VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Leandro Fortes: A direita que ri extasiada


10/10/2012 - 11h57

por Leandro Fortes, em CartaCapital

Tenho acompanhado nas redes sociais, desde cedo, e sem surpresa alguma, o êxtase subliterário de toda essa gente de direita que comemora a condenação de José Dirceu como um grande passo civilizatório da sociedade e do Judiciário brasileiro. Em muitos casos, essa exaltação beira a histeria ideológica, em outros, nada mais é do que uma possibilidade pessoal, física e moral, de se vingar desses tantos anos de ostracismo político imposto pelas sucessivas administrações do PT em nível federal.

Não ganharam nada, não têm nada a comemorar, na verdade, mas se satisfazem com a desgraça do inimigo, tanto e de tal forma que nem percebem que todas essas graças vieram – só podiam vir – do mesmo sistema político que abominam, rejeitam e, por extensão, pretendem extinguir.

José Dirceu, como os demais condenados, foi tragado por uma circunstância criada exclusivamente pelo PT, a partir da posse de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, data de reinauguração do Brasil como nação e república, propriamente dita. Uma das primeiras decisões de Lula foi a de dar caráter republicano à Polícia Federal, depois de anos nos quais a corporação, sobretudo durante o governo Fernando Henrique Cardoso, esteve reduzida ao papel de milícia de governo. Foi esta Polícia Federal, prestigiada e profissionalizada, que investigou o dito mensalão do PT.

Responsável pela denúncia na Procuradoria Geral da República, o ex-procurador-geral Antonio Fernando de Souza jamais teria chegado ao cargo no governo FHC. Foi Lula, do PT, que decidiu respeitar a vontade da maioria dos integrantes do Ministério Público Federal – cada vez mais uma tropa da elite branca e conservadora do País – e nomear o primeiro da lista montada pelos pares, em eleições internas.

Na vez dos tucanos, por oito anos, FHC manteve na PGR o procurador Geraldo Brindeiro, de triste memória, eternizado pela alcunha de “engavetador-geral” por ter se submetido à missão humilhante e subalterna de arquivar toda e qualquer investigação que tocasse nas franjas do Executivo, a seu tempo. Aí incluída a compra de votos no Congresso Nacional, em 1998, para a reeleição de Fernando Henrique. Se hoje o procurador-geral Roberto Gurgel passeia em pesada desenvoltura pela mídia, a esbanjar trejeitos e opiniões temerárias, o faz por causa da mesma circunstância de Antonio Fernando. Gurgel, assim como seu antecessor, foi tutelado por uma política republicana do PT.

Dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal, seis foram indicados por Lula, dois por Dilma Rousseff. A condenação de José Dirceu e demais acusados emanou da maioria destes ministros. Lula poderia, mas não quis, ter feito do STF um aparelho petista de alto nível, imensamente manipulável e pronto para absolver qualquer um ligado à máquina do partido. Podia, como FHC, ter deixado ao País uma triste herança como a da nomeação de Gilmar Mendes. Mas não fez. Indicou, por um misto de retidão e ingenuidade, os algozes de seus companheiros. Joaquim Barbosa, o irascível relator do mensalão, o “menino pobre que mudou o Brasil”, não teria chegado a lugar nenhum, muito menos, alegremente, à capa de um panfleto de subjornalismo de extrema-direita, se não fosse Lula, o único e verdadeiro menino pobre que mudou a realidade brasileira.

O fato é que José Dirceu foi condenado sem provas. Por isso, ao invés de ficar cacarejando ódio e ressentimento nas redes sociais, a direita nacional deveria projetar minimamente para o futuro as consequências dessas jurisprudências de ocasião. Jurisprudências nascidas neste Supremo visivelmente refém da opinião publicada por uma mídia tão velha quanto ultrapassada. Toda essa ladainha sobre a teoria do domínio do fato e de sentenças baseadas em impressões pessoais tende a se voltar, inexoravelmente, contra o Estado de Direito e as garantias individuais de todos os brasileiros. É esperar para ver.

As comemorações pela desgraça de Dirceu podem elevar umas tantas alminhas caricatas ao paraíso provisório da mesquinharia política. Mas vem aí o mensalão mineiro, do PSDB, origem de todo o mal, embora, assim como o mensalão do PT, não tenha sido mensalão algum, mas um esquema bandido de financiamento de campanha e distribuição de sobras.

Eu quero só ver se esse clima de festim diabólico vai ser mantido quando for a vez do inefável Eduardo Azeredo, ex-governador de Minas Gerais e ex-presidente do PSDB, subir a esse patíbulo de novas jurisprudências montado apenas para agradar a audiência.

Leia também:

Zé Dirceu: ‘Não me calarei, não abandonarei a luta’

Dirceu, Genoino e Delúbio são condenados pelo STF

Lewandowski: Genoino será condenado apenas por ter sido presidente do PT

Genoino: “Vocês são urubus e torturadores da alma humana”

Paulo Moreira Leite: O lugar de Genoino

Carta aberta: “Somos contra a transformação do julgamento em espetáculo”

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


105 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Os culpados sem provas « O Menino que não Machuca

11 de outubro de 2012 às 23h08

[…] abaixo, um texto interessante e elucidador sobre as condenações no chamado “mensalão”, que ocorre nestes nossos dias de eleições, obviamente com o intuito de atingir as eleições municipais e diminuir a força do PT pelo Brasil a fora. e não conseguiram, pois o PT AUMENTOU o número de municípios onde tem prefeito! de 558 prefeitos eleitos em 2008, o PT passou pra 626, e ainda disputa segundo turno em 22 cidades, podendo aumentar e muito esse número campeão para um partido. ainda recebeu mais de 17 milhões de votos no Brasil inteiro! este crescimento também se dá com os vereadores: de 4.164 aumentamos para 5.164! é a força de um dos maiores partidos da esquerda mundial! e que nem com a intensa campanha midiática que sofre no Brasil, apesar de todos os ataques, sejam virtuais ou em artigos, editoriais e matérias tendenciosas da nossa imprensa majoritariamente de direita, o PT diminui seu crescimento pelo Brasil. só que o perigo destes ataques conjuntos contra o PT e seus filiados, pode prejudicar a todos nós. abaixo, o trecho do artigo do jornalista Leandro Fortes (para ler na íntegra, clique aqui): […]

Responder

Pitagoras

11 de outubro de 2012 às 22h31

Irretocável! Só não vejo o STF julgando com o mesmo fervor a camarilha da direita que inventou e abusou do mensalão à sua vez.

Responder

abolicionista

11 de outubro de 2012 às 13h19

O Brasil é um país intrigante: você pode dar um golpe de estado, pode torturar, prender e arrebentar subversivos, pode criar um cargo como o de engavetador geral da república, pode chamar a ditadura de ditabranda, pode ignorar mais de duzentas CPIs (como acontece em SP), pode exterminar mais de centenas pessoas sem nenhuma passagem pela polícia (crimes de maio) tudo abrigado pela lei e pela democracia. Não é mesmo um país curioso?

Responder

Messias Franca de Macedo

11 de outubro de 2012 às 11h56

O ENGODO ARDILOSO E A NOSSA ‘BANANA’ ENQUANTO RESPOSTA! ENTENDA

###################################

Mensalão ‘influenciará’ decisões futuras sobre corrupção e financiamento político
10/10/201218h35
CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: “Grande” mídia nativa!
NOTA: as aspas na palavra ‘influenciará’ foram preservadas do título original!
COMENTE
A condenação dos principais réus da Ação Penal 470, conhecida como “mensalão”, por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), deverá ter impacto significativo em futuras decisões de outros tribunais em denúncias de corrupção, improbidade administrativa e financiamento de campanhas. A opinião é de três analistas consultados pela BBC Brasil que acompanharam o caso.
(…)
#######################################
A NOSSA – VEEMENTE – “BANANA”!
Sim, então vamos testar esta hipótese:
1- ‘O domínio do fato’ de Gilmar Mendes
A Polícia Federal será convocada pela sociedade brasileira a disponibilizar todas as provas documentais atinentes ao [escabroso – e inédito (sic)] ‘grampo sem áudio’ envolvendo o [ilibado] ministro do “supremoTF”, Gilmar Mendes – o mesmo (ir)responsável magistrado que concedeu dois [indecorosos] habeas corpus notívagos em favor do *banqueiro bandido e condenado; o outro [notável] magistrado responde pelo nome de DEMÓstenes Torres – o mesmo ex-senador [senador?!] e magistrado. [E magistrado?!)…Cassado pelo Congresso Nacional. DEMÓstenes se referia ao Cachoeira da seguinte forma: “Professor Cachoeira!”

