VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Lúcia Rodrigues: Reuniões na USP podem ter sido espionadas


01/12/2011 - 13h38

Documento revela ‘arapongagem’ na USP

Monitoramento foi um dos assuntos debatidos na audiência pública na AL

por Lúcia Rodrigues, em Caros Amigos

Audiencia-USP-2

Documento que chegou às mãos do deputado estadual Carlos Gianazzi (PSOL-SP) durante a audiência pública que aconteceu nesta segunda-feira, 28, na Assembleia Legislativa, sobre a presença da PM no campus da USP, aponta que reuniões do Sindicato dos Trabalhadores da USP, o Sintusp, e da Associação dos Docentes da USP, a Adusp, teriam sido monitoradas. Não foi revelado quem estaria no comando desse monitoramento.

Para o diretor do Sintusp, Magno de Carvalho, que representou os trabalhadores da USP na audiência, o monitoramento das atividades sindicais é um fato gravíssimo. Ele acredita que há a possibilidades de que escutas tenham sido instaladas nas sedes das entidades. “Vamos ter de começar a fazer nossas reuniões fora do Sindicato”, desabafa.

Transcrições

O documento não foi apresentado à imprensa, o deputado Gianazzi afirmou que pretende verificar a veracidade das informações. Há, segundo a denúncia, transcrições das falas de dirigentes do Sintusp e da Adusp e representantes do Fórum das Seis, entidade que reúne os sindicatos e as associações de docentes das três universidades públicas paulistas, Unicamp, Unesp e USP.

Para o vice-presidente da Adusp, César Minto, é preciso analisar a denúncia. “Precisamos saber de onde partiu e o que isso significa.” Ele informa que vai remeter o caso ao departamento jurídico da entidade. De acordo com o dirigente, o nível de autoritarismo presenciado na USP é preocupante. “Não há diálogo. A reitoria não responde nem mesmo aos ofícios que são encaminhados”, critica o docente, que também leciona na Faculdade de Educação.

Sem moral

“É um desprezo repetido e reiterado”, alfineta o diretor do Diretório Central dos Estudante, Tiago Aguiar, ao se referir à postura de Rodas. A entidade defende a saída do reitor do cargo. “Ele não tem autoridade moral para dirigir a USP”, afirma o estudante ao comentar o fato de a PM ter sido chamada por Rodas para reprimir os estudantes que ocupavam a reitoria da universidade.

Rafael Alves, um dos 73 alunos presos durante a invasão da PM à reitoria, também defende a saída do reitor. Ele destacou a forma repressiva como a reitoria da USP tem se comportado em relação aos ativistas que atuam na universidade. “São mais de 50 processos contra estudantes e funcionários. E provavelmente os 73 (detidos) também serão processados.”

Policial

Uma dirigente do Sintusp também denunciou que o chefe da Guarda Universitária, o investigador de polícia Ronaldo Penna, seria um dos donos de uma das empresas terceirizadas que presta serviços à Universidade.

O reitor João Grandino Rodas não compareceu à audiência. A assessoria da USP alegou incompatibilidade de agenda. Gianazzi pretende aprovar a convocação do reitor da USP para prestar esclarecimentos nas comissões de Direitos Humanos, Educação e Meio Ambiente. Para isso, precisará convencer os deputados da base governista a dar o aval para a convocação.

Se as convocações forem aprovadas, Rodas será obrigado a comparecer à Assembleia Legislativa para prestar esclarecimentos sobre acusações, por exemplo, de improbidade administrativa. João Grandino Rodas foi indicado pelo então governador de São Paulo, José Serra. Ele foi o segundo colocado de uma lista tríplice contrariando o que é de praxe – que o primeiro colocado da lista encaminhada ao governador seja o nome chancelado.

Leia também:

AJD: “É preciso solidarizar-se com as ovelhas rebeldes”

Manifesto pela Democratização da USP

Luisa Paiva e Lira Alli: A fascistização oculta da sociedade





23 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Norberto

03 de dezembro de 2011 às 13h36

"denuncia"?

reuniões na USP PODEM ter sido espionadas?

podem ter e podem não ter sido?

não se tem certeza?

então, não é denuncia… é fofoca!

Responder

João-PR

03 de dezembro de 2011 às 11h04

É o III Reich se instalando em São Paulo, tendo como balão de ensaio a USP.
Mas, o que esperar de gente ligada a Opus Dei, e a tudo que de retrógrado que existe?
Aqui no Paraná a coisa está começando a ficar feia também. O tal Betinho Lerner, que Requião apelidou de "Piá de prédio", começa a fazer o tal "xoque de jestão" (deve ter importado o modelo do Aecinho Never, o do bafômetro) com a implantação das OSs.
Acho que se os tucanos (não as aves) desaparecessem da face da terra ninguém notaria, ou melhor, notaríamos uma melhora na qualidade das discussões e da prática política.

Responder

Marat

02 de dezembro de 2011 às 23h23

Uma vez, uma das macacas amestradas da CNB, não me lembro se era a bêbada ou a cunhada do dono do castelo, disse que vivêmos na Grampolândia… será que ela se recorda do que falou, e ficará indignada, ou vai alegar que estava de ressaca? E olhe que essa tal Grampolândia é tão eficiente que faz grampo sem áudio, como diria o grande PHA…

Responder

Marat

02 de dezembro de 2011 às 10h44

Mesmo que não tenha áudio, já temos jurisprudência, especialmente no STF…, ou é só o GM que pode fazer o que quiser?

Responder

O_Brasileiro

02 de dezembro de 2011 às 01h12

Aprovação de Dilma supera a de Alckmin em SP http://br.noticias.yahoo.com/aprovaç&atild

Responder

Marat

01 de dezembro de 2011 às 22h38

É só chamar o Gilmar Mendes, o Demóstenes Torres e o Nelson Jobim, que tudo se resolverá!

Responder

Ricardo

01 de dezembro de 2011 às 21h54

O reitor da Unicamp, Fernando Costa, mantem a mesma postura frente às reivindicaçoes dos estudantes, trabalhadores e dos professores tb, mostrando que isto é praxe no tratamento dos reitores, que pelo processo de escolha absolutamente ilegitimo, sao interventores do Estado nas Universidades, em flagrante conflito com a proposta de autonomia universitaria. Na Unicamp está acontecendo uma greve de funcionarios e estudantes a mais de 40 dias e o reitor se recusa a marcar uma reuniao de negociaçao, apesar de ter setores chave da universidade completamente parados. Sob este aspecto, um outro fato: a negativa do reitor de discutir propostas do sindicato apresentadas apos decisao soberana de assembleias evidencia um completo desrespeito à toda a categoria e sob minha otica, um absurdo do ponto de vista administrativo, já que o sindicato dos trabalhadores e a associaçao dos docentes fizeram calculos mostrando que a sobra orçamentaria do ano passado era mais que suficiente para atender as reivindicaçoes da categoria que levariam ao fim da greve. Entretanto,. com diversos processos parados a mais de quarenta dias, a execuçao de serviços em atraso implica em prejuizos economicos. A visao obsessiva de enfrentamento dos reitores das universidades paulistas em relaçao a membros da comunidade universitaria só demonstra a visao despotica destes títeres do Alkmin que, cinicamente, recomendou aula de democracia para os estudantes da Usp. Habla serio! Seria comico se nao fosse absolutamente tragico…

Responder

FrancoAtirador

01 de dezembro de 2011 às 20h42

.
.
É BONITA DEMAIS ESTA AVE PARA SER COMPARADA AO SERVIÇO SECRETO (SS) DO PSDB
<img src="https://www.viomundo.com.br/wp-content/uploads/yapb_cache/araponga.664qnyy7a6os8ogscgwoo4kcw.cw1uletj81cs0w8ogs8k0o4kg.th.jpeg"&gt;
A POLÍCIA TUCANO-FASCISTA ESTÁ MAIS PARA RAPINAGEM DO QUE PARA ARAPONGAGEM
<img src="http://1.bp.blogspot.com/_hfbUJ7rFkrU/TC9lgWrG9rI/AAAAAAAABpo/fYJ2nK1cbSQ/s400/CORVO.jpg"&gt;
.
.

