VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Kotscho: 2002, 2006, 2010, 2012…


29/10/2012 - 22h53

Publicado em 29/10/12 às 12h25

Mídia derrotada mais uma vez pelo PT de Lula

Ricardo Kotscho, no Balaio

Perderam para Lula em 2002.

Perderam para Lula em 2006.

Perderam para Lula e Dilma em 2010.

Perderam para Lula e Haddad em 2012.

A aliança contra Lula e o PT montada pelos barões da mídia reunidos no Instituto Millenium sofreu no domingo mais uma severa derrota.

Eles simplesmente não aceitam até hoje que tenham perdido o poder em 2002, quando assumiu um presidente da República fora do seu controle, que não os consultava mais sobre a nomeação do ministro da Fazenda, nem os convidava para saraus no Alvorada.

Pouco importa que nestes dez anos tenha melhorado a vida da grande maioria dos brasileiros de todos os níveis sociais, inclusive a dos empresários da mídia, resgatando milhões de brasileiros da pobreza e da miséria, e dando início a um processo de distribuição de renda que mudou a cara do País.

Lula e o PT continuam representando para eles o inimigo a ser abatido. Pensaram que o grande momento tinha chegado este ano quando o julgamento do mensalão foi marcado, como eles queriam, para coincidir com o processo eleitoral.

Uma enxurada de capas de jornais e revistas com quilômetros de textos criminalizando o PT e latifúndios de espaço sobre o julgamento nos principais telejornais nos últimos três meses, todas as armas foram colocadas à disposição da oposição para o cerco final ao ex-presidente, mas a bala de prata deu chabu.

Na noite de domingo, quando foram anunciados os resultados, a decepção deve ter sido grande nos salões da confraria do Millenium, como dava para notar na indisfarçada expressão de derrota dos seus principais porta-vozes, buscando explicações para o que aconteceu.

Passada a régua nos números, apesar de todos os ataques da grande aliança formada pela mídia com os setores mais conservadores da sociedade brasileira, o PT de Lula e Dilma saiu das urnas maior do que entrou, como o grande vencedor desta eleição.

“PT — O maior vencedor” é o título do quadro publicado pela Folha ao lado dos mapas das Eleições em todo o País. Segundo o jornal, o PT “foi o campeão em dois dos mais importantes critérios. Além de ter sido o mais votado no 1º turno (17,3 milhões), é o que irá governar para o maior número de eleitores”.

De fato, com os resultados do segundo turno, o PT irá governar cidades com 37,1 milhões de habitantes, onde vive 20% do eleitorado do País. Com cidades habitadas por 30,6 milhões, o segundo colocado foi o PMDB, principal partido da base aliada.

“Em relação aos resultados das eleições de 2008, o total de eleitores governados por prefeitos petistas crescerá 29% em 2013, quando os eleitos ontem e no primeiro turno deverão assumir”, contabiliza Ricardo Mendonça no mesmo jornal.

Do outro lado, aconteceu exatamente o contrário: “Já os partidos que fazem oposição ao governo Dilma Rousseff saem da eleição menores do que entraram. Na comparação com 2008, PSDB, DEM e PPS, os três principais oposicionistas, terão 309 prefeituras a menos. Puxados  para baixo principalmente pelo DEM, irão governar para 10,5 milhões de eleitores a menos”.

Curiosa foi a manchete encontrada pelo jornal “O Globo” para esconder a vitória do PT: “Partidos ficam sem hegemonia nas capitais”. E daí? Quando, em tempos recentes, algum partido teve hegemonia nas capitais? Só me lembro da Arena, nos tempos da ditadura militar, que o jornal apoiou e defendeu, quando não havia eleições diretas.

O que eles estarão preparando agora para 2014? Sem José Serra, que perdeu de novo para um candidato do PT que nunca havia disputado uma eleição, o ex-ministro da Educação Fernando Haddad, eleito com 55,57% dos votos, terão que encontrar primeiro um novo candidato.

Ao bater de frente pela segunda vez seguida num “poste do Lula”, o tucano preferido da mídia corre agora o risco de perder também a carteira de motorista.

Leia também:

O mito sobre a fragilidade do PT, de 18.09.2012

O discurso de vitória de Fernando Haddad

Bonifa: Só carisma de Lula não basta para vencer no NE

Leitores atribuem derrota do PT em Salvador a Jaques Wagner

Merval Pereira: O mito e os fatos

Vereador sugere que Serra vem aí

PT mantém cinturão vermelho em SP

E a Globonews consegue derrotar Lula…

Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social





14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fátima Oliveira: No município, governo de coalização é fracasso « Viomundo – O que você não vê na mídia

30 de outubro de 2012 às 17h52

[…] Kotscho: 2002, 2006, 2010, 2012… Jorge Viana: Prioridade do PT passa de inclusão a qualidade dos serviços públicos […]

Responder

augusto2

30 de outubro de 2012 às 10h54

Se eu fosse da equipe millenica, eu começaria um novo discurso politico.
Realista e que buscaria as areas de insatisfaçao da classe C e um trabalho para que a classe B a aceitasse como algo bom para o pais.
E assim abriria espaço politico pela ai…
Portanto, srs do PT, usem seus neuronios.

Responder

neopartisan

30 de outubro de 2012 às 09h26

“….a decepção deve ter sido grande nos salões da confraria do Millenium, como dava para notar na indisfarçada expressão de derrota dos seus principais porta-vozes, buscando explicações para o que aconteceu.” Que decepção? Que expressão de derrota? O riso sardônico da Cristiane Lobo, do Alexandre Garcia e às vezes do Merval permaneceu no ar, mesmo com a humilhante derrota. Serão eles cínicos, abestalhados ou marotários (misto de marotos com otários)?

Responder

dukrai

30 de outubro de 2012 às 09h23

o Kotscho fez uma profecia catastrófica pro PT que até preguei no meu blog, não sei se era provocação pra militância, realismo ianque ou pessimismo, agora volta o pêndulo petista.
ô Azenha, tá na hora de fazer uma análise das bolas fora do PT, que viu o PSB crescer nas suas mancadas como em BH e Campinas. É preciso entender o “aliado” como um partido anfíbio que serve à direita e à esquerda, mas como o polivalente pato, nada mal, anda mal e voa mal.

Responder

Antonio Donizeti - SP

30 de outubro de 2012 às 08h10

Os jornalistas dos verdadeiros “comites eleitorais de propaganda tucanos” instalados nas redações da chamada grande imprensa é caso de camisa de força e internação no pinel, são casos perdidos, vão morrer hidrofóbicos pelo próprio veneno que destilam diariamente contra Lula e o PT.

Ancorados em seus pré-conceitos políticos reacionários, nunca vão entender porque o povo acredita tanto e tem verdadeira paixão pelo ex-Presidente Lula e os ignora solenemente ao tornar o tão odiado por eles PT -PARTIDO DOS TRABALHADORES, a maior força política do Brsil.

Mas vou comentar um fato que pode ter decidido a eleição deste segundo turno e explica como funciona a mente politicamente doentia do tucano José Serra, que felizmente (!!) tem contribuido para livrar nosso país de ser governado por esse protótipo perfeito e acabado de um ditador.

Pois bem, no início do segundo turno, o pastor Silas Malafaia, representante mais retrógrado em matéria de religião, que se pudesse pregaria a “queima na fogueira” das pessoas que tem outra opção sexual que não a tradicional e aliado de primeira hora do Serra, disse que vinha direto do Rio de Janeiro com o tal “kit gay” na mala para “arrebentar com o Haddad” na eleição da capital paulistana.

Pois bem, o Malafaia e sua pregação de ódio na verdade conseguiu “arrebentar” foi com o próprio Serra!

Explico: naquela semana que a cidade ficou discutindo o tal ” kit gay” e o Serra acusando o Haddad de “querer ensinar os jovens a serem gays” na escola !, a campanha eleitoral ficou patinando e foi revelado que o Serra também tinha produzido material semelhante e distribuido quando governador de São Paulo, o tiro saiu pela culatra, como em tantas vezes acontece quando o Serra acusa os outros de mal feitos (basta lembrar quando acusou a Dilma de ser abortista em 2010 e depois foi revelado que sua própria esposa Monica havia feito aborto no exílio dele no Chile), mas Serra esquece ou ignora que tem esqueletos iguais no seu armário e acha que nunca serão revelados, esse seu grande erro em tempos de internet e blogosfera, foi assim no aborto e no ” atentado ” da bolinha de papél de 2010 e agora também.

