VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Rodas aciona PM para desocupar moradia; 12 alunos presos


19/02/2012 - 12h25

Rodas aciona tropa da PM para acabar com ocupação de moradia; 12 alunos presos

do Blog da Assembleia Nacional dos Estudantes Livre – SP, por sugestão  do professor Caio Toledo e de Ricardo Maciel

Nesta manhã de domingo de carnaval, mais um triste fato marca a história da Universidade de São Paulo. Por volta das 5h da manha, mais uma vez o Reitor Rodas acionou a Polícia Militar para sitiar a Universidade, dessa vez para acabar com a ocupação da moradia Retomada. 12 estudantes foram presos, apesar de não terem resistido. Lutar não é crime! Repudiamos categoricamente a ação truculenta de Rodas e da PM! Defendemos liberdade imediata aos 12 colegas presos e exigimos anistia completa de todos os estudantes!

Infelizmente, a truculência e a falta de diálogo tem sido a marca da Reitoria da Universidade de São Paulo. Depois do dia que a USP amanheceu literalmente sitiada, com 400 homens do batalhão de choque para prender 73 estudantes, depois da tentativa de derrubar a sede do Núcleo de Consciência Negra, depois de expulsar 6 estudantes que participaram da luta pela Moradia Retomada,  depois de lacrar e retomar o espaço estudantil, Rodas mais uma vez mostrou a que veio: Reprimir para privatizar!

Em março 2010, diante da triste situação da assistência e permanência estudantil na USP, quando mais de 100 calouros que tiveram o alojamento emergencial negado pela Coordenadoria de Assistência Social, estudantes retomaram um espaço no Conjunto residencial da USP (CRUSP) que havia sido tomada pela Divisão de Promoção Social da COSEAS e pelo banco Santander, inviabilizando a utilização do espaço como moradia estudantil. A então Moradia retomada foi uma forma de viabilizar moradia a estudantes que não conseguiam passar pelo “pente fino” da Reitoria para garantir o que deveria ser um direito: a moradia estudantil assegurada pela Universidade.

A realidade atual da Universidade de São Paulo é de uma grande disputa entre aqueles que defendem uma Universidade pública, gratuita e de qualidade, autônoma, guardiã do livre pensar, e aqueles que querem o desmonte desse modelo.  Rodas comprou essa briga! A privatização e terceirização dos serviços tem sido o carro chefe da Reitoria. Todos os últimos acontecimentos na USP são a tentativa de garantir a adequação ao projeto do governo do PSDB, de uma larga adequação do ensino público as demandas essencialmente privadas. Por isso que o Reitor Rodas é ofensivo na batalha contra os movimentos sociais organizados na Universidade. Rodas quer calar os milhares de estudantes, professores e funcionários que acreditam e lutam para construir uma USP cada vez melhor, mais segura e moderna, defendendo também seu caráter público e gratuito.

Queremos qualidade de ensino e não repressão!

Tendo em vista que a educação, especialmente o ensino público, não tem sido prioridade dos governos, a assistência estudantil tem se tornado cada vez mais precarizada. No Estado de São Paulo essa situação é ainda mais grave uma vez que para adequar a educação pública as demandas privadas, os estudantes sem poder aquisitivo não tem vez. Com a tentativa de construir Universidades cada vez mais elitizadas, a Assistência Estudantil está sendo literalmente desmontada.

Em todas as Estaduais Paulistas o problema de falta de bolsas, falta de moradia e serviços de assistência estudantil fazem parte da realidade universitária. As Reitorias e o Governo do PSDB tratam como caso de polícia o que deveria ser tratado como um direito. Além do triste ocorrido na USP nessa manhã, somado a expulsão dos 6 estudantes em janeiro, na Unicamp 6 estudantes também acabam de serem suspensos por 6 meses, sem direito a nenhum vínculo com a Universidade, por terem participado de uma luta por moradia estudantil. A repressão no campus, através da presença ostensiva da PM, fecha, portanto, um ciclo do fim completo da democracia, transparência e autonomia universitária, adequando as Estaduais Paulistas a um largo projeto de elitização e privatização. A Assistência estudantil é um direito e deve ser tratada como tal.  Acreditamos que ela deve ser plena, gratuita e de qualidade e por isso lutamos que a qualidade de ensino seja associada a uma política efetiva de assistência em termos de moradia, alimentação, saúde, cultura, lazer e demais condições necessárias ao desenvolvimento pleno da formação acadêmica. Seguiremos na luta em defesa de uma USP pública, a serviço do povo pobre e trabalhador!

O apoio jurídico da CSP-Conlutas já se encontra na 14º DP para auxiliar os estudantes! Entre os 12 presos temos uma estudante grávida de 8 meses e um menor de idade! Chamamos as entidades e movimentos a prestarem solidariedade e a se somarem numa ampla campanha contra a ditadura de Rodas e do PSDB na USP!

Leia também:

Será que o reitor vai “eliminar” Antônio David depois deste artigo?

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


62 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Em defesa dos 72 alunos processados pela ocupação da reitoria da USP « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de fevereiro de 2013 às 12h14

[…] Rodas aciona tropa da PM para acabar com ocupação de moradia; 12 alunos presos […]

Responder

DCE da USP repudia denúncia do MP: “Ataque ao movimento estudantil” « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de fevereiro de 2013 às 18h33

[…] Rodas aciona tropa da PM para acabar com ocupação de moradia; 12 alunos presos […]

Responder

LuisCPPrudente

21 de fevereiro de 2012 às 17h39

Governador fascista Geraldo Alckimin, este sinistro senhor das armas em São Paulo já não tem mais vergonha de usar a força bruta, sempre de surpresa, na calada da noite ou no fim da madrugada.

Geraldo Alckimin, o fascista: ele já mostrou a cara e tem muita semelhança com Adolf Hitler, fisicamente e psicologicamente.

O fascismo só terá fim em São Paulo quando os paulistanos e paulistas não votarem mais nessa cambada de fascistas do PSDB.

Responder

FrancoAtirador

20 de fevereiro de 2012 às 18h06

.
.
Cachorro preso no CRUSP é solto "sem pagar fiança"

Por Sanzio, no Luis Nassif OnLine

Já foi post ontem, mas acho que ninguém sabia do privilégio concedido a um dos presos:

Da Folha de S.Paulo

Polícia detém 12 estudantes e cão em desocupação na USP

Ação contou com 150 policiais, que usaram até helicópteros; detidos só foram soltos depois de pagarem fiança de R$ 207,33 cada um

AFONSO BENITES
RAPHAEL SASSAKI

Eram 6h de ontem, domingo de Carnaval, quando 150 policiais militares entraram no campus da Universidade de São Paulo, na zona oeste da capital, e desocuparam um prédio invadido por estudantes desde março de 2010.

Todo esse efetivo -que envolvia um helicóptero, homens da Cavalaria e da Tropa de Choque-, foi usado para deter 12 pessoas (seis homens, cinco mulheres e uma adolescente de 16 anos), além do mascote do grupo, o cachorro vira-latas Bobo.

O prédio desocupado, onde viviam 47 pessoas, era parte administrativa do Conjunto Residencial da USP.

Moradores de outros blocos que tentaram protestar contra a ação foram impedidos de saírem de seus prédios pela polícia. Alguns atiraram lixo nos policiais, que revidaram com balas de borracha. Não houve registro de feridos.

Após a operação, a polícia lacrou o imóvel desocupado.

A desocupação foi motivada por uma decisão judicial do mês passado que determinava que a ação fosse feita em dez dias. No entanto, a PM só agiu ontem, dia em que havia poucos moradores por causa do feriado de Carnaval.

Grávida de seis meses, a estudante Ana Paula de Oliveira, 21, disse que foi agredida pelos PMs ao questionar onde estava o mandado de reintegração de posse. Assim como ela, outras três mulheres apresentavam escoriações pelos braços e pelo corpo.

Os 12 estudantes detidos na manhã de ontem foram soltos às 17h, após pagarem fiança de R$ 207,33, cada um. O valor foi pago por integrantes de movimentos estudantis.

O cachorro Bobo, que passou algumas horas numa cela do 14º DP (Pinheiros) com os alunos, também foi solto, sem pagar fiança. (!!!)

Os detidos responderão a processos por desobediência à ordem judicial e por depredação de patrimônio público.

A USP não se pronunciou sobre a desocupação do prédio.

A PM afirmou que só reagiu aos manifestantes.

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/cachorro

Responder

    Paulo

    21 de fevereiro de 2012 às 02h49

    Começou pontualmente às seis horas da manhã deste domingo (19) – o cumprimento da ordem judicial para a reintegração da área ocupada irregularmente no prédio “G” do Crusp, na Universidade de São Paulo. A Polícia Militar deflagrou a operação ao lado de 02 (dois) oficiais de Justiça que notificaram os moradores da ordem do juiz. Haviam 12 pessoas ocupando irregularmente os apartamentos, 6 homens e 6 mulheres. Desses, 9 eram estudantes da universidade e os demais não. A ação foi toda documentada. Os detidos passarão pelo exame de corpo de delito, no Instituto Médico Legal, para a comprovação de suas integridades físicas.

Abdula Aziz

20 de fevereiro de 2012 às 09h29

O banco Santander por detrás disso! Hum, não sei não! Tá com cara e cheiro da Opus Dei. Onde o Santander está, ai está a Opus Dei. Com a benção do governador pinóchio é claro.

Responder

Geysa Guimarães

20 de fevereiro de 2012 às 08h54

Hoje pela manhã, na RECORD, o apresentador Willian (sobrenome não sei) apoiou efusivamente a reintegração.
Morar sem autorização, da forma como ele disse, deve ter sido considerado crime hediondo e eu não sabia.

Responder

Jose Mario HRP

20 de fevereiro de 2012 às 08h46

Me explica aí:
Como um juiz permite que uma ordem sua, num caso de tanta responsabilidade seja cumprida de forma tão errada e desrespeitosa as leis que regulam esse tipo de processo?
05:30 hrs da manhão de um domingo, em plena noite?
Quem pode acreditar que tanta coisa errada possa acontecer numa ação ilegal assim?
O "Meaganha" que comandou a ação bateu no peito diante das cameras e dise com todas as letras que a PM é quem escolhe hora e dia para fazer melhor o que tem que fazer………nas sombras da escuridão!
Sempre a velha meganha paulista, a mais reacionária do país, a mais manietada pelo governador entre todos os estados federados.
Nas mão do mais direitista e sem escrúpulos de todos os governadores.
Tenho vergonha de ser paulista!

Responder

Felipe

19 de fevereiro de 2012 às 22h52

Por uma crítica política para além do talk show PSDB-PT.
Toda essa disputa entre PT e PSDB me parece uma nuvem de poeira sobre as verdadeiras questões políticas a serem tratadas que vão adiante da disputa pela bajulação financeira que os partidos fazem ao grande capital.
As universidades federais (PT) se não me engano até o meio do ano passado estavam com seus servidores paralisados devido à luta por melhores condições de trabalho. A Unicamp (PSDB) – pra usar um exemplo próximo – também paralisou pelas mesmas revindicações.
O Santander (capital estrangeiro) ta enfiado tanto nas federais (PT) quanto nas estaduais paulistas (PSDB). A expansão criada pelo REUNI – governo federal – fomentou diversos cursos nas federais para atender o mercado assim como o PSDB está fazendo na USP.
Quando vamos discutir o que realmente está em jogo?! Enquanto levantamos poeira, aplaudimos ou vaiamos as atrações do circo PSDB-PT quem tá caindo por debaixo dos panos é o Estado que se vai pelos dedos do povo como água para as mãos dos grandes grupos capitalistas. A educação agoniza em todas as esferas públicas na posse de variados partidos, quem ganha com nossas briguinhas de militante é o urubu da iniciativa privada com os zoio bem arregalados sobre o grande mercado brasileiro.

É só ver o tamanho da missão que o Chile enfrenta pela luta de uma educação pública.

Responder

    beattrice

    20 de fevereiro de 2012 às 01h56

    De acordo.

jcm

19 de fevereiro de 2012 às 21h34

São Paulo merece o governo que tem.

Responder

mateus

19 de fevereiro de 2012 às 21h03

Quais as chances de USP passar a ser Federal?

Responder

    beattrice

    20 de fevereiro de 2012 às 01h59

    Nenhuma.

Eduardo

19 de fevereiro de 2012 às 20h38

Está na hora de todo povo paulistano se mobilizar e ocupar a USP. A USP é patrimônio do povo e não pode ser tiranizada por esse governo estadual satânico,Opus do Diabo, isso sim.

Responder

Jairo_Beraldo

19 de fevereiro de 2012 às 19h54

Sunpaulu me lembra o velho oeste estadunidense..e guardadas as devidas proporções, Rodas me lembra John Wayne.

Responder

    beattrice

    20 de fevereiro de 2012 às 02h00

    John Wayne, acho que nem chega a tanto, tá mais pra Ronald Reagan mesmo.

M. S. Romares

19 de fevereiro de 2012 às 18h32

Uma "boa" notícia" atrás da outra na capitania de SP. Só quero saber quando é que os paulistas vão escrever o liv ro "Os alckimistas estão partido". Tá demorando muito…

Responder

Zé Francisco

19 de fevereiro de 2012 às 18h32

Grandino Rodas foi nomeado por Serra como parte de um acordo de apoio dos setores da extrema direita cristã. Mesmo sendo o segundo colocado, a nomeação de Grandino garantiu a Serra apoio total da TFP e Opus Dei, o que garantiu uma das campnahs eleitorais mais baixas da história brasileira. Somente a desconstrução do PSDB em SP salva a USP e SP do fascismo e higienismo social, infelizmente o PIG irá detonar o PT com o apoio do STF no caso mensalão. Já o povo de SP, completamente idiotizado pelo PIG e com o cérebro afetado por monóxido de carbono, fará avançar o modelo fascistóide que conhecemos bem.

Responder

Sr.Indignado

19 de fevereiro de 2012 às 18h30

O grande ditador da USP (e seu quartel) quer a USP como o último bastião de uma universidade pública exclusiva para as elites. Sempre foi assim nas federais, até o Governo Lula, quando a coisa começou a mudar e continua, para melhor.
O que de certa forma era de se esperar, é que em algum lugar, forças do atraso, de um paradigma feudal e com um poder que subiu a cabeça, tentassem uma resistência.
Rodas é o nome da resistência às mudanças sociais, ele quer a volta do nepotismo, dos privilégios, dos contratos secretos, da corrupção, da falta de transparência, da brutalidade, do preconceito racial, de classe e sexista.
Rodas é o Grand Dragon, na luta contra o comunismo, contra os sindicatos, contra os imigrantes, contra os negros. Rodas quer a USP apenas para os goods citizens, Rodas recriou a KKK na USP.
É isto que os paulistas querem?

Responder

CC.Brega.mim

19 de fevereiro de 2012 às 18h29

sinal claro de ditadura
quando há repressão a estudantes!

Responder

lulipe

19 de fevereiro de 2012 às 18h21

Tá de parabéns o reitor, lugar de estudante é na sala de aula…

Responder

    Abolicionista

    19 de fevereiro de 2012 às 21h38

    Prefira a biblioteca, se ficar só nas aulas vai acabar virando um papagaio de pirata como o lulipe aí em cima…

    Felipe

    19 de fevereiro de 2012 às 21h43

    e não se esqueçam de atividades de extensão para a comunidade, afinal o conhecimento público é pra quem?

    Mateus_Beatle

    20 de fevereiro de 2012 às 11h30

    Por favor, não alimentem os trolls.

    João-PR

    20 de fevereiro de 2012 às 15h57

    E lugar de troll pago é no blog do "uncle king"!!

Guanabara

19 de fevereiro de 2012 às 17h56

É……. reacionários reagindo às políticas inclusivas do último governo federal. "Como assim negros e pobres frequentando os mesmos lugares da nossa elite branca e de olhos azuis? Daqui a pouco, estarão a frente de nossas multinacionais, empregos cativos nossos!".

Responder

Andres

19 de fevereiro de 2012 às 17h19

No intendo. Qui pasa en la USP. Democracia in Brasil? Donde? Solo usted no mira para lo estado de cosas no Brasil. Lo Brasil no tiene democracia. Es una fachada!

Responder

Carlos.

19 de fevereiro de 2012 às 17h02

Aqui no Tukanistão a gente já está começando a sentir saudades dos tempos do Maluf e da ditabranda. A gente era feliz e não sabia. O psdb conseguiu a proeza de ser pior do que a ARENA. Já, já eles descobrem que o terreno da USP pertencia, na verdade, ao avô de Nahas e vão promover a reintegração de posse.
Aqui no Tukanistão é assim: os ladrões roubam estepes de carros, assaltam e sequestram-relâmpago em plena luz do dia e não tem polícia pra proteger o cidadão comum, mas se chamar a PM pra bater em quem está perturbando algum membro da nobreza Tukanistaneza ela aparece na mesma hora.

Responder

Elton

19 de fevereiro de 2012 às 16h35

E podem aguardar até mesmo a extinção de cursos se a privatização avançar. Principalmente cursos da área humanística, que além de não "darem lucro" são tenazmente combatidos pelos fascistas como "comunizantes"…..

Responder

YACOV

19 de fevereiro de 2012 às 16h28

E aí seu gilmau mendes, estado policialesco para prender e algemar bandido de colarinho branco não pode, mas para reprimir cidadãos, trabalhadores, os movimentos estudantis e acabar com o livre-pensar na USP de SAMPA, tudo bem?!?

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"

Responder

Marcos Doniseti

19 de fevereiro de 2012 às 15h44

Um amigo meu, que estudou na USP por 6 anos, me disse qual é o real motivo da repressão na USP, em especial na FFLCH: é que esta é a única Faculdade da USP em que o setor privado ainda não entrou (através de parcerias, ONGs, etc).

Isso acontece porque há uma forte resistência, na FFLCH, por parte de estudantes, professores e funcionárioscontra tal projeto de privatização da USP pelo PSDB.

Rodas é da turma de Celso Lafer, lá da Faculdade de Direito da USP e foi colocado na reitoria da USP pelo Serra, mesmo tendo sido o 2o. colocado na eleição para o cargo.

É tutti buona gente…

Responder

    Alvaro Tadeu Silva

    19 de fevereiro de 2012 às 17h35

    Privatizar a USP é pura loucura. Por quê? Porque ela descerá ao nível das UNIP'S da vida e deixará de ser referência nacional. O reitor Rodas Presas é mais um nazista a assumir o mais alto cargo da universidade. E se ele está lá, mesmo sendo segundo colocado, foi graças ao Conselho Universitário que nele votou. Os nazistas, os Nunes da vida (diretor da ECA em 1975), estão em todas as escolas do campus e fora dele.

Marcos Doniseti

19 de fevereiro de 2012 às 15h34

É a Ditadura Neofascista Tucana a pleno vapor em SP… Como dizia o Ira!: 'Pobre SP, Pobre Paulista!".
http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com/2012/
http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com/2012/

Responder

jõao

19 de fevereiro de 2012 às 15h28

alckimim canalha

Responder

    LuisCPPrudente

    21 de fevereiro de 2012 às 17h42

    Mais que isto: Geraldo Alckimin, o fascista.

    Geraldo Alckimin, o senhor das armas, que defende os privilégios de bandidos-financistas-trambiqueiros do estilo de Naji Nahas e massacra e passa por cima de cidadãos de bem como os moradores de Pinheirinhos, os moradores do Crusp e todo e qualquer movimento social organizado que contesta o fascista Geraldo Alckimin.

rita

19 de fevereiro de 2012 às 15h12

isso só acaba quando o psdb deixar o poder em sp.

Responder

    Outro Antonio

    19 de fevereiro de 2012 às 16h32

    Sem o papelzinho do Brizola, que faria da eleição transparente, vejo o golpe da direita, pelas mãos do Supremo, que não gosta de democracia. Por que será?

    sergio rodrigues

    19 de fevereiro de 2012 às 20h34

    É o que eu venho repetindo sempre que possível e necessário: sem o "papelzinho do Brizola" o golpe está dado. E faz tempo e ninguém percebe e/ou toma providencias. É por isso que seguem afirmando "em São Paulo o PT não entra"! Tomemos as devidas precauções e denunciemos se necessário.

    beattrice

    20 de fevereiro de 2012 às 01h58

    O PT não consegue entrar em SP porque neste estado mais que em qq outro é a cópia fiel do PSDB, fiel, fidelíssima.

    Geysa Guimarães

    20 de fevereiro de 2012 às 12h09

    Cópia ou base aliada?

    beattrice

    20 de fevereiro de 2012 às 12h19

    Boa pergunta.

    RicardãoCarioca

    20 de fevereiro de 2012 às 09h03

    Com vários pontos de votação abertos até às duas da manhã, recebendo votos, mesmo não havendo filas, como é que o PT vai ganhar alguma coisa em SP?

    Felipe

    19 de fevereiro de 2012 às 20h49

    Isso só acaba quando o "Estado" financista deixar de nos "representar" – seja partido escancaradamente assumido neoliberal como o PSDB, ou o PT, um simulacro progressista. Enfim, os senhores acham que a situação política nas universidades federais é diferente? É só ver o que o REUNI fez com a qualidade do ensino superior e com a estrutura material das federais, todas sucateadas ou funcionando em estado de improviso paliativo. Quando cair USP, o castelo de cartas que a educação pública virou – na mão de PSDB-PT – desmorona e leva ao chão o que um dia foi o sonho de uma educação pública de qualidade.

    Augusto Sperandio

    19 de fevereiro de 2012 às 22h34

    Meu caro, acho que você está cometendo um engano. Apesar de não ser a pessoa mais qualificada para falar sobre isso, não faço a mesma leitura sobre as universidades federais. Em minha região – MG – tenho notícia de pelo menos tres (3) UFJF, UFV, UFSJR, onde não há sucateamento não, pelo contrário, encontram-se em franca expansão, de cursos, de atividades, inclusive construindo hospitais para treinamento e atendimento público, auxiliando em parcerias para constituição de jardim botânico, construção de moradias para estudantes, etc….
    Também não tenho notícia de que esteja acontecendo sucateamento nas UFRJ, e UFF, do RJ.

    Augusto Sperandio

    19 de fevereiro de 2012 às 22h38

    Complementando o dito anteriormente:
    Os casos recentes da USP são particulares, específicos dessa Reitoria e do governo de SP. Não se pode nem deve confundi-los com as Universidades Federais.

FrancoAtirador

19 de fevereiro de 2012 às 15h03

.
.
Parceria Público-Privada

O Estado fornece o dinheiro público e a Polícia Militar;

A mídia oligárquica mercantil entra com o marketing

E as corporações econômicas saem com os lucros.
.
.
QUERELAS DO BRASIL
(Mauricio Tapajós & Aldir Blanc)

Por Elis Regina em Transversal do Tempo (1978)

O Brazil não conhece o Brasil
O Brasil nunca foi ao Brazil
O Brazil não merece o Brasil
O Brazil tá matando o Brasil

Do Brasil, S.O.S. ao Brasil !

[youtube cMJG5wf8gvU http://www.youtube.com/watch?v=cMJG5wf8gvU youtube]

Responder

Marcus

19 de fevereiro de 2012 às 15h01

Reprimir para privatizar? Porra, o rodas tem peidado na farofa mesmo, isso não é novidade pra ninguém, mas essas teorias de privatização são pura histeria. Devemos protestar sim, mas usando argumentos lógicos e fatos, não suposições!

Responder

    Marcos Doniseti

    19 de fevereiro de 2012 às 15h46

    Sim, é isso mesmo. Reprimir para privatizar. Afinal, foi exatamente isso que o Pinochet fez no Chile durante a sua ditadura e que o PSDB faz em SP desde 1995.

    Reprime e silencia os movimentos sociais e, daí, torna possível levar adiante um processo geral de privatização, incluindo a Saúde, a Educação, a Segurança, etc.

    Abolicionista

    19 de fevereiro de 2012 às 18h03

    É claro que quer privatizar, não é segredo para ninguém. Rodas assume abertamente que tem a intenção de introduzir as fundações na universidade. Procure se informar, meu caro.

    snd

    19 de fevereiro de 2012 às 20h41

    não só na educação. estas fundações estão saindo da usp para vender a saúde pública para convênios privados (vide fundação da faculdade de medicina), testando remédios das multi farmacêuticas em pacientes do SUS, dando serviço altamente especializados da saude publica para cupinchas (professores) aposentados (VERDADEIRO CABIDE DE EMPREGOS). um ano de espera para pacientes do SUS onde a fundação entra.

    Rodrigo

    19 de fevereiro de 2012 às 16h24

    Será que as pessoas necessitam ver o martelo sendo batido na bolsa de valores?
    Enquanto você afirma o contrário, o processo de desmonte da USP vem sendo feito na surdina, lenta e gradualmente.

    Augusto Sperandio

    19 de fevereiro de 2012 às 22h25

    Mas, é isso mesmo meu caro: Reprime e assusta, paralisa os contrários, para facilitar a privatização. Foi assim que o governo FHC fez com os funcionários da Petrobrás em 95. Sustentou uma greve de mais de 30 dias, colocou tanques nas refinarias, demitiu muitos funcionários, conseguiu o julgamento de greve ilegal, multou e quebrou os sindicatos, etc… Aí, em seguida, conseguiu a quebra do monopólio do petróleo, começou o desmonte cortando manutenção para provocar falhas com vazamentos e assim ter a opinião pública favorável, retalhamento da empresa, venda de ações, etc, tudo fazia parte do plano de médio e longo prazo, mas isso é outra história.
    É assim mesmo que se começa. QUEBRANDO AS RESISTÊNCIAS.

willforlife

19 de fevereiro de 2012 às 13h25

democracia? só na hora do voto. para governar ? só pra eles!
democracia fake em são paulo

Responder

artenatureza

19 de fevereiro de 2012 às 13h12

E o tukanistão quem diria…
Pobres paulistas viciados nesta droga letal que só faz sofrer o povo…!
Onde tem tukano demo o povo sofre ao cubo!
Lei das mídia urgente e no judiciário reforma pra ontem…!!!
E infelizmente grande parte dos estudantes são caretas e aprovam a naziPM nazitukano demo!
Somente o raio da "celibrina" para abrir a cabeça destes jovens e transforma-los em verdadeiros estudantes e cair de pau nste tal de rodas!!!!!

Responder

Maria das Graças

19 de fevereiro de 2012 às 13h07

Gente, este senhor é sem senso de qualquer coisa, não pode sentar numa cadeira de reitor!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    carneirouece

    19 de fevereiro de 2012 às 15h48

    Mas ele está fazendo tudo que o Tucanato manda. Enquanto ele for um cãozinho obediente, continuará no trono de REItor.

Angelo

19 de fevereiro de 2012 às 12h57

por favor pesquisem o negocio entre usp e santander, vcs vão ficar impresionados.
A USP é o principal cliente do mundo do santander
quanto dinheiro público os espanholes levam da usp
A uso deveria ser obrigada a administrar a folha de pagamento atraves de bancos públicos e não privados

Responder

    Polengo

    19 de fevereiro de 2012 às 18h30

    Exatamente.
    Era o banespa, doado caridosamente pelos privatas ao santander.

    E claro que por isso o santander pode "morar" no crusp e os alunos não.
    Se o santander pedir pro nazista o crusp inteiro pra montar uma agência, no dia seguinte o rodas entra com a pm lá e expulsa todo mundo.
    E ainda abana o rabinho.

    Sujeito ordinário.

    francisco.latorre

    19 de fevereiro de 2012 às 18h40

    santander. é opusdei. mundo pra cristo.

    banco do vaticano. ambrosiano dois.

    financia todo tipo de sacanagem fascista.

    distribui bolsas pra universidade opusdei. navarra. forma 'jornalistas'.. [ franco vive.

    saiu chutado da venezuela. por golpismo acima e além de qualquer padrão.

    ..

    no governinho fascista opusdei. tá em todas. e mais umas.

    metendo a mão. de milhão em milhão.. se faz bilhão.

    alta. altíssima. corrupção.

    ..

    santander.

    quem vai nessa. tem conta..

    é mulher do padre.

    ..

    renato

    19 de fevereiro de 2012 às 20h59

    Jesus, quando me falam de Santander eu me arrepio.
    Daqui só posso desejar que voces revertam esta situação.
    Daqui posso dizer, não seja cliente Santander.
    Eu não sou, e não serei.
    Como dizia aquela moça, " tocomedo"
    AH, eu acho que o Santander não precisa de clientes, o negócio é outro.

francisco.latorre

19 de fevereiro de 2012 às 12h54

estado policial.

falta mais nada.

..

Responder

cronopio

19 de fevereiro de 2012 às 12h40

É isso aí, USP rumo à privatização e ao sucateamento, como parece ser o desejo de muita gente…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!