VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

CPI não vota convocação de jornalista da Veja


14/08/2012 - 13h15

por Luiz Carlos Azenha

O senador Fernando Collor (PTB-AL) disse, em reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito Mista que investiga a quadrilha de Carlinhos Cachoeira, que foi no dia 2 de março deste ano, uma sexta-feira, que os procuradores Alexandre Camanho de Assis, Daniel de Rezende Salgado e Léa Batista de Oliveira submeteram a dois repórteres da revista Veja, Gustavo Ribeiro e Rodrigo Rangel, a íntegra dos inquéritos que resultaram das operações Vegas e Monte Carlo, que corriam sob segredo de Justiça.

Collor identificou Alexandre como o braço direito do procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

O senador disse esperar que a informação levasse a CPI a aprovar os requerimentos que pedem a convocação do diretor da revista em Brasília, Policarpo Jr., e do proprietário da Editora Abril, Roberto Civita, para depor.

Collor disse que Roberto Gurgel é “uma peça apodrecida” dentro da Procuradoria Geral da República, “um criminoso, um prevaricador, um chantagista”.

Segundo o senador petebista, “no coração desta organização criminosa [a de Carlinhos Cachoeira] estão a Editora Abril e a PGR”.

Os requerimentos para convocação do diretor de Veja em Brasília, Policarpo Jr., e do proprietário da editora Abril não entraram na pauta de hoje da CPI, como se esperava.

“Não podemos ficar protelando aqui com um discurso de proteção da mídia”, afirmou o deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR), autor de um dos requerimentos, depois de dizer que a convocação não representará ameaça à liberdade de imprensa.

“Não estou pedindo condenação, nem dizendo que ele cometeu crimes”, disse o deputado em relação ao diretor da revista.

“Eu me preocupei, presidente, porque enquanto as vozes vem do esgoto da política, eu não me preocupo”, afirmou o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), em seguida. Segundo ele, convocar jornalistas representa “restrição, coação”.

Segundo Miro, a convocação de Policarpo Jr. seria o primeiro passo em direção a um estado policial.

“É assim que começam certos movimentos”, disse Miro Teixeira, depois de fazer um alerta a todos os jornalistas e aos meios de comunicação.

Para Miro, os jornalistas precisam entender “que esse é o primeiro e que outros virão atrás”. Ele disse que, aberto o precedente em nível federal, até mesmo prefeitos poderiam passar a coagir jornalistas.

A intervenção de Miro Teixeira veio em resposta ao discurso do líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto, que falou antes de Collor e Rosinha. Miro se disse surpreso com a manifestação da liderança petista.

Tatto, em sua fala, havia afirmado que o jornalista Policarpo Jr. participou ou foi citado em 73 conversas telefônicas grampeadas legalmente envolvendo os integrantes da quadrilha de Carlinhos Cachoeira. “Este jornalista, o nome dele vem aparecendo em todos os momentos da investigação”, disse o líder petista.

Depois de se referir à gravação clandestina, em vídeo, de autoridades do governo nos corredores do Hotel Naoum, em Brasília, onde residia o ex-ministro José Dirceu — que resultou em reportagem da revista Veja –, Tatto disse que Policarpo Jr. “na minha opinião atravessou o Rubicão”, ou seja, teria ido além da mera apuração jornalística.

Tatto disse que o jornalista “começa a envergonhar a categoria” e teria “usado a sua inteligência, a sua profissão e a revista Veja” para se aliar ao crime organizado.

Dizendo acreditar que “no momento adequado” a CPI vai convocar Policarpo Jr., o líder do PT na Câmara afirmou: “Que nós não tenhamos medo”.

O vídeo abaixo foi dica extraída do Conversa Afiada:

PS do Viomundo: A decisão mais importante da sessão administrativa da CPI foi reconvocar Carlinhos Cachoeira para depor.

Leia também:

Demóstenes a Cachoeira: “Show de bola, show de bola, aí vai ser show mesmo”

Livrando o policial Aredes e espionando o deputado Jovair

A foto que deu o que falar

CPI toma decisões importantes no dia 14

Collor acusa Gurgel de chantagear Demóstenes

CPI já convocou jornalista. E ele abastecia a mídia

Mulher de Cachoeira ameaçou usar dossiê contra juiz

O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido

Carta Maior: A quadrilha, a revista e as escolas chinesas

Venício Lima: Por que não?

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



78 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Leandro Fortes: Justiça em branco e preto « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de agosto de 2012 às 23h22

[…] CPI não vota convocação de jornalista da Veja […]

Responder

Peluso pede 6 anos de prisão para João Paulo Cunha « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de agosto de 2012 às 23h19

[…] CPI não vota convocação de jornalista da Veja […]

Responder

Mardones Ferreira

15 de agosto de 2012 às 11h12

Miro Teixeira e Poli fazem parte do mesmo partido:

O Partido dos Bandidos do Brasil – PBB.

Responder

Amaro

15 de agosto de 2012 às 10h38

Uma das intervenções do Miro Teixeira:
“Segundo Miro, a convocação de Policarpo Jr. seria o primeiro passo em direção a um estado policial”.

E eu coloco o que disse Protógeno: Jornalista bandido, bandido é.

Este miro teixeira é um gaiato.

Responder

    João

    15 de agosto de 2012 às 20h13

    aproveita e conta pra gente…

    de q crime o “jornalista bandido” Policarpo Jr está sendo acusado e por quem?

    pq segundo a investigação da Policia Federal (subordinada ao Min. da Justiça do Governo petista) ele não cometeu crime algum!

Ricardo Lima Vieira

15 de agosto de 2012 às 10h13

Abaixo, mensagem que enviei ao deputado Miro Teixeira, através do sítio de internet da Câmara dos Deputados:

Prezado deputado,

Não sou do seu Estado, mas acompanho seu trabalho e, no mais das vezes, só tenho elogios à sua firmeza e seu caráter.

Porém, frases pinçadas que recolhi em um blog de internet, e que teriam sido pronunciadas por V.Excia. – lembre-se, frases pinçadas, sem o contexto completo -, deixaram-me um tanto preocupado com uma possível defesa sua, sem limites, à famigerada “liberdade de imprensa”.

Digo “famigerada” pois, imbuído do espírito de que a imprensa precisa ser a voz que chama às falas os excessos do poder – qualquer poder -, também ela, a imprensa, não pode estar acima da lei, e qualquer um que bradar contra alguma ignomínia perpetrada por algum profissional de imprensa, não estará atentando contra a verdadeira liberdade de imprensa.

Não pode haver censura, em hipótese alguma! Chega de ditadura. Porém, a lei, em espírito, igual para todos, precisa ser colocada em prática.

Há sérios indícios – amplamente divulgados em setores da própria grande mídia (e penso que isso esteja além de mera rivalidade entre tais setores) – de ligação de um profissional da revista semanal de informação “Veja”, com a quadrilha de perigoso e influente contraventor do Planalto Central, e a CPI que o investiga não pode, em hipótese alguma, ser constrangida em seu dever de apurar qualquer um que esteja envolvido com tal criminoso.

Reitero que espero de V.Excia. que não se acanhe em seu dever de representar a população. V.Excia, pela grandeza de seu caráter e trabalho, não representa apenas o valoroso povo do Estado do Rio de Janeiro, mas a todos nós, brasileiros cumpridores dos seus deveres.

Grande abraço!

Responder

Go Oliveria

15 de agosto de 2012 às 09h46

Nas próximas eleições, conferiremos os caixas da campanha de Miro Texeira com os desembolsos do PïG.

O discurso é, realmente velhaco!

Responder

pperez

15 de agosto de 2012 às 09h17

Como Dr Rosinha propõe convocar o Civita e o Caneta para a CPMI se depende dos votos do PMDB partido que, atraves do Temer, propos um acordão com o PIG?
Já disse e repito: porque os escandalos do privataria Tucana,da Lista de Furnas e dessa sordidez do conluio da Veja com Cachoeira e Demostenes não sao explorados pelos partidos de esquerda no horario gratuito de TV?

Responder

RicardãoCarioca

15 de agosto de 2012 às 09h04

Miro Teixeira se elege com o eleitorado reacionário fã-teleguiados do PiG e ainda conta com generosas entrevistas na rede Esgoto. Esse eleitorado vota nele mesmo sabendo que o deputado nunca fará nada pelo seu eleitorado, pois está no cargo para pura e simplesmente defender o PiG.

É uma lástima, mas esse Miro nunca deixará de ser eleito com essa estratégia. A não ser que o PiG seja detonado, mas aí… é difícil.

Não foi à toa que o PSDB cedeu uma de suas vagas na CPMI para colocá-lo lá.

Cabe ao PDT uma explicação a respeito da permanência desse defensor de jornalista bandido em sua legenda.

Responder

ZePovinho

15 de agosto de 2012 às 09h00

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/policarpo-e-as-fitas-de-cachoeira

Policarpo e as fitas de Cachoeira
Enviado por luisnassif, qua, 15/08/2012 – 08:09

Por Jns

Bond Caneta, O Espião que Entrou Numa Fria

PJ confessa que participava pessoalmente das ações de espionagem de Cachoeira e Molina autenticava as gravações

A SRA. DEPUTADA ANN PONTES – Gostaria de refazer minha pergunta.
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Pois não.
A SRA. DEPUTADA ANN PONTES – Via de regra, quem repassava essas fitas para o senhor?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Ele mesmo, o Sr. Carlos Cachoeira.
A SRA. DEPUTADA ANN PONTES – Onde eram repassadas? Em que local? De que forma?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Deixa eu ver aqui. Foram várias ocasiões. A gente se encontrou… Precisamente essa fita que interessa, que foi a dos 4 milhões, me foi passada no Hotel Meliá, Brasília, onde ele estava hospedado e onde a gente se encontrou nesse dia.A SRA. DEPUTADA ANN PONTES – Só foram os dois, o senhor e ele?
O SR. POLLICARPO JÚNIOR – E o Alexandre Chaves.
A SRA. DEPUTADA ANN PONTES – O Alexandre Chaves.
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Isso.
A SRA. DEPUTADA ANN PONTES – Só para encerrar, o senhor alguma vez chegou às proximidades da casa do Deputado André Luiz, ficando no aguardo da entrega das fitas?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Cheguei, sim. Não no aguardo da fita exatamente, mas eles me informaram que naquele dia – eu não saberia precisar qual agora – haveria um encontro, e ainda estava na fase muito inicial, foi posterior a essa primeira conversa. Então, estava me cercando de todos os cuidados ali para saber se a história era verídica ou se tinha alguma outra coisa por trás. E pedi para que, no dia em que houvesse o encontro, me avisassem porque eu queria ver a chegada.
E, nesse dia em que houve o encontro no restaurante, às 11h da noite, efetivamente, houve o encontro do Sr. Jairo e do Deputado André Luiz na casa dele, no Lago Sul.
O SR. PRESIDENTE (Deputado Orlando Fantazzini) – Permita-me, Deputada… V.Sa. viu o Sr. Jairo entrando na casa?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Não o vi entrando, mas o vi se encaminhando para a casa…
O SR. PRESIDENTE (Deputado Orlando Fantazzini) – Para a casa?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – É. E fiquei esperando num restaurante próximo. E ele voltou com uma gravação com o Deputado André Luiz.
O SR. PRESIDENTE (Deputado Orlando Fantazzini) – Só o Sr. Jairo?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Só o Sr. Jairo.
O SR. PRESIDENTE (Deputado Orlando Fantazzini) – O Alexandre, você nunca o presenciou…
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Não, não, não.
O SR. PRESIDENTE (Deputado Orlando Fantazzini) – Não?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Não.

O SR. POLICARPO JÚNIOR – Deputado (Chico Alencar), é claro – tenho 15 anos de revista Veja, já passei por diversas experiências nessa área, algumas CPIs inclusive – e nos cercamos de todos os cuidados para não ser manipulados, embora, muitas vezes, sejamos manipulados por alguém. Mas cercamo-nos de
todos os cuidados para não ser manipulados, inclusive dolosamente, com objetivo escuso qualquer.
E, nesse caso, obviamente, cerquei-me de todos esses cuidados. Daí eu querer ver se o camarada está entrando na casa mesmo; eu querer saber o dia em que foi feita determinada gravação para ficar o mais próximo possível do desenrolar dos acontecimentos; daí eu ter ouvido todas as pessoas envolvidas; daí eu cobrar riqueza de detalhes. Inclusive, quando o sujeito foi na casa, eu queria saber se tinha tapete e de que cor era o tapete. Aí o camarada fala: “Não, não havia tapete, tinha um urso lá, não sei de quê, uma cabeça de urso branco.” Eu cobrava esse tipo de detalhe até para averiguar os reais motivos das pessoas que estavam me passando essas informações.
Eu acho que os procedimentos jornalísticos rigorosos nesse caso foram efetivamente usados. Não houve manipulação.

O SR. POLICARPO JÚNIOR – O Dr. Ricardo Molina é considerado, pelo menos no meio jornalístico, um dos maiores especialistas nessa área, e a gente o consultou na condição de especialista. Eu já tinha a convicção, porque estava acompanhando os contatos, sabia quais eram as duas vozes. O cuidado que efetivamente a gente teve ao consultá-lo foi saber se naquela gravação que interessava teria havido algum tipo de montagem e se a voz realmente era do Deputado André Luiz. E assim foi feito. Foi uma consulta a um especialista, não foi formal, não teve contrato, nada disso.
O SR. CLÉLIO TOFFOLI JÚNIOR – Então, essa consulta foi graciosa? Não houve pagamento, não houve remuneração ao perito, o perito trabalhou de graça?
O SR. PRESIDENTE (Deputado Orlando Fantazzini) – O perito teve honorários?
O SR. POLICARPO JÚNIOR – Não, não foi contratado, foi consultado.

