VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Leandro Fortes: Uma acusação injusta


24/02/2012 - 06h03

23/02/2012

Racista é a PQP, não PHA!

Por Leandro Fortes, no Brasília Eu Vi

Paulo Henrique Amorim, assim como eu e muitos blogueiros e jornalistas brasileiros, nos empenhamos há muito tempo numa guerra sem trégua a combater o racismo, a homofobia e a injustiça social no Brasil. Fazemos isso com as poderosas armas que nos couberam, a internet, a blogosfera, as redes sociais. Foi por meio de pessoas como PHA, lá no início desse processo de abertura da internet, que o brasileiro descobriu que poderia, finalmente, quebrar o monopólio da informação mantido, por décadas a fio, pelos poderosos grupos de comunicação que ainda tanto fazem políticos e autoridades do governo se urinar nas calças. PHA consolidou o termo PIG (Partido da Imprensa Golpista) e muitos outros com humor, inteligência e sarcasmo, características cada vez mais raras entre os jornalistas brasileiros. Tem sido ele que, diuturnamente, denuncia essa farsa que é a democracia racial no Brasil, farsa burlesca exposta em obras como o livro “Não somos racistas”, do jornalista Ali Kamel, da TV Globo.

Por isso, classificar Paulo Henrique Amorim de racista vai além de qualquer piada de mau gosto. É, por assim dizer, a inversão absoluta de valores e opiniões que tem como base a interpretação rasa de um acordo judicial, e não uma condenação. Como se fosse possível condenar PHA por racismo a partir de outra acusação, esta, feita por ele, e coberta de fel: a de que Heraldo Pereira, repórter da TV Globo, é um “negro de alma branca”.

O termo é pejorativo, disso não há dúvida. Mas nada tem a ver com racismo. A expressão “negro de alma branca”, por mais cruel que possa ser, é a expressão, justamente, do anti-racismo, é a expressão angustiada de muitos que militam nos movimentos negros contra aqueles pares que, ao longo dos séculos, têm abaixado a cabeça aos desmandos das elites brancas que os espancaram, violentaram e humilharam. O “negro de alma branca” é o negro que renega sua cor, sua raça, em nome dessa falsa democracia racial tão cara a quem dela usufrui. É o negro que se finge de branco para branco ser, mas que nunca será, não neste Brasil de agora, não nesta nação ainda dominada por essa elite abominável, iletrada e predatória – e branca. O “negro de alma branca” é o negro que foge de si mesmo na esperança de ser aceito onde jamais será. Quem finge não saber disso, finge também que não há racismo no Brasil.

Recentemente, fui chamado de racista por um idiota do PCdoB, partido do qual sou, eventualmente, eleitor, e onde tenho muitos amigos. Meu crime foi lembrar ao mundo que o vereador Netinho de Paula, pagodeiro recentemente convertido ao marxismo, havia espancado a esposa, em tempos recentes. E que havia dado um soco na cara do repórter Vesgo, do Pânico na TV. Assim como PHA agora, fui vítima de uma tentativa primária de psicologia reversa cujo objetivo era o de anular a questão essencial da discussão: a de que Netinho de Paula era um espancador, não um negro, informação esta que sequer citei no meu texto, por absolutamente irrelevante. Da mesma forma, Paulo Henrique Amorim se referiu a Heraldo Pereira como negro não para desmerecer-lhe a cor e a raça, mas para opinar sobre aquilo que lhe pareceu um defeito: o de que o repórter da TV Globo tinha “a alma branca”, ou seja, vivia alheio às necessidades e lutas dos demais negros do país, como se da elite branca fosse.

Não concordo com a expressão usada por PHA. Mas não posso deixar de me posicionar nesse momento em que um jornalista militante contra o racismo é acusado, levianamente, de ser racista, apenas porque se viu na obrigação de fazer um acordo judicial ruim. Não houve crime, sequer insinuação, de racismo nessa pendenga. Porque se pode falar muita coisa sobre Paulo Henrique Amorim, menos, definitivamente, que ele é racista. Qualquer outra interpretação é falsa ou movida por ma fé e vingança pessoal de quem passou a ser obrigado, desde o surgimento do blog “Conversa Afiada”, a conviver com a crítica e os textos adoravelmente sacanas desse grande jornalista brasileiro.

Leia também:

Rodas aciona PM para desocupar moradia; 12 alunos presos

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



109 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

pperez

26 de fevereiro de 2012 às 11h18

PHA tem carater e como se vê, não se opoe ao debate sobre o assunto.
Mas acho que ele cortou uma bola denecessaria!

Responder

Carlos

25 de fevereiro de 2012 às 21h12

Entendo que PHA apenas e tão somente ironizou querendo dizer, apenas e somente, que o dito preto e negro Heráclito – eu também sou; sou um sasso borro (vide livro Negras Raízes) – era aceito entre os VERDADEIROS PRECONCEITUOSOS do PIG e sua "jente" por se enquadrar no conceito de "preto de alma branca" utilizado por uma tal senhor fulano, na época, se referindo à uma ministra negra.

Responder

Jose Antonio Batata

25 de fevereiro de 2012 às 15h35

PHA , Viveremos, lutaremos e Venceremos. Venceremos porque nossa causa é JUSTA.. Você é muito importante para o POVO desta país. Você tem história.. O BRASIL precisa de você. Não desista nunca de sua luta .. Você vencerá o PIG. Sua vitória será igual a de Davi derrotando Golias..

Responder

Francisco Nogueira

25 de fevereiro de 2012 às 11h58

Estamos aguardando a opinião pessoal do Azenha.

Responder

Claudio Gonçalves

25 de fevereiro de 2012 às 11h04

Para mim só existe uma raça, a raça humana, infeliz daquele que pretende se promover ou se deprecia pela cor de sua pele, ou ainda se sente ofendido toda vez que se menciona a diferença, mera diferença de estereótipo nada mais. simples assim.

Responder

Claudio Gonçalves

25 de fevereiro de 2012 às 10h57

Para mim só existe uma raça, a raça humana, infeliz daquele que pretende se promover ou se deprecia pela cor de sua pele, ou ainda se sente ofendido toda vez que se menciona a diferença, mera diferença de estereótipo nada mais. simples assim.
Pobreza de espirito, nada mais.
"Se a pobreza é a mãe dos crimes, a falta de espírito é o seu pai"
— La Bruyère

Responder

Fabio_Passos

25 de fevereiro de 2012 às 00h39

Muito legal este vídeo com a música do Saul Willians na famosa dança da escada do Bojangles.
Bojangles era um artista fantástico explorado em papéis que sempre colocavam os negros em posição caricata e servil.

