VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Mauro Santayana: O êxito do Brasil e os perigos da hora


04/03/2012 - 16h22

O manifesto dos militares contra o governo tem o efeito danoso de estimular os nossos adversários externos, que nele começam a ver o retorno aos confrontos entre civis e militares do passado, dos quais eles souberam aproveitar-se. O documento já está sendo usado em São Paulo contra a candidatura do PT.

por Mauro Santayana, em Carta Maior

Em um de seus inquietantes paradoxos, Chesterton compara dois grandes santos da Igreja, para mostrar que o temperamento antagônico de ambos conduzia a um resultado comum. “São Francisco – dizia o autor de Ortodoxia – era a montanha, e São Domingos de Gusmão, o vale, mas, o que é o vale, senão a montanha ao contrário?”

Em termos lógicos, e nisso o pensador católico foi mestre, o côncavo e o convexo se completam, como as duas partes de uma esfera oca. Seguindo o mesmo raciocínio, a ascensão e a queda, das pessoas, das empresas e – com mais propriedade – das nações, são duas categorias que se integram, no todo histórico. É preciso administrar a ascensão pensando na queda e ver, na queda, a oportunidade de repensar os métodos a fim de recuperar a ascensão.

Tudo indica que o Brasil se encontra em ascensão, mas é preciso ver esse momento com as necessárias cautelas. O mundo passa por um desses espasmos históricos bem conhecidos no passado. A Europa está atônita, daí a sua tentativa de, na demonização dos paises muçulmanos, de cujo petróleo depende, criar um inimigo externo que una os seus países, historicamente adversários. Mas, ainda assim, a crise econômica promovida pela licença de caça que seus governos deram aos bancos, continua a dividi-los.

Ainda que 25 países tenham concordado com a política de arrocho fiscal determinada pela Alemanha, com o apoio da França, a Inglaterra e a Tchecoslováquia negaram sua assinatura. Os países que engoliram a pílula, começam a cuspi-la de volta, conforme a reação de Rajoy, da Espanha, solicitando flexibilidade na adoção das medidas recessivas, qualquer sinal de solidariedade do grupo. O primeiro ministro anunciou em Bruxelas que só pode prometer a redução do déficit público a 5,8 do PIB. E já surgem divergências entre a Alemanha e o Banco Central Europeu.

A Segunda Guerra Mundial foi um excelente negócio para os Estados Unidos, que dela emergiram como a grande potência hegemônica. Agora, no entanto, alguns dos paises que dela participaram e que contribuíram para a vitória com sangue, começam a sair do círculo de giz, e a constituir uma nova realidade planetária. Muitos desses países, como a Índia e a China, foram impiedosamente colonizados pela Europa, até meados do século 20. O Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul constituem novo pólo de poder, que está atraindo outras nações africanas e asiáticas.

Não se trata, ainda, de uma aliança política. São países bem diferentes, com visões de mundo claramente distintas, mas conscientes de que, se souberem interagir de forma pragmática – no respeito mútuo aos mandamentos de autodeterminação – serão capazes de se defenderem dos projetos de novo domínio anglo-saxão sobre a humanidade.

Durante a Guerra Fria, o pretexto para a intervenção dos Estados Unidos e da Grã Bretanha nos países periféricos era o do combate ao comunismo. Qualquer ação desses países, em sua política interna, que significasse a adoção de medidas de desenvolvimento autônomo, como a reforma agrária, a encampação de empresas estrangeiras que ofereciam serviço público de péssima qualidade, e relações comerciais com os paises socialistas, significava uma traição ao sistema ocidental, “democrático” e “cristão”. Assim, os princípios de autodeterminação dos povos e de não intervenção nos assuntos internos dos Estados foram abandonados, embora a retórica das Nações Unidas continuasse a proclamá-los.

Sendo assim, a América Latina – considerado território de caça de Washington – foi invadida por tropas americanas ou por mercenários armados pelos Estados Unidos diversas vezes, isso sem falar na ação ostensiva e clandestina de seus agentes, na preparação dos golpes militares violentos, como ocorreu no Brasil, no Chile, na Argentina, entre outros países.