Mais do depoimento de Mentecapto Junior, da Veja, no Conselho de Ética da Câmara no dia 22 de fevereiro de 2005:
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/documentos/depoimento-de-policarpo-junior-no-conselho-de-etica-da-camara-no-dia-22-de-fevereiro-de-2005/

Responder

Elton

15 de agosto de 2012 às 08h30

O ilustre Sr. Miro Teixeira se esquece que o povo foi quem elegeu o governo que ai esta, portanto de que coação ele esta falando? Com certeza não é da coação do povo que clama por justiça. Provavelmente ele fala da coação a qual esta sofrendo! Cabe a pergunta: Quanto recebe esse ilustre Sr. dos barões da mídia para coagir em publico a vontade do povo?

Responder

Sérgio

15 de agosto de 2012 às 03h28

Por que o Sr.Miro Teixeira insiste em poupar um elemento suspeito de graves crimes ?
Preste atenção fluminenses e cariocas, olho vivo.

Responder

Sérgio

15 de agosto de 2012 às 00h14

Embrulha o estômago lembrar que um dia, há décadas, eu votei nesse
Miro, que hoje está acabando desse jeito.

Responder

Marat

14 de agosto de 2012 às 22h58

Obrigar uma pessoa a ser honesta, e inquirí-la acerca de graves suspeitas, é coação? O modo de pensar de Miro é preocupante. Ele parece apoiar irresponsáveis, que com um texto meticulosamente planejado e sordidamente manipulado, destrém reputações!

Responder

Zé Brasil

14 de agosto de 2012 às 22h37

No mínimo curiosa a posição atribuída a Michel Temer ao que parece provendo blindagem ao PIG, pela não convocação de policarpo e civita para deporem na CPMI.

Estaria ele de algum modo, como se diz lá na roça à respeito das galinhas que serão vendidas vivas nas feiras livres e tẽm seus pés amarrados com embiras de bananeiras,sendo chamadas de peiadas.

Será que a turma do cachoeira-veja-demóstenes-arapongas passaram a peia(êpa!) no Temer, imobilizando-o politicamente?

Responder

JC Tavares

14 de agosto de 2012 às 22h05

Esse Miro Teixeira está em partido errado. Ele é tão salafrário quanto os bandidos da Editora Abril, que infelicitam essa nação. É um judas, um verdadeiro traíra da pátria.

Responder

Rogério

14 de agosto de 2012 às 22h04

Pelo “raciocínio” desse elemento, há categorias que podem fazer o que bem entenderem, qualquer crime, como esse meliante do Policarpo, associado a uma quadrilha de âmbito nacional.
Alguém deveria dizer a esse imbecil que jornalistas são perseguidos, às vezes mortos, no território brasileiro, tentando exercer com dignidade seu ofício.
Algo muito diferente do que faz esse sabujo do grupo abril, Policarpo, pilantra de marca maior, bandido travestido de jornalista!

Responder

Paciente

14 de agosto de 2012 às 21h57

Miro quer ser capa da…

Veja, o Policarpo terá algum dossiê sobre…

Ele atira e os financiadores de campanha dele dizem, deixa que eu…

Miro quer ser capa da…

Veja, o Policarpo terá algum dossiê sobre…

Ele atira e os financiadores de campanha dele dizem, deixa que eu…

Responder

Gerson Carneiro

14 de agosto de 2012 às 21h57

Ahhhh… esse Miro Teixeira (PDT-RJ) deve ter rabo preso. É bom ficar de olho.

Responder

Paciente

14 de agosto de 2012 às 21h51

Goebbels era jornalista.

Responder

Otto Nelson

14 de agosto de 2012 às 21h31

Azenha
veja esta matéria publicada no jornal O Povo

http://www.opovo.com.br/app/fortaleza/2012/08/14/noticiafortaleza,2899315/show-de-placido-domingo-custara-mais-de-r-3-mi-ao-governo-do-estado.shtml

Enquanto a Prefeita Luiziane Lins teve dificuldades em conseguir verba para terminar o Hospital da Mulher, que custou R$ 88 milhões e cerca de R$ 3 milhões mensais para mantê-lo em funcionamento, o Governador Cid Gomes gastou quase meio bilhão de reais para construir um centro de eventos e R$ 3 milhões com o cachê do tenor Plácido Domingo para a inauguração.A apresentação do tenor é somente para convidados do Governador e Wesley Safadão no próximo sábado fará a apresentação de gala para o povão.

Responder

    Meiacana

    15 de agosto de 2012 às 00h54

    Plácido Domingos para apresentação na Casa Grande e Safadão para a Senzala? O povo não tem direito a boa cultura? Você só pode estar brincando…

Luiz Fortaleza

14 de agosto de 2012 às 21h31

Infelizmente Collor está fazendo o papel da OPOSIÇÃO DE ESQUERDA, pq a nossa esquerda tá uma merda. PQP.

Responder

    Moacir Moreira

    14 de agosto de 2012 às 22h10

    Nos anos 80, o PSDB era considerado de esquerda e o PT de extrema esquerda.

    Portanto, nada de surpreendente que o Collor assuma este papel hoje em dia.

neopartisan

14 de agosto de 2012 às 21h30

Nesta linha chaguista, o julgamento do jornalista Pimenta da Veiga terá sido um ataque à liberdade de imprensa.

Responder

Fabio Passos

14 de agosto de 2012 às 21h23

A denúncia de Collor é nitroglicerina pura!

PGR e quadrilha veja mancomunados em crimes gravíssimos.
Collor informou o crime, deu o nome dos pilantras que o cometeram, e disse onde e quando aconreceu.

Até quando esta bandalheira vai continuar sem que a CPI tome uma atitude?

Responder

Bonifa

14 de agosto de 2012 às 20h51

Em todos os seus noticiários sobre o julgamento, a Globo fez edições descontextualizadas mostrando os advogados proferindo falas de efeito apenas argumentativo, “Ad argumentandum tantum”, como se fossem afirmações cabais dos causídicos. “Fulano não sabia da origem criminosa do dinheiro”, etc.. Aí,a Globo passa a idéia de que o advogado teria admitido implícitamente a origem criminosa do dinheiro, quando o causídico está apenas se utilizando de uma suposição “ad argumentandum tantum”. Isso é ou não é má fé? Isso é um crime evidente contra o juízo dos telespectadores.

Responder

Fabio Passos

14 de agosto de 2012 às 20h39

Vamos escrever para os congressistas cobrando a convocação de policrápula jr e rupert civita.

Confiram os e-mails:

“Pressione a CPI a chamar o Caneta
Chame você também o Caneta e seu patrão, o Rupert Civita !”
http://www.conversaafiada.com.br/pig/2012/08/14/pressione-a-cpi-a-chamar-o-caneta/

Eu escrevi p/ Miro Teixeira e coloquei todos os outros em cópia.
Perguntei se ele faz parte da quadrilha e por que defende os comparsas do contraventor. rsrs

Responder

Fabio Passos

14 de agosto de 2012 às 20h16

Isto também deve ser efeito da chantagem e das ameaças que o joão roberto marinho fez para tentar blindar o PIG nas investigações.

O PIG é a organização mais corrupta do Brasil.

Responder

Luz

14 de agosto de 2012 às 20h03

Azenha, Conceição, pra ser franco estou gostando muito de tudo isso, pois, eles estão encuralados, sangrando e que se f…dam, vai chegar o momento que não irão conseguir segurar.

Enquanto não saem algumas convocações vamos minando a pouca credibilidade deles… as eleições estão aí, vamos conzinhando o galo, vamos mantendo as atenções voltadas para a CPMI do Cachô.

Vamos queimando os Miros e seus pares, continuemos expondo a grande imprensa e seus funcionários canalhas, e olha que são muitos… que dizer temos tempo. Sejamos paciêntes.

Enquanto o Poli Caneta não for convocado, o nome dele que pouco a grande imprensa noticia, a gente vai aqui espondo. A mesma coisa faremos com os parlamentares que não votarem favoráveis às convocações dos envolvidos.

Vamos comendo pelas beiradas para não queimarmos a língua.

Antes apostavam que não teríamos nem CPMI, agora já estamos discutindo que figuras inimagináveis anterormente, se sentarão ou não no banco para prestar esclarecimentos.

Calma, muita hora nessa cala! kkkkkk

Tão boa quanto a trepada, são as preliminares… (hummm será que o Azenha e a Conceição?) deixarão isso passsar?)

Abraço a todos

Responder

Gersier

14 de agosto de 2012 às 19h33

ô sujeitinho asqueiroso esse tal de miro.
A mesma ladainha dita pelos outros da “confraria”.
Estado policialesco não pode,mas denegrir imagens,ferir a reputação de inocentes pode né seu miro?
Só não vou adjetiva-lo com um certo palavrão em respeito ao Azenha e aos que acessam esse blog.
Vc,ô bajulador dos marinhos e cívitas da vida, com certeza ainda acredita que tanto a famigerada globo,como o folhetim de fofoca veja tenham alguma influencia sobre grande parte da população brasileira.
Asqueiros,vc merece nosso total desprezo,não tenha dúvida.

Responder

eraklito

14 de agosto de 2012 às 19h15

Parabéns, Collor.
Mais uma vez, você mostrou que tem “SACO ROXO” e não se intimida com esses bandos de jornalistas imbecís.

O povão está ao seu lado.
Vá pra cima deles, porque na verdade, esses hipócritas jornalistas sozinhos são uns medrozos.

Responder

Horridus Bendegó

14 de agosto de 2012 às 19h14

Por suas perorações, Miro Teixeira é suspeito!
Aliás, o que bandido travestido de político mais teme é um “estado policial”

Responder

    Fabio Passos

    14 de agosto de 2012 às 20h13

    O miro teixeira, ao invés de aprofundar as investigações, está deliberadamente protegendo os comparsas de carlinhos cachoeira: policrápula jr e rupert civita.

    Parece que demóstenes torres não era o único congressista que fazia parte desta quadrilha…

Pedro

14 de agosto de 2012 às 18h43

Essa posição do Miro não convence ninguém. No mínimo é chamar a gente de ignorante. Ele quer reviver a época em que as corporações mandavam no mundo? História, seu Miro, a gente não aprende na escola.

Responder

Bernardino

14 de agosto de 2012 às 18h17

Liberdade de Imprensa é eufemismo para a bandidagem midiatica mandar e desmandar nas pautas politicas doPaís.A culpa em grande parte é dos politicos de todos os partidos todos sabujos da grande imprensa.È a velha covardia porttuguesa no genes de todos
Se nao me engano colocoram na constituiçao um item que veda o país ter armas nucleares,issso sim é apologiaa da COVARDIA.Se sao covardes no atacado imaginem no VAREJO!!!!
É a unica naçao com territorio grande sem armas nucleares:RUSSIA-17milhoies de km2 tem;CANADA-10,5milhoes de km2 tem a rainha britanica é a chefe de estado;CHINA-9,6 milhoes de km2 tem;EUA-9,3 milhoes de km2 tem e Brsil-8,5 milhoes de km2 uma vergonha so tem estilingue e espingardas enferrujadas.È um caso da geopolitica mundial!!!

Responder

Alex Mendes

14 de agosto de 2012 às 18h11

Tem Jornalista honesto, tem jornalista bandido…
Tem Policial honesto, tem policial bandido…
Tem Médico honesto, tem médico bandido…
Tem Engenheiro honesto, tem engenheiro bandido…
Tem Político honesto, tem político bandido…

Tem Jornalista honesto, TEM JORNALISTA BANDIDO!

Por que o Sr. Dep. Miro teixeira acha que só existe jornalista honesto? Tá brincando conosco, Miro?

Responder

    Fabio Passos

    14 de agosto de 2012 às 19h16

    O que miro teixeira conseguiu demontrar é que há um deputado desonesto nesta CPI.
    Um deputado que é pau-mandado das oligarquias corruptas da mída.

    Eles acham que ninguém percebe…

Yarus

14 de agosto de 2012 às 17h55

Fora de pauta.

Vai dor $$$ pro CRIANÇA ESPERANÇA?
ONG da Globo garfou R$ 2,9 milhões dos cofres públicos às custas da UNE
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/06/ong-da-globo-garfou-r-29-milhoes-dos.html

Responder

    Almir

    14 de agosto de 2012 às 21h12

    Criança EsperTança afanando otários, como sempre.

Bonifa

14 de agosto de 2012 às 17h50

Ao tempo da ditadura, por associação de blindagens, até um soldado raso da polícia militar era absolutamente intocável e inimputável. Na ditadura midiática que infelizmente ainda não morreu e de certo modo continua vigindo, até um Policarpo notório como esse incorpora um tabu que faz recuar muito político covarde.

Responder

abolicionista

14 de agosto de 2012 às 17h48

Está claro que Miro Teixeira não agiu por convicção. “E político do PDT tem convicção?”, seria legítimo perguntar. Acho que alguns têm, mas, no caso de Miro Teixeira, ele nem se preocupou em fingir que tinha convicções. Seu argumento, estapafúrdio, é simplesmente o de que não se pode convocar um jornalista. Como se um jornalista já não tivesse sido convocado…

A única questão importante é: em que medida Miro Teixeira tem o rabo preso com o PIG? Além disso, e talvez isso só venha à tona daqui a alguns anos (se é que virá), por quanto se vendeu?

Responder

Ricardo JC

14 de agosto de 2012 às 17h42

Miro Teixeira personifica hoje a mais vergonhosa face da representação política do Estado do Rio de Janeiro. Que não seja eleito nas próximas eleições parlamentares, pois não honra (e não representa, com sua atuação comprometida com os interesse excusos) o povo que o colocou lá.

Responder

Carlos Lima

14 de agosto de 2012 às 17h26

Então Sr. MIro Teixeira, jornalista aqui no Brasil do Senhor pode cometer crime, coagir gangster para fabricar notícia, se isso não é o porão do esgoto da mídia, o Sr. talvez esteja também acima da lei pelo cargo que ocupa Sr. Miro. A inglaterra deve ter saído do porão ao convocar donos de jornais que fazia até menos que o Sr. policarpo fez. Sr. Miro, se o Brizola estivesse vivo o Sr. ia ser chamado de algum outro nome que talvez viria do mesmo esgoto que Senhor menciona com tanto carinho. O Sr. faz papel de Bacural e defensor dessa baderna que condena, julga primeiro que a justiça, Sr. Miro o senhor é uma vergonha e se fosse honesto consigo mesmo, falaria das vozes que não te preocupa e quem são os entoadores dessas vozes e de que esgoto vem, pois acho que o seu esgoto tem odor da fraqueza, do mêdo e da vergonha.

Responder

ZePovinho

14 de agosto de 2012 às 17h20

Três matérias que ilustram o que pode estar por trás do desespero da Globo et caterva.Ou seja:podemos estar diante da possibilidade,concreta, de revelarmos para todo o Brasil o maior esquema de uso de concessões públicas de TV,ALIADAS AO CRIME ORGANIZADO,para extrair benesses estatais como o famoso Portão 4 do Galeão,que segundo os agentes de turismo do Rio era usado para o contrabando de equipamentos(e sabe lá o quê mais) para a a Globo no passado.Isso com a apoio de criminosos dentro do ministério público,STF,etc:

http://www.blogdacidadania.com.br/2012/08/toffoli-e-a-armadilha-da-globo/

Tóffoli e a armadilha da Globo

http://www.blogdacidadania.com.br/2012/08/noblat-livra-toffoli-de-noblat-2/

Noblat livra Tóffoli de… Noblat

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/08/14/collor-procuradores-entregaram-investigacao-secreta-a-veja/

Collor: procuradores entregaram investigação secreta à Veja

E se o Caneta tiver repassado os documentos ao Cachoeira? O que dirão Gurgel e a Corregedoria do MP?

Responder

roberto vianna

14 de agosto de 2012 às 16h56

qual o espanto com as atitudes do deputado miro teixeira?afinal ,sua carreira foi forjada no “chaguismo”,empregadinho que era do pernicioso ex governador fluminense chagas freitas.

Responder

Panambi

14 de agosto de 2012 às 16h52

Os jornalistas acreditam que estão acima de Deus…e o Dep. Miro Teixeira tem absoluta certeza disto.

Responder

Coutinho

14 de agosto de 2012 às 16h47

Fiquei pasmado com a atitude do deputado. Este é que representada um perigo, pois está sendo conivente com o arauto de uma quadrilha; está dando sinal verde para uma imprensa suja, de baixo nível. Quer dizer que a mídia pode dizer o que quiser, de quem quiser, quando quiser e como quiser, sem qualquer responsabilidade? É certo que não estamos na Inglaterra, nem gosto de comparações, mas o diretor de um tabloide sujo de lá teve que responder processo. E não houve essa chiadeira do deputado.

Responder

marta

14 de agosto de 2012 às 16h11

Também não entendi esse argumento do Miro Teixeira. É um argumento muito vago e assim mesmo, convenceu? Para ele jornalista pode ser bandido, criminoso e nada acontece, porque se acontecer é tirar a liberdade de imprensa? Onde está a lógica disso, agora a expressão “tirar a liberdade de imprensa” virou escudo para jornalistas fazerem o que bem entenderem?

Responder

Wagner

14 de agosto de 2012 às 16h06

Eu não concordo em atribuir todos os males do Brasil à grande imprensa, nem acredito que TODOS os escândalos são fabricados.

Mas que a Veja é um caso à parte, não resta dúvida.

Ademais, se o Policarpo foi tão citado nas escutas, etc, porque não pede, ele próprio, para dar sua versão perante a CPI? Concordam que se estivesse de cara limpa seria o primeiro a querer depor?

Do que esses nossos parlamentares têm tanto medo? Dossiês secretos talvez?

Responder

Fernando

14 de agosto de 2012 às 15h47

Este Miro Teixeira é um canalha vendido, se alma sentir vergonha, imaginem como deve estar a do Brizola, por ter este deputado vagabundo no partido dele.

Responder

Aracy

14 de agosto de 2012 às 15h42

Miro Teixeira é o Carlos Lacerda do século 21?

Responder

Maria

14 de agosto de 2012 às 15h41

Sinto nojo quando assisto manifestações como a do deputado miro teixeira. O sujeito é pequeno e ao que parece extremamente comprometido com veja, globo e outras organizações. . Alegar atentado a liberdade de imprensa ao se querer convocar um sujeito que se associou a criminosos p obter benefícios de qq natureza é demais, é uma afronta a inteligência . Onde nós estamos? Quem disse que jornalistas estão acima do bem e do mal? Jornalista canalha deve ir para a cadeia do mesmo jeito que qq outro profissional que cometa crime. Esse Policarpo por tudo que já foi mostrado pela mídia das investigações feitas pela Polícia Federal cometeu não um, mas vários crimes. Penso que esse jornalista(?) deve ter feito com a ajuda do Cachoeira vários dossiês dos membros da Cpi que não querem convoca-lo. Só assim se explicaria tamanha leniencia e prevaricação. Agora não depende de vontade de um ou outro. É obrigação convocar essa criatura. A opinião pública exige a convocação dos supostos pseudo jornalistas safados que envergonham a classe.

