VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Alckmin quer privatizar o melhor Centro de Saúde Mental do Brasil


23/10/2011 - 13h27

do SindSaúde-SP

Os trabalhadores e usuários do CAISM da Água Funda, indignados com a intenção do governo do Estado de privatizar a unidade, divulgam manifesto denunciando o projeto e buscando o apoio da sociedade para evitar mais um golpe contra a saúde pública no estado de São Paulo.

“DIGNIDADE À SAÚDE MENTAL
SOMOS CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DO ÁGUA FUNDA

Somos trabalhadores do CAISM da Água Funda, somos trabalhadores do SUS, da saúde mental e há anos lutamos para efetivar as conquistas da reforma sanitária e da reforma psiquiátrica. Falamos também por milhares de usuários que já atendemos e por toda uma história de respeito à dignidade da pessoa em sofrimento psíquico. Falamos também pelos movimentos sociais e por todos que defendem os direitos humanos e são contra políticas de higienização social como a internação compulsória.

Aqui neste Centro de Saúde Mental – CAISM da Água Funda – Dr. David Capistrano da Costa Filho, o melhor do Brasil — avaliado pelo Ministério da Saúde — está em vias de acontecer um grande ataque à saúde das pessoas, ao serviço e á política de saúde mental, aos trabalhadores e aos usuários do SUS e familiares.

Articulado pelo defensor do “manicômio álcool e drogas” Ronaldo Laranjeira e pelo “privatizador” Alckmin está acontecendo a “venda” do CAISM Água Funda através da privatização, via o modelo de Organização Social (OSS), para uma possível administração de Laranjeira e sua entidade. Vão transformar um Centro de excelência em saúde mental em um centro de internação de álcool e drogas para atender as demandas de uma “higienização social” absurda que querem promover com a chegada de grandes eventos. Vão acabar com serviços e dizer que estão criando serviços.

Somos contra qualquer forma de privatização. Acreditamos que para a implantação de um novo serviço que sabemos ser necessário que é o atendimento ao usuário de álcool e drogas , um serviço de qualidade reconhecida não precisa deixar de existir, serviço este com qualidade e reconhecido em avaliação do PNASH (Programa de Nacional de Avaliação de Serviços Hospitalares) .

A pretensão é extinguir um serviço de excelência e modelo em saúde mental que segue estritamente a política da reforma psiquiátrica da Lei Paulo Delgado, com serviços como CAPS/NAC 125 pacientes, 40 pacientes em residência terapêutica, internação de psicóticos agudos e reagudizados com 52 leitos, e dependência química com ou sem comorbidade (27 leitos) que vão ser “depositados” em qualquer lugar.- um programa que é o único serviço do estado que atende comorbidade em saúde mental e dependência química, com profissionais qualificados e com atendimento inteiramente humanizado dialogando com as diversas redes do território).

NOSSA PERGUNTA É PARA ONDE E COMO SERÁ FEITA A TRANSIÇÃO DESSA POPULAÇÃO?

Os trabalhadores e usuários estão indignados e assim como os diversos movimentos internacionais, dos indignados da Espanha, dos estudantes do Chile, do ocupe Walt Street dos Estados Unidos, nós vamos lutar pelo que acreditamos, pelo nosso trabalho e pela nossa história. Fazendo a luta política, jurídica e principalmente fazendo a luta nas ruas.

Em defesa da reforma sanitária e da reforma psiquiátrica:

SOMOS CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA SAÚDE
SOMOS CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DO ÁGUA FUNDA
SOMOS CONTRA O “DESPEJO” E A DESASSISTÊNCIA EM SAÚDE PROMOVIDA POR ESTA POLÍTICA

Comissão de Mobilização em Defesa do CAISM da Água Funda”

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



53 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Claudia

14 de novembro de 2011 às 18h08

Em primeiro lugar, não acredito em eleição, basta, é obrigatório. Depois existe um poder paralelo em tudo neste planeta, política então é para a minoria, 13 homens mais ricos do mundo. Tudo é um jogo. Mexe as peças como num tabuleiro e xeque-mate. É assim, simples!!!

Responder

RicardãoCarioca

26 de outubro de 2011 às 16h10

Se você acredita na oposição, relinche.

Responder

Rodrigo Leme

24 de outubro de 2011 às 13h17

Na crítica ao Fernando Haddad na tal "lista negra" das universidades federais, houve amplo espaço para o outro lado. Em matérias como essa, danosas aos inimigos do dono do blog e prepostos, não há nem mesmo um "tentamos ouvir o outro lado mas não tivemos resposta". Assumo que não houve contato para saber a posição do governo estadual, não?

Responder

pedro

24 de outubro de 2011 às 12h05

Falamos também pelos movimentos sociais e por todos que defendem os direitos humanos e são contra políticas de higienização social como a internação compulsória…

—-

Nossa! legal…e o que eles propõe…deixar aqueles coitados zumbis perdidos na cracolândia? Internar esse povo compulsoriamente é a única alternativa de eles terem alguma chance de recuperação.

Toda vez que leio a frase "apoio dos movimentos sociais" eu fico desconfiado…essa cambada normalmente só tá envolvida com coisa que não presta…

Responder

Angelo

24 de outubro de 2011 às 11h43

O governo não deve produzir e sim fiscalizar a produção.
Sobre a revista Veja, esta fácil, sigam o exemplo da Kirchner: compre-a. Depois terão que comprar o Estadão, a Folha, a Época e toda Internet.

Responder

Daniel

24 de outubro de 2011 às 10h06

ué. Alckimin privatizar alguma coisa… algum tucano privatizar o que quer que seja… pq o espanto? Tá no DNA deles!

Responder

Maldoror

24 de outubro de 2011 às 09h25

Esse defensor do “manicômio álcool e drogas” Ronaldo Laranjeira é um estorvo… é a nova "moda" da internação compulsória…que diga o ES… Paulo Hartung, Magno Malta e Roodney Miranda estão com os mesmos ideais aqui…gerar o medo das " droga" e depois "vender" a "solução" para os viciados….são os "experts" em drogas…o nosso Rambo capixaba Rodney Miranda é o "palestrante" entendido em "Droga" aqui no estado do ES…o lases no Es com seu "chefe" Gerardo Bohórquez Mondragón está mamando as custas dos "nóias"…é a Extrema Direita religiosa querendo salvar o mundo…mas salva mesmo os bolsos destes bandidos…São os aproveitadores da desgraça.. .http://www.seculodiario.com/exibir_not_coluna.asp?id=10090

Responder

Rita

24 de outubro de 2011 às 01h44

Mas que mais quer esta criatura???? É só assumir o governo e dá-lhe privatizações. Elegemos representantes para que cuidem bem do que é público. Para que governador? Ele é pago com dinheiro público. Eu quero é vender o governados!

Responder

Nelson

23 de outubro de 2011 às 23h12

Dizem que, após a crise de 2008, as políticas e as práticas neoliberais estariam em baixa. Porém, o que mais se vê são governos querendo entregar o que é do Estado, público, que pertence ao povo como um todo, para a a iniciativa privada.
As privatizações da telefonia, energia elétrica, siderúrgicas, por exemplo, nos brindaram com preços e tarifas muitíssimos -e põe muitíssimos nisso – mais caros do que quando esses setores eram públicos/estatais. Já as melhorias prometidas, serviços de maior qualidade e mais empregos, não nos entregaram; nenhuma novidade, uma vez que isso costuma acontecer com qualquer privatização.

Responder

Giordano

23 de outubro de 2011 às 21h50

Agora, me responda quem souber: por que os paulistas estão elegendo essa canalha há 20 anos?

Responder

Luiz Clete

23 de outubro de 2011 às 21h33

Ola, Azenha, td bem? Seu blog faz propaganda para a abril e para a revista veja?
Acredita nessa revista para sugerir, via VIOMUNDO, que os outros façam assinatura e leiam o que ela publica?
Gostaria de receber sua resposta, para poder avaliar se continuo ou não acessando e indicando o VIOMUNDO para meus amigos.

Abraço,

Responder

    Conceição Lemes

    23 de outubro de 2011 às 22h12

    Oi, Luiz, já expliquei em outros posts. Esse anúncio é do Google, que seleciona os clientes que vão entrar no rodízio. De manhã, alertada por um leitor, falei com o Azenha em Guadalajara. Desde então estamos tentando bloquear esse da Veja. O Leandro Guedes, o responsável pela parte de web do Viomundo, está cuidando disso. É óbvio que não aceitariamos um anúncio da Veja ou vc duvida disso? abs

    Gerson

    24 de outubro de 2011 às 00h40

    Que alívio Conceição…

    Eu já estava pensando que ia ter que usar em voces uma camisa de força do Dr. Laranjeira

    rsrsrsrsrrs

    Luiz Clete

    24 de outubro de 2011 às 09h55

    A duvida é que move o mundo. Mas fico mais seguro em continuar a acessar o VIOMUNDO e continuar indicando o blog para meus amigos e meus não-amigo.

    Vlw, Conceição!

João-PR

23 de outubro de 2011 às 21h09

Falar o que? Todos nós sabemos o que vem dos desgovernos do PSDB! O duro é que tem parcela da população que não se toca disto, e daí elegem os Alckmin, Serras, Aécios, Anastasias e, aqui no Paraná, o Betinho Lerner (a reencarnação do desgoverno Lerner).

Responder

Jason_Kay

23 de outubro de 2011 às 20h24

Off Tópic:

"Pacificaram as estatísticas da morte no Rio"

Elio Gaspari, O Globo

O economista Daniel Cerqueira, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea, concluiu um trabalho intitulado "Mortes violentas não esclarecidas e impunidade no Rio de Janeiro". Ele demonstra que, desde 2007, as estatísticas de segurança no estado sofreram um processo de pacificação.

Segundo os números oficiais, os homicídios caíram de 7.099, em 2006, para 6.304, em 2007, e 5.064, em 2009. Beleza, uma queda de 28,7%. Cerqueira foi atrás de outro número, o das mortes violentas provocadas por causas externas "indeterminadas". O cadáver vai ao legista, e ele não diz se foi homicídio, acidente ou suicídio.

Até 2006, a taxa do Rio caía de 13 para 10 mortos para cada cem mil habitantes. A do Brasil, de seis para cinco, onde permanece. Em 2007, início do governo de Sérgio Cabral, os "indeterminados" passaram a ser 20 para cada cem mil habitantes. Em 2009 foram 22, ou seja, 3.615 almas. Com 8% da população do país, o Rio produziu 27% dos "indeterminados" nacionais.

Entre 2000 e 2006, o número de mortos por armas de fogo, sem que se pudesse dizer se foi acidente, suicídio ou homicídio, baixara para 148. A partir de 2007, os casos "indeterminados" cresceram e, em 2009, chegaram a 538, um aumento de 263%. São Paulo, com uma população três vezes maior, registrou 145 casos.

Cerqueira foi além. Buscou o perfil das vítimas registradas expressamente como de homicídio, acidente ou suicídios. Geralmente, de cada dez pessoas mortas por causa externa violenta, oito foram assassinadas. Essa vítima tende a ser parda e jovem, tem baixa escolaridade e morre na rua. Comparou esse perfil com os dos "indeterminados" e foi na mosca. Ele morreu de tiro, estava na rua, era pardo e tinha entre 4 e 7 anos de estudo.

Responder

@ForumSaudeSP

23 de outubro de 2011 às 19h24

O Conselho Estadual de Saúde de São Paulo aprovou moção de repúdio a terceirização do CAISM Água Funda. E questionou ainda o Governo Estadual sobre quem é Ronaldo Laranjeira para passar por cima do Controle Social, reafirmando que qualquer proposta de privatização/ terceirização da saúde necessariamente deve passar por aprovação prévia do Conselho. #OcupeÁguaFunda

Responder

luiz pinheiro

23 de outubro de 2011 às 19h16

Será que o governador tá doido?

Responder

    João-PR

    23 de outubro de 2011 às 21h05

    Não, ele não é doido. Ele apenas é um membro da Opus Dei, que acha que faz o certo, e que se lixa para o povo.

    Nelson

    23 de outubro de 2011 às 23h18

    Tá doido, não, Pinheiro.
    Para os neoliberais, tudo o que estiver sob controle público/estatal e que tiver potencial para gerar lucros, deve ser privatizado.
    Esse lucro gerado deve fazer pujança da iniciativa privada, às custas da população em geral que arcará com custos mais altos e serviços de pior qualidade.

Elias SP SP

23 de outubro de 2011 às 18h40

Todo apoio ao CAISM e que o governador Geraldo Alkmin tenha sensibilidade para não se curvar às práticas do seu partido (PSDB).

Responder

    Aline C Pavia

    24 de outubro de 2011 às 09h15

    De ilusão também se vive. Pindamonhangaba que o diga.

Fabio_Passos

23 de outubro de 2011 às 18h36

A roubalheira privata arruinou a economia global.
No Brasil, absolutamente submissos diante dos interesses do capital, a direita neoliberal quer privatizar até a saúde.
Se deixar os tucanos vendem até a mãe… sob aplausos da mídia-corrupra: veja / rede globo / estadão / fsp

Responder

monge scéptico

23 de outubro de 2011 às 18h32

Os primeiros da fila, para hospitalização: alkmin, jatinho, virgílio, mapa, sarney,o que rosna,
todo o STF/STJ(FORA!), a metade do congresso de traidores. O que rosna é o dias.
AH! são paulo; pensam que são física, mental e politicamente livres? Todos esses anos de
lavagem cerebral, os transformaram em paulistas; nada a ver com pensantes.MUDEM!

Responder

jason bh

23 de outubro de 2011 às 18h24

Realmente a lei do Paulo Delgado é um lixo. Acabar com leitos psiquiátricos sem uma cobertura ampla de CAPS dia e noite foi uma aberração. Faltam muitos, muitos leitos psiquiátricos e a internação as vezes é necessária. O problema é que isso abre a brecha para a privatização, pois ao contrário de que muitos pensam uma internação involuntária em viciados de drogas pesadas pode ser necessária. Como não tem assistência vale tudo inclusive privatizar um serviço de excelência o que é uma pena. Este é o Brasil. Precisamos muito de rever algumas coisas, internação psiquiátrica não é sinônimo de maus tratos ou tortura.

Responder

emerson57

23 de outubro de 2011 às 18h02

sou a favor de que se construam hospitais privados:
o "privado" detecta a demanda do serviço.
localiza e compra uma área no local de interesse.
consegue todas as licenças necessárias,
constroi o prédio,
contrata os trabalhadores necessários,
e presta um grande serviço à coletividade.

Responder

    Fran

    23 de outubro de 2011 às 18h20

    Ah não diga?E como ficam as pessoas que não tem condição de pagar(a maioria no caso)

    Fabio_Passos

    23 de outubro de 2011 às 20h09

    leitores da quadrilha veja querem mais é que o pobre se exploda…

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    23 de outubro de 2011 às 18h38

    Nossa, o cara depois de tudo que aconteceu nos últimos anos , da crise financeira causada pelos bancos, com medico de plano medico(privado) fazendo "greve", ainda acredita na "alocação racional " pelo setor privado!!So tem um problema em todo o pequeno texto que você fez:isto NUNCA ocorreu.O setor privado, quando presta serviços ao setor publico jamais constrói algo, só pega o que esta pronto e explora!Voce esta falando de uma convicção ideológica , não de um fato.

    valdeci Elias

    23 de outubro de 2011 às 20h30

    Não sabia,no Brasil é proibido, construir hospitais particulares ?

    Conceição Lemes

    23 de outubro de 2011 às 20h40

    Valdeci, não é proibido construir hospitais privados no Brasil. A questão é outra. É pegar um serviço totalmente montado com recursos do SUS — portanto dinheiro público — e passar para uma empresa privada administrar. Leia-se OSs. Com um detalhe: tudo continua sendo pago com dinheiro do SUS. E na hora em que os serviços geridos por OSs quebram por múltiplas razões — inclusive mau gerenciamento — a conta de novo vai — pra quem?, pra quem? — pro setor público, claro. Socializam as perdas mas não os lucros. Entendeu agora por que é um absurdo o que o Alckmin quer fazer com a CAISM da Água Funda? abs

    emerson57

    24 de outubro de 2011 às 09h12

    conceição,
    muito obrigado por ter "desenhado" para as pessoas carentes na matéria: "leitura e interpretação de textos".
    …….ser chamado de eleitor tucano foi o máximo!
    ri muito.
    abraço à todos.

    Giordano

    23 de outubro de 2011 às 21h56

    Típica demonstração da inteligência de um eleitor tucano. Vôte!!!

    Paulo Geroldo

    24 de outubro de 2011 às 10h16

    Se isso acontecesse na prática, seria ótimo, não é mesmo? Mas no Brasil, isso NUNCA aconteceu, e está muito longe de acontecer.

Roberto Locatelli

23 de outubro de 2011 às 17h26

Abaixo a privataria, seja de aeroportos, hospitais ou escolas.

Responder

O_Brasileiro

23 de outubro de 2011 às 17h01

Se as OSs não têm competência para construir e criar seus próprios hospitais e centros de saúde, por que teriam para administrá-los?
Esse modelo de o Estado construir e os empresários só lucrarem é ridículo, e mostra a inércia tanto dos políticos quanto dos empresários! Sua capacidade é ínfima comparada à sua ambição!

Responder

CLAUDIO LUIZ PESSUTI

23 de outubro de 2011 às 16h31

Eles gostam de terceirizar , uma vez que ai da pra superfaturar, escapar do controle dos salários(pois o teto só vale para o estatutário), colocar cupincha, sem concurso publico , e logico, pois o concurso só e exigido para o funcionário de carreira,etc.Nao estão nem ai, obviamente, para considerações sobre qualidade de atendimento.Isto e o de menos na filosofia tucana de governar.Infelizmente este gosto pela terceirização assola o governo federal também.Ou seja, virou algo "suprapartidário"!

Responder

Lu_Witovisk

23 de outubro de 2011 às 16h23

pô Conceição…. fala ai alguma coisa, logo a VEJA??? eu cliquei, essa capa querendo vender os "indignados globais" como os da marcha pela corrupção é fogo!!! Tá tão dificil manter o viomundo??? $$ vindo da abril tá mto esquisito, espero que seja só um trote… eu e a maioria que frequenta o site, aposto!

Responder

Lu_Witovisk

23 de outubro de 2011 às 16h18

É isso mesmo Azenha?? Conceição, o anuncio para assinar a Veja no viomundo é doidice… ???????? vcs estão de sacanagem ou é serio???

Responder

    Conceição Lemes

    23 de outubro de 2011 às 16h49

    Lu, esses anúncios do Google são escolhidos aleatoriamente por eles em função das matérias postadas, independentemente do conteúdo ser a favor ou contra. Imagino que esse da Veja deva ser em função da matéria do Tasso, denunciando a RBS. Como é mídia, o Google colocou cliente dele que está nessa área. Mas nós estamos tentando bloquear o da Veja. abs

    Maria

    23 de outubro de 2011 às 16h53

    Sugiro retirar a matéria do Tarso Genro (convenha-mos, Tasso Genro??, ninguém merece, esse senhor é aquele do Fora FHC… daí dá pra sacar o quanto ele é tolerante de democrático….já pensaram alguém do DEM escrevendo um artigo na Folha com Fora Lula???), mas o que interessa agora é isso, tira o artigo de Tasso, dessa forma o anúncio da Veja some do Blog.

    Jason_Kay

    23 de outubro de 2011 às 17h01

    Voces tem raiva da Veja porque? Só pode anuncio da carta capetal e do horadopovo?

    João-PR

    23 de outubro de 2011 às 21h07

    NInguém tem raiva da veja, caro Jason. Segue uns conselhos (de graça) sobre a Veja:

    VEJA;
    – Não compre;
    – Se comprar, não leia;
    – Se ler, não acredite;
    – Se acreditar, relinche.

    Conceição, não resisti!

M. S. Romares

23 de outubro de 2011 às 15h55

Pelo que parece a saude mental do Saboroso está ótima. Continua firme e forte com sua vontade férrea de privatizações. Laranjeira e chuchu, isso pode dar liga??

Responder

Jason_Kay

23 de outubro de 2011 às 15h20

E daí?

A dilma nao vai privatizar os aeroportos e o lula já nao privatizou um monte de estradas e hidrelétricas etc?

Responder

    João-PR

    23 de outubro de 2011 às 21h08

    E quem disse aqui que somos a favor da privatização???

Paulo Villas

23 de outubro de 2011 às 15h14

A meta do Alckmin é impedir que os internos votem nos adversários. Quem sabe , privatizando o centro de saúde mental , a qualidade do serviço cai , e os internos comportem-se como a maioria da população que sempre lhes dedicou o voto.

Responder

pedro

23 de outubro de 2011 às 14h43

A elite que mais uma vez elegeu o GERALDINHO ta se lixando com o que ele vai fazer com a saúde pública de são Paulo, e a galéra que rala no dia a dia como é que fica??, sim, porque foram os seus votos que elegeram o GERALDINHO, não foi muito chic dar uma de intelectual e votar num cara que já passou por ai e não mostrou nada, ahhhhh!!! desculpem-me, ele mostrou sim, como derrubar a linha amarela do metrô destruindo a vida de centenas de pessoas e suas propriedades, por falar nisto , de quem foi a responsabilidade daquela tragédia, teria sido daquela pedra?????? agora so falta vcs votarem na " soninha" prá prefeito!!!!!!

Responder

Issis Trindade

23 de outubro de 2011 às 14h39

Esse é o modo tucano de gorvernar. Tudo que é bom, tudo é dá certo e tudo que dá lucro, eles entregam para a iniciativa privada. Aff!!

Responder

Elias SP SP

23 de outubro de 2011 às 14h36

Baseando-me no livro de Austregésilo Carrano Bueno: Bicho de Sete Cabeças, reservo-me ao direito de apreciar comentários para depois expor minha idéia.

Responder

valdeci Elias

23 de outubro de 2011 às 14h27

A iniciativa privada vai conseguir lucrar, e atender a populção ao mesmo tempo ?

Responder

beattrice

23 de outubro de 2011 às 14h12

O problema é que foi justamente a lei Paulo Delgado que abriu a brecha para esse tipo de privataria pois extinguiu as possibilidades de internação gratuita especializada ou reduziu-a brutalmente e casos há em que ela se faz necessária.
Obviamente um erro não justifica o outro e o que assistimos é mais um golpe do suposto "médico" Alckmin OPUS DEI contra a saúde pública.
O caminho é o da via judicial como já se viu anteriormente.
Mas enquanto não houver oposição DE FATO em SP, e não há, esse processo não terá fim.
Se é que vai ter, pois a possibilidade de privatizar aeroportos e dar dinheiro público à TELEFONICA via BNDES não é exatamente um bom sinal.

Responder

Jairo_Beraldo

23 de outubro de 2011 às 13h45

Paulistas gostam deste tipo de "jestão", por isso DEMo/tucanos estão no poder há 18 anos por lá. E também boa parte dos goianos adoram, pois por aqui tem um tal "Zé Parceria", que a mídia nativa chama de "jestor" moderno, que nada faz, senão entregar a coisa pública ao setor privado. Não sei se é por serem incompetentes ou se isso facilita a "distribuição" e "repartição" do erário público entre os parceiros e o governo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!