O Heraldo Pereira é um situação bem diferente.
Serve concientemente, como bucha de canhão, aos interesses que perpetuam a exclusão social dos negros no Brasil.

[youtube ioKBB5y3z5k http://www.youtube.com/watch?v=ioKBB5y3z5k youtube]

Responder

Gerson Carneiro

24 de fevereiro de 2012 às 22h48

Todos sabem quem é o Tio Rei. Alguém perde tempo escrevendo livro sobre o Tio Rei? Não, escrevem sobre o Lula. Por que?

Por causa da importância do Lula. Assim é com o PHA.

É natural que uma pessoa grande, de destaque, atraia não só admiradores, mas também aqueles que a odeia e não perdem oportunidade de tentar diminuí-la. Fazendo uso da forma mais vil.

"Não se deve esperar virtude dos demônios".

Por isso, não me espanto.

Responder

    Rodrigo Leme

    27 de fevereiro de 2012 às 09h10

    É por isso que você e outros falam tanto do Tio Rei? Não achei q ele fosse importante assim, mas se o volume de gente que fala mal do jornalista é determinante, então tenho que aplicar sua teoria a ele…

    E o PHA sempre tve gente pra falar mal dele. Duvido que você não falava mal dele qdo ele mandava aquelas reportagens sobre o apto de Lula em São Bernardo qdo era editor do Jornal da Band.

Gerson Carneiro

24 de fevereiro de 2012 às 23h07

“Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração”

O autor não poderá ser processado porque já não está no mundo dos processos.

Responder

douglas da mata

24 de fevereiro de 2012 às 22h52

Ninguém deve se beneficiar da própria torpeza.

Leandro diagnostica com perfeição: Ao reclamar da suposta injúria racial, heraldo foi além do conformismo "pai-tomás".

Assumiu e colocou em riste o chicote midiático, e no melhor estilo capitão-do mato espancou a verdade no pelourinho: Somos um país de negros que odeiam negros!

Responder

Adilson

24 de fevereiro de 2012 às 20h10

Solidariedade total a PHA. O que vi nesse episódio foi uma imprudência, talvez uma falta de cuidado maior, já que sabemos que trata-se de uma questão muito delicada aqui no Brasil.

Mas o que interessa mesmo é o contexto em que ele aplicou a frase.

Fica evidente que ele, no afã de tentar mostrar uma situação que muita gente ainda finge não ver, acaba se expondo ao extremo, usando essa expressão tão pesada e execrável para justamente mostrar como pensa uma boa parte da nossa elite.

Quando li o que PHA escreveu pensei justamente o contrário do que esses que agora estão tentando acusá-lo.

PHA é uma das pessoas mais combativas desse racismo perverso e velado que há no Brasil.

Parabéns pela sua luta.

Responder

Marcelo de Matos

24 de fevereiro de 2012 às 17h43

“Não concordo com a expressão usada por PHA”. Esse é o ponto fulcral da questão: eu também não concordo. Essa expressão “negro de alma branca” talvez seja a maior pérola produzida pelo racismo pátrio. Não devemos usá-la com relação a nenhum afrodescendente, já que se trata de um tremendo vitupério. Se PHA a tivesse empregado in off e a expressão tivesse vazado, como ocorreu com Boris Casoy, vá lá. Parece, porém, que não foi assim. Casoy, que teve a infelicidade de falar in off o que vazou, pediu desculpas aos telespectadores da Band. Lembram? “Que m…, dois lixeiros desejando felicidades no Ano Novo, do alto de suas vassouras. O mais baixo da escala do trabalho”… Sabemos perfeitamente que PHA não é racista, como eu, pelo menos, acredito que Casoy não tem antipatia pelos lixeiros. Sei que ele gosta de fazer graça, com tudo e com todos. Se as escusas são válidas para PHA, o são também para Casoy que, ao menos, teve a coragem de vir a público e pedir desculpas.

Responder

dukrai

24 de fevereiro de 2012 às 18h37

se retratar significa ficar o dito pelo não dito e deixar morrer ali um processo que se sabe longo e de sucesso duvidoso, não significa que o fato não existiu. O Stanley Burburinho tuitou pra Monica Bergamo pra ela publicar que o Heraldo Pereira foi, sim, do Conselho Estratégico da TV Justiça, veja aqui http://twitpic.com/8o04yq/full
lugar onde a sua esposa foi/é alta funcionária e que ele trabalhou para o IDP. E aí, amigos do Heraldo, ele vai processar o Stanley também?

Responder

César

24 de fevereiro de 2012 às 18h12

Tempos bicudos… E em assim sendo, ter um PHA na trincheira é uma ferdadeira sorte.
Ainda bem que existe um PHA pra destoar do blá blá blá geral do PIG e asemelhados.
O resto é despeito e pobreza de espírito. Coisa de gente adoentada e feia.

Responder

JoãoP

24 de fevereiro de 2012 às 17h33

Na minha opinião esse Heraldo perdeu uma grande oportunidade de mostrar que tinha uma alma melhor do que o comentário do PHA. Viva todos os blogs "sujos"!

Responder

    Fabio_Passos

    24 de fevereiro de 2012 às 23h25

    O PHA não está nem aí prá estes bocós da mídia-moribunda… e continua mandando ver na renca de racistas da rede globo.

    Leiam a sensacional defesa do PHA na audiência de conciliação:

    "
    NEGRO DE ALMA BRANCA DE PRESTÍGIO, UMA CELEBRIDADE, É O NEGRO QUE NÃO SE VALE DA POPULARIDADE E DO PRESTÍGIO PARA DEFENDER O NEGRO PRESO À CORRENTE DA ADVERSIDADE.

    NEGRO DE ALMA BRANCA PODE SER TAMBÉM AQUELE QUE SE PRESTA A COONESTAR AS POSIÇÕES, AS TESES DE QUEM É CONTRA OS DIREITOS CIVIS DOS NEGROS OU DOS QUE COMBATEM AS POLÍTICAS QUE PODEM DAR INDEPENDÊNCIA ECONÔMICA E RECONHECIMENTO SOCIAL AOS NEGROS.

    (…)

    NEGRO DE ALMA BRANCA É O NEGRO BEM SUCEDIDO QUE NÃO DEFENDE OS NEGROS – QUE DESMENTE A NECESSIDADE DE POLÍTICAS FOMENTADORAS DA IGUALDADE RACIAL E CORROBORA A TESE DE ALI KAMEL DE QUE O BRASIL NAO É RACISTA.”
    "

    Gilmar, Heraldo e a Globo.
    Como PHA se defendeu http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/02/2

Luiz Felipe

24 de fevereiro de 2012 às 16h06

"Paco, o linchador – Em seu site Conversa Afiada, Paulo Henrique Amorim publicou na noite de sexta-feira (3/11) a seguinte manchete: “Internautas criticam artigo de Alberto Dines”. Clica-se e aparece a foto deste observador e um pequeno texto: “A favor da mídia. Internautas criticam artigo em que Alberto Dines, do Observatório da Imprensa, se manifesta a favor da mídia”. Os curiosos então clicam para saber o que Paulo Henrique Amorim, porventura, tem a dizer sobre o assunto e descobrem que Paulo Henrique Amorim, como sempre, nada tem a dizer: escafedeu-se. Mas como precisa fazer jus ao cachê de linchador, remete para os comentários dos internautas furiosos com este observador. Convém registrar que o afiadíssimo site é completamente cego em matéria de interatividade e democracia: não recebe comentários dos leitores. Paulo Henrique Amorim – Paco, para os íntimos – é o protótipo do linchador. Paradigma do empastelador. Agente provocador de quebra-quebras. Tem longa experiência nesta matéria. Paco agora anda camuflado de militante petista. O disfarce vai durar pouco. Em setembro de 1998, véspera da segunda disputa Lula-FHC, ele comandou na TV Bandeirantes uma viciosa cruzada contra Lula com os mais torpes argumentos. Pretendia denunciar a operação financeira que permitira ao então líder sindical a compra de um apartamento em São Bernardo do Campo. Não foi um ataque político, foi um golpe baixo. Não foi um surto pontual, foi uma cruzada contínua, demorada, persistente. Em todas as edições do principal telejornal da Band, durante longos minutos, com todos os recursos de edição, depoimentos, documentos e aquela vozinha histérica, nasalada, tentando levantar os ânimos para derrotar Lula logo no primeiro turno. Paco, o linchador, era o âncora do telejornal e conseguiu ser ouvido por alguns veículos. (…).”"
http://www.interney.net/blogs/imprensamarrom/2010

XXXXX

Detalhe: Paulo Henrique Amorim é o único jornalista até hoje processado pelo Lula.

Responder

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 12h44

    Esse é fascista militante…

Regina Braga

24 de fevereiro de 2012 às 16h50

PH,racista?kkkkkkkkkk….e o Kamel é humanista?kkkkkkkkk.No fundo o PH,só pode ser condenado por ter uma conversa, muito afiada.Muita afiada, contra gente, de um grande,enorme, peso para o Brasil.O blog dele vai bombar, mais ainda.Avante guerreiro!!!

Responder

praboiacordar

24 de fevereiro de 2012 às 16h48

do blog http://www.historiaspraboiacordar.wordpress.com

PAULO HENRIQUE AMORIM E O RACISMO: A BLINDAGEM CORPORATIVA FEITA POR "JORNALISTAS PROGRESSISTAS" É UM DESSERVIÇO À ELIMINAÇÃO DO PRECONCEITO RACIAL

O jornalista Paulo Henrique Amorim contribui inegavelmente para escancarar as desigualdades raciais no Brasil. Através de seu blog Conversa Afiada, ele é um crítico voraz de Ali Kamel e de toda a corja de pseudo-intelectuais que tentam nos convencer de que a escravidão não trouxe qualquer impacto social ao Brasil e que não somos um país racista.

Por isso, não deixa de causar espanto a notícia de que Paulo Henrique Amorim terá que se retratar por declarações de cunho racista sobre outro jornalista, Heraldo Pereira, da TV Globo. Para evitar uma possível condenação pelo crime de racismo (PHA se referiu a Heraldo como “negro de alma branca”), ele fez um acordo no qual se comprometeu a fazer uma doação de R$ 30 mil a uma instituição de caridade e a publicar uma carta de retratação nos jornais Folha de S. Paulo e Correio Braziliense.

Quando PHA caracterizou um individuo negro como “de alma branca” ele estava consciente da conotação racista da expressão. Foi com esta frase que uma parte da elite branca e racista se acostumou a “elogiar” um indivíduo negro.

Mas PHA quis ser irônico: ao usar a expressão “negro de alma branca” ele não quis “elogiar” Heraldo Pereira, mas criticá-lo. Ele insinuou que Heraldo Pereira estava se submetendo aos interesses escusos de uma elite branca e, portanto, estava agindo em desacordo com a sua própria “alma”, com atributos supostamente inerentes à sua cor.

Embora tenha invetido a lógica historicamente dada à expressão, não existe possibilidade de evitar a conotação racista na utilização dessa famigerada metáfora, pois ela atribui defeitos e qualidades aos indivíduos com base na cor da pele, como se existisse uma moralidade e um conjunto de valores diferentes para brancos e negros.

É incorporando os valores preconceituosos que atravessam a linguagem que o racismo se manifesta mais frequentemente. Ele não é escancarado, mas está nas entrelinhas do discurso que relaciona a cor de pele com atributos diversos, seja de classe ou de moral.

Parece que PHA percebeu o equívoco no uso daquela expressão, tanto que estabeleceu um acordo com Heraldo Pereira se comprometendo a uma retratação pública.

O mais lamentável dessa história é a postura de jornalistas e blogueiros que estão procurando “blindar” PHA nas redes sociais. Os argumentos usados por eles se aproximam dos mais rasos artifícios utilizados por aqueles que são acusados de racismo: “a frase foi tirada de contexto”, “ele foi mal interpretado”, “não entenderam a ironia sutil do jornalista”. O problema, portanto, não estaria na metáfora racista que aquela expressão revela, mas na má fé de quem a interpretou.

Enquanto a “intenção” daquele que faz uso de uma linguagem preconceituosa for o critério para a criminalização ou não de uma manifestação racista, não haverá condenação para esses casos. Vamos continuar nos contentando, como no caso de PHA, com acordos jurídicos que evitam a caracterização do racismo.

O primeiro passo para acabar com o racismo, como com qualquer trauma, é assumir a sua existência: o racismo está inculcado na mentalidade de TODOS os brasileiros. Esse foi um dos muitos ônus de mais de 300 anos de escravidão, sobretudo africana, no Brasil.

Portanto, seria muito mais “progressista” tirar uma lição desse fato, e não tentar justificar as “intenções” da sua manifestação e/ou da sua ampla divulgação. E a lição é simples: o racismo existe no Brasil independente de postura ideológica ou de formação intelectual.

Responder

eunice

24 de fevereiro de 2012 às 14h29

Quem não anda a pé no Brasil também não anda nos States, mas….
Lá eu vi negros jovens atravessando a rua bem devagar, azucrinando o cara do carrão, fazendo-o esperar, só para usar de seu direito.

Ainda vamos ver isso aqui. Aqui nem o negro rico usa de seu direito.
Anoto que qualquer toque no nome da pessoa tem que ser muito, mas muito restrito, sempre há o risco de melindre, mesmo.

Responder

    Wildner Arcanjo

    24 de fevereiro de 2012 às 17h43

    O direito que ele têm e o direito de qualquer pedestre: atravessar a rua em segurança. Na nossa legislação, como é na legislação de trânsito dos EUA, o motorista é responsável pela vida e integridade física do pedestre. Existe algo errado nisso? Ou só é errado porque ele era negro? Se os brancos não fazem o mesmo…

helio filho

24 de fevereiro de 2012 às 14h27

Quanta bobagem!
Com toda a autoridade de quase-branco nascido na Bahia, posso afirmar que preto de alma branca (assim se fala na Casa Grande por aqui, preto mesmo) e uma expressao repetida por geracoes, com condescendencia,
pelos supostos brancos quando tratam dos negros submissos. Ouvi frequentemente na minha infancia, na escola, na rua e em casa. Os outros pretos, os de alma preta, sao pretos presepeiros ou preguicosos…
Quando falada por um preto, referindo-se a outro preto que aspira a ser branco, trata-se de ironia. Os pretos na Bahia, em sua imensa maioria, sabem que sempre serao pretos e como pretos sempre serao tratados pelos que se julgam brancos. Nao precisam que nenhum branco lhes explique o que e o racismo. Ali Kamel nao os
impressiona, Heraldos Pereiras sao tratados com escarnio, nao sao Minha Cor, como se diz na Liberdade ou na Cidade Baixa, sao Orebas (giria antiga), ou seja, mais otarios que trairas.
Com a autoridade de soteropolitano ha mais de 48 anos, concordo com PHA – Heraldo Pereira e um preto de alma branca que, coitado, nunca sera branco.

Responder

    Fabio_Passos

    24 de fevereiro de 2012 às 23h29

    Falou e disse!
    O assanhamento desta direita forrada de racistas é mais uma prova de que o PHA acertou na veia.

Eduardo Guimarães

24 de fevereiro de 2012 às 13h27

Lideranças de movimentos negros apoiam Paulo Henrique Amorim http://www.blogcidadania.com.br/2012/02/lideranca

Responder

    praboiacordar

    24 de fevereiro de 2012 às 16h55

    Sueli Carneiro, do Geledes:

    "Paulo Henrique Amorin errou em relação a Heraldo Pereira, ele sabe disso, deve pagar! Nenhuma pessoa negra que tenha dignidade aceita ver qualquer [email protected] ser tachado de “negro de alma branca” ou por qualquer outro pejorativo relativo á sua raça. Ser progressista, de esquerda não é, necessariamente, antídoto contra o racismo; nem um cheque em branco para desvios dessa natureza."
    http://www.geledes.org.br/em-debate/sueli-carneir

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 10h16

    A fascistada tá agitada, né? Sai do armário, fascista!

eunice

24 de fevereiro de 2012 às 14h24

Em tempo: a expressão "negro de alma banca" é a expressão usada desde primórdios – pelos brancos- para se referir ao negro que se encaixava nos padrões exigidos de moral branca. (Ele não é malandro, não rouba, toma banho, fala a língua sem erros, etc, etc, assim igual aos brancos, então até parece um branco, ou quando não seja branco ao menos tem a alma branca) nos tempos em que os negros não tinham direito nem a banho, por falta de moradia, nem a escolas, nem a salário, nem a trabalho digno, ou seja, aos direitos dos brancos.

Responder

José DF

24 de fevereiro de 2012 às 14h06

É muito engraçado. A covarde patuleia que se refugia no anonimato e ainda se regozija com o câncer do ex presidente Lula, agora arrota moralidade sobre o episódio envolvendo o jornalista Paulo Henrique Amorim.
Contaminaram o processo eleitoral disseminando ignorância, preconceito, intolerância, ódio e desinformação contra o ex presidente e a então candidata Dilma.
Imaginem se o Lula resolvesse processsar todos seus detratores. E os ataques rasteiros que sofrem os beneficiários do bolsa família? Os cidadãos negros e pobres (majoritariamente negros) que hoje frequentam o ensino superiror seja por meio de cotas ou PROUNI?
O DEM foi ao STF contra as cotas. Na dita grande imprensa, alguém acusou partido de defender o rascismo por pretender a extinção do ingresso de negros nas universidades públicas?

Responder

Janah

24 de fevereiro de 2012 às 13h59

Chocolate pode?

Responder

    Wildner Arcanjo

    24 de fevereiro de 2012 às 17h47

    Eu adorava quando uma mulher me chamava de chocolate… Agora, a comadre aqui em casa só me chama de indivíduo, traste e adjetivos! Eita lasqueira!!!
    (Claro que é brincadeira)

Luiz Felipe

24 de fevereiro de 2012 às 12h50

PHA cada dia mais parece ter enlouquecido e perdido completamente as estribeiras, no tempo do caso do pinheirinho, ele chamou diretamente o Alckmim, Serra e o povo paulista de nazistas.

Tenho certeza que está sendo processado por isso também.

Responder

    Francisco Nogueira

    24 de fevereiro de 2012 às 22h25

    Tá não, sabe por que? Político é xingado, esculhambado e depois, quando convém, se abraçam como se nada tivesse acontecido. Neste caso que você comenta os dois têm medo que saia coisa pior, assim nazista até que está razoável.
    Bem, não lembro de ter lido este 'elogio', mas com certeza foi algo semelhante. Mas, creia, ele nunca se dirigiria ao povo paulista. Então você tem a obrigação de corrigir: ele deve ter dito elite paulista, o que convenhamos é muito diferente. A semelhança está que a elite pode ser qualquer uma, de qualquer estado ou país.

    douglas da mata

    24 de fevereiro de 2012 às 23h35

    Processado por quem, pelos nazistas? Ah, bom, eles teriam razão de rejeitarem tal comparação.

    Tinham método definido e todo mundo sabia o que queriam. Horrorosos como os demotucanalhas, mas muito, muitíssimo mais honestos.

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 10h13

    Olha o fascista aí de novo!

marreta

24 de fevereiro de 2012 às 13h23

Enquanto isso, o PIG tenta canonizar uma criminosa só porque ela era dona de uma loja de produtos de granfinos.

PHA é um lutador, defensor do direito dos negros e outros grupos marginalizados no Brasil, os ataques que recebe são por suas virtudes e não por seus defeitos.

Senta a marreta neles PHA!

Responder

macz

24 de fevereiro de 2012 às 12h21

Conheço muitos brancos de'' alma negra'' , e muitos negros de ''alma braca'' !

Responder

Pedro

24 de fevereiro de 2012 às 12h10

Heraldo, leia a autobiografia do Malcolm X para você conhecer melhor a alma dos seus patrões brancos.

Responder

Taiguara

24 de fevereiro de 2012 às 12h10

Ha….antes que me censurem: NÃO GUARDO NENHUM TRAÇO DE RACISMO.

Responder

Taiguara

24 de fevereiro de 2012 às 12h06

Ô PHA, vai lá e diz que ele é um branco de alma negra. Apesar de ser uma "meia verdade" quem sabe ele entende como elogio?

Responder

Bley

24 de fevereiro de 2012 às 12h03

O que percebo aqui é uma revoada de trollcanos posando de livres pensadores. Mas o que eles não conseguem esconder é a premissa quesubjaz às suas intervenções: a legitimação de uma plutocracia travestida de democracia, conforme se deixa traduzir pelo projeto político e de poder que os mesmos estão identificados. O ridículo das intervenções é o ar de superioridade intelectual que querem crer gozar em detrimento de todos os demais.

Responder

Cleverton_Silva

24 de fevereiro de 2012 às 11h57

O pig realmente surgiu com asneiras, e pra variar a globbels "condenou" PHA por racismo pelo que deu nas manchetes. A defesa oral (publicada no site) dele mostra clareza em relação a sua opinião. O máximo da acusação dele a Heraldo é realmente a falta de postura diante do achincalhamento e humilhação que a globbels desfere contra os negros, e que não há nenhuma reação interna. Pluralidade de opiniões, a gente não vê na gloebbels!

Responder

Gerson Carneiro

24 de fevereiro de 2012 às 11h46

Os urubus que pousam sobre o caso PHA são os que ficam à espreita de um ato falho dele. Nenhuma surpresa.

Agora vou alí tomar um CAFÉ PRETO de LEITE BRANCO.

Responder

    EUNAOSABIA

    24 de fevereiro de 2012 às 11h55

    Vai te tratar cara, tu és um doente.

    Rodrigo

    24 de fevereiro de 2012 às 17h36

    Insabível!!!
    Tu conhece a história de "O Alienista" do Machado de Assis?
    Boas obras literárias fazem bem, você NÃO SABE o quanto…

    dukrai

    24 de fevereiro de 2012 às 18h14

    smith, esqueceu do rivotril?

    Leider_Lincoln

    24 de fevereiro de 2012 às 18h58

    A crise na Irlanda o levou a pensar na família do tio do tetravô do irmão do concunhado do vizinho dele e a se deprimir com o destino dos seus "ancestrais" celtas…

    dukrai

    25 de fevereiro de 2012 às 09h24

    e descendência direta de Chatotorix, do ramo gaulês kkkkk

    Gerson Carneiro

    24 de fevereiro de 2012 às 18h45

    "Não conheço outro comentarista que use esse nick, mas duvido que seja ponderado e educado como eu"

    "sempre procuro fazer meus comentários de modo a promover um debate alteneiro e propositivo"

    EUNAOSABIA, vulgo Sonsinha Francínica, no post "Tucana critica o mais preparado e o mais competente", na data de ontem.

    Ricardo

    24 de fevereiro de 2012 às 17h10

    Teima, lesado!

    Wildner Arcanjo

    24 de fevereiro de 2012 às 17h41

    Pois é, mais cedo ou mais tarde aconteceria. Mas quem conhece o PHA sabe que ele presta muito mais a Sociedade (seja branca ou negra, ou miscigenada) do que estes brancos de alma negra, ou negros de alma branca. No fim das contas, como gosta de falar um amigo meu: Fica o aprendizado com do erro. Bola pra frente! Isso não diminui nem desabona o papel prestado por este Grande Jornalista, ao contrário, torna-o mais forte.

Adão Paim

24 de fevereiro de 2012 às 11h38

Eu , sinceramente, não acredito que esse jornalista de "alma branca" venha a dar continuidade a essa pendenga.
Que fraqueza desse cidadão de cor.
Vendeu tudo que tinha.

Responder

bissolijr

24 de fevereiro de 2012 às 11h35

não vou me esquecer do sr.heraldo se ajoelhando com microfone para pegar um comentário do sr.gilmar mendes. rebaixou-se, literalmente, a mando de seus patrões-casa-grande. tem vezes que penso que sou obrigado a assistir/ler a/o globo para não perder cenas como essa e ter meus próprios balizamentos para concluir, ou tentar. (mas como assistir/ler a imprensa golpista sem sentir azia? como fico ao imaginar a reação do público cativo das globos, consumidores de tantas inverdades? como pensar um país melhor com os pigs? e as pesquisas que dão como feliz a nossa sociedade? e a sexta economia mundial cercada de esgotos nas cidades? esgotos biológicos e mentais.)

Responder

    Fabio_Passos

    24 de fevereiro de 2012 às 23h36

    Não há brasileiro bem informado que não saiba: A rede globo defende descaradamente a perpetuação do racismo no Brasil.
    É o sustentáculo do Apartheid Social construído pela "elite" branca e rica do olho azul.

Willian

24 de fevereiro de 2012 às 09h32

Há outros apresentadores negros no telejornalismo brasileiro. Uma apresenta o SBT Brasil, Joyce Ribeiro e a outra é Zileide Silva, também da Globo, além de Flávia Oliveira, economista, que trabalha no Globo e na Globonews. Serão elas também negras de alma branca? Será que também elas tem apenas o fato de serem negras e de origem pobre como qualificativo para alcançar esta posição, como disse PHA de Heraldo? Olha, mais uma vez, o que me parece é que tanto PHA quanto Leandro Fortes estão tentando é mostrar aos negros qual é o seu lugar. No caso, este lugar seria a militância dos movimentos negros. Mas não deixa de serem DOIS BRANCOS querendo colocar os NEGROS no seu devido lugar. Aliás, mais uma vez.

Responder

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 10h20

    Willian defendendo os negros… como se a gente não te conhecesse, fascistinha…

Flavio Lima

24 de fevereiro de 2012 às 10h28

Todo apoio ao PHA!

Responder

Rodrigo Leme

24 de fevereiro de 2012 às 10h15

Que beleza, censurando comentários…aparentemente o assunto só pode ser discutido com a régua de quem quer protegfer o PHA das bobagens que ele mesmo fala. Progressistas indeed, não tem nem diferença em relação aos Reinaldos Azevedos da vida…

Responder

    Conceição Lemes

    24 de fevereiro de 2012 às 10h24

    Qual, Rodrigo? Além desse, já há dois comentários seus neste post. abs

    Leider_Lincoln

    25 de fevereiro de 2012 às 10h07

    Ele quer é aparecer, Conceição… É um troll, e é isso que os trolls fazem!

    adão paim

    24 de fevereiro de 2012 às 11h40

    Eu tenho pena dessa gente que mudou a alma de cor.

    RicardãoCarioca

    24 de fevereiro de 2012 às 12h04

    Esse Rodrigo, boca entortada com o cachimbo da censura do PiG, acha que aqui também tem isso.

Paulo Ribeiro

24 de fevereiro de 2012 às 10h09

Este Heraldo é um deslumbrado e não merece o nosso respeito. A chibata da Globo ainda vai arder em seu lombo e quer ver se ele terá a cara de pau de pedir a nossa solidariedade.

Responder

Daci

24 de fevereiro de 2012 às 10h02

Estou bege com o que li no G1 sobre o assunto e o pior são os comentarios… kkkkkkkkkkkkkkk
Só quem não conhece o Conversa Afiada é induzido ao erro que parece proposital.
Qunto odio o PIG tem de quem não segue a cartilha deles, quanto sensacionalismo barato hein rede bobo?

Responder

Julio Silveira

24 de fevereiro de 2012 às 09h58

Se é verdade, que existe esse processo contra o PH, ele decorre da artimanha mais baixa que se possa atribuir a alguem sem nenhuma outra jusitificativa e que foi pego no flagrante. E sem ter mais o que fazer nem como negar, apela.
Digo isso por que acompanho essa desdita do PH contra nossos diversos adversários, por que pelos fatos narrados por esse formidavel profissional não são somente deles, são também nossos adversários, do Brasil.
E, só podia ser mesmo o PH, o nosso ponta de lança famoso, nosso craque, a desnudar para o publico cidadãos e atos que envergonham os decentes. Nessa história somos as vitimas e PH nosso homem do sacrificio.

Responder

Romanelli

24 de fevereiro de 2012 às 08h48

Não concordo

PHA é preconceituoso sim ..por mais de uma vez eu me senti ofendido por ele ..toda hora ele fala mal de paulista, paulistano, dizendo que sua elite branca e de olhos azuis daqui é racista ..tudo tudo sem dar nome aos bois ..de uma forma genérica, estereotipada e irresponsável mesmo (pra um de-formador de opinião como ele, claro)

Aliás, eu já perdi a conta das vezes que o mesmo abre a matraca pra falar mal da CHUIÇA e exaltar o RIO, por exemplo ..mesmo que ambos cometam dos mesmos pecados e faltas

Sinceramente, acho que se ele usasse bem os seus argumentos e conhecimento, poderia até angariar a minha simpatia ..mas do jeito que profere besteiras como a de que paulistano, após eleger mulheres, jovens e idosos, negro, carioca e até homossexual, falar que a sociedade daqui é sectária e conservadora, contra minorias e nordestinos, só mesmo o classificando como um cara invejoso e vingativo, bairrista e racista mesmo

e sobre o acordo que ele fez com o tal jornalista ..desculpe, mas aqui vale a máxima de que AMBOS sabem que dor de barriga não dá uma só vez, e ninguém sabe o dia de amanhã, não é mesmo ?

Responder

    Emerson Sousa

    24 de fevereiro de 2012 às 11h04

    Mas o termo "elite branca de olhos azuis" foi criada por paulistano: o ex-governador Claudio Lembo. E, convenhamos, a elite branca de olhos de azuis é racista mesmo, enquanto que o cidadão médio da nossa metrópole é mesmo sectária e conservadora, mesmo. E até se orgulha disso! A eleição de representantes da minoria é mais resultado do grande eleitorado paulista do que das posições defendidas pelo eleitos médio. Nisso o PHA não está errado, e raramente ele está!

    douglas da mata

    24 de fevereiro de 2012 às 23h06

    Não, não, não…paulistano não é assim, ele é só "diferenciado".

    Brincadeiras à parte, vamos ao debate:

    O que o comentarista parece não entender é que um jornalista como PHA, com ativa militância política e que combate a "democratura" dos meios de comunicação e da imposição de padrões, jeitos e trejeitos, precisa ampliar suas críticas para determinado "traço", porque, afinal, é esse "traço", esta característica (este "sotaque social") que acaba por significar e delimitar o campo simbólico e discursivo da esfera pública de debates de cada região, com tudo o que estes valores representam.

    Ora, SP tem, historicamente, um pensamento hegemônico definido, mas também carrega contradições que desafiam este "status quo", mas é esse "consenso" que orienta as política públicas e outras ações, por exemplo.

    Como disse Julius Caesar: "é muito difícil que não nos tornemos aquilo que pensam de nós".

    Então, cariocas se acham "malandros, gente boa", mineiros se acham "raposas, matreiros", nordestino é "forte, cabra da peste" e por aí vai.

    Ora, para desconstruirmos e contrapormos as simplificações pasteurizadoras que estão por trás destes mitos, é preciso usar estas referências discursivas.

    É o que PHA e tantos outros fazem, ou seja, fazemos, todos nós fazemos…sempre.

    Angela Lima

    25 de fevereiro de 2012 às 13h13

    Isso Douglas. Isso é fato o resto é bobagem de letrinhas…

    tiago tobias

    25 de fevereiro de 2012 às 04h33

    Eu sou paulista e nunca me senti ofendido pelo PHA. Talvez pq a carapuça não me serve.

    Leider_Lincoln

    25 de fevereiro de 2012 às 09h48

    Cara, você é um troll conhecido, não vem com migué para cima da gente não, faça-nos o favor e tenha a santa paciência! Como assim "poderia até angariar a minha simpatia "? Deixe de ser cínico! Você está é aproveitando a oportunidade para despejar seu fel, infeliz…

    cronopio

    25 de fevereiro de 2012 às 16h56

    Você é fascista conhecido. Não tente voltar pro armário. Por favor, um pouco de dignidade.

    George A.F. Gessário

    26 de fevereiro de 2012 às 00h43

    Nossa vc por aqui, como vai o blog do Nassif??? Vc anda tendo brigas intermináveis lá ainda???

Willian

24 de fevereiro de 2012 às 09h35

Um branco ensinando um negro a ser negro. Legal!

Responder

tiago tobias

24 de fevereiro de 2012 às 08h27

Aconselho a todos irem no blog do Reinaldinho e ver como os fugitivos de Nuremberg estão atiçadinhos e atacando os blogs progressistas. Foi o primeiro grande tiro que deram em nós no combate, mas a batalha será vencida pela gente, não tenham dúvida.

Responder

    Paulo Roberto

    24 de fevereiro de 2012 às 10h26

    Perder tempo com o Reinaldinho Cabeção? Tô fora!

    tiago tobias

    25 de fevereiro de 2012 às 04h57

    Cabeção, como você combate a extrema-direita piguenta sem conhecê-la?

    George A.F. Gessário

    26 de fevereiro de 2012 às 00h45

    Essa história de ver o debate político como batalha é o q me preocupa…

Fabio SP

24 de fevereiro de 2012 às 08h26

Mas esse tipo de acusação está virando muleta para todos os lados agora…

Se vc é contra as cotas raciais, então é racista…

Responder

    Romanelli

    24 de fevereiro de 2012 às 10h45

    quando na VERDADE verdadeira (e isso que muitos não entendem), é justamente o contrário

    Romanelli

    24 de fevereiro de 2012 às 11h08

    quando na VERDADE verdadeira (e isso que muitos não entendem), é justamente o contrário

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 10h18

    Dois fascistas juntos, é um novo partido? Quem sabe vão dar cria?

    cronopio

    28 de fevereiro de 2012 às 15h31

    Corrigindo: se você é o "Fabio SP", então você é fascista.rs

abolicionista

24 de fevereiro de 2012 às 09h24

É claro que acusariam o PHA, ele mexeu com os poderosos. Vão acusar ainda mais, podem esperar. Trata-se da mesma oligarquia que se beneficiou com a escravidão e que não vai deixar o osso!

Responder

Mariano

24 de fevereiro de 2012 às 09h06

É, estão tendo de rebolar para explicar o inexplicável… mas está bem divertido ver o contorcionismo. O pior e que na defesa do PHA no processo eles dizem que era um elogio: "a matéria em discussão não se enquadra no conceito racista, não possui cunho pejorativo e não menosprezou quem quer que seja, como pretendido pelo contestado, pelo contrário, enalteceu o jornalista Heraldo Pereira"… realmente lamentável…

Responder

    Janah

    25 de fevereiro de 2012 às 15h40

    Me desculpe, mas divertido mesmo é saber que vc não conhece o PHA.

EUNAOSABIA

24 de fevereiro de 2012 às 09h03

Hummpfff… sei!

Responder

RicardãoCarioca

24 de fevereiro de 2012 às 09h01

PHA deveria processar o O Globo por mentir:
http://oglobo.globo.com/pais/paulo-henrique-amori

E todos vocês, como eu, poderiam demonstrar solidariedade postando comentários no endereço acima e demais jornais piguentos que estão mentindo sobre os fatos.

Responder

Rodrigo Leme

24 de fevereiro de 2012 às 09h00

Uma delícia a retratação do bonitão:

"“Retratação de Paulo Henrique Amorim, concernente à ação 2010.01.1.043464-9:
Que reconhece Heraldo Pereira como jornalista de mérito e ético; que Heraldo Pereira nunca foi empregado de Gilmar Mendes; que, apesar de convidado pelo Supremo Tribunal Federal, Heraldo Pereira não aceitou participar do Conselho Estratégico da TV Justiça; que, como repórter, Heraldo Pereira não é nem nunca foi submisso a quaisquer autoridades; que Heraldo Pereira não faz bico na Globo, mas é funcionário de destaque da Rede Globo; que a expressão ‘negro de alma branca’ foi dita num momento de infelicidade, do qual se retrata, e não quis ofender a moral do jornalista Heraldo Pereira ou atingir a conotação de racismo.”"

Então, é assim: ou ele mentiu quando falou na primeira vez ou mentiu na retratação. De qualquer maneira, todo mundo já sabe que o que ele escreve não vale nada.

Responder

    RicardãoCarioca

    24 de fevereiro de 2012 às 12h07

    E ainda assim, vale mais do que você escreve.

    Rodrigo Leme

    24 de fevereiro de 2012 às 13h34

    Pra quem tem pouco senso o PHA é prato cheio mesmo.

    Ele tem a distinta honraria de ser o único jornalista a ser processado por Lula, na época que você diria que o que ele escreve não vale nada. Chamou Lula de "desonesto" até, veja você.

    Claro, hoje é diferente…o poder mudou de lado, e o PHA junto. Pra ele, desfazer o que falou é simples, sempre vai ter quem goste do que ele fala.

    Francisco Nogueira

    24 de fevereiro de 2012 às 22h18

    UUUUUHHHH!!!!! (Pra quem sequer merece ser comentado, a vaia até que é muito educada)

    SILOÉ-RJ

    25 de fevereiro de 2012 às 00h39

    Só pra você.

Rodrigo Leme

24 de fevereiro de 2012 às 07h41

Pronto, esse texto era a piada.

Como é difícil condicionar suas opiniões jornalísticas ao grupo que você defende, não? É cada ginástica retórica que tem que se fazer pra preservar os seus…

Responder

    Zeca Duarte

    24 de fevereiro de 2012 às 10h06

    Rapaz, ele é inacreditável, olha isso:

    "Logo, Heraldo Pereira de Carvalho concorda: a expressão “negro de alma branca” não foi usada com sentido de ofender, nem teve conotação racista."

    Mas quando lemos os termos do acordo:

    "que a expressão ‘negro de alma branca’ foi dita num momento de infelicidade, do qual se retrata, e não quis ofender a moral do jornalista Heraldo Pereira ou atingir a conotação de ‘racismo’"

    Ora, é claro que Heraldo achou sim o termo racista e ofensivo, razão pela qual aceitou a RETRATAÇÃO, em que a pessoa RETIRA O QUE DIZ.

    E tanto PHA estava errado que teve que pagar indenização.

    Incrível é que essa é a gente que se diz crítico da mídia, progressista e tudo mais… tenha medo, tenha muito medo!

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 10h20

    Jornalismo barato é tentar atacar sempre o indivíduo em vez de suas idéias. É, aliás, uma estratégia fascista clássica, como você bem sabe…

Jairo_Beraldo

24 de fevereiro de 2012 às 08h10

O curioso, é que no site G1, na reportagem sobre o fato PHA/Heraldo, os comentarios são todos anti-PHA/Rede Record…até agora não vi nenhum dizendo algo positivo sobre Heraldo. Talvez o SILOÉ/RJ me corrija com sua sabedoria ímpar e como dono da verdade.

Responder

    SILOÉ-RJ

    25 de fevereiro de 2012 às 01h11

    Não seja injusto comigo. Não sou dona da verdade, o que mais tento fazer e ser coerente com os meus padrões éticos e políticos.
    Se vc ler o meu comentário na coluna do PHA, talvez se surpreenda.

Renato

24 de fevereiro de 2012 às 06h50

Que o PHA é racista, isso não tenho dúvida. Basta ver os comentários dele contra os Brasileiros que nascem em SP.

Responder

    sergio m pinto

    24 de fevereiro de 2012 às 13h28

    Engano seu. Os comentários são contra ALGUNS nascidos em Sampa. Por acaso, aquilo que poderia ser classificado de "papagaio de telejornal" ou leitor de certas mídias nativas.

    cronopio

    26 de fevereiro de 2012 às 10h17

    KKK, perdeu o bom-senso, fascista? Paulista agora é raça? Esse, além de fascista, é meio biruta…rs

elton

24 de fevereiro de 2012 às 07h48

Nós negros transformamos a vida na senzala, na vida de luxo da mansão. Quem vive no carcere ou aprende rapido a ama lo ou será consumido pelo ódio.
Sou negro de alma branca, porque assim o mundo quer e assim sou aceito.
Se há um culpado é o maldito orgulho humano. Doce ilusão quem crê ser mais que o outro.
Esse racismo e discriminação imunda estão dentro do ser humano, não é caracteristica da cor da pele.
Quando todas as cores tiverem o mesmo valor todos seremos negros.
Por que ser negro é ser brasileiro, é ser guerreiro, é ser humano.
PHA continue sua luta contra o racismo.

Responder

Jairo_Beraldo

24 de fevereiro de 2012 às 07h48

A primeira "obra" do causídico do querelante, é desqualificar a todo custo o querelado. E como tal, tudo hoje é "globalizado". Sempre ouvi de técnicos e jogadores de futebol -"futebol é dinamico". Agora, samba, também dito por mestres de baterias, "é dinamico". Como se a dinamica fosse uma descoberta dos tempos modernos. Assim "dinamicos" como Da Vinci, Galilei, Copérnico, Darwin, Einstein, para dizer somente de "dinamicos" da ciencia, não o fossem, mas foram "polêmicos" , pois pensavam à frente anos luz em suas épocas. Tipos que usam de atribuição jocosas, são os que atrasam a "dinamica", por isso ficam no ostracismo e poucos fazem seus nomes ficarem para a posteridade.

Responder

Jairo_Beraldo

24 de fevereiro de 2012 às 07h34

Fora de pauta:
Morreu no início da madrugada desta sexta-feira (24), em São Paulo, Eliana Tranchesi, antiga dona da butique de luxo Daslu, de acordo com o Hospital Albert Einstein.A assessoria de imprensa do hospital não informou o motivo da internação da empresária e disse que que a causa da morte será divulgada apenas com autorização de familiares.Eliana comandava a empresa fundada há mais de 50 anos anos por sua mãe, Lucia Piva. No fim de 2006, a empresária precisou retirar um tumor no pulmão." (G1)

"

Responder

    dukrai

    24 de fevereiro de 2012 às 17h41

    A Eliana Tranchesi estava em prisão domiciliar por causa do câncer em estado grave, motivo da sua morte. Deixou multas no valor de 500 milhões de reais na Receita Federal, número diorêia, com direito a retratação sob qualquer ameaça de processo rs

Fabio_Passos

24 de fevereiro de 2012 às 07h19

O que será que este repórter da rede globo pensa das mentiras de ali kamel sobre o racismo?
Infelizmente a alma deste heraldo pereira, além de branca… é azeda.
Não há sombra de dúvida.

Responder

Ewerton Monteiro

24 de fevereiro de 2012 às 07h09

A expressão usada por PHA, é imensamente infeliz, e pode sim ter sido usada como o adorável Leonardo Fortes, disse que ela tenha sido usada, mas em nada diminui sua infeliz utilização, até porque, diga-se de passagem, a cor da pele é o que menos deve ser notado quando contendas do tipo forem lançadas. Porque ninguém lembra de a cor da pele do jornalista William Bonner? Eterno assecla global? Ou do Renato Machado? E por ai vai… Não acredito que o PHA, seja um racista escroto, mas ele teve sim um momento racista, deixou que a cor do rival, falasse alto num momento de risível de embate. As vezes fazemos isso sem querer, as vezes nos, os negros, fazemos isso sem e por querer, também, como os não negros, é quase natural, afinal, vivemos num sociedade que vive a negar que seja o que realmente é, racista! E que além disso tenta introjectar nos seus que isso não existe… De alguma forma acaba pegando, no momento , naquele momento pegou o PHA, mas isso não faz dele um racista, um escroto, faz dele nada mais nada menos que um ser humano brasileiro, admitir isso é mais honesto que qualquer outra coisa.

De qualquer forma gostei do texto, em dados pontos eme admite o que tem de ser admitido.

Responder

    Jacy

    25 de fevereiro de 2012 às 23h36

    Concordo com você! PHA não teve essa intenção de se comportar como Racista, todavia na minha infância a frase " Preto de alma Branca" ou "Preto só na cor" designava que apesar de ser Negro a pessoa era boa. Então se falassem isso de mim eu ficaria ofendida. É como falar: Ela é Preta… mas é bonita … mas é inteligente ou outra frase equivalente.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.