Responder

EUNAOSABIA

01 de dezembro de 2011 às 18h45

"""O documento não foi apresentado à imprensa, o deputado Gianazzi afirmou que pretende verificar a veracidade das informações. """"

Jornalismo declaratório de fazer inveja do tal do PIG.

Que lástima meu.

Responder

Bonifa

01 de dezembro de 2011 às 18h32

É a irresistível vocação fascista dos tucanos de São Paulo. E agora que correm as denúncias de que os Estados Unidos estão sob o governo de um Estado Policial, querem se mostrar em perfeita sintonia com a matriz..

Responder

Klaus

01 de dezembro de 2011 às 18h14

Este assunto vai morrer aqui, assim? Declara-se que houve gravação, escutas clandestinas, não se apresenta nada (não estou pedindo provas, mas apenas como se chegou a conclusão que houve o grampo) e amanhã tratamos de outros assuntos? Vamos ver se teremos novidades nos próximos dias. Topam acompanhar até o fim esta história?

Responder

    Gênio Da lampada

    01 de dezembro de 2011 às 22h15

    Mas claro, vamos avaliar se as denúncias dos estudantes estão na linha, pois as dos grandiosos proficionais da mídia brasileira com certeza sem sombra de dúvida já sabem fazer corretamente seus trabalhos.

Gerson Carneiro

01 de dezembro de 2011 às 16h53

Se depender dos deputados da base governista da ALESP para a aprovação da convocação do reitor da USP para prestar esclarecimentos nas comissões de Direitos Humanos, Educação e Meio Ambiente, esquece.

Contrariar o Alckmin essa base governista não faz.

Responder

Antonio

01 de dezembro de 2011 às 16h37

E daquele lado tem mesmo arapongotucanurubu. O chefão trapalhão deles quis até ser presidente! Mas não dava tempo, nem eles tinham cabeça para fazer uma campanha mais inteligente, porque num dia o Arapongotucanurubu Mor ia no culto evangélico e no outro corria beijar a Santa e a mão do bispo de Guarulhos.

Responder

EUNAOSABIA

01 de dezembro de 2011 às 16h28

Jornalismo declaratório, e dalhe PIG.

Responder

Alessandro

01 de dezembro de 2011 às 15h52

Esse reitor é tão DEMOcrático!!!!Os sindicatos devem estar com mania de perseguição!!!

Responder

Rios

01 de dezembro de 2011 às 15h34

Já imaginou esse governo "tucano-paulista" instalado em todo o território nacional?

Responder

    Antonio

    01 de dezembro de 2011 às 16h29

    Isso me assombra. Perto deles, os ratos são maravilhosos. Eles são o que há de pior no planeta.

    Klaus

    01 de dezembro de 2011 às 18h09

    Para que você possa exercer em toda sua totalidade seu ódio pelo adversário é mister que você o transforme na pior pessoa do mundo. Procure seu psicólogo.

    Gênio da Lampada

    01 de dezembro de 2011 às 22h16

    Tu,em cana – toma pau e vai pra lista.

    Marat

    02 de dezembro de 2011 às 07h30

    Isso seria um pesadelo!

Maurício Santos

01 de dezembro de 2011 às 15h09

T´certo!!!!!!……na USP tinha que ter um cara pior que o Rodas.Quem mandou o paulistano, e os paulistas elegererem essa cambada reaça.
Dúvido muito, que, a mioria das famílias de estudantes da USP, não tenha votado nesses caras.
Estão colhendo o que plantaram.

Responder

Paulo Villas

01 de dezembro de 2011 às 14h20

– O governo de São Paulo metido em arapongagem ????? – NÃO!!! – Conta outra…..!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding