Greve dos professores do Ceará caminha para solução negociada

Tempo de leitura: 3 min

Foto Frederico Bruno, no blog do Valdecy Alves

por Luiz Carlos Azenha

A greve dos servidores públicos da educação do Ceará, iniciada em 5 de agosto, caminha para uma solução negociada, segundo a professora Penha Alencar, que é secretária-financeira da APEOC, a Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais do Ceará. Em assembleia realizada na sexta-feira (2), os professores decidiram manter a paralisação, que foi decretada ilegal pelo Tribunal de Justiça do Estado.

A greve cearense foi marcada por algumas particularidades, como declarações esdrúxulas atribuídas pela APEOC ao governador Cid Gomes:

“Por mim nem plano de carreira existiria”.

“Quem entra na atividade pública deve entrar por amor, não por dinheiro”.

“Quem dá aula faz isso por gosto, e não pelo salário”.

“Se quiser ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado”.

Em resposta, o professor Paulo James Queiroz Martins escreveu:

“Governador, por amor ao Ceará abdique do seu salário de governador”.

O fato é que a proposta inicial do governo do Estado para se adequar ao Piso Salarial Profissional Nacional, que o Supremo Tribunal Federal considerou legal e mandou implementar, na prática, segundo os grevistas, beneficiaria apenas os novatos, sem respeitar o plano de carreira.

Segundo a professora Penha Alencar, dentre os servidores em educação do Ceará existem 24 mil professores, sendo 12 mil deles temporários.

Houve grande adesão à greve.

Na semana passada os professores foram à Assembleia Legislativa pressionar a bancada governista (ver vídeo abaixo).

A tropa de choque da Polícia Militar bloqueou a entrada do plenário e a sessão foi suspensa.

À noite, o presidente da APEOC, Anízio Melo, esteve com o chefe de gabinete do governador, Ivo Gomes, que é deputado estadual e irmão de Cid Gomes. Ambos pertencem ao Partido Socialista Brasileiro (PSB).

A APEOC argumenta que o estado teve um aumento de arrecadação e, comparativamente, investe menos que outros estados da região no pagamento do magistério. O salário do Ceará é o quarto pior do Nordeste, segundo a entidade:

“Estudo técnico realizado recentemente pelo Instituto Sindicato – APEOC encerra com a seguinte conclusão: o Ceará paga o 5º pior salário nacional de professor da Educação Básica em nível inicial de carreira. Segundo a mesma pesquisa a maior remuneração paga ao professor com licenciatura plena na Região Nordeste é no Maranhão: R$ 3.263,38. O Sindicato APEOC entende que o piso é de R$ 1.597,87 e que, portanto, deve ser esse o valor da referência inicial de carreira. Nessa proposta, o professor graduado, referência 13, passaria a ter vencimento de R$ 2.869,54, como se vê, ainda abaixo do vencimento de muitas carreiras de graduados no serviço público”.

A professora Penha informou que houve entendimento, na reunião com Ivo Gomes, de que as duas partes trabalhariam para assinar um termo de compromisso na segunda-feira (5), que seria submetido aos grevistas na próxima assembleia, marcada para a sexta-feira.

Há, portanto, disposição de negociar. Isso não é garantia de que haverá acordo, nem invalida a avaliação de um professor, publicada no site da APEOC, sobre a estratégia do governo estadual, que faz menção ao controle de Cid Gomes sobre a Assembleia Legislativa:

“Manda quem pode, obedece quem tem juizo, de 46 deputados, ele tem 45,5. Ele usa a arrogância e despreparo para negociar e isso meu amigo, também é a arte de negociar”.

PS do Viomundo: Onde havíamos escrito TAC (Termo de Ajuste de Conduta), leia-se termo de compromisso.

Leia também:

Minas Sem Censura: Cumpra a lei, Anastasia!

