Mulheres pela Comissão da Verdade: “Que se iluminem os porões”

Tempo de leitura: 11 min

por Conceição Lemes

Cerca de 5 mil mulheres se reuniram em 8 de Março, na Praça da Sé, em  São Paulo, para comemorar o Dia Internacional da Mulher. Entre as manifestações, foi lida a Moção de Apoio das Mulheres à Comissão da Verdade.

“Nos dias anteriores, várias matérias publicadas na mídia nos chocaram muito pelo descaso com a memória de alguns mortos e desaparecidos  da ditadura”, afirma Rachel Moreno, do Observatório da Mulher. “Resolvemos nos posicionar”.

Lá mesmo, durante o ato, se começou a coletar assinaturas de apoio.

“Assinaram mulheres de todos os partidos políticos”, destaca o Vera Paiva, professora do Instituto de Psicologia da USP e filha do ex-deputado Rubens Paiva. “Embora seja um manifesto de mulheres, vários homens estão fazendo questão de assiná-lo. Primeiro, pela causa. Segundo, porque se consideram homens feministas. Bem-vindos, portanto.”

A moção está no Facebook. Ela pode ser apoiada ainda. Para assiná-la CLIQUE AQUI.

Para Presidente da República Federativa do Brasil; Congresso Nacional do Brasil; Supremo Tribunal Federal; Ministro da Defesa

MOÇÃO DE APOIO  DAS MULHERES À COMISSÃO DA VERDADE

A gente conta a História como quem conta histórias. Decorrência de nossa tradição oral.

Histórias de Maria, de Rose, de Nair, de Ana, de Amelinha, de Criméia, de Clara, de Clarice, de Eleonora, de Dilma, e também de João, de Vlado, de Pedro, de Paulo, de Chico, de Márcio, de José…

Uma geração de homens e mulheres valorosos que dedicou os melhores anos de suas vidas para restabelecer a democracia que vivemos hoje. Escolheram os caminhos mais diversos – a atividade parlamentar (enquanto ainda não proibida), a luta armada, a greve, o exílio ou auto-exílio, o estudo, a discussão, a resistência, a solidariedade, o apoio, a mobilização nas ruas, mesmo que proibidas.

Tempos em que se restringiu a liberdade de expressão, de reunião, de informação, de ir-e-vir, de pensar e de agir, da população. Tempos em que as pessoas que te visitavam tinham que se identificar com o zelador, que passava a lista à polícia. Tempos em que não se podia votar, eleger, decidir, escolher.

Mulheres foram presas, aguentaram requintes de crueldade, sofrendo também constrangimentos, estupros, ameaças de ou torturas inomináveis nascidas de mentes perversas, torturas de seus filhos ante os seus olhos.

Foi também das mulheres a iniciativa de construir o Movimento Feminino pela Anistia, que logo foi engrossado pela sociedade e, em pouco tempo, fomos ficando tantos e tantas, que não houve outra saída senão redemocratizar o país.

Essa história, não se conta na escola. Ainda.

Muitos anos depois, o Congresso finalmente aprova a criação de uma Comissão da Verdade, para averiguar as ignomínias não-esclarecidas. A mídia começa a se ocupar do caso.

O general Rocha Paiva, atribuindo-se o papel de porta-voz, se permite ironizar e duvidar do relato de tortura da atual presidenta Dilma, da causa de morte do Wladimir Herzog, e questionar a legitimidade da estruturação da Comissão.

Pronunciamentos  de militares sobre duas de nossas ministras – Maria do Rosário e Eleonora Menicucci – bem como questionamentos da autoridade do Ministro da Defesa, tentam criar um fato e um constrangimento político.

Por isso nós, mulheres reunidas neste 8 de março – Dia Internacional da Mulher – vimos a público afirmar o nosso apoio integral à Comissão da Verdade.

Que nossa história seja finalmente revelada, que a verdade seja estabelecida, que se revele o destino dos desaparecidos, que se iluminem os porões.

Que se restabeleçam a memória e a história, para que não se perpetuem a prisão arbitrária e a tortura ou jamais se reinstituam os mesmos mecanismos de exceção.

1- Observatório da Mulher

2- SOF – Sempre Livre Organização Feminista

3- Marcha Mundial de Mulheres

4- Articulação Popular e Sindical de Mulheres Negras de São Paulo

5- Articulação de Mulheres Brasileiras

6- CIM – Centro de Informação Mulher

7-  SOS CORPO – Instituto Feminista para a Democracia

8-  Secretaria Estadual de Mulheres da CUT – SP

9- Secretaria de Mulheres PT-DM SP

10- Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo

11- Coletivo de Mulheres Ana Montenegro

12- Instituto Patrícia Galvão Mídia e Direitos

13- União de Mulheres de São Paulo

14- Geledés – Instituto da Mulher Negra

15- Feminal Mulher – Porto Alegre – RS

16- Rede de Mulheres em Comunicação

17- Rede Mulher e Mídia

18- União Brasileira de Mulheres

19- Católicas pelo Direito de Decidir

20- ENTRE NÓS – educação, assessoria e pesquisa em gênero e raça

21- Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos

22- Cine Mulher

23- Arco da Velha

24- Fé-minina – Movimento de Mulheres de Santo André

25- Grupo de Mulheres Negras Nzinga Mbandi/SP

26- Associação de Mulheres Negras Acotirene/Araras/SP

27- Associação de Mulheres Maria Benedita/SP

28- Associação de Mulheres Flor de Maio/SP

29- Ação da Mulher Trabalhista -Ribeirão das Neves -MG Cristiane Alves

30- Ação da Mulher trabalhista – Betim – Marilene Castanha, Simone Muniz e Regina Couto

31- MDC -Movimento da Diversidade e Cidadania -Pilda Ferreira

32- MNU/RS – Movimento Negro Unificado do Rio Grande do Sul

33- COMULHER – Comunicação Mulher

34- Bamidelê – organização de mulheres negras na PB

35- Grupo de Mulheres Negras Dandara no Cerrado, Goiânia-GO

36- Casa Da Doméstica (Sindicato das Trabalhadoras Domésticas de Sergipe)

37- Fórum Permanente da Mulher – Botucatu- SP

38- ADEMAS ( Associação de Defesa do Meio Ambiente de Sumaré)

39- Associação de Mulheres da Costa Sul, de São Sebastiao

40- Liga Brasileira de Lésbicas

41- Rosane Bertotti – CUT

42- Mirela Araujo – UBM

43-  Adriana M. Pereira

44- Fernanda Azevedo

45- Laura Cimbalista

46- Julia Coelho

47 – Maria Cristina Pache Pechtoll

48 – Ana Frank

49 – Télia Negrão

50 – Ester Francisco da Silva

51 – Bernarda Perez

52 – Cleide Alves Santos

53 – Geralda Ferraz

54 – Albertina de Oliveira Costa

55 –  Rosalina santa Cruz

56 –  Cleide Alves dos Santos

57 –  Vera Gorron

58 –  Vera Machado

59 –  Creusa Ap. Tenório

60 – Sirley Soalheiro

61-  Francilene de Azevedo Lima Guedes

62 –  Ethel Leon

63 – Fernanda Pompeu

64 – Rachel Moreno

65 – Adriana Valle Mota

66 – Márcia Regina

67 – Márcia Balades

68 – Marisabel Lessi de Mello

69 –  Nalu Faria

70 –  Danda (Yolanda) Prado

71 – Juliana Cardoso

72 – Elza Berquó, demógrafa

73 – Helena Maria Gasparian

74 – Helenita Sipahi, médica

75 – Eva Teresa Scazoufca, médica

76 – Barbara Abramo, astróloga

77-  Lívia M. Fraga Vieira, Faculdade de Educação, UFMG

78 -Adriana R. B. Vianna, MN/UFRJ

79 –  Jane Russo, IMS/UERJ

80 –  Cynthia Sarti, UNIFESP

81 – Renata Menezes, IESPI/UERJ

82 –  Juliana Farias

83 – Letícia Carvalho de Mesquita Ferreira, PUC-RIO

84 – Paula Lacerda, UERJ

85 – Andréia Resende, UFRJ

86 – Vanessa Leite, CLAM/IMS/UERJ

87 –  Sílvia Aguião, UNICAMP

88 – Tadeu Capistrano, EBA/UFRJ

89 – Antonio Carlos de Souza Lima, MN/UFRJ

90 – Antonia Vitoria Soares Aranha, professora Faculdade de Educação da UFMG

91 – Paula Machado, UFRGS

92 – Carmen Prado, Instituto de Física, USP

93 –  Marília Pinto de Carvalho, professora da Faculdade de Educação da USP

94 –  Maria Ines Battistella Nemes, professora Faculdade de Medicina da USP

95 – Marisa Greeb, psicodramatista

96 – Adriana Benedikt

97 –  Erminia Maricato, urbanista

98 –  Sonia Salem, educadora Instituto de Física-USP

99 – Isis de Palma, educadora, Inst. Ágora em Defesa do Eleitor e da Democracia

100 –  Betina Leme, psicóloga

101 -Grazielle Talgiamento, psicóloga

102 – Juliana Braz, psicóloga

103 – Valéria Melki Busin, psicóloga, Católicas pelo Direito de Decidir

104-  Rosângela Talib, Católicas pelo Direito de Decidir

105 –  Fabiana Cavalcante Lopes, Católicas pelo Direito de Decidir

106 –  Vanda Lúcia Vitoriano do Nascimento, psicóloga

107 – Maria Lucia Castanheira, UFMG

108 –  Dulce Ferraz, FIOCRUZ

109 –  Maria das Dores Lopes, pesquisadora em Saúde Publica e Direitos Humanos

110 – Vera Paiva, Instituto de Psicologia da USP

111-  Maria Clara Gianna, médica

112 –  Naila Santos, médica

113 -Laurita Salles, UFRN

114 – Sulamita Esteliam, jornalista e escritora

115 – Bárbara Ferreira Arena

116 – Denise Gomide Carvalho

117 –  Maria Hermínia Tavares de Almeida, Inst.  Relações Internacionais USP

118 – Anna Veronica Mautner,  psicanalista

119 -Maria Helena Souza Patto, professora universitária

120 – Liana Carvalho, jornalista

121 – Ana Müller, advogada

122 – Claudia Abramo Ariano, advogada

123 – Raquel S. L. Guzzo, PUC – Campinas

124 -Giselle Megumi Martino Tanaka, planejadora urbana, IPPUR/UFRJ

125 – Nanami Sato, professora,  Faculdade Cásper Líbero

126 – Luciana de Oliveira Royer,  arquiteta urbanista

127 –  Marisa Teresinha Mamede Frischenbruder,  geógrafa

128 –  Lisete Barlach, professora

129 –  Elisabete Franco Cruz, EACH-USP

130 – Sílvia Quintanilha Macedo, professora universitária

131-  Daniela Riva Knauth, antropóloga, UFRGS

132 – Dora Kauffman , economista  e doutoranda na ECA/USP

133 – Daniela Riva Knauth, antropóloga, UFRGS

134 –  Maria Augusta Antunes,  arquiteta

135 – Isabel Ruas Pereira Coelho,  arquiteta

136 – Fortuna Safdié, cantora

137 – Maria Angela Riberi Lobo, professora de educação física

138 – Bela Sister, psicanalista

139 -Lilian Kogan, psicoterapeuta

140 –  Cecilia Orsini, psicanalista

141 -Maíra Firer Tanis, psicóloga

142 – Cláudia Ventura Ajzen,  FAUUSP

143 -Marina Kon Bilenky,  psicanalista

144 –Janete Frochtengarten, psicóloga, psicanalista

145 – Genny Serber, dentista

146 -Anna Mehoudar, psicóloga

147 – Maria Aparecida Kfouri Aidar, psicanalista

148 – Yudith Rosenbaum, professora  USP

149 – Mania Deweik, psicanalista, Sedes Sapientiae

150 – Mara Selaibe, psicanalista, Sedes Sapientiae, Núcleo de Estudos sobre as Diversidades,  Intolerâncias e  Conflitos/USP

151 – Cristina Rauter ,Universidade Federal Fluninense,  Departamento de Psicologia

152 -Eunice Nakamura, Unifesp

153 -Lourdes Tisuca Yamane, psicanalista

154 – Marion Minerbo, psicanalista

155 – Silvia Kon do Valle Costa, médica osteopata

156 – Maria Stella Sampaio Leite, psicanalista

157 – Susana Muszkat, psicanalista

158 – Sandra Navarro, psicóloga

159 – Luciana Pires, psicanalista

160 – Eliane Berger Mantega, psicanalista

161- Maria Luisa Sandoval Schmidt, professora universitária

162 – Maria Beatriz Costa Carvalho Vannuchi, psicanalista

163 – Elaine Bergstrom Paredes, do lar

164 – Eveline Alperowitch, psicanalista

165 – Larissa Pelúcio, UNESP

166 – Rosa Maria Godoy Serpa da Fonseca, professora  Enfermagem  USP

167 – Regina Maria Ferreira de Almeida, médica psicanalista

168 – Célia Maria C. Gonçalves Loch, psicóloga

169 – Maria Dionísia do Amaral Dias U, psicóloga, professora  UNESP

170 – Luis Felipe Rios, professor  Departamento de Psicologia da UFPE

171 – Fatima Cruz, professsora UFPE

172 – Fátima Santos, professora  UFPE

173 – Maria Isabel Pedrosa, psicóloga, professora UFPE

174 — Rosineide de L. Meira Cordeiro, professora UFPE

175 – Tayra Mckee,  psicóloga

176 – Marijane Lisboa, professora  PUC-SP

177 –Barbara Travassos, delegada

178 – Luciana Carneiro Muçouçah, professora

179 -Ana Elisa Carneiro Muçouçah, estudante

180 – Caterina Koltai, psicanalista

181 – Vivian Barlach Albertini, educadora

182 – Elizabeth Barlach, educadora

183 -Heloisa Margarido Salles, professora

184 – Leia Maria Cardenuto, psicóloga

185 – Mônica Arruda, doutoranda IPPUR/UFRJ

186 – Regina Almeida, bibliotecária

187 – Adriana Oliveira da Silva, psicóloga

188 – Marcella Monteiro de Souza e Silva, psicanalista

189 -Lygia Vampre Humberg,  psicóloga

190- Daisy Perelmutter, historiadora

191 – Sonia Terepins, psicanalista

192 – Renata Udler Cromberg, psicanalista

193 – Ione Morita, Medicina Unesp

194 – Maria Julia Kovács, professora Instituto de Psicologia USP

195 – Maria Constança Peres Pissarra, professora do Dep. Filosofia  PUC-SP

195 – Flávia Steuer, fonoaudióloga, PUC-SP

196 – Regina  Maria Rahmi,  psicanalista

197 – Elisabeth Antonelli, psicanalista

198 – Leila Strazza, psicóloga e pesquisadora na FMUSP

199 – Jucelia Cristina Barbosa, pesquisadora do CEALAG

200 – Débora Forlin Granja

201 – Maria Fernanda Terra, enfermeira

202 -Maria Cristina Junqueira Calazans, artista plástica

203 – Cristina Santos, Conselho Regional de Psicologia

204 – Michele Mansor, psicóloga

205 – Maria Beatriz Costa Carvalho Vannuchi, psicanalista

206 – Tatiana Junqueira Ruiz, advogada

207 – Ana Letícia Nunes, psicóloga

208 – Maria Filomena Junqueira Ruiz

209 – Analice Oliveira, assistente social

210 – Maria Angela Santa Cruz, psicanalista

211 – Lumena Almeida Castro Furtado, psicóloga

212 – Gisele Rodrigues Ré, servidora pública

213 – Lilia Blima Schraiber, professora Medicina Preventiva USP

214 – Miriam Grínberg Storch

215 – Sâmella dos Santos Vieira, estudante UFPE

216 – Daniele Cristine Cavalcanti Rabello, estudante  UFPE

217 – Leyllyanne Bezerra de Souza, estudante

218 – Josélia Batista, psicóloga

219 – Tacinara Nogueira de Queiroz,  mestranda em Psicologia

220 – Tamires Nogueira de Queiroz, pedagoga

221 – Teresinha Nogueira de Queiroz, farmacêutica

222 – Denise Coutinho, psicóloga da UFPE

223 – Juliana Cintra de Farias Albuquerque, pedagoga

224 – Maria Niedja Martins, pedagoga

225 – Elma Gomes de Oliveira, assistente social

226  Luiz José Bueno de Aguiar, advogado

227 – Aurea Ianni, FSP/USP

228- Anna Paula Vencato,  CIS-DS-UFSCAR

229 – Luciana Nobile, ginecologista/São Paulo

230 – Carla Guerron Montero, University of Delaware (Newark, Delaware-EUA)

231 – Emerson Inácio,  DLCV/FFLCH/USP

232 – Maria Virgínia de Freitas, socióloga

233 – Denise Carreira,  jornalista e educadora

234 – Vera Masagão Ribeiro, educadora e pesquisadora

234 – Ester Gammardelli Rizzi,  advogada e professora

235 – Paulo Ricardo Barbosa de Lima, estudante de Direito

236 – Fernanda Campagnucci, jornalista e pesquisadora

237 – Gabriel Di Pierro Siqueira, psicólogo e gestor de projetos

238 – Lia Chartouni Segre, jornalista

239 – Raquel Souza, pedagoga

240 – Sandra Garcia, demógrafa

241 – Iara Glória Areias Prado, professora

242 – Sonia  Alves Calió, geógrafa

243 – Maria Cristina Vicentin, psicóloga e professora da PUC/SP

244 – Mariana Skazufka Bergel, jornalista e produtora cultural

245 – Rodrigo Skazufka Bergel, publicitário

246 – Ana Katia Skazufka Bergel, médica

247 – Teresinha Cristina Reis Pinto, professora

248 – Ana Bursztyn-Miranda, Coletivo RJ Memória, Verdade e Justiça

249 – Sylvia Leser de Mello, professora universitária IP-USP

250 – Lidia Goldenstein, economista

251 – Vladimir Sacchetta, historiador

252 – Rubia Mara Zecchin, psicanalista

253 – Maria Abramo Caldeira Brant, INCIDEV

254 – Vera Andrada, psicóloga

255 – Sonia  Irene Silva do Carmo

256 – Sandra Lia Chioro dos Reis, psiquiatra

257 – Beatriz de Moraes Vieira, História/UERJ

258 – Maria Dora G. Mourão, professora ECA-USP

259 – Beatriz Adura, psicóloga

260 – Maria Angelica Gentile, Coletivo

261 – Vilma Cervantes, psicóloga

262 -Florianita C. Braga Campos,  professora Unifesp

263 -Dalila Cesar Melo Visconti, cirurgiã dentista

264 – Rosa M. R. de Oliveira, pesquisadora colaboradora Unicamp

265 – Virginia Junqueira, professora Unifesp

266 – Liana Carvalho, jornalista

267 – Marcia Epstein, psicóloga, tradutora

268 – Antonio Carlos de Souza Lima, MN/UFRJ

269 -Antonia Vitória Soares Aranha, professora Faculdade de Educação UFMG

270 – Paula Machado, UFRGS

271 -Carmen Prado, Instituto de Física, USP

272 – Marília Pinto de Carvalho, professora da Faculdade de Educação USP

273 -Maria Ines Battistella Nemes,  professora Faculdade de Medicina da USP

274 – Grazielle Talgiamento, psicóloga

275 -Cristiane Gonçalves da Silva, professora UNIFESP

276 -Emi Shimma, jornalista

277 – Marta Cezaria de Oliveira – Missionária de Jesus Crucificado

278 – Suzana Kalckmann, médica

279 – Gabriela Calazans, professora Faculdade de Ciências da Santa Casa -SP

280 – Heloisa Jahn, tradutora e editora

281 -Rita Célia Brambila Bega, psicóloga

282 – Leda Herrmann

283 – Heleno Rodrigues Corrêa Filho, epidemiologista

284 – Ines Dourado, ISC/UFBA

285 -Maria Juracy F. Toneli, professora UFSC

286 – Kenny Neoob de Carvalho Castro, UFRJ

287 – Marcia Obino Cirne Lima, educadora e artista plástica

288 – Rita Toledo

289 – Rosemarie Andreazza, professora Unifesp

290 – Mafoane Odara Poli Santos, psicóloga

291 – Julia Eid Butler, psicóloga

292 – Vera Vital Brasil

293 – Clarice Reichstul, produtora de cinema

294 – Jocelia Santos da Silva, professora

295 – Liana Pinto Chaves, psicanalista

296 – Cecilia Reichstul, arquiteta

297 – Dora Mourão, professora universitária

298 – Helena Gold

299 – Marie Christine Laznik, psicanalista

300 – Dora Tognoli, psicanalista

301 – Dinalva Soares de Lima, doméstica

302 – Regina Maria Prosperi Meyer, arquiteta, professora universitária

303 -Zilda Muniz, doméstica

304 – Marcia Scazufca, psicóloga e pesquisadora

305 – Elza Scazufka Marba Ribeiro, médica psicanalista

306 – Osvaldo Marba Ribeiro,  médico psicanalista

307 – Maria Cristina Lopes de Almeida Amazonas, professora PUC-PE

308 – Maria Augusta Marsiaj Gomes, designer

309 – Elisa Marsiaj Gomes, psicanalista

310 – Rubia Mara Zecchin, psicanalista

311 – Beatriz de Paula Souza

312 – Josiene Francisco da Silva, mestre em Planejamento Urbano e Regional

313 – Ana  Muller, advogada

314 – Hugo Lenzi – sociólogo e fotógrafo

315 Marisa Teresinha Mamede Frischenbruder, geógrafa

316 -Fernando Pocahy, Universidade de Fortaleza

317 – Lisete  Barlach, professora

318 – Jacqueline Quaresmin – historiadora, socióloga, cientista política

319 – Luciana A. Nobile,  ginecologista

320 – Lígia Marques Vilas Boas, pedagoga

321 – Ana Alice Alcantara Costa, professora UFBa

322 – Marise Egger,  socióloga

323 – Maria Lúcia da Silva, Instituto AMMA Psique e Negritude

324 – Marta Baião, atriz e ativista feminista

325 – Edna Maria Santos Roland, psicóloga

326 – Denise Gomide, jornalista

327 – Tággidi Ribeiro, editora

326 – Nair Benedicto, fotógrafa

327 – Márcia Balades, Liga Brasileira de Lésbicas

328 – Maria Angélica Lemos, vídeo-maker

329 – Sandra Muñoz Neves, Movimento Lésbicas e Mulheres Bissexuais  Bahia

329 – Marilene Pottes, socióloga

330 – Jeanice Dias RamosSindicato dos Jornalistas Profissionais do RS

331 – Marise Barbosa, feminista

332 – Denise Viola, radialista, Rede de Mulheres em Comunicação

333 – Sônia Maria de Lima Santos

334 – Sílvia Artacho, feminista

335 – Divina Jordão

336 – Luiz José Bueno de Aguiar, advogado

337 – Laisy Morière Cândida Assunção, Setorial  Nacional Mulheres PT

338 -Cristiane Costa, radialista, Coletivo de Mulheres ABRAÇO-SP

339 – Mariana de Rossi Venturini

340 -Reiko Miura, jornalista

341 – Marta São Pedro de Santana Cordolino, TJBA

342 – Elza Campos, União Brasileira de Mulheres – UBM

343 – Fernanda Estima, jornalista

344 – Elizabeth Russo de Andrade, Cons Est da Condição Feminina –SP, OAB-SP

345 – Érica Isabel de Melo, historiadora

346. Alice Oliveira – Radialista

347 – Ana Claudia Rocha Araujo,  Jornalista

348 – Enilda Lúcia Suzart Medrado Rodrigues

349 – Monica Aguiar – Centro de Referência de Cultura da Mulher Negra de MG

350 – Rosângela Talib

351 – Fabiana Cavalcante, historiadora PUC/SP

352 – Haidi Jarshel, pastora

353 – Fernanda Pompeu, jornalista

354 – George Avelino Filho, cientista político, Fundação Getúlio Vargas

355 – Vera Lucia Santos Lima – Fórum Estadual de Mulheres Negras de Goiás

356 – Maria Juracy F. Toneli, professora PPGP/UFSC

357 –  Kenny Neoob de Carvalho Castro, UFRJ

358 – Marcia Obino Cirne Lima, educadora, artista plástica

359 – Rosemarie Andreazza, professora Unifesp

360 – Maria Cristina Lopes de Almeida Amazonas, professora PUC-PE

PS do Viomundo: Essas assinaturas foram coletadas via e-mail. Elas serão juntadas às da petição online, que está no Facebook.

Leia também:


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Thais Souza

Olá! Por favor, estou precisando do contato da Rosalinda Santa Cruz, alguém poderia me ajudar?
Obrigada

assalariado.

As cupulas da quartelada, braço armado do capital e, ao mesmo tempo, bucha de canhão das elites, -( sim, as elites, estas sempre tiram o dela da reta, e, na hora "aga", sobra só para os da farda, que agora, estão em polvorosa. Sabem que, esta comissão é sem volta. Também não duvido, e nunca duvidarei, que no meio do caminho desta comissão da verdade, os de memória curta, tentarão apagar seus holofotes. Sim, terão a coragem de armar outro golpe de Estado? Os golpistas burgueses, sempre estão/ estarão de plantão, seu quartel general, carro chefe, não é nada mais, nada menos do que, junto com a cartilha da CIA/ EUA, e o PIG (Partido da Imprensa Golpista), os principais termometros ideologicos das elites do capital, que medem o "perigo" comunista latente no Brasil. Sim, o PIG, articulador e porta voz do capital 24 horas dentro de nossos lares, é quem é a sentinela, que orquestra, incentiva os golpes de todos os tipos. Seja economico, administrativo, juridico, militar, …

Fiquemos atentos, não passarão, não passarão, …

Saudações Socialistas.

pperez

Consciencia de cidadania da sociedade é isto aí!
Exemplos como esse é que massageiam nosso coração empedrado por tantas barbaridades cometidas pela autoridades publicas, sob olhar complascente de muitos e nos enche de esperança para um futuro mais justo e solidario!

beattrice

Excelente divulgação Conceição,
mas haverá espaço e tempo para uma Comissão de Verdade
DE FATO no governo Dilma?

souza

curio, acende uma luz no porão.

jõao

jõao
O seu comentário está aguardando moderação.
14 de março de 2012 às 20:02

Ajude a denunciar Alckmin ao Tribunal Penal Internacional pela barbárie do Pinheirinho
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=CRIM2012

Abaixo-assinado PEDIDO DE JULGAMENTO INTERNACIONAL PARA OS 5 MAIORES RESPONSÁVEIS DO CRIME DE PINHEIRINHO

Maria Libia

Já está assinado. Peço que tb assinem o Abaixo Assinado Pedido de JUlgamento Internacional Para os Cinco Maiores Responsáveis do Crime de Pinheirinho Para o Promotor do Tibunal Penal Internacional, Em Haia, Holanda
http://www.peticaopublica.com.br/?pi= CRIM2012. Agradeço por antecipação. Um abraço, libia

Julio Silveira

Mulheres sabias. Para se evitar repetição de erros nada melhor que instruir as pessoas para que criminosos não consigam mais se passar por herois.

ZePovinho

A direitona tá lá,mizifio Azenha.Profundamente encurralada no coração das trevas da mentalidade oligárquica latino-americana.Como um rato imprensado contra a parede,parte para o ataque e espanca até velhinhas indefesas.É A TREVA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Muito alta: <img height="500" src="http://www.cartamaior.com.br/arquivosCartaMaior/FOTO/86/foto_mat_34048.jpg"&gt;

Madre de Plaza de Mayo sofre agressão
Nora Centeno, militante das Madres de Plaza de Mayo, foi assaltada, golpeada violentamente e ameaçada por homens que entraram em sua casa na cidade de La Plata, no último sábado. “Eles ficaram uma hora em minha casa e me torturaram. Não foi um assalto ou roubo. Eram jovens, mas não pareciam marginais”, disse Nora, mãe de um desaparecido pela ditadura argentina em 1976 e integrante da linha fundadora das Madres de Plaza de Mayo.

Francisco Luque – De Buenos Aires
<a href="http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19757” target=”_blank”>http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19757

    Vlad

    E ainda roubaram dinheiro e objetos pessoais da pobre senhora, como consta no noticiário porteño.
    Mas não espalha.

    beattrice

    Heroínas as MADRES e as ABUELAS, hoje e sempre.

Deixe seu comentário

Leia também

Política

Berenice Bento: Carta aos que não sepultei

Não sairemos iguais após o horror em Gaza

Política

Paulo Nogueira Batista Jr: Os desafios da esquerda

Emprego, renda, injustiça social, imigração

Política

Jeferson Miola: Impunidades diplomáticas

Simas Magalhães, Eduardo Saboia, Ernesto Araújo…