VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

O Globo: O direito de saber

29 de novembro de 2012 às 08h40

O DIREITO DE SABER

editorial de O Globo, 14.12.1989, véspera do segundo turno entre Fernando Collor e Lula

O povo brasileiro não está acostumado a ver desnudar-se a seus olhos a vida particular dos homens públicos.

O povo brasileiro também não está acostumado à prática da Democracia.

A prática da Democracia recomenda que o povo saiba tudo o que for possível saber sobre seus homens públicos, para poder julgar melhor na hora de elegê-los.

Nos Estados Unidos, por exemplo, com freqüência homens públicos vêem truncada a carreira pela revelação de fatos desabonadores do seu comportamento privado. Não raro, a simples divulgação de tais fatos os dissuade de continuarem a pleitear a preferência do eleitor. Um nebuloso acidente de carro em que morreu uma secretária que o acompanhava barrou, provavelmente para sempre, a brilhante caminhada do senador Ted Kennedy para a Casa Branca – para lembrar apenas o mais escandaloso desses tropeços. Coisa parecida aconteceu com o senador Gary Hart; por divulgar-se uma relação que comprometia o seu casamento, ele nem sequer pôde apresentar-se à Convenção do Partido Democrata, na última eleição americana.

Na presente campanha, ninguém negará que, em todo o seu desenrolar, houve uma obsessiva preocupação dos responsáveis pelo programa do horário eleitoral gratuito da Frente Brasil Popular de esquadrinhar o passado do candidato Fernando Collor de Mello. Não apenas a sua atividade anterior em cargos públicos, mas sua infância e adolescência, suas relações de família, seus casamentos, suas amizades. Presume-se que tenham divulgado tudo de que dispunham a respeito.

O adversário vinha agindo de modo diferente. A estratégia dos propagandistas de Collor não incluía a intromissão no passado de Luís Inácio Lula da Silva nem como líder sindical nem muito menos remontou aos seus tempos de operário-torneiro, tão insistentemente lembrados pelo candidato do PT.

Até que anteontem à noite surgiu nas telas, no horário do PRN, a figura da ex-mulher de Lula, Miriam Cordeiro, acusando o candidato de ter tentado induzi-la a abortar uma  criança filha de ambos, para isso oferecendo-lhe dinheiro, e também de alimentar preconceitos contra a raça negra.

A primeira reação do público terá sido de choque, a segunda é a discussão do direito de trazer-se a público o que, quase por toda parte, se classificava imediatamente de ‘baixaria’.

É chocante mesmo, lamentável que o confronto desça a esse nível, mas nem por isso deve-se deixar de perguntar se é verdadeiro. E se for verdadeiro, cabe indagar se o eleitor deve ou não receber um testemunho que concorre para aprofundar o seu conhecimento sobre aquela personalidade que lhe pede o voto para eleger-se Presidente da República, o mais alto posto da Nação.

É de esperar que o debate desta noite não se macule por excessos no confronto democrático, e que se concentre na discussão dos problemas nacionais.

Mas a acusação está no ar. Houve distorção? Ou aconteceu tal como narra a personagem apresentada no vídeo? Não cabe submeter o caso a inquérito. A sensibilidade do eleitor poderá ajudá-lo a discernir onde está a verdade – e se ela deve influenciar-lhe o voto, domingo próximo, quando estiver consultando apenas a sua consciência.

PS do Viomundo: Isso do império de comunicações que deslocou uma funcionária para a Espanha para não criar embaraços à carreira política de um aliado, quando a jornalista engravidou. Soubesse, depois, que o filho não era do líder político, embora ele tenha assumido a criança.

Leia também:

Marcos Coimbra: A história do mensalão faz água por todos os lados

Lincoln Secco: A guerra contra a esquerda no Brasil

Rodrigo Vianna: Inglaterra investiga crimes de imprensa; no Brasil, não pode: seria “revanchismo”!

Mauricio Dias: Roberto Gurgel volta a atacar

Santayana: Julgamento da AP 470 corre o risco de ser um dos erros judiciários mais pesados da História

PT: STF não garantiu amplo direito de defesa, fez julgamento político e desrespeitou a Constituição

Nassif: Por que o ministro Ayres Britto se calou?

Marcos Coimbra: A pretexto de ‘sanear instituições’, o que a mídia e o STF desejam é atingir adversários

Leandro Fortes:Trâmite do mensalão tucano desafia a noção de que o Brasil mudou

Lewandowski: “A teoria do domínio do fato, nem mesmo se chamássemos Roxin, poderia ser aplicada”

Jurista alemão adverte sobre o mau uso de sua “Teoria do Domínio do Fato”Patrick Mariano: Decisão do ministro Joaquim Barbosa viola a Constituição e as leis vigentes

José Dirceu acusa Joaquim Barbosa de “populismo jurídico” e diz que “não estamos no absolutismo real”

Bernardo Kucinski: Macartismo à brasileira

Ramatis Jacino, do Inspir: O sonho do ministro Joaquim Barbosa pode virar pesadelo

Comparato: Pretos, pobres, prostitutas e petistas

Dalmo Dallari critica vazamento de votos e diz que mídia cobre STF “como se fosse um comício”

Rubens Casara: “Risco da tentação populista é produzir decisões casuísticas”

Luiz Flávio Gomes: “Um mesmo ministro do Supremo investigar e julgar é do tempo da Inquisição

 

26 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O 3 em 1 do Lula no Guarujá, 25 anos depois | bloglimpinhoecheiroso

05/01/2015 - 22h03

[…] jornal O Globo chegou a produzir um editorial justificando a baixaria, intitulado O direito de saber. […]

Responder

Liberdade de Caluniar | Historias e Legalidade

05/01/2015 - 21h56

[…] jornal O Globo chegou a produzir um editorial justificando a baixaria, intitulado O Direito de Saber. […]

Responder

Rede Globo de Sonegação | Ficha Corrida

04/01/2015 - 22h38

[…] mal dos negros. O jornal O Globo chegou a produzir um editorial justificando a baixaria, intitulado O Direito de Saber. Trecho: Até que anteontem à noite surgiu nas telas, no horário do PRN, a figura da ex-mulher de […]

Responder

Azenha ocupa o “triplex” do Lula | Conversa Afiada

04/01/2015 - 13h57

[…] mal dos negros.O jornal O Globo chegou a produzir um editorial justificando a baixaria, intitulado O Direito de Saber. Trecho:Até que anteontem à noite surgiu nas telas, no horário do PRN, a figura da ex-mulher de […]

Responder

O três em um do Lula em Guarujá, 25 anos depois « Viomundo - O que você não vê na mídia

04/01/2015 - 12h59

[…] jornal O Globo chegou a produzir um editorial justificando a baixaria, intitulado O Direito de Saber. […]

Responder

O Direito de Saber: Merval Pereira demonstra que não lê O Globo | MANHAS & MANHÃS

28/10/2014 - 20h12

[…] Editorial de O Globo em 12.12.1989, na semana do segundo turno em que Fernando Collor derrotou Lula […]

Responder

O Direito de Saber: Merval Pereira demonstra que não lê O Globo « Viomundo - O que você não vê na mídia

28/10/2014 - 19h15

[…] Editorial de O Globo em 14.12.1989, véspera do segundo turno em que Fernando Collor derrotou Lula […]

Responder

Rômulo Gondim – Mídia brasileira ainda reflete a elite escravagista

05/03/2013 - 10h06

[…] exilaria a namorada de Fernando Henrique Cardoso na Espanha — dizendo que a população tinha “O Direito de Saber” em relação às acusações pessoais de Miriam contra Lula. Ah, sim, os eleitores não tiveram o […]

Responder

Laurindo, no Los Angeles Times: Mídia brasileira ainda reflete a elite escravagista « Viomundo – O que você não vê na mídia

05/03/2013 - 07h53

[…] exilaria a namorada de Fernando Henrique Cardoso na Espanha — dizendo que a população tinha “O Direito de Saber” em relação às acusações pessoais de Miriam contra Lula. Ah, sim, os eleitores não tiveram o […]

Responder

Evaldo Novelini » “A jornalista de FHC”

05/02/2013 - 18h27

[…] preciso lembrar que o jornal O Globo, anos antes, havia publicado editorial intitulado O direito de saber para justificar a devassa na vida pessoal de Lula, acusado por ex-namorada de defender o aborto de […]

Responder

Alexandre Colisse

29/11/2012 - 19h46

Um pequeno e singelo conselho a todos aqui, com muito respeito a cada comentário feito, pois não sou dono da verdade…..política não é futebol, não torçam por seus lados políticos, avaliem o que é feito e o resultado de seus governos.

A Mídia e a Grande Imprensa tem o poder de usar as polaridades partidárias e extrair para seu uso o benefício de manipular as opiniões e os governos.

Nós somos o “Povo” e temos o poder absoluto, só não acordamos para isso, pois estamos dispendendo nossa atenção nas brigas partidárias e não prestamos atenção ao redor, no que acontece enquanto estamos distraídos….

Responder

Jair Orichio Junior

29/11/2012 - 19h00

Eu já falei isso aqui e vou repetir. O que nós escrevemos e lemos aqui, não muda em nada a opinião da Globo, pois ela vai se rastejar por milênios, para quem pagar para ela…Como por ironia, O Governo Federal destina 60% das verbas de comunicação para as Organizações Globo, por que eu não sei…!!! Ela nem se preocupa em atacar dia e noite o Governo, pois sabe que quando o PSDB voltar ela vai voltar a receber 75% da verba… Logo, ela nunca perde…

Responder

    Douglas Maia

    04/01/2015 - 20h24

    É amigo, mas essa mamata da globo está acabando viu, primeiro que o governo já cortou todas as propagandas dos bancos e projetos públicos lá, era onde eles lucravam muito, e agora com esse novo ministro das comunicações realizando o controle midiático no país, se ainda não percebeu, mas eles (PSDB) já estão desesperados lá no planalto! Querendo armar algo para impedir….

Ribas

29/11/2012 - 16h00

Discordo do PS do Viomundo. O motivo de a Globo ter “escondido” sua funcionária não foi para evitar embaraços para FHC. A minha teoria para essa trama é que a Globo usou da situação e/ou da própria jornalista, para controlar, manter sob ameaça, o vaidoso e talvez até ingênuo (no que se trata de relacionamentos amorosos) FHC. Essa teoria passa a ser ainda mais plausível, agora que ficou provado que o filho da jornalista não é filho biológico do ex-presidente.

Responder

Robinson Damasceno dos Reis

29/11/2012 - 14h06

Azenha: seja mais correto.Você bem sabe que a tal funcionária do GLOBO e o tal canditato já sabem há anos que o filho da moça não é do ex-presidente FHC. Ele assumiu assim mesmo, mas, biologicamente e na questão sexual e amorosa não é pai do garoto.Portanto,complemente seu texto. Aliás, seu não: do GLOBO.

Responder

    valderli f

    29/11/2012 - 15h34

    Engraçado este rapaz. A questão era se houve ou não a traição, que foi “devidamente” abafada pela grande midia (ao conrário do que foi feito com Lula). Se o exame de DNA deu negativo, significa que alem de traidor ele foi traido. FHC é sim símbolo de uma “pseudo-elite” cretina, que não consegue aceitar a situação atual demelhoria nas classes menos favorecidas.

João Brasileiro

29/11/2012 - 11h16

Marcos André Lessa e demais crentes do PIG,

Collor não está sendo elogiado agora só porque é aliado do Governo Petista. Muito pelo contrário!!!
Ele recebe elogios por parte de quem defende o Governo Petista, agora, porque ele, Collor, está a favor do Brasil e do Povo Brasileiro!!
Antes, enquanto candidato e depois de ser eleito, ele estava contra o Brasil e contra o Povo Brasileiro, por isso ele recebeu críticas, naquela época!! Mas, era o queridinho do PIG!!
Hoje, ele é o DEMÔNIO para o PIG exatamente porque ele está a favor do Brasil e do Povo Brasileiro!!
Em outras palavras, ele está a favor de vocês, seus pais e dos seus filhos!!!
Não fiquem contra vocês!!
Um abraço!

Responder

    Robinson Damasceno dos Reis

    29/11/2012 - 14h09

    Pobre Marcos André!Até que ponto pode chegar a estupidez de um sicário obsidiado como este sujeito?

H. Back™

29/11/2012 - 11h13

São as agruras dos cargos públicos. E quem se submete a um cargo público deve saber disso, mas que fique bem claro, essa norma tem que valer para todos.

Responder

Marcos André Lessa

29/11/2012 - 09h34

E agora vocês pegam leve com o Collor porque ele é aliado do Governo… Que coisa, hein?

Responder

    Antonio Lyra Filho

    29/11/2012 - 10h38

    NÃO COLLOR ESTA SENDO CORAJOSO EM DIZER A VERDADE

    Valdeci Elias

    29/11/2012 - 12h55

    Leia ” A Privataria Tucana”, pra saber em qual governo o Brasil perdeu mais. Se no governo de Collor ou o de FHC ?
    Ao menos collor teve alguma punição , já FHC é protegido pelo Ministério Publico e pela imprensa.

Mardones Ferreira

29/11/2012 - 09h24

Só mesmo a falta de políticos corajosos para permitir que empresas como a Globo, Veja e a Folha de São Paulo continuem se autoproclamando representantes da opinião pública nacional, da ética, moralidade e qualquer coisa boa que o valha.

Houvessem mais senadores como o Requião – com todos os seus defeitos – o Brasil teria mais embates necessários sobre a necessidade de um contraponto a essa imprensa vendida.

Responder

    Carlos Cruz

    29/11/2012 - 10h57

    Coragem… Leonel Brizola, alguem lembra?

    Caracol

    29/11/2012 - 14h16

    O tempo todo, Carlos.

Colunista diz que é válido questionar vida pessoal de Lula no caso Rosemary « Viomundo – O que você não vê na mídia

29/11/2012 - 08h42

[…] PS do Viomundo: É casado? Tem filhos? Quando é o Lula tudo vale, como nos lembra este editorial de O Globo… […]

Responder

Deixe uma resposta