eToro: Goldman aposta no fim da zona do euro

Tempo de leitura: 2 min

Goldman Sachs Believes a Eurozone Breakup Likely

Barbara Zigah, em 07.11.2011, no etoro, tradução parcial

A Goldman Sachs acrescentou sua voz ao crescente coro dos que acreditam que a zona do euro vai eventualmente se romper. De acordo com o presidente da Goldman Sachs, Jim O’Neill, vários paises, não apenas a Grécia, podem eventualmente considerar a saída da zona do euro, inclusive Portugal, Finlândia e Irlanda. Ele baseia seu ponto-de-vista na necessidade de uma crescente integração fiscal, o que a liderança alemã acha necessário para a sobrevivência da zona do euro.

A Alemanha quer maior unidade fiscal e um monitoramento muito mais estrito dos planos fiscais soberanos, tudo sob a coordenação de um ministério das Finanças da zona do euro; é uma ideia pouco atrativa para alguns dos estados da zona do euro. O sr. O’Neill acredita que esta “necessidade” poderia ser o ponto decisivo para muitos países — ficam ou vão?

Ele diz que quando a zona do euro foi originalmente concebida, poucos países estavam preparados do ponto-de-vista fiscal para aquele tipo de união monetária, com apenas a Alemanha e a França e o trio do Benelux — Bélgica, Luxemburgo e Holanda — posicionados idealmente. O sr. O’Neill diz que aqueles países sempre foram fortemente integrados, com taxas de câmbio fixadas entre eles.

Mas para outros, inclusive a Itália — que apenas concordou no fim-de-semana com o monitoramento externo de suas finanças –, a Finlândia e os PIGS, a entrada numa união monetária europeia [EMU] poderia ser questionada. Ele acredita que também é possível que Irlanda e Finlândia considerem sua saída da zona do euro, dadas suas posições geográficas adjacentes a países que não fazem parte do grupo, isto é, Suécia e Reino Unido.

Leia também:

Islândia: O país que disse não aos banqueiros

Dr. Doom: Grécia deveria abandonar o euro

França: O risco de falência dos bancos

A Grécia, forçada a abandonar a zona do euro

Paul Krugman: O sangramento enfraquece o paciente

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Marco

Não acredito que a Grécia possa deixar a zona do Euro numa boa porque o pacote para "salvar" a Grécia contém cláusulas como esta (que quase ninguém divulgou explicitamente):

"a jurisdição legal dos Títulos de Estado gregos ainda em circulação (isso é, não pagos) passou aos Ingleses"

Fonte: http://informacaoincorrecta.blogspot.com/2011/11/… (um excelente blog português).

EUNAOSABIA

Só a título de curiosidade, Jim O’Neill é aquele economista que disse que o grande responsável pelo boom que o Brasil vive hoje se chama Fernando Henrique Cardoso, e que o grande mérito de Lula foi "Ter feito o NADA"…de forma elegante, ele se refere a farsa do “nunca antes” como uma “engenharia engenhosa”.

Não é por nada não, vocês pensam que enganam muita gente, alguns por aqui fazem questão de mentir acima de tudo para si mesmo, mas a verdade é que vocês não enganam é ninguém.

Me refiro a alguns que acham que quem vai ajudar o Brasil a sair da crise é o Gabão, a Somália, o Sudão, a Guiné Bissau e por aí vai.

Quem nos manteve vivos em meio a este mar revolto da economia mundial foram os pilares macro econômicos de FHC e a China.

    Bonifa

    FHC só fez os belos "pilares" a que você se refere por estrita imposição do FMI. Fomos salvos pelo FMI do desastre total, não se lembra? O FHC só sabia contar piadas e levar carão de chefes de estado estrangeiros. O FMI, iniciais de Fundo Monetário Internacional, o qual impôs alguns ítens como a Lei de Resbonsabilidade Fiscal com uma faca no pescoço e segurando os cabelos do perplexo FHC, seu ídolo. O qual mal sabe sair da cama pelo lado que não é o da parede.

    Pacífico

    Você não sabia também que foi Lula que desviou o foco de exportações para China, Índia, África e que por isso, foi criticado pelo seu ídolo FHC e seu fiel escudeiro, o PIG. Não sabia também que não foi só isso, mas o bolsa família e o crédito pesado disponibilizado pelas instituiçoes financeiras PÚBLICAS deste país. Para não ficar o dia todo falando apenas acrescento, etc, etc, etc…

    Edson Augusto

    Continue lendo o PIG e você continuará não sabendo. Boa sorte.

Economist: Notas de 500 euros vão rechear colchões | Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Goldman Sachs aposta no fim da zona do euro […]

Deixe seu comentário

Leia também