No Financial Times: Mercados já precificam a quebra do euro

Tempo de leitura: 3 min

Espanha empurrada para o centro da crise do euro

Victor Mallet em Madri e Richard Milne e David Oakley em Londres

Financial Times, 17.11.2011

A Espanha foi empurrada para o centro da crise da dívida da zona do euro na quinta-feira, quando investidores forçaram para cima o custo dos empréstimos feitos pelo país três dias antes de uma eleição geral que, segundo pesquisas, vai derrubar do poder o Partido Socialista.

O Tesouro espanhol emitiu 3,6 bilhões de euro em papéis que vencem em dez anos com taxa de risco média de 6,975%, a maior desde 1997 e considerada insustentável.

Em outro dia de recordes no mercado, o prêmio demandado por investidores para a dívida espanhola de 10 anos em relação aos papéis da Alemanha — uma medida da expectativa de risco — atingiu 499 pontos. O prêmio da França passou dos 200 pontos antes que compras pesadas do Banco Central Europeu relaxassem as tensões.

“Meu maior medo é que o mercado de papéis de governos da zona do euro está quebrado e vai ser impossível consertar”, disse um estrategista de crédito do Citi, Matt King.

Esta semana, mesmo países com classificação de risco AAA [a mais alta], como a França, a Holanda, a Finlândia e a Áustria viram a taxa de risco de seus papéis subir. “Atravessamos o Rubicão nesta crise”, disse Richard McGuire, estrategista do Rabobank. “Os mercados estão precificando a quebra do euro, no momento em que os países centrais sofrem”.

Os investidores não parecem ter se acalmado com a perspectiva de um novo governo espanhol para substituir o do socialista José Luis Rodríguez Zapatero, nem com a indicação de Mario Monti, ex-comissário europeu, como novo primeiro-ministro da Itália, com um ministério de tecnocratas sem mandato.

“Estamos sob cerco, mas vamos sair desta”, disse a militantes, num comício, Mariano Rajoy, líder do Partido Popular, de centro-direita, homem que se espera seja eleito primeiro-ministro depois das eleições gerais de domingo.

Num discurso no Parlamento italiano em que apresentou seus planos de reforma econômica, o sr. Monti disse que “sacrifícios” serão repartidos quando seu governo tratar de equilibrar o orçamento, o que promete fazer até 2013. Centenas de estudantes protestaram em Milão, a capital financeira da Itália, contra o que chamaram de “governo de banqueiros” do sr. Monti.

O sr. Rajoy prometeu manter os alvos de redução do déficit e implementar uma vasta gama de reformas econômicas se vencer a eleição. Criticando a crença europeia de que tecnocratas poderão resolver esta crise, ele disse  na quarta-feira que políticos, não tecnocratas, são aqueles “que fizeram as grandes coisas no curso da história”.

A Grécia também tem um tecnocrata como primeiro-ministro, Lucas Papademos. “Eu acredito em democracia e em bons políticos”, disse o sr. Rajoy.

A Hungria, por sua vez, buscou na quinta-feira o apoio do Fundo Monetário Internacional, uma mudança de 180 graus em menos de 18 meses, depois que o país se negou a aprofundar sua cooperação com o FMI.

Budapeste disse que buscaria um acordo “de segurança” que não provocaria aumento da dívida do estado. Acredita-se que o governo está em busca de uma linha de liquidez de precaução — um programa redesenhado pelo qual o FMI busca proteger países ameaçados por crises financeiras.

O forint, que tem estado sob forte pressão em dias recentes, imediatamente subiu mais de 2% contra o euro e as ações húngaras subiram 4%.

Additional reporting by Neil Buckley in London

Leia também:

Economist: Notas de 500 euros vão rechear colchões

Gilson Caroni Filho: A luta contra a barbárie capitalista

Paulo Nogueira Batista: Bem que eu avisei

Financial Times: O último que sair apaga a luz

Goldman Sachs aposta no fim da zona do euro

Bancos franceses podem empurrar Europa de volta à crise total

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Pedro

A única lei permanente do capitalismo, eterna enquanto ele durar, é a expropriação. Quando os que protestam nos Estados Unidos falam em 1% estão confirmando aquilo que um cara chamado Marx já tinha estudado profundamente e concluído: o capitalismo criará as condições que tornarão impossível a sobrevivência dos homens enquanto homens. Se vamos aceitar ser bichos, então que viva o capitalimo. Senão, à luta.

Luiz Schroh

Azenha, acho que essa é uma conspiração dos EUA (teoria da conspiração).

Veja a estratégia: quebrar a economia dos países da Comunidade Européia, para desestabilizar o Euro e então haver a ruptura da CE. Todos os países voltariam a ter suas próprias moedas e os EUA voltam à hegemonia com o dólar.

Essa teoria surgiu-me quando um amigo sugeriu que a perseguição dos EUA contra a Líbia (a bola da vez) seria porque eles começaram a comercializar o petróleo usando a base no Euro. Daí lembrei que o próprio Lula também tentou essa estratégia e depois de umas gritas dos amigos norte-americanos, ele voltou atrás.

Para mim, tudo está fazendo sentido.

Helder

Pessoal,

Esses movimentos de derrubada dos países Europeus não estão me enganando mais. Isso é uma manobra do capital e da elite dominante no sentido de derrubar os governos progressitas (socialistas, a favor da maioria). Eles não me enganam mais. É uma pena mas muito provavelmente os nossos também cairão. Todas essas crises, sejam financeiras ou morais (no caso do Brasil) são com o intuito de derrubar esses governos pelo mundo.

Julio Silveira

O mundo da inconsequência politica permitiu que a inconsequência financeira tornassem os estados refens dos grandes grupos economicos. Eles praticam a pessima administração economica, prejudicam a sociedade e ainda assim são protegidos. Tudo isso devido a falsidade na aplicação dos principios capitalistas que na hora da verdade pune exemplarmente a sociedade que se viu obrigada a seguir as determinações até culturais dos teoricos, cantada em prosa e verso por todos os agentes beneficiários desse principio, que se aglutinaram num ente sobrenatural chamado mercado. Nomeclatura perfeita para definir arranjos corporativos pela manutenção dos "status quos" de cima e manutenção da tranferência dos prejuizos para as sociedades abaixo.

monge scéptico

Há muito trololó sobre essa crise. A mesma acaba no dia seguinte, se todos se renderem ao
demônio ou. USA/ banqueiros donos do dinheiro no mundo
A esquerda, os islãmicos etc, todos enfim, quando venderem à alma e se prostrarem ante as
famílias, de banqueiros terão as dívidas saneadas tornando-se escravos até o fim dos tempos.
A saida é desvencilhar-se deles, criando um bloco a parte. Só que agora é tarde(?). Talvez……….

ZePovinho

Enquanto isso,na terra da Internacional Lusitana,os "tugas" copiam as concessionárias de São Paulo e afiram:EXISTE ALMOÇO GRÁTIS………..para a oligarcada que gosta do capitalismo sem risco,onde o "PREJU" fica com o Estado:
OS ALMOÇOS GRATUITOS DO CAPITAL MONOPOLISTA OU PARA ONDE VAI O DINHEIRO ESPOLIADO AOS PORTUGUESES

[youtube YIcwUpLMz8c http://www.youtube.com/watch?v=YIcwUpLMz8c youtube]

Portagens nas Scut ruinosas para o Estado

Introdução de pagamento nas auto-estradas que antes eram gratuitas não foi só prejudicial para os automobilistas, mas também para o Estado. (Reportagem: Carlos Enes) http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/13427620/1

Fonte :http://resistir.info/

PS:Não sei o porquê,mas acho que esse site(acima) do PC português faz parte da Internacional Lusitana.O Pereirinha,ex-marido da Griselda,deve ser um agente "tuga" infiltrado na novela das oito.

eujasabia

nao lembro bem quem disse outro dia que os mercados, ou, antes, o deus mercado traria de volta ao poder o fascismo na europa…e não é que estava certo?!!

Flavio Lima

Pessoal, acho que tem bug no site, ao entrar em algumas paginas meu pc fica clicando como louco.

    Mário SF Alves

    Flávio,
    Seguinte, das duas uma: ou o seu PC está infectado com um malware que o torna um zumbi, ou, nada disso, e o problema é que nem ele (o seu PC) aguenta mais de tanta ansiedade em saber que fim leva essa crise criada pelo neoliberalismo de tipo mercado-tudo-resolve-mas-quem-paga-a-conta-é-o-povo.

augusto

a blogosfera é mto boa por causa disso.
Fiquei sabedor que a) os espanhois, por sua maioria, estão preparando a sua forca, corda e cadafalso para
o espetáculo de sua própria degola social logo i adiante, via eleiçao do que sobrou dos franquistas.
b) existe um certo Rabobank (sic) que por sinal vai tomar a dianteira da rapinagem ibero-neo-libelês..

    cassaro

    Augusto, desculpe a correção, ,mas corda e cadafalso é pra enforcar.
    Degola se faz com guilhotina.
    Se bem que o resultado é o mesmo…caixão…

Marat

E ainda há defensores de Reagan e Tatcher… vejam o que esses idiotas fizeram!

FrancoAtirador

.
.
A rede do poder corporativo mundial

Saber que as corporações regem o planeta não é novidade.
Saber como estão articuladas, quem são e quanta riqueza e poder controlam, bem como as ramificações das suas decisões, devidamente quantificado e demonstrado, é novidade sim, e ajuda muito na luta por uma economia que funcione.
Este poder articulado explica muito melhor por que não se conseguem os 300 bilhões anuais que liquidariam a miséria no planeta.

<img src="http://www.cartamaior.com.br/arquivosCartaMaior/FOTO/78/foto_mat_31653.jpg"&gt;

No quadro acima, um exemplo de apenas algumas conexões financeiras internacionais. Em vermelho, grupos europeus, em azul norte-americanos, outros países em verde. A dominância dos dois primeiros é evidente, e muito liga à crise financeira atual. Somente uma pequena parte dos links é aqui mostrada. (Fonte Vitali, Glattfelder e Fattiston)

O artigo é de Ladislau Dowbor, na Carta maior

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Edson

Que tal o serra, pois o mesmo sabe como fazer puxadinho, creio que o velho mundo precisa se reinventar.

    RicardãoCarioca

    Pelo menos o Cerra ficaria mais perto do Vaticano, para participar de missas midiáticas sazionais eleitoreiras, de braços dados com a esposa (aborto no Cuile, pode) e com o bispo de Guarulhos!

EUJASABIA

Já que é de tecnocratas que eles precisam, a gente pode mandar o Fernando Henrique Cardoso para alguns desses países.

Só não aceitamos devolução.

Aqui no Brasil ele anda meio sem ter o que fazer e o que falar..

    EUNAOSABIA

    Seria uma boa idéia mandar FHC, o que a zona do euro precisa urgentemente e precisava em sua fundação era uma "LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL", só isso mesmo, Lei que FHC criou no Brasil e que Lula e o PT foram contra, tanto é que entraram no STF contra a Lei que demorou dois anos para ser aprovado.

    Pergunta então se o Doutor em Coisa Nenhuma revogou a lei depois de eleito ou seguiu ela direitinho?? o teu ídala com pouca capacidade e comprovando que sempre foi um bravateiro e destruidor de governos quando na oposição não revogou a Lei, pelo contrário, a defendeu com unhas e dentes contra aqueles que queriam sua revogação…

    Tem que mandar FHC e deixar o Lula aqui dentro, Lula é muito bom para governar quando recebe uma obra pronta, ele mesmo fez o NADA.

    Lula cacareja sobre ovos que não são seus, recebeu o país com a moeda estável (a inflação de 12% no último ano era medo do mercado e do "risco Lula", que só foi contido com a sua famosa cartinha), Plano Real, metas de inflação e superávit primário, esses são alguns dos pilares que governam o país até hoje, te pergunto, o que Lula e o PT tem a ver com isso ???

    Manda o FHC e deixa o Lula aqui dentro, ele só sabe é copiar e colar obra alheia.

    Rapaz, você pensa que é esperto e metido a engraçado, mas não engana é ninguém.

    ZePovinho

    KKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!Só fala asneiras,e com pose de sabe tudo.Eu já nem rebato,por ser tamanha a burrice.Escuta aí um tecnobrega, para ver se entra algum bom gosto nesse intestino que fica entre as suas duas orelhas EUNAOSABIA:

    [youtube hVnxq5w8XQk http://www.youtube.com/watch?v=hVnxq5w8XQk youtube]

    clovis

    como ficou nervosa a viuva? ta com raiva leva ele pra sua casa simples.

    Jotage

    Ele não sabia, não sabe e nunca saberá.

    Pafúncio Brasileiro

    Pois deveria saber:
    Esta citada Lei da Responsabilidade Fiscal foi criação (e forçação de barra) dos "credores" nossos. Como o país estava, digamos, sem solvência na época, foi a maneira deles receberem do País as chamadas "dívidas" (fruto de pilhagens anteriores, feitas pelos nativos dominantes). Você deveria saber. Mas, como você mesmo se intitula, NÃO SABIA.

    EUNAOSABIA

    Procura saber rapaz, a origem e o significado da palavra "economia" que é de origem grega, talvez a partir daí o senhor passe a ter uma noção do que seja uma "Lei de Responsabilidade Fiscal".

    Oito anos em fazer NADA.

    Não enganam ninguém.

    ZePovinho

    Engraçado.Já li essa bosta dezenas de vezes e só encontro uma cartório que os banqueiros criaram para drenar os recursos de estados,municípios e união.A LRF engessa os entes públicos e os torna servidores de almoços grátis para o sistema financeiro.
    Vamos discutir a LRF,EUNAOSABIA.Um pouco de controle externo,AFO e contabilidade pública também.
    Aliás,você sabe o que é uma DVP?

    Scan

    Pô, Zé!
    O Eu-não-sei-que aí é fera em mecânica quântica, na dualidade onda-partícula que aprendeu na orelha dum livro de auto ajuda new age. De economia, contabilidade (e aritmética) ele não é lá essas coisas.
    Não exija muito do cara, pô!
    []'s

    ZePovinho

    Ele deve achar que o débito é dívida e o crédito é ativo.Também….estudando economia e contabilidade como ele estuda.

    Edu

    "Eu não sabia" é um perfeito apodo para você ein.

    RicardãoCarioca

    FHCanabis na Europa é jogar a pá de cal naquele continente!

    Aline C Pavia

    Ótima ideia!! Ele que fique por lá!!
    E não volte nunca mais!!
    Enquanto "não faz nem fala" nada no Brasil, ÓTIMO!!

    FrancoAtirador

    .
    .
    E despachar o Serra, o Aécio e o Alckmin no maleiro.

    E torcer para que a bagagem seja extraviada.
    .
    .

    Julio Silveira

    Levando de mala de bagagem de mão, por que cabe pouco dentro, a malinha EUNÃOSABIA.

    FrancoAtirador

    .
    .
    Já pensou a cara do FHC ao perceber que a malinha não tem alça?
    .
    .

Deixe seu comentário

Leia também