VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

O golpe do flagrante preparado contra manobristas


06/01/2012 - 01h19

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Flagrantes preparados do Jornal Hoje levantam sérias questões éticas

do Roteiro de Cinema News (vá lá ver o vídeo), dica do Fernando César de Oliveira, via Dr. Rosinha (no twitter)

Na edição do dia 04/01/2012 o Jornal Hoje da Rede Globo exibiu uma “reportagem investigativa” onde sob o pretexto de revelar “os riscos que os motoristas enfrentam”, jornalistas armaram flagrantes preparados usando câmeras escondidas e exibiram as imagens dos manobristas que caíram nas armadilhas, sem ao menos proteger suas identidades, levantando sérias questões sobre a legitimidade e os limites éticos do jornalismo da maior emissora de televisão da América Latina.

A reportagem “Câmera do JH flagra manobristas vasculhando carros em São Paulo” apresentada por Evaristo Costa como “debate sobre os riscos que motoristas correm nas grandes cidades” e por Sandra Annenberg como “mostra do trabalho dos manobristas” são flagrantes preparados pelos jornalistas Walace Lara, William Santos, Robinson Cerântula, Carlos Rodrigues Junior, Juvenal Vieira e Patricia Marques, sob editoria de Teresa Garcia e Paulo Amaral. Devido aos métodos utilizados na reportagem, suponho que tenha sido aprovada pelos diretores de jornalismo da emissora Carlos Henrique Schroder e Ali Kamel.

Para preparar o flagrante os jornalistas colocaram deliberadamente no interior dos carros grandes valores em moedas e até doces como “tentação” (palavra usada na reportagem) para provocar e induzir os manobristas a um comportamento delituoso. Criaram um cenário artificial tentador que não corresponde à expectativa de um veículo comum que utiliza os serviços de estacionamento nas grande cidades, um cenário de causar tanto estranhamento que durante a reportagem os manobristas flagrados exclamam: “essa eu nunca vi não”; se espantam: “o carro aqui parece uma doceria”; e desconfiam: “tem câmera? têm ou não têm?”.

O documento com os Princípios Editoriais das Organizações Globo diz o seguinte sobre o uso de câmeras escondidas, na seção II, ítem 2/J:

“O uso de microcâmeras e gravadores escondidos, visando à publicação de reportagens, é legítimo se este for o único método capaz de registrar condutas ilícitas, criminosas ou contrárias ao interesse público. Deve ser feito com parcimônia, e em casos de gravidade.”

É flagrante que faltou “parcimônia” na escolha do método, visto que a informação sobre o risco de furto em estacionamentos poderia ter sido apresentada utilizando-se de outros métodos legítimos, porém, com certeza menos sensacionais. O delito flagrado pelas câmeras no cenário preparado pelos jornalistas – furtar moedas ou doces – não é um “caso de gravidade”, um juiz de direito aplicaria o princípio da insignificância em todos os casos retratados pela reportagem. Ademais, se o flagrante foi preparado não houve crime, houve um “delito putativo por obra de um agente provocador”. O flagrante preparado ou flagrante provocado – o estímulo de uma pessoa a outra para que esta pratique o ato típico de uma infração penal, com o intuito, porém, de surpreendê-la no momento da execução – é ilegal segundo a súmula no.145 do STF.

“não há crime quando o fato é preparado mediante provocação ou induzimento, direto ou por concurso, de autoridade, que o faz para fim de aprontar ou arranjar o flagrante (STF, RTJ, 98/136).”

O debate sobre câmeras escondidas, flagrantes preparados e ética jornalistica não é novo. Em 1997 nos EUA a rede de televisão ABC foi condenada a pagar mais de 5 milhões de dólares em danos por causa de uma reportagem do programa Primetime Live que supostamente revelava a presença de produtos estragados em uma corporação do ramo alimentício. A RTDNA (Radio Television Digital News Association) recomenda uma lista de seis critérios objetivos criados pela “Society of Professional Journalists” na análise da justificativa do uso de câmera escondida em uma reportagem. Para ser um ato justificável é preciso preencher todos os seis requisitos expressos. A reportagem do Jornal Hoje não preenche nenhum.

O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros da Federação Nacional dos Jornalistas diz o seguinte:

Art. 6. É dever do jornalista:

VIII – respeitar o direito à intimidade, à privacidade, à honra e à imagem do cidadão;  (…)
X – defender os princípios constitucionais e legais, base do estado democrático de direito;

Art. 11. O jornalista não pode divulgar informações:   (…)

II – de caráter mórbido, sensacionalista ou contrário aos valores humanos, especialmente em cobertura de crimes e acidentes;
III – obtidas de maneira inadequada, por exemplo, com o uso de identidades falsas, câmeras escondidas ou microfones ocultos, salvo em casos de incontestável interesse público e quando esgotadas todas as outras possibilidades de apuração;

Como não há crime na conduta dos manobristas retratados nos vídeos, e os jornalistas que prepararam o flagrante não podem ser considerados vítimas de subtração de coisa móvel, então as únicas vítimas acabam sendo os próprios manobristas. Vítimas de um golpe sensacionalista em busca de audiência, vítimas do que poderia ser considerado – em tese, pois não há lei de imprensa no Brasil – uma reportagem criminosa. No mínimo é uma conduta antiética pela visão do senso comum da sociedade e da comunidade profissional do jornalismo. E a identificação dos manobristas era uma informação irrelevante para o interesse público, poderia ter sido protegida pelos editores “pixelando” ou “esfumaçando” as faces dos envolvidos, mas os editores optaram por mostrar os rostos das vítimas de sua pegadinha séria com trilha de suspense.

Proteger o anonimato dos manobristas seria o respeito mínimo ao direito de imagem dos envolvidos, frente a natureza predatória dos métodos utilizados para colocá-los como objeto dos vídeos e pela  irrelevância de sua identificação na comunicação da narrativa. Pouparia dezenas de cidadãos – não só os manobristas, mas sua família, seus colegas e amigos – de sofrimentos desnecessários para contar a história. Porém, nem a imagem e nem a honra dos manobristas foi protegida, apenas as identidades corporativas das empresas onde os supostos furtos aconteceram. Não é por acaso. Corporações poderiam arrancar milhões da Globo em processos por danos morais, manobristas pobres – e provavelmente agora desempregados e envergonhados – terão muito mais dificuldade de acionar o judiciário e numa terra sem lei de imprensa, devem se contentar com as moedas e chocolates que subtraíram na fatídica pegadinha. Torço para que os manobristas brasileiros sejam organizados o suficiente para procurar a reparação dos prejudicados pela reportagem irresponsável, que mancha toda uma categoria profissional.

E cuide-se, leitor, pois a próxima vítima pode ser você ou alguém de sua família ou círculo social. Com a reportagem dos manobristas e o anúncio da série Câmera do JH, a Globo deixa claro que não respeitará a imagem de ninguém, e não abdicará de métodos questionáveis para flagrar pequenos delitos cotidianos em vídeo. Os jornalistas, que escondem seus rostos ao som de música de suspense preparando seus flagrantes,  para expor o rosto alheio em busca de um momento sensacional delituoso, parecem anunciar em tom de ameaça na página do projeto Câmera do JH: “A câmera do JH quer chegar bem pertinho de você” e “Fique ligado no Jornal Hoje, porque em 2012, o nosso foco está em você.” Qualquer incauto pode ser o próximo vilão do Big Brother jornalístico da hora do almoço. E não estranhe se forem trabalhadores jovens e pobres  induzidos a cometer pequenos delitos à serviço do espetáculo trágico, são as mesmas vítimas de sempre. A câmera escondida continuará sendo um “aparato tecnológico usado como ‘muleta’, pequenos instrumentos com poderosos recursos, que se voltam para retratar, na maioria das vezes, delitos banais, conseqüências, quando deveriam revelar causas.”

O Código de Ética dos Jornalistas não é cumprido no Brasil. Os princípios editoriais da Globo não são cumpridos pela Globo. Não foram cumpridos nem na mesma edição do Jornal Nacional em que foram anunciados com pompa, no caso da merendeira acusada de colocar veneno em comida de escola, quando a repercussão de um vídeo viral do Blog do Mello inspirado num artigo do Roteiro de Cinema obrigou William Bonner a admitir o erro e culpar uma “falha de edição” pelo deslize.  É sintomático que as vítimas dos deslizes éticos mais flagrantes da Globo sejam merendeiras e manobristas pobres. São a face mais desprotegida da sociedade.

Não há uma auto-regulamentação efetiva, nenhum ordenamento jurídico para proteger o indivíduo contra o abuso do imenso poder social dos veículos de comunicação. No legislativo está parado um projeto de lei do Senador Roberto Requião que regulamenta o direito de resposta e na gaveta do Ministro Paulo Bernardo adormece o projeto de marco regulatório das comunicações. É preciso urgentemente reabrir o debate sobre a regulamentação dos meios de comunicação de massa, sabotado pelas empresas de comunicação que gritam censura e sem nem cumprir suas próprias regras privadas tentam inibir qualquer discussão sobre regras públicas e balanceadas que visem preencher o vácuo jurídico deixado pela queda da velha e inconstitucional – segundo o STF – lei de imprensa. Uma legislação baseada na Constituição de 88, algo que proteja a liberdade de imprensa dos grandes conglomerados de mídia, as corporações privadas, mas que também nos proteja, meros cidadãos, dos abusos cometidos por elas. Alguém tem que vigiar o grande irmão que nos vigia. E vice-versa.

Fernando Marés de Souza

Leia também:

Biondi: Nunca foi tão fácil lucrar

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


160 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Renato

20 de junho de 2012 às 19h21

Pois é, que absurdo!!! Estão lesando o direito sagrado do brasileiro de roubar sem ser importunado e exposto!!!

Salve os oligofrenicos da imprensa marrom!

Responder

vladimir lacerda

13 de janeiro de 2012 às 08h31

Tudo bem que seja ilegal,que não houve crime nenhum,mas que demonstra que existe problemas e ladrões trabalhando como manobristas isto sim tem.E quem deixou seu pouco dinheirinho e foi levad?

Responder

alício

09 de janeiro de 2012 às 22h22

A grobo é um nojo!

Responder

altamiro

09 de janeiro de 2012 às 20h03

Pelo visto a globo está pouco a pouco sendo desmascarada…
Mas cada coisa a seu tempo, a hora dela vai chegar…
Gostaria de pedir aos bravos blogueiros sujos para não esquecerem, porém, de um outro episódio importantissimo que está perdendo notoriedade com a avalanche provocada pela privataria: o caso controlar.
Devemos manter vigilancia severa para que o proposto pela justiça não seja alterado: nova licitação e reembolso aos cofres públicos do montante surupiado por cassab e compania).
Vamos levantar tambem esta bandeira.

Responder

italo

09 de janeiro de 2012 às 14h32

Não tem nada de errado em flagrar atitudes condenáveis. Mas, pau que dá em chico, dá em francisco. Não é menos errado roubar moedinhas e balas, errado é quando milhares de máquinas invadem o País, enquanto costurava-se venda de sentença de última instância para legalizá-las, e a mesma imprensa dizia que as máquinas eram para enganar velhinhos no bingo. Imprensa livre, desconfia, apura , confronta e não ataca inimigos do amigo que protege.

Responder

Ze Duarte

09 de janeiro de 2012 às 14h05

Fico no aguardo de um texto em defesa dos picaretas mostrados no Fantástico que vendem combustível a menor nas bombas….

Responder

    Franco

    10 de janeiro de 2012 às 02h04

    Somos dois.

Paulo

09 de janeiro de 2012 às 13h40

A Globo é podre mas não podemos entrar na obsessão de criticar tudo que ela faz. Neste caso não vi nada errado na reportagem. O uso das câmeras é um recurso legítimo.

Responder

Bruno

09 de janeiro de 2012 às 05h42

Sou estudante e comecei a acompanhar este blog recentemente em busca de informações, que como o próprio slogan do blog diz, "o que você não vê na mídia". Achei algumas coisas interessantes como o da Privataria Tucana (sim, é um absurdo isso não ter destaque em qualquer emissora que deveria, ao menos em tese, informar a população) mas não demorou para perceber que as matérias e os comentários aqui estão muito longe da imparcialidade que a priori eu esperava encontrar. Mesmo assim continuei a acompanhar e nunca comentei nada mas depois desta matéria me senti na obrigação de expor meu ponto de vista.

De fato, acho que não preservar a identidade dos manobristas é um erro mas daí a defendê-los acusando a Globo de provocar uma situação tentadora foge muito ao que eu considero bom senso. Se a pessoa é íntegra ela não vai roubar nem que haja 1 milhão no porta luvas. Para sustentar as acusações contra a matéria da Globo foram colocados trechos de leis e suas inúmeras nuances que complicam ao invés de facilitar o entendimento das mesmas. Não falo que são todas mas há uma frase comum no direito que diz: " Há duas coisas que você não quer saber como são feitas. As salsichas e as leis", portanto eu não moldo meu comportamento baseado nelas. Minha única lei é não fazer ao próximo o que eu não gostaria que fizessem comigo (embora seja uma frase prontamente associada à religião, não, eu não sou um crente fanático, pelo contrário, eu não tenho qualquer tipo de religião).

Enfim, eu não concordo com a Globo 99% do tempo mas essa matéria deles está no 1% restante. Também não defendo qualquer partido político. Eu só vim aqui em busca de verdade, imparcialidade mas, infelizmente, terei que continuar minha procura.

Abraço.

Responder

    Antonio Nunes

    10 de janeiro de 2012 às 10h40

    quer reconhecer uma pessoa imparcial?

    é aquele q apanha de todos os lados!

    leia, aqui neste blog, 2 textos q são "pérolas" da falta de coerência:
    https://www.viomundo.com.br/politica/vladimir-safa
    https://www.viomundo.com.br/politica/gilson-caroni

    nesses artigos, os autores reclamam da parcialidade dos jornais… de forma totalmente parciais, sem citar em nenhum momento a parcialidade de blogs como este (e muitos outros)!

    as pessoas estão se acostumando a tratar política como futebol e a se comportar como torcedores, defendendo o seu "time" e vaiando o "inimigo" em qualquer situação!

    esquecem qualquer senso crítico ou equilibrio para, quando for o caso, criticar o próprio "umbigo"!

    pra maioria aqui (e em muitos outros lugares), o erro está na diferença!

    uma pena…

    boa sorte na sua procura…

    vai ser mais fácil econtrar o "santo graal" do q imparcialidade!

RicardãoCarioca

07 de janeiro de 2012 às 11h01

Independente de ser crime ou não, considero duas coisas: 1) Mostrar o mau comportamento dos manobristas é uma informação de utilidade pública e; 2) Deveriam ter protegido a identidade dos mesmos. Na minha opinião, desta forma, teríamos informação útil sem a degradação da pessoa humana.

Responder

Julio Silveira

07 de janeiro de 2012 às 10h08

A televisão esqueceu que boa parte do cidadãos são oportunistas, e isso é cultural, em muitos casos, não fazendo, pode ser até taxados como otários. E vimos isso em diversas oportunidades, como nos acidentes com caminhões nas estradas onde o saque é certo. E podemos, com certeza, afirmar que os que fazem não são marginais, são apenas maus cidadãos. A propria Globo se aproveitando da amizade colorida com o governo de São Paulo, se apropriou de área publica anexando-a a seu patrimonio a pretexto de um beneficio a cidade.
E assim vamos, esses puritanos da conduta deveriam ser exemplares, sabemos que são apenas hipocritas, muitos com o agravante do mau caratismo.

Responder

Sérgio

07 de janeiro de 2012 às 04h09

O macaco fala dos outros e não olha o próprio rabo.
Eles (Globo) deveriam, também, falar sobre a investigação do desvio de milhões de reais – dinheiro público – patrocinado pela Fundação Roberto Marinho.

Responder

    Antonio Nunes

    10 de janeiro de 2012 às 10h43

    vc está sendo ingênuo…

    a coisa funciona assim:

    a Globo não fala da investigação da Fundação Roberto Marinho e a Record não fala da lavagem de dinheiro dos "bispos"!

    mas…

    a Record fala da investigação da Fundação e a Globo fala da lavagem de dinheiro!

    entendeu?

    rsrsrs

    Janah

    10 de janeiro de 2012 às 15h29

    Mas a Recorde fala do livro A Privataria Tucana e a globo até agora…..serra abaixo com seus protegidos

Aline

07 de janeiro de 2012 às 02h12

Infelizmente nada muda o fato de que os manobristas se apropriaram de coisas alheias…

Responder

Pedro Soto

07 de janeiro de 2012 às 00h30

Lembram-se do caso do jogador de futebol americano O.J.Simpson.
O julgamento no qual era acusado de assassinato da sua mulher (com todas as evidências possíveis e imagináveis) foi anulado simplesmente porque a promotoria plantou provas artificiais contra ele. E olhem que havia um assassinato em jogo. Não era um simples furto de um doce.

Responder

beattrice

06 de janeiro de 2012 às 23h26

Todo tipo de ilícito cometido pelo que se convencionou chamar de jornalismo, mas não chega nem perto disso, como neste caso, decorre da ausencia do Marco Regulatorio.
Os exemplos se sucedem e os descalabros se somam, mas nada rigorosamente muda enquanto isso não for devidamente regulamentado.

Responder

Jussara Lopes

06 de janeiro de 2012 às 23h07

Primeiro, que o tempo que se deu pra essa materia foi absurdo… acho que nunca vi uma matéria tão grande na Globo, que deve ter o segundo mais caro do mundo… foram uns 4 minutos de matéria. E olha que isso pra TV é muuuuuuuita coisa… matérias longas assim só aquelas matérias de encerramento de telejornal, de turismo ou histórica… E até comentei com meu marido… "se fosse eu o manobrista e encontrasse assim facinho bombons, eu também comia… e acho que a maioria comia… porque era uma arapuca. E, claro, depois de filmado à la Big Brothers, foram todos demitidos… Isso pode? Eu. se fosse eles, entrava com uma ação contra a rede Grobo…

Responder

Pedro Soto

06 de janeiro de 2012 às 22h50

Só tem uma solução:

SEM AUDIÊNCIA A GLOBO ACABA.

Responder

    Antonio Nunes

    09 de janeiro de 2012 às 13h47

    falta combinar com o resto do Brasil, né?

    ps: sem "audiencia" qualquer coisa acaba… até o PT!

Lee

06 de janeiro de 2012 às 22h35

Azenha…esse mesmo sujeito que fez essa análise "criteriosa" publicou no twitter que a Globo caçava "malvados" manobristas que roubavam carros de luxo. Desculpe mas ele simplesmente faz da história um discurso político, pobre e de baixo nível. Os manobristas incorretos roubam a todos sem distinção. Quanto ao fato do manobrista ter sido induzido também não procede. Afinal o serviço dele é garantir a segurança do carro. Não roubá-lo. Ou seja ele é pago para fazer o serviço dele direito. O que a matéria faz é simplesmente alertar os motoristas de que tem muita gente desonesta nesse mercado.

Responder

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 01h06

    O que o "sujeito" escreveu no Twitter – com altas doses de sarcasmo no momento que a matéria estava no ar – foi o seguinte: "Finalmente o Jornal Hoje sai em defesa dessa classe explorada, oprimida e roubada: os donos de carro de luxo que usam manobristas."

    Se a matéria "simplesmente" alertasse para os motoristas, o artigo não teria repercutido tanto, não concorda?

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 01h22

    E gostaria de deixar claro que os carros mostrados na reportagem são sim, todos de luxo…

    Silas

    15 de janeiro de 2012 às 16h10

    e qual a relevancia desse fato?

    isso justifica a atitude dos maus profissionais q roubaram os carros?

    qual o ponto? rico "tem mais é q ser roubado"?

    ridiculo!

    Luiz Carlos Azenha

    07 de janeiro de 2012 às 01h46

    Lee, me desculpe, mas eu simplesmente achei interessante o tema. Pessoalmente, acho que a Globo deveria ter tido o cuidado de proteger a identidade dos manobristas que flagrou cometendo os "delitos". Primeiro, porque a emissora criou uma situação artificial, uma espécie de armadilha, deu um incentivo, alterou a realidade. E não dá para dizer se o comportamento teria sido diverso se as moedas fossem em número menor, me entende? Se a Globo queria mostrar que alguns manobristas são desonestos, poderia perfeitamente demonstrar isso sem expor os manobristas específicos, que foram usados como num reality show. Sou repórter de TV. Não posso falar por colegas. Mas se as reportagens fossem minhas eu não teria identificado os manobristas desonestos. Bastava uma tarja no rosto para evitar que fossem expostos como bandidos para parentes e amigos, especialmente se eu, repórter, contribui com o que considero uma 'armadilha'. abs

    Gerson Carneiro

    07 de janeiro de 2012 às 05h44

    Há uma situação que poderá facilitar o entendimento do propósito do post sobre a matéria do Jornal Hoje. É aquela situação em que o patrão testa o empregado com pequenas armadilhas.

    A pergunta que faço a quem ainda não compreendeu a intenção do post é: como você se sentiria se descobrisse que está sendo testado por seu patrão em pegadinhas com moedas e chocolates?

    O mérito da questão que proponho não é a honestidade da pessoa, mas como ela se sente ao descobrir que está sendo submetida a teste vil.

    Minha opinião é a de que há gente desonesta. Inclusive em todas as profissões. E o mundo ficará insuportável se começarmos a desconfiar de todos.

    Ze Duarte

    07 de janeiro de 2012 às 07h29

    Meu amigo, não tem essa não… seja um bolo de moedas ou duas moedas é a mesma coisa. Ou você é honesto ou você não é. Ou você tem caráter ou você não tem.

    Quem rouba poucas moedas rouba muitas moedas.

    Entao os roubos dos políticos está justificado, pois eles são muito tentados a roubar, coitados…

    E tem mais que divulgar quem são os caras mesmo, assim as pessoas não vão deixar seus carros com eles.

    Depois o povo brasileiro reclama dos políticos, quando estes nada mais são do que o retrato fiel da sociedade…

    Guilherme Meirelles

    10 de janeiro de 2012 às 10h08

    Concordo integralmente com relação á identificação dos manobristas. Já o que você chama de "armadilha" é controversa bem como a suposta alegação jurídica de alguns missivistas. Um juiz certamente consideraria relevante no caso de furto de um sanduíche ou de um pacote de biscoitos, mas no caso de objetos ou dinheiro a questão envolve outras particularidades. Se eu deliberadamente deixar uma nota de US$ 100 no Shopping Iguatemi e ficar na espreita com uma câmera oculta provavelmente captarei o flagrante de alguém embolsar a cédula sem avisar o segurança ou o serviço de atendimento do shopping. Suponho que neste caso a identidade do espertinhos seria preservada e aí está o cerne da questão. No restante, o espírito da reportagem é correto e vai ao encontro do interesse da comunidade, que é o de alertar sobre manobristas desonestos.

Gerson Carneiro

06 de janeiro de 2012 às 22h27

ATENÇÃO! Atentem para o placar.

Matéria do Legendários exibida em 19/11/2011, feita também em São Paulo.

Não caíram no golpe 7 x 3 Caíram no golpe.

Matéria do Jornal Hoje, feita na mesma cidade:

Não caíram no golpe 2 x 8 Caíram no golpe.

Mais uma evidência de fraude na matéria do Jornal Hoje.

Responder

luiz antonio

06 de janeiro de 2012 às 21h25

Ainda "atordoado" pelas "revelações bombásticas" da Câmera do JH, onde verificamos os "enormes prejuízos" que esta categoria profissional – os manobristas – impõe aos incautos motoristas paulistas/paulistanos, fico a meditar se o JH não poderia ampliar esta prestação de serviço público, tornando o serviço ainda mais público e mais abrangente, mediante a instalação de milhares de câmeras e microfones._Onde instalar, onde não instalar, eis a questão…_Sugiro, apenas como uma modesta contribuição, os inúmeros gabinetes, espalhados por este país, de vereadores(as), deputados(as) (estaduais e federais) e senadores(as), pois também são cidadãos, apesar do foro privilegiado

Responder

Che

06 de janeiro de 2012 às 20h52

Pessoal, peraí! Vamos com calma. Essa reportagem (???) é REPETIDA, ou seja, REPRISADA!!! Eu a vi já faz uns dois anos, eu acho. Até pensei que o post fosse antigo, mas quando vi a data, eu não acreditei. O PIG repetiu a matéria feita pelos seus exemplares (???) jornalistas (???).

Responder

Ronald

06 de janeiro de 2012 às 20h42

Eu achei muito bem feito para esses caras! Não é de hj que abusam das pessoas,principalmente de mulheres e idosos, se foi feito de maneira certa ou errada existe o MP para resolver estas questões. Ninguém aguenta mais esses achacardores, chantagistas, muitas vezes, até mesmo traficantes…e por aí vai!!!! Que a globo é um lixo todo mundo, ou quase todo mundo, sabe! E ela já iniciou ataque aos flanelinhas também, outra turma que precisa de um corretivo já!

Responder

jmhal

06 de janeiro de 2012 às 20h38

"Não há uma auto-regulamentação efetiva, nenhum ordenamento jurídico para proteger o indivíduo contra o abuso do imenso poder social dos veículos de comunicação."

Opa, DirceuFriend Detected!!!

Responder

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 00h44

    Sabe o que é engraçado, é que eu – que não sou amigo de nenhum Dirceu – roubei essa frase do ministro Gilmar Mendes:

    "Segundo o ministro Gilmar Mendes, democracia e a liberdade de imprensa são indissociáveis. "Não se deve confundir a luta pela regulação da atividade jornalística com a tentativa autoritária de se restringir o direito à manifestação do pensamento", disse. O magistrado afirmou que no Estado Democrático de Direito a proteção da liberdade de imprensa leva em conta a proteção contra a própria imprensa. "É também tarefa dos órgãos de imprensa, reunidos ou associados, proteger o indivíduo contra o abuso do imenso poder social dos veículos de comunicação." http://www.aner.org.br/Conteudo/noticias/conferen

    Fernando Marés de Souza

Maria Libia

06 de janeiro de 2012 às 19h30

De uma coisa nós concordamos, ladrão é ladrão seja de i real ou de um milhão, não é conservador? Mas quem roubou mais de um trilhão também é um ladrão. Então a famglia Serra é o que? O mais interessante, conservador, é que ele roubou de toda a população brasileira. De mim que ganho salário mínimo, de você que deve ganhar mais, mas não vejo uma crítica contundente, partindo de você a respeito dessa ladroeira. O que é isto, admiração.?

Responder

Heitor

06 de janeiro de 2012 às 19h26

Vocês acham mesmo que a justiça brasileira vai defender manobristas contra os seus patrões (Organizações Globo). A justiça brasileira é uma vergonha.

Responder

Fernando

06 de janeiro de 2012 às 19h21

Será que a Globo vai devolver o dinheiro do esquema de corrupção da Fundação Roberto Marinho com o Ministério do Turismo?

Responder

christiane

06 de janeiro de 2012 às 19h07

Eu estou encafifada com uma questão… Por que raios os estacionamentos permitiram a instalação das câmeras e os flagrantes??? Estão querendo reforçar a imagem preconceituosa sobre os manobristas para se esquivarem da responsabilidade que eles deveriam ter sobre os bens dos seus clientes??

Responder

    christiane

    06 de janeiro de 2012 às 19h47

    Apaga, por favor, revi a reportagem e vi que a minha memória me traiu

José BSB

06 de janeiro de 2012 às 19h01

A reportagem não revelou qualquer novidade. A discussão acerca da invalidade do flagrante preparado é desconhecida pelo grande público, mas o forte apelo das imagens conquista a indignação dos usuários do serviço e garante a repercussão do "crime". Não obstante seja justo questionar os métodos empregados na produção da matéria, acredito que noticiou-se apenas uma prática bastante usual.

Responder

Daniel

06 de janeiro de 2012 às 18h47

Até fiquei com dó dos manobristas…

Responder

Arthur Schieck

06 de janeiro de 2012 às 18h22

Com tanto material pra fazer reportagens (o livro do Amaury, por exemplo) a globo tem que invenatar uma?!

Responder

    Janah

    07 de janeiro de 2012 às 16h44

    Esse é o desespero da globo. Não pode falar do livro por estar envolvida.

Fabio_Passos

06 de janeiro de 2012 às 17h28

A rede globo mostra que pratica mesmo um jornalismo bandido.

Responder

Gerson Carneiro

06 de janeiro de 2012 às 16h03

Não demora o Jornal Hoje vai colocar criancinhas na casa de pedófilos para mostrar como eles agem.

Responder

Antenor L moreira

06 de janeiro de 2012 às 15h06

Seria o caso a Globo pagar cachê aos manobristas envolvidos. Eles ajudaram a fazer a reportagem vendida à audiência, mesmo involuntariamente.

Responder

italo

06 de janeiro de 2012 às 15h05

A globo é maior que isso, eles poderiam armar um flagrante com banqueiros, senadores, quiçá com o PSDB. Porém o silêncio já beira o ridículo, o livro do Amaury vendeu muito, será servido à todos que tem fome de verdade, e a globo se porta como o restaurante que fecha para almoço. Será que vender esse tipo de informação não dá grana?. Se não for por dinheiro ou vingança, é por amor.

Responder

Eduardo Franca

06 de janeiro de 2012 às 14h21

Vocês não estão entendendo nada. Vou tentar explicar.
Existe, na Lei brasileira um dispositivo que diz: se alguem comete um crime, mas esse crime na verdade foi induzido por outrem, o ato NÃO É MAIS CONSIDERADO CRIME.
Isso não cabe discussão aqui, esta é a lei e ponto. "Ah, então se eu colocar uma mala transparente, cheia de dinheiro na rua, na tentativa de pegar algum ladrão, e alguem pegar a mala, essa pessoa não vai pra cadeia?? – EXATAMENTE!!!!

O que os bobocas do jornal hoje fizeram foi isso, indução ao crime. Você rechear um carro com dinheiro na esperança de flagrar um ladrão é indução. Ou seja, o que os flanelinhas fizeram não foi crime. Quer dizer, inicialmente sim, mas como tudo ali estava plantado, não foi crime.
Essa é a lei, não

Responder

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 01h12

    Valeu pelo esforço, Eduardo, mas quando a pessoa não quer entender, não vai entender nunca.

    Ze Duarte

    07 de janeiro de 2012 às 07h31

    Que BOBAGEM!!! Isso não existe… desafio você a citar este dispositivo de lei que você delirantemente inventou…

    Quer dizer que eu deixar uma mala de dinheiro é incentivo ao crime??? Que é isso? você pode sair metendo a mão nas coisas dos outros assim de boa? Essa é a educação que seus pais te deram?

    Pedro Soto

    07 de janeiro de 2012 às 09h34

    Disse tudo, Eduardo.

    Antonio Nunes

    09 de janeiro de 2012 às 13h27

    quer dizer q deixar moedas ou doces ou um GPS ou um lap top ou qualquer coisa NO MEU CARRO ao entrega-lo ao manobrista é "indução ao crime"?

    pela sua lógica então, ao entregar o próprio carro COM A CHAVE ao manobrista, se ele (o manobrista) roubar meu carro, a culpa é minha por ter "incentivado" o roubo ao entregar a chave do carro…

    pra vc então, roubo é questão de "oportunidade e incentivo"?

    pra mim, é questão de honestidade e carater!

    rapaz… não queria ser o seu vizinho!

    rsrsrsrs

    Guilherme Meirelles

    10 de janeiro de 2012 às 12h01

    Eduardo, a sua explicação é uma visão distorcida da lei e tal atenuante se aplica a casos específicos, como em situações famélicas ou de necessidade extrema. Antes de mais nada, como vai se provar que uma pessoa que deixou moedas ou a carteira no porta-luvas estava induzindo o outro ao crime? Ela pode simplesmente ter esquecido os objetos dentro do carro. Passar a mão na cabeça de cidadãos humildes por causa de pequenos delitos não me parece ser uma boa solução. Tampouco comparar tais delitos com crimes financeiros, sejam eles cometidos por tucanos, papagaios ou avestruzes.
    Sinto, mas as suas alegações, como a da "mala transparente" são risíveis e você deveria ter pensado duas vezes (ou consultado algum especialista) antes de posta-las.

Nilo Aguiar

06 de janeiro de 2012 às 13h56

Azenha será que a Globo utilizou métodos difundidos pela Fence na digestão Serra e no começo do desgoverno Alckmin no estado de São Paulo? Essa empresa é especialista em arapongagem e tem como norte para seu funcionamento o seu criador e mais ajuda de Marcelo Itagiba e como principal patrocinador o privatarista Padim Pade Cerra. É um escândalo o governo brasileiro não tomar providências contra esa mídia golpista! Falando em golpes, será quando o povão terá acesso as informações da investigação pedida pelo TCU contra a Fundação Roberto Marinho por se apropriar de mais de 18 milhões de reais e só prestar serviços referentes a menos de 5 e com isso provocar um pequeno desvio de recursos na casa de mais de 13 milhões de reais? Essa informações encontram-se no CAF (Confersa Afiada do PHA).

Responder

will

06 de janeiro de 2012 às 13h50

fiquei com uma puta vergonha de assistir essa reportagem. e bem como disse o excelente texto elaborado, o princípo da insignificância deve ser aplicado.
Uma coisa é certa: com a repercussão da reportagem, os furtos de balas e doces em automóveis nos estacionamentos vão diminuir drasticamente. Parabéns Anta Annemberg

Responder

FrancoAtirador

06 de janeiro de 2012 às 13h45

.
.
A responsabilidade civil por eventuais danos causados ao consumidor é da empresa empregadora,
inclusive se decorrentes de atos praticados pelo empregado no exercício das atividades laborais.
.
.
Código Civil – CC – L-010.406-2002
Parte Especial
Livro I
Do Direito das Obrigações
Título IX
Da Responsabilidade Civil
Capítulo I
Da Obrigação de Indenizar

Art. 932. São também responsáveis pela reparação civil:
I – os pais, pelos filhos menores que estiverem sob sua autoridade e em sua companhia;
II – o tutor e o curador, pelos pupilos e curatelados, que se acharem nas mesmas condições;

III – o empregador ou comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos, no exercício do trabalho que lhes competir, ou em razão dele; (!!!)

IV – os donos de hotéis, hospedarias, casas ou estabelecimentos onde se albergue por dinheiro, mesmo para fins de educação, pelos seus hóspedes, moradores e educandos;
V – os que gratuitamente houverem participado nos produtos do crime, até a concorrente quantia.
.
.
STF
Súmula nº 341 – 13/12/1963 – Súmula da Jurisprudência Predominante do Supremo Tribunal Federal – Anexo ao Regimento Interno. Edição: Imprensa Nacional, 1964, p. 149.

Presunção – Culpa do Patrão ou Comitente – Ato Culposo do Empregado ou Preposto

"É presumida a culpa do patrão ou comitente pelo ato culposo do empregado ou preposto"

http://www.dji.com.br/codigos/2002_lei_010406_cc/

Responder

    Ze Duarte

    06 de janeiro de 2012 às 17h30

    A democracia cubana desse site não permitirá meu comentário, mas você pra variar tá falando bobagem.

    Essa responsabilidade do empregador não afasta a do empregado, que responde de forma regressiva pelos prejuízos causados

Márcia

06 de janeiro de 2012 às 13h26

Fernando, parabéns pelo artigo! A matéria da Globo é tão podre (além de criminosa, ao que parece)que não informa quantos se apropriaram dos objetos, fala apenas que 19 (30%) vasculharam os carros. E o repórter conclui: "atenção motoristas, agora vocês sabem como eles agem" – jogando todos na mesma vala. Lamentável!

Responder

Caracol

06 de janeiro de 2012 às 13h14

Nenhuma novidade. A Globo está cheia de "manobristas".
Tem manobrista trabalhando nas ruas e tem manobrista trabalhando na Globo.
É tudo manobrista, trata-se de manobras.

Responder

Sandra Caballero

06 de janeiro de 2012 às 13h06

Será que é tão difícil perceber o óbvio. Será que os manobristas param o carro na rua porque tem preguiça de dirigir até o estacionamento ou por orientação dos patrões? Por que o rosto dos manobristas foi mostrado e o nome dos estacionamentos e seus respactivos donos poupados? Sou professora, se cometo um crime durante o exercicío da profissão, a escola onde leciono pode ser responsabilizada. Essa é a questão central do texto, porque o lado mais fraco foi exposto e os donos dos estabelecimentos poupados? E a conduta ética no exercíco do jornalismo não pode ser maleável e servir apenas em determinadas situações. VOU DAR RISADA QUANDO OS QUE DEFENDEM A CONDUTA DA EMISSORA FOREM A PRÓXIMA VÍTIMA.

Responder

Jorge Portugal

06 de janeiro de 2012 às 13h01

A globo só não acabou ainda por quatro motivos:
1º o Povo é bobo
2º o governo ainda o alimenta
3º por que não tem uma emissora a sua altura, só tem porcaria, o fracasso da Record em transmitir os jogos pan americano, no lugar de mostrar as disputas dos jogos, colocaram Rodrigo Faro.
4º A globo é dona do Brasil, eles fazem o que querem e ninguém faz nada.
Desse jeito a globo nunca acaba.

Responder

Marat

06 de janeiro de 2012 às 12h44

Queria ver a Globo fazer pegadinhas com certos procuradores, certos membros do STF etc., etc., etc…
A Globo adora pegar bagrinhos, mas é sustentada por tubarões!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Depois vem fazer apologias das reclamações de certas pessoas que foram grampeadas sem áudio…

Responder

    beattrice

    06 de janeiro de 2012 às 23h23

    Podia aproveitar o ensejo e filmar o tribunal de SP dedicado ao OPUS DEI, as reuniões por la podem ser interessantes e instrutivas.

Jicxjo

06 de janeiro de 2012 às 12h16

Enquanto esse jornalzinho de amenidades se preocupa com balas e moedas, esconde do público as privatarias e os banqueiros bandidos.

Responder

    Miriam

    06 de janeiro de 2012 às 17h17

    E o pessoal que se preocupa com os pertences subtraídos dos bancos do carro não tem a mesma preocupação com a subtração dos bancos em suas contas-correntes.

Gui MIlani (SP)

06 de janeiro de 2012 às 12h12

Não defendo a Globo. Detesto tudo o que ela representa. Mas defendo menos ainda pessoas de má índole. Fui criado pra não fazer o que esses "manobristas" fizeram. Então, me desculpe… Passar a mão na cabeça dos que abusaram da sorte é tão insano quanto beber querosene. O Brasil precisa parar de tratar vagabundo, seja pobre ou rico, como coitadinho, como vítima de um sistema injusto! Todos vivemos sob as mesmas regras, mas eu não faria o que eles fizeram. E você? Se é no meu carro eu eletrocutava o porta-objetos…

Responder

    Miriam

    06 de janeiro de 2012 às 17h28

    Gui, armar para prejudicar alguém, independentemente de quem seja, é muito ruim, é pior do que o que os sujeitos fizeram. As pessoas de boa índole fazem um esforço sincero para não julgar os outros.

    Jairo

    06 de janeiro de 2012 às 17h34

    VIVA O 155! FURTO PRA VIDA em sp! CRIME NA CIDADE

    Fátima

    06 de janeiro de 2012 às 18h07

    Desculpe, mas em nenhum momento há uma palavra defendendo o que os manobristas fizeram, e sim a maneira como a "reportagem" foi apresentada; eu vi e fiquei chocada. Fizeram parecer que todos os manobristas agem daquela maneira, resumindo colocaram todos no mesmo nível.

    Francisco Hugo

    06 de janeiro de 2012 às 18h19

    Pois é, Gui,
    você foi criado para eletrocutar!
    Vamos ao Aurélio:
    eletrocutar
    [Adapt. do ingl. electrocute < ingl. electro- (v. ele(c)tr(o)-) + (to) (exe)cute, 'executar' (ver).]
    Verbo transitivo direto.
    1. Proceder à execução de (um condenado) em cadeira elétrica (q. v.).
    2. Matar por meio de choque elétrico. [Sin. ger. (p. us.): eletrocutir.]

    Mas que bela criação!

Edemerson Aquino

06 de janeiro de 2012 às 12h11

Amigos,
não tenho nada contra essa matéria da Globo, pelo contrário. Pra quem já foi lesado por essa "categoria" duas vezes como eu, só tem que concordar por expor o que realmente acontece por aí. Acho que essas pessoas que estão se opondo a esse tipo de matéria é porque não sofreram isso na pele ainda. Quando sofrerem, garanto que mudam de opinião na hora. Até parece que esses "malandros" é quem são as vítimas, segundo o texto acima. Vc que escreveu esse texto, na minha opinião, tá querendo ser certinho demais. Tenho medo desses que querem ser muito puritanos. Vc tá defendendo o lado errado.

Responder

    Patricio

    06 de janeiro de 2012 às 16h33

    Não se trata de passar a mão na cabeça de manobrista nem nada. Se trata de escala. A organização criminosa começou assim, numa noite escura, fazendo coisas às escondidas, num acordo nupcial com a ditadura. Só que não tinha câmera por perto.
    Hoje, a Globo ergue e destrói pessoas num estalar de dedos. Invade qualquer espaço, no melhor estilo orwelliano, para flagrar um pacato cidadão ou um manobrista que rouba trocados. Mas se nega a filmar as falcatruas de seus colegas tucanos.

    Edemerson Aquino

    07 de janeiro de 2012 às 03h17

    Até parece que só porque é a Globo a matéria não vale. Também não suporto a Globo, mas temos que separar o bom do ruim.

    Renato

    07 de janeiro de 2012 às 21h13

    Quem rouba trocados não é mais ladrão é "pacato cidadão" ?
    Sabe porque a globo não filma os tucanos ? Em primeiro lugar, por razões obvias e em segundo lugar, por que quando a quadrilha deles está em ação, talvez não sejam tão burros quanto a quadrilha petista que se deixam filmar …

    Tania Silva

    07 de janeiro de 2012 às 00h21

    Caraca! Vc foi lesado por essa "categoria"????? Por TODOS os manobristas unidos? Nem me diga então qual sua profissão… posso já ter sido lesada por algum representante dela, e pra seguir sua linha de raciocínio ia ter que te chamar de bandido aqui no meio do salão. Francamente…

    Edemerson Aquino

    07 de janeiro de 2012 às 03h13

    Só desejo que vc não sofra na pele. E se vc ver um manobrista acabar de pegar o carro de uma pessoa e dar um cavalo de pau dentro do próprio estacionamento? Então… eu vi isso! O cara ainda saiu rindo. Até hoje fico indignado com aquela cena. Agora cuidado!!! Carro de mulher é o que mais sofre com essa "categoria".

    Janah

    07 de janeiro de 2012 às 13h46

    Eu tb vi no filme "Curtindo a Vida Adoidado"

    Gerson Carneiro

    07 de janeiro de 2012 às 05h16

    "Tenho medo desses que querem ser muito puritanos" – Edemerson Aquino.

    Então você tem medo do Evaristo Costa e da Sandra Annenberg.

    Vou te contar: medo daqueles dois eu não tenho, apenas não confio. Principalmente no falar manso de ambos, deixando transparecer sedução.

José Vitor

06 de janeiro de 2012 às 11h40

Eu nem vou perder meu tempo com a Globo, que se preocupa tanto com os manobristas mas não acha interessante as offshores da Verônica Serra.

Só quero dizer que se eu fosse um famoso da Globo daqui em diante eu teria muito cuidado ao tratar com manobristas. E não estou nem falando das vingancinhas pessoais (um riscadinho aqui, um riscadinho ali). Estou falando de não dar mole, não sair da linha, porque senão, quem sabe, de repente aparecem vídeos comprometedores no Youtube…

Aliás, é uma oportunidade perfeita (para quem estiver interessado) para dar o troco à Globo: registrar esse flagrante de algum famoso da Globo e colocar no Youtube. Conseguir isso não seria muito difícil, poderiam ser usadas as mesmas técnicas que a Globo usa ao montar seus flagrantes. :)

Responder

Breno Gonzaga

06 de janeiro de 2012 às 11h37

Bom texto e também acho que foi desnecessária a exposição das imagens dos errantes. Acho que cabe uma ação por dano moral. Mas não concordo que os manobristas são vítimas. Não fosse a atitude anti-profissional e anti-ética deles, o Jornal simplesmente não teria matéria. Quando a pessoa tem caráter, ela devolve os cinco centavos que recebeu a mais do troco da padaria. É o que mais falta na cultura tupiniquim.

Responder

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 01h20

    Breno, são vítimas sim. Vítima não é necessariamente alguém ético ou inocente.

    "O termo vítima vem do latim victimia e victus, vencido, dominado. No sentido originário, vítima era a pessoa ou animal sacrificado aos deuses no paganismo. Atualmente, a palavra vítima se estende por vários sentidos. No sentido geral, vítima é a pessoa que sofre os resultados infelizes dos próprios atos, dos de outrem ou do acaso."

    Gerson Carneiro

    07 de janeiro de 2012 às 05h52

    "Quando a pessoa tem caráter, ela devolve os cinco centavos que recebeu a mais do troco da padaria. É o que mais falta na cultura tupiniquim"

    Não sei se é o que mais falta, mas esta carência ocorre em qualquer parte do mundo em que há ser humano.

    E há um outro lado: quando se trata de centavos fica mais fácil de protagonizar aquela exibição intencional de honestidade. O que para mim é fator de desconfiança.

CLÁUDIO LUIZ PESSUTI

06 de janeiro de 2012 às 11h14

Se havia tentação ou não, se foi provocado ou não, os manobristas invadiram os carros alheios e pegaram coisas alheias.O cara não tá lá para trabalhar ao invés de roubar, não é isso que eles falam?"tô trabalhando, ao invés de roubar".Ora, e os direitos do consumidor?Se estaciono num local que tem manobrista, deve ser um estacionamento pago, para ter segurança.Aí tá lá aquela placa"não nos responsabilizamos por objetos deixados dentro do veículo" porquê, os próprios manobristas é que roubam?É como se fosse um "direito adquirido" dos caras, roubar objetos?E a honestidade da "Classe C" tão incensada hoje em dia?Ora, preparado ou não, os caras cometeram crime.O resto é sofisma.

Responder

    will

    06 de janeiro de 2012 às 17h12

    estão matando moscas com bala de canhão entendeu?
    e atiram bolinhas de papel em dinossauros e tubarões.

    essa é a inversão.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    07 de janeiro de 2012 às 09h58

    E , pois e, quando roubarem um objeto dentro do seu carro, vai lembrar da reportagem e pensar, "poxa, que coisa hein".Olha, este negocio de "roubar pouco tudo bem" já foi aplicado com o jogo do bicho:DEU NO QUE DEU.Os brasileiros confundem as coisas.Uma coisa e lutar pela punição dos tubarões, outra coisa e chancelar outros crimes porque são "menores", "feitos por gente humilde".Bobagem.Alias, todo mundo "desce a lenha " porque passou na Globo. Senão, o assunto nem teria maior repercussão.

    Jorge

    09 de janeiro de 2012 às 08h45

    O problema não é este: se os métodos usados para a reportagem são escusos, então todo o resto é escuso. Explico: será que realmente as personagens da reportagem existem ou fazem parte do bem aparelhado "cast" da emissora? Vindo dessa emissora, pode se esperar tudo!…………

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    09 de janeiro de 2012 às 11h33

    hahah, piada, ta parecendo aqueles juizes dos tribunais superiores , que por causa de um erro na investigação, inocentam todos os corruptos, como ocorreu na Boi Barrica, na Satiaghaha, na Castelo de Areia.Os caras cometeram crimes , furtaram objetos, tem que ser punidos.Os estabelecimentos também , pois são coniventes com isso.Ou seja , todos devem ser punidos.E mostrados a opinião publica, todos.Este que deveria ser o mote, e não, "ah , deixa la porque roubaram pouca coisa", "são pobres" não sei o que.Isto sim e populismo barato.Alias, e sintomático que querer que criminosos sejam punidos tenha recebido tantos negativinhos dos manes, depois querem que o Brasil mude…

LucAC

06 de janeiro de 2012 às 11h13

Não concordo com isso de induzir ao cime, como já falaram aí, uma pessoa correta não roubaria nem se tivesse mil reais ao seu lado. A tal reportagem também mostrou outras irregularidades como o mal cuidado com o carro dos clientes(teve até corrida entre os manobristas). Não gosto da Globo mas acho que vocês deveriam mostrar o lado bom e o ruim da reportagem.

Responder

Almir

06 de janeiro de 2012 às 11h07

Euu vi a reportagem. Tinha até um delegado assistindo a tudo e dando entrevistas aos repórteres.
Mas peraí: por que o dr. delegado não prendeu os "larápios flagrados"?

Ora, não prendeu porque ali não houve crime algum. Uma coisa é uma câmera flagrar um assaltante de uma joalheria (que nesse caso tem o controle da situação); outra coisa são os manobristas "pegos em falgrante provocado", os quais não tinham nenhum controle da situação mostrada na reportagem premeditada.

Um aviso: a próxima vítima desse tipo de reportagem pode ser você. Como será isso? Quando ocorrer você saberá.

Responder

cacau

06 de janeiro de 2012 às 11h04

Azenha?
Eu só acreditaria na reportagem se ela citasse que nem todos os manobristas são ladrões, tenho certeza que muitas imagens de manolbristas que não furtaram nada foram simplesmente ignoradas pela matéria e jogadas no lixo.
Será que um percentual de gente que pratica delito em uma corporação, que creio deve ser mínimo, pode comprometer o trabalho de tantos outros honestos?
Ou será que uma reportagem desonesta pode comprometer por exemplo a reputação de uma rede de televisão como a Globo?
Minha inteligência não me deixa crer em tudo que é simplesmente jogado ao ar.
Abraços de Curitiba e parabéns pelo seu excelente blog.

Responder

Jair de Souza

06 de janeiro de 2012 às 09h47

Os defensores do grande capital são energicamente contra a prática de crimes, sempre e quando se tratem de crimes do tipo captado pelas microcâmeras da Globo nesse estacionamento: roubos de pouca monta, praticado por gente modesta. O que não dá para imaginar é um representante ou defensor do conservadorismo capitalista apoiando ou pedindo a instalação de câmeras ocultas para flagrar as ações de grandes banqueiros (tipo DD, por exemplo) ou gente de igual quilate. Até agora não apareceu nenhum elemento simpatizante do conservadorismo capitalista para condenar as ações da quadrilha que dilapidou o patrimônio público nacional, conforme citado e documentado em A Privataria Tucana. Não poderia ser diferente, pois para o conservadorismo capitalista, aí não se trata de nenhum crime. É simplesmente o legítimo exercício da genialidade e do espírito empresarial de algumas pessoas.

Responder

O Golpe do flagrante em manobrista. Cadê a Ética ? | Conversa Afiada

06 de janeiro de 2012 às 09h40

[…] Saiu no Viomundo: […]

Responder

jorge santos

06 de janeiro de 2012 às 09h32

Estranha essa " denuncia".

Quer dizer que se uma camera mostrar um assassinato isso pode ser considerado invasão de privacidade do criminoso ???

Estranha essa inversão de valores no Brasil.

Responder

    Jair de Souza

    06 de janeiro de 2012 às 12h32

    É verdade, Sr. Jorge Santos. Estou plenamente de acordo com o senhor. Num país onde os grandes ladrões são apresentados pela mídia corporativa como herois, empreendedores genais, dignos de admiração, aparecem alguns "babacas" querendo dar igual tratamento aos que roubam doces e moedinhas em estacionamento. É de fato uma total inversão de valores. A gente vê no livro A Privataria Tucana, do Amaury, e em O Brasil Privatizado, do Aloysio Biondi, que roubar em grande escala é que é realmente digno. Não podemos tolerar ladrões pés-de-chinelo. Devemos admirar gente do tipo de DD, da famiglia JS e assemelhados. Repito, estou com você e não abro. Vamos acabar com os pequenos roubos. Só os grandes merecem continuar (e se possível aumentar). Parabéns!

    Wildner Arcanjo

    06 de janeiro de 2012 às 12h44

    Bem, neste país é bem mais fácil o pé de chinelo ser preso doque o de colarinho branco por um simples fato, eles têm dinheiro, prestígio e conhecimento para se defender na justiça. Será que algum dos flanelinhas ou manobristas das filmagens têm dinheiro, prestígio ou conhecimento de que podem acionar juridicamente o jornal por, no mínimo, danos morais? No mais, não me venham com bobagens.

ProfeGélson

06 de janeiro de 2012 às 09h25

Azenha, vide acima, pra alguém sempre vai servir o chapéu…

Responder

Aline C Pavia

06 de janeiro de 2012 às 09h19

Como é bom não assistir a Globo, há vários anos.

Responder

Bruno

06 de janeiro de 2012 às 09h16

É só o que faltava: defender ladrão pego em flagrante, com áudio e vídeo.

Responder

    Janah

    06 de janeiro de 2012 às 11h31

    E o Serra e quadrilha ilimitada o que é que é? (documentado) Por que a sá globo ainda não não deu o nome dos verdadeiros ladrões do Brasil? Ladrão de doce…tem dó!!!!!!

    Sergio

    06 de janeiro de 2012 às 14h30

    E o lulinha? suas fazendas, a OI… ninguém fala nada…..

    Janah

    06 de janeiro de 2012 às 16h35

    Solicite a globo para que faça uma reportagem sobre o lulinha e A Privataria Tucana. Tudo documentado. E que tal ir mais fundo com a lavanderia da globo?!

    Paulo Roberto

    06 de janeiro de 2012 às 11h53

    É muito tacanho, mesmo. Leu o texto (ou não leu?) e não entendeu nada.

Daniel Campos

06 de janeiro de 2012 às 09h12

Discordo. A existência de uma "tentação" não é, nunca foi e nunca poderá ser desculpa para uma pessoa cometer um crime. Se todos pensassem assim então qualquer um poderia ir em uma joalheria e levar embora o que estivesse encima do balcão "porquê está exposto ali em tentação".

Uma pessoa de caráter pode ver mil reais encima do banco do carro e mesmo assim não pegaria o dinheiro, porquê sabe que o dinheiro NÃO é dele e sim do dono do carro.

Responder

Juce

06 de janeiro de 2012 às 09h06

se o manobrista fosse honesto não pegaria a moedinha, mesmo que o caro estivesse abarrotado.

Responder

    Paulo Roberto

    06 de janeiro de 2012 às 11h59

    Mas também não é por isso que devemos julgar que TODOS os manobristas são larápios, como tenta induzir a reporcagem.

    Klaus

    06 de janeiro de 2012 às 12h19

    No final da reportagem os jornalistas disseram que apenas 19% (ou algo asssim) dos manobristas apresentaram irregularidades. Se não estou enganado (tava cochilando na hora), haverá uma reportagem sobre os manobristas honestos.

    Patricio

    06 de janeiro de 2012 às 15h44

    Estava enganado, fräulein Klaus. O senhor sempre esteve cochilando.

    Miriam

    06 de janeiro de 2012 às 17h07

    ha ha ha ha ha ha! Tem certeza que você não está cochilando agora?

Juce

06 de janeiro de 2012 às 09h05

O jornal hoje é uma M. mas porque o manobrista furtou, se percebeu que era armadilha ainda é mais mané. Só falta agora tentar defender manobrista furtador.

Responder

Fabio SP

06 de janeiro de 2012 às 08h35

Devia se fazer um post defendendo as babás que batem em crianças e velhos e são flagradas por microcâmeras também…

Desonesto é desonesto, com 1 real ou 1 milhão…

Responder

Teacher Ramos

06 de janeiro de 2012 às 08h16

Concordo plenamente com o texto na questão do abuso e da impunidade da mídia, da necessidade urgente de uma lei que regulamente a comunicação no Brasil e no absurdo que é a mídia fazer reportagens sensacionalistas com merendeiras e manobristas e esquecer o "Privataria". Agora, que o comportamento dos manobristas foi delituoso, isso foi. Se você entrasse em um carro que não lhe pertencesse e lá estivesse um monte de moedas, você pegaria alguma, independentemente de ser uma pegadinha ou não?

Responder

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 01h10

    Não digo que "não houve delito". Digo que houve um "delito putativo", que não é crime…

Ramalho

06 de janeiro de 2012 às 08h09

O articulista gasta tempo, massa cinzenta e digitais para mostrar que os manobristas não cometeram crime e que, ao contrário, são eles as vítimas; e vem um energúmeno qualquer politizar questão técnica com a estupidez e superficialidade que são próprias dos dos direitistas – se o pacóvio pode politizar, também posso. Para estes, a culpa sempre é do mais fraco.

Responder

@ToniRicardoES

06 de janeiro de 2012 às 07h58

O método é parecido com o teste de fidelidade do João Kleber. Uma mulher bonita se oferece para a vítima e se espera dele um comportamento exemplar.

Responder

Gerson Carneiro

06 de janeiro de 2012 às 07h53

Conclusão: manobristas são tão confiáveis quanto a maioria dos repórteres do PIG.

Responder

denis

06 de janeiro de 2012 às 07h49

essa gente que trabalha na globo, e se diz( reporteres, apresentadores, comentaristas etc), são serviçais, fazem o que o patrão manda. Não têm ideologia.

Responder

Gerson Carneiro

06 de janeiro de 2012 às 07h41

Vamos lá. Vamos dissecar a “reportagem investigativa” do Jornal Hoje.

Matéria descaradamente copiada do programa Legendários da TV Record, que não é programa jornalístico, e foi exibida em 19/11/2011.

Vi a reportagem do Jornal Hoje no youtube. É notória a satisfação na cara dos dois apresentadores com o flagrante de pecado dos manobristas.

Gostaria de ver um teste de honestidade se fosse colocada uma câmera escondida na bancada do Jornal Hoje. No mínimo pegaria flagrante como aquele do William Bonner imitando o Clodovil.

[youtube 0RWCAm2XuAQ http://www.youtube.com/watch?v=0RWCAm2XuAQ youtube]

<img src=http://www.frangoinsano.com.br/wp-content/uploads/2011/10/que-deselegente-sandra-annernberd.jpg>

Responder

    Raphael

    06 de janeiro de 2012 às 22h07

    Além de expor individualmente os manobristas, a edição desta quinta-feira, dia 05, colocou dois representantes patronais falando em demissão "por justa causa".
    Vergonhosa essa reportagem investigativa!
    Esqueceram de investigar como é feita esta contabilidade, por exemplo. Pois a atividadedeve movimentar muita grana! Queria saber. Fiquei na expectativa de ver isso e não vi.
    Serviço com seguro e sem seguro, isto funciona como, o que cobre? Já usei vallet e sei que são caros. Se a firma ta usando a rua e diz que usa estacionamento. Como funciona isto na contabilidade delas?
    Um automóvei pode estar em dois lugares ao mesmo tempo? Os estacionamentos emitem recibos aos operadores de vallet? Façamos as contas. Os manobristas, os seguranças são registrados (além de treinados?). Enfim.

    Concordo com o colega, essa reportagem não acrescentou em nada em relação aquela apresentada pelo Legendários. Parece que esse modos operandi da direção de jornalismo da globo esta deixando muita gente broxada lá.
    Mobilizaram uma grande equipe pra matéria, pena chegar ao ar aquilo.

    @roteirodecinema

    07 de janeiro de 2012 às 01h09

    Não sabia que além de antiética era requentada e kibada de programa do Marcos Mion. Valeu, Gerson.

Marat

06 de janeiro de 2012 às 07h41

A ocasião faz o ladrão… Cabe a todos nós e, em especial à banda não-podre da Polícia Federal vigiar os passos dos jornalistas que ganham dinheiro dos consulados estadunidenses para fazer matérias favoráveis ao império do IV Reich.
A PF deveria usar até microcâmeras para os flagrantes!

Responder

Ze Duarte

06 de janeiro de 2012 às 06h40

Quanta asneira!!!

Não sabe nem diferença de flagrante preparado pra flagrante esperado! No preparado sequer há consumação do crime!

Quer dizer que se eu deixei meu carro com moedas e o manobrista rouba é porque eu o induzi ao crime?

Deve ser por isso que os esqueridstas acham tão normal roubar dinheiro público, pois o dinheiro estar ali pronto pra ser pego era apenas um cenário preparado…

Mais um desserviço deste blog à sociedade, impressionante.

Qual a próxima, defender os flanelinhas?

Responder

Francisco

06 de janeiro de 2012 às 04h54

Querido conservador316,

O texto do articulista acima foi colocado apenas para testar sua reação. Sim, nós sabemos exatamente quem você é. Na verdade estamos monitorando sua família há meses e descobrimos que a sua irmã vem praticando pequenos roubos em vários estabelecimentos da cidade. Como estávamos na dúvida sobre que fim dar à vida dela, fizemos este teste, induzindo o colunista a escrever o texto acima.

Com a sua reação ficamos convencidos que a sua irmã deve ter o que merece: roubo não tem desculpa e ladra não merece perdão ou contemplação. Nunca. Não se preocupe, nós sabemos onde ela estuda.

PS. Espero que você não tenha ficado preocupado com a nossa "reportagem", Conservador316! Essa mensagem é só uma "pegadinha" (ou câmera oculta, se preferir). Não sei quem é você (nem quero saber), nem quem é sua irmã, ou família. Siga sua vida em paz. Apenas tente se lembrar, você nunca "sumiu" com um chocolate ou caramelo? Desempregar um pai de família é tão importante quanto "salvar" um caramelo?

E principalmente: nunca vi tanto empenho da Globo em flagrar delito de alguém que tenha (de fato) "dentes".

Vocês sabem o que quero dizer…

Responder

CC.Brega.mim

06 de janeiro de 2012 às 02h50

o texto é ótimo..
mas a reportagem não é nova
ou talvez tenha sido refeita..
quem se lembra?

Responder

Fernando

06 de janeiro de 2012 às 02h23

Rapaz, dessa vez eu não tenho absolutamente nada contra à Globo.

No contexto, é claro que não se pode imputar qualquer crime aos flanelinhas, nem sequer um ilícito civil, devido justamente a preparação especial da situação e mesmo que pudéssemos realizar tal imputação, não sei se valera a pena condenar criminalmente alguém pelo furto de uma balinha ou uma pequena quantia em moedas.

Contudo, não é novidade que a situação demonstrada na reportagem pode acontecer, não custa nada prevenir, pelo contrário, pode evitar uma dor de cabeça no futuro.

Responder

    Janah

    11 de janeiro de 2012 às 14h17

    "Contudo, não é novidade que a situação demonstrada na reportagem pode acontecer, não custa nada prevenir, pelo contrário, pode evitar uma dor de cabeça no futuro."
    De fato. Mas me preocupa mais é o Serra e quadrilha continuarem livres leves e soltos por aí.
    PS. DD e quadrilha idem

PCMonteiro

06 de janeiro de 2012 às 02h18

Companheiros, devo discordas de suas aplicações. Ladrão é ladrão e não se fala mais nisso. Ladrão bom é ladrão morto!

Responder

    Klaus

    06 de janeiro de 2012 às 11h14

    Preso bastava.

    Sandra Caballero

    06 de janeiro de 2012 às 13h11

    Por que então ainda não cometeu o suicídio?

    Janah

    07 de janeiro de 2012 às 00h43

    Fala isso para o serra e famiglia

Polengo

06 de janeiro de 2012 às 02h16

E para os reacionários, a culpa nunca é deles.

Responder

Conservador316

06 de janeiro de 2012 às 01h38

Esquerdista defendendo criminosos? Normal.
Para os esquerdistas a culpa nunca é do criminoso. A culpa é do "sistema".

Responder

    Valdeci Elias

    06 de janeiro de 2012 às 03h51

    Direitista defendendo o PIG ? Normal.
    Para o direitista a imprensa é dona da verdade. O acusado é que tem que provar a inocência.

    EUNAOSABIA

    06 de janeiro de 2012 às 05h06

    Gostei do seu Avatar… Reagan detonou com a URSS e detonou com o comunismo que essa gente tanto adora sem disparar um só tiro…

    Só a título de curiosidade… Reagan seguiu aquilo que os economistas chamam de "economistas do lado da oferta""…. explico depois… isso produziu déficts públicos gigantescos….mas contribui para afundar os Russos.

    Outra coisa….o que acabou com a URSS foi a triplicação do orçamento militar americano feito na era Reagan, os Russo jogaram a toalha…. não tinham como competir… eles já operavam num ponto muito alto da CPP….não tinham mais como expandir seus gastos… se renderam mesmo.. já era pros comunas… melhor pra eles…. que podem comprar seus Ford Explorer e SUV Dodge….se tornaram colonizados… os nossos comentaristas do blog não usam nada da IBM, Aple, Microsoft, Intel, … nem hardware sem software… não colonizado é outro naipe….não sabem o que é um notibook da HP e tãoo pouco o intel centrino, não usam Windons, Oficce… outlook… nada…. 100% of colônias…

    Volto ao tema dos flanelinhas depois de ler as sandices dos camaradas de Stalin….

    pedrusco

    06 de janeiro de 2012 às 11h22

    China, Irã e Rússia já estão negociando petróleo com outra moeda que não o dólar. O Saddan foi enforcado porque se atreveu a fazer isso. Vamos ver se os gringos vão enforcar os presidentes destes paises "terroristas". A mamata está acabando, o dólar vai literalmente ficar "furado", e aí veremos a potência do norte como fica depois de perder a maquininha de fabricar dinheiro.

    EUNAOSABIA

    06 de janeiro de 2012 às 12h44

    Manja muito de economia hein véio?

    Sabes onde fica o maior estoque de ouro extraído da terra?… sabes a relação entre esse ouro e o valor intrínseco de uma moeda?

    Sabes a diferença entre a produtividade da mão de obra de um americano e um Chinês?

    Sabes por que por exemplo a Arábia Saudita do Etanol de Lula foi pro vinagre o hoje nós estamos é importando álcool combustível deles?,… ficou oito anos em cima de um palanque gritando que iria inundar o mercado americano de Etanol se a taxação fosse retirada, foi retirada e hoje viramos foi importador deles…

    Rapaz, vocês passam o dia inteiro aqui torcendo para que os EUA seja destruído, mas eu duvido que se alguém jogasse um Green Card no peito de vocês, que vocês não saíram correndo pra lá.

    Outra coisa, uma economia com um fantástico estoque de capital físico e principalmente humano, vai afundar de uma hora pra outra assim como???

    Nenhum país do mundo tem um estoque de capital dessa importância, ou tem? Qual?

    pedrusco

    06 de janeiro de 2012 às 13h17

    Então por que enforcou o Saddan e assassinou o Kadaffi?Nem precisava, né! Com um fantástico capital fisico e humano destes. O capital maior deles é de puxa-sacos e traíras como vc ENS. Ah, o padrão-ouro foi extinto há muito tempo, e por eles mesmos. Ouro o Brasil tem de sobra em suas reservas, e na África pobre tem muito mais.

    Kid Prado

    06 de janeiro de 2012 às 16h38

    Oi Pedrusco
    o nick deste cara é tão sugestivo! Eu diria melhor, seria muito adequado se ele não restringisse o tempo de verbo (no pretérito). Realmente ele ignorava, ignora e ignorará. Só tem um mérito para mim: a assiduidade rígida com que aparece aqui para expelir asneiras.
    Com este cara consegue ser tão idiota assim "24 four hours a day" (como falam seus amigos do north) ?

    Lacerda

    06 de janeiro de 2012 às 11h52

    Porque a globo não prepara um flagrante desses para o clã Serra, Fhc( o corno manso) e outros asseclas da direitona ..!!!.Tem tanta gente que precisa !!!!! Ela só usa os métodos imorais contra manobristas, merendeiras e garis (como a velha Boris Caxoy), porque não usa contra as empresas, porque sabe que poderá pagar multas pela sua criminalidade provocada…..

    ana

    06 de janeiro de 2012 às 22h30

    caraca, quanta bobagem. rssss. o cara era só um péssimo ator e como presidente foi um desastre. nem os babacas aguentaram tanta idiotice.

    Gerson Carneiro

    06 de janeiro de 2012 às 05h53

    "A ignorância é vizinha da maldade"

    Provérbio árabe, tantas vezes difundido por Renato Russo.

    Almir

    06 de janeiro de 2012 às 09h12

    Ô neobabacão,

    No caso dos "manobristas flagrados" ocorre um flagrante preparado, que não é flagrante. Segundo o Direito Penal, as condutas induzidas pelo flagrante provocado não constituem crimes. Isso signfica que os manobristas não são criminosos, como você imagina e acredita.
    Ou seja, aqui não há esquerdista defendendo criminosos. Há Neobabaca manipulado pela redebobo de enganação: você.

    Klaus

    06 de janeiro de 2012 às 09h35

    E, aproveitando, atacando a Globo. Você é novo por aqui?

    Ze Duarte

    06 de janeiro de 2012 às 09h43

    Por isso eu não deixo minha carteira perto de esquerdista. Ele vai me roubar e dizer que eu o incitei ao crime e a culpa é minha. Se duvidar ele é quem vai me processar!

    Renato

    06 de janeiro de 2012 às 09h52

    Concordo em genero, número e grau.

    LuisCPPrudente

    06 de janeiro de 2012 às 11h14

    Discordo em gênero, número e grau.

    A famiglia Marinho poderia armar uma dessas contra o Nosferatu Cerra, também poderia fazer isto contra um dos seus sócios, o Ricardo Teixeira. No círculo de amizades da famiglia Marinho há muitos exemplos para serem mostrados de como o cidadão acima de qualquer suspeita rouba o patrimônio público ( vide a tal ong da famiglia Marinho que tomou dinheiro do Ministério do Turismo).

    augusto

    06 de janeiro de 2012 às 09h57

    Eu vejo muito a esquerda defendendo 'criminalizados. E os satanizados. Isso é comum : ainda bem.
    Agora conservadores do tipo 316 na defesa de satanizadores, isso é padrão.

    Luciana Fröhlich

    06 de janeiro de 2012 às 10h37

    HEIN???
    Fernando Marés de Souza está ATACANDO os criminosos. Ele, diferente de ti, é até objetivo, fundamenta sua visão mostrando os artigos infringidos.

    Não basta ler, tem que entender. Para te ajudar a não passar mais vergonha, segue uma vídeo-aula sobre interpretação de texto. Faça o curso completo, você tá precisando. http://www.youtube.com/watch?v=o4PzMO5i9xI

    artenatureza

    06 de janeiro de 2012 às 10h42

    Sem querer apertei o positivo queria apertar o negativo sendo assim fica ai minha opinião:
    Lei da mídia já e reforma no judiciário urgente!!!
    Onde tem tukano demo e a velha mídia o povo sofre ao cubo!!!

    Miriam

    06 de janeiro de 2012 às 12h46

    Eu ia ignorá-lo por motivos óbvios, mas dei o meu negativinho para neutralizar o seu.

    LuisCPPrudente

    06 de janeiro de 2012 às 19h51

    Ley de Medios Já!

    Reforma do Judiciário também!

    CPI da Privataria .

    Alexandre Felix

    06 de janeiro de 2012 às 11h49

    Esquerdista foi ótimo! Esse avatar do Ronnie Reagan também! (É ele mesmo? Sou míope…) Cabra bom, sua mãe deve ter um orgulho danado de você. Tenho uma sugestão: seja mais atual, troque o Ronnie pela Sarah Palin…combina mais contigo.

    Klaus

    06 de janeiro de 2012 às 12h21

    Hipermétrope…

    Alexandre Felix

    06 de janeiro de 2012 às 15h21

    Também…"la vecchiaia è brutta " . . .

    Kid Prado

    06 de janeiro de 2012 às 16h25

    O Conversador é o protótipo daquilo que meu avô chamava de "barrigada perdida": Uma mãe carregar isto por nove meses na barriga, pé inchados, dores na coluna, estrias nas bochechas, varizes nas pernas, enjôos, vontade de comer tijolo e tantos outros sofrimentos e sacrifícios e depois criar com muito trabalho e carinho para resultar nisto que vocês estão vendo.
    É muito triste…

    LuisCPPrudente

    06 de janeiro de 2012 às 19h44

    É triste mesmo isto.

    Fátima

    06 de janeiro de 2012 às 18h30

    Pelo seu comentário, você é craque em interpretação de texto. Parabéns. Acorda, ninguém aqui esta defendo criminoso e sim o modus operante de um fato.

    Daniela

    07 de janeiro de 2012 às 00h03

    Isso mesmo, só um sistema corrupto e desumano como o capitalismo para produzir tantos crimes e corrupções. Por isso que existe a polícia, as leis para proteger os verdadeiros bandidos criadores do sistema, se não o povo não aceitariam viver nessa escravidão moderna capitalista, que só visa o lucro para uma minoria corrupta e safada. E os direitistas como sempre defendendo os privilégios que ostentam em nome da democracia. Hipócritas, sempre culpam o homem pela miséria que o sistema fabrica. Fingem de cegos, para continuar com a exploração, opressão, com os privilégios. Ai daqueles que são contra o sistema, são chamados de loucos, terrorristas, etc.. Até quando a maioria oprimida vai continuar dormindo e sendo massacrada por essa gente gananciosa e podre.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.