezembro de 2011 às 18h48

    À espera de Godot Gurgel por Maaierovich:
    http://t.co/jSUYFcp7

    EUNAOSABIA

    17 de dezembro de 2011 às 18h50

    Agora esperar o FHC, o Serra, o Jereissati e toda a cúpula da quadrilha, ops, do PSDB na cadeia por todo um leque de crimes, na forma da lei, não é mesmo?

    marcia fernandes

    17 de dezembro de 2011 às 18h56

    Qual lei, Alvimar? Poderia ser mais claro?

    luiz

    17 de dezembro de 2011 às 19h19

    Kim Jong Rodas ataca novamente

Avel de Alencar

17 de dezembro de 2011 às 17h50

Este cara não desmente a raça fascista demo-tucana.

Responder

Luciano Prado

17 de dezembro de 2011 às 17h43

É o PSDB se aproximando do povo.

Responder

ZePovinho

17 de dezembro de 2011 às 17h34

Digite o texto aqui![youtube B9DgbIOlFls http://www.youtube.com/watch?v=B9DgbIOlFls youtube]

Responder

João Bosco Rocha

17 de dezembro de 2011 às 17h29

GREVE GERAL NA USP JÁ!

Responder

    MARCELO

    21 de dezembro de 2011 às 11h46

    Greve geral?Tomara que a policia dê umas porradinhas nestes maconheiros sem-vergonha.
    Você escreveria isto se acontecesse em Cuba,mané?Uns tirinhos de bala de borracha não
    fariam mal aos filhinhos de papai….

    Giovanna

    17 de fevereiro de 2012 às 11h16

    É Marcelo, a gente tá vendo que você vive mesmo na realidade da universidade e que você sabe bem do que fala, totalmente sensato!
    Fui irônica, tá

trombeta

17 de dezembro de 2011 às 17h18

Nossa, que absurdo isso, uma viuvinha da ditadura no comando passando o rodo e ninguém faz nada.

Tem coisas que só acontecem em São Paulo!

Responder

baader

17 de dezembro de 2011 às 17h18

isso mostra a inépcia desse burocrata, mostra também sua incapacidade para o diálogo ao se apoiar no regimento que lhe dá poderes, se se considera que o tal regimento tão antigo lhe dá tal poder sem confrontar a CF. mantê-lo é mostra de incapacidade do governante que o nomeou.

Responder

Lu_Witovisk

17 de dezembro de 2011 às 16h47

Só piora. Credo. E não vão tirar esse sujeito do cargo?! que M….

Responder

Bonifa

17 de dezembro de 2011 às 16h46

Essa, não! É inacreditável. Fantástico. Aquele tipo de arrogância tão temida nos anos setenta, e que permanece incrustada na mente doentia de algumas "autoridades". Autoridades geralmente legitimadas por um filão político que ainda aflora de vez em quando, para demonstrar que a estupidez persiste, ameaça e, quando pode, mostra as garras.

Responder

Hbolivar

17 de dezembro de 2011 às 16h44

Como diria Milton Leite (narrador): "que beleeeeeeeeza"

Responder

Paulo Roberto

17 de dezembro de 2011 às 16h41

É a ignomínia! É a infâmia! Gente capaz de cometer um ato tão cruel, merecia o paredão e ter seu corpo esquaterjado e exibido em praça pública. É hora de ir para as ruas, ocupar as praças, antes que tanta vilania invada as nossas casas, nos prenda, nos torture e nos assassine.

Responder

FrancoAtirador

17 de dezembro de 2011 às 16h40 Responder

Fernanda

17 de dezembro de 2011 às 16h37

Chega de falarem da USP, pelo amor de Deusssss! O Brasil tem muto mais problemas a serem discutidos. O livro do Amaury da bombando! Existem inúmeras outra Universidades no país! Por que não criam um blog só pra assuntos internos da USP? Este é um site de alcance e interesse nacional (ou era até pouco tempo). Que mania dos paulistanos de acharem que o mundo e o Brasil giram em torno do próprio umbigo!!!