Professores provam que Minas é PSDB*

Débora Vaz: As escolas de photoshop do Ceará

Beatriz Lugão: No Rio, Cabral produz uma ilha da Fantasia

Ken Robinson: É preciso repensar a educação

Professores federais: Sem diálogo, Dilma cassa direitos

Na Coreia do Sul, a era da educação digital

A Frente Parlamentar pela Educação no Campo

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Cynara

Estou indignada com o que está nos acontecendo. O nosso direito tem que ser cumprido. É LEI !!!!!!!!!!!!!!!! Estamos na luta firmes e fortes. Esses corruptos que aí estão, não são dignos do cargo que ocupam.

Flagrado suspeito rondando sindicato de professores de MG | Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] A greve dos professores do Ceará […]

Rui

quando o governo Lula começou a dar resultados, toda carniça direitista debandou para a esquerda, para garantir lugar na foto. O próprio PT fastou um bocadinho pra caber mais gente no enquadramento. O resultado ficou como a frase no portão do hospício:
Nem todos que aqui estão são . Nem todos que são aqui estão.

Helena Matos: A ocupação da Universidade Federal Fluminense | Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] No Ceará, haverá solução negociada para a greve? […]

CRis

Não está havendo negociações no Ceará!!
O governador berra em bom tom: Não negocio com categoria em greve!!
O mais incrível é que todas as greves deflagradas foram consideradas ilegais: Polícia Cívil, DETRAN, Professores do Estado e do município!!

Liduina

O Governador Cabral achou que carregar a bandeira da UPP seria mais que suficiente para alavancar sua carreira política. Aí veio o deslizamento na serra fluminense, o salário do bombeiro, o bondinho de Santa Tereza…
Agora vem o Governador Cid Gomes achando que o crescimento do Estado não envolve educação, saúde…
Nosso País sofre de um mal que eu chamo de SÌNDROME DO TRAVAMENTO MENTAL..

Ô País travado !

Giordano Bruno

O Peleguismo em Festa
Os jovens quadros do professorado do Ceará não viveram as consequências policialescas do peleguismo sindicalista da "redentora" de 1964. Mas a História Contemporânea lhes ensina o quanto essa inclinação carreirista é prejudicial ao movimento dos trabalhadores. A greve em curso no magistério estadual proporciona ver o quanto é oportunista a atuação dessa organização híbrida conhecida como APEOC.
No início e no decurso da greve seus antigos dirigentes adotaram posturas tímidas, deixando "o barco navegar". Até porque deflagrar uma greve é tarefa fácil. Difícil é sair dela, como ocorre agora. O impasse existente é uma decorrência da falta de interesse dos governantes em valorizar o trabalho do magistério. Para os ocupantes ocasionais do governo, o professor não passa de um peso morto. Massa de manobra para ser usada quando for oportuno, como vem ocorrendo nos últimos dias, com a realização de reuniões espúrias, com o propósito de enfraquecer o movimento. Não foi surpresa a adesão da APEOC a esse chamamento dos detentores do poder para renovação das ameaças costumeiras, concretizadas no pedido de decretação da ilegalidade da greve. Quem deseja negociar não recorre à ilegalidade do formalismo jurídico. Nem muito menos renova o bloqueio de qualquer abertura da negociação necessária. Os professores são eleitores permanentes. Os governantes são gestores temporários. O futuro irá oferecer oportunidades para um "encontro de contas". De tudo isso, o mais ridículo foi o comportamento da APEOC nessas tentativas de abrir fendas no movimento limpo por dignidade, do magistério. O peleguismo em festa pelo acesso às mesas palacianas não perde por esperar.

    vladoturambar

    A ultima desse sindicato é desqualificar as votações feitas em Assembléia Geral e propor o voto por cédulas. Se isso ocorresse dentro da própria Assembléis, para regular a votação e evitar que pessoas fora da categoria e pertencentes a tendências políticas votassem, tudo bem. Mas o sindicato propõe uma eleição em todas as escolas do estado, onde é sabido que na grande maioria das cidades do interior o unico ponto de vista defendido seria o do próprio sindicato. Isso ocorre depois de humilhante derrota sofrita pelo Sindicato pelego que tenta a todo custo paralisar a greve (a maior da história do Estado) sem nenhuma, absolutamente nenhuma, proposta concreta do Governo.

