VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

O estudante espancado até a morte em Mato Grosso


23/09/2011 - 20h04

Universitário é espancado até a morte por policiais em MT

Estudante de Guiné-Bissau foi espancado em pizzaria em Cuiabá

23-09-2011 13:58, no Meio Norte.com, via Marco Aurélio

Um estudante africano que cursava economia na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) morreu após ser espancado na noite desta quinta-feira (22) em uma pizzaria localizada no bairro Boa Esperança, em Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, dois policiais militares, ambos de 24 anos, e mais um empresário que é filho de um delegado aposentado, de 27 anos, são suspeitos de espancar o universitário até a morte.

A Polícia Civil informou que a vítima identificada como Toni Bernardo da Silva chegou ao estabelecimento por volta das 23h desta quinta-feira. No local, ele começou a pedir dinheiro aos frequentadores da pizzaria. Em uma das mesas, o universitário esbarrou em uma mulher. O namorado dela, o empresário de 27 anos, e os dois PMs que estavam à paisana no local, retiraram à força o universitário do estabelecimento e começaram a agredi-lo com socos e pontapés.

Uma moradora que reside ao lado do estabelecimento tentou apartar a briga, mas não conseguiu. Não houve tempo para ninguém prestar socorro à vítima, que acabou morrendo no local.

Os suspeitos foram autuados em flagrante e vão responder na Justiça pelo crime de homicídio. Na manhã desta sexta-feira (23) eles prestaram depoimento na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na presença do representante da Corregedoria da Polícia Militar. Em depoimento, eles disseram que apenas imobilizaram o rapaz.

O corpo da vítima está no Instituto Médico Legal (IML) e passa por exames periciais. Segundo o órgão, o laudo inicial do corpo do estudante aponta que ele foi morto por asfixia devido a uma lesão na traqueia. O corpo do estudante ainda será submetido a exames toxicológicos e de alcoolemia, já que há a suspeita de que ele estaria embriagado.

A Assessoria de Relações Internacionais da UFMT ainda vai se manifestar sobre o ocorrido. O estudante é natural de Guiné-Bissau, país localizado na costa ocidental da África, mas residia em Cuiabá há sete anos. Ele e mais um grupo de guinenses estavam fazendo intercâmbio em Cuiabá para estudar na UFMT. A Polícia Militar informou que vai investigar administrativamente a conduta dos dois policiais militares suspeitos de envolvimento no assassinato.

Leia também:

Em vídeo, as aventuras de Ricardo Teixeira

MST celebra conquistas em negociação com o governo Dilma

Independent: Como Israel se vinga de meninos que atiram pedras

Carta-denúncia: Como a ONU derrubou um governo ilegalmente

Pepe Escobar: Imperialismo ‘humanitário’ vai terminar em pilhagem

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



71 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Brazil: Protest Condemns Violent Death of African Student :: Elites TV

02 de outubro de 2011 às 13h01

[…] an audio interview with a Cape Verdean student in Cuiabá, a friend of Toni's, telling a “version that the media doesn't show” about the […]

Responder

Maristela

25 de setembro de 2011 às 20h31

http://lucasninno.tumblr.com/post/10584113271/vel

Ouçam a entrevista de outro estudante de Cabo Verde, amigo de Tony. A versão que a mídia não mostra.

Responder

    Bruna

    27 de setembro de 2011 às 11h46

    Obrigada por trazer a entrevista. Não sei se é mais triste ou revoltante.

Maria Libia

25 de setembro de 2011 às 09h25

É claro que o morto será condenado. Nossa justiça é imparcial e justa, por isso que eles tem que ganhar mais. (gente, isso é uma piada.). Não acredito em nada neste Brasil. Eu mesma faria justiça com as minhas próprias mãos. Esperar a Justiça JAMAIS.

Responder

j.felix

25 de setembro de 2011 às 07h21

E simples assim:nos bairros nobres existe a policia para proteger seus nobres moradores,nos bairros pobres essa mesma policia existe para vigiar seus moradores

Responder

Hélio Jorge Cordeiro

25 de setembro de 2011 às 03h03

Peculiar: Um empresário e dois PMS. O que um empre´sario fazia jantando com dois pms? Claro, discutindo Schopenhauer , claro!

Responder

Geraldo Meireles

25 de setembro de 2011 às 00h57

Do jornal de Cuiabá:
http://www.circuitomt.com.br/editorias/geral/5539

Quatro passagens pela polícia por crimes diversos.
Abandono do curso por causa das drogas.

Pelo perfil pode ser mais uma briga de bar, como milhares que há todo dia.
Quem matou tem que pagar, mas não vejo porque associar cabalmente e preconceituosamente o fato a racismo.
A não ser que seja alguma idéia fixa.

Responder

    Patricio

    25 de setembro de 2011 às 15h10

    Prenda-se o morto!

Soares

24 de setembro de 2011 às 21h03

Malditos branquelos pior que ficara assim é apenas mais um negro ou um nordestino.

Responder

Wanderson Brum

24 de setembro de 2011 às 20h29

Há, por essas e por outras que eu sempre achei o povo dos EUA muito espalhafatoso quanto a questão racial, homens vestidos de lençois brancos, com tochas nas mãos, que estravagância! Quem precisa de KKK, no Brasil sempre se matou negros, e indigenas também não nos esqueçamos disso, com máximo de impunidade possivel ou até mais, afinal de contas pra cometer homícidios destes nos temos a instituição com mais experiência no desempenho da função – POLICIA MILITAR.
Eu sei que pode parecer deboche da minha parte, e é deboche, mas não da minha parte, um país que tem na sua maior cidade um monumento como aquele dos bandeirantes o que pra mim é mesma coisa que os alemães fazerem um monumento colossal em homenagem ao terceiro Heich em Monique, debocha da memória de milhões de [email protected] e indigenas exterminados neste país.
Sinto muito pelo irmão e pelo seu fim trágico mas enquanto o Brasil não rever a sua postura quanto os crimes racialmente motivados, escondidos sobre a manto dos "autos de resistência, guerra ao tráfico" e outras justificativas mais esfarrapadas ainda a sua enorme divida com o povo negro e com o continente africano só tende à aumentar…

Responder

Rafael

24 de setembro de 2011 às 18h06

Bom seria perguntar ao Ali Kamel qual foi o motivo desse assassinato já que ele escreveu sobre racismo então traquilamente responderia essa pergunta.

Responder

    Maristela

    25 de setembro de 2011 às 20h34

    RAfael, muito bem lembrado… Ali Kamel diria que foi mais um crime e os racistas querem ver nisso discriminação… Kamel é um mal para nós

Hélio Jorge Cordeiro

24 de setembro de 2011 às 18h01

A notícia bem poderia ser assim: "Mestiços e caboclos brasileiros pensando serem arianos, espancam até a morte negro africrano! Esse é o país sem racismo da Rede Globo, Folha, Estadão e Editora Abril!

Responder

Tomudjin

24 de setembro de 2011 às 17h19

Calculem, então, o que fizeram com o messias.

Responder

Marcio H Silva

24 de setembro de 2011 às 16h31

Pelo que tenho lido nos ultimos anos, filhos de gente influente em cidades do interior do RJ cometem estes crimes e ficam impunes também. Em outros estados acontece a mesma coisa. A impunidade impera neste país e os ministros do supremo estão preocupados em pedir aumento de salário. Vão fazer exame para ver se estava alcoolizado, e se tivesse, vai atenuar o crime? Foi um crime hediondo e covarde cometido por gente covarde, que sabe que tem costas quente, filho de delgado e policiais a paisana. O Judiciário local vai amarelar porque é elitista. Se a vítima fosse europeu ou americano, o caso estaria em todos os PIGs.

Responder

    Christian Schulz

    24 de setembro de 2011 às 22h05

    Tem outra "dica" na notícia: a lesão na traqueia como causa da morte.

    Se a lorota da embriaguez não colar, entra a piada da "morte acidental" e os assassinos pagam umas cestas básicas (com dinheiro público, que ninguém é de ferro) e fica tudo bem na nossa Democracia Racial.

Rafael

24 de setembro de 2011 às 14h08

Pelo histórico da justiça no Brasil filho de delegado e policial não vão presos. Sem falar que a vítima é negro e estrangeiro então caso encerrado. A culpa é do estudante. Não podemos esquecer que aqui só se prende ladrão de margarina.

Responder

Estudante africano

24 de setembro de 2011 às 11h34

Sou estudante africano no Brasil, esse caso por ter sido fatal, acabou vindo ao público. No entanto, o primeiro conselho que ouvimos ao chegar aqui, é que seremos sempre abordados por policiais, e que isso seria uma coisa NORMAL. Questionei meus colegas brasileiros se alguma vez foram abordado, só um deles foi, e ele era da mesma côr que a minha… Me junto a muitos comentários aqui que solicitaram que AZENHA investigasse essa barbarie, já que nem com as autoridades brasileiras e muito menos africana podemos contar. Esse que está sendo chamado de MENDIGO, era estudante de uma Universidade Federal.
No inicio de junho um estudante irmão, de Cabo Verde, teve a mesma sorte que o Toni, ele também foi espancado até a morte, em Fortaleza, Ceará, e até hoje não se sabe em que circunstância.

Responder

    Cícero

    24 de setembro de 2011 às 13h05

    A circunstancia foi racismo. Assim como no Mato Grosso. O Brasil infelizmente é extremamente racista. E hipócrita. Aqui sempre se matou por ser pobre. A elite sempre quis a pena de morte para pobres. Não podemos contar realmente com as autoridades Brasileiras, meu conselho aos estudantes Africanos é que venham estudar no Rio de Janeiro precisamente na UFRJ ou na UFF (na UERJ existem muitos Nazistas) ou na Bahia na UFBA onde o racismo é bem menor. os estados de RS, SC, PR, SP, MT , MS são muito racistas, lamentavelmente.

    Patricio

    24 de setembro de 2011 às 14h29

    Fascistas estão em toda parte do mundo.
    A obrigação moral de qualquer cidadão, em qualquer circunstância, em qualquer país, seja quem for a vítima, independente de sua origem – é denunciar, lutar para que se faça justiça. Não há que se fazer concessões de qualquer tipo a esses racistas.
    Se a justiça não for feita, só restará a alternativa da vingança.

    lia vinhas

    24 de setembro de 2011 às 19h57

    As nossas polícias foram e são treinadas dentro de uma filosofia de repressão pura e jamais de prevenção, bem nos moldes da famigerada Escola das Américas, de onde saíram os autores e mantenedores das ditaduras que assolaram e assolam o nosso continente (pelo que se sabe a Escola das Américas só mudou de nome, depois da pressão internacional por seu fechamento, aliás, o caso de Honduras é muito sintomático). Espero que esse caso e o outro revelado no comentário do Estudante Africano cheguem aos ouvidos do governo e que se faça uma séria sindicancia. Não podemos abrir as portas para que estudantes estrangeiros cursem nossas Universidades e aqui encontrem a morte. Temos aí um caso com notória conotação racista e fascista.

ZePovinho

24 de setembro de 2011 às 11h16

O governador Blairo Maggi vai continuar calado??????????

Responder

M. S. Romares

24 de setembro de 2011 às 10h51

O velho oeste está na moda. Tempos atras um indio foi queimado vivo em Brasilia; há menos tempo, os sem-tetos de SP foram perseguidos e houve morte. A polícia…parece que eles próprios se incumbem de fazer a lei e julgar. E não é de hoje! Definitivamente quem tem maior calibre está sempre certo. Junte-se a isso a falta total de vergonha de nosso judiciário, o poder mais corrupto e corruptor dentre os tres.

Responder

GilTeixeira

24 de setembro de 2011 às 10h49

PM pra mim não passa de capitão-do-mato!

Se acaso o rapaz tiver traços de alcool ou outra coisa no corpo já se sabe o que vai acontecer: a culpa é da vítima!

Responder

Patricio

24 de setembro de 2011 às 10h45

Cadê os nomes? Um filhinho de papai, macho-man e dois coxinhas com licença para matar, simplesmente assassinam um estudante de um país irmão? Com certeza, vão usar o surrado discurso do "vagabundo alcoolizado" para acusar a vítima indefesa – e no entanto, esse caso tem conotação política. A direita matogrossense é troglodita: sempre debochou de qualquer avanço social no país. Um crime como esse tem que ser punido exemplarmente, sem recursos gilmardantinos, porque é simbólico. Quem sabe ler, enxerga:
Que moral terá nossa Presidenta da República, que a poucos dias, clamava em seu discurso na ONU, por direitos humanos em todo o planeta?

Responder

    Christian Schulz

    24 de setembro de 2011 às 22h07

    Gilmar "Dantas" que, aliás, é do MT…

FrancoAtirador

24 de setembro de 2011 às 10h44

.
.
Bem que a Comissão da Verdade poderia estender até os dias de hoje

as investigações sobre os crimes de tortura e assassinato praticados por policiais.
.
.

Responder

rogerio

24 de setembro de 2011 às 10h27

Pela qualidade das nossas postagens, apenas confirma que a população não acredita nem no sistema de segurança do estado e principalmente no judiciário brasileiro… Nosso judiciário é uma vergonha!

REFORMA DO JUDICIÁRIO JÁ!

Responder

    EUNAOSABIA

    24 de setembro de 2011 às 11h52

    É por isso que os 40 da SOC vão ficar impunes.

    edv

    24 de setembro de 2011 às 14h34

    Por isso que as 40 dúzias do PSDB-DEM sequer foram processados, por crimes incomparavelmente maiores, em gravidade e valores…
    Abracadabra! … e engavetaram tudo, na caverna …

assalariado.

24 de setembro de 2011 às 10h14

Os fardas nada mais são ( e sempre foram e serão ), os braços politicos e armados da ordem burguesa. Isto mesmo, as fardas são um orgão politico, defendem que interesses mesmo? Portanto, este braço agiu em legitima defesa do status quo, para quem eles estão a serviço, que é, defender os ricos e atacar/ matar os pobres. Inclusive nas nossas greves por melhores salários. Voces já repararam que nas suas folgas, os da farda geralmente estão nos seus bicos -(TAMBÉM)- estão a serviço particular de algum burgues? Enfim, eles (os fardas) no geral, são adestrados a defenderem os ricos na hora de trabalho normal, e também, na hora de suas folgas. É isso ai, a policia mata ladrão pobre e se junta aos ladrões ricos.Tudo dentro da lógica do capital, sem novidades.

Deêm um a olhada nesta reportagem: Policia de SP mata em média dois por dia; não há punidos em 3 meses, esta aqui;
http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/policia

Responder

João PR

24 de setembro de 2011 às 06h59

Caracas! Morro e não vejo tudo! O fato poderia ser tipificado como crime hediondo: três policiais assassinaram um estudante.

Azenha e Conceição: tentem acompanhar o fato, falem com o PHA, façam uma reportagem na TV. Enfim, precisamos não deixar este crime ser escondido pelo PIG.

Responder

    Caracol

    24 de setembro de 2011 às 10h02

    Concordo com João, junto-me a ele pedindo acompanhamento, por favor. Caso não se faça o barulho que o caso merece, o estudante será condenado post mortem pelo crime de haver morrido.

    Christian Schulz

    24 de setembro de 2011 às 22h08

    Concordo igualmente.

    Hoje, ao menos, temos ALGUMA liberdade em denunciar esse tipo de crime.

maria joana

24 de setembro de 2011 às 05h14

O terrorismo policial é a engrenagem da política de segurança pública . Que fiquem 30 anos na cadeia !!

Responder

Helenice

24 de setembro de 2011 às 03h39

Paradoxo:

"Os suspeitos foram autuados em flagrante".

"Suspeitos"? Como assim?

Responder

    EUNAOSABIA

    24 de setembro de 2011 às 10h02

    O processo ainda não correu e eles ainda não foram julgados rapaz.

    Não estamos num regime comunista não, isso aqui ainda é uma democracia.

    ZePovinho

    24 de setembro de 2011 às 11h14

    Assim como o africano assassinado no Brasil,o "negão" americano tambem era inocente e foi morto pela "democracia" capitalista que manteve 2 presidentes governando(Bush 1 e Bush 2) sem serem eleitos pelo povo americano.
    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

    Culturas nacionais: Anotações sobre a morte e o esquecimento
    Troy Davis recusou a última refeição, recusou o tranqüilizante. Mas falou. Disse a mesma coisa que repetiu dia a dia durante seus últimos 22 anos: “sou inocente”. De nada adiantou: a Suprema Corte dos EUA se negou a suspender a sentença de morte, apesar dos erros estridentes que coalharam todo o processo. Enquanto isso, no Brasil, era aprovada uma "Comissão da Verdade". Até a última hora, o governo foi obrigado a conceder e conceder. É como se em meu país, olhar de lado, não mexer no passado, ficar distante e dissimular fizesse parte da cultura nacional. Faz? O artigo é de Eric Nepomuceno.

    Deixa de ser ideológico e vai estudar,rapaz!!!!!!!!

    edv

    24 de setembro de 2011 às 13h57

    É, por estarmos numa democracia, temos uma presidenta DD (® Neesweek).
    Acho que vc está começando a gostar, nénão?

    Note que seu comentário vale por ex:, para o tal mensalão…
    Mas não vale, por ex., para Daniel Dantas, pois ele foi julgado e condenado.
    Coerência, rapaz!

    Panambi

    24 de setembro de 2011 às 16h11

    É o efeito dos cacos de vidro…

    P Pereira

    24 de setembro de 2011 às 18h21

    Isto aqui só será uma democracia quando os torturados assassinos e os lambe-botas dos militares ditadores, Geisel et caterva, foram expostos à execração pública.

    Walter Souza

    24 de setembro de 2011 às 10h57

    Helenice, entendo seu espanto, afinal só estão usando o mesmo critério usado ao motorista do Porsche que matou ao dirigir em alta velocidade e disse que não era bandido. Porém se fosse um crime cometido por um jovem da periferia já estariam pedindo pena de morte.

    EUNAOSABIA

    24 de setembro de 2011 às 11h07

    Para com isso rapaz, vários jovens e pobres já cometeram crimes semelhantee ou piores, e na periferia, e nunca vi ninguém pedir pena de morte.

    Que sejam autuados e julgados de acordo com nossas leis.

    Pare com essa besteirama de dizer que alguém pediu pena de morte só por ser pobre.

    cicero

    24 de setembro de 2011 às 13h21

    Já está na hora de você se mudar de mala e cuia para os Estados Unidos e ingressar no Tea Patry. Seus comentários infelizes poluem o Viomundo, e não contribuem em nada.
    Obviamente não vivemos um regime comunista, porque um regime comunista nunca existiu. Tão pouco vivemos uma democracia. queria ver, se você fosse negro se estaria satisfeito com a nossa democracia.
    Lave sua boca americanizada antes de falar de comunismo. Vai passear de porsche em Malibu.

    EUNAOSABIA

    24 de setembro de 2011 às 17h30

    ui ui ui.. que medinha…

    Deixa de ser hipócrita, pega tua trouxa e te manda pra Cuba então rapaz… falar em ser comunista e viver no bem bom do capitalismo liberal é fácil….

    Acha o que??? que todo mundo é alienado ???

    Vai pra Cuba rapaz…

    FranAi,

    25 de setembro de 2011 às 10h47

    ai,ai,ai,só rindo mesmo,vc é o palhaço daqui,kkkkkkkk

    lia vinhas

    24 de setembro de 2011 às 19h45

    Assino embaixo tudinho que o Cícero disse.

    ZePovinho

    24 de setembro de 2011 às 14h06

    Você nunca iria para o paredão,EUNAOSABIA.Nem nos regimes comunistas,nem nos EUA onde existe pena de morte em 34 estados.
    Você não vale o preço da bala.

    EUNAOSABIA

    24 de setembro de 2011 às 17h31

    E tu vale o preço da bala??? deixa de sandices tocador de tuba… vocês são é só bafo.

    ZePovinho

    24 de setembro de 2011 às 20h55

    Você devia baixar a bola.Lá no CEFAM,por onde andei,minha estirpe é conhecida.

    edv

    24 de setembro de 2011 às 14h08

    Lógico que eles serão julgados (já foram autuados) pelas leis.
    O problema é que as leis são feitas, interpretadas e cumpridas (?!) por humanos.
    E no sistema policial/judiciário tá cheio de EUNÃOSABIAS…

    yacov

    24 de setembro de 2011 às 21h22

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK… O EUNÃO SABIA não sabe nada, è um obtuiso. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK..

    DILMA DINAMITE!! Detonou uma crítica duríssima, que cai como um bomba na cabeça dos poderosos. Não é a falta de recursos, de qualquer tipo, posto que o mundo, a natureza e o trabalho humano são pródigos e quase que ilimitados criadores de riquezas, mas capacidade política dos homens de administrar essas riqueza é que nos está levando ao abismo. Está na hora de repensar o mundo que vivemos e queremos deixar para as futuras gerações. PAZ, Multilateralidade, diálogo, enfim, “Democracia de Verdade”, com justiça e inclusão social e redução das desigualdades socias e regionais, é o caminho da humanidade para a luz, os demais só conduzem ao caos e à escuridão. Tão simples e tão difícil… Por isso a vida também é poesia: Love love love. LOVELY DILMA!!

    DESPERTA SÂO PAULO!!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

    edv

    24 de setembro de 2011 às 14h23

    Isso é curiosamente incômodo mesmo, Helenice.
    Podem até filmar o crime em HD 3D, com som 5.1 e ter 123 testemunhas.
    Mas como ninguem é culpado até condenado em julgamento transitado, usam "suspeito", ao invés de opções como "indiciado" ou "acusado" ou "investigado" ou "autuado".
    Não têm opções linguísticas melhores.
    É a "isenção" dos despreparados (mas dependendo do caso, já nomeiam logo como assasino mesmo).
    A pobreza de linguagem da mírdia agora transforma, por ex., menores "detidos" em "apreendidos", como mercadorias, já que eles não podem ser "presos"… Instaurar inquérito virou "instalar"… e por aí vai.
    Deve estar tudo nos "manuais de redação"…

    Renato Lira

    24 de setembro de 2011 às 19h50

    Por causa do Princípio da Presunção de Inocência", que defende que um individuo só será considerado culpado depois de sentença judicária transitada em julgado.

    Ou seja, só depois da condenação judicial.

    Enquanto isso, terão direito à ampla defesa e ao coraditório.

    É a regra do Estado de Direito.

    O problema aqui é que se manipula este princípio para postergar, proteger poderosos e como instrumento para impunidade.

    Miriam

    03 de outubro de 2011 às 17h23

    em Cuiabá os filhos dessas elites asquerosas, nojentas, ridículas sempre mataram e sempre ficaram impunes… houve uma sentença em que o juiz sentenciou: "ele só apertou o gatilho, quem mata é Deus!"

joão33

24 de setembro de 2011 às 00h53

os assassinos estão presos , quem pode confirmar , não ficou claro no texto.

Responder

Gerson Carneiro

24 de setembro de 2011 às 00h27

"monte o grupo do 'sem jatinho' e vá pro vão do masp protestar" @adrianavandoni

Radical de Direita, de Cuiabá, respondendo a questionamento do @StanleyBurburinho quanto a dirigentes da Rede Globo poderem importar jantinho sem pagar impostos.

Responder

Marco Aurelio

23 de setembro de 2011 às 23h47

Aqui no Piauí,em Teresina,Azenha(para vc ver como os ricos e poderosos podem matar), também está ocorrendo outro caso nos mesmos moldes.Aqui se mata mulher como se mata mosca.É impressionante!!
Uma moça de 19 anos foi brutalmente assassinada dentro do prédio onde vai funcionar o Ministério Público Federal,aqui perto de casa.
Dizem que foi um figurão do mundo político e o inquérito se arrasta,não tendo o fim clássico(acusar a moça de suicídio) porque a sociedade está indignada e cobrando,todos os dias,a solução desse crime horroroso.
Inclusive,Azenha,a família da moça e o advogado deles apontam várias falhas de apuração no inquérito.
Vejam, vocês mesmos,como é que a coisa funciona no Brasil do meio-norte:
http://180graus.com/geral/caso-fernanda-lages-pod

Já faz quase um mês, e nada – 23/09/2011 às 18:31h
CASO FERNANDA LAGES: Pode ter tido até um mandante

POLÍCIA ESTARIA TRABALHANDO COM NOMES: Família espera desfecho apontando quem matou

Quase um mês após o intrigante 'Caso Fernanda Lages', até agora ninguém sabe como realmente a estudante, de apenas 19 anos de idade, foi encontrada morta em um prédio em obras do Ministério Público Federal. Enquanto isso, a família da vítima, a sociedade e as entidades que combatem a violência contra a mulher, cobram um rápido desfecho……………..

Responder

ricardo silveira

23 de setembro de 2011 às 22h41

O rapaz é espancado e morto num restaurante por um filho de delegado e dois policiais e ainda vão fazer exame para ver se o morto estava bêbado. Como filho de delegado é cidadão especial e policial que protege filho de delegado tornase especial, nada vai acontencer aos supostos assassinos.

Responder

spin

23 de setembro de 2011 às 22h21

A vítima vai terminar sendo condenada por embriaguês.
É esta a nossa polícia Brasil afora, não mudou nada da ditadura prá cá
Enquanto os torturadores do regime militar não forem punidos torturar continuará sendo o modelo a ser seguido pela policia

Responder

Jairo_Beraldo

23 de setembro de 2011 às 22h15

Vai ficar por isso mesmo. O que tem que se fazer, é tirar destes vestes fardas, o poder de "autoridade", dado a esses na ditadura militar, para que pudessem prender, agredir e matar quem lhes parecessem subversivos. São um bando de analfabetos, desclassificados, desqualificados e mentirosos. Bem os definiu Einstein – "nasceram com cerebro por engano….bastava-lhes a medula espinhal".

Responder

Adriano

23 de setembro de 2011 às 22h06

Mais um asassinato cometido por policiais que vai terminar em nada! Ainda mais que a vítima era negra e imigrante.

Responder

Davi Lemos

23 de setembro de 2011 às 21h47

Se fosse estadunidense ou europeu seria carregado no colo. Brasileiro, especificamente a classe média (credo) tem muito que aprender, tem muito que viver.

Responder

Douglas

23 de setembro de 2011 às 21h24

que tragédia terrível. Esses play-boys são um desastre para a nação. Como diria Cazuza, "a burguesia fede. Enquanto houver burguesia não haveria fantasia".

Responder

edv

23 de setembro de 2011 às 21h08

Africano? Será a vítima um primo da Charlize Theron? Aguardemos.
O que chama a atenção é a declaração de que foi "só imobilizado"…
Ficou faltando dizer: "pra sempre!"

Responder

O_Brasileiro

23 de setembro de 2011 às 20h58

A gente já sabe o que vai acontecer com os assassinos…
Mas, se algum juiz honesto condená-los, o STF está ai mesmo para deixá-los impunes!

Responder

    Marcio H Silva

    24 de setembro de 2011 às 16h24

    Até porque, neste momento o STf está preocupado em pedir aumento.

Julio Silveira

23 de setembro de 2011 às 20h43

Não vai dar em nada o pobre coitado vem da Guine Bissau, país africano, se fosse americano até o chanceler brasileiro pediria rigorosa apuração, mas aqui criminosos com algum poder costumam ficam impunes. A nossa alcunhada justiça vai liberá-los logo podem apostar.

Responder

ZePovinho

23 de setembro de 2011 às 20h41

Isso foi um homicídio,Azenha.Onde é que nós vamos parar????Que polícia é essa,que ajuda um civil a matar outro?

Responder

Eduardo

23 de setembro de 2011 às 20h36

Por essas e outras eu odeio a polícia mais do que tudo neste país! A polícia e seu deus-máximo Capitão Nascimento!

Responder

FrancoAtirador

23 de setembro de 2011 às 20h21

.
.
A COMISSÃO DA MENTIRA VAI INVESTIGAR A BARBÁRIE.
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.