RESCALDO: “os supremos” do “supremoTF” poderão, então, julgar para além do ‘domínio do fato’!…

EM TEMPO: bom, com relação à dosimetria a ser aplicada aos réus Gilmar e DEMÓstenes, “os demais supremos” não precisam se preocupar: o honesto, sapiente e trabalhador brasileiro saberá definir!

AVISO AOS NAVEGANTES: outras deliquências serão apresentadas ‘pari passu’: vamos deixar a DIREITONA sangrar em ‘doses’ homeopáticas!

Quem (sobre)viver verá!

Portanto, vamos começar a testar o postulado que sustenta a seguinte tese: de agora em diante, nenhum réu ficará impune, ainda que as provas dos delitos não estejam contempladas nos autos dos processos!

AVISO: A DIREITONA está apostando na [suposta] ‘memória curta’ do nosso povo!

AVANTE POVO BRASILEIRO!

BRASIL NAÇÃO – em homenagem ao honesto, sapiente e trabalhador povo brasileiro
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Messias Franca de Macedo

    11 de outubro de 2012 às 12h13

    *banqueiro bandido e condenado, segundo o ínclito, competente e impávido delegado da Polícia Federal doutor Protógenes Queiroz

    Respeitosas saudações democráticas, progressistas, nacionalistas, civilizatórias e anti-golpistas,

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    Mário SF Alves

    11 de outubro de 2012 às 12h38

    De início, creio que o melhor mesmo seja julgar esse dito julgamento. Nem que para isso – exagero à parte – tenhamos de recorrer a um TPI – Tribunal Penal Internacional.

    Sorte, virtude e fortuna, caro Messias.

    A próposito da sorte. Deu no fantástico, domingo p.p, em comentário sobre um vídeo sobre reprodução humana, na trajetória do espematozóide em direção ao óvulo, o comentarista, foi pusilânime: eis aí a mais eficiente seleção natural. Fiquei de bobeira. Ora, o citado ser fantástico simplesmente ignorou a retumbante inflência do acaso. Terá sido mera empolgação ou… é aquilo que pode ser? Ou… sou eu que ando ignorando algo?

Messias Franca de Macedo

11 de outubro de 2012 às 11h22

A QUE PONTO CHEGAM ‘AS GRACINHAS DO GARCIA’ “DA GLOBO”! ENTENDA

No comentário matinal de hoje (11/10/12), (a)notou o jornalista, abre aspas: “Na última sessão do STF, o ministro Ricardo Lewandovski foi flagrado [(sic) – adendo nosso] por um fotógrafo, conversando com o colega Dias Toffoli!…” Quer dizer, então, que um fotógrafo de um determinado jornal “flagrou” [“foram pegos em flagrante”!] dois membros do STF dialogando na Sala do Júri da Corte Suprema do país?! Considerando a tese do ‘domínio do fato’, é bastante ‘plausível’ que os dois colegas estivessem fazendo exposição – ‘in off’ – de tratativas, ardilosos conchavos, mesmo porque não é crível que estes dois ministros mancomunados estivessem tratando de outro assunto afora o mensalão [o mensalão do PT, revisor!].

RESCALDO: realmente, essa tal tese do ‘domínio do fato’ irá “dar muitos panos para manga”!

VALE A PENA RELEMBRAR: o tal do Alexandre Garcia “da Globo” exerce também a função de, digamos, capilarizar o PIG! Todas as manhãs, comentários do jornalista são retransmitidos por muitas emissoras de rádio dos rincões do Brasil!

… É verdade: o golpe [midiático] está sendo televisionado – e irradiando pelas ondas potentes do rádio!… A DIREITONA [golpista] OPOSIÇÃO AO BRASIL golpista está sempre à espreita!

AS RUAS ESPERAM POR VOZES! OU NÃO?!…

Que país é esse, sô?! República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo – empanturrado de pipoca e limonada, elevando a audiência da TV (In)Justiça!…

Responder

    Mário SF Alves

    11 de outubro de 2012 às 12h00

    “Na última sessão do STF, o ministro Ricardo Lewandovski foi flagrado [(sic) – adendo nosso] por um fotógrafo, conversando com o colega Dias Toffoli!…”

    Tá. Mas, e daí, ficou só nisso?!!

    Capilaridade?!!, ele, Alexandre, gracinha… Messias, só se for depois de alguém reinventar o conceito.

    Messias Franca de Macedo

    11 de outubro de 2012 às 12h09

    Prezado Mário Alves, creio que você não me entendeu ou eu não lhe entendi! Neste tópico, ficou ‘plausível’ a nossa divergência!
    Se possível, esclareça ‘o domínio deste fato’! [RISOS]

    Felicidades!

    Hasta la Victoria Siempre!

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Vicent

11 de outubro de 2012 às 02h30

“O fato é que José Dirceu foi condenado sem provas. Por isso, ao invés de ficar cacarejando ódio e ressentimento nas redes sociais, a direita nacional deveria projetar minimamente para o futuro as consequências dessas jurisprudências de ocasião. Jurisprudências nascidas neste Supremo visivelmente refém da opinião publicada por uma mídia tão velha quanto ultrapassada. Toda essa ladainha sobre a teoria do domínio do fato e de sentenças baseadas em impressões pessoais tende a se voltar, inexoravelmente, contra o Estado de Direito e as garantias individuais de todos os brasileiros. É esperar para ver.”

Primeiro, acho que existe uma arrogância inacreditável nesta primeira frase.
A decisão do Supremo foi extremamente técnica, e tenho a certeza absoluta de que as pessoas que participaram do julgamento são íntegras e desprovidas de viés. Se “o fato é”, eu sugiro que os argumentos TÉCNICOS do Supremo sejam rebatidos e refutados, não simplesmente escrever que “o fato é” sem nenhum apoio para suportar a decisão. Não estamos falando de dar pitaco na escalação da seleção, e sim, de um assunto muito sério e cuja opinião técnica é extremamente fundamentada do ponto de vista técnico.
Lembre que os membros do supremo foram selecionados entre milhares de formados em direito, têm anos de carreira (mais talvez, que a média da população brasileira tem de idade), e que supostamente entendem mais de direito do que qualquer um de nós.

Agora, vamos tentar analisar os “fatos”. Não há, e talvez surja daí sua frase, fatos que comprovam diretamente a culpa do José Dirceu. O que existem são reuniões entre o ministro da Casa Civil e um sujeito como Marcos Valério cujo envolvimento foi mais do que comprovado. O que faz o Ministro reunido com este sujeito por tantas vezes, em datas e horários que levam a inúmeras coincidências.

Vou citar o caso do OJ Simpson como exemplo: haviam 4 pessoas em Los Angeles que poderiam ter o sangue encontrado na esposa de OJ Simpson (OJ Simpson, obviamente, uma das 4 pessoas). Isto significa que a probabilidade de OJ Simpson não ser o assassino seria 1 em 900,000 (para uma população de 3,6 milhões). Quando se cruza isto com a proximidade dos outros 3 com a esposa de OJ Simpson, o que parece mais provável? Que um dos 3 estranhos tenha sido o assassino, ou o marido da vítima, que tinha acesso à vítima, e mais provavelmente motivo? Aí eu pergunto: é razoável a dúvida que se tem sobre OJ Simpson ser o assassino (usando somente estas informações)?

Se sua resposta para a pergunta acima for sim, aí eu discordo e muito de seu argumento no texto: a jurisprudência criada será muito negativa para a sociedade. Pois, a partir de agora, só prenderemos pessoas que forem pegas em flagrante, ou que deixarem rastros explícitos de seu infringimento da lei. É por causa deste tipo de jurisprudência que pessoas como PauloMaluf andam livres pelo país. Felizmente, não teve tecnicalidades para impedir a condenação de José Dirceu.
E, junto com boa parte do povo brasileiro, fico muito feliz de saber que ao menos alguém com escolaridade, participante do governo, praticante da corrupção ativa (julgado pelo Supremo), seja condenado. É um excelente sinal de alerta para pessoas corruptas, e acho lamentável pessoas saírem em defesa deste senhor simplesmente por ele ser filiado a um partido que já foi pautado por uma ideologia, e que hoje, nada mais é do que mais um participante (ativo, como foi provado) da elevada corrupção que assola este país. Mas que, por motivos que ainda desconheço, é capaz de manter seguidores simpatizantes (mas não praticantes, obviamente) da ideologia do passado deste partido, que, vão contra tudo que defende esta ideologia, tudo que sempre criticaram em outros partidos, para defender seu partido.

Esse realmente é o maior mistério da política brasileira!

Responder

    Mário SF Alves

    11 de outubro de 2012 às 11h07

    Não, Vincent. Sinto descordar. O maior mistério da política brasileira (e da geopolítica) é tentar endendê-la sem antes entender a História e, talvez, um pouquinho do O Capital. Ah! Teoria Geral do Estado, também ajuda.

    Valdeci Elias

    11 de outubro de 2012 às 11h44

    Vicent , pode argumentar avontade. Más Collor foi absolvido por falta de provas, enquato Dirceu fo condenado por falta de provas.

    Pitagoras

    11 de outubro de 2012 às 22h35

    Hehehe! Bem lembrado!

Jbarreto

11 de outubro de 2012 às 00h16

Daqui a dois dias a capa do “menino pobre” da Veja vai servir só para embrulhar peixe. Nada de novo sob o sol: todo Joaquim Barbosa tem seu dia de Demóstenes e todo Gurgel tem seu dia de Arruda.

Responder

Narr

10 de outubro de 2012 às 22h58

Direita extasiada? Mas o PSOL apoiou o julgamento do Supremo! Chico Alencar diz que é exemplar, Plinio de Arruda diz que é o fim do PT. Tenho conversado com PSOListas e eles avaliam que PT x PSDB é briga de facções da burguesia neoliberal, e que neste momento a aliança dos setores populares com a grande imprensa e setores burgueses da oposição é tão vital para a esquerda quanto foi no passado, quando Collor finalmente sofreu o impeachment.

Responder

    Edineuza

    10 de outubro de 2012 às 23h55

    Mas desde quando o PSOL não esteve a serviço da direita facista desse Pais. Lembra de Heliosa Helena em 2006 e Plino Arruda Sampiao em 2010?

    Vlad

    11 de outubro de 2012 às 13h25

    E a foto dos dirigentes do PSOL abraçando o Maluf então? que absurdo.
    E a coligação nacional do PSOL com o PMDB…mais absurdo ainda.
    E o PSOL deixando as Minas e Energia na quadrilh…digo…companheiros do Sarney…absurdo ao extremo.
    Fora as concessões que o PSOL insiste em dizer que não é privatização e a reforma agrária zero do PSOL.
    Mais ainda o PSOL colocou o Presidente Mundial do Bank Boston na presidência do BC por dois governos…crápulas.
    O PSOL desonera o pessoal da FIESP, faz jogo de cena com os banqueiros enquanto estes mantêm lucratividade sem igual, e soca fumo no funcionalismo.
    Esse PSOL!
    Traíras.

    Narr

    11 de outubro de 2012 às 14h27

    O PSOL votou contra a nova CPMF, que só seria cobrada de quem ganha bem, e deu de Natal 40 bilhões de reais para a burguesia, devidamente comemorados na capa da Veja. Mas a crítica do PSOL à aliança do PT com setores da direita procede, o PT deveria manter a pureza socialista e sofrer impeachment de Lula com a cabeça erguida. Aliás, horrível devia ser K. Marx, que recebia mensalão de F. Engels, o filhinho de papai que vivia a custa da exploração do proletariado em Manchester. Esse é exatamente o problema do PSOL, confundir política com religião, trocar a práxis pelo fundamentalismo cristão. Sempre puros, sempre acima dos outros, e sempre abaixo na preferência da população.

    João Timbó

    11 de outubro de 2012 às 10h22

    No Brasil é preciso ter muito cuidado quando se rotula alguém de “esquerdista”. Os chamados “ex-comunistas”, hoje reacionários ao extremo, estão aí para provar.

    Mário SF Alves

    11 de outubro de 2012 às 11h55

    Os partidos camaleônicos, aprendizes de feiticeiros e/ou barrigas de aluguel daqui por diante (no pós-Tribunal de Exceção/julgamento da AP 470/mensalão do PT), possivelmente, vão ter de conjugar e/ou conviver com variável/equação nova, um quase postulado:

    “As bem aventuranças, as vitórias políticas, sociais e econômicas, do PT a mídia privada hegemônica, no papel de oposição política, esconde, dissimula ou deprecia. Já os erros ou presunção de erros ela mostra às escâncaras; ainda que para tanto tenha de ficar anos a fio a pressionar pela condenação. E o pior, deu nisso, na produção de algo que mais parece a reedição de um medievalesco tribunal da inquisição.”
    .
    E é aí que pode estar a essência do drama: a possibilidade de o PT superar a fase de mero partido político de políticos e se transformar num partido político do povo.
    .
    A propósito… acho que tenho sido injusto, e lembrando o que disse o Franco Atirador, a mídia privada hegemônica torce por algum SUCESSO; sim, pelo sucesso da CRISE.

edumix

10 de outubro de 2012 às 22h52

Ô Azenha, o Lula imitou o D. Pedro II, que deixou o Partido Republicano funcionar no sei reinado. Esse é o nunca dantes.

Responder

Geysa Guimarães

10 de outubro de 2012 às 22h24

Tô enganada, ou a Suprema Corte acabou com a presunção da inocência e a obrigatoriedade de provas?
Tratemos de surfar nesta nova onda.
Em frente com o Privatão, Cachoeira, Azeredão e tudo a reboque. Pelo canto da passarada, serão absolvidos por “falta de provas”, voltando tudo como era dantes, no supremo de Abrantes.
Mas servirá para mostrar o que há debaixo das togas.

Responder

    Vicent

    11 de outubro de 2012 às 02h33

    Existe algo chamado “dúvida razoável” sobre a culpabilidade de um réu.
    O supremo simplesmente entendeu que a dúvida que se tem não é razoável. O réu continuou entrando no julgamento com a presunção de inocência.
    Se você quer refutar a decisão do supremo, sugiro um embasamento teórico e técnico antes, até para dar credibilidade e força ao argumento.

    J Fernando

    11 de outubro de 2012 às 11h05

    Rsrsrs
    Na sua “dúvida razoável” CONDENA-SE OS RÉUS!!
    Que maravilha de argumento jurídico para condenação!!

    Willian

    11 de outubro de 2012 às 10h06

    Geysa, está enganada.

J Souza

10 de outubro de 2012 às 22h18

As biografias dos ministros do STF, que nunca lutaram pelo povo, são ridículas se comparadas às do Genoíno e do Dirceu.

P.S.: Aos desavisados, não confundir biografia com currículo.

Responder

grilo

10 de outubro de 2012 às 21h23

O Leandro Fortes matou a pau. O PT está pagando o preço pela sua pusilânimidade com a direita raivosa. O Lula (a Dilma também) quis fazer um governo de consenso nacional, incluido aí a nossa direita rançosa. Ora, faça-me o favor, isso nunca deu certo em lugar algum. Os altos escalões do governo está recheado de tucanos enrustidos, assim como à alta cúpula da justiça foram guindados notórios antipetistas. Isso não é ser republicano, é ingenuidade politica das brabas. Agora é esperar o golpe final.

Responder

    Pitagoras

    11 de outubro de 2012 às 22h37

    Correto. A barganha faustiana tem um alto preço e está agora a ser cobrada! Não me arrependi de ter me desfiliado.

Arlete

10 de outubro de 2012 às 21h12

Sempre digo que as mudanças perpassam pela educação, mas se forem bem aproveitada, porque no caso do “menino que mudou o país”, que decepção para a professora!

Responder

Barão de Itararé: Vamos organizar o nosso ato contra os golpistas midiáticos da SIP « Viomundo – O que você não vê na mídia

10 de outubro de 2012 às 20h20

[…] 15h às 21h – Contraconferência online: Liberdade de expressão na América Latina: de que lado está a SIP? Com a participação de ativistas e especialistas do Brasil e da América Latina. Se você defende a ampla e verdadeira liberdade de expressão, junte-se a nós! Leia também: Leandro Fortes: A direita que ri extasiada […]

Responder

FrancoAtirador

10 de outubro de 2012 às 20h09

.
.
O fato, mais que lamentável, gravíssimo para a Democracia Constitucional,

extraído do final da estória do ‘Mensalão’ contada por Roberto Jefferson,

é que nesse ‘julgamento’ da Ação Penal 470, a maioria dos ministros do STF

não proferiu votos fundamentados em provas cabais constantes dos autos,

mas emitiu pareceres políticos subjetivos e OPINIÕES IDEOLÓGICAS PESSOAIS

deduzidos do que, nos últimos sete anos, foi divulgado pela velha mídia

e convertido em denúncia mal formulada e, mais, infundada pelo PGR.

Tudo muito bem revestido ou travestido de empoladas teses jurídicas.

Os ministros, na maioria, não agiram como juízes, mas como jurados

convocados a proceder num júri popular na Justiça Criminal Comum.

A gravidade reside em que o veredicto prolatado pelo STF é irrecorrível,

não há nenhuma possibilidade de recurso aos réus, ora condenados,

para eventualmente reverterem as condenações, em instância superior,

como ocorrem nas decisões do Tribunal do Júri nas Varas Criminais.

Aos acusados, que não detêm prerrogativa de foro, dito ‘privilegiado’,

não foi concedida a garantia constitucional do duplo grau de jurisdição,

considerando que o STF preliminarmente indeferiu o desmembramento da ação,

em sentido oposto ao que já havia decidido em processo similar, a AP 436.

A ausência de isonomia no trato processual das ações penais originárias

acentua mais a convicção de que o STF, por maioria, cometeu uma grande

INJUSTIÇA.

Neste momento, eu lamento muito… e choro… realmente choro…

não pela condenação de Genuíno… de Dirceu… sequer pelo PT…

mas pela Constituição Federal ofendida pela própria Suprema Corte

a quem incumbiria guardá-la como o bem maior da República do Brasil.

Perde o Judiciário… perde o Direito… perde a Cidadania…

Perderão, inclusive, os que ora vibram com essa decisão lastimável.

Sinto muito…
.
.

Responder

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h59

    Comungo os mesmos sentimentos.

    Lu Witovisk

    11 de outubro de 2012 às 08h27

    Isso ai

Francisco

10 de outubro de 2012 às 19h52

Eu, se fosse Dirceu e Genuino, assim como o PT, processava essas revistas todas. O mensalão não foi provado!

Responder

Márcio Carneiro

10 de outubro de 2012 às 18h35

Então quer dizer que até o Toffoli, ex-advogado do PT, era na verdade um agente da direita infiltrado no STF?

Porque afinal de contas, me explique como um ex-advogado do PT condenou o Genoino?

Responder

    sandro

    10 de outubro de 2012 às 19h09

    Bem, quero crer que um advogado ou magistrado deva ter a liberdade até para errar, desde que não manipulado.Sei que prá vc é dificil esse exercício já que me pareceu ser meio condicionado a exeções

    sandro

    10 de outubro de 2012 às 19h16

    Como te disse erros acontecem até aqui..
    leia : exceções.]

    abs

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h21

    Não, Márcio. A lógica é outra, e ela pode ser resumida assim: “aos amigos do rei, os favores da lei, aos inimigos do rei…” Bom, o resto você sabe. Agora advinhe quem é o rei? E nem sonhe em imaginar que seja o Lula! O rei, caro amigo, é o estado de fato travestido de estado de direito. O rei, caro amigo, é a casa-grande e seus associados seculares que insistem em manter o Brasil, e enfim, a América Latina, como sua eterna senzala. Quanto ao STF, mais uma vez restou provado: é uma corporação. Salvou-se o ministro Lewandovski.

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h31

    E quer saber? Tal forma de julgamento eu não desejaria nem para os neoliberais “benefiados” com a privataria tucana. Não que eu me sinta solidário a eles. Nunca, jamais, de forma alguma. Os verdadeiros inimigos do Brasil têm de ser julgados. Mas, não assim. Têm de ser julgados com provas e com direito a ampla defesa. O que eu gostaria é que tal forma de julgamenmto, sim, fosse julgada e que jamais se repetisse. Enfim, que fosse abolida para sempre da história da humanidade.

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2012 às 22h52

    .
    .
    Bendito Mário SF Alves!

    Bem dito!

    Muito bem dito!

    Um abraço camarada e libertário.
    .
    .

sandro

10 de outubro de 2012 às 17h46

Em tempo.
A esposa do “Noblat esta para ser julgada.
Prestemos atenção .

Responder

sandro

10 de outubro de 2012 às 17h44

Calma galera.
Todos sabiam do desfecho.
O tigre tem que dar uns passos para taz .
O pig tá comemorando (como comemorou o cancer do lula e etc)mas
não esta levando. Foi-se o tempo que o problema do “Pig”era o
PT, depois de Lula e Dilma eles temem sim é o povo.

obs. Para quem é de Sp, fiquem atentos para o evento:
“FAÇA AMOR NÃO FAÇA SERRA” a se realizar por esses dias.

Responder

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h57

    Começo a entender seu comentário, Sandro. Parece que você tem toda a razão. De fato. Pode ser exatamente isso:
    .
    .
    “O pig tá comemorando (como comemorou o cancer do lula e etc)mas
    não esta levando. Foi-se o tempo que o problema do “Pig”era o
    PT, depois de Lula e Dilma eles temem sim é o povo.
    .
    .

    Em tempo: há quem diga que esse deplorável e infame julgamento foi ditado muito mais ao sabor dos interesse de mercado do que propriamente por questões de natureza ideológica. Bom… se é que é possível separar uma coisa da outra, não é?

Fe

10 de outubro de 2012 às 17h31

Leandro, seu texto tem uma pequena imprecisão. O STF não criou jurisprudência ao condenar o Dirceu sem provas, os Ministros simplesmente reproduziram a lógica de quase todos os julgamentos que acontecem no país, baseados em testemunhos e nenhuma prova tecnica.

Responder

    Ericson

    10 de outubro de 2012 às 20h06

    Desculpe-me, mas seu comentário é que está incorreto. Houve sim claro uso (manipulação?!) de nova teoria probatória, conforme o acima especificado, a fim de, obviamente, justificar uma condenação baseada em “provas tênues”, conforme reconheceu o próprio procurador.
    Não vejo, sinceramente, diferença alguma aos julgamentos arranjados de Stálin: a culpa já teria sido estabelecida desde o início do processo, o qual teria, apenas a função de dar um verniz de legitimidade a decisão (cumpa) definida.

Maria Thereza

10 de outubro de 2012 às 17h24

Mensalão que é bom, ninguém chegou nem perto de provar. O que mais me deixa “meio passional por dentro” é ter gente que acha que querer um julgamento minimamente decente é o mesmo que compactuar com corrupção. Saber que as inovações do supremo serão esquecidas quando e se forem outros os réus é ter a certeza de que tentarão novos artifícios, quantos forem necessários, para inviabilizar Lula e Dilma em 2014. Tomara que a gente saiba a hora de ir às ruas. O 1º turno das eleições municipais mostrou que nós sabemos o que é sério e importante. Mas o justiceiro mor gosta mesmo é de ser aplaudido em bares de alta classe média no Rio. Quando o serviço estiver feito, não será mais convidado. Devia lembrar que a direita tem mania de abandonar na estrada os companheiros feridos. O semanário, por acaso, entrevistou Demóstenes, para ele dar sua versão da história? Nem se lembra da existência dele…Seu herói, por ora, é outro. Em tempo: ninguém que um supremo submisso como na época de fhc, mas seria ótimo se fossem REALMENTE independentes e lesse os autos dos processos, vissem as provas e, acima de tudo, não escrevessem seus votos para a mídia. Parecem aquelas pessoas que escrevem um livro já pensando em qual ator vai interpretar o papel principal.

