VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Tarso Genro: Investigar a simbiose entre sistema político, Estado e crime


23/04/2012 - 18h11

A instalação da CPI sobre a possível rede criminosa do contraventor Cachoeira abre uma extraordinária oportunidade de investigar a fundo, não só um caso concreto, mas os métodos, a cultura, a simbiose entre o sistema político, o Estado e as organizações criminosas politizadas. Estas não só interferem na pauta administrativa dos governos, mas também na pauta política dos partidos e podem mancomunar-se com órgãos de imprensa para transitar interessses econômicos e políticos. O artigo é de Tarso Genro.

por Tarso Genro, em Carta Maior

Ao contrário do que torcem — e em parte patrocinam significativos setores da mídia — não está se abrindo uma crise com a instalação da CPI sobre a possível rede criminosa do contraventor Cachoeira. Abre-se, sim, uma extraordinária oportunidade de investigar a fundo, não só um caso concreto, mas os métodos, a cultura, a simbiose (às vezes espontânea e no mais das vezes deliberada), entre o sistema político, o Estado e as organizações criminosas politizadas. Estas, como já está provado, não só interferem na pauta administrativa dos governos, mas também na pauta política dos partidos e podem mancomunar-se com órgãos de imprensa para transitar, ou interesses de grupos econômicos -criminosos ou não- ou interesses dos diferentes partidos aos quais estes órgão são simpáticos.

Para que esta oportunidade seja aproveitada é necessário, porém, que a CPI tenha a predominância de parlamentares que não tenham medo. Não tenham medo de que o seu passado seja revelado – um passado complicado fragilizaria o resultado da CPI -, não tenham medo de ser achincalhados pela imprensa, pois à medida que contrariarem os interesses que ela defende serão ridicularizados por algum motivo ou atacados na sua honradez. Não tenham medo, sobretudo, de encontrar algum resíduo de envolvimento seu, na teia de interesses, manipulada pelo grupo ora apontado como criminoso.

Uma parte da esquerda, na defensiva em função do cerco a que foi submetida principalmente no primeiro governo do Presidente Lula, convenceu-se que as denúncias feitas pela imprensa não passavam de montagens para nos desgastar. Ora, é razoável supor que muitas denúncias são forjadas (em função de brigas entre empreiteiras, por exemplo, ou para desmoralizar lideranças que são importantes para os governos), mas tomar as denúncias como produto de uma conspiração é errado. É deixar de lado que o estado brasileiro, historicamente cartorial, bacharelesco, barroco nos seus procedimentos e forjado sob o patrocínio do nosso liberalismo pouco republicano, tem um sistema político-eleitoral e partidário, totalmente estimulante aos desvios de conduta e às condutas que propiciam a corrupção.

O uso que a mídia faz dos eventos de corrupção, para tentar destruir o PT e a esquerda é, na verdade, um elemento da luta política por projetos diferentes de estado e de democracia. São diferentes concepções de republicanismo que estão em jogo, entre um republicanismo elitista e “globalizado” pelo capital financeiro e um republicanismo plebeu, participativo e aberto aos movimentos dos “de baixo”. Este, considera urgente a redução das desigualdades sociais e regionais, mesmo que isso se choque contra as receitas dos FMI e do Banco Central Europeu: um republicanismo do Consenso de Washington e um republicanismo do anti-Consenso de Washington, é o que está em jogo.

O fato, porém, da corrupção ser “usada” pela mídia, nas suas campanhas anti-esquerda, não quer dizer que ela não exista, inclusive no nosso meio. Então, o que se trata, não é de “amaciar” os fatos, mas de disputar o seu “uso” – o tratamento político dos fatos – para fortalecer uma das duas principais concepções de República que caracterizam o grande embate político nacional na atualidade. O “aceite” deste embate político tem um terreno fértil na CPI, em instalação, e a esquerda brasileira poderá agora, se tiver uma estratégia unitária adequada, amalgamar um conjunto de forças em torno dos seus propósitos republicanos e democráticos.

A atual CPI, ao que tudo indica, vai se debruçar sobre um sofisticado sistema duplamente criminoso: ele promove diretamente, de um lado, a apropriação de recursos públicos para fruição de grupos privados criminosos (através da corrupção) e, de outra parte, promove a deformação ainda maior do sistema político (através de criação de agendas políticas), para cooptar pessoas, vincular mandatos ao crime e, também, certamente, financiar campanhas eleitorais. Se de tudo que está sendo publicado 50% for verdadeiro trata-se de um patamar de organização superior da corrupção, que já adquire um estatuto diferenciado. Nele, o crime e a política não apenas interferem-se, reciprocamente, mas já compõem um todo único, com alto grau de organicidade e sofisticação.

O pior que pode acontecer é que a condução da CPI não permita investigações profundas e que seus membros, eventualmente, cortejem mais os holofotes do que a busca da verdade, ou que ocorram acordos para “flexibilizar” resultados, por realismo eleitoral. Nesta hipótese, ficarão fortalecidos aqueles que hoje estão empenhados em desgastar a esfera da política, que significa relativizar, cada vez mais, a força das instituições do estado e o sentido republicano da nossa democracia.

Este serviço, aliás, já está sendo feito pela oposição de direita ao governo Dilma, pois já conseguiram semear a informação que o governo “está preocupado” com os resultados da CPI. A oposição demotucana faz isso com objetivos muitos claros: para que todos esqueçam as raízes partidárias profundas, já visíveis, neste escândalo de repercussão mundial, mas que também é uma boa oportunidade de virada republicana na democracia brasileira.

(*) Tarso Genro é governador do Estado do Rio Grande do Sul.

Leia também:

Dr. Rosinha e Marcelo Zero: Murdoch é fichinha



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


38 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Vlad

24 de abril de 2012 às 10h56

Relaxa e goza…diria a Marta. Ou não?
Assina a CPI não, meu filho, diria o Zé Mensalão. Ou não?
Ou, como diria a ilustre presidenta: "quem atira a primeira pedra tem o telhado de vidro" ( sic)…ou o zagueiro poeta: "só bate quem erra".
Ou seja, ferrou geral, galera.
O caos está semeado. Sorte que a Dilma está lá no alto dos seus 64% de aprovação. Sorte mesmo.
E bem feito pro resto.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Julio Silveira

24 de abril de 2012 às 10h51

Slou critico de mim mesmo, minhas participações, em todos os blogs que opino, carregam uma dose grande de independencia, não total por que também tenho simpatias, e sei que isso me afeta. Mas tenho certeza de que nesses blogs existem pessoas que atuam com vinculação explicita para um dos lados, esses a meu ver não tem isenção, portanto podem até estar defendendo o prato que comem, não é meu caso. Minha opinião vem de fora, critico o Tarso, naquilo que nele me desagrada como critico o Serra, por que nele nada me agrada.
O que me faz ficar indignado é perceber a semelhança que existe, não nas personalidades politicas, mas nos que em utlima analise criam os monstros, esses que perdoam tudo desde que seja dos seus. Francamente, esses ajudam a criar os Cachoeiraas, Demostenes, mas também fazem parede para o dinheiro nas cuecas. Essa gente devia é ficar antenada e olhar para fora de seus umbigos.

Responder

El Cid

24 de abril de 2012 às 10h25

enquanto isso, numa formatura no curso de Direito da Faculdade Alfa, um formando e dois homenageados… sei não…

[youtube moy7zYxOihY&feature=player_embedded#! http://www.youtube.com/watch?v=moy7zYxOihY&feature=player_embedded#! youtube]

Responder

    Gilson Rocha

    24 de abril de 2012 às 15h26

    E daí, o Delúbio foi paraninfo de formandos
    em Administração.

robson

24 de abril de 2012 às 08h30

Por que ele não manda investigar o grupo RBS então??????
Fala grosso na blogosfera, mas afina na hora de aparecer na grande mídia.

Responder

Luiz Reis

24 de abril de 2012 às 08h02

Infelizmente o Tarso, um dos bons nomes do PT para posições importantes, ainda mais, no futuro, tem em seu currículo a mácula de defenestrar, ou ao menos não brigar contra, a saída do Paulo Lacerda da PF. Essa marca ele um dia terá que explicar para nós. Portanto, falar de corrupção agora é bonito e louvável, mas quando pôde fazer algo, infelizmente não o fez. Outro ponto: se entrarmos nessa de CPMI da Veja é tudo que eles querem. O esquema é MUITO maior que aquela revista do esgôto, além disso, irão vociferar sobre liberdade de imprensa e defesa de fontes… vai desvirtuar o cerne da questão. AVeja é uma m…, mas a corrupção não acaba se ela acabar.

Responder

sonia

24 de abril de 2012 às 05h50

Concordo com o Governador Tarso Genro quando escreve que " O pior que pode acontecer é que a condução da CPI não permita investigações profundas e que seus membros, eventualmente, cortejem mais os holofotes do que a busca da verdade, ou que ocorram acordos para “flexibilizar” resultados, por realismo eleitoral". No entanto, não creio que alguém precise empenhar-se em "desgastar a esfera da política", pois os próprios políticos já o fazem ao aprovar projetos fora da Lei, como no caso do aumento ao Magistério.

Responder

FrancoAtirador

24 de abril de 2012 às 02h36

.
.
Alguém já ouviu falar nos réus relacionados
na Ação Civil de Improbidade Adminstrativa
ajuizada pelo Ministério Público Federal?

É impressão minha ou vários "especialistas"
da Rede Globo estão aí também arrolados ?

Processo: 2003.34.00.039140-7
Nova Numeração: 0039097-22.2003.4.01.3400
Classe: 64 – AÇÃO CIVIL DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
Vara: 5ª VARA FEDERAL
Juíza: DANIELE MARANHÃO COSTA
Data de Autuação: 17/11/2003
Distribuição: 2 – DISTRIBUICAO AUTOMATICA (17/11/2003)
Nº de volumes: 1
Assunto da Petição: 1030803 – VIOLAÇÃO AOS PRINCÍPIOS ADMINISTRATIVOS – IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA – ATOS ADMINISTRATIVOS – ADMINISTRATIVO

REQTE. MINISTERIO PUBLICO FEDERAL

REU JOSE DE SA NETO
REU PEDRO SAMPAIO MALLAN
REU JOSE SERRA
REU GUSTAVO JORGE LABOISSIERE LOYOLA
REU CARLOS EDUARDO TAVARES DE ANDRADE
REU FRANCISCO LAFAIETE DE PADUA LOPES
REU GUSTAVO HENRIQUE DE BARROSO FRANCO
REU ANGELO CALMON DE SA
REU ALFRED DE CASTRO REBELLO KIRCHOFF
REU ANTONIO PEDREIRA DE FREITAS BURITY
REU ANTONIO CALMON DU PIN E ALMEIDA
REU CLAUDIO NESS MAUCH
REU ALKIMAR RIBEIRO MOURA
REU SILVIA TEIXEIRA LEAL DE ABREU
REU FRANCISCO DE SA JUNIOR
REU JOSE ROBERTO DAVID DE AZEVEDO
REU JOSE FARANI PEDREIRA DE FREITAS
REU BANCO ECONOMICO SA
REU IEP – ITAPIRACEM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES S/A
REU COMPANHIA DE SEGUROS ALIANCA DA BAHIA
REU VITORIA EMPREENDIMENTOS E SERVICOS LTDA

http://processual.trf1.jus.br/consultaProcessual/

Responder

    maria olimpia

    24 de abril de 2012 às 18h22

    Caro FrancoAtirador,
    Isto NÃO aparecerá na mídia, COM CERTEZA……..

    FrancoAtirador

    24 de abril de 2012 às 23h10

    .
    .
    Cara Maria Olimpia.

    O processo certamente não aparecerá na "grande mídia corrupta".

    Mas os réus aparecem toda hora, como experts em economia e política.

    Só não dizem que são gestores do patrimônio alheio, por excelência.
    .
    .

FrancoAtirador

24 de abril de 2012 às 02h14

.
.
Hoje, terça-feira (24), às 19h30: Sessão conjunta da Câmara e do Senado

para o anúncio oficial dos membros da CPMI Cachoeira/Veja/Demóstenes
.
.

Responder

Julio_De_Bem

24 de abril de 2012 às 00h15

Peço aos amigos que leiam o artigo do Edu guimarães, onde ele tem uma informação quente de um parlamentar do PT que prega a calma e a serenidade nessa CPI, que não falem muito alto o nome da Veja e do Civita. O parlamentar certamente é leitor do Edu como eu, então vamos faze-lo nos ouvir. Provavelmente ele leia também o Viomundo. http://www.blogcidadania.com.br/2012/04/petista-d

Ele (o parlamentar) faz parecer que uma investigação dos crimes cometidos pela imprensa não seja algo sério …precisamos nos fazer escutados pelos pseudo esquerdistas que querem passar a mao na cabeça do bonner com medo do que ele pode falar no JN.

Que os políticos façam política com o fígado, ou voltem pras suas casas. ataquem os porcos no coração, é caminho mais rápido para mata-los.

Responder

    Alexandre Bitencourt

    24 de abril de 2012 às 11h31

    Julio, a grande imprensa pode ficar meio desequilibrada com a abertura da CPI, mas o poder que eles ainda tem é inegável.

    Uma imprensa que apoiou e apoia o golpe militar, e ainda assim é tida como fonte de informação confiável pela maioria dos brasileiros não pode ser subestimada.

    Eles têm o poder das palavras, e, para a grande massa acrítica formada durante quase 30 anos no governo militar, o que eles dizem é verdade absoluta.

    Não é demais ser cauteloso para não perder a oportunidade. Eles têm que ser pegos na malandragem deles e não nos ataques sem informações concretas.

    Quando tiver revelações concretas da CPI, aí sim as críticas à essas mídias golpistas poderão ser mais inflamadas …. por enquanto … acredito que a cautela seja necessária.

    Julio_De_Bem

    24 de abril de 2012 às 12h54

    Cautela o PT está tendo a muito tempo por um único motivo: COVARDIA.

    Perpetuar a covardia e não peitar a podridão da mídia brasileira nessa oportunidade de ouro, começando pela defesa é errado.

    E eles sabem que é errado, porém não tem coragem o suficiente pra revolucionar e realmente fazer algo eterno para o país. Quem defende a cautela na hora de partir pra jugular é pq está com o rabo preso.

Delano

24 de abril de 2012 às 00h14

“Meninas” do Jô revelam a tática da mídia para distorcer a CPI
http://www.blogcidadania.com.br/2012/04/%E2%80%9C

Responder

paulo

23 de abril de 2012 às 22h40

Esse é Tarso Genro , nem a turma do PT acredita nele . Lembremos de que era o ministro da justiça qdo do episódio Paulo Lacerda , Sathiagara , etc , etc …

Responder

    Julio Silveira

    24 de abril de 2012 às 08h53

    Para retirar qualquer duvida sobre minha participação politico partidária, quero deixar claro que não faço parte de nenhum partido. Sou um fiel eleitor de partidos de esquerda, pelas propostas mais humanistas que costumam apresentar, por isso nutro simpatia aqui no estado pelo PT, não nego. Inclusive contribui como eleitor na eleição do Tarso. Acredito que isso me permite também independência para criticar naquilo que vejo como incoerencia desse cidadão. Eu, que acompanho o debate politico, inclusive o interno no PT, sempre entendi que o Tarso é um sujeito que prefere dividir para ganhar, ele quer ser o centro das atenções, quer ser a estrela do partido no estado. Minha preferencia, todavia, sempre que tenho oportunidade de dizer foi e é pelo Olivio, esse que a midia daqui demonstra não gostar. Ele foi o precursor da credibilidade do partido com o cidadãos eleitores no estado.

pperez

23 de abril de 2012 às 21h43

Gostaria de perguntar ao Tarso se o medo que pode intervir nos trabalhos desta CPI, é o mesmo que impediu a instalação do Privataria Tucana.

Responder

    Remindo Sauim

    24 de abril de 2012 às 10h09

    Os tucanos estão mortos e enterrados, o que ganharia o governo em dar espaço a estes bandidos numa mídia que seria totalmente a favor do Serra e amigos. Com esta do Cachoeira, vai atacar os verdadeiros inimigos, a imprensa e a direita.

Fabio_Passos

23 de abril de 2012 às 21h27

Esta associação da mídia-burguesa com o crime organizado não surpreende. É uma evolução normal da pregação neoliberal, que aceita a promiscuidade entre os interesses de grupos econômicos (anunciantes) com a pauta da revista.
O bandido daniel dantas teve total apoio da veja comprando publicidade. Nassif já demonstrou isso na série de reportagens históricas que destruiu a credibilidade da veja. Uma revista que aceita este tipo de sociedade está a venda para qualquer grupo que pagar. Por isso a sociedade civita & cachoeira não é o que impressiona. O que impressiona é a sociedade tolerar uma quadrilha de bandidos editando uma revista semanal em prol dos interesses do crime organizado.

Cadeia nestes bandidos da veja… a mais vendida.

Responder

hcoelho

23 de abril de 2012 às 20h00

Por favor, CPMI da veja. Este é o nome mais que oficial da CPMI. CPMI da veja.

Responder

damastor dagobé

23 de abril de 2012 às 19h16

Pra começar deviam passar na locadora é pegar o filme Italiano recente chamdo Gomorra, ele explica direitinho que estado, politica, policia, imprensa, bancos, industria e crime organizado são uma so coisa la no país deles..e no resto do mundo tambem, acrescento eu. Não tem misterio: as maiores redes varejistas do país compram cargas roubadas, os bancos roubam de empregados, clientes e governo…politicos roubam de todos… parece que só eles nao sabem disso..então façam mais uma CPI…a "sinistra" adora se auto iludir com
boas intenções e politica correta…como se existisse tal coisa.

Responder

    Mário SF Alves

    24 de abril de 2012 às 01h11

    Enquanto isso – com o circo já pegando fogo – dia desses via-se a imprensa corporativa tentando nos convencer de que o Sarkozy estaria perdendo pelo fato de, durante corpo-a-corpo com eleitores, ter tirado do pulso e guardado no bolso aquele relógio dito de mais de R$ 100.000,00. É a globalização do PIG.
    E, a propósito do seu comentário sobre o Gomorra, sabe dizer se a lista aí em cima inclui a Chiesa?

Julio Silveira

23 de abril de 2012 às 18h56

O Tarso lenga lenga devia é dar um jeito de pagar o piso do professores, e se envergonhar de apresentar um inicial para o cargo abaixo do minimo ao valor de R$395,54 e o top da profissão ou seja com doutorado e mestrado fim de carreira ao valor de R$1.186,62, conforme edital publico do concurso. Logico que ai se somaraõ alguns penduricalhos mais ao final o professor morre recebendo uma miséria para o nivel de importancia que tem para a sociedade. Enquanto isso esse "mestre" em politica resiste na aplicação do piso.
Engraçado que todo politico antes de entrar promete que será o maximo, quando está dentro mantem o minimo, talvez seja para que a sociedade permaneça carente e acreditando que eles são importantes.

Responder

    Brasileira

    23 de abril de 2012 às 20h23

    Gostaria muito de opinões que debatessem o tema. Se vc quer ver debatida sua tese, escreva um Post.

    Julio Silveira

    23 de abril de 2012 às 22h10

    Acho que bater em cachorro morto é facil, o Cachoeira como já é do conhecimento de todos está derrotado, tanto que já está em cana. Quero ver se os seus parceiros de dentro da poitica terão o mesmo destino, já que descaminhos sabemos que estão promovendo. Aqui, em relação a esse post do Tarso, acho que é apenas oportunismo politico. É querer aparecer, este tema está na midia a todo instante, e ele que não vem atendendo aqui no RS aos preceitos de seus eleitores para um bom governo de esquerda, está aproveitando espaço.

    Alice Matos

    24 de abril de 2012 às 00h01

    Caro Júlio Silveira, deixe de bobagem que nem Cachoeira e nem Demóstenes são cachorros mortoa. Essa gente tem ainda muita gordura pra queimar. Escreve o que estou dizendo, viu?

    Julio Silveira

    24 de abril de 2012 às 10h57

    Quiz dizer que estão mortos por que nada que se faça irá retirar deles a culpabilidade. Se você é boa leitora vai observar que cito a esperança na criminalização de seus parceiros da politica(TODOS).
    Agora fala sério o Cachoeira pode até não ser punido, afinal nossa justiça é de brincadeira para quem tem grana, mas quem acredita em sua inocencia? nesse sentido para mim ele é cachorro morto, não tem mais gordura para queimar, o que querem evitar é que em sua decomposição ele possa atingir doentes terminais levando a outras mortes. (só para usarmos metaforas)

    Brasileira

    24 de abril de 2012 às 09h00

    Muito bem : agora começas a entrar no tema. Vamos ao debate então: discordo que o Cacheira esteja de todo "morto" como escreves. Se te lembras, o Salvatore Cacciolli acabou de ser libertado. A extensão dos tentáculos do Cachoeira (vide Eduardo Guimarães, em 23 de abril/pp) ionvadiram de forma organizada toda as instituições, sejam públicas sejam privadas. É necessário debater, ler, e pricipalmente acompanhar todas, todas as formas que ampliem nossa compreensão sb o assunto. Termoinada esta etapa, é necessário que todos e todas fiquemos atentos e vigilantes pra que não mais se repitam.

    Julio Silveira

    23 de abril de 2012 às 22h15

    Se para voce o que esta exposto precisa discussão, debate, fico deverás decepcionado com todos que defendem paciencia para os outros. Talves você esteja muito bem e possa esperar por debates interminaveis para melhorias que ocorrem a conta gotas.
    Ele que faça como o Lula, que partiu do discurso para a ação, quer mais?.

    Brasileira

    24 de abril de 2012 às 08h53

    Pra você não precisa de debate? Vamos a um ponto que a todos é nevrálgico: queremos sim saber pra onde vai o dinheiro que todos nós somos obrigados a pagar no ato da compra de qquer produto, seja ele uma caixinha de fósforos. Você não? Seu imdiatismo revela que deves ser muito, muito jovem! Não sabes que o Brasil sangra há séculos pelas retiradas enlouquecidas dos que aqui assumem o poderf? No decorrer do mandato de Yeda as notícias de corrupção eram aqui mesmo muito registradas. Não te interessas por saber se eram ou não verdadeiras? A presssa. Ah! a pressa!. Talvez aqueles fatos melhor apurados e melhor investigados, pudessem garantir o aumento de salário "justíssimo" aos profesores que tu colocas em cada um dos artigos do Tarso Genro…….

    Gilson Rocha

    24 de abril de 2012 às 15h21

    Depois sou eu que fico dando desculpas
    para a direita.
    Eu não dei desculpa alguma.
    Apenas citei o que aconteceu nos dois
    casos de greve na Bahia.
    E como Lula se posicionou quando era
    oposição e quando era governo.
    Acho que 43 anos não é exatamente ser
    muito jovem.
    É verdade, muitas denúncias quanto ao governo
    anterior.
    Vejamos o que o governador irá fazer quanto a isso.
    E até que ponto estas denúncias são verdadeiras.

    Gilson Rocha

    23 de abril de 2012 às 22h55

    http://youtu.be/FiY8tnBpySc
    A Brasileira esquece que quando o
    sr. Tarso Genro era ministro da Educação,
    foi um dos que aprovaram a lei do piso nacional.
    Assim como Lula, quando aprovou aumento salarial
    aos policiais civis, PM e bombeiros em Brasília.
    Mas para o ex presidente, Brasília é diferente das outras
    capitais.Porque não descobri ainda.Lá os policiais devem ser
    super homens, vai saber.
    Claro, o discurso foi em 2009 e não tinha nada a ver em eleger
    Agnelo Queiroz nas eleições de 2010, claro que não.
    Aí estourou a greve da polícia na Bahia.
    Todos sabem que em 2001, tanto Jaques Wagner quando
    Lula apoiaram a greve e meteram o pau no PFL.
    Acusaram o governo do estado até, de organizarem arrastões
    e quebra quebra para por a culpa na polícia.
    Bem, nem preciso comentar que na greve deste ano, tanto seu
    Jaques Wagner quanto o sr. Lula mudaram de opinião.
    Neste último caso foram policiais bandidos mesmo, e o direito
    a greve que tanto um quanto o outro defendiam foi devidamente esquecida.
    Agora o mesmo acontece com o sr. Tarso Genro com relação ao piso nacional.
    Populistas de marca maior, só demagogia.
    E aí os petistas vem com a velha história que o PT é diferente dos outros…

    Gilson Rocha

    23 de abril de 2012 às 23h25

    Desculpe aí Azenha, eu não
    sei colocar vídeo hehehe.
    Mas o vídeo é do discurso em que foi
    dado aumento a força policial de Brasília.

    Brasileira

    24 de abril de 2012 às 08h38

    Entendo por seu esclarecimento o porquê de tantas mortes, até aqui " inexplicáveis" na Bahia de Jacques Wagner. A direita sempre tem bons motivos. Vocxê agora os explicita. Ou seria a esquerda? Ao debate que o tema propõe, minha gente!

    Julio_De_Bem

    23 de abril de 2012 às 23h54

    Tarso Genro é o governador que eu ajudei a colocar no poder e ele não está cumprindo com suas obrigações para com os professores. Eu votei também na Estela, que tanta gritaria fez no governo Yeda, e pelo jeito achou sua cadeira bem confortável. Fora essas minhas observações, concordo com o que ele escreveu. Se vcs lerem no blog do Edu guimaraes, vão perceber que uma fonte dele, age extaamente com o tarso descreve, um político covarde com medo da imprensa, há se o Edu pudesse revelar sua fonte…
    http://www.blogcidadania.com.br/2012/04/petista-d

    Remindo Sauim

    24 de abril de 2012 às 10h06

    O Tarso Genro pegou o estado do RS quebrado, os dois governos anteriores, PMDB e PSDB, enterraram o Estado. O governador está aumentando os salários tanto da área policial como dos professores. Até o 2014 estarão pagas estas duas promessas de campanha. Também achamos que as associações dos professores e policiais tem todo o direito de pressionarem o Estado do Rio Grande do Sul e seu governo, mas a maioria dos integrantes desta categoria confiam no governador. Sou gaúcho e sei o que foram os governos Rigotto e Yeda, duas nulidades políticas e administrativas.

    Gilson Rocha

    24 de abril de 2012 às 15h54

    Até 2014 o que o governo vai pagar
    aos professores não chega no piso
    nacional.
    Como sempre, os governos anteriores
    são os culpados.
    Ele não pensou nisto quando assinou o
    piso nacional.
    Aliás, quem pensa em alguma coisa quando
    quer ser eleito?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!