VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Presidente da Petrobras: Matéria da Veja é asquerosa, fruto de péssimo jornalismo


01/09/2011 - 10h54

Sergio Gabrielli: O texto da Veja é mentiroso e cheio de ilações sem base em fatos

por Conceição Lemes

José  Sergio Gabrielli de Azevedo é  presidente da Petrobras, desde 2005.

Professor titular licenciado da Universidade Federal da Bahia (UFBA), é formado em Economia pela mesma instituição, onde foi pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, diretor da Faculdade de Ciências Econômicas e coordenador do Mestrado em Economia. Tem o título de PhD em Economia pela Universidade de Boston (EUA). Entre 2000 e 2001, foi pesquisador visitante na London School of Economics and Political Science, em Londres.

Gabrielli é um dos vários personagens da “denúncia” da Veja do último final de semana, que tem o ex-ministro José Dirceu como figura central. Como os demais citados teve “direito” a uma das fotos tiradas de algum ponto próximo ao apartamento em que o ex-ministro José Dirceu se hospeda no Hotel Naoum, em Brasília.

No corpo da “matéria”, Veja afirma (os grifos em amarelo são nossos):

Por e-mail, via assessoria de imprensa, Sérgio Gabrielli respondeu às minhas perguntas.

Viomundo – Há quanto tempo o senhor é filiado ao PT?

Sergio Gabrielli – Desde a sua fundação.

Viomundo – E amigo de José Dirceu?

Sergio Gabrielli –– Há cerca de 30 anos, tempo que regula com a idade do Partido dos Trabalhadores.

Viomundo – Na “matéria” é dito que o senhor teria ido ao Hotel Naoum se encontrar com José Dirceu  para tentar se fortalecer para continuar à frente da Petrobras, já que que Palocci queria tirá-lo do comando. Ao mesmo tempo, diz que  José Dirceu é consultor de empresas no setor de petróleo e gás e que ele precisaria estar informado para fazer mais dinheiro. O que o senhor teria a dizer sobre isso?

Sergio Gabrielli — A matéria da Veja chega a ser asquerosa, fruto de péssimo jornalismo. O texto é mentiroso e cheio de ilações sem base em fatos. A partir de fotos de pessoas entrando e saindo de um hotel, a revista faz ilações absurdas sobre o que teria sido discutido e conversado nesses encontros. Trata-se, como disse, de péssimo jornalismo.

Viomundo — O que o levou a se encontrar com José Dirceu no Naoum?

Sergio Gabrielli — Como disse, somos amigos há 30 anos e não comentarei o que converso com meus amigos.

Meu twitter: @conceicao_lemes, siga à vontade.

Leia também:

Walter Pinheiro: “O que Veja fez não é jornalismo sério, é bandalheira”

Paulo Teixeira repudia o jornalismo de Veja: Provocação e delinquência

Humberto Costa, no Senado: É preciso debater ética da mídia

Devanir Ribeiro, fotografado no hotel: Jornalismo “podre e mentiroso”

A denúncia original de Zé Dirceu: Repórter cometeu crime

Escritório de advogados diz que Veja é versão tupiniquim de tabloide inglês

Pinheiro Salles: Brasil teve 130 centros de tortura no regime militar

Brasil de Fato: Se for crime,  puna-se a Veja!

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



162 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Joanna Victoria

04 de setembro de 2011 às 05h16

bem, coisa aí tem. são amigos, mas estão relacionados com o poder, tudo o que eles discutem envolve a política do país, fato. acho que o grande problema é a forma como a veja leva o debate. lobby e etc existem, é o jogo do poder. essa baixaria que a veja faz apenas serve para emperrar o andamento das coisas.

Responder

pperez

02 de setembro de 2011 às 21h50

O que esses bobalhões da Veja acabaram é ajudando a Dilma a acelerar o processo de regulamentação da midia que Estava engavetado com Paulo Bernardo.
Acho que agora sai, naturalmente ou a forceps!

Responder

Zé Dirceu: “Vamos descobrir quem plantou a câmera” | Viomundo - O que você não vê na mídia

02 de setembro de 2011 às 19h23

[…] Presidente da Petrobras diz que reportagem é “asquerosa” […]

Responder

O campo de golfe que ameaça a Civilização cristã | Viomundo - O que você não vê na mídia

02 de setembro de 2011 às 17h34

[…] Presidente da Petrobras diz que matéria de revista que o acusa é “asquerosa”   […]

Responder

Maria Jose Rego

02 de setembro de 2011 às 17h15

Anos atrás a Folha de São Paulo, na luta para tirar o Lula da Presidência da República, ganhou o título de
"Jornalismo da pior espécie" do cienasta Fernando Meirelles. Senhores políticos e eleitores brasileiros, está passando da hora de darmos um basta nesta mídia golpista e criminosa.

Por Alceu Nader 18/08/2005 às 15:15

Numa das raras vezes em que não responde com pouca educação ou justificativa pelo erro cometido…

Numa das raras vezes em que não responde com pouca educação ou justificativa pelo erro cometido, o "Painel do Leitor" da Folha de S.Paulo de ontem trouxe o indignado protesto do cineasta Fernando Meirelles ("Cidade de Deus"). A sorte de Meirelles foi ter respondido por e-mail – sua resposta, portanto, foi documentada. Ao contrário da maioria das vezes em que o jornal é contestado, desta vez não houve respostas mal-educadas nem atribuições a terceiros. O jornal poderia ter pedido desculpas pelo enorme equívoco. Mas isso não faz parte do manual de bons modos da imprensa brasileira.

A espinafrada do cineasta no jornal foi a seguinte:

Tenho uma forte reclamação a respeito da Folha. Questionado por e-mail, na sexta-feira, sobre minha opinião sobre um possível impedimento para o presidente Lula, escrevi uma resposta curta, mas claramente contrária à idéia. Chamei esse debate de oportunista e disse que cabe às urnas julgar Lula no ano que vem. Não havia margem para dúvida.

A Redação, no entanto, conseguiu separar duas palavras da primeira linha da minha resposta e publicou apenas: "O cineasta Fernando Meirelles, por sua vez, acredita que existam ‘razões de sobra’ para iniciar o debate". Com isso, inverteu completamente o sentido do que havia sido dito. Jornalismo da pior espécie.

Começo a achar que pode haver mesmo um certo golpismo da oposição com o apoio da imprensa, interessada em criar climas para vender jornal. Eis as perguntas seguidas das respostas que mandei ao jornal.

Pergunta: O senhor acredita que haja razões para abrir impeachment do presidente Lula?

Resposta: Há razões de sobra, mas, como todos nós sabemos, nos últimos 30 anos, pouquíssimos políticos foram eleitos com verbas declaradas corretamente. Só que ninguém nunca foi punido por isso. Portanto, se houver o impeachment neste caso, serei forçado a concordar com Lula: terá sido mesmo um complô das "elites".

Pergunta: O senhor acredita que haja condições políticas para isso?
Resposta: O oportunismo e o interesse político dos adversários podem criar as condições para isso. Mas de um processo de impeachment é tudo o que o país não precisa agora. Há outras medidas a serem tomadas. Vamos brincar de democracia e deixar que as urnas decidam esta questão no ano quem vem, mas já com novas regras de financiamento de campanha.

Responder

Renato Lira

02 de setembro de 2011 às 16h23

Rapá, ainda bem que não fui no Naoum nesses dias em que os trombadinhas da quadrilha de veja estiveram por lá.

Já pensou se fosse fotografado no corredor do terror?

Diriam que estaria pedindo uma boquinha no governo?

Diriam que estaria traindo minha mulher?

Ou seria assaltado pelos trombadinhas da gangue de veja?

Brasília tá ficando perigosa…

Responder

Mário SF Alves

02 de setembro de 2011 às 14h59

O Brasil que a gente quer nao é o Brasil que o PIG-Casa Grande-Veja quer. O Brasil que todos os PIGs Casa Grande querem é o Brasil-Senzala! Ë o mundo todo transformado em Senzala.

Responder

Vinícius

02 de setembro de 2011 às 11h13

80% dos leitores aqui foram favoráveis à queda do Palocci.

Qual o "crime" do Palocci? Enriquecer de forma não ilícita, mas imoral. (era a tese dos leitores!)

E José Dirceu? A Veja, que sempre foi vergonhosa, e flertava com o crime, agora é criminosa e, tentando ainda se defender, beira o ridículo, confere. Mas me digam, o "crime" do Dirceu não é o "crime" do Palocci?

O Azenha publicou um texto bem humorado (de outrem), que perguntava qual era a ética de um socialista ser milionário. O Dirceu não é milionário?

A Veja está chorando de ele receber ministros e senadores "em casa". Ora, isso aí tudo bem. O problema é o contrário! O problema é receber empresários, ser sustentado por empresários. Não era o partido "dos trabalhadores"? Cada foto do Stédile, de sindicalistas, visitando o cidadão?

Aliás, me digam se estou errado, mas pra mim Dirceu é um dos caras que na prática (se amigando de empresários) afasta o PT da esquerda.

Responder

FrancoAtirador

02 de setembro de 2011 às 10h39

.
.
O GRUPO ABRIL POR ELE MESMO

O Grupo Abril é um dos maiores e mais influentes grupos de comunicação da América Latina. Fundado em 1950, emprega hoje mais de 7 mil pessoas.

O Grupo é composto das áreas de Mídia (Editora Abril, Internet, Assinaturas e MTV), E-commerce e Abril Educação (Editoras Ática e Scipione e Sistemas de Ensino SER e Anglo).

Possui ainda a maior gráfica de revistas da América Latina e conta com uma grande operação de distribuição e logística que atende todo o território nacional. A Abril fornece informação, cultura, educação e entretenimento para praticamente todos os segmentos de público e atua de forma integrada em várias mídias.

A Abril publicou 54 títulos em 2010 e é líder em 22 dos 26 segmentos em que atua. Suas publicações tiveram ao longo do ano uma circulação de 194,3 milhões de exemplares, em um universo de quase 28 milhões de leitores e 4,4 milhões de assinaturas.

Sete das dez revistas mais lidas do país são da Abril, sendo Veja a terceira maior revista semanal de informação do mundo e a maior fora dos Estados Unidos.

A Abril também detém a liderança do mercado brasileiro de livros escolares com a Abril Educação, que publicou mais de 3.000 títulos e detém 29% do mercado brasileiro de livros escolares. Em 2009, produziu 38 milhões de livros.

A MTV, lançada em 1990, foi a primeira TV segmentada do Brasil. Na internet, a Abril tem mais de 80 sites e portais com suas marcas e conteúdos. Em 1991, lançou no país a primeira operação de televisão por assinatura, a TVA.

A Fundação Victor Civita, criada em 1985 e desde então dedicada à melhoria da educação básica no país, deu início aos projetos de responsabilidade social da Abril. Com a revista Nova Escola, a Fundação atinge mensalmente 3,3 milhões de professores, diretores e coordenadores em praticamente todas as escolas do país.

Além do trabalho de apoio ao voluntário e do talento de seus profissionais, a Abril coloca à disposição recursos para várias iniciativas que reforçam os laços da empresa com a comunidade e que promovem educação, cultura, preservação do meio ambiente, saúde e voluntariado em diversos projetos de cidadania e participação social.

ABRIL EDUCAÇÃO

A Abril Educação reúne as editoras Ática e Scipione, os sistemas de ensino Anglo e Ser, o Curso e Colégio pH, do Rio de Janeiro, e o Grupo ETB (Escolas Técnicas do Brasil), de São Paulo.

Criada em 2007 como um braço do Grupo Abril a empresa passou a atuar separadamente do Grupo no início de 2010, por meio de uma reorganização societária.

No mesmo ano recebeu aporte minoritário de capital dos fundos BR Educacional FIP ("BR Educacional") e FIP Brasil de Governança Corporativa ("FIP Brasil"), ambos geridos pelo BR Investimentos. A estrutura acionária atual está dividida entre a família Civita, que detém 75,30% da participação, e a BR Investimentos, com 24,70%.

Adquiridas em 1999 em parceria com o grupo francês Vivendi Universal Publishing, Ática e Scipione são líderes do mercado de ensino brasileiro.

As editoras oferecem o mais completo portfólio de livros didáticos e paradidáticos, coleções e obras complementares dos principais autores do Brasil.

Juntas, Ática e Scipione venderam em 2010 mais de 50 milhões de livros e têm em seu catálogo cerca de 3.500 autores.

O Sistema de Ensino Ser, criado em 2007, e o Anglo, adquirido em 2010, contam com 387 mil alunos em mais de mil escolas brasileiras.

O Curso e Colégio pH, um dos mais tradicionais do Rio de Janeiro, tem 6.600 alunos nas unidades do Rio e Niterói.

O Grupo ETB, focado na alta qualidade do ensino técnico, conta com 2.400 alunos nas unidades em Jundiaí, Osasco, Piracicaba e Sorocaba.

http://www.grupoabril.com.br/institucional/perfil

Responder

    Mário SF Alves

    02 de setembro de 2011 às 14h35

    Prezado Franco, mais uma vez lhe agradeço pela informaçao/raio x do poder economico/político do citado grupo; entretanto, nao vi a relaçao entre a referida matéria asquerosa e a informaçáo prestada. Abraços, Mário.

    FrancoAtirador

    02 de setembro de 2011 às 20h26

    Caro Mário SF Alves.

    Para focar a informação prestada, repriso comentário que fiz em outro post aqui no Viomundo,
    que dá a noção exata de como e por que o poder econômico desse Grupo de ultradireta ainda se mantém.
    .
    .
    O JORNALISTA Altamiro Borges, do Blog do Miro, trouxe à lembrança alguns artigos
    publicados em diversos blogs, nos últimos anos, que mostram objetivamente
    a necessidade de se extirpar do país essa prática criminosa da revista Veja,
    que a mídia impressa denomina por jornalismo investigativo,
    mas que em verdade na mais é do que a prestação de serviço a uma ideologia
    racista, xenofóbica, excludente, da ultradireita financista internacional,
    notadamente a partir dos Estados Unidos da América do Norte,
    com tentáculos espalhados pelo munto inteiro.
    E o que é pior:
    No Brasil, em grande parte, é patrocinada com verba pública:

    "PELA PRIVATIZAÇÃO DA REVISTA VEJA"
    Por Altamiro Borges
    A ação criminosa da Veja contra o ex-ministro José Dirceu – tentativa de invasão do seu apartamento e filmagens ilegais no hotel – já não surpreende. Há muito tempo que a revista da famiglia Civita não tem mais nada de jornalismo e comete crimes parecidos com os praticados pelo mafioso Rupert Murdoch. O que surpreende é que esta revista ainda abocanhe tanta publicidade de governos – inclusive dos que são vítimas de suas ações levianas.
    Reproduzo matéria sobre o tema de setembro de 2009.
    Numa conversa descontraída no aeroporto de Brasília, o irreverente Sérgio Amadeu, professor da Faculdade Cásper Libero e uma das maiores autoridades brasileiras em internet, deu uma idéia brilhante. Propôs o início imediato de uma campanha nacional pela privatização da Veja. Afinal, a poderosa Editora Abril, que publica a revista semanal preferida das elites colonizadas, sempre pregou a redução do papel do Estado, mas vive surrupiando os cofres públicos. “Se não fossem os subsídios e a publicidade oficial, as revistas da Abril iriam à falência”, prognosticou Serginho.
    Pesquisas recentes confirmam a sua tese.
    Carlos Lopes, editor do jornal Hora do Povo, descobriu no Portal da Transparência que “nos últimos cinco anos, o Ministério da Educação repassou ao grupo Abril a quantia de R$ 719.630.139, 55 para compra de livros didáticos.
    Foi o maior repasse de recursos públicos destinados a livros didáticos dentre todos os grupos editoriais do país.
    Nenhum outro recebeu, nesse período, tanto dinheiro do MEC.
    Desde 2004, o grupo da Veja ficou com mais de um quinto dos recursos (22,45%) do MEC para compra de livros didáticos”.
    Indignado, Carlos Lopes criticou. “O MEC, infelizmente, está adotando uma política de fornecer dinheiro público para que o Civita sustente seu panfleto – a revista Veja”.
    CONTRATOS DO GOVERNO DE SÃO PAULO COM A EDITORA ABRIL
    Já da parte de governos demos-tucanos, o apoio à famíglia Civita é perfeitamente compreensível. Afinal, a Editora Abril é hoje o principal quartel-general da oposição golpista no país e a revista Veja é o mais atuante e corrosivo partido da direita brasileira. Não é de se estranhar suas relações promiscuas com o presidenciável José Serra e outros expoentes do PSDB-DEM. Recentemente, o Ministério Público Estadual acolheu representação do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) e abriu o inquérito civil número 249 para apurar irregularidades no contrato firmado entre o governo paulista e a Editora Abril na compra de 220 mil assinaturas da revista Nova Escola.
    A compra de 220 mil assinaturas representa quase 25% da tiragem total da revista Nova Escola e injetou R$ 3,7 milhões aos cofres do “barão da mídia” Victor Civita.
    Mas este não é o único caso de privilégio ao grupo direitista.
    José Serra também apresentou proposta curricular que obriga a inclusão no ensino médio de aulas baseadas nas edições encalhadas do “Guia do Estudante”, outra publicação da Abril.
    Como observa o deputado Ivan Valente, “cada vez mais, a editora ocupa espaço nas escolas de São Paulo. Isso totaliza, hoje, cerca de R$ 10 milhões de recursos públicos destinados a esta instituição privada, considerado apenas o segundo semestre de 2008”.

    http://altamiroborges.blogspot.com/2011/08/pela-p

    Mário SF Alves

    03 de setembro de 2011 às 18h57

    É… desalienemo-nos. Ou isso, ou… prevalecerá por mais tempo o "furaro o zóio do assum-preto pra ele assim cantá mió". Ou ainda, o que dá no mesmo: alienados continuaremos a acreditar que a mídia de direita é o único meio de divulgacáo do que existe de melhor na arte, na cultura, na comunica;áo de massas, nas ci:encias e na política. [Subterräneos da Liberdade]: salve Jorge Amado! [Assum-preto]: vivas ao Gonzagáo! Ou isso, ou… quem sabe, a direita possua razóes que a própria razáo desconhece".

eraklito

02 de setembro de 2011 às 09h00

Pergunto mais uma vez :

a Petrobras vai continuar a fazer publicidades nas edições das revistas da Abril Descultural ???????????

Pelo fim da publicidade do governo Federal nas Revistas da Abril e nos chamados Jornalões.

Responder

Taques

02 de setembro de 2011 às 08h28

"… como disse, somos amigos há 30 anos e não comentarei o que converso com meus amigos …"

Então tá.

O presidente da maior estatal brasileira vai em horário de serviço com terno e gravata bater um papinho com um consultor que representa interesses de empresas privadas que mantém negócios com a estatal num quarto de hotel ??? Tudo normal ??? A culpa é da Veja ???

Imaginemos a cena: governo FHC, a revista Carta Capital flagra o presidente da Petrobras indo a um hotel em horário comercial conversar com o consultor de empresas José Serra. Será que a mídia "progressista" iria defender alguma atitude contra a revista ???

Desculpe o termo mas eu cortaria meu saco se isso acontecesse.

PS: Zé Dirceu, seu lugar não é em hotel de luxo não meu filho, dê graças Deus de não estar num xilindró.

Responder

ZePovinho

02 de setembro de 2011 às 08h15

[youtube PrpB7EAGrNI http://www.youtube.com/watch?v=PrpB7EAGrNI youtube]

TRAÍRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

'Fonte do governo americano' – 01/09/2011 às 18:05h

Nome de Heráclito citado na briga Wikileaks X The Guardian.Confira

Site é acusado de colocar vidas em risco após divulgar nomes das fontes dos EUA

O nome do senador Héraclito Fortes está entre as pessoas consideradas 'fontes do governo americano' que tiveram seus nomes divulgados pelo site Wikileaks. Agora, o governo americano está preocupado com a segurança das mais de 90 pessoas que tiveram nomes divulgados após a publicação de documentos secretos dos EUA, de acordo com a agência Associated Press. O caso também está sendo entendido com uma tentativa dos americanos de fazer com que o site seja bloqueado.

De acordo com o documento divulgado pelo site, Héraclito faz alerta aos EUA sobre terrorismo no Brasil e sobre 'possíveis' conexões terroristas da CEPAC, ONG que foi dirigida por Décio Solano, irmão do secretário Merlong Solano.

Ao todo, foram quase 134 mil telegramas vazados recentemente pelo site WikiLeaks. Apesar do nome de Heráclito ter aparecido nos documentos com a orientação 'proteger estritamente', o documento foi publicado na íntegra pelo site.

O WikiLeaks acusa o jornal britânico The Guardian de ter sido o responsável pelo vazamento de milhares de documentos não editados e iniciou uma ação legal contra o jornal britânico, informa a BBC.

Em Fevereiro, segundo o site, dois jornalistas do diário britânico publicaram num livro a password que dava acesso ao ficheiro com os documentos ainda sem censura prévia, ou seja, ainda com nomes e contatos, e que estará agora a circular pela Internet, colocando em risco a segurança das pessoas citadas.

Heráclito diz à Folha de São Paulo que não conversou com embaixador

A Folha de São Paulo divulgou matéria sobre o assunte nesta quinta-feira (01). Em um telegrama ao Departamento de Estado em abril de 2008, o então embaixador dos Estados Unidos no Brasil Clifford Sobel narrou conversa que teria mantido com Heráclito Fortes em 28 de março.

Nela, o então presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa do Senado teria dito estar 'profundamente preocupado' com sinais de terrorismo no Brasil.

A Sobel, ele citou uma reportagem da revista 'Isto É', sobre o treinamento de homens para a luta armada nos moldes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em Rondônia.

'Fortes disse ter certeza de que há envolvimento estrangeiro, possivelmente até das Farc, na LCP (Liga dos Camponeses Pobres)', afirma Sobel no telegrama, vazado em julho passado. Fortes negou à Folha que tenha tido essa conversa.

'Esse assunto foi discutido na Comissão de Relações Exteriores e devia ter gente dele lá. Mas eu não conversei com ele. Não é um tema que eu trataria com o embaixador americano', disse.

O então senador teria dito ainda que a CPI das ONGs tinha informação de que o Centro Piauiense de Ação Cultural (Cepac), com sede em Teresina, possuía 'possíveis conexões terroristas'. Procurado pela Folha, Sobel não foi encontrado. Com informações da Folha de São Paulo, Associaed Press
http://180graus.com/politica/nome-de-heraclito-ci

Responder

laura

02 de setembro de 2011 às 07h59

Dizem que o Gabrielli quer se candidatar a um cargo político. Se não me engano, ao governo da Bahia. A visita a José Dirceu faz todo o sentido.

Responder

Orellano Paz

02 de setembro de 2011 às 02h39

Ô Gabrielli, então tá combinado: manda o pessoal do "marquetingue" suspender os anúncios da Petrobrás na inominável!
Vamos ver se eles conseguem tocar o barco só com as assinaturas do governo de S.Paulo.

Responder

Polengo

02 de setembro de 2011 às 01h42

Esse texto da veja aí transcrito me lembra a dona maricotinha, aquela senhorinha que acorda às 6h00 pra lavar quintal com mangueira e termina às 13h00, porque precisa contar as novidades pro bairro.

Responder

FrancoAtirador

01 de setembro de 2011 às 22h49

.
.

É verdade o que o carlos j. ribeiro afirmou em resposta ao comentário do Morvan:
"Os Civita foram expulsos da Argentina".

FHC e Editora Abril (revista Veja) O Grupo Civita, na Argentina, levou um pé na bunda quando tentou adquirir um grupo de mídia argentino em estado falimentar.
A mídia Argentina colocou para o público todas as maracutaias e corrupção com o governo FHC envolvendo a editora Abril e narrou toda sua podre história.
Os Civitas voltaram para casa com o rabo entre as pernas.
Os vínculos sorrateiros da "Veja" com o ex-presidente FHC, deram – – na única resenha da imprensa – – capa do seu livro, apresentada por um escriba de plantão;
No Acordo entre tucanos e Editora Abril, Civita teria como incumbência fomentar uma ação nacional por meio da revista Veja. Civita e FHC mantêm antiga amizade.
O grupo do ex-presidente ajudou a criar o modelo de ideologia que é propagada pela revista, uma colorida e didática cartilha neoliberal.
Civita é conhecido por sua língua afiada e descontrolada.
Certa vez, numa reunião com executivos do grupo, chamou Pelé de "negrinho do pastoreio".
Em outra ocasião, disse que a ex-ministra Erundina era "uma gabirua que fedia a merda".
As histórias de Veja misturam roteiros de filmes sobre a Máfia com bizarrias hard-core.
Durante muitos anos, o feitor de Civita em Veja foi o truculento Eduardo Oinegue Faro, uma espécie de Jason Blair brasileiro, capaz de "fazer (ou inventar) qualquer negócio", seja para vender revista ou para
destruir uma personalidade pública.
Exagerado em suas doses, Oinegue foi transferido para a revista Exame. Há poucos meses, o "padrinho
Civita" sofreu ao saber que seu pupilo o estava roubando, exatamente conforme nos roteiros dos filmes sobre a Cosa Nostra.
Oinegue Faro estava embolsando mais de um milhão de Reais em negócios inescrupulosos com um lobista.
Triste fim para uma história de confiança na "famiglia".

Leia a íntegra no post intitulado "FHC e os mais de 60 roubos históricos, exorbitantes, de bilhões…abafados…"

http://webcache.googleusercontent.com/search?q=ca

Responder

jose miguel

01 de setembro de 2011 às 22h36

Não quero mais que o Governo use nosso dinheiro para pagar propaganda na VEJA! Chega de financiar o PIG com dinheiro público! chega…..aaa…aa…a…a.a….aaaaa.!!!!!!

Responder

    Fabio_Passos

    01 de setembro de 2011 às 23h27

    Dinheiro nosso.
    Gasto com publicidade inútil em uma revista de pilantras.
    Indignante.

    Fabio_Passos

    01 de setembro de 2011 às 23h50

    veja = psdb = globo = dem = fsp = pps = estadão

    Esta mídia-corrupta é o maior partido da direita no Brasil.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 16h24

    Ué, bandido agora virou sinônimo de corajoso, é?

Ricardo

01 de setembro de 2011 às 20h50

O presidente da petrobras acha que a Veja é feia, boba e cara de mamão. Vai argumentar persuasivamente assim lá em Cuba. Não tava tramando com o Zé quadrilha? Não é o que parece. E, em política, o que parece é.

Responder

    Luiz Carlos

    01 de setembro de 2011 às 23h02

    A Veja é mais do que feia, boba e cara de mamão. É criminosa. É um panfleto reacionário. O lugar apropriado dela é no lixo. Argumentar o que com esse panfleto asqueroso de extrema-direita? Argumentar com essa gente é jogar pérolas aos porcos. Por todos os crimes que esse panfleto já cometeu, já deveria ter fechado. Esse panfleto golpista, assim como os demais integrantes do PIG, representam um grande perigo para a nossa democracia.

    Fabio_Passos

    01 de setembro de 2011 às 23h13

    Ninguém "acha que a veja é feia, boba e cara de mamão."

    Todo mundo sabe que a veja é um esgoto.
    E todo mundo sabe que leitores de veja só podem ter uma coisa na cabeça: merda.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 16h32

    Se é "feia, boba, cara de mamão" eu não sei.

    Mas que é uma quadrilha, com diretores bandidos e repórteres que invadem domicílio e falsificam identidade, já tá provado que é.

    Os supsotos crimes de Dirceu estão por ser julgados.

    Os crimes de veja estão comprovados, claros.

    Deixe de bravatear, Ricardo.

    Vai ser bravateiro assim lá na mansão Murdoch.

P Pereira

01 de setembro de 2011 às 20h40

“A verdade é que a matéria recoloca o jornalismo político brasileiro na Era da Pedra Lascada. Traz de volta os vídeos clandestinos, os arapongas, os dossiês secretos jogados no colo de jornalistas ditos 'investigativos'.

José Dirceu, mesmo sem cargo ou mandato parlamentar, suspeito de integrar um grupo que está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal, é um dirigente nacional do partido que ganhou as eleições para a Presidência da República, é também um consultor/lobista. Pode alugar um andar inteiro num hotel dez estrelas em Brasília ou Luanda e nele receber legiões de correligionários, clientes e amigos. Não há nada de ilícito ou malfeito (para usar o dernier-cri dos substantivos).

O texto inteiro de Veja, da primeira à última linha, é customizado, adaptado para servir à tese de que o ex-chefe da Casa Civil está conspirando contra a sua sucessora, atual presidente da República. Não há evidências, apenas insinuações, ambigüidades, gatilhos.” (Alberto Dines, no OI)

Responder

Ronaldo Luiz

01 de setembro de 2011 às 20h33

Pessoal, nada de perder tempo com este tipo de imprensa. Para o conhecimento de todos, o presidente da Petrobrás baixou uma norma para sua assessoria de imprensa para gravar (som e imagem) de todas as entrevistas concedidas para a imprensa. Êle sabe com quem está tratando.

Responder

Roberto

01 de setembro de 2011 às 19h10

assistiram

Responder

Roberto

01 de setembro de 2011 às 19h10

É muita fantasia, assitiram Valdisnei demais.

Responder

Luiz Moreira

01 de setembro de 2011 às 19h07

Para o Klaus!
Na época da DITABRANDA, que foi onde estes PIGS chafurdaram bastante, este caso seria resolvido de uma maneira simples. Todos os visitantes do Zé Dirceu seriam "contatados" na saida por agentes e levados para instalações "confortáveis", onde diriam TODA A VERDADE frente ao REPORTER da VEJA SÓ, sob os carinhos elétricos. Falariam mesmo o que não sabiam. Mas mesmo assim, seriam acusados de terem mentido para os gentis "amigos" do regime. Quanta saudades destes tempos tem o Klaus e o PIG.

Responder

    Werner_Piana

    01 de setembro de 2011 às 23h39

    Nesta época (da ditadura), a Veja – pelo menos de inicio, não rezava na cartilha dos generais, tanto que o Mino Carta era o Editor-Chefe. Depois a Veja pegou um emprestimo com a ditadura, de pai pra filho, mandou o Mino pra rua e foi se 'enquadrando'. Mas nunca foi àquela época esse LIXO que é hoje. Não era mesmo.

    Perderam o rumo no governo Lula, assumiram o banditismo até chegar na forma atual de "jornalismo" criminoso. Deveria ser FECHADA, como o "News of The World"…

Rafael

01 de setembro de 2011 às 19h03

Não leio a veja, ainda bem. Esse texo acima é muito ruim, não fala nada com nada, é fraco.

Responder

Operante Livre

01 de setembro de 2011 às 18h48

Quanto mais a "Óia" publica mais se chafunda na m…
No máximo suas manchetes servirão como mentiras nas próximas eleições.

Ainda bem que poucos acreditam no que sai nela. Só os desinformados e os que tem má-fé.
Faço propagando para todos para que não assinem a "Óia".

Responder

Gerson Carneiro

01 de setembro de 2011 às 18h27

Diante desse caso escabroso de tão explícito o comentarista Klaus quer porque quer insistir em defender a Veja. Mas quando a Veja inventa que Fidel Castro mandava dólares para o PT em caixas de uísque o Klaus acredita. É incrível a lavagem cerebral que o PIG faz nas pessoas.

Responder

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 16h37

    Se Fidel mandasse essa grana em caixas de charutos cubanos, a mentira seria um pouco mais verossímil, né, Gerson?

    Mas, como nesse caso absurdo onde se mistura safadeza com estupidez, no caso dos "dólares de Cuba", o que sobra em safadagem, falta em inteligência na caverna da quadrilha de veja.

    Gerson Carneiro

    02 de setembro de 2011 às 17h32

    Foi assim: alguém na Escócia enviou uma caixa de uísque para o Bush; o Bush resolveu presentear seu amigo Fidel, acrescentando alguns dólares; Fidel, lisojeado, resolveu repartir o mimo com o velho amigo Lula mas deu azar, no meio do caminho havia um repórter da Veja.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 20h44

    kkkkkkkkk…

    Esse é o que se chama de curto-circuito..

    Gerson Carneiro

    02 de setembro de 2011 às 21h43

    Eu quero até rever meu posicionamento com o Dr. Kalaus: acho que realmente vai faltar grama no mundo.

    Almeida

    08 de setembro de 2011 às 10h16

    Realmente a mídia é que está errada, fica criando caso com pessoas tão dignas e honestas! Um absurdo, tem mesmo é que se regulamentar isso! onde já se viu José dirceu ser suspeito de algo ilícito! a esses tucanos fanfarrões!

    Falando sério, tudo se confunde quando se separam em tucanos e petistas ou esquerda e direita! eu quero é ver um Brasil, honesto, digno, com o povo bem cuidado e pouco me importa que partido esteja lá. abram suas mentes, e deixem esse bairrismo de lado…

Gerson Carneiro

01 de setembro de 2011 às 18h23

Conceição, sei da certeza da impossibilidade mas, não quer tentar entrevistar o repórter da Veja? Seria interessante dar essa oportunidade para ele.

Responder

Gerson Carneiro

01 de setembro de 2011 às 18h17

Este caso não é uma boa deixa para a Petrobras parar de anunciar na revista Veja?

Faltou essa pergunta.

Responder

    Helena Pahl

    01 de setembro de 2011 às 18h28

    Caro Gerson

    Eis a pergunta que nao quer calar. Nao só a Petrobras. O governo precisa deixar de injetar dinheiro no PIG.

    Gostei da sugestao abaixo:
    http://oi55.tinypic.com/xf98aq.jpg

    Vamos divulgar, estava em um comentário no Coonversa Afiada.

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 18h51

    Eu é que não anunciaria nada meu em revista que produz matéria asquerosa, fruto de péssimo jornalismo. Estaria patrocinando o asco. Portanto é contraditório o pensar sobre a Veja do Presidente da Petrobrás, não?

    @anabellbar

    01 de setembro de 2011 às 19h54

    E está demorando, é urgente privatizar a Veja e por extensão o PIG todo!

    Ricardo

    01 de setembro de 2011 às 21h56

    Acho que você não tem a mínima idéia do que significa um anúncio de qualquer empresa na imprensa. Não é caridade (a menos que o véiculo no qual se anuncia tenha meia dúzia de leitores). Trata-se de um meio da empresa divulgar a si e seu produto . O que se deve causar estranheza é a petrobras anunciar em veículos com meia dúzia de leitores. Um fato: boa ou má, a Veja é a revista semanal de maior tiragem no país.

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 22h17

    "…maior tiragem no país"

    Começo meu desentendimento "do que significa um anúncio de qualquer empresa na imprensa" por este mito. Moro em um prédio de 28 apartamento. Só um é assinante da Veja.

    Nos meus parcos conhecimentos sobre o funcionamento da publicidade midiática chego à conclusão de que "maior tiragem no país" não significa necessariamente mais lida, ou mais vista.

    O jornal Folha de São Paulo outro dia estava jogando fora o excedente de jornais impressos no dia (pilhas no chão de um posto de combustível, sendo distribuído a quem abastecesse).

    De fato não é a minha especialidade.

    Fabio_Passos

    01 de setembro de 2011 às 22h31

    pfff… queima dinheiro a organização que ainda faz anúncios nesta revista moribunda.
    E também queima o filme.

    Orsola Ronzoni

    01 de setembro de 2011 às 22h04

    Para Gerson Carneiro
    Você acha que a Petrobrás ou o governo são loucos deixando de anunciar na VEJA? Vão anunciar somente na Isto È e na Carta Capital para apenas uns gatos minguados de leitores? Ora deixe de ser tolo!
    Por que o Palocci quando quis se justificar recorreu ao William Bonner e não ao PHA do ET Bilu? Por que a Dilma foi ao programa da Ana Maria Braga da Vênus Platinada e não a um programa matinal da TV do Bispo ou do dono do Baú? Por que será que de repente a Ana Paula Padrão deixou de ser a repórter favorita do Lula? Quando você conseguir responder a estas perguntas saberá que a sua proposta é o mesmo que cometer um suicídio

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 23h38

    Discordo. Penso que quem se junta com porcos come farelo.

    Leider_Lincoln

    02 de setembro de 2011 às 06h39

    Richard Smith!
    Desistiu do EUNAOSABIA?

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 17h31

    Ô Leider.

    Tu não dissestes que o EUNAOSABIA não era o Richard Leporino Smith?

    Então é ele mesmo, né?

    Daniel

    01 de setembro de 2011 às 22h19

    Caro Gerson. Estou vendo a hora disso acontecer. Está demorando demais. Ontem a noite fiquei indignado, estava vendo TV Brasil, quando aparece a-fundação (qqr coisa) roberto marinho falando em apoio disso e daquilo. Nem o mais espetacular jogador de xadrez consegue ver a próxima jogada.

    Rescisão de contrato de publicidade já.

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 23h41

    É isso aí Daniel. O Governo Federal deve ter a coragem de se assumir. A coragem do Hugo Chaves. Fosse na Venezuela a Veja já teria baixado a crista há muito. O Governo federal não pode ser submisso à um grupo midiático, jamais.

Lucio

01 de setembro de 2011 às 18h15

Falando em "progressistas"…

Por que esse blog nao dedicou uma linha sobre a absolvição vergonhosa de Jaqueline Roriz no "congresso"?

Responder

cristiano_baiano

01 de setembro de 2011 às 18h04

olá azenha e companheiros da blogosfera.
achei uma definição para revista INveja, ela sofre de ''LULAFOBIA''

(brasil livre-se do pig)

Responder

Brasil de Fato: Se for crime, puna-se a Veja! | Viomundo - O que você não vê na mídia

01 de setembro de 2011 às 17h58

[…] Sergio Gabrielli, da Petrobras: Matéria da Veja é asquerosa, fruto de péssimo jornalismo   […]

Responder

JOSE DANTAS

01 de setembro de 2011 às 16h43

O Zé Dirceu não foi preso e o Daniel Dantas sim. Conversar com o Zé Dirceu é um escândalo e com o Daniel Dantas não. Não acuso e nem defendo a ambos, porém a maneira como a mídia trata os dois casos mostra a credibilidade que tem, já que as acusações contra os dois até hoje não se confirmaram no âmbito do judiciário. Então por que o tratamento diferente? Pelo fato do Zé Dirceu ter se constituído no maior bode expiatório da história do Brasil, culpado ou não? Seria falta de assunto? Pena que ainda exista nesse País pessoas que compram esse tipo de jornalismo, que só serve para alimentar o sonho do retrocesso, que a cada dia fica mais distante em função da vontade do povo, que, aos poucos, se liberta da telinha.

Responder

João

01 de setembro de 2011 às 16h43

Por que a Petrobras não para de anunciar na Veja?

Responder

H. C. Paes

01 de setembro de 2011 às 16h29

Acho que os reaças de plantão piraram. Transformar a vítima de espionagem em ambiente privado em conspirador contra a república já é demais.

Há mil e uma razões para dois dirigentes petistas se encontrarem num hotel, a qualquer hora do dia, estejam ou não no governo.

O motivo mais elementar é a pré-candidatura de Gabrielli ao governo da Bahia ou à prefeitura de Salvador, cujo atual alcaide pedetista é muito impopular. E Dirceu continua sendo um dos principais articuladores do PT.

Claro que eles não iriam divulgar o conteúdo da reunião, e estão em pleno direito. O Klaus e o Rodrigo Leme são o típico caso de gente para quem o lado oposto é culpado por antecipação. Quanto à hora do dia (três da tarde), ué, executivo de multinacional não faz hora extra todo dia? Até parece que o Gabrielli bate ponto na sede da Petrobras. Aliás, a sede é no Rio, o que já significa que Gabrielli estava resolvendo outros assuntos em Brasília e aproveitou para encontrar Dirceu, que normalmente despacha em São Paulo. Nada demais.

Se os dois continuarem a engolir acriticamente tudo que a Inominável diz, vão acabar numa camisa-de-força.

Responder

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 17h00

    "O Klaus e o Rodrigo Leme são o típico caso de gente para quem o lado oposto é culpado por antecipação."

    Nisto realmente nós somos diferentes de vocês que só acusam com provas. Me penitencio publicamente por isto. Valeu pelo puxão de orelha, H.C.Paes.

edmar

01 de setembro de 2011 às 16h16

Só acho que o Gabrielli tem o DEVER, com a democracia brasieira, de processar a revista e o autor da 'reporcagem'. Não vale apenas dizer-se indignado ou achar engraçado, como alguns dos senadores fotografados cladestinamente e obejto de insinuações insidiosas pela óia. SEJA HOMEM SR.GABRIELLI.

Responder

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 17h03

    Concordo.

    Sagarana

    01 de setembro de 2011 às 20h23

    eu tambem.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 16h33

    Rapá, eu concordo com o Klaus e o Sagarana.

    Vixe.

Elias SP SP

01 de setembro de 2011 às 16h13

A Veja tem trocentos mil leitores. Quisera saber o que passa na cabeça dessa gente. Será que não se perguntam: mas isso é mesmo verdade? Essa revista merece minha assinatura? Desgraçadamente inclino-me a crer que não se perguntam p. nenhuma.

Responder

    Fabio_Passos

    01 de setembro de 2011 às 18h58

    A grande dúvida é essa mesma.
    O leitor de veja raciocina ou apenas rumina?

    Goiânia DIVAS

    01 de setembro de 2011 às 22h17

    A Veja distribui revistas gratuitamente para milhares de pessoas em todo país. Ela precisa provar para os anunciantes que vale a pena fazer anúncios nela por ter uma grande tiragem. Depois tem o governo de São Paula, através da Secretaria de Educação, que compra milhares desse lixo, sem licitação, para distribuir para as escolas e professores da rede estadual. Penso e desejo que nem um terço dessas pessoas lêem este panfleto.

    Werner_Piana

    01 de setembro de 2011 às 23h31

    Eu mesmo, depois de contatado por telefone, recebi este esgoto por 04 semanas.
    Não abri nenhuma.

    E pensar que há umas duas décadas atrás juntava meu parco dinheirinho para pagar a assinatura da Veja.

    O futuro, às vezes, surpreende. Quem poderia pensar há 25 anos que uma revista democrática, de centro que era referencia em jornalismo à época da ditadura se tornaria neste panfleto gordo, ordinário, imundo e CRIMINOSO de extrema-direita?

    Também vejo com maus olhos os seus anunciantes. E, podendo escolher, opto por não comprar nada deles…

Lucio

01 de setembro de 2011 às 15h59

Agora a gente entende porque os "progressistas" odeiam e querem a todo custo "regular a mídia", uma "regulação" nos moldes da bananalândia chavista e da fazenda dos kirchners.

Se nao fosse a revista, Erenice Guerra com certeza absoluta estaria ocupando um cargo do primeiro escalão do governo.

Alfredo Nascimento e mais uns 25 demitidos (após as denuncias da imprensa) estariam no Ministério dos Transportes ROUBANDO MILHOES!

Wagner Rossi e o lobista que esbofeteia jornalista estariam às gargalhadas no Ministério da Agricultura;

Isso só para citar os casos do governo dilma.

Uma pergunta: onde está midia "progressista" que nunca fiscaliza e denuncia esse tipo de coisa?

Se o povo dependesse dela, o Brasil atual seria um OASIS mundial, onde não existe corrupção.

Fica fácil entender porque os petistas ODEIAM a imprensa e querem fazer aqui o que o Chavez fez no curral dele.

Responder

    Werner_Piana

    01 de setembro de 2011 às 23h43

    FTHC e sua trupe livres, leves, soltos, falando em entregar o que restou do Brasil e tem beócio falando de ninharias. Os TRILHÕES que os demotucanos nos tungaram não é nada, né?

    Ah, me poupem!!!

    Fabio_Passos

    02 de setembro de 2011 às 07h25

    Não tenha dúvida.
    Estes militantes da veja que aparecem por aqui são todos defensores da corrupção. Apologetas da pilantragem.

    Ananda

    02 de setembro de 2011 às 10h15

    cara, se vc conhecesse o governo Chavez saberia que o que se faz por aqui é totalmente diferente.. uma coisa não tem nada a ver com a outra… ta lendo muito Veja, cuidado, ela Cega!

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 23h53

    Cega e emburrece.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 17h27

    Não é o caso de regular a mídia, caro.

    É de denunciar os crimes da mídia, especialmente de Veja.

    Você esqueceu de citar em seus termos "bananalândia chavista, fazenda dos kichners", uma tal Inglaterra, onde há a discussão de regulação por conta de crimes da imprensa.

    Lá, jornalista bandido vai pra cadeia. Quem dera acontecesse isso aqui.

    Que apelido você poria na Inglaterra, Lucio?

    Talvez nenhum. Porque reaça só coloca apelido em "país subdesenvolvido".

    Lá é terra de lordes, né, Lucio?

    Deve ter sido por isso que você não citou a Inglaterra, né, Lucio. Pega mal pra direita falar mal da terra da rainha. Legal pros reaças é meter o pau na "bananalândia chavista" e na "fazenda dos Kirchner".

    Esses reaças são um caso sério.

Thomaz Magalhães

01 de setembro de 2011 às 15h14

Sérgio Gabrielle, o breve.

Responder

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 16h40

    Vai esperando sentado, viu?

carlos j. ribeiro

01 de setembro de 2011 às 15h01

Pessoal, o Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, já contou a história dos Civita. Da Itália para a Argentina, de onde foram expulsos, daí para os EU, se envolveram no "escândalo da prata", foram condenados mas fizeram um acerto. Vieram para o Brasil para um grande empreendimento editorial. O P.H.Amorim já contou como um Civita foi expulso da Argentina e as relações promíscuas com a ditadura daquele país. Se alguém ainda defender esses capangas da tinta(royalties para o Pres. Rafael Correa, do Equador), é tão safado quanto eles.

Responder

Aline C Pavia

01 de setembro de 2011 às 15h00

Só o fato da imprensinha merdorrágica inteira não ter repercutido a reporcagem cheia de achismos da revista já é por si só um sinal de que a revista passou dos limites. Um silêncio ominoso.

Responder

Rodrigo Leme

01 de setembro de 2011 às 14h58

Sim, sim, presidentes de estatais costumam encontrar-se toda hora com consultores privados em quartos fechados de hoitéis em Brasília. Tudo dentro da normalidade, realmente: quem aqui não marca enccontro com amigo em quarto de hotel?

Esse povo, viu, vê coisa errada em tudo…

Responder

    Leider_Lincoln

    02 de setembro de 2011 às 06h40

    Eles se conhecem a 30 anos, foram fundadores do mesmo partido. E a viuvinha da amante do Serra não quer que eles se vejam? É isto?!?

    Fabio_Passos

    02 de setembro de 2011 às 07h22

    Leitores de veja acabam sempre se autodeclarando imbecis.

    Rodrigo Leme

    02 de setembro de 2011 às 13h17

    Vindo de quem disse que o FHC devia ser "enforcado em praça pública" (que democrata), uma acusação de imbecilidade tem sempre o efeito contrário.

    Aqui, ó: http://twitpic.com/58s90j

    Fabio_Passos

    03 de setembro de 2011 às 16h22

    Fique tranquilo. Apenas fhc será içado pelo pescoço.

    Você é inofensivo. Só faz mal a si mesmo.

    Rodrigo Leme

    02 de setembro de 2011 às 10h58

    Eu? Imagina? Acho super normal realizarem encontros em quartos de hotéis, todo mundo faz isso, não? Principalmente incluindo ministros…todos amicíssimos que adoram um encontro em qaurto de hotel pra falar de futebol, de mulher, da vida.

    Mais que amigos, são Goodfellas, como diz aquele filme do Scorcese, famoso.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 17h16

    É verdade, Rodrigão. Amigos não se encotram.Num quarto de hotel, imagina então. Devem estar tramando uma conspiração pior que o de Brutus e sua turma contra César. Gabrielli deve ter entrado pelos fundos pra ninguém ver, né, Rodrigão?

    E o repórter de veja é um injustiçado. Deve ter tentado entrar no quarto do Dirceu pra deixar uns papéis lá porque, solícito que é, achou que o Dirceu havia esquecido e quis devolver, né, Rodrigão?E esse papo de falsificar identidade, dizer que é quem não é… Pura intriga, né Rodrigão?

    Aliás, o caseiro ganhou aquela grana de herança mesmo, né Rodrigo? E viajou no avião do Tasso, acompanhado do Heráclito porque eles são bonzinhos, né mesmo, Rodrigão? E a charuteira, o Toninho da Barcelona, a Miriam Cordeiro. Tudo gente boa, que fizeram o que fizeram por espírito cívico, né Rodrigão?

    Falando em no filme do Scorsese. Goodfellas me lembra muito a amizade entre as famiglias da mídia brasileira, que controlam as quadrilhas de sabujos e trombadinhas a seu comando em redações. Não te pareces , Rodrigão?

Fernando

01 de setembro de 2011 às 14h37

Pessoas como Gabrielli me fazem orgulho de ser petista, o maior partido de esquerda do mundo.

Responder

Arnaldo Costa

01 de setembro de 2011 às 14h29

Esse tabloide "Espia" trata-se de um meio de fofocas e fuxicos. O problema é que mentem.

Responder

Arnaldo Costa

01 de setembro de 2011 às 14h27

Justiça para esses patifes safados desse tabloide de extrema direita. É a famosa reportagem Frankistein. Mentem, manipulam informações e fatos, a fim de atenderem seus interesses. Fazem parte da quadrilha demotucana. Da forma como agem, prestam um desserviço ao país. CANSAMOS DE SER ENGANADOS. Essa turma não pode continuar praticando delitos e ficar impune.

P.S.: Se pegarem o retrospecto desse lixo, erraram todas as últimas previsões. Lendo essa porcaria, a pessoa fica desinformada. São os Home Simpsons do William Bonner.

Responder

CID COSTA

01 de setembro de 2011 às 14h21

AS EMPRESAS ESTATAIS DEVERIAM CANCELAR QUALQUER TIPO DE VEICULACAO DE PUBLICIDADE AO PIG, E TRANSFERIR ESSES RECURSOS POR EXEMPLO A SAUDE, AO MINHA CASA MINHA VIDA, ENFIM, EM PROJETOS POPULARES.
AFINAL TODOS JA CONHECEM A CAIXA, O BB, OS CORREIOS, A PETROBRAS, ELETROBRAS, ETC…
O POVO IRIA APLAUDIR A PRESIDENTA…

Responder

    Conceição Lemes

    01 de setembro de 2011 às 14h46

    Cid, por favor, letras minúsculas nos próximos comentários. Nós preferimos. abs

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 14h50

    Concordo com você, Cid Costa, principalmente a Caixa e o BB que disputam o mercado com os outros bancos.

CID COSTA

01 de setembro de 2011 às 14h18

IMPRESSIONANTE O $$$$$ILENCIO DA OAB…
IMAGINEM SE A INVASAO DO REPORTER ALOPRADO FOSSE POR EXEMPLO NO QUARTO DE UM NOBRE SENADOR TUCANO , MEU DEUS, ESTARIAMOS VENDO NA CBN DE 30 EM 30" NA BAND DE 20 EM 20, NA GLOBO NEWS DE HORA EM HORA, FORA OS CALUNISTAS DE PLANTAO DO PIG.

Responder

João PR

01 de setembro de 2011 às 14h12

O Governo Federal deveria cortar todas as verbas publicitárias que se destinam ao Grupo Abril, e só reabrir estes gastos após o final da CPI da Veja.

Caso a Veja provasse que é inocente nesta tramóia toda, caso a Veja provasse que está sendo vítima de um ardil de sabe-se lá quem (acho difícil provar estas duas hipóteses, mas como estamos em um Estado Democrático de Direito, há que se estabelecer o contraditório), daí as verbas seriam novamente destinadas aos "ilibados" meios de comunicação da Abril.

Responder

trombeta

01 de setembro de 2011 às 13h49

Uma coisa é certa, existe na mídia de direita uma organicidade e cumplicidade que falta muitas vezes à esquerda. Fica claro que eles combinam pautas, que complementam suas matérias capengas de forma a dar consistência ao que não tem, que se protegem e repercutem até os delírios da revista Veja que hoje só tem uma serventia: ser animadora da torcida organizada da direita, não deixar apagar a centelha do reacionarismo no país.

Essa máfia que não atua somente no Brasil mas em todos os países democráticos e que se abriga sob o pálio da liberdade de imprensa tem cara, nome, sobrenome e um objetivo evidente controlar o estado e manejá-lo segundo seus interesses político-financeiros.

Responder

    Orellano Paz

    02 de setembro de 2011 às 02h32

    Falou!
    O grande Brizola também tá trombetando isto há mais de 50 anos.
    E a guerra da Legalidade continua.

Klaus

01 de setembro de 2011 às 13h33

Basicamente, aqueles que me responderam afirmam que o presidente da Petrobras (a maior do Brasil) soube que o consultor de empresas seu amigo estava na cidade e decidiu fazer-lhe uma visita de cortesia, às três da tarde (horas vagas Jairo?), pois amigos são para conversar pessoalmente e não por telefone. Além disto, para evitar mal-entendidos, ao invés dele José Dirceu ir à Petrobras, o presidente da empresa foi ao quarto de hotel do consultor. Sobre o que conversaram não importa, pois são apenas dois cidadãos comuns. Acho que isto encerra realmente o caso.

P.S. Este comentário foi escrito ao som de "Canção da América", de Milton Nascimento.

Responder

    augusto

    01 de setembro de 2011 às 15h15

    o klausemiro inocente:
    Por acaso alguma vejidiota da vida pergunta ao ao pedro malan ou Fhc o que ele foi falar com aecio névis?
    Use um dos neuronios e raciocine: se eu fosse o gabrielli e quisesse -como ele quer- legitimamente ser futuro governador da bahia, eu ia conversar (e NAO por telefone) com quem entende de politica nacional e de PT. Isto é, jose dirceu, alguma duvida?
    Se quer a gente pode desenhar pra voce.

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 17h04

    Como você sabe que é isto. Tem uma fonte ou inventou só pra ter o que me responder?

    Maurício

    02 de setembro de 2011 às 08h08

    Klaus, e como você sabe o que o Gabrielli foi conversar com o Dirceu no hotel?

    Está vendo, isso tudo é uma besteira e perda de tempo. Sem provas essa reportagem ou qualquer comentário, de qualquer lado, é apenas "opinião". E opinião não serve para acusar ou livrar ninguém de culpa.

    Ananda

    02 de setembro de 2011 às 10h17

    é… acho que é tudo farinha do mesmo saco.. um inventa de ca, outra de la… e Vejam!

    El Cid

    01 de setembro de 2011 às 17h29

    Quer dizer então, Herr Troll, a "latrina" não informa, a "latrina" supõe baseado em sua própria perspectiva?

    …agora,os amigos estão sumindo e você ficando, né? por que será?

    SpinSergio

    01 de setembro de 2011 às 17h31

    O que sera que o tal do Jobim conversava com o seu grande amigo Serra….com certeza coversas de buteco….

    cronopio

    01 de setembro de 2011 às 19h42

    Klaus, seja mais claro. Do que você os está acusando. Essa discussão está absurda. Você acusa o Zé Dirceu de influenciar o presidente da Petrobrás? Ora, eles pertencem ao mesmo partido, o Zé Dirceu é uma figura importante no PT, queiram ou não. Qual o crime aqui? E por que tentar saber se eles falaram de negócios ou não, qual a acusação?

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 22h12

    Acuso de nada, só acho estranho.

    El Cid

    02 de setembro de 2011 às 00h21

    então não tem certeza… previsível você, viu?

    Orsola Ronzoni

    01 de setembro de 2011 às 20h14

    Para o Klaus
    O teu raciocínio é claro e cristalino. E você é bastante inteligente para saber o porquê que os leitores deste blog ficaram tão indignados. Esta indignação poderia servir de base para uma tese sociológica se não conhecêssemos o comportamento das ditas esquerdas quando é pega com a boca na botija.
    VEJA denunciou Palocci e ele caiu.
    VEJA denunciou a roubalheira no Ministério dos Transportes, o ministro e mais uma dezena de pessoas caíram.
    VEJA denunciou as maracutaias do Ministério da Agricultura, caíram o ministro e o seu braço direito.
    Por que será que em nenhum destes episódios não houve a mesma gritaria desta turma? E agora inventam as histórias mais estapafúrdias para defenderem o nominado “chefe de quadrilha”, segundo Antonio Fernando de Souza e Roberto Gurgel o ex e atual Procurador Geral da República. Zé Dirceu cometeu as mais torpes barbaridades na surdina, na sombra e existe fortes evidência que ele conspirava contra a atual presidente da República. Será que Freud explica? Não, não explica, a explicação reside na ética e na moral que grassa entre os ditos de esquerda.

    Sagarana

    01 de setembro de 2011 às 20h32

    Odebrecht
    Queiroz Galvao
    OGX
    Brasken
    Delta Engenharia…
    Quais sao os clientes do Dirceu que operam no ramo do petroleo?
    Como se chama aquela gatinha que deu um Land Rover usado pro Silvinho Pereira?
    Acho que a lista deve ser bem maior, quem puder colaborar…

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 17h20

    Mas nem esta música maravilhosa abriu teu pensamento e te inspirou, Klaus?

julio

01 de setembro de 2011 às 13h08

Enquanto a Veja, o klaus, e o eusabia, fazem futrica, intriga e fofoca, os caes ladram e a caravana passa…
por falar em caravana, a presidenta Dilma, está hoje aqui em Minas, inaugurando uma siderurgica na
cidade de Jeceaba, investimento, NIPO-FRANCO-BRASILEIRO, de US$ 5 bi, que vai gerar 1600 empregos
diretos e produzira tubos de aço para a industria petroleira, deixando de exportar o minerio in-natura, que
inclusive nao paga ICMS, no caso de exportação graças a lei Kandir da epoca do finado FHC.
Continuem latindo, que a caravana tá passando firme e forte como NUNCA DANTES.

Responder

Vlad

01 de setembro de 2011 às 13h02

Estimado Azenha,
Sei que tem pouco a ver com a matéria (pode até nem publicar esse meu comentário, ou se achar relevante abrir um tópico para isso), exceto pelo fundo de pano "petrolífero", mas caracas!, veja que chegamos a um ponto em que a iniquidade nem é mais escondida: http://www.portugues.rfi.fr/geral/20110901-rebeld
Agora tá explicada a dianteira tomada pela França na operação.
Até uns tempos atrás, esse tipo de acordo mafioso era velado. Pelo jeito perderam até o pudor.
P.S. Não sou simpatizante do Kadafi, mas certos bom-mocismos remunerados são piores que ele.

Responder

Fernando

01 de setembro de 2011 às 12h41

Não sei porque toda vez que leio a respeito desta matéria da Óia, parece que em baixo eu vejo em lengenda:
"Palocci – Palocci – Palloci – Palocci – Palocci – Palocci – Palocci – Palocci – Palocci – Palocci – Palocci – Palocci"

Responder

Ricardo

01 de setembro de 2011 às 12h41

Prezada Conceição, o nome correto é JOSÉ Sergio Gabrielli, e não João, como escreveu.

Responder

    Conceição Lemes

    01 de setembro de 2011 às 12h43

    Oi, Ricado, obrigada, vou corrigir já. abs

DUDU

01 de setembro de 2011 às 12h33

Alguem ainda lê essa revista?
Isso é pior do fuchico de comadre linguaruda!
Não vale a pena.
É o lixo do lixo.Eles têm-me oferecido essa porcaria, DE GRAÇA, por um tempo.
Respondo que lixo não entra em casa.

Responder

    Fabio_Passos

    01 de setembro de 2011 às 18h46

    Também acho incrível.
    Qualquer pessoa minimamente informada sabe que a veja é uma revista escrita por e para imbecis.

Rasec

01 de setembro de 2011 às 12h22

Parabéns ao site! Show de bola!

Responder

Luiz Rogerio

01 de setembro de 2011 às 12h14

Prezada Conceição, lá vou eu de novo, acho que a reportagem não está toda aí, pois com certeza perguntou o que ele vai fazer ou vai ficar vendo a banda passar???

Responder

eunice

01 de setembro de 2011 às 12h02

Gente, BHC tem fazenda que é muito mais caro.E tem ações de empresas, que não aparece.
Deixa o ap delle, por favor, o mal que elle fezes ao Brasil é muito, muito maior. O problema não é ganhar, é se vender a estangeiros contra o povo. Eu quero pagar muito a Dilma se ela governar bem.

Responder

Morvan

01 de setembro de 2011 às 11h56

Bom dia.
O problema da mídia brasileira passa pela coragem (ou falta de) de se regular este partido político (PIG). Com a Presidente Dilma indo a festinhas rega-bofes do PIG e o resto da agremiação tentando parecer dócil e confiável a este, jamais resolveremos este câncer auto-cognominado "liberdade de imprensa".
Queria ver esta saliência fecal chamada InVeja fazer isto lá na Argentina.
Dá-lhes, Cristina!

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

    carlos j. ribeiro

    01 de setembro de 2011 às 15h03

    Os Civita foram expulsos da Argentina. Procure no blog do P.H.Amorim.

    Morvan

    02 de setembro de 2011 às 08h28

    Bom dia.
    Obrigado pelo retorno, carlos j. ribeiro. Eu vi, sim. O Blog do PHA e este são os que eu mais frequento (e debato, também).
    É por isso que eu digo:

    Dá-lhes, Cristina!

    O PIG de lá tá vendo urso de gola.
    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

Mauro Silva

01 de setembro de 2011 às 11h54

Caro Azenha
Não entendo o porquê da PETROBRÁS gastar uma fortuna em anúncios na Veja.
No final das contas, esta empresa acaba financiando a própria desmoralização pelas 'notícias' e 'reporcagens' veiculadas pelo jornalismo de esgoto dessa revista.

Responder

Bonifa

01 de setembro de 2011 às 11h50

O que preocupa mais nesta operação da Veja, que podemos chamar de "Operação Dirceu", é a audácia franca e desempedida, desprovida já de qualquer sutileza e qualquer comedimento. Qual será a próxima operação da Veja? Políticos, funcionários, magistrados, empresários que ela suponha serem isto ou aquilo, não merecerão dela o mínimo respeito por seus direitos básicos. Ninguém está seguro de não sofrer repentino ataque de demolição de reputação. É o Estado Vejal, até pior que o Estado Policial.

Responder

    nilda

    01 de setembro de 2011 às 13h21

    O próximo passo é contratar pistoleiros para eliminar os desafetos políticos. E eu aplaudirei de pé CADA morte porque se as vítimas nada fizerem contra esse crime é porque concordam totalmente com os métodos bandidos da dita revista e se concordam que se danem todos eles, ricos e poderosos que são.

Luiz Costa

01 de setembro de 2011 às 11h48

Será que o reporter "investigativo" da Veja poderia informar a origem do dinheiro que o sr. FHC utilizou para comprar aquele apartamento em Paris? Alguém sabea origem?

Responder

    Marat

    01 de setembro de 2011 às 12h05

    "Veja de olhos bem aberto"os opositores. Para os amigo$$$ é "Veja com tapa-olhos"…

julio

01 de setembro de 2011 às 11h35

Com esse posicionamento e essa opinião a respeito dessa revistinha-lixo, esperamos que a nossa(do povo
brasileiro) , não anuncie mais nas paginas da dita cuja.

Responder

Klaus

01 de setembro de 2011 às 11h20

O que traz de novo esta entrevista? Nada. A legenda da foto já resume as respostas do entrevistado: é amigo de José Dirceu e não tem que dar informações sobre o que conversa com amigos. Entendo que as duas perguntas iniciais, além de inúteis, apenas preparam o campo para a resposta final, já conhecida.
Quanto às ilações, realmente causa espécie, o presidente da maior empresa brasileira e uma das maiores petrolíferas do mundo se dirigir para encontrar com um consultor privado (pior, seu amigo pessoal!) em um quarto de hotel. José Dirceu não tem cargo no governo ou no PT.Do que poderiam tratar: Petrobras, política ou, como deixa subtendido, foi apenas uma conversa de amigos, jogar conversa fora. Se foi isto, um telefonema bastaria. Se foi tratar algo sobre a Petrobras ou política, as ilações da revista fazem sentido. Outra coisa: por que ele foi a José Dirceu e não o contrário?

Responder

    Conceição Lemes

    01 de setembro de 2011 às 11h57

    Klaus, vc sabia que Sérgio Gabrielli é filiado ao PT desde a fundação? E que é amigo de José Dirceu há 30 anos? Eu não sabia, acredito que muitos leitores também não. É preciso contextualizar o entrevistado. Nâo se trata de alguém que conheceu José Dirceu "ontem". E o fato de ele externar a opinião sobre a matéria é muito importante, considerando que ele é presidente da Petrobras, a maior empresa do Brasil. abs

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 13h21

    Eu até acho que você fez as duas perguntas que eram pertinentes ( a 3 e a4) e que ele não quis (ou não pode responder). Mas afirmo: o que conversaram não era possível de ser falado por telefone, seja sobre a empresa, política ou pessoal.

    augusto

    01 de setembro de 2011 às 15h17

    no tempo do torquemada voce se daria muito bem. a compatibilidade com aquele espirtio é notavel.

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 17h02

    Bem, o ódio aos judeus dele e de vocês também é compatível.

    Alexei_Alves

    02 de setembro de 2011 às 11h45

    toma, klaus

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 18h14

    "Mas afirmo: o que conversaram não era possível de ser falado por telefone, seja sobre a empresa, política ou pessoal. "

    Por que amigos de 30 anos devem ser proibidos de se encontrar onde querem?

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 22h11

    Quando um é presidente da Petrobras e o outro lobista, não.

    Chico Nunes

    01 de setembro de 2011 às 21h06

    Prezada Conceição,
    Deixo aqui o meu testemunho, pois conheço o Sr. José Sérgio Gabrielle, a quem tive o prazer da sua convivência desde os anos 70, tanta na Escola de Economia da UFba, e também como membro da sua campanha a Dep. Federal em 1982 pelo Partido dos Trabalhadores.
    Destaco principalmente o seu caráter, qualidade rara de se encontrar nos dias de hoje, como uma das suas maiores virtudes. Todos aqueles que acompanham a sua vida profissional aqui na Bahia, o admiram pela sua postura ética e pela sua credibilidade profissional.
    Deixo saber a todos, que não tenho nenhuma representação para defendê-lo, apenas manifesto indignação diantes das ilações, bem como, destaco que desde fevereiro de 2003 não sou filiado ao Partido dos Trabalhadores, por não concordar com os rumos que o partido optou.
    Não posso cré que em um país com tantos problemas sérios, seja dado credibilidade a revelações conseguidas de maneira criminosas, por um panfleto que prática o “mau jornalismo”.
    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) tem em suas mãos um pedido de abertura de processo por violação do Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros contra o ardiloso jornalista Gustavo Ribeiro da sucursal de Brasília da revista Veja, desde o dia 7 de julho pp referente a outra material caluniosa (artigo do professor Venício Lima da Carta Maior).
    Até quando permitiremos que determinados tablóides (PIG), se comportem como um poder acima de todos os outros.

    Luciano Prado

    01 de setembro de 2011 às 12h06

    Um dos princípios do bom jornalismo é o contraditório, é ouvir os dois lados.

    Ouvir os acusados e vítimas dos crimes da revista Veja é dever da imprensa. As pessoas não podem ser acusadas sem provas (ou mesmo com) e não ter oportunidade de defesa.

    Portanto, meu amigo Klaus, no mínimo as pessoas devem tem o direito de se contrapor.

    Lucio

    01 de setembro de 2011 às 12h56

    A veja foi ouvir o jose dirceu, este nao quis dar a entrevista.

    Azar o dele.

    Vinicius Garcia

    01 de setembro de 2011 às 15h05

    Pelas acusações que a "zóia" fez até agora com José Dirceu, é mais que natural que ele não se predisponha a responder a mesma. Por acaso você beijaria a quem te bate?

    El Cid

    01 de setembro de 2011 às 17h17

    ….depois da lambança feita, agora a "latrina" quer ouvir o José Dirceu?

    vá chupar dinamite acesa você e a "latrina", cara de pau !!

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 18h21

    Certíssimo o Dirceu. Quem disse que a Veja é fiel ao entrevistado (publica o que o entrevistado responde)?

    E se a Conceição Lemes quiser entrevistar o repórter, a Veja vai permitir?

    Em nome da liberdade de imprensa por que a Veja não deixa o repórter à disposição de quem o queira entrevistar?

    Luiz Rogerio

    01 de setembro de 2011 às 12h11

    Klaus, não estou aqui pra defender esse ou aquele, mas o que você diz beira o ridículo "foi apenas uma conversa de amigos, jogar conversa fora. Se foi isto, um telefonema bastaria", eu não gosto de falar ao telefone, muito menos com amigos, amigos são pra se encontrar "pessoalmente", neste caso, acho que você não tem "amigos". "Outra coisa: por que ele foi a José Dirceu e não o contrário?" Até nisso você critica, você sabe quantas vezes o José Dirceu foi até à ele? Com certeza nenhuma na Petrobrás, pois senão a sua revistinha querida iria trazer foto do Zé com grande manchete de capa: "O QUE ELE ESTÁ FAZENDO LÁ????. Queria perguntar pra você que acho que não tem "amigos", se tiver irmão, quem visita quem????

    Jairo_Beraldo

    01 de setembro de 2011 às 12h31

    Caro herrrrrrrrrrr Klaus,
    quando vou a alguma localidade, a negócios, para audiencias ou mesmo andar "atoa", e lá tenho ou está algum amigo de longa data, vou ao seu encontro…e penso que voce também vá (apesar de que a turma da direita é egoísta, e acha que isso é "precisar de alguma coisa", e nunca podem ajudar). O que tem de mais nisso? Gabrielli mora e trabalha no Rio e tem que ir a Brasília dar "satisfações" à chefe, presidenta Dilma, e nas horas vagas faz o que quiser, até visitar amigo de longa data que se encontra na capital e mora e trabalha em São Paulo…que há de errado nisso?

    Tartufo da Silva

    01 de setembro de 2011 às 12h53

    Klaus tem toda a pinta de ser jornalista da Veja… Ele tem uma tese que tenta comprovar não através de fatos mas de ilações e subjetivismos. Rapaz, faça como o resto do PIG; fique quietinho no seu canto e finja que você jamais ouviu falar de Veja…

    El Cid

    01 de setembro de 2011 às 13h14

    então Herr Troll, o direito de ir e vir passa pelas regras da "veja"?

    vendo seu comportamento, imagino quem seja seus amigos…

    Klaus

    01 de setembro de 2011 às 15h20

    El Cid, o Galo ganhou ontem, nem você me abala hoje.

    El Cid

    01 de setembro de 2011 às 17h09

    nooofaaa !!

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 18h59

    Hummm… noutras oportunidades já andou abalando a menina, né cumpadi?! EUSABIA !

    Gerson Carneiro

    01 de setembro de 2011 às 20h40

    Abalou, abalou
    Sacudiu, balançou
    Coração é só felicidade
    Abalou, abalou, isso sim
    É amor de verdade!

    Abalou – Ivete Sangalo

    [youtube ulxZv9Tj_Ag http://www.youtube.com/watch?v=ulxZv9Tj_Ag youtube]

    carlos magno

    01 de setembro de 2011 às 16h21

    Que coisa esquisita em!!!! continue assim pois quando pessoas como você e esta coisa horrorosa chamada Veja perseguem o nosso companheiro de luta, só confirmam a combatividade dele…..

    Sagarana

    01 de setembro de 2011 às 17h31

    Meu caro Klaus, concordo com você. Afinal, uma imagem vale mais que mil palavras. Além do mais em um dia útil às 15:33 esse sujeito teria que estar trabalhando e não "visitando um amigo"

    El Cid

    01 de setembro de 2011 às 19h06

    kkkkk !! você é hilário e idiota ao mesmo tempo, trollzinho…

    Gabrielli não tinha o dever de dizer um "a" sobre o encontro. Já foi muito dizer que os dois são amigos. Mentir sobre assuntos particulares não é crime. Meta isso nessa sua cabeçinha de Itu: até DEPOIS de aparecerem indícios de qualquer malfeito, o que José Dirceu e Sérgio Gabrielli discutiram NÃO É DA NOSSA CONTA !!

    Sagarana

    01 de setembro de 2011 às 20h20

    Depois de amanha tem Veja nova nas bancas… De novo…

    Silvio I

    01 de setembro de 2011 às 21h44

    Sagarana:
    Você está inteirado que Gabrielli, não tem horário, em seu trabalho?

    Sagarana

    02 de setembro de 2011 às 09h32

    Silvio, estou inteirado que um presidente de uma empresa do porte da Petrobrás não teria tempo para ir bater papinho com um velho amigo em plena segunda feira a tarde.

    Renato Lira

    02 de setembro de 2011 às 17h19

    Dirceu foi proibido de viajar a Brasília?

    Foi proibido de encontrar e conversar com amigos?

    Alguém tem a cópia desta pena imposta a ele?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.