Responder

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h35

    Parabéns, Maria Thereza. E se me permite, é perfeito seu raciocínio.

ROSALVO ALMEIDA FILHO

10 de outubro de 2012 às 17h09

O GRANDE E VERDADEIRO MENSALEIRO FOI O FHC NA COMPRA DE VOTOS( MAIS QUE PROVADA AO CONTRARIO DA ATUA.L) PARA GARANTIR A REELEIÇÃO

Responder

    Minerim

    10 de outubro de 2012 às 19h00

    Rosalvo, o escândalo da compra da reeleição de dom Fernando II, não podemos classificar de mensalão. Embora, o montante de dinheiro empregado no mesmo seja oriundo do erário público, foi pago a vista.

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h13

    E que acabou por excluir minhas possibilidades de exercício profissional em pelo menos uns dez anos. Quero minha vida de volta!

Bernardino

10 de outubro de 2012 às 17h07

“Nao adianta querer apaziguar os reacionarios de direita aqui no Brasil,a unica linguagem que eles entendem é a FORÇA”.è isso mesmo JOSE X,voce definiu muito bem a nossa gente.E eu digo de peito aberto a Cultura portuguesa e Covaarde so briga por Garrafa de cachaça,papelote de cocaina e e time de futebol.Nao foi à toa que o covarde DJOAO VI fugiu de portugal amparado pela esquadra Inglesa com medo de Napoleao.
Vamos as comparaçoes: ARgentina,Nestor KICHNER presidente,pegou o Pais aos frangalhos,arrumou a casa financeiramente e partiu pra cima da Direita:Mudou todo supremo de lá e enquadrou a imprensa safada!O Melhor:
ACAdemia Militar de PALOMA,formatura dos Cadetes,chega KICHNER,na galeria dos comandantes o retrato de Jorge Videla,ditador.O Pres,chama o ajudante de ordem e diz:Eu falei que nao queria esse cara em qualquer lugar do governo e pede uma escada,sobe tira o retrato e joga no chao,presente chefe do exercito,estado maior e demais milicada,depois faz o discurso e vai embora!!!Quando um politco covarde Brasileiro faria isso.Exceçao Epitacio Pessoa da Paraiba,pres em 19-22,matou e prendeu os 18 do forte de Copacabana e depois getulio que era Guerreiro!!!

Responder

FrancoAtirador

10 de outubro de 2012 às 17h05

.
.
Genoino diz que condenação no STF busca atingir todo o PT

Ao participar, nesta quarta-feira (10), de reunião do Diretório Nacional do PT, em São Paulo, José Genoino, condenado pelo STF, divulga uma carta contundente em que aponta “injustiça” na decisão do STF e anuncia que deixa o cargo de assessor que ocupa no Ministério da Defesa.

“Esse julgamento ocorre em meio a uma diuturna e sistemática campanha de ódio contra o meu partido e contra um projeto político exitoso, que incomoda setores reacionários incrustados em parcelas dos meios de comunicação, do sistema de justiça e das forças políticas que nunca aceitaram a nossa vitória”, afirmou Genuíno.

A seguir, a íntegra da carta de um dos personagens mais injustiçados nessa estória de “mensalão”.

CARTA ABERTA AO BRASIL

“Eles passarão, eu passarinho.”
(Mário Quintana)

Dizem, no Brasil, que as decisões do Supremo Tribunal Federal não se discutem, apenas são cumpridas. Devem ser assumidas, portanto, como verdades irrefutáveis. Discordo. Reservo-me o direito de discutir, aberta e democraticamente com todos os cidadãos do meu país, a sentença que me foi imposta e que serei obrigado a cumprir.

Estou indignado. Uma injustiça monumental foi cometida!

A Corte errou. A Corte foi, sobretudo, injusta. Condenou um inocente. Condenou-me sem provas. Com efeito, baseada na teoria do domínio funcional do fato, que, nessas paragens de teorias mal-digeridas, se transformou na tirania da hipótese pré-estabelecida, construiu-se uma acusação escabrosa que pôde prescindir de evidências, testemunhas e provas.

Sem provas para me condenar, basearam-se na circunstância de eu ter sido presidente do PT. Isso é o suficiente? É o suficiente para fazerem tabula rasa de todo uma vida dedicada, com grande sacrifício pessoal, à causa da democracia e a um projeto político que vem libertando o Brasil da desigualdade e da injustiça.

Pouco importa se não houve compra de votos. A tirania da hipótese pré-estabelecida se encarrega de “provar” o que não houve. Pouco importa se eu não cuidava das questões financeiras do partido. A tirania da hipótese pré-estabelecida se encarrega de afirmar o contrário.

Pouco importa se, após mais de 40 anos de política, o meu patrimônio pessoal continua o de um modesto cidadão de classe média. Esta tirania afirma, contra todas as evidências, que não posso ser probo.

Nesse julgamento, transformaram ficção em realidade. Quanto maior a posição do sujeito na estrutura do poder, maior sua culpa. Se o indivíduo tinha uma posição de destaque, ele tinha de ter conhecimento do suposto crime e condições de encobrir evidências e provas.

Portanto, quanto menos provas e evidências contra ele, maior é a determinação de condená-lo. Trata-se de uma brutal inversão dos valores básicos da Justiça e de uma criminalização da política.

Esse julgamento ocorre em meio a uma diuturna e sistemática campanha de ódio contra o meu partido e contra um projeto político exitoso, que incomoda setores reacionários incrustados em parcelas dos meios de comunicação, do sistema de justiça e das forças políticas que nunca aceitaram a nossa vitória. Nessas condições, como ter um julgamento justo e isento? Como esperar um julgamento sereno, no momento em que juízes são pautados por comentaristas políticos?

Além de fazer coincidir matematicamente o julgamento com as eleições.

Mas não se enganem. Na realidade, a minha condenação é a tentativa de condenar todo um partido, todo um projeto político que vem mudando, para melhor, o Brasil. Sobretudo para os que mais precisam.

Mas eles fracassarão. O julgamento da população sempre nos favorecerá, pois ela sabe reconhecer quem trabalha por seus justos interesses. Ela também sabe reconhecer a hipocrisia dos moralistas de ocasião.

Retiro-me do governo com a consciência dos inocentes. Não me envergonho de nada. Continuarei a lutar com todas as minhas forças por um Brasil melhor, mais justo e soberano, como sempre fiz.

Essa é a história dos apaixonados pelo Brasil que decidiram, em plena ditadura, fundar um partido que se propôs a mudar o país, vencendo o medo. E conseguiram. E, para desgosto de alguns, conseguirão. Sempre.

São Paulo, 10 de outubro de 2012
José Genoino Neto

Responder

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 21h46

    Prezado Franco Atirador,

    Só não concordo com uma observação do Genoíno. A que diz:

    “Nesse julgamento, transformaram ficção em realidade. Quanto maior a posição do sujeito na estrutura do poder, maior sua culpa. Se o indivíduo tinha uma posição de destaque, ele tinha de ter conhecimento do suposto crime e condições de encobrir evidências e provas.”

    Teria admitido como correta a observação se ele em lugar de “estrutura do poder”, tivesse dito “estrutura do governo”. É por demais sabido que “uma coisa é ter o governo, outra coisa, muito diferente, é ter o poder”. E foi o professor Plínio de Arruda Sampaio quem disse isso. É público e notório. Está nos arquivos da imprensalona.

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2012 às 23h06

    .
    .
    Ou talvez quisesse mesmo dizer “estrutura hierárquica do poder executivo, do poder legislativo e, quiçá, até do poder judiciário, inclusive.
    .
    .

Luiz Fortaleza

10 de outubro de 2012 às 17h04

Com o impeachment do Collor, a esquerda teve o mesmo comportamento de êxtase, euforia… então normal.

Responder

    sandro

    10 de outubro de 2012 às 17h37

    Mas quem te disse que Collor sofreu impeachment?
    Ele renunciou e em seguida foi absolvido por falta de provas.
    Néh?