A perda de foco da sua campanha naquela semana e recuo do Serra depois nesse tema, foi fatal para sua derrota no segundo turno, pois a diferença para o Haddad foi de pouco mais de 10% de votos, o que bastaria Serra tirar 6% de diferença e seria eleito para desgraça da capital, olha do que a sordidez e mania de fazer política jogando sujo do Serra nos livrou, pois o Serra conseguiu reagrupar grande parte da direita que sempre vota nele, mas perdeu tempo naquela fatídica semana do kit gay para tirar a diferença que poderia elege-lo !

Portanto, foi a própria maneira do Serra fazer política, jogando sujo e pesado, usando temas subjetivos e de preconceito contra seus adversários e que provocam ódio na sociedade é que pode ter derrotado Serra !

Para sorte e felicidade geral do Brasil em 2010 (usou temas do aborto e religião) e agora em 2012 (kit gay e mensalão) na eleição da capital paulistana, Serra foi vítima da sua famosa ” síndrome do escorpíão”, pois Serra é esclarecido, sabe que o eleitorado não recebe bem campanha negativa, que usa mentiras, bate no adversário e temas de cunho subjetivo e pessoal, mas ele é vítima da sua marca registrada de fazer política, como disse o ex-tucano Ciro Gomes: ” Serra numa campanha eleitoral é garantia de baixaria, se preciso Serra passa com um trator sobre a própria mãe para atingir seus objetivos.” Melhor definição impossível.

O próprio tucano-mór FHC, que conhece Serra há longo tempo, resumiu bem o que atormenta a mente e alma do tucano Serra e o faz cometer erros fatais: ” o problema do Serra é o diabinho que mora no lado direito do seu peito.”

A “síndrome do escorpião” do tucano José Serra é a maior responsável pelas suas últimas derrotas eleitorais e espero que continue sendo em toda eleição que ele vier a disputar (se o PSDB fizer a loucura de continuar apostando nele!), pois esse político desagregador, autoritário e vingativo, com mania de perseguição e sua aliança espúria com a mídia conservadora é um perigo para a democracia e o futuro da nossa nação.

Lanço aqui a campanha: José Serra como candidato tucano a presidencia em 2014 (!), pois Serra é o “melhor candidato” para ser enfrentado e derrotado de novo, é certeza de vitória.

Responder

rudi

30 de outubro de 2012 às 07h35

Não dá para enganar a todos o tempo todo.
A direita forçou a mão. Passou do ponto.
O povo não é bobo. Deu o troco na urna.

Responder

Rose PE

30 de outubro de 2012 às 00h33

Chora PIG e oposição, faltou dizer também STF. A estratégia de programa do mensalão pela TV já era. Lula é o cara!

Responder

    Willian

    30 de outubro de 2012 às 11h12

    Estão chorando muito em BH, Salvador e Manaus. Tá um vale de lágrimas, precisa ver.

    Jairo Beraldo

    30 de outubro de 2012 às 11h51

    Bill, podem não estar chorando agora, mas nada como um dia após o outro.

    Willian

    30 de outubro de 2012 às 11h14

    Ah, Recife também está muito triste. Lágrimas, lágrimas e lágrimas…

Abel

29 de outubro de 2012 às 23h37

Esse Millenium é tão fajuto que é escrito com um “n” só…

Responder

Fabio Passos

29 de outubro de 2012 às 23h11

As derrotas do PiG são as vitórias do Brasil em busca de justiça social e desenvolvimento.

É preciso comemorar mas principalmente continuar a luta para evitar retrocessos.

Enquanto houver PiG, os avanços sociais e a própria democracia correm perigo.

Precisamos de um acerto de contas definitivo com estas oligarquias midiáticas que tanto mal fizeram e ainda fazem ao Brasil.

Responder

    Mário SF Alves

    30 de outubro de 2012 às 09h21

    Olá, Fábio.

    “Precisamos de um acerto de contas definitivo com estas oligarquias midiáticas que tanto mal fizeram e ainda fazem ao Brasil.”
    .
    As oligarquias midiáticas não são nada além de veículos de propaganda enganosa. São produtoras de S.O.M.A. , i. é, um similar do ácido lisérgico destinado a acalmar as verdadeiras oligarquias que se ocultam por trás do PiG [Aldous Huxley, explica]. Um LSD político, por assim dizer. Das duas, uma: ou não acreditam ou não têm qualquer responsabilidade com o Estado Democrático de Direito. Seu estado por definição, o estado da plutocracia, é o ESTADO DE FATO.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding