Ana Flávia Ramos: A mídia que estupra

Tempo de leitura: 4 min

A mídia que estupra

por Ana Flávia Ramos, no Tab na Rede

Posted on 16 janeiro 2012

Quem não se lembra do filme The Accused (1988 – Jonathan Kaplan), protagonizado por Jodie Foster, que consagrou a atriz por uma interpretação notável? Filme aclamado pela crítica, impactante e polêmico em sua essência, narra a história de uma jovem, Sarah Tobias, que, após uma noite de diversão com as amigas, é estuprada por vários homens nos fundos de um bar. No desenrolar da trama, com o auxílio de uma advogada, Sarah, que no início é vista como “responsável” pela violência, consegue a condenação de seus agressores, reafirmando a tese de que, independente do flerte, da bebida, das roupas ou de qualquer outra coisa, estupro é sempre estupro.

No enredo, vitoriosamente prevalece a máxima: sim significa sim e não significa não! Durante o julgamento, entretanto, outros agravantes foram mobilizados pela advogada para condenar também os cúmplices daquele terrível caso: o estupro de Sarah morbidamente contou com uma platéia entusiasmada que, aos gritos, incitava o ato de violência. A cada novo agressor, a platéia pedia “bis”.

Para quem esteve ligado nas redes sociais no último domingo (15/01/12), sabe que a lembrança do filme não é fortuita. Desde ontem, o assunto do suposto estupro sofrido por Monique em rede nacional no Big Brother Brasil não sai de nossas cabeças e nem de nossas timelines. A cena, para quem viu no paperview, enoja, deprime e indigna. Uma mulher, desacordada e vulnerável, tem o seu corpo violado e invadido por alguém que, ao que tudo indica, não foi convidado.

Aparentemente sem consciência e sem meios de reagir, a vítima estava entregue ao seu agressor, Daniel, em frente às câmeras, à equipe técnica e à enorme platéia do outro lado da televisão e do computador.  Aquilo que era feito nos fundos de um bar perde os seus “pudores” e se torna diversão pública e explícita na TV.

Muitas questões têm surgido desde que a cena virou polêmica nacional: Monique sabia o que estava acontecendo? Ela compartilhou as carícias de Daniel? Houve sexo? Ela se lembra do que ocorreu? A despeito dos comentários moralistas, machistas e misóginos – que me recuso a discutir, pois já estou farta de tentar argumentar com quem insiste na imbecilidade – outro fato me chamou a atenção: o papel da platéia nesse “show de horrores”.

Quem estava presenciando a tudo e nada fez? A responsabilidade do ato, além de Daniel, se ficar comprovado o estupro, deve ser estendida a quem mais? Assim como os espectadores do estupro no filme The Accused, qual o papel da maior emissora de TV do país no caso?

Nas cenas do dia seguinte, Monique dava indícios de que não sabia exatamente o que havia ocorrido na noite anterior. Intrigada, após ter sido chamada no confessionário, pergunta à Daniel o que, de fato, acontecera naquela noite. O brother nega o sexo, dizendo que foram apenas beijos e umas passadas de mão, e claramente se esquiva do assunto.

Monique, confinada em um reality show, sem contato com o mundo exterior, não sabe que o Brasil discute seu suposto estupro. Possivelmente violentada enquanto dormia, ela é também “violentada” pela produção do programa, quando esta se nega a informá-la exatamente sobre que está ocorrendo. Omissão grave, já que esta era a equipe a quem a participante confiou sua segurança, ao aceitar participar do programa, um ambiente teoricamente controlado e protegido por regras e parâmetros de bom senso, garantidores, ao menos, da integridade física dos jogadores.

Entretanto, a produção se abstém de dizer o que de fato está acontecendo e deixa Monique, mais uma vez, à mercê de seu eventual algoz. Embora ela tenha direito à verdade, ela continua indefesa na escuridão, como a do quarto em que estava na noite de sábado, permanecendo também na insegurança das camas compartilhadas do programa. Daniel, já anteriormente acusado de ter se aproveitado de Mayara, segue ileso pelos corredores da casa e sequer é questionado pelos responsáveis do reality show. Monique parece ser vítima duas vezes.

Independente da posterior averiguação do caso e da condenação ou não de Daniel, existe um cúmplice a quem não se pode negar a culpa: a Rede Globo de Televisão. A emissora, na madrugada do domingo, reconheceu as evidências de um possível crime (no plantão de notícias do paperview os responsáveis pelo programa escreveram que estava “rolando um clima”, mas que a “loira não se mexia”), se utilizou dessas evidências para alavancar o seu ibope, incitando os telespectadores a continuarem a assistir às cenas, mas, em momento algum, tentou (ou desejou) interromper o ato.

No dia seguinte, diante da polêmica e dessas evidências, se absteve, ainda, de revelar à Monique o que ocorrera, negando assim o direito essencial da participante de decidir se devia prestar queixa à polícia ou não.  Os produtores, cúmplices da suposta violência, ao esconderem as cenas de Monique, negaram-lhe, entre outras coisas, o direito de realizar o exame de corpo de delito, instrumento fundamental na comprovação da agressão. E quem se responsabilizará por isso?

O histórico de barbaridades no BBB já não é novo, mas quais serão os limites do programa após um suposto estupro em cadeia nacional? Como será interpretada pelas autoridades públicas e pelos telespectadores a omissão da Globo diante do caso?  A emissora, de forma tirânica e desleal, seguiu com o espetáculo, reduzindo o episódio, através de seu fiel porta-voz, Pedro Bial, a “muito amor”. Através de uma edição impregnada de machismo e, por que não, de moralismos arcaicos, deixou Monique à mercê da situação e sequer prestou contas ao público, que ainda debate intensamente nas redes sociais a saída/punição de Daniel. Como uma concessão pública, que serviços à comunidade são prestados por essa emissora de TV? Qual a responsabilidade social da Rede Globo com seus telespectadores? Ou ainda a pergunta que nos atormenta a cada dia: o que tem sido e para quê tem servido a grande mídia no Brasil?

Nesse sentido, a pressão e as críticas dos brasileiros e telespectadores é cada vez mais fundamental na mobilização de forças não somente para a solução desse caso, mas também na construção de uma nova mídia.

Ana Flávia C. Ramos

Leia também:

Noam Chomsky: Um mundo cheio de ‘não-pessoas’

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

A mídia que estupra, por Ana Flávia Ramos « GP Comunicação para a Cidadania – INTERCOM

[…] por Ana Flávia Ramos […]

Antonio Nunes

pela quantidade (e raiva) dos comentários postados, não há dúvida:

A Globo é mesmo muito importante!

rsrsrsrs

Habena

Em nova ilegalidade polícia recolhe cueca, calcinha e edredom de BBBs para perícia

Três graves consequências estão sendo geradas ao Estado do RJ, pela desastrada atuação policial oficiosa e ilegal:
http://tirando-a-limpo.blogspot.com/2012/01/em-no

gilberto silva

Nahas é uma das porcarias paulistanas que com certeza serão estirpadas com o aumento da classe média.

gilberto silva

Se o cara realmente consumou o ato , a Globo deve estar enchendo as garrafas de agua mineral com a Pilula do Dia seguinte pra todo mundo tomar. Se a policia entrar lá e pegar toda agua mineral disponivel vai ver que tem batismo néla e com certeza punir a Globo….
Teoria da comspiração : Já imaginaram se a mulher sai do Big Brother gravida do estuprador depois de 4 meses na casa ?
E ai ? Como a Globo vai se defender….a Globo vai apagar os rastros se é que já não apagou.

Gerson Carneiro

Algum(a) indignado(a) com o estupro no BBB já está boicotando as empresas que patrocinam o BBB, ou a indignação é de araque mesmo?

João

Essa história está muito mal explicada ainda, e por todos os lados. Leio os comentários afirmando que houve o estupro, mas será que as pessoas que afirmam isso tem certeza absoluta? E como podem ter? Por que ela se negou a fazer exame de corpo de delito? Viram o depoimento do delegado que ouviu os dois hoje? Também odeio o PIG, mas sinto um clima de linchamento do Daniel antes de se ter um mínimo de informações confiáveis (gostaria de ouvir os depoimentos dos dois).

Carlos Henrique

Eu como leitor não entendo uma coisa: Porque a vitima está dizendo que não houve nenhum estupro, e os blogs estão constantemente afirmando, ocorrendo uma divergencia? E porque nenhum dos blogs sujos botou ou pelo menos mencionou a reportagem com a mãe do acusado, procurando fazer um contraponto de ambos os lados?
Porque o que estou vendo, os blogs só tem um ponto de vista, e agindo da mesma maneira que tanto critica a midia.

Gerson Carneiro

Todo ano é essa palhaçada: a Globo joga a fava no cocho e a gente abaixa a cabeça e come.

Luci

A televisão brasileira parou no tempo, é a mesmice da mesmice. O povo há muito tempo anda decepcionada com o que apresentam como programação.
São emissoras que não tem o respeito do povo, é uma programação (com raríssima exceção) que afronta a vontade popular. Não é o que assitimos o que gostríamos de ver. Só entre nós, é um abuso de poder contra os telespectadores, que consomem um serviço impróprio, enfadonho e sem qualidade.
E por trás destas aberrações que vemos no BBB 12, há um detalhe eles não se conformam que perderam a eleição.
A figura de mulher lá no BBB 12 não é a que está nos espaços públicos e no mundo. Acorda Globo.

Yarus

SERVIÇO DE UTILIDADE PÚBLICA

DIVULGUE:
Estamos enviando emails aos patrocinadores pedindo que deixem de patrocinar baixaria.
Enviem vcs também, quanto mais, melhor. Ao invés de só reclamar, vamos agir conforme podemos.
http://www.ambev.com.br/pt-br/a-ambev/canais-de-c
http://www.unilever.com.br/resource/faleconosco/i
http://www.niely.com.br/Contato.aspx
http://www.fiat.com.br/fale-com-a-fiat/
http://www.devassa.com.br/contato.php

leandro

Pessoal, deixemos discussão de leis e constituição de lado e façamos o que é mais correto: mudem de canal e procurem programas melhores para assistirem, leiam livros, simplesmente não liguem a TV para assistirem o que é ruim. Sem audiência, eles terão que mudar. Acontece que, apesar de toda polêmica todos ainda continuam assistindo. Se não respeitam as leis, ou como foi dito em outro comentário, os dizeres são generalistas, façamos nós o nosso papel de secarmos a audiência daquilo que não presta e, se nada prestar, não ligue a TV. Só isso! Porque ao invés de cada um fazer sua parte, cobra uma legislação pra isso?

Regina Braga

Ministro Bernardo,vai que é sua a bola…se esperar mais vamos ter esquartejamento no próximo BBB.

Anonimo

A discussão esta torta em vários sentidos. Se houve estupro, não defendo em hipótese alguma. Mas sabemos que existe uma edição dos fatos, pela Globo, que optou por valorizar esse aspecto. Muito longe da boa intenção, m sim do Ibope. Há muitas impIicacoes. Se eu fosse a menina ou a família dela processaria a Globo. Se fosse o cara, caso nada seja comprovado, idem. Imaginem que foi uma edição infeliz para dar Ibope. O cara pode ser linchado na rua. Não vi, não sei o que aconteceu, mas acho que o efeito Ibope esta falando mais alto e aí os dramas pessoais que se danem. Estaos sujeitos e submissos a uma realidade ditada por um meio de comunicação de massa. O mundo não acabou em 2012, mas desse jeito esta perto.

Indio Tupi

Aqui do Alto Xingu, os índios ficam espantados como as pessoas dos centros urbanos caem, qual patinhos inocentes, em mais uma "armação", que não visa outra coisa senão que a de tentar ressuscitar o de há muito falecido Ibope da Venus Desbotada.

Wildner Arcanjo

O pior de tudo é que tem gente que liga e gasta R$, para "salvar" um participante… Só assistir eu ainda entenderia.

Antônio L DEPAULA

Há culpados. No plural

Gerson Carneiro

E lá vem a Rede Globo mais uma vez jogar a fava ( “você tem fome de quê?” ) e paralisar o país ditando o que devemos discutir.

Independentemente de culpa e inocência dos envolvidos, me pergunto:

Por que o caso em tela aumenta a audiência da Globo ao invés de diminuir?

Só posso concluir que até quem não está dentro da casa do BBB tem culpa e participa ativamente dessa orgia.

    Luci

    Gerson Olá. Há um aumento por curiosidade, mas não é resultado da qualidade da programação e não se mantém, é o início do fim. Note que os comentários nas redes sociais deveria ou deve estra preocupando aquela emissora. Agora o bloco dos descontentes com a programação da Tv está nas ruas, ou melhor nas redes sociais.
    O povo está manifestando-se com coragem e consciência.
    É bom por vezes começamos pelo meio e voltamos ao início, não sei se consegui explicar.
    Vou assistir o Dribla Nacional.

    Marcelo

    O argumento da(o) Luci é interessante. A curiosidade (nesse caso temperada com um pouco da também humana sordidez) acaba levando o ser humano direto para a armadilha. Resultado: ibope da vênus lá pra cima… Por mais tentador que seja, me parece uma boa tática sair fora da discussão moralista e colocar a questão dentro plano legal e político, como me parece que fez a Ana Flavia Ramos. Para além da orgia da casa BBB estão o descaso e a irresponsabilidade da Rede Globo.

André

"BBB12": Monique negou estupro em depoimento à polícia

A gaúcha Monique Amin, 23, negou ter sido estuprada por Daniel Echaniz, 31, no "Big Brother Brasil 12".

Em depoimento à polícia, os dois disseram que houve consentimento. Ela afirmou que estava consciente durante a troca de carícias e que não houve penetração. Cada um foi ouvido por cerca de uma hora e meia.

Monique estava acompanhada de quatro advogados; Daniel estava sozinho.

O delegado Antônio Ricardo, do 32º DP, Taquara, zona oeste do Rio, deu entrevista coletiva sobre o caso nesta terça-feira (17). A jovem assistiu à gravação dos 25 minutos em que ficou sob o edredon com Daniel para dizer o que aconteceu.

"Eles confirmaram que se tocaram debaixo dos cobertores, com consentimento dos dois. Mas se precisar vamos ouvi-los novamente", disse o delegado, que não descartou uma acareação.

Monique não quis fazer o exame de corpo de delito.

O delegado disse que pretende seguir investigando se Daniel a molestou quando Monique estava dormindo. "A linha de invetigação é se ela estava inconsciente", explicou o delegado.

Calcinha, endredon e sunga foram recolhidos pela polícia. O delegado pretende agora analisar o material, além do vídeo e dos depoimentos.

"Não posso fazer uma análise agora para não tomar uma decisão precipitada", disse.

Por ora, o delegado descartou a prisão de Daniel. "Não vamos falar em prisão agora."
http://f5.folha.uol.com.br/televisao/1035535-bbb1

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

"Em depoimento à polícia, os dois disseram que houve consentimento. Ela afirmou que estava consciente durante a troca de carícias e que não houve penetração. "

"Em depoimento à polícia, os dois disseram que houve consentimento. Ela afirmou que estava consciente durante a troca de carícias e que não houve penetração. "

O que houve de verdade foi parcialidade e falta de prudência, inclusive aqui nesse blog, por meio das feministas raivosas e apressadas.

Só saiu porque é NEGRO…

Camburão

Vou assistir o "falência nacional" para ver se eles irão noticiar o episódio lamentável com isenção.
Viva o Povo da Comunidade do Pinheirinho chamado de invasores, pela Globo, em suas luta por justiça social, e o sagrado e constitucional direito à moradia.
Pois é chamaram o povo do Pinheirinho de invasores ontem e hoje estão recebendo a visitinha de Delegado de Política. Tudo a ver.

Luci

O Presidente da organização Globo e os patrocinadores devem uma explicação à sociedade brasileira. A notícia está veiculada no mundo.
O governo e a sociedade brasileira não podem ser apontadaos mundialmente com quem tolera e assite passivamente cenas de estupro.
Daniel é uma peça de um esquema que teve patrocínio de 103 milhões de verbas publicitárias de patrocinadores.Quem são os patrocinadores que financiaram as cenas, e que vem patrocinando estes BBBs, que o povo há tempo protesta.Qual é a finalidade destes patrocínios?
Daniel responderá por seu delito. Mas a responsabilidade principal é do concessionária de serviço público, que está descumprindo a legislação, não age com ética. Aresponsabilidade é de quem apresenta, do diretor, de quem distribuiu bebidas para embriagá-los.
Este caso é um caso de POLICIA FEDERAL. Está noticiado no mundo com prejuizos de imagem ao país. Não podemos aceitar. Liberdade de expressão tem limites.
Este fato constrangeu a sociedade, que nunca foi ouvida em seus reclamos sobre este programa, que é o marco do fim da programação Vale Tudo.

Falência

É a desmoralização. Esta imagem será a mais veiculada no mundo, para nossa desgraça. A Rede Globo deve ser penalizada ou será o caos, este episódio reacende o debate sobre regulação dos meios de comunicação. Quem forneceu bebidas aos participantes teve a intenção de embriagá-los para alavancar audiência, portanto todos que são parte do programa colaboraram com o crime.Imagine tem patrocinador com nome que sugere esculhambação.Assumam o resultado e sigam todos em camburão para ser transmitido pelo falência nacional.

Leao

Mandei um email para a Niely Cosméticos, dizendo que eu iria associar a marca "Niely" às baixarias e estupro do BBB. Vejam a resposta do [email protected]:

"Entendemos sua posição sobre nosso suporte ao patrocínio do programa Big Brother Brasil 12, da mesma forma que compreendemos que existe uma grande parcela de expectadores e consumidores brasileiros que gostam do programa. A Niely Cosméticos respeita todas as opiniões e a diversidade entre as pessoas."

E eu respondí:

"Entendi a sua resposta! Quer dizer que vocês contabilizam e já que são mais os que gostam do BBB, não se importam que sua marca esteja associada a baixarias, estupro, ou QUALQUER COISA. Parabéns, mas parace que nem a Globo é tão radical quanto vocês, pois alguém foi expulso do programa."

Fernando

Palavras da Monique- "Nós estavamos nos acariciando normal, eu estava com tesão ele tb, ai o Rafinha entrou no quarto, vi o Daniel do outro lado do quarto e apaguei"

Como não assisto esta porcaria, pergunto, o fato a que todos se referem aconteceu antes ou depois do tal Rafinha entrar no quarto? Se antes, foi consentido, se depois foi estupro.

Henrique

Se isso servisse pra tirar esse programinha ridículo do ar já seria ótimo, mas não tenho ilusões, os dois ficarão famosos e darão entrevistas em programas vespertinos de igual nível.

Alexandre Lins

Eh hora e vez de dar uma prenssa bem dada na Globo. Racismo, bebida alcoolica farta, insinuacoes sexuais a mostra de criancas, e mais….. Serah que minha PresidentA nao vai fazer nada?? Se fosse o Brizola, o negocio jah teria sido resolvido!

leandro

Assiste esse lixo que quer. Se aqui tem tantos posts é porque muitos aqui assistem. Essa grita toda é porque é da Globo, o bispo Edir Macedo apareceu exorcizando um homossexual ao vivo na Iurd tv e não vi protestos aqui. Tá mo Youtub, tá em vários site. A moralidade aqui é seletiva.

Klaus

O BBB deu 36 pontos ontem no Ibope, um novo record (sem trocadilho).

    Rafael

    Taí, conseguiram o que queriam.

    baader

    seja lá o que for isso (o 36), bem como a aferição do mesmo, não acho que qualquer pessoa com um mínimo de discernimento, mínimo de exigência com sua própria inteligência, acha que o que se supõe seja algo a comemorar. aqui não se trata de fla/flu, já que achamos que toda a TV aberta é um lixo (TV Brasil não passa de uma pálida cópia das comerciais). gostaríamos sim é de programas que nos incitassem a assistí-los com prazer, com sabor, sé é que consegue v.sa.entender.

    thomaz magalhaes

    Em depoimento à polícia a moça disse que a transa foi concensual, com carícias na genitália e sem penetração.

Carlos A.C. Silva

Se este fato não der nada, podemos rasgar a constituição e nomear o PIG como carta magna.

_Rorschach_

A culpa não é da Globo.

Se a Globo não transmitir o BB outra emissora o fará.

Ora, que mais é a Fazenda ou a Casa dos Artistas senão os primos pobres do BB?

O BB é um lixo de proporções astronômicas, mas milhôes e milhões de espectadores querem ver esse tipo de coisa.

Não é um fenômeno brasileiro: há BB nos mais diversos países.

Infelizmente (para quem não gosta) as emissoras dão ao povo justamente o que o povo quer ver…

    Wildner Arcanjo

    E o pior de tudo, gastam R$ ligando para votar e "salvar" um participante…

    orbitaplanetaria

    É O CONTRÁRIO o povo assiste porquê é uma das poucas coisas diferentes na TV que não seja novela e programa de auditório. As redes de TV querem programas baratos e de alta rentabilidade se lixam para produção de programas culturais. O BBB é um programa extremamente barato comparado a qualquer outro e muito lucrativo, é só ver que cada participante ganha um carro e o vencedor um milhão de reais. É só ver que o acesso a internet, tv paga e outras opções tiram facilmente as pessoas de frente da telinha, então dizer que o povo quer é dar razão a lógica das emissoras da rede aberta, o povo quer coisa mais diversificada, diferente, infelizmente essa é uma das coisas mais diferentes da tv.

Diana Athenas

Se está ocorrendo um crime, eu tenho meios de interrompê-lo e nada faço, qual o meu papel diante do ocorrido??? As pessoas gostam de discutir quem é o bandido e quem é o mocinho e se esquecem que por trás disso tudo tem alguém ganhando dinheiro, e muito, com tudo isso!

Maria Fulô

Se existe um eixo do mal no Brasil, é o PIG… Serra corrompe com sua Famiglia a privatização e eles fingem que não é com eles. Um estupro é levado ao ar pela Globo e o pouco que se lê é algo totalmente inconclusivo. O Brasil precisa dessa gente? Pra que?

Jose Antonio Batata

As empresas que patrocinam o BBB devem estar preocupadas com a sua imagem. Devemos escrever para elas protestando contra o estupro. Esse pessoal só conhecem a linguagem do dinheiro, tudo para eles é dinheiro. Quando a população protestar , os patrocinadores vão tirar o $$$$. O PIG está em fase terminal…

VIÇOSO

Este argumento de Ana Flavia Ramos não convence ninguem. Defende Monique como se fosse uma santa!! É ridiculo. Fica a pergunta: Quem promoveu a festa com bebidas, libertinagem, musicas excitantes…O promotor da festa é o responsável pela festa que promove, bem como, pelas consequencias geradas pelas bebidas, energéticos e e estimulantes fornecidos, que é a Globo. Diziam os filósofos latinos" Remota causa, sublactus effetus" (Retirada a causa, eliminado o efeito). Se há ou houve expulsão é para os dois-Daniel e Monique e não só um pague pelo acontecido e carregue o estigma de estrupador. Cheira racismo. Ou os dois ficam ou os dois saem.

    Marcelo de Matos

    Viçoso. Não vou comentar. Esse assunto é muito polêmico até para gosta de temas polêmicos, como eu. Dizem que algumas atrizes da Globo assistiram à cena e alegaram que Monique estava desacordada. Se for verdade é grave. Claro que seria necessária representação judicial por parte da vítima, coleta de provas, mas, a Globo não vai querer esse fuzuê todo.

    beattrice

    Estando a vítima desacordada a prerrogativa tb cabe ao MP.

BBB O

A degradação humana e o patrocínio dos capitalistas que são os responsáveis pela decadência das realções sociais.Aquela patifaria ser chamado de programa é um acinte.

Fernando

A Globo incentiva o estupro, ou alguém aí já esqueceu do quadro do Zorra Total em que os homens ficavam encoxando as mulheres dentro de um vagão de metrô?

Magaly

Excelente análise, Ana Flávia!

O debate precisa ser aprofundado. Eu vi as cenas no Youtube, em um dos vídeos classificados para menores de 18 anos, os comentários ali eram da pior espécie, horrendos mesmo. Exatamente como no filme The Accused, ou seja, de que a moça é que era culpada, ela e que provocou a situação etc.

A Globo está botando panos quentes nesse episódio o que torna tudo ainda mais repugnante.

BBB O

Este fato abala a imagem do Brasil no mundo sobre a questão de baixo nível na programação televisiva, falta de controle do Estado sobre dos meios de comunicação, descumprimento da legislação, verbas do poder público para emissora que não cumpre a legislação vigente, vulgaridade que expõe e humilha seres humanos por dinheiro, e o sexismo que violenta, por submeterem mulheres ao comando e hierarquia masculina para alavancar audiência.
Rede Globo e BBB é caso de polícia. Aguardemos para comprovar que todos são iguais perante a lei. Os co partícipes também devem ser autuados sob as penas da lei. prendam todos. TODOS.

Carlos.

Concordo no que diz respeito à cumplicidade (no mínimo omissão) por parte da rede globo que testemunhou um suposto crime e não interrompeu a ação do criminoso. Isso seria bem simples porque o diretor (ou cafetão de plantão) do programa tem total acesso sobre a casa. Se alguém viu que o rapaz continuou com o ato após a moça ter adormecido e não fez nada, é porque não viu nada demais nisso (blargh!) ou então colocou a importância do índice de audiência acima da decência.

No mais, vou aguardar as investigações antes de condenar este ou aquele. Quem entra naquele p.teiro sabe bem no que está se metendo e os selecionadores de elenco do BBB não vão selecionar quem não esteja disposto a qualquer coisa por 15 minutos de fama. Nada é mais comum do que usar a bebedeira como álibi para alguma besteira que se fez. Aí no dia seguinte é só ficar repetindo feito sonso(A): "Não sei… Não me lembro de nada…"

Renato

Bom, para mim não interessa se a torneira da casa do najas é de ouro ou não, o que interessa é saber, posso invadir uma propriedade privada e construir um imóvel lá? Isso chama crime.

Emerson

Sras. e Srs. Eis a resposta que tive da Fiat, para esclarescimento desse fato ocorrido, desde já, acho que essa resposta é insuficiente e internamente a Fiat, tem que tomar outra providencias.

Prezado Sr.Emerson, Primeiramente, agradecemos o recebimento de seu e-mail contendo observações sobre o “reality show”, promovido e realizado pela Rede Globo de Televisão,o Big Brother Brasil. Salientamos que a Fiat esclarece que é apenas patrocinadora do programa televisivo BBB não possuindo ingerência ou responsabilidade sobre o conteúdo do referido programa. A Fiat consigna que acredita e confia na direção do programa que saberá tomar as medidas cabíveis em razão dos fatos que estão sendo veiculados na imprensa. Agradecemos o contato e colocamos à sua disposição nossa Central Fiat de Relacionamento pelo telefone 0800.707.1000. Atenciosamente, Aline Santos. CENTRAL DE RELACIONAMENTO FIAT

    André

    Recebi essa mesma resposta.

    Luiz Nalin

    Também recebi a mesma resposta, só que retruquei dizendo que a mesma é corresponsável pelo que patrocina, pois com seu $$$ é que a Globo promove a degradação da TV publica e que isto terá conseqüência para a Fiat

    Ana Dias

    eu recebi a mesma resposta e retruquei perguntando se, assim como a Globo, a Fiat considera que estupro é "conduta inapropriada"…

    Êmone Mattei Neto

    Também recebi a seguinte resposta:
    Agradecemos o recebimento de seu e-mail, contendo observações, comentários e/ou solicitações diversas, sobre o “reality show”, promovido e realizado pela Rede Globo
    de Televisão, o Big Brother Brasil.

    Na oportunidade, esclarecemos-lhe que, alcançamos sua residência, na qualidade de patrocinador desse programa, visando podermos apresentar-lhe os nossos mais
    diversos modelos e lançamentos, sendo que as regras e condições são estabelecidas pelos realizadores e produtores do show, tendo seus patrocinadores que cumpri-las,
    como firmado.

    Para tal colocamos à sua disposição nossa Central de Relacionamento Fiat pelo telefone 0800.7071000.

    Atenciosamente,

    Helen Fernandes.

    CENTRAL DE RELACIONAMENTO FIAT

    Assim como a Ana Dias, retruquei. Vamos pressionar. Um abraço.

    Marcio H Silva

    Continuem pressionando, que nos bastidores, eles pressionam a Globo!

    beattrice

    Para quem está familiarizado com midia corporativa fica claro, vai pegar nos bastidores.
    A resposta rápida e uniforme aponta que a empresa inclusive já estava preparada para o ataque.
    É preciso continuar a carga e estender a todos os patrocinadores.
    Quem patrocina baixaria é contra a cidadania

FabioT

Casos de suposto estupro ou abuso já aconteceram em outros BBBs em outros paises,
e se for tudo, digamos calculado ? eu não sei o que é pior, se for verdade ou se for uma farsa…

    Magaly

    Tratando-se de um produto editável, com contratos etc. secretos tudo pode ocorrer inclusive uma cena de estupro devidamente ensaiada e programada para elevar os índices de audiência de um programa que vai caindo no esquecimento, na chatice etc.

    Verdade ou farsa existe a cena. A cena informa e comprova o ato, programado ou não, ele foi ao ar, é conteúdo gravado e veiculado, logo no mínimo do minimo existe uma responsabilidade editorial.

    Se tudo foi calculado e combinado, a meu ver, torna a situação ainda muito pior e passível de um proceso cívil e criminal. Por qualqeur ângulo que se tome esse episódio a Rede Globo tem que ser devidamente responsabilizada por suas decisões.

Joana Porto

Ana Flávia, vc lembra do Tal Boninho, falando do BBB no ano passado? e dizendo que neste ano ia liberar geral, para drogas, sexo e tudo o mais? tá aí… ninguém lembra? era isso mesmo que ele queria e conseguiu…

João

Vamos parar o Brasil para discutir sobre a utilidade do BBB.

Vamos fazer uma passeata na Av. Paulista, de parar o trânsito, com as bandeiras "Abaixo Rede Globo", "Cassação Já", "Estupro? Não!"…

FrancoAtirador

.
.
O local é uma área de cerca de 1 milhão de m²,

na zona sul da cidade, pertencia à empresa Selecta

que o megaespeculador Naji Nahas levou à falência.
.
.
A triste diferença entre sem-teto e Naji Nahas, o milionário dono do Pinheirinho

A casa que o aposentado João Batista, 65, se esforça em construir para a filha solteira não chega a 40 metros quadrados. O derrame recente se somou à falta de dinheiro para dificultar a vida deste morador da ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos, interior de São Paulo. Os R$ 2 mil que ele pretende gastar na construção, próxima ao seu barraco no acampamento de sem-teto, provavelmente deve ter sido o preço de um dos vários seguranças do casamento da filha mais nova de Naji Nahas. O megaespeculador libanês é o dono do terreno de 1,3 milhão de metros quadrados onde cerca de 1.200 famílias estão acampadas há três anos. Entre elas, a do aposentado João Batista.

Morador do Pinheirinho há três anos, Batista vive sozinho num barraco de 12 metros quadrados. O vigilante aposentado espanta-se ao saber que o casamento de Patrícia Nahas, realizado em setembro de 2004, teve tantos convidados internacionais que Naji Nahas fretou nove aeronaves: dois Boeing, cinco Falcon e dois Gulfstream. Quando a filha mais velha de Batista se casou, ele conta que não pôde fazer mais que levar um “presentinho” e assinar o documento. “Me sinto indignado em ver um homem com tanto dinheiro querendo tirar o nosso. Se ele se preocupa tanto com seus filhos, deveria pensar nos nossos”, afirma o aposentado.

Nas festas de arromba que realizava no Copacabana Palace, Nahas trouxe artistas internacionais de peso como Alain Delon, Gina Lolobrigida e Omar Shariff. Apenas a lancha de Sueli, sua esposa, custou quase meio milhão de dólares. Os detalhes sobre a vida luxuosa de Nahas foram publicados pelo jornalista Renato Fernandes na revista Joyce Pascowitch de março.

A dona-de-casa Fátima Caetano, 36, também ficou escandalizada com os imensos gastos do proprietário do terreno onde ela vive há três anos. “Ele só pensa em si. Como já nasceu rico, quer sempre mais e por isso não vai abrir mão daqui”, afirma. Mãe de duas meninas pré-adolescentes, ela foi uma das lideranças da ocupação. Apesar de não ter dúvidas quanto à ganância de Nahas, ela diz ter esperanças. “Ele pode até tirar a gente, mas vai ser difícil. Se a gente lutar, não tem dinheiro que baste”.

O terreno do Pinheirinho, localizado na zona sul de São José, pertence à massa falida da Selecta, a primeira empresa de Naji Nahas. A ocupação do Pinheirinho ocorreu no dia 27 de fevereiro de 2004, após a expulsão violenta dos sem-teto que ocuparam um terreno no bairro Campo dos Alemães.

Por meio de mandados de reintegração de posse, a prefeitura e a Polícia Militar já ameaçaram desocupar o local várias vezes. Em resposta, os sem-teto realizaram marchas com milhares de pessoas pelas ruas de São José. Em vez de desapropriar o terreno, o prefeito Eduardo Cury (PSDB) insiste em entrar com ações na Justiça para expulsar os moradores, apesar de o governo federal ter acenado com a possibilidade de construir as moradias. São José tem um déficit habitacional de mais de 20 mil casas.

O tucano chegou a dizer que a ocupação era o “problema mais grave” da cidade. O local estava abandonado há décadas e cheio de dívidas em impostos – mais de R$ 6 milhões. Somente depois da ocupação o playboy que passa as férias de julho na Europa, em um apartamento de luxo em Paris, resolveu reivindicar o terreno.

Íntegra em:

http://www.correiocidadania.com.br/index.php?opti

@lucilakbrito

Muito grave. O programa deveria estar fora do ar, depois disso.

Paulo P.

A Constituição é letra morta?

O que está em jogo, aqui, é o uso de um meio público dedifusão, cujo uso é regido pela Constituição:

Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:

I – preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;(…)

IV – respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.
http://www.tijolaco.com/a-constituicao-e-letra-mo

    Alberto

    Para por esse artigo em prática, é necessário um Governo que tenha coragem de enfrentar esses grandes grupos midiáticos.

    No caso da Dilma, já durante a campanha ela disse que o único controle social que ela aceita "é o controle remoto. […] Plin, plin, plin, plin, plon!".

    [youtube X2SNE9t9yU0 http://www.youtube.com/watch?v=X2SNE9t9yU0 youtube]

    O contraponto:

    [youtube GlQVn6HzT_I http://www.youtube.com/watch?v=GlQVn6HzT_I youtube]

    Alberto

    Correção: o segundo vídeo deveria ser esse:

    [youtube GlQVn6HzT_I http://www.youtube.com/watch?v=GlQVn6HzT_I youtube]

    Silvio I

    Alberto:
    Concordo contigo, apenas que não e medo, são interesses. Devemos lembrar-nos, que os presidentes estão presidentes, mais não tem o poder. O poder está em outras mãos. Aquilo que Janio e Brizola, deram por chamar de forças ocultas.E em quanto este povo não se politize ,e pegue o poder em suas mãos, que e o dono de esse poder, nada feito.

    Silvio I

    Alberto:
    Não devemos confundir liberdade de imprensa com liberdade para os interesses da imprensa. Por outro lado aqui a presidenta, não tem nada que fazer, e a justiça que deve de atuar. Ademais anexar a este problema um vídeo antigo onde se trata de outra coisa, está errado.

    Alberto

    O vídeo é antigo, mas o Governo ainda mantém enterrado o controle social da mídia, simplesmente por ter medo de enfrentar a mesma.

    E o prevalecimento do interesse da imprensa sobre o direito das pessoas à informação e o não cumprimento do Artigo 221, que o Paulo P. postou, são exemplos da conseqüência do abandono dessa luta.

    Klaus

    I – "preferência", não obrigatoriedade;
    IV – valores éticos e sociais da pessoa e da família – que pessoa e que família? O que é ético para um grupo pode não ser ético para outro. Aborto pode ser ético para uns e assassinato para outros. Quem define o que é ético?

    Ana Paula

    É por essas e outras que os advogados adoram a Constituição brasileira: se ler por 5 minutos com um dicionário do lado não há infração de rico que escape de impunidade.

italo

Pois, a globo pode incentivar consumo descontrolado de alcool à ponto de seus participantes não lembrarem de suposto estupro. Discussões do tipo certo ou errado vem depois que um lado, quase sempre o mesmo, ganhar muito dinheiro com isso. Isso não vai mudar, já tentaram enfiar na cabeça de eleitores que uma bolinha de papel causa traumatismo craniano e mandato de 4 anos em candidatos amigos, e só em amigos.

Deixe seu comentário

Leia também