Responder

    marcia fernandes

    17 de dezembro de 2011 às 18h52

    Desculpe, mas votei errado no comentário da fernanda. Quis votar negativo e errei a mãozinha. Portanto, vejo-me no direito e necessidade de dizê-lo: Se vc pensa que o exercício da violência e invasão da USP é um assunto interno, não dá nem pra começar a conversar. Inúmeras outras universidades? Por que será que a PM não invadiu ainda as inúmeras universidades do Brasil?

    harold

    18 de dezembro de 2011 às 02h40

    Bom, concordo com você que a questão da militarização na USP não é nem de longe um problema interno. A USP entra como ícone, já que pela sua posição central é politicamente mais forte e menos passível desse tipo de ação. Mas a PM já invadiu sim inúmeras universidades no Brasil, sendo elas públicas (como nos casos de 2007 e 2008 na Unifesp), particulares ( PUC em 2007) ou fundações público-privadas ( como a fundação Santo André, em 2007), apenas para citar os poucos exemplos que me vêm à memória agora, porque é muito mais que isso.

    ana

    18 de dezembro de 2011 às 17h56

    Harold, você esqueceu da invasão da PUC durante a ditadura. PM ou não. era uma invasão. Erasmo Dias. Talvez você não saiba disso. Por falta de memória, por lapso de memória ou por negligência mesmo. E a PM tem invadido vários outros lugares. e nunca para melhorar. sempre para reprimir. PM em universidade é inconcebível. PM contra a população é militarismo. ambos não contribuem em nada.

    Ramalho

    17 de dezembro de 2011 às 21h42

    Fernanda, como diria Shakespeare de seu comentário, é loucura, mas há método nele. É bem possível que Rodas tenha criado um factoide (não que a notícia seja falsa, mas porque a punição será revertida, talvez judicialmente, por ser excessiva) para desviar a atenção da "Privataria Tucana". Claro que os rapazes da USP precisam ser apoiados, mas a reprovação por frequência que um dos professores da Faculdade de Filosofia da USP impôs a todos os seus alunos e estas expulsões parecem ser manobra diversionista articulada da turma do Serra. Querem diminuir o espaço dado à Privataria com manchetes impactantes. Portanto, você tem razão em parte.

    Bruna

    18 de dezembro de 2011 às 17h27

    Depois as pessoas reclamam que a USP é "fechada". O problema está sendo divulgado justamente porque o reitor representa o nosso excelentíssimo governador.

Polengo

17 de dezembro de 2011 às 16h35

Como é que faz pra expulsar ele, hein?

Responder

zilda

17 de dezembro de 2011 às 16h32

Acordem professores e todo o alunado da USP, isso aí é praticamente um Presidium…ou Politburo.

Responder

Yes we créu !!!

17 de dezembro de 2011 às 16h26

Jornal Blues (Canção Leve de Escárnio e Maldizer)
Belchior

Nesta terra de doutores, magníficos reitores, leva-se a sério a comédia!
A musa-pomba do Espírito Santo – e não o bem comum! – Inspira o bispo e o Governante.
Velhos católicos, políticos jovens, senhoras de idade média,
– sem pecado abaixo do Equador – fazem falta e inveja ao inferno de Dante.
Tão comum e tirar-se daqui qualquer coisa que eu também tiraria o chapéu a vontade.
Aos cidadãos respeitáveis, donos de nossas vidas, pais e patrões do país.
Mas em vez tiro o lenço… Não para enxugar, portuguesmente, a saudade…
Mas pra saudar num Ciao! Quem me expulsa de casa! Dar um "viva,
excelência!" E tapar o nariz!

Responder

reinaldo carletti

17 de dezembro de 2011 às 16h22

e o serra e familia ainda estão em liberdade! porra quem é esse idiota que está reitor?
reinaldo carletti

Responder

    marcia fernandes

    17 de dezembro de 2011 às 18h53

    é fácil ver sua biografia no google: um dos mais ferrenhos ativistas da ditadura.

EUNAOSABIA

17 de dezembro de 2011 às 16h17

Demorô.

Responder

    marcia fernandes

    17 de dezembro de 2011 às 18h53

    Pois é, sr EUNAOSABIA, o senhor não sabe mesmo de nada.


Deixe uma resposta para waldir ferreira

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding