VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Morre idoso hospitalizado após ação no Pinheirinho


21/04/2012 - 12h19

Morre idoso hospitalizado após ação no Pinheirinho; polícia investiga agressão de PMs

21/04/2012 – 07h30

Guilherme Balza

Do UOL, em São Paulo, sugerido pelos leitores João e Maurício

O aposentado e ex-morador do Pinheirinho, Ivo Teles dos Santos, 70, que ficou dois meses hospitalizado após a ação de reintegração de posse da comunidade de São José dos Campos (97 km de São Paulo), morreu no último dia 9, vítima de falência múltipla de órgãos.

Ele deu entrada no hospital municipal Dr. José Carvalho de Florence no dia 22 de janeiro, em São José, horas depois do despejo. Lá, ficou internado em coma até 22 de março, quando sua filha Ivanilda Jesus dos Santos, 34, chegou da Bahia para retirá-lo. Até a morte, diz Ivanilda, o aposentado permaneceu em estado vegetativo, sem se movimentar, nem responder a qualquer estímulo.

A causa da morte do aposentado está sendo investigada pela delegacia seccional de São José e é motivo de controvérsia: segundo o Condepe (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana), testemunhas afirmaram a conselheiros do órgão que Santos foi hospitalizado após ser agredido por policiais militares, com golpes de cassetetes na cabeça.

O defensor público Jairo Salvador diz que outras testemunhas relataram a mesma versão em depoimento à Polícia Civil. Já segundo a administração do hospital, Santos deu entrada na unidade com “quadro confusional” e “crise hipertensiva” após sofrer um AVC hemorrágico, diagnosticado após a realização de uma tomografia do crânio.

No dia da ação no Pinheirinho, o aposentado foi entrevistado por uma repórter do jornal “O Vale”, de São José dos Campos, e afirmou: “Eles vieram com muita violência para tirar a gente de casa. Eu reagi e eles partiram para cima. Caí no chão e os três policiais continuaram a bater com o cassetete em mim. Olha só como estou agora? Não consigo nem andar.”

Santos morava sozinho em uma das áreas mais pobres do Pinheirinho, conhecida como Cracolândia. A única pessoa próxima do aposentado no município era a ex-mulher, Osorina Ferreira de Souza, também moradora da comunidade, com quem Santos viveu por 20 anos.

Depois da reintegração, Osorina saiu à procura do ex-marido. Encontrou-o apenas dias depois. Em 4 de fevereiro, acompanhada de deputados estaduais e conselheiros do Condepe, solicitou ao hospital o Boletim de Atendimento de Urgência (BAU), documento médico que atesta as condições em que o paciente deu entrada no hospital.

A direção da unidade negou o documento, alegando que informações sobre o paciente são sigilosas e só podem ser repassadas a familiares. De acordo com o relatório do Condepe, integrantes do corpo de enfermagem do hospital teriam informado à Osorina que a causa primária de internação de seu ex-marido seriam as agressões que ele teria sofrido, e não o AVC.

A filha do aposentado afirma que, quando o retirou do hospital, ele estava com vários hematomas, cicatrizes e escoriações pelo corpo, além de pontos na cabeça. A ela o hospital entregou a tomografia do crânio de Santos e outros documentos, mas não forneceu o BAU. “Não me entregaram, mas estou disposta a viajar para retirar. Esse documento é fundamental”, afirma Ivanilda.

No dia 6 de fevereiro, segundo o Condepe, a versão do hospital e da Secretaria Municipal de Saúde sobre o motivo da entrada do aposentado na unidade foi registrada em boletim de ocorrência lavrado no 5º DP de São José.

A PM nega que tenham ocorrido as agressões. A filha de Santos diz que entregará todos os documentos médicos que recebeu para a defensoria.

O defensor público Jairo Salvador afirmou que, em posse dos documentos, irá pedir um laudo do Instituto de Medicina de São Paulo. A defensoria recebeu 586 ações individuais de moradores que sofreram violência física e psicológicas ou perderam bens na ação. “É incrível a simetria dos relatos. Ou houve uma histeria coletiva ou o que eles dizem realmente aconteceu”, afirma o defensor.

A reportagem do UOL não conseguiu localizar na seccional os responsáveis pela investigação.

História de Ivo Teles dos Santos

Após retirar o pai do hospital, Ivanilda ficou por uma semana na casa de uma irmã no Itaim Paulista, no extremo leste da capital paulista. De lá, foram para Ilhéus, no litoral sul baiano, onde ela trabalha como camareira e vive com dois filhos. Ela conta que teve de abandonar o emprego para cuidar do pai.

“Abandonei o trabalho para ficar em casa cuidando dele. Meu pai ficou sem uma peça de roupa sequer, só com o roupão do hospital. Tive que comprar. Ele usava fraldas, medicamentos… E não consegui retirar a aposentadoria dele. Foi tudo com o meu dinheiro.”

Segundo Ivanilda, seu pai deixou Ilhéus no início da década de 80, quando ela tinha apenas sete anos, para procurar emprego em São Paulo. Antes de se aposentar, Santos fez vários bicos, trabalhou em uma empresa que produzia antenas parabólicas e foi carpinteiro. Além de Ivanilda, o aposentado têm outro filho, de 49 anos, que não foi registrado como seu filho e mora no Rio de Janeiro.

A mãe de Santos ainda é viva. Ela tem 87 anos e também mora em Ilhéus. A família tentou esconder dela o estado de saúde do aposentado, mas foi inevitável. “Ela viu a situação que o filho ficou. Foi muito dolorido para ela e para a família toda.”

Leia também:

Conceição Lemes: Se receber alta, Ivo Teles não tem para onde ir

Conceição Lemes: A denúncia original da internação de Ivo





46 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Pinheirinho, para não esquecer jamais: A covardia de Alckmin, a violência institucional da PM e o descaso da Justiça | Maria Frô

21 de janeiro de 2013 às 08h54

[…] Morre idoso hospitalizado após ação no Pinheirinho […]

Responder

Marat

22 de abril de 2012 às 22h27

A "grande" imprensa ignorou!

Responder

Aracy_

22 de abril de 2012 às 19h25

Lastimável que essa barbárie ocorra sob um governo do Estado chefiado por um médico. Pouca vergonha!

Responder

    I.F.Neto

    22 de abril de 2012 às 20h54

    Lastimável mesmo é o povo ter votado nelles, acorda São Paulo!!!

renato

22 de abril de 2012 às 18h16

Pinheirinho não deu em nada, tá todo mundo solto,o povo perdeu as casas, não aconteceu nada……
Muita balela, até do Senador Suplici, não vi mas nada
Cade o rapaz que se amarrou no poste fazendo greve de fome, não por ele, mas por aquilo que deveria repercutir.
A CPI da Privataria também vai ficar do mesmo tamanho?
Você vai dizer, OH…mas aconteceu!
Se aconteceu, eu deveria saber, se eu não sei, muito pouca gente sabe
.E então alguém não tá acertando.A conversa não tá saindo dos Blogs.
Vamos repensar, sou cidadão que quero informação.

Responder

Observadoro

22 de abril de 2012 às 17h23

Polícia fascista de SP prende artista de rua sob as vaias da população!! Imperdível! (será que o artista/manifestante está bem?)
http://www.youtube.com/watch?v=jYBFUW5H_C4&fe
http://www.youtube.com/watch?v=sXWTiMAFgt8&fe

Responder

ricardo silveira

21 de abril de 2012 às 21h54

Quem vai responder pelo assassinato? Será a Juiza ?, o Comandante da Polícia Milita?, o Prefeito ou o Governador do Estado de São Paulo?, ou serão todos eles?, ou nenhum deles? Infelizmente, muitos Pinheirinhos e assassinatos ainda ocorrerão no país sem nenhum culpado.

Responder

José DF

21 de abril de 2012 às 21h15

O que dizer diante de tamanha barbaridade?
O fato não provocarará ardorosos editoriais em defesa da vida e dignidade humana.
Afinal, era preciso restituir o terreno ao criminoso abastado.
A maior autoridade do estado, para justificar a desastrosa operação policial, recorrera ao grotesco clichê "decisão judicial não se discute, cumpre-se!".
Com o PCC, o chuchu arrega.
A responsabilidade pela morte deste homem também é sua, sr. governador.

Responder

Micuim

21 de abril de 2012 às 21h02

Ha tempo ando tentando saber como está a situação daquele povo escorraçado do Pinheirinho, mas não encontro nenhuma notícia. Dá a impressão de que foram esquecidos por todos. Como estão essas famílias? Moram onde? Vivem como? Já receberam alguma compensação ou foram abandonados à própria sorte?
Minha solidariedade à filha do sr. Ivo. Aqui, de longe, é só o que posso fazer. E lamentar as escolhas do povo de São Paulo.

Responder

daniel

21 de abril de 2012 às 21h02

Caros amigos
lamentavelmente o problema não terminou conheço pessoas que depois de ajudar solidariamente aos mais necessitados esta agora prestando ajuda as pessoas que ainda estão desamparadas. Acho que esta se formando uma ONG mães de pinheirinho com todas as pessoas que estão ainda morando em condições sub-humanas.

Responder

João-PR

21 de abril de 2012 às 19h44

É simples: uma boa autópsia, feita por legistas idôneos (e não gente que atestou que uma bolinha de papel poderia causar um traumatismo craniano) responderá à questão do porque morreu o idoso.
Daí, com o resultado da autópsia, caso seja provada a morte por agressão da PM, processe-se o estado de São Paulo, na figura do Picolé de Chuchu e Secretários e comandantes envolvidos no caso Auschwitz, digo Pinheirinho.

Responder

Hélio Pereira

21 de abril de 2012 às 19h26

Todas as informações do absurdo que foi a operação Pinheirinho estão na Wikipédia (Desocupação do Pinheirinho).
Me chamou atenção o fato da Dupla de irmãos o Juiz Rodrigo Capez e o Promotor Fernando Capez (Deputado do PSDB) terem atuado em conjunto,defendendo os interesses de Naji Nahas indo contra a população pobre que ocupava aquele Terreno.
Também chamou me atenção o fato do Presidente do STF Cesar Peluso alegar "falha Técnica" pra se omitir neste Processo,permitindo com seu ato as agressões contra os moradores do Pinherinho!
O pessoal humilde teve contra si Naji Nahas,o Prefeito do PSDB de SJ dos Campos Eduardo Cury,o Juiz Rodrigo Capez o Promotor de Justiça e Dep do PSDB Fernando Capez,o Presidente do STF Cesar Peluso,a PM,a grande Midia,Policia Civil,Guarda Metropolitana de SJ dos Campos,empresários que tem interesse neste Terreno e a maioria dos Vereadores da Cidade que dão apoio ao Prefeito Eduardo Cury do PSDB ,etc.
Parece que o PSDB só se lembra do Povo na hora de pedir o Voto,depois da eleição "baixa o cacete" em quem caiu na besteira de lhes dar o voto!

Responder

marcosomag

21 de abril de 2012 às 18h32

Geraldo Alckmin está pouco ligando para a morte do Sr. Ivo. Nem ele, nem a turminha Opus Dei que ele freqüenta. Um bando de fanáticos (e fanáticas, pois mulheres já são aceitas como "numerárias" menores) que glorificam a Idade Média. Esse pessoal têm como desejo supremo queimar em fogueiras todos aqueles que partilham dos ideais humanistas legados ao Homem desde o Iluminismo, passando depois por todas as correntes socialistas. Só para citar alguns medievalistas em postos de liderança na sociedade brasileira: Alckmin, Kamel, Rodas. Isso, sem falar nos muitos que infestam TJs, MPs, CEOs de grandes empresas, universidades. São as maiores ameaças à democracia no mundo, e a esquerda parece não dar ao combate contra essa turma a importância devida.

Responder

Antonio

21 de abril de 2012 às 17h58

Por esse crime, Geraldo Pedágio, Capez das torcidas ( a famiglia toda) e juíza de SJC o comandante da PM e o comandante da ação no Pinheirinho devem ser enquadrados por formação de quadrilha e indiciados por homicídio.

Responder

jõao

21 de abril de 2012 às 17h24

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed…!

Manifestação Fora Marconi 2 – 21/04/2012

Responder

Polengo

21 de abril de 2012 às 17h10

“É incrível a simetria dos relatos. Ou houve uma histeria coletiva ou o que eles dizem realmente aconteceu”

Houve uma histeria coletiva.
A histeria foi dos frequentadores da daslu, incluindo por alckmin, matei, nahas, prefeitura de sao josé e todos os que se incomodam com gente que não frequenta a daslu.
A histeria culminou com a ação orquestrada e insana da polícia, governador, da matei, pig e cúmplices, na tentativa de apagar da história e dos registros o fato de que aquela área e aquelas pessoas algum dia na vida existiram.

Felizes seremos quando conseguirmos apagar os traços da existência desses canalhas criminosos.

Responder

Murdok

21 de abril de 2012 às 17h09

É uma guerra. A guerra é feita de batalhas. Virão vitórias e derrotas. Do nosso lado muitos tombarão. Mas vamos vencer.

Responder

Cibele

21 de abril de 2012 às 16h19

Mais empenho nas eleições estaduais! Basta, SP!

Responder

    EUNAOSABIA

    21 de abril de 2012 às 16h58

    Basta de PT. Com certeza, é por isso que aqui vocês não entram.

    EUNAOSABIA

    21 de abril de 2012 às 19h42

    Vocês vão perder de novo.

    João-PR

    22 de abril de 2012 às 03h36

    Quem perde são os paulistas e paulistanos elegendo e reelegendo essa gente que campeia por aí.
    Por aqui, escreva, o Beto Richa só não sai hoje porque não tem eleições! Se tivesse, ele seria escorraçado pelo povo do Paraná, que caiu no engodo do "bom mocismo".

    Vlad

    22 de abril de 2012 às 18h16

    Será que então a aprovação do desgoverno Beto Richa vai despencar na próxima pesquisa de opinião?

    Paulo Roberto

    24 de abril de 2012 às 13h24

    E vc? Ganha o quê?

paulo chacon

21 de abril de 2012 às 16h04

O nazifascista geraldo "opusdei"alckmin precisa ser acusado de homicídio doloso, aquele que tem intenção de matar. Cadê o Ministério Público?

Responder

Adilson

21 de abril de 2012 às 16h04

A Polícia nas mãos desses Tucanos perversos só podia dar nisso.

Responder

Gilson Rocha

21 de abril de 2012 às 15h50

Lamentável, infelizmente ainda não
encontrei polícia que saiba agir nestes
casos.
Espero que alguém seja punido, só assim
esse tipo de coisa não acontece mais.

Responder

Urbano

21 de abril de 2012 às 15h20

Mais um crime dentre tantos da oposição ao Brasil…

Responder

Cleverton_Silva

21 de abril de 2012 às 15h00

Lamentável! A morte do pobre Ivo Teles é um oferecimento da Juíza Mathey, TJ-SP, Governo de SP e Prefeitura de S. José dos Campos. Humanismo: A gente não vê no governo de sumpaulo e no pig…

Responder

Julio Silveira

21 de abril de 2012 às 14h55

Se fossemos afeitos a simbolos, esse cidadão bem poderia representar a vitima mais marcante nesse processo de sowetização em São Paulo, existem muitas outras menos lembradas, mas o caso desse senhor é lapidar.

Responder

Outro Antonio

21 de abril de 2012 às 14h48

Parabéns à Juíza Márcia Faria Mathey Loureiro.
Parabéns ao Desgovernador Alckmin.
Parabéns à Justiça de São Paulo.
Parabéns à polícia de São Paulo.
Onde está o Ministério Público Estadual, Federal?
Parece que em São Paulo está tudo dominado pela máfia institucionalizada.

Responder

rolocompressor

21 de abril de 2012 às 13h53

O Estado de São Paulo é um ponto fora da curva na federação brasileira. Aqui só os tucanos piam. O Estado de Goiás era a mesma coisa, até que…bem, todos já sabem.

Responder

Zé Brasil

21 de abril de 2012 às 13h11

Será que o laudo da causa mortis deste Cidadão Brasileiro será emitido, à pedido da Prefeitura de São José dos Campos, pelo Dr. Harry Shibata, médico que tem vasta experiência neste tipo de laudo?
Parabéns Doutora, eles não são visíveis, não precisamos deles, afinal eles não contam mesmo, não é verdade? Coloque Vossa cabeça no travesseiro de sêda macia e durma o sono tranquilo do dever cumprido: -Dura lex sed lex, pois comprido mesmo é o caminho dos milhares de desvalidos jogados no olho do furacão pelas chamas do inferno que se formou com os barracos incendiados em Pinheirinhos numa breve e fria canetada.

Responder

    marcosomag

    21 de abril de 2012 às 18h13

    Será por outro Harry Shibata, igualzinho em suas práticas ao original.

Abdula Aziz

21 de abril de 2012 às 12h43

Cadê os Direitos humanos e a defensoria pública do estado de São Paulo.

Responder

Gerson Carneiro

21 de abril de 2012 às 12h34

Seria o caso de "parabenizar" a juíza da 6ª Vara Cível de São José dos Campos, Márcia Faria Mathey Loureiro, responsável pela ordem de reintegração de posse da área do acampamento sem-teto do Pinheirinho. E fez questão de se fazer presente naquela alvorada.

[youtube NtupI-OpCGY http://www.youtube.com/watch?v=NtupI-OpCGY youtube]

Responder

    Jairo_Beraldo

    21 de abril de 2012 às 13h19

    Com certeza AL"CAPONE"CKMIN dará a distinta arbitra uma gratificação por excelencia em serviços prestados ao crime tucano organizado – desembargadora!

    Polengo

    21 de abril de 2012 às 13h37

    Mais uma vez, Mathey.

    Meu nome é Mathey.

    Sr. Indignado

    21 de abril de 2012 às 15h03

    Juiza Márcia Loureiro.
    Teu nome é Justiça. Tua toga, manchada de sangue, de inocentes abandonados à própria sorte, ao sabor dos glopes dos algozes que você acobertou, do brilho dos capacetes dos carrascos que você abrandou, nunca receberá uma gota de lágrima, pois não acredito que possas produzí-las. Mas no chão há sangue e lágrimas de brasileiros que clamam por justiça.
    Juiza teu nome é justiça, mas é só um nome, não significa nada para os que choram.
    E dos que choram irá surgir o futuro, incontrolável e sedento de justiça e de gente que não sabem mais chorar.
    A única coisa que você condenou foi o futuro de SJC, por vaidade. Só por isso, não por justiça.

    abolicionista

    22 de abril de 2012 às 01h46

    Essa é a lady Macbeth que comeu botox estragado.

    Richard

    22 de abril de 2012 às 11h58

    Lady Macbeth. Quê isso novinho? Ela tá parecendo a Gretchen.

    Gerson Carneiro

    22 de abril de 2012 às 14h22

    Que é isso, Richard !!!

    A Gretchen é uma senhora de respeito.

    Richard

    22 de abril de 2012 às 22h59

    É! A Gretchen não usa toga.

    Werner_Piana

    22 de abril de 2012 às 13h57

    o primeiro morto existe.
    Ah, essa senhôra dasluzete…
    quanta impunidade!


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding