VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Fernando Brito: Dono da P-36 quer fabricar as sondas da Petrobras


26/10/2011 - 14h49

O homem da fatídica P-36 quer fabricar as sondas da Petrobras

por Fernando Brito, em Projeto Nacional, sugestão por e-mail de Juan Pessoa

A imprensa brasileira, tão preocupada com a publicidade das licitações, está deixando passar em silêncio a maior de todas as já realizadas no país.

É contratação de 21 navios-sonda de perfuração de áreas ultraprofundas, que prevê o afretamento dos equipamentos ao longo de 15 anos. Como o preço destes equipamentos é caríssimo pelo seu custo, atingindo cerca de US$ 600 mil dólares por dia, o contrato soma, ao longo de todo o prazo de afretamento, algo em torno de US$ 70 bilhões.

No total, a Petrobras precisará de 40 sondas de águas ultraprofundas. As primeiras 12, por questão de prazo, foram compradas no exterior. Mais sete, para serem fabricadas aqui, foram encomendadas à Sete Brasil, uma empresa formada pelo Santander, Bradesco, BTG Pactual, Caixa Econômica Federal, além de fundos de pensão – Previ, Petros, Funcef, Valia – Lakeshore Financial Partners Participações e uma participação de 10% da própria Petrobras.

Restavam 21 sondas a contratar e a Petrobras quer, como é obvio, que sejam feitas no Brasil.

A Sete Brasil apresentou propostas em dois lotes 15 navios-sonda e seis sondas semi-submersíveis, rebocáveis e não autopropelidas, como os navios. A empresa tem acordo operacional com a Odfjell, Seadrill, Etesco, Odebrecht, Queiroz Galvão e Petroserv, com previsão de construir as unidades nos estaleiros Jurong (Espírito Santo), Enseada do Paraguaçu (Bahia), Brasfels (Rio de Janeiro), Estaleiro de Rio Grande (Rio Grande do Sul) e OSX, no Porto do Açu (Rio).

Mas apareceu uma nova empresa: a Ocean Rig do Brasil para concorrer à construção do lote de seis plataformas. A Ocean Rig é uma empresa formalmente norueguesa, mas controlada pelos armadores gregos da Dryship. Já a Ocean Rig do Brasil é a associação desta empresa com um senhor chamado Guerman Efromovich, boliviano naturalizado brasileiro, dono da Ocean Air, que virou Avianca, e do Grupo Marítima.

Efromovich foi personagem de um dos casos mais polêmicos da exploração petrolífera no Brasil.

Foi o seu grupo que comprou, reformou e alugou à Petrobras, sem licitação, a fatídica plataforma P-36, que afundou matando 11 petroleiros em 2001. Tido como amigo do ex-presidente da estatal Joel Rennó, Efromovich viu seu grupo empresarial ser responsabilizado pela Justiça inglesa – onde fora tentar ainda receber mais dinheiro da Petrobras, supostamente referente à dividas pela reforma do “caixão” que construíra. Leia aqui, nesta matéria do Valor, de 2004, toda a história das encrencas de Efromovich com a Petrobras.

Que inclui, depois da saída de Rennó, uma série de contratos rompidos por atrasos nas plataformas da série Ametista. Com Rennó, Efromovich era dono de 80% das encomendas e foi à Justiça pedir indenização. Perdeu no STJ.

Apesar disso, Efromovich conta com um enorme desinteresse de nossa mídia sobre sua atuação. Não fosse o trabalho solitário do repórter Chico Santos, então no Valor Econômico, ninguém ficaria sabendo como ele tentou, tanto pelos modos gentis quanto pelos mais duros, recuperar suas posições junto à Petrobras, vejam só:

“Com a mudança de governo em 2003, Efromovich fez várias gestões para reaproximar-se da direção da empresa, sem sucesso. Já tentou, via parlamentares, marcar audiências com o presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, mas não conseguiu. Uma das ações movidas por Efromovich, desta vez para participar de novas licitações, levou a uma ordem de prisão contra os diretores da estatal das áreas de serviços, Renato Duque, e exploração e produção, Guilherme Estrella, em março. Isso não ajudou em nada a melhorar o humor da diretoria da Petrobras.

Ao mesmo tempo em que entrava com recursos e liminares tentando participar das licitações da Petrobras, o empresário não desistia de sua política de aproximação. Já enviou flores para as secretárias da diretoria da estatal, no Dia da Secretária, e tentou aproximar-se da diretoria da empresa nos intervalos ou durante os processos de licitação da Petrobras, onde ele obteve liminares judiciais para disputar a construção das plataformas P-50, P-51, P-52 e P-54.

O empresário voltou a usar essa estratégia duas semanas atrás, quando obteve mandato judicial para participar da licitação para conversão da P-53. Suas empresas não foram convidadas para as últimas concorrências e essas tentativas só contribuíram para aumentar o atraso dos processos licitatórios.

De acordo com o departamento jurídico da Petrobras, a estatal está confiante em seu sucesso nessas ações judiciais, embora considere o ressarcimento dos prejuízos duvidoso, a partir da forma como os negócios das empresas de German Efromovich são costurados. Segundo informação do departamento jurídico, o empresário costuma operar utilizando empresas sediadas em paraísos fiscais. Esse é o caso da antiga controladora do grupo, a Rainier Engineering Limited, com sede no Caribe, que foi substituída pela Sinergy Group Corp., com sede na Ilha de Niue, na Polinésia, e próxima à Austrália.”

Foi este personagem tentou derrubar a condenação pela P-36 no Brasil e levou na cabeça: este ano, o STJ disse que, como optou pelo foro londrino para tentar ganhar e lá, em vez disso, foi condenado a pagar à Petrobras, então que aguentasse com a condenação.

Agora, ele está enfrentando uma impugnação em sua proposta de fazer as sondas aqui.  Segundo a Sete Brasil argumenta em seu recurso contra a Ocean Rig “do Brasil”, a empresa foi constituída depois do lançamento da licitação, no dia em 3 de junho (o CNPJ da empresa é de 7 de junho) , fugiu das especificações solicitadas, e não tem garantias adequadas.

Que prato, não é? Mas porque será que a imprensa não se interessa por uma figura deste naipe?

Leia também:

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

SILOÉ-RJ

27 de outubro de 2011 às 23h04

Ele e o" Chondas". Vão ficar esperando!!!

Responder

Herminio

27 de outubro de 2011 às 13h12

Talvez … como de sempre. Eta midia safada!!!!!!

Responder

Roberto Locatelli

27 de outubro de 2011 às 12h35

Em hipótese alguma o Governo brasileiro pode aceitar que esse amigão do FHC participe da licitação.

A P-36 afundou porque essa empresa colocou equipamentos de segurança de baixíssima qualidade na plataforma.

Melhor ficarmos de olho, pois ultimamente o Governo está andando para trás.

Responder

    EUNAOSABIA

    27 de outubro de 2011 às 14h02

    Tem provas disso? quais suas fontes?

    ratusnatus

    28 de outubro de 2011 às 14h36

    A não ser que eu esteja enganado, a plataforma afundou.
    Acho que isso serve de PROVA de que alguma coisa tinha de errado com aquela plataforma.

M.S. Romares

27 de outubro de 2011 às 10h50

Parentes remotos desse sujeito projetaram o Titanic e alguns trabalharam também na execução do Poseidon. Muito confiavel esse traste oportunista.

Responder

Werner_Piana

26 de outubro de 2011 às 22h01

se realmente a Petrobras conluiar com os assassinos da P-46… meu amigo, vai dar em GRANDE MERDA e se a atual presidente ainda não tiver caido ou pedido pra sair, cairá escorraçada pelos amiguinhos do PIG.

É muita bandidagem tudo isto.

Parece que é hora de partir pra o "Occupy the World", não temos mais nada a defender por aqui.
O governo federal atual tucanou, acabou…

LAMENTÁVEL. Golpe branco! Somos todos trouxas de carteirinha…

Responder

MA_Jorge

26 de outubro de 2011 às 19h25

Por que? Ora!, pergunte ao Lamparina, pergunte ao Chirico e a Chevron, pergunte ao PSDB, DEM, Instituto Millenium e, para os mais alegrinhos, "what about Santa Claus!"

Responder

Bonifa

26 de outubro de 2011 às 18h42

Não é possível. Não pode ser possível. Compreendo agora inteiramente o desânimo final de Getúlio Vargas, diante de tantas sombras que se reproduzem por toda parte.

Responder

Paulo Marconi

26 de outubro de 2011 às 17h59

Isso ocorre em virtude dessa imprensa ter lado, ideologia e partido politico que nada mais e qo que o PSDB/DEM.

Responder

Maria

26 de outubro de 2011 às 17h33

Pela lógica de vocês isso aqui também foi culpa do Lula???? usando a mesma lógica de vocês, o responsável é mesmo Lula.

Acidente em Alcântara começou com incêndio, diz comandante
da Folha Online

O comandante do Centro de Lançamento de Alcântara (MA), o tenente-brigadeiro Astor Nina de Carvalho, disse hoje que o acidente do VLS-1 (Veículo Lançador de Satélites) não começou com uma explosão, mas sim com um grande incêndio na base do primeiro estágio do foguete.

O acidente, ocorrido ontem na plataforma de lançamento da base de Alcântara (MA), deixou um saldo de 21 (VINTE E UM) mortos. As vítimas são funcionários do CTA (Centro Técnico Aeroespacial), em São José dos Campos (SP).

Segundo o tenente-brigadeiro, as chamas teriam se propagado rapidamente, gerando um calor de cerca de 3.000 graus, o que provocou a queda da torre de lançamento sobre o foguete.

Responder

    Werner_Piana

    26 de outubro de 2011 às 21h58

    vc sabia Maria, que estava cheio de espiões americanos do norte por lá?
    tudo deve ter sido coincidencia, claro. tenebrosa coincidencia…

    Bonifa

    27 de outubro de 2011 às 10h47

    Tomaram cerveja à vontade com Fried Catfish no litoral de Alcântara e depois do trabalho foram embora de barco, comemorando ruidosamente.

    Polengo

    27 de outubro de 2011 às 13h30

    Quando um acidente começa com fogo, precisamos conversar.

    Quando começa com um presidente lesa-pátria chamando amiguinhos pra meter a mão numa grana, aí o acidente não é acidente, é consequência.

    Vide o buraco do metrô, e veja hoje a linha amarela. O acidente continua.

Sagarana

26 de outubro de 2011 às 17h26

O Orlando Silva está tal e qual a P-53. "Foi pro saco"

Responder

José BSB

26 de outubro de 2011 às 16h13

Imaginem se uma plataforma da Petrobras afundasse vitimando 11 trabalhadores num governo não de um principe, que esta mais pra bobo da corte, mas de um certo barbudo petista. Meu Deus…

Responder

    tulio

    26 de outubro de 2011 às 18h09

    O referido senhor é amigo do nosso amado Presidente Civita? Caso afirmativo seja benvindo, do contrario sai fora, os unicos capacitados para 'trabalhar' para nosso ggoverno tem que passar pelo crivo do amado Presidente Civita, o brasileiro.

    JCarlos

    26 de outubro de 2011 às 21h59

    É so reparar o nome do homem – EFROMOVICH

    Bonifa

    27 de outubro de 2011 às 10h41

    É uma das manifestações terrenas do Murdoch, ou Moloch.

bertoldo

26 de outubro de 2011 às 16h09

porque o que se conhece como imprensa no Brasil não é sério.

Responder

Julio Silveira

26 de outubro de 2011 às 16h08

Caramba o cara dura vai tentar tomar mais algum da Petrobrás. Já deve acreditar piamente no que o mundo acredita, que brasileiro e um ser muito bonzinho principalmente com os picaretas, e que sendo estrangeiros então já são considerados como tendo mais valor agregado.

Responder

    pedro

    26 de outubro de 2011 às 18h10

    Civita, o brasileiro confirma sua suspeita.

Ivan Arruda

26 de outubro de 2011 às 15h55

Capacidade técnica é o principal requisito para participar de licitações. Experiência, é outro. Saber se essa turma joga a favor do Brasil é que são elas. Ainda mais se "la garantia soi jo".

Responder

José Eduardo Camargo

26 de outubro de 2011 às 15h38

Resposta: Porque esse bandido deve ser tucano de carteirinha ou é muy amigo dos penosos e chefões do PIG, ora bolas!

Responder

Lu_Witovisk

26 de outubro de 2011 às 15h35

Ué, desde quando a impren$a brasileira se mete com os grande$ empre$ários? é por e$$a$ e por outra$ que um tipo como o Eike se fez por aqui…. explorando garimpeiro aqui… tirando sustendo de pescadores dali….

Responder

Antônio

26 de outubro de 2011 às 15h07

A imprensa não se interessa pois seguramente OS TUCANOS ESTÃO ENVOLVIDOS COM ESSE QUADRILHEIRO. E o PT? Por que o PT não puxa esse fio, em? ESSA QUADRILHA FASCISTA E GOLPISTA DISFARÇADA DE MÍDIA está empurrando a vacilante Dilma em direção as cordas e o PT não faz nada. Estão sangrando a Dilma.

Responder

Polengo

26 de outubro de 2011 às 15h04

Será que o logotipo da Petrobrax também foi ele que fez?

Será que é amiguinho do lesa-pátria, criminoso fhc?

Responder

    tulio

    26 de outubro de 2011 às 18h11

    Nao, ele é amigo intimo do amado Presidente Civita.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!