O Brasil vem sendo elogiado pelos seus êxitos na criação de um grande mercado interno, como resultado da política social e do incentivo às atividades econômicas de Lula e Dilma. Ao mesmo tempo, a partir de 1985, conseguimos manter o sistema democrático, com a realização das eleições conforme o calendário, e a alternância no governo de partidos e de pessoas. É uma hora carregada de perigos. Os Estados Unidos, que se encontram em crise, podem cair na velha sedução de usar dos recursos de que ainda dispõem, a fim de cortar o nosso caminho, como fizeram em 1954, no governo Vargas, e em 1964, com Jango. Não podemos permitir que a luta partidária, legítima e necessária, se deixe influir pelos interesses externos.

Sendo assim, o manifesto dos militares contra o governo tem o efeito danoso de estimular os nossos adversários externos, que nele começam a ver o retorno aos confrontos entre civis e militares do passado, dos quais eles souberam aproveitar-se. O documento já está sendo usado em São Paulo contra a candidatura do PT.

Qualquer movimento que nos divida, como brasileiros, diante das ameaças estrangeiras, deve ser repudiado pelo nosso sentimento de pátria, comum aos civis e militares.

Leia também:

Gilberto Maringoni já sabe quem ganhará em SP

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



53 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O_Brasileiro

05 de março de 2012 às 21h28

[youtube 6oGlRrJLiiY&feature=related http://www.youtube.com/watch?v=6oGlRrJLiiY&feature=related youtube]

Responder

Wanderson Brum

05 de março de 2012 às 17h38

Meus caros! Os bananas de pijamas não aguentam essa tal liberdade que o regime democrático lhes dá e na primeira brecha colocam as garrinhas para fora. Eles não têm o menor interesse em democracia ou igualdade social. Sua visão de Brasil é uma representação tosca de desfile de 7 de Setembro com o povo anestesiado atrás das cordas aplaudindo a sua passagem e seus brinquedinhos da Hasbro, enquanto eles vestem as sua fantasias de Hallowen, sabe um tipo esquisito de G.I. tupiniquin adestrado pelo tio Sam. No final das contas são uns megalomaníacos aficionados pelas suas visões distorcidas de poder e gloria, inclua-se só para contextualizar que em Salvador-Ba em frente ao Forte de São Pedro onde funciona um quartel do exercito há uma placa aos heróis de Canudos, ou seja, àqueles que massacraram o povo em Canudos mais de século atrás.

Isso me faz lembrar os recentes motins das policias militares, e da correlação destas com pensamento e a estrutura militar vigente no País em descompasso com o modelo de sociedade que a nossa Constituição prevê. Penso que se deva rever a nossa estrutura de defesa interna (sistema de segurança pública) e externa com fim não nos tronamos reféns destas estruturas em sua conformação vigente algo que não é assim tão difícil de acontecer e que de fato já acontece em comunidades carentes altamente policializadas.

Responder

augusto

05 de março de 2012 às 13h53

atn. a Anistia Internacional, que ja nao era essas coisas, passa agora a trabalhar como braço direto , ela mesma, do imperio. Alem dos ja tradicionais BID, N.E.D. W e Freedom House, ja com longa experiencia em cooptar partidos, colorir oposiçoes., apelida-las de 'fraude' e criar poder de midia nos paises onde as eleiçoes locais nao seguem o padrao uoxington de servilismo. A nova diretora executiva a amnesty é Suzanne Nossel, gente da casa.
Ver no Global research.ca – the missionaries of empire.

