Adilson Filho: E agora, Rafinha Bastos?

Tempo de leitura: 4 min

por Adilson Filho, do blog E agora?

Sobre esse caso envolvendo Rafinha Bastos, considero-o emblemático no seguinte sentido: Ficou absolutamente claro que aqueles que pretendem fazer o humor dito “polticamente incorreto” aqui no Brasil o direcionam apenas a quem não tem como se defender ou não tem cacife midiático para tal.

Digo sem medo de errar, que não se trata apenas das minorias históricas e de pobres. Como fez o repórter Vesgo do Pânico humilhando um gari no Shopping da Gávea no Rio. Só isso era pra gente de indignar e bradar contra.

Mas aí é que tá X dessa questão, não é só isso, mesmo entre os políticos e celebridades eles sabem com quem podem mexer, só “vão na boa”, se é que me entendem..São calculistas, e isso pra mim faz com que além do desprezo que já sinto por fazerem piadas absurdamente infelizes – como aquela com órfãos – os tenha na condição de covardes e “pseudo- artistas”, pois identifico ali um claro limitador para o pressuposto básico de qualquer manifestação artística: liberdade de criação.

Sem dúvida essas pessoas que se julgam artistas, vivem num engano profundo, vendem uma coisa (o humor do politicamente incorreto, ou negro etc_) mas no fundo o que fazem é bater apenas em cima de cartas marcadas. Claro que a liberdade de criação num canal de televisão será sempre de alguma forma limitada poderá se dizer, mas, ora bolas, então não escolha o caminho do humor “doa a quem doer”, pois sabemos que no fundo não é nada disso que se faz mas sim o humor “doa a quem sempre esteve acostumado com a dor”

A coisa fica muito, mas muito feia, é passar atestado de covarde e corrompido pela grana: Com o Gari pode mas com o Dr. Advogado nem pensar, com o Sarney pode escrachar a vontade mas com o Maluf a gente pega leve e dá as costas pra ele deitar e rolar e ser engraçado tb…Com a Argentina está liberado falar até da bomba atômica explodindo aquele povo, mas com Israel nem pensar, pois não querem problemas com os judeus de Higienópolis…E por aí vai..

Por fim, quanto a piada que detonou isso tudo – sobre o bebê da Wanessa Camargo – apesar da opinião negativa que tenho sobre a figura de Rafinha Bastos que prefiro agora não externar, devo ser justo e dizer que não acredito que ele tenha tentado incentivar o estupro de grávidas, a pedofilia ou coisa do gênero. Acho que temos que ter argumentos um pouco mais sofisticados pois creio que esse discurso não resiste a dez segundos com uma pessoa minimamente crítica.

Pelo tom de sua ironia, pareceu-me mais ter empregado ali também o recurso da hipérbole; quando Marcelo Tas “levanta pra ele” o fato dela estar grávida (tudo devidamente ensaiado, claro) e ele diz: “Pois eu comeria ela e o bebê dela juntos”, fica ali pra mim, bem claro, o tom provocativamente exagerado, até por suas expressões.. Guardadas as devidas proporções, é mais ou menos como Caetano ao se referir a Leonardo de Caprio ou Raul Seixas que nunca quis transar com Deus em suas “Aventuras na cidade de Thor.”

A comunicação se dá também na expressão gestual, basta observar e perceber o contexto, o que é fundamental numa análise. Ora não é preciso varar a Duvivier as cinco pra entender que Cazuza não tava querendo trepar com a própria mãe, caramba..

Agora, com certeza, é bem diferente da Marta Suplicy (PT-SP) que na campanha eleitoral fez insinuações diretas a sexualidade do seu maior adversário.

Fazendo uma comparação, creio que a chance de acontecer uma agressão homofóbica como a lâmpada que explodiu na cara de um jovem na Av. Paulista é muito maior devido a declaração da senadora do que a de alguém estuprar uma criança por que viu um pretenso artista falando uma bobajada daquelas sem graça ao lado de outros bobões tão sem graça quanto..

Fato é que é difícil saber, muito difícil de julgar ali na hora sua intenção – embora tenha dado aqui minha opinião – por isso, fugindo do sexo dos anjos, meu questionamento na verdade é outro: Será que ele faria a mesma piada, por exemplo, com a Ivete Sangalo? Sabemos que não, e esse é o ponto.

Volto a dizer, esse caso é emblemático porque pegaram um rapaz que se vendia como “ o destemido” de calça curta, justamente onde ele achava que jamais seria pego e estaria protegido. Mal sabia ele que por trás daquela “moça brega” filha daquele cantor sertanejo “bom de sacanear”, tinha gente muito poderosa, as mesmas pessoas que ele se borra de medo e sabe que não pode mexer de jeito nenhum. (o que também é péssimo, sem dúvida).

Seria mais ou menos como se aquele gari humilhado pelo rapaz do Pânico na TV no Shopping do Rio fosse na verdade um advogado super poderoso que estivesse ali disfarçado, ou fantasiado e jogasse-lhe um processo, tudo ao vivo com a casa caindo devidamente registrado pra quem quisesse ver.

No meio de toda polêmica, uma coisa é fato depois do episódio RB: Pra quem ainda acreditava, acabou de vez a credibilidade e o “barato” de programas do tipo CQC. Vendem um humor implacável, generalizado e sem fronteiras mas no fundo são covardes, pois só batem pesado em quem não tem chance, limitados, pois só escolhem “os manjados estereótipos de sempre” e hipócritas, pois levantam a bandeira da liberdade de expressão mas são no fundo (como o todo o PIG) inimigos desta, como pudemos perceber na demissão do colega de bancada.

Adilson Filho é blogueiro e professor da rede pública de ensino do Rio de Janeiro.

Leia também:

Rosane Pavam: O humor do coronel Rafinha Bastos

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

bissolijr

(eu não vou alimentar a polêmica. quem assistiu esse cara no "provocações" sabe do seu perfil e isso basta, por um lado. por outro, lamentável que a elite e só ela tenha o poder de reagir quando "atacada" numa concessão pública.)

ivan jotta

O q me revolta é q o Bolsonaro falou q namorar uma mulher negra é promiscuidade e soh faltou ele receber uma condecoração.

    Luci

    E o Ronaldo Fenômeno não ameaçou retirar suas empresas patrocinadoras do progrma;

mfs

No fundo, quem vai decidir democraticamente tudo é o dono da Band. Homem aberto, progressista, ouvirá os poderosos colegas da pessoa ofendida e, claro, ouvirá a opinição dos patrocinadores. Se o mercado censurar, o RB roda. Se o mercado sinalizar pelo dia do Fico, ele permanecerá.

ROBERTO SALVINO

O RB é um traficante instantâneo de tolices e mediocridades. É o que é porque tem um séquito tão qualificado quanto ele. Todos se sentem como o tal, mas somente ele, como mestre-mor-traficante, é o que tem a grana e tudo que os seus abilolados seguidores guardam como grande desejo. São covardes, ele e seus seguidores, os seguidores por acharem "graça" em tudo que ele expele – onde está o filtro do senso crítico de seus descolados bajuladores que engolem tudo sem ao menos verificar o odor e o sabor, será o traficante infalível? Ele, o bonzão, é SELETIVO nas suas "gracinhas" de adolescente de 34 anos, só gira sua metralhadora medindo antecipadamente suas consequências. Enfim, um COVARDÃO!. Tenho dito.

Julio/Contagem-MG

Não defendo o rafinha, mas, cadê a famigerada LIBERDADE DE EXPRESSÃO, tão propagada pelo PIG, e
pelo instituto Minellium. LEY DE MEDIOS, já !!!!!!!!!!!

Luci

É briga de grandes.Um tem o poder de quem lhe garante de dizer e ofender mulheres, crianças enfim todos, poupando os de seu grupo social.
E Ronaldo tem coragem de patrocinar um programa deste tipo o CQC. Ronaldo era o queridinho do programa, agora dá para imaginar que eram uns puxa-sacos, paparicando o patrocinador.
Com causas humanitárias importantes no mundo necessitando de patrocínio, é lamentável como as pessoas supostamente esquecem a origem e tornam-se insensíveis para questões do coletivo e apresentam-se como defesnoras do unitário. Este programa extrapola há muito tempo, mas agora o paredão é o poder econômico de quem lhes patrocina.

Morvan

Bom dia.
Se a Band e a produção do programa, claro, tivessem sido um mínimo previdentes, teriam, certamente, evitado todo este desdobramento, afinal, já na piadinha infeliz sobre os moradores de Higienópolis ficara claro que aquele tipo de humor(Sic!) sairia caro para alguém. O próprio emissor daquela baboseira (Gentili) pediria desculpas pela frase para lá de infeliz. Não pedira desculpas por outras atrocidades verbais, como as diatribes desferidas contra a Presidente Dilma e a sua presumível (para ele, que fique bem claro) "pouca inteligência para escapar da ditadura", como ficou registrado, aqui, no VOM, por vários postantes e articulistas.
Mas não. Deram-lhe bastante espaço (e corda) para o seu humor(Sic, de novo!) escrachado e seletivo e deu no que deu. O problema é que ele fez graça (?) em cima de uma grávida com dinheiro (se fosse uma [grávida] qualquer, mas logo esposa de gente influente, de anunciantes poderosíssimos?) e isso não pode! O processo seletivo da mídia falou bem mais alto do que o humor(Sic!…).

Pode ser que a demissão do sr. Rafa Bastos seja o basta não só neste tipo de programa cujo título já diz muito (Custe o Que Custar, ou se quiser, "Os Fins Justificam os Meios") mas seja o alvorecer de uma forma de questionar o modelo de humor (mesmo!) que a sociedade quer.

Morvan, Usuário Linux #433640.

Ze Duarte

Mas não é isso que todos vocês sempre queriam? Censura, demissòes e punições? Isso seria a primeira etapa da regulação da mídia que vocês tanto pretendem… politicamente correta e chata, como o mundo é hoje.

    ROBERTO

    O RB é um traficante instantâneo de tolices e mediocridades. É o que é porque tem um séquito tão qualificado quanto ele. Todos se sentem como o tal, mas somente ele como mestre-mor-traficante é o que tem grana e tudo que os abilolados guardam como grande desejo. São covardes ele e seus seguidores, os seguidores por achar "graça" em tudo – onde está o filtro do senso crítico, será o traficante infalível? Ele, o bonzão, é SELETIVO nas suas "gracinhas" de adolescente de 34 anos, só gira sua metralhadora medindo antecipadamente suas consequências. Enfim, um COVARDÃO!
    Compreendo sua defesa/admiração por se tratar de ser seu alter ego. Tenho dito.

    Pedro

    Pois é, os "progressistas" jogaram o Rafinha na fogueira, por uma piada sem graça, e agora devem esta todos felizes.

    adriana

    Quem jogou seu ídolo RB na fogueira foram o Ronaldo Fofomeno, o Buaiz, o Saad e TODOS os patrocinadores que são os verdadeiros TESOURAS da tão propagada 'liberdade de empresa' que os CQCs praticam, RECLAME com quem de direito querido, bata à porta dessas celebridades e empresas e mostre a elas o quanto vc está indignado com essa atitude deles ok?

    mfs

    Você tocou no ponto certo. Quem decide se ele continua ou não, ou seja, quem decide se pode ou não censurar é o dono da Band. Mas é claro que ele é um homem aberto, democrático, afinal, escuta sem amigos megaempresários. Ora, ninguém propôs a volta da censura. Na verdade, o direito de fazer piadas é também o direito de criticar as piadas e o piadista.

    pap

    O marco luque, pela trairagem e o tas e elenco,que deixou rafinha á propria sorte tambem entram na tesoura.

    Pergunta: Quer dizer que a familia dos "filhos de francisco" apitam na bandeirantes?

    Luiz Fortaleza

    o que é q tem a ver o C e o U com as calças? Liberdade de expressão pressupõe respeito, responsabilidade com que se diz… ninguém pode sair por aí dizendo o que quer a partir de sua "verdade" pessoal. Não existe liberdade absoluta e sim relativa, pq a minha liberdade termina quando começa a do outro. Humor com falta de respeito à pessoa humana é mesmo esculhambação, piada grosseira, preconceituosa… Humor que faz buling e constrangimento com pessoas idôneas é mal-HUMOR.

    mfs

    Não se trata de censurar, aí é que está o veneno dos opositores. O ocorre é que a liberdade de crítica vale para todos. Assim como o piadista pode contar suas piadas, também deve haver liberdade para criticar a piada e o piadista. Ou a liberdade do piadista só existe quando só são aceitas as reações favoráveis. O mesmo se dá com a imprensa – ou seja, regulamentar não é censurar.

    mfs

    O totalitarismo é também o esmagamento do invidíduo. E não foi o indivíduo que foi atingido pelo RB, com suas piadas grosseiras atingem diretamente um indivíduo? Ou será que não existe mais grosseria nem ofensa? Então bulllying deixa de ser bullying quando pretende ridicularizar? Or

beato salu

esse tipo de polemica é mais uma piada???

Gerson Carneiro

Enfim, né… não tenho nada a falar sobre esse imbecil.

    Pedro

    Chamar os outros de imbecil na frente da tela do PC é facil.

    Gerson Carneiro

    Difícil é fazer o que ele fazia na bancada do CQC, né! Sei.

    Marcio.

    Aqui tá cheio de leões de teclado. Fora dele, meros gatinhos.

Eduardo Raio X

Para dizer a verdade assistir alguma coisa desse programa CQC e descobri uma imitação barata dos que são vinculadas nas TV norte americanas. De uma coisa podemos ter total certeza Chacrinha já dizia filosofando, na TV feita no Brasil nada se cria tudo se copia! Esta ai uma verdade sem discussão!

ZePovinho

Vamos dar uma força pro Rafinha.Ele está desempregado e precisa dessa polêmica para continuar na mídia.Aqui na blogosfera o cabra não é censurado por quem tem grana,como acontece no PIG.

    Aline C Pavia

    Leva pra sua casa, tadinho.

    Ricardo

    Desempregado? O cara ganha para fazer propaganda no twitter dele, tem a agenda repleta de shows e SBT e Record ja tao interessadas no CQC.

Fabio_Passos

Covardões.
Tanto os figuras do programa como a direção da bandeirantes.

Cadê a defesa da "liberdade de expressão"?

É assim que funciona programação de TV idiotizada destinada a classe média…

Guilherme

Me poupem, o cara é humorista, por definição fala coisas que não devem ser levadas ao pé da letra. Minha opinião é que o jornalismo no país, hoje, é muito pior do que qualquer programa humorístico. Eu não assisto com muita frequencia o CQC, mas as poucas vezes que assisti, ficou claro a mensagem que eles tentam passar, que é de fazer as pessoas entenderem o quanto o VOTO delas é precioso, e o quanto votar errado prejudica a todos! Nesse aspecto, me desculpem, mas eles estão bem a frente de qualquer telejornal (salvo excessões, adoro as reportagens do azenha) da tv brasileira.

    mfs

    Tá confundindo a parte com o todo. A grosseria do RB atingiu o direito do indivíduo, mas ninguém afirmou que o programa atinge o direito do indivíduo. Além disso, piadas não são politicamente neutras. Ou será que os carrascos de Auschwitz não faziam piadas? Nem os torturadores do DOI-CODI?

Mad Hatter

Sinceramente,

Who Cares ?

Um idiota, fazendo uma piada infeliz sobre uma nulidade, filha de uma pseudocelebridade, casada com um cara que sua maior realização da vida foi ter nascido herdeiro, em um programa chifrim, numa emissora decadente.

Quanta mediocridade.

    Aline C Pavia

    Falou e disse, comentário 6 estrelas.

Luiz

Só uma observação: esse comentário "eu como", Rafinha fazia com toda artista, em todo programa, bastando a oportunidade. Calhou de Wanessa estar grávida e o comentário ganhar um adendo…
No mais, não vejo mais nada além de um burguês esperneando, mostrando pro mundo que com o poder do seu dinheiro pode subjugar qualquer coisa.
É o que eles fazem, afinal, desde… Sempre.
Quisesse resolver, simplesmente, a questão, teria, silente, acionado a justiça.

Paulo Oliveira

Será que poderíamos fazer analogias a jornalistas que têm blogs que criticam o "status quo", mas não falam nada quando se trata de investigações da Polícia Federal que envolvam donos de canais de TV que os empregam?

    Pedro

    Bem lembrado, nao me lembro de ver o PHA comentar as acusações que o bispo sofre, por será?

rita

a band corre o risco de perder o programa cqc. .. informação do portal ig.

    Aline C Pavia

    Melhor seria se a notícia fosse "a TV brasileira corre o risco de ficar sem CQC".
    De quebra, leva embora o Pânico e aquele constrangimento chamado Zorra Total?

    Ah Grande Otelo… ah Oscarito… ah Golias… ah Chico Anysio Show… ah Viva o Gordo… ah Balança mas não Cai… ah Costinha…

    Humor, Rafinha Bastos? Onde?

    Ricardo

    Censura Nao!

O_Brasileiro

Essa "piada" (?) vai custar caro não só pro Rafinha… A Band vai sair no prejuízo, e o próprio marido da "cantora" (?), um milionário desconhecido (casou com a filha do Zezé pra ficar conhecido, mas ainda não o é!), vai ter que desembolsar a maior grana para seus "amigos" da mídia crucificarem o "humorista" (?).
Isso é a cara da "elite" (?) brasileira…

Deixe seu comentário

Leia também