    Willian

    10 de outubro de 2012 às 21h16

    Collor agora é cumpanheiro….rs então, inocente…rs

João Brasileiro

10 de outubro de 2012 às 16h40

Olá

Para quem diz que é um mantra a expressão ” Condenaram sem provas”, basta ler jornais e revistas bem como ouvir na internet as declarações do procurador geral da república, o relator do processo e a maioria dos ministros dizerem que iriam condenar sem provas, no início do processo.
Todos aqui se lembram das expressões : ” A Verdade é uma quimera”, ” Provas tênues”, além de outas pérolas criadas unicamente para o julgamento desta Ação Penal.
Por ser um estadista como este país nunca teve, Lula agiu republicanamente, acreditando que os ministros indicados agissem republicamente e não midiaticamente.
Que pena!!
Temos muito o que fazer ainda para transformar este torrão em um país para todos!!!
Um abraço.

Responder

Marcos

10 de outubro de 2012 às 16h28

Abaixo-assinado de repúdio ao STF e solidariedade a José Dirceu, José Genuíno e ao PT.

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N30128

Responder

Luiz Rogerio

10 de outubro de 2012 às 15h56

Meu amigo Leandro, espere sentado, bem acomodado o judiciário julgar o mensalão mineiro, mas cuidado para não dar teia de aranha…

Responder

Daniel

10 de outubro de 2012 às 15h55

Houve um certo período da história da humanidade em que também era comum se julgar culpado sem provas de tal, a diferença é que o “culpado” ia para a fogueira.

O problema desse nosso país é que a mentalidade das pessoas que nele vivem ainda está na Idade Média. Não temos cidadãos, temos uma “corte” e temos “vassalos”, aonde os primeiros arrogam-se todos os privilégios possíveis (juízes indo e voltando para o trabalho com escolta policial como se fossem presidentes estrangeiros, desenbargadores aqui comprando carros de luxo com o dinheiro dos impostos, etc) e aonde os segundos (os “vassalos”) devem obedecer sem questionar ou são mortos pelos soldados dos “patrícios”.

Não somos uma república… Na prática somos uma “monarquia sem rei” aonde a figura do rei é exercida por uma meia dúzia de plutocratas, aonde a “corte” é exercida por uma legião de puxa-sacos que lambem os pés dos plutocratas esperando migalhas em troca, e aonde a “plebe” é representada por nós – povão – e que têm que aguentar tudo calada se quiser sobreviver aos desvarios e desmandos dos plutocratas.

EStá na hora de uma revolução francesa em Pindorama.

Responder

Jair Almansur

10 de outubro de 2012 às 15h10

Desculpa Leandro. O Lula fez o STF manipulavel…pela direita. Fez o Ministério Público manipulável…pela direita. Ou você acha que essa caterva não foi manipulada para ‘julgar’ como ‘julgou’.
“Quando os lobos julgam a justiça uiva”;

Responder

Eugenio C. Rebelo

10 de outubro de 2012 às 15h00

E a presidente Dilma enchendo a guaiaca do PiG de verbas públicas para que este siga em frente, alegremente, com suas opiniões publicadas.

Responder

    Arnaldo Luis Reis

    10 de outubro de 2012 às 19h19

    O amigo, talvez contaminado pela campanha iniciada por outro blogueiro, confunde as coisas!

    Não há “verba pública” enchendo o PIG…

    O q há é compra de espaço para PUBLICIDADE do Governo!

    E o Sr quer q o Governo faça publicidade (pra tentar ganhar as próximas eleições, pq é pra isso q serve publicidade de Governo) onde?

    Nos blogs progressistas?
    Na Carta Capital?
    Na Rede Record, arqui-inimiga da Globo?

    O critério mais correto é mesmo o de audiência!

    Não se deixe levar por tudo q o Sr anda lendo por aí… tem muita bobagem!

Apavorado por Vírus e Bactérias

10 de outubro de 2012 às 14h47

Será que haverá Mensalão Mineiro nesse Supremo? Será que as licenciosidades jurídicas serão utilizadas ali? Não vão. Estarão gilamres e barbosas a blindar o PSDB.

Supremo é para PPP e petista. Jefferson o delator prestou inomináveis serviços à elite asquerosa brasileira e a seus testas de ferro supremos. Mas parece que os Supremos Espertos deram com os burros n´água nesta eleição. Além da urna caixa preta para o segundo turno, que golpe preparam agora?

Já deram o Golpe do Papelzinho.
Deram o Golpe dos HCs cangurus.
Deram o Golpe do Médico monstro manipulador de fertilidade.
Deram o Golpe do Mensalão.
Qual será o próximo?
Será que vão dar o Golpe da Privataria Tucana?
E o Golpe do Mensalão Tucano?
E o Golpe de Furnas?
E o Golpe da Castelo de Areia?
Tem também o Golpe da Satiagraha ou, traduzindo, firmeza da verdade.
Tem ainda o Cachoeira que através da Delta chega ao ex futuro presidente Se-erra. Será mais um golpe?
Qual será o próximo golpe supremo?

Responder

    Paulo Spannenberg

    10 de outubro de 2012 às 16h31

    Não houve mensalão mineiro

    o que houve foi caixa 2 e será provado que todos os tucanos envolvidos são inocentes.
    sendo mais claro nem se precisará de provas.
    Se são tucanos são inocentes.
    Tudo que existe foi colhido de maneira irregular e as provas existentes DEVEM ser anuladas. As instâncias superiores oferecem facilidades pra Daniel Mendes e sua tucanada.

edson tadeu

10 de outubro de 2012 às 14h31

Acho que lula so esperava de Joaquim Barbosa, retidao,honestidade, e nao submissao ao pg a direita, lula esperava que como ele sendo filho de gente pobre que passou fome e teve dificuldade na vida ate para estudar, tivesse o bom senso de ver os caminhos que o Brasil tomou a partir de 2003, e que mesmo que tudo seja feito numa presunçao maliciosa um ministro da casa civil mais o presidente nao teriam tem suficiente para montar um esquema de tal envergadura como ele andou propalando APESAR DE TER DITO QUE VOTOU EM LULA E EM DILMA E NAO SE ARREPENDIA. se votou em SAO PAULO DEVE TER VOTADO EM HADDAD.Isso para mim deixa um contradiçao no que fez e no que disse. porque agora mesmo ele quer dar continuidade a armaçao da direita para abrir processo contra LULA, como entender o senhor joaquim barbosa, se ele nao se arrepende ele sabe que Lula fez pelo Brasil o que nenhum outro fez em 50 anos. So por isso acredito que ele esteja sim sendo pressionado pela oposiçao e o pig golpista.

Responder

    Apavorado por Vírus e Bactérias

    10 de outubro de 2012 às 18h43

    Joaquim Barbosa traiu os seus. Saiu daqui mas não é de lá. Está suspenso no ar. Já não serve para nenhum lugar.

lili

10 de outubro de 2012 às 14h21

Gente, por que as pessoas não saem às ruas? Cadê os movimentos sociais, cadê os intelectuais, cadê a esquerda? Não adianta ficar reclamando na blogosfera e no Facebook. O povo precisa ir às ruas, mostrar essa indignação que se vê na internet. E se ficarmos calados, hoje foi o Dirceu e o Genoíno. Amanhã será o Lula. É isso que eles querem! Uni-vos!!!

Responder

Willian

10 de outubro de 2012 às 14h19

Peraí: Lula tem 90% de aprovação, Dilma quase 70%. São só os restantes que comemoram? Só a direita? Então o Brasil todo é de direita. Do porteiro ao empresário, passando pelo taxista, garçon e o barbeiro, todos comemoram. Quem não comemora é a blogosfera. Se vocês saíssem de seu mundinho, veriam.

Responder

    Ricardo JC

    10 de outubro de 2012 às 17h20

    Onde você viu esta comemoração toda? No O Globo, na Folha de São Paulo e no Jornal Nacional? Amigo, lamento te informar, mas o nosso país e o nosso povo são muito mais do que isso. É só ver o resultado das eleições de domingo passado que você vai perceber…

    Márcia Nogueira

    10 de outubro de 2012 às 17h37

    É ele que não percebe que há vida fora da globo e veja!!!

    Orgulho de ser petista

    10 de outubro de 2012 às 18h04

    Aqui em Goiás, na cidade onde moro, todos comemoraram: a vitória da candidata do PT à prefeitura.
    Lá no estado do Rio, onde moram meus pais, todos também comemoraram: a vitória do candidato do PT à prefeitura.
    Em 600 e tantos municípios brasileiros, mais de 17 milhões de pessoas comemoraram: as vitórias do PT.
    Faltam agora os paulistas…

Bruce Guimarães

10 de outubro de 2012 às 14h19

O argumento de “condenou sem provas” não faz sentido algum se não vier acompanhado de uma boa justificativa baseada nos autos. Falar do que deixou de acontecer no governo FHC é simplesmente supor que poderia ser assim, ou poderia ser assado. Que bom, que o governo do PT nomeou pessoas independentes, mas não é assim que tem que ser? Ou tinha que ser diferente? No mais, é tomar cuidado para que o partido não cometa os mesmos erros, e o Dirceu e o Genoíno cumprir pena como deve ser em qualquer Estado Democrático e de Direito.

Responder

Arnaldo Luis Reis

10 de outubro de 2012 às 14h17

A indicação de Antonio Toffoli foi pra garantir q o STF seria isento?

é pra ser levado a sério?

e esse “mantra” petista de “condenado sem provas” vai ficar até quando?

e os outros “mantras” como o “O Mensalão nunca existiu” ou “era apenas cx 2” ou “o PT fez o q todo mundo faz”…

é… petista tem mesmo um jeito estranho de lidar com os fatos!

Responder

    Ricardo JC

    10 de outubro de 2012 às 17h23

    Se você considera fato o uqe sai publicado na Veja, no Globo, na Folha de São Paulo e no Estado de São Paulo…tudo bem. Agora, a experiência que eu tenho é bem diferente. Ali, quando está relacionado ao PT, pode dar um desconto de 90%…porque só 10% corresponde à realidade.

    Arnaldo Luis Reis

    10 de outubro de 2012 às 19h17

    eu vi as sessões do julgamento ao vivo… vc viu?

    nem preciso da Veja, Folha, Estadão ou Globo!

    os 2 petistas do STF ficaram sozinhos!

    Dizer q nem tinham provas pra condenar José Dirceu é achar q os 8 Ministros do STF estavam “combinados” com o PIG e com a direita golpista?

    E o Toffoli, petista de confiança de Lula, q votou pela condenação de Genoino… tava no esquema do golpe tb?

    Depois vcs querem ser levados a sério…

    Mário SF Alves

    10 de outubro de 2012 às 22h16

    Aí, Ricardo. Então? E desde quando o que houve ali – assistido in loco ou não – foi julgamento? Será que a Inquisição era chamada ou classificada como julgamento? Não seria justiciamento?

Maria Lucia

10 de outubro de 2012 às 13h52

Cronometraram com precisão o espetáculo infernal desse julgamento farsesco: primeiro turno, sob ameaças veladas e tabula rasa das leis; segundo turno,de sangramento, gota a gota, de Dirceu e Genoino, heróis da luta contra a ditadura militar, políticos com ideias e ideais nada favoráveis ao capitalismo, em sua fase neoliberal.
Um novo tipo de ditadura está presente o tempo todo: a ditadura midiática. Cada edição dos jornalões e revistonas, cada telejornal das grandes emissoras é uma peça ficcional, construída dentro das mais modernas técnicas de propaganda. Se a Guerra de Quarta Geração já tem muitos anos no ar, emerge agora a de Quinta Geração, em termos mundiais.
E nós brasileiros muitas vezes nem percebemos que estamos assistindo um espetáculo armado pelos grandes interesses econômicos que dominam o mundo.
Resta-nos travar a batalha de ideias, informar corretamente o povo trabalhador, torná-lo protagônico nas campanhas e vencer os pleitos no segundo turno. Não podemos nos desconcentrar.É hora de fazer campanha vinte e quatro horas por dia: nas ruas, na internet, nos intervalos do trabalho ou estudo,nos lares e nos bares. E essa campanha tem que ser de alto nível, confiante e esperançadora.
As palavras de Zé Dirceu e de Genoino nos dizem de seus espíritos fortes e combativos. Eles não se desesperam. Não nos desesperemos. Vamos partir para cima, com ânimo igualmente forte e combativo, cabeça erguida e todo empenho em ganhar essas eleições de segundo turno,em todo o Brasil.

Responder

Avelino

10 de outubro de 2012 às 13h45

Não é um mero julgamento o do ZD e Genoino, mas sim de uma classe social que tem pavor de povo, que está julgando e pouo se interessa pelas regras, desde que ganhem e estão ganhando.É a mesma classe social que ajudou no golpe, que julgou ZD, Genoino, Dilma entre outros. O STF ainda é área de sua influência.

Responder

João Vargas

10 de outubro de 2012 às 13h23

Lula foi eleito para isso: não continuar as práticas anti democráticas do seu antecessor. Justamente por isso houve imparcialidade no julgamento e os dirigentes do PT condenados. Abre precedente para a condenação de outros políticos afeitos a práticas escusas na condução de seus partidos. Houve um descompasso entre o novo governante e os dirigentes do PT que continuaram as práticas dos antecessores de Lula: “esquema bandido de financiamento de campanha”. Pagaram o preço.

Responder

trombeta

10 de outubro de 2012 às 13h16

Texto maravilhoso, muito bem escrito, conteúdo e estilo de primeira.

Como tenho dito, a simbologia do imprensalão fala mais do que os fatos: o mesmo tribunal que absolveu os militares assassinos da ditadura validando a aberração jurídica da lei de anistia condenou sem provas os heróis que lutaram contra o regime de exceção.

O tribunal da casa grande nada mais fez do que perpetuar a tradição terceiro-mundista e colonialista das elites latino-americanas sob os aplausos entusiasmados da minoria perdedora.

Responder

Eric

10 de outubro de 2012 às 13h14

Mimimimi…

Responder

    Marcio

    10 de outubro de 2012 às 15h53

    Eric

    Você não está passando bem? Tente um médico,um fonoaudiólogo porque quando um ser humano, diante de grave situação para a democracia, começa a se expressar por mimimi…mimi…., o caso é preocupante.
    É o reino animal superando o reino dos homens?

José BSB

10 de outubro de 2012 às 13h12

Os mesmo setores da imprensa que estão eufóricos com as condenações no mensalão tentam desesperadamente enterrar a CPMI do Cachoeira. O objetivo é preservar o mandato do governador tucano e poupar o jornalista da veja, ambos enredados até o pescoço com a organização criminosa.
Neste caso, as provas são abundantes sendo desnecessário reinventar jurisprudências ou recorrer a teorias que esbarram em princípios elementares do Direito.

Responder

    Leonardo

    10 de outubro de 2012 às 14h50

    É a imprensa ou o PMDB/PT que querem engavetar a CPMI do Cachoeira?

    José BSB

    10 de outubro de 2012 às 20h12

    Qual o partido que tem um governador ligado ao bicheiro e qual revista é o braço jornalístico da quadrilha?

JoãoP

10 de outubro de 2012 às 13h08

Lula e agora Dilma continuam injetando milhões e milhoẽs no PIG; não posso acreditar que eles pensem que assim agindo estão contribuíndo com o Brasil. Agora estamos assistindo a mais uma “contribuição” do PIG: pautar o STF e promover um julgamento ideológico! É bem provável que houve crimes com financiamento de campanhas, mas condenações sem provas é inaceitável em qualquer socidade civilizada.

Responder

José X.

10 de outubro de 2012 às 13h04

Dona Dilma, vamos acordar ? Coloque gente decente no STF, caso contrário a senhora corre UM GRANDE RISCO de se tornar a dona Lugo aqui do Brasil.

Não adianta querer apaziguar os reacionários de direita aqui no Brasil, a única linguagem que eles entendem é a força. E o judiciário, especialmente o STF, transformou-se na mais poderosa instituição do governo brasileiro, já que como disse o ridículo e intolerável Barbosa, “o STF não precisa prestar contas a ninguém”.

É preciso quebrar aquele monopólio corporativista que é o STF, caso contrário aqueles “juízes” vão conseguir fazer o que nem os políticos de direita e nem o PIG conseguiram fazer, que é destruir o projeto progressista para o Brasil criado pelas forças nacionalistas encabeçadas por Lula.

Responder

Luana

10 de outubro de 2012 às 12h50

Depois de ler as notícias e ouvir os comentaristas, percebi que estão todos felizes e ávidos para verem o funeral de Lula e não é uma metáfora, pois houve um que sugeriu que ele cometesse suicídio.

A mídia está há onze anos batendo nele, fez com que o mensalão ocorresse num período de eleição para destrui-lo. As igrejas pentecostais estão substituindo a igreja católica, quando as oligarquias derrubaram Vargas e também aplicaram o golpe em 64. O golpe não veio em 2003 com a espetacularização do mensalão.

O controle da mídia, a oposição, as igrejas pentecostais, o STF destruirão mais uma vez um governo trabalhista no Brasil?

O que dirão as pessoas pobres beneficiadas com as políticas públicas de inclusão social, altamente influenciável pela mídia e igreja? E destaque que a influência da mídia é mais acentuada na classe média, basta ver o Globo aqui, no Rio. O pobre é influenciado pelo Extra.

Ora, como será a ponderação destes eleitores:

1) Se mídia, STF e igrejas estão contra é por que de fato eles não prestam?

2) Não, minha vida tem sido transformada nos últimos anos e isto que eles dizem não condiz com a minha realidade e não o vejo desta forma.

E aí, o povo vai condenar Lula e os petistas como condenaram Vargas e Jango por influência da mídia e da Igreja?

Responder

    RicardãoCarioca

    10 de outubro de 2012 às 14h06

    Luana, no domingo passado o povo mostrou que não é mais influenciado pelo PiG. O povo não é bobo. É conversa de banca e de botequim a espetacularização e torcida do PiG pelo mensalão petista.

    Já ouvi de muitos (o que já era desde antes a minha opinião também) que é melhor o PT no poder, porque quando petista rouba, aparece nos jornais e vai a julgamento. Quando é um demotucano que rouba, não acontece nem uma coisa e nem outra. É melhor transparência do que obscurantismo.

    Mas é isso aí. Quero ver a direita continuar vibrando na hora dos julgamentos dos mensalões do PSDB e do DEM, continuar comemorando a nova jurisprudência de não mais precisar de provas para condenar uma pessoa.

Renato

10 de outubro de 2012 às 12h46

Estranho, os Petistas querem que a justiça decidem a favor do Partido e não da verdade.
Em relação ao Sr. José Dirceu, a condenação dele é justa. Mesmo que ainda que a tese do caixa 2 fosse aceita, já seria um crime contra a sociedade brasileira.
Errado foi o Lula em indicar o Dias Toffoli para STF. Membro do Partido.
Bom, esses erros estamos concertando.

Responder

    Eunice

    10 de outubro de 2012 às 13h10

    Você tem boa experiencia com processos?

    Só estamos reclamando de Dirceu ter sido condenado sem provas.
    Nada havia até este momento que permitisse condenar sem provas. Inventaram, assim, de ocasião. Esse é o problema e a população tem de ser esclarecida sobre isso.

    Leonardo

    10 de outubro de 2012 às 14h52

    Artigo 239 do Código Penal. Boa leitura pra você.

    Chomsky

    10 de outubro de 2012 às 14h12

    Pois é, “concertando”. Além de tudo é ANALFABETO. Deve ser assinante da Veja. Típico classe média brasileira: analfabeto funcional.

    Luís Carlos

    10 de outubro de 2012 às 14h20

    Errado. Queremos que seja decidido a favor da verdade, o que até agora não ocorreu, e sejam considerados as evidências documentais, as provas, que também não foi feito. Com esse moralismo seletivo da grande mídia bandida e hipócrita e de todos seus apoiadores neoliberais, não creio que o STF julgará processos que impliquem tucanos e demos, por exemplo. A desfaçatez é explícita. Não julgarão porque não têm compromisso com a verdade. Gilmar Mendes??? Dúvido.
    A verdade morre a cada texto editado e publicizado pela grande mídia. Os inimigos da verdade estão na imprensa golpista, que fazem da sua versão a única versão, A verdade. A liberdade está morta e sepultada pela grande mídia, defensora das corporações que se apropriam das riquezas públicas e coletivas. São esses mesmos que querem esse ataque violento contra o Estado de Direito, pois não acreditam nele, querem um Estado totalitário, para ser usado em exclusivo benefício. Genoíno já disse no domingo passado, “vocês (mídia) são torturadores. Não usam pau de arara, mas canetas e microfones”.

    Sérgio C. Franca - Piracicaba/SP

    10 de outubro de 2012 às 14h28

    Boa tarde Renato, Você diz em seu texto: Bom esses erros nós estamos CONCERTANDO.
    Primeiramente acredito não ser você nenhum especialista em processos jurídicos, pelo fato de cometer um erro infantil ao usar o termo CONCERTANDO em sua frase; pois esse verbo se refere à concertos musicais, etc…Sendo que a palavra correta seria CONSERTANDO com “S”, que significa reparando, corrigindo…
    Todo e qualquer réu deve realmente ser condenado; desde que para isso existam provas sustentáveis para tal, do contrário deve julgar pela absolvição…Nesse caso específico teve Ministro que chegou a declarar não existir provas, mas que estava condenando. Imagine só por um instante se no lugar desse réu; por um erro jurídico ou por falsa acusação você fosse ou alguém de seu convívio colocado diante de um Juiz que assim de declarasse; qual seria a sua reação? Não podemos esquecer que qualquer um de nós pode amanhã estar sentado ali no banco dos réus…

    ADEMAR RAMOS BRILHANTE

    10 de outubro de 2012 às 15h11

    Onde vai ser o CONCERTO,flauta,piano? kkkk

Manoel R.Mello Jr

10 de outubro de 2012 às 12h45

Caro Leandro,
É impossivel ficar no silencio , após essa barbaridade que foi cometido pelo STF. E a Cpi do Cachoeiira, da privataria tucana, da reeleição de fhc, da lista de furnas , da alstom , de Paulo Preto, de Cachoeirinha e tantos outros desmandos que foram cometidos pelo psdb e pela midia nojenta de SP.Como devemos proceder e os partidos progressistas deixarão passar em branco e aceitar o julgamento e a condenação sem provas do Genoino , José dirceu.Esta na hora do Povo Brasileiro e dos Partidos tomar uma atitude , para evitar m mal pior , para nossa Democracia.

Responder

Alberto

10 de outubro de 2012 às 12h42

Concordo que, apesar de todas as acusações e de estar comprovado que houve maracutaia com dinheiro público, “O fato é que José Dirceu foi condenado sem provas”, motivo mais do que sucficiente para que o PT se pronuncie publicamente sobre o fato. Está passando da hora. Por que não o fez? Por que deixa José Dirceu na arena com os leões? Por que José Dirceu solta uma nota solitária? Parece-me que o PT não tem coragem de se solidarizar com um dos seus maiores quadros políticos em desgraça.

Responder

Rose PE

10 de outubro de 2012 às 12h30

Leandro, eu também quero estar viva para ver esse julgamento, isso é, se realmente irá acontecer, pois algo me diz que não, afinal estamos assistindo um Supremo partidário unido com o PIG nessa tarefa vergonhosa.Resta-nos ter o discernimento desse Golpe nojento.

Responder

ricardo silveira

10 de outubro de 2012 às 12h29

O julgamento dos Tucanos, se houver, será diferente, muito diferente.

Responder

Vinicius Vergueiro

10 de outubro de 2012 às 12h16

Mensalão Tucano Julgado?

Só se o POVO FOR AS RUAS FAZER UMA PRESSÃO INSUPORTAVEL NO STT( SUPREMO TRIBUNAL TUCANO) ANTERIORMENTE CONHECIDO COMO STF

Responder

Wladimir

10 de outubro de 2012 às 12h16

Perfeito texto-análise de Leandro Fortes! Parabéns!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!