Tereza Gomes

Gostaria de deixar aqui meu questionamento em relação ao apoio aos professores pela IMPLEMENTAÇÃO DA LEI DO PISO. Acompanho este blog, e sinceramente, respeito o Jornalista Luiz Carlos Azenha, mas estou começando a aceitar a teoria dos "blogs sujos/ limpos"… ótimos p/ criticar a direita e passar a mão na cabeça da "esquerda" q hoje nos governa. Ora, o estado do RS, como o amigo Mariano bem citou, também está enfrentando greve dos professores pelos mesmos motivos de todo o resto do país e a resposta do GOVERNADOR PETISTA TARSO GENRO, foi de entrar com recurso contra a decisão do STF e, por conseguinte, a LEI DO PISO… e a pergunta que fica, é: onde estão os comentários críticos?? Ainda mais: as universidades FEDERAIS passam por um processo de arrocho e seus sindicatos (todos de filiados ao PT e aliados do governo) acatam as mais absurdas decisões, sem consultar a categoria. E onde estão os questionamentos?? O que eu vejo, muito claramente, apesar da vontade de LEVANTAR NOSSA BANDEIRA ACIMA DO LIXO, é que estamos caminhando p/ o caos reinante nos demais países "desenvolvidos". Aqui, também, apesar do "lifting" econômico representado pelo aumento de poder aquisitivo das classes menos privilegiadas, não vemos um estado sendo reformado para manter este status, apenas os ricos continuam recebendo privilégios, e os investimentos que deveriam acontecer nas áreas de estabilização social: EDUCAÇÃO, SAÚDE E CULTURA, são negligenciados, como em TODOS OS BONS GOVERNOS DE DIREITA. Faz-me rir, Azenha, faz-me rir!! Vida boa é a do outro…

    vladoturambar

    Concordo plenamente com a Tereza. Se o Governo Lula melhorou a vida de muita gente nesse país, minou os sindicatos que pelegam em massa nos governos ditos de esquerda de forma assustadora. Mas aqui no Ceará, apesar de aliado do Governo Dilma, o Governo Cid Gomes é muito mais tucano que qualquer outro membro do PSDB no país. Tasso Jereissate se orgulha muito de seu pupilo.

    Mariano

    Você tem toda razão. Silêncio sepulcral na blogosfera progressista sobre o governo também "progressista" do RS. O Governo de Minas toma pancada todo dia aqui pelos mesmos motivos.

Zé das Couves

Político que diz essas barbaridades devia ser declarado inelegível automaticamente.

Rui

O sindicato APEOC voltou com tudo ao seu estado natural, ou seja, pelegou geral. Está em franca campanha pela desmobilização da luta. De volta aos bons tempos do governo-espirrou-APEOC-gripou.
Saibam mais sobre o movimento pelo site http://diariodegreve2011.blogspot.com
Abraço a todos e obrigado pelo apoio!

vladoturambar

Que azar do Azenha, ligar pro sindicato dos professores e pegar informações justamente com a pessoa mais execrável de toda a categoria de professores do Ceará.
Na realidade, não está tendo negociação, a greve foi declarada ilegal por motivos contestados até pela própria Secretaria Estadual de Educação e o sindicato, para não desgastar o governo que apoia, tenta a fina força encerrar a greve de qualquer jeito, desrespeitando o desejo da maior parte da categoria.
A ultima do sindicato APEOC em Fortaleza é criar votos por cédulas em cada escola do Estado, onde no interior é sabido que só o Sindicato defenderá a sua proposta (de suspensão da greve). Tirar a legitimidade da Assembleia Geral é tão ditatorial e seboso quanto as frases do Governador citadas aqui.

amores

Cid Gomes, acorde e pague melhor os professores. E 2014 é Dilma !

CLÁUDIO LUIZ PESSUTI

Isto porque o cara é socialista!Pra virar um Maluf, falta só um tantim, Maluf que quando foi governador biônico de São Paulo, falou, durante uma greve de professores, que professora não era mal paga , era mal casada!Impressionante como os governantes são demagógicos, durante a eleição, educação é prioridade, passou a eleição , só querem dar isenção, benefícios e incentivos para empresários!Acho que é por causa dos jatinhos…

Silvio I

Não tem nada novo. Os governos dos Estados sempre que algum grupo do povo sai à rua a reclamar alguma coisa, manda a policia a repartir cassetete, gás, ou água. E quanto esta elite que governa o Brasil, não incorpore a necessidade, de que Brasil saia do analfabetismo cultural, e político, que se encontra, Brasil não avançará.Esta elite, procede como bactérias, atacam ao hospedeiro, e o matam, ai morrem junto com ele.Se deve passar a pagar mais aos professores,será a única forma de ter quantidade suficiente, para ensinar a nossos filhos, e desta forma, de aqui a uns anos, o Brasil estar em outra situação cultural.

Klaus

A greve dos professores da federais também terminou de maneira negociada. Dilma ofereceu 0% e os professores aceitaram.

laura

Todo apoio aos professores do Ceará!
Não é possível que os professores deste país continuem a ser tratados como escravos. Sempre governadores e dirigentes vem com o “amor ao ensino” e todo tipo de demagogia para não fazer o que é mais do que gritante, aumentar o miserável salário do professor. Eles deviam sim, deixar de dar as péssimamente pagas aulas da rede pública. Seria o caos.
Dou aulas em uma licenciatura e vejo que os alunos não querem ser professores.
Com razão, é um futuro difícil. Essa estória de “amor ao ensino” fala quem não está lá levando chumbo no lombo. Normalmente dirigentes do sistema educativo, a partir de seus escritórios refrigerados. É o que se chamava antigamente no meio operário de discurso do “operário padrão”, o amor ao trabalho e quejandos, onde aliena-se a exploração do trabalho em nome de um discurso dignificante do trabalho. No caso, do “amor ao ensino”.
Os professores do ensino básico são os operários da sociedade do conhecimento. A exploração é brutal . Pode ser amenizada, mas é estrutural.A melhoria do piso é isso, a melhora possível. E até isso negam.
Qualquer governo de qualquer ideologia sempre faz o mesmo, arrocha o funcionalismo. A Dilma está fazendo o mesmo. Os funcionários das federais estão parados por melhores salários e várias medidas do governo federal ou no congresso estão ai para tirar direitos.
Até quando? Como?

Pedro Luiz Paredes

Outra notícia boa para a educação, (from bobonews).
O governo vai dar 70 mil bolsas de estudos para alunos fazerem intercâmbio com os EUA.
Mas tem que saber falar inglês, ou seja, a bolsa é só para quem estuda em escola particular.
Eles só aceitam pessoas que já sabem falar inglês pois sabem que as famílias americanas dificilmente vão inserir os estudantes em seu contexto cultural e/ou fazer qualquer esforço para facilitar o aprendizado linguístico.
Viva a Democracia!!!!
Nós damos dinheiro para escolas e famílias dos EUA através de estudantes brasileiros que já tem uma condição financeira privilegiada.
É o bolsa família Brasil/EUA!!!

Professora

Em Minas, professores em greve há quase 90 dias. Governo não cumpre a Lei, faz proposta indecente, pressiona os professores e MP não cumpre seu papel, não cobra do governo, ao contrário, fala até em pedir ilegalidade da greve. Absurdos demais que precisam ser divulgados.
Vale a pena ler o Blog o professor Euler : http://blogdoeulerconrado.blogspot.com/2011/09/se

zepgalo

Que vergonha em Cid Gomes!

Que decepção … o Serra pelo jeito fez escola no PSB …

    Vlad

    Não foi bem o Serra que defendeu a "carona" que o Cid Gomes deu para a sogra ir para a Europa em jatinho fretado com dinheiro público.
    E não é bem o Serra que o amigão que Cid Gomes quer ver presidente em 2014, sugerindo a renúncia da Dilma (sombra do Lula, nas palavras dele) à candidatura à reeleição. http://www.iguatunoticias.com/2011/06/cid-gomes-q

    Lulistas e seu mundo paralelo.

João

No Rio Grande do Norte a governadora anunciou neste final de semana que não irá cumprir o acordo firmado com as mais de dez categorias para por fim a greve que paralisava o Estado:

“Na realidade a interpretação (do acordo feito com servidores) é que a partir de setembro quando tivesse toda avaliação iríamos continuar as negociações, analisar e ver como podemos avançar nos planos de cargos e salários”, Rosalba Ciarlini (DEM-RN)/ Fonte: Blog Panorama Político – 03/09

O Governo diz que foi mal interpretado, que não firmou acordo para pagar os Planos de Cargos e Salários a partir do mês de setembro. Como se o acordo não tivesse sido amplamente divulgado no PIG do RN para pressionar os grevistas para por fim ao movimento. Ou seja, está publicado em todos os jornais e blogs dos seguidores das famílias alves, maias e rosados do estado.

João PR

Os Professores do país todo não têm outra solução para suas revindicações que não seja a greve.

Do contrário (sem greve) a sociedade não fica sabendo das reais condições de trabalho, e dos salários pagos aos professores.

Logo, todo apoio às greves dos Professores, pois eles lutam apenas por seus direitos e por um Brasil melhor.

Carlos

A oligarquia Gomes (junto da jereissati, amigos siameses) acha que o estado do Ceará é seu latifundio, senzala, e dele faz o que quer, sem limites e com arrogancia. Cid e Ciro tem rabo preso ao passado mal cheiroso. Arena, apoio ao golpe militar, PSDB, privatizações e tudo que não presta. Nunca me enganaram e jamais votarei neles. O artigo mostra bem a visão deles do Estado, tratado como uma "republica das bananas", em que eles são os coroneis, os funcionários são seus servidores. São os "democratas" do inferno, que controlam com cargos e empregos a assembléia legislativa do estado.

Vlad

O que mais me espanta (juro) é que a briga é por um "piso" tão baixo que ninguém fora do Brasil acreditaria que isso é salário de um professor. E ninguém fala nada. Aceitaram o bode na sala.
Quinta economia ou economia de quinta?
Federalizar o ensino não querem, né? Vai ver os governantos e governantas não acharam jeito de desviar folha de salário, ainda
Se era isso (aumentar o salário dos professores de simbólico para famélico) que é a tal revolução na qualidade do ensino, então nem precisava perder tempo com discurso.

Polengo

Quantos estados estão nesse estado?

    Mariano

    Por enquanto posso citar de cabeça Rio Grande do Sul, Ceará e Minas.

    Marcio H Silva

    RJ, esqueceu?

    True Lies

    Só que sobre o RS não sai uma linha nos blogs progressistas.

danilo

Gostaria de lembrar aos colegas que na verdade aqui no Ceará não está havendo negociação. O governo Cid Gomes está apenas ganhando tempo, chamando a categoria para reuniões que terminam sem nada de concreto. Num ato de traição solicitou a ilegalidade da greve e agora recorre novamente ao STF com um pedido de embargo declaratório para se livrar da retroatividade da Lei do Piso. Vejam mais no site: http://www.cut.org.br/destaques/21188/piso-do-mag

Ronan

Aqui em Minas Gerais o desGovernador Anastasia (apadrinhado pelo senador Aécio Neves), continua intransigente em pagar nosso PISO SALARIAL garantido por LEI FEDERAL desde 2008. A greve dos educadores em Minas já vai para 90 dias esta semana (a maior da história) e nós não retrocederemos frente ao descaso com a educação e seus profissionais. Sob o lema "Sem PISO não piso na escola", prosseguimos enfrentando tudo: Governo que profere mentiras a alto custo com nossos impostos; Mídia de conluio com governo que trata manifestação de greve como 'problema de trânsito'; Sociedade que sendo enganada, não vê direito a desgraça que o governo promove na educação; MPE assessorando o golpe do estado contra a educação.
Onde está o recém aprovado PNE? Onde está a união que na pessoa da presidenta iria valorizar os professores? Onde está a Justiça que permite a estes desGovernadores desacatar decisão do STF?
A greve continua!

UBIRAJARA

Existe no Brasil uma incompetência total no concernente aos funcionários públicos no concernente àsalários. O pior e´que essa incompêtencia é dolosa e não sei qual a mão branca que orquestra a sinfonia dos absurdos.Existe sim, dotação orçamentária para dividir a renda no Brasil, mas políticos gananciosos e municipalizados faz a transferência das Despesa de Consumo para Despesas de Capital, para favorecer as diversas empreiteiras. A caixinha de 15% fala mais alto.

Rui

Os professores do Ceará agradecem seu apoio, Azenha. Vale a pena lembrar que com uma crise ante portas, só alguns servidores são conclamados a apertarem o cinto por amor à nação. O judiciário está querendo o dele, no trenzinho embarcarão senadores e deputado e depois… Depois os condes e marqueses. E os de cintos apertados, o ínfimo clero do setor público e trabalhadores batedores de ponto,são os que, sem reajuste, vão trabalhar mais duro para financiar os regalos dos "eleitos". Sinceramente, em alguns pontos o Brasil é pré-revolução francesa.

Alessandra

Olá, sou professora da rede estadual de ensino aqui do Ceará e gostaria de que o Brasil inteiro soubesse que a professora Penha, durante o período que presidiu O Sindicato Apeoc, sempre esteve comprometida com os interesses dos governos e nunca com a nosssa categoria. Nesse momento, ela informa que houve entendimento, na reunião com Ivo Gomes, de que as duas partes trabalhariam por um Termo de Ajuste de Conduta (TAC). No entanto não tivemos nenhuma garantia do governo, nenhum compromisso assinado diante do Ministério Público. Por isso a categoria, apesar dos apelos do Sindicato, resolveu dar continuidade à greve, na última assembleia do dia 02/09 (6ªfeira). Esclareço tb, que não sou filiada a nenhum sindicato nem partido político e estou aqui , apenas para dar minha contribuição como cidadã, que felizmente, não tem o rabo preso. E que não interpretem a minha fala como conspiração inimiga. Sou apenas uma professora que quer ter o direito de fazer valer o seu direito!!!

    Luiz Carlos Azenha

    Alessandra, retificamos a informação: é termo de compromisso, não TAC. No entanto, como você enfatiza, nada ainda foi assinado. abs

    Silvio I

    Alessandra:
    Cada um sabe onde aperta o sapato. Creio que ao não ser sócia de o sindicato dos professores, o debilita.Também não vota, por essa razão você contribuiu com a eleição de uma presidenta do sindicato, da qual você reclama.Para defender uma posição, o soldado esta na trincheira de luta,não reclamando depois sim nunca ter colocado, um grão de areia para construir alguma coisa.Aclaro não sou Cearense, nem pertenço ao sindicato dos professores.

Mariano

E o RS, onde os servidores estão em guerra com o governo e o piso dos professores também não foi implantado?

Deixe seu comentário

Leia também