Responder

SILOÉ-RJ

05 de março de 2012 às 13h27

Um dos argumentos que o PIG e seus pares nacionais e estrangeiros usaram para incentivar o GOLPE MILITAR, foi a visita que JOÃO GOULAR fez a CHINA COMUNISTA, com intuito puramente comercial.
Hoje a CHINA continua COMUNISTA e o é o nosso principal parceiro comercial. O que mudou???
O acesso a verdadeira informação. A dismitificação do 3º poder, que com seus pés de barro, afundam no seu próprio atoleiro, a ponto de ter que sonegar notícias, porque maquiar não adianta mais.
Antes todos rezavam pela cartilha do PIG, inclusive esses BANANAS DE PIJAMAS E QUEPES, que acham que nos concederam a DEMOCRACIA, e que pode ainda, nos manipular.
Só que dessa vez não cola mais!!! AS MÁSCARAS caíram, a MAQUIAGEM derreteu, e o que se viu e ainda se vê é muito feio. É DANTESCO!!!
Além do povo estar mais ciente esperto e atento, mais do que atento, O POVO ESTÁ VIGILANTE.
Não tem nada nesse mundo, que arranque de novo, das nossas mãos, A DEMOCRACIA.
Conquistada a duras penas e fortalecida cada vez mais pelo exercício máximo da sua expressão: O VOTO.
Cada vez mais, CONSCIENTE.

Responder

francisco.latorre

05 de março de 2012 às 13h14

manifesto?..

de militares?..

contra o governo?..

..

audácia. dos figurinhas.

..

Responder

tião medonho

05 de março de 2012 às 12h10

ambos os lados estão blefando…é tudo bullshit..como tudo o mais em nosso país; governo com suas comisssões da "meia" verdade…torturadores de pijama com suas bravatas de velhos bebados e babões…
bastam fazer as contas; ex-torturadodos e torturadores estão todos com mais de 60 anos..então breve nao terá mais nenhum…e todos irão para a copa alegremente; até parece que alguem aqui leva essas coisas a sério.

Responder

    Janah

    05 de março de 2012 às 13h32

    Minha avó viveu até aos 96 anos

    Paulo P.

    05 de março de 2012 às 15h36

    Deveriam levar muito a sério, pois com o apoio do pig, opus-dei, psdb, e ajuda da CIA-MOSSAD, cujos agentes atuam ,livremente por aqui, pode haver um 'outono brasiliano'.

    tião medonho

    06 de março de 2012 às 13h28

    cia-mossad? os judeus-maçons não? que tem contra os rosacruz? e os o biedelberger? e os cavaleiros templarios? e as testemunhas de jeová? e a TFP? e a KGB? que tem contra esse pessoal? não acha que eles tambem tem uma contribuição a dar?

Fabio Barros

05 de março de 2012 às 11h30

Lembre-se: a conquista e a superação nunca é definitiva. Mauro Santayana, com seu brilhante texto, remeteu-me a Albert Camus. Depois de vencida a epidemia, a multidão fica eufórica. Ao final, uma advertência para que nos sirva de alerta:

"Na verdade, ao ouvir os gritos de alegria que vinham da cidade, Rieux lembrava-se de que
essa alegria estava sempre ameaçada. Porque ele sabia o que essa multidão eufórica
ignorava e se pode ler nos livros: o bacilo da peste não morre nem desaparece nunca, pode
ficar dezenas de anos adormecido nos móveis e na roupa, espera pacientemente nos
quartos, nos porões, nos baús, nos lenços e na papelada. E sabia, também, que viria talvez o
dia em que, para desgraça e ensinamento dos homens, a peste acordaria seus ratos e os
mandaria morrer numa cidade feliz." (Albert Camus – "A peste")

Responder

Paulo P.

05 de março de 2012 às 11h21

Fora de pauta.
“E não é que o PSDB está a favor do “Brazil”
Durante um seminário sobre educação, em Natal, os organizadores do evento começaram a? distribuir um adesivo estampando a frase: “PSDB a favor do Brazil”.
Depois de percebida a gafe, tentaram arrancar os adesivos dos participantes, mas o estrago já estava feito.
Pois é….FHC, Serra, e Aécio também estavam a favor da educação do “BraZil”. http://acertodecontas.blog.br/politica/e-nao-e-qu

Responder

FARPA

05 de março de 2012 às 11h20

Onde estão os militares nacionalistas que dizem amar e defender a pátria? Esse generalecos não passam de um grupelho de INSUBORDINADOS e TRAIDORES do Brasil. Devem ser PRESOS e expulsos das forças armadas, pois embora aposentados, vivem as custas do nosso dinheiro e isso tem que acabar psrs servir de exemplo e manter a disciplina.

Responder

paulo roberto

05 de março de 2012 às 10h53

"sentimento de pátria, comum aos civis e militares." ???
Comum a ALGUNS civis e militares. O que não falta é gente com a "sídrome de vira-latas", mormente a nossa pseudo-elite.

Responder

JULIO/Contagem-MG

05 de março de 2012 às 10h13

Presidenta Dilma, prenda e arrebenta !!!!!!!!!! O povão está contigo.

Responder

    genital lacerda

    05 de março de 2012 às 15h07

    esse aí foi contaminado pela foto do Figueiredo..ta bancando o cavalo de espirito de porco..vade retro estrupicio que esse corpo nao te pertence

Leonardo Câmara

05 de março de 2012 às 10h09

É bom que se ressalte que esse mercado interno que se cria hoje tem seu valor, mas ao mesmo tempo Lula e Dilma estão chocando o ovo da jiboia: A classe média paga todo o encargo pela distribuição de renda, pois os muito ricos não são tributados.

Além do mais, ninguém tem aposentadoria garantida no Brasil, todos fomos lançados aos cães com as reformas na aposentadoria do PSDB-PFL e PT.

No futuro, os bancos irão tentar aplicar os mesmos golpes aqui que realizaram na Europa e nos EUA. É preciso reverter o profundo dano causado pelos três partidos acima.

Aposentadoria é direito, não negócio.

Responder

    LuizCarlosDias

    05 de março de 2012 às 16h57

    Como estimular meus filhos por 30 anos pagarem um complemento de aposentadoria
    se lá na frente os bancos evapararem e adeus montante de dinheiro das pessoas,
    que acreditavam que estavam certos.
    Basta simular crises, guerrianhas para a mágica acontecer, o primeiro a sumir é a garna do povo.
    Ou simplemente eleger $erra presidente do Brasil, pra onde vai o dinheiro de todos.

Vinicius Garcia

05 de março de 2012 às 09h01

O momento atual do país não permite muita ação por parte dessa gentinha, porém, necessário se faz ficarmos atentos, no menor descuido eles vem e créu nas conquistas realizadas. Eles não descansam e não somem, apenas esperam e se renovam.

Responder

Sérgio

05 de março de 2012 às 00h58

Cadeia para os golpistas de pijama!
Gostem, ou não, eles são subordinados a um governo civil, democraticamente eleito pelo povo, que é soberano.

Responder

aurica_sp

04 de março de 2012 às 23h59

Esses crápulas não tem jeito mesmo, quando a gente menos espera os vermes veem a tona envoltos na mesma podridão de sempre e com seus velhos parceiros os apoiando. O que podemos fazer é mais uma vez usar a rede para acabar com o movimento desses vermes. Como dizia um certo Líder (mudando algumas palavras é claro)" Blogs Sujos uni-vos" mais uma vez a favor da Democracia .

Responder

André

04 de março de 2012 às 23h32

Lá vem os conservadores de plantão a apoiar mais uma demonstração de anti patriotismo, as vezes penso se o problema não está na água de São Paulo, elite debilóide, agora apoiando militares.

Responder

Rogério

04 de março de 2012 às 22h28

A coisa tá de mal pra pior.
Ou cortam o mal pela raiz, ou adeus democracia brasileira.

Vejam os absurdos desse fanático:
http://palaciodamariajoana.blogspot.com/

Responder

Julio Silveira

04 de março de 2012 às 22h22

Quando a gestão é frouxa os arrogantes se estabelecem. Esse governo da Dilma tem sido, do ponto de vista reformista pró cidadania, muito fraquinho, assim como o foi o governo Lula, que fez muito sem mudar nada. Apesar de ter demonstrado que sua equipe teve capacidade gerencial, navegando com a regras que encontrou, do ponto de vista renovador e legal, nada fez que garantisse longos anos de mudança cultural, nada fez que impedisse que pudessemos ser afrontados por aventureiros no futuro. O povo continua e continuara a merce da verdade das ollgarquias e das intemperies dos reacionários.

Responder

pperez

04 de março de 2012 às 22h14

Se a dilma aceitar a provocação dos generais de pijama, não vai poder vir de lona!
Atras deles tem todo um planejamento montado pelo PIG para desestabilizar Dilma.
Todo cuidado,portanto, é pouco!

Responder

Polengo

04 de março de 2012 às 21h20

Sem esquecer que tem jornalzinho que faz a ponte direta com os EUA…

Responder

virginia langley

04 de março de 2012 às 21h08

Estudem o Chile de Allende…os erros classicos da esquerda democratica no poder tem ali um compendio precioso para entender essa dinamica de looser que a esquerda cultiva mais que tudo (talvez herança de seu DNA religioso cristão -os Marx – Karl e Groucho – são dois dos grandes patriarcas judeus criadores de religiões malucas junto a Moises, Abrahao, Davi, JC e Freud) de culto ao fracassado (Fidel é o diabo pq viveu, Che é santo pq morreu, o mesmo vale pra Lennon e McCartney, Pelé e Garrincha, Stalin e Trotski, e uma lista quase infindavel de dualidades de santos e martires fracassados e perdedores)

Responder

Nelson Menezes

04 de março de 2012 às 20h59

A presidenta Dilma tem que dar uma resposta rapida a estes militares aposentados e usar a constituição ,não pode esperar que este movimento cresça e se espalhe para os da ativa, Alo Dilma acorde ,aproveita que o povo ainda está do seu lado,a Imprensa (PIG )já esta virando o jogo.

Responder

Hildermes Medeiros

04 de março de 2012 às 20h48

Há que se ter cuidado para não direcionar os militares da ativa para entrarem em aventuras, Este cuidado entretanto não pode ser a custa de ter a autoridade do Comandante das Forças Armadas, Presidenta Dilma Rousseff, questionada por seus subordinados, seja quem for. Os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica dão mostras de que estão prevaricando ao deixarem subordinados seus ferirem a hierarquia, desrespeitando regulamentos, não subordinando-se à autoridade deles próprios e do Ministro da Defesa, além de questionar a Presidenta Dilma. Podem até estarem aproveitando conflitos entre as leis e o regulamento, que dizem existirem, para na realidade, de certa forma, apoiarem seus camaradas. Não fosse assim, os insubordinados já teriam sido punidos, inclusive com prisão, porque o que vém fazendo é muito grave. Pagariam para ver até onde vão os direitos desses revoltosos. O governo tem que estar alerta, porque passa a impressão de que esteja impotente diante dos militares, que os Comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, não sejam simples funcionários públicos, também pagos com nossos impostos, com responsabilidades bem definidas em lei, entre as quais não está a de tutelar o país ou a Presidenta, podendo ser demitidos ad nutum por seus superiores da função de confiança que exercem. Cabe examinar se esses senhores não já passaram de seus prazos de validade, se não estaria na hora de irem atuar no Clube Militar, em atividades clubísticas e não políticas como faziam e querem continuar a fazer, sendo substituidos por militares mais modernos.

Responder

Helio Jorge Cordeiro

04 de março de 2012 às 20h31

Maus brasileiros! Carater, cidadania e patriotismo são parea poucos! Estamos mau pagos, Azenha. Enterrarei tudo sobre pátria e cidadania que eu aprendi a cada decxlaração dessas dessespéssimos e falsos brasileiros que se alimentam a base de hambugers e chips em vez de feiujão com arroz. Às armas , pois, sejam elas quais forem!

Responder

Gerson Carneiro

04 de março de 2012 às 20h23

<img src=http://a8.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-snc7/416942_1913131683769_1706248172_907655_69010210_n.jpg>

Responder

Gersier

04 de março de 2012 às 19h59

Será porque subestimam tanto a capacidade de reação do brasileiro frente a "ameça" do PIG que estimula os torturadores pjamados e eternos bobões marionetados a dizerem e escreverem asneiras ameaçando a DEMOCRACIA brasileira conquistada as custas de muito sofrimento de muitas famílias destroçadas por esses imbecis?Será verdade que a maioria dos brasileiros seja tão burra a ponto de aceitar pacificamente se esses imbecis aprontarem?Será que o PIG e esses imbecis acreditam que o resto do Brasil seja como muitos paulistanos?Idiotas e otários?

Responder

Morvan

04 de março de 2012 às 19h53

Boa noite.

Mais um texto muito feliz do Santayana. Porém, como me tem sido mister, vou discordar do autor. O ovo da serpente, não necessariamente, vem via estímulo externo. Os militares brasileiros, com pouquíssimas exceções, de patriota não têm nada (o Ministro das Relações Exteriores pode se vangloriar de possuir pelo menos o nome alusivo ao sentimento – os militares, em sua maioria, não). A direita brasileira, mesmo que a ela não se possa alegar autoctonia, pelo menos no quesito conspiração (não necessariamente, criação) sabe que sempre pode contar com esta força, pois são estes, em sua maioria, sabujos e mais do que isso, eles têm o exército dos neo-centuriões estadunidenses como alter-ego. Isso nunca foi visto pela esquerda, no poder ou fora dele, como algo a ser mexido ou reorientado. Muito pelo contrário. Tem sido visto como um fardo ou como um vespeiro. Aí está o verdadeiro ovo da serpente; se, na Venezuela, o Exército (este merece caixa capital) tem se colocado ao lado do Presidente Chavez, ninguém, em sua sã consciência, pode reputar a este patriotismo como acaso. Há um trabalho – e muito bem feito – com vistas a tornar o Exército daquele país um Exército para o povo daquele país.

Neste momento seria o ideal o Governo mostrar que os militares são só empregados públicos do país (claro que vai ser necessário plotar um gráfico para alguns – a maioria deles.). Chega desta caquexia. Prende estes otários e mostra a eles como é que se trata com insubordinados. Claro que precisa combinar com a Dilma, antes…

P.s.: Azenha, gostaria de ver os créditos desta imagem e mais ainda de saber o nome desta garotinha tão linda e tão altiva.

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

    Polengo

    04 de março de 2012 às 21h19

    Boa noite, Morvan.

    A foto também me chamou a atenção.
    Não sei, mas me lembrou aquela foto da Dilma na frente dos milicos, onde eles esconderam vergonhosamente seus rostos…

    Morvan

    04 de março de 2012 às 22h48

    Boa noite.

    Polengo, tudo bem?
    Já vira esta foto várias vezes e não obtive informações sobre quem é a mocinha. Pesquisei um pouco (o velho Google) e descobri que a loirinha se chama Rachel Clemens e a foto é de autoria do fotógrafo Guinaldo Nicolaevsky.

    Mais informações no Blog do Nassif: <a href="http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-menina-que-se-recusou-a-cumprimentar-figueiredo” target=”_blank”>http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-menina-que-se-recusou-a-cumprimentar-figueiredo.

    Observação: no caso de Dilma, os milicos puderam esconder os rostos. Aqui, não: foi defronte à câmera do Guinaldo Nicolaevsky. Dila (pro velho "Figa").

    #Edit: Formatação HTML

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

José Maia

04 de março de 2012 às 19h37

É estarrecedor e ao mesmo tempo esclarecedor, que toda nossa grande imprensa corporativa não tenha saído em bloco para condenar a agressão dos militares. Os mais jovens, começamos a entender o passado…

Responder

    marcelo santanna

    05 de março de 2012 às 18h25

    Não só não repreendeu como também deu duas paginas inteiras no O Globo semana passada, simplesmente assustador.

    Marcio H Silva

    06 de março de 2012 às 01h01

    Nunca fariam isso, andavam de braços dado com a ditadura. Voltaram aos velhos tempos, tá arriscado até a ressuscitarem algum editorial do "dotôr marinho"

Maria Fulô

04 de março de 2012 às 19h29

"O documento já está sendo usado em São Paulo contra a candidatura do PT"

Ora, o documento foi feito exatamente para isso, para ser usado contra o PT em São Paulo. Alguém esquece aquela estranhíssima reunião secreta do Serra com os militares reformados durante a campanha eleitoral passada? Reuniu-se com eles para que? Exatamente para isso… para fomentar a revolta e a desagregação, aliás a única coisa que esse inútil sabe fazer bem.

Responder

Francisco

04 de março de 2012 às 18h48

Extraído do manifesto dos milicos:
“Em uníssono, reafirmamos a validade do conteúdo do Manifesto publicado no site do Clube Militar, a partir do dia 16 de fevereiro próximo passado, e dele retirado, segundo o publicado em jornais de circulação nacional, por ordem do Ministro da Defesa, a quem não reconhecemos qualquer tipo de autoridade ou legitimidade para fazê-lo”.

Vou frisar: "…do Ministro da Defesa a quem não reconhecemos nenhum tipo de autoridade ou LEGITIMIDADE".

É um grupo politico, com acesso a armas, que nega o resultado legitimo das urnas democráticas.

Vou colocar o meu passaporte em dias.

Responder

Operante Livre

04 de março de 2012 às 18h45

É a oportunidade para a resistência contra o retrocesso antidemocrático.
Se não há espaço na mídia, então é preciso ocupar os centros e os bairros para impedir que siga enfrente este movimento separatista que se ergue pelo ódio aos próprios compatriotas. A democracia não pode ser uma incubadora de regimes absolutistas, sob risco de não se manter.

Responder

Operante Livre

04 de março de 2012 às 18h20

"Qualquer movimento que nos divida, como brasileiros, diante das ameaças estrangeiras, deve ser repudiado pelo nosso sentimento de pátria, comum aos civis e militares."

Sabemos o que os países desesperados têm feito para criar e inventar e promover divisões. Nosso sentimento de pátria de ser supra partidário mesmo. O difícil vai ser convencer os que se aliam aos estrangeiros para garantir o poder interno, mesmo quando custa a nossa soberania. Vendem nosso país. Esses, não podem ser considerados patriotas, mais lhes interessam o dinheiro rápido do poder do que nosso soberano futuro. São inimigos e não adversários políticos. E muitos desses que apoiaram a matança em nome de uma suposta soberania, hoje se empenham em entregar nossa soberania, sabe-se lá a troco de quê.

Responder

Gerson Carneiro

04 de março de 2012 às 18h17

Os traíras de hoje são os mesmos que esquartejaram o Tiradentes, são os mesmos de 1954, são os mesmos de 1964. Para eles não importa as intenções de má-fé dos ameaçadores externos desde que estes ajudem aqueles a conquistar e manterem-se no poder. O exemplo são as relações do Serra com a Chevron.

Responder

Bonifa

04 de março de 2012 às 17h22

A mensagem deixada pelo presidente do Council on Foreign Relations, Richard N. Haass, em seu encontro recente com a Presidenta Dilma, foi muito clara e pode ser sintetizada assim: Vocês só deverão pensar em aumentarem sua capacidade militar se estiverem dispostos a agir sempre segundo NOSSOS interesses. Pensando bem, foi quase uma ameaça. Como reagir diante de uma situação como esta? Muita calma e prudência se exige agora. Neste momento, questões menores do que a segurança nacional e a soberania do país, não deveriam ter força suficiente para abalarem a orientação missionária das nossas Forças Armadas, ameaçando jogá-las no colo de interesses estrangeiros, que absolutamente não são os nossos. O Brasil ficou grande demais para sucumbir por birras e suscetibilidades menores.

Responder

E S Fernandes

04 de março de 2012 às 17h09

Que o governo mande prender estes milicos. Seja ativo ou da reserva.
Ponto final.
É só fazer o que manda a constituição.
Agora, para isso há que haver sangue na veia, peito e estômago.
Será que o governo os têm? Ou pelo contrário, mais uma vez vai baixar a cabeça como cachorrinha acuado.

Responder

    Zeca Duarte

    04 de março de 2012 às 17h29

    Onde a constituição manda isso?

    Eduardo Matteo

    04 de março de 2012 às 19h56

    Sua ignorância salta aos olhos, seu inocente-útil !! Procure se informar quanto ao assunto e sempre desconfie da interpretação e divulgação que a mídia dá a certos assuntos. Para o seu conhecimento, divague sobre a Lei nº 7.524 de 17/Jul/1986 e pare de falar besteria. Se qualquer um ousar extrapolar o seu poder e "prender" alguém, que arque com as responsabilidades. Gostaria mesmo de ver os milhares de militares signatários do Manifesto presos nos quartéis, insuflando os da ativa e depois quero ver quem vai segurar essa bronca. Provavelmente, a Dilma vai chamar a PM da Bahia em seu auxílio….kkkkkkkkkkk. Avante Brasil, Por aqui, eles não vão passar !!!!!!

    Bonifa

    04 de março de 2012 às 21h03

    Por aí você vê a irresponsabilidade com que tratam esta questão. A afoitezade uma esquerda irresponsável pode sim comprometer o destino do país. Sentem-se seguros para falar tudo isso porque pensam que nossa frágil democracia é eterna.

    E S Fernandes

    05 de março de 2012 às 08h55

    Perdão, caro navegante. Mas seu pensamento é binário ou maniqueista: ou se está com o governo ou se está com a oposição. Imagina que uma crítica de esquerda ao governo favorece e é útil a direita. Perdão, mas não comungo com sua lógica cartesiana. Critico sim este governo e seu partido. Até proque sempre votei neles, embora já não sei se o farei novamente. A luta maior não é contra o PSDB. Este já foi três vezes derrotado. Será a quarta. A luta maior é do PT contra o próprio PT.
    Do PT histórico, de suas bandeiras históricas contra o PT moderno e governista, cor de rosa. Outra sugestão. Ao contra argumentar um interlocutor, seja-lhe gentil. Desmonte sua ideia sem o atacar pessoalmente. Boa semana!

    renato

    04 de março de 2012 às 20h39

    Chama os militares que são realmente patriotas e manda estes caras para Guantanamo.
    Guantanamo não!!!!!! Lá eles vão contar tudo. O que é que tem para contar mesmo. Que o Brasil está fazendo a B.A. Não estamos DEMORÔ.
    Será que se der um pau nesse caras, daqui alguns anos eles não vão querer a Comissão da Verdade.

    renato

    04 de março de 2012 às 20h41

    Minha presidenta não gosta de funk.

    SILOÉ-RJ

    05 de março de 2012 às 13h43

    O que esses gagás de pijamas e quepes dizem incentivados pelo PIG, poderia ser em outra época temeroso, agora não. É só motivo de risadas, como as piadas de casernas.

Elton

04 de março de 2012 às 16h52

Infelizmente sou cético em relação à seguinte frase do autor:
" Não podemos permitir que a luta partidária, legítima e necessária, se deixe influir pelos interesses externos."

Há um lado que CLARAMENTE está justamente estimulando a manutenção e ampliação dos interesses externos e vai fazer tudo pelo capital e pelo domínio anglo-saxão, como o faz desde antes de nossa independência de Portugal em 1822. As OLIGARQUIAS de direita……….

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.