Responder

    maria olimpia

    14 de agosto de 2012 às 17h04

    Maria,
    Concordo com você. e, mais, por todo o material da PF, esse “jornalista” já deveria estar na cadeia. Quem sabe ele não tem um dossiê do próprio miro teixeira e por isso ele defende tanto a NÃO ida do mesmo à CPMI?

fabio

14 de agosto de 2012 às 15h40

Em vez do MIRO ficá defendendo o indefensável POLI, deveria está convercendo os membros da comissão, daqueles que não querem o convocar o nobre jornalista a depor sobre a sua participação nessa quadrinha.

Responder

ZePovinho

14 de agosto de 2012 às 15h37

O Miro Teixeira,ao que tudo indica e segundo outros sítios,é sócio de um escritório de advocacia que está na entourage do Carlinhos Cachoeira:

http://advivo.com.br/blog/luisnassif/como-o-deputado-miro-analisaria-o-advogado-miro

Como o deputado Miro analisaria o advogado Miro
Enviado por luisnassif, sab, 16/06/2012 – 11:01
Autor:
Luis Nassif

A grande dificuldade dos Catões é que precisam ter uma vida pública irrepreensível, caso contrário tornam-se vítimas das fogueiras que acendem.

Historicamente, o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) é um grande Catão. Foi o primeiro a trazer à baila a suspeita do encontro, na Alemanha, do Ministro Gilmar Mendes com o senador Demóstenes Torres e o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Depois, lançou a sombra da suspeição sobre todos os membros da CPI, ao insinuar que estava dominada por uma “tropa do cheque”. Toda essa insinuação se baseou em um encontro, em Paris, de dois parlamentares com o presidente da Delta Construções – até então, uma das maiores empreiteiras do país. Pode ser que o encontro tenha sido fortuito, pode ser que para acertos. Mas o deputado, fiel às suas raízes jornalísticas, atirou primeiro e não perguntou.

Agora, revela-se que o advogado Miro Teixeira tem 200 cotas do escritório de advocacia Eduardo Ferrão (clique aqui, do Blog Amigos do Presidente Lula).

Como é de praxe, com os os Catões, a revelação sobre as atividades do advogado Miro Teixeira certamente despertaria no deputado Miro Teixeira suspeitas muito mais profundas do que um mero jantar em Paris entre figuras públicas.

Vamos às dúvidas suscitadas pela informação.

1. O fato de ter apenas 200 cotas do escritório não o absolve, pelo contrário: mostra-o como um colaborador eventual. No modelo dos escritórios de advocacia, o pagamento aos sócios independe de sua participação no capital total do escritório. As poucas cotas revelam que Miro era um colaborador para trabalhos específicos.

2. O escritório é um dos mais ativos participantes em dois dos maiores mercados advocatícios do país: demandas empresariais e escândalos federais. Disputa as maiores contas com Márcio Thomaz Bastos, Luiz Antonio Oliveira Lima e Kakai, entre poucos outros.

3. Miro não tem notável saber jurídico. Mas detem influência sobre os dois principais vetores de escandalização: as CPIs e a imprensa. Nas CPIs, participando praticamente de todas dos anos 90 para cá. Na imprensa, defendendo ideias caras à velha mídia: como a de que o direito de resposta compromete a liberdade de imprensa e a publicação de documentos secretos ou obtidos de forma criminosa é um direito do jornalista e um problema da fonte. Foi autor da iniciativa que acabou com a Lei de Imprensa e o principal guerreiro da Abril para evitar a CPI da TV A. Se houvesse um leilão para avaliar o político que todo escritório de advocacia especializado em escândalos brasilienses gostaria de ter, Miro seria o campeão.

Teoricamente (enfatizo: teoricamente) um deputado com esse poder de fogo poderia atuar das seguintes maneiras na área advocatícia:

1. Atacando grandes contas de suspeitos que não aceitassem contratar o escritório de advocacia ao qual o Catão é ligado. Como o implacável Miro poderia se voltar contra clientes do escritório do qual é sócio?

2. Sendo contratado pelo escritório depois de ter prejudicado alguns casos com suas catilinárias. O famoso cala-boca.

3. Atuando junto à mídia para desviar o foco do cliente do escritório ou para abrandar o fogo das acusações; e junto às CPIs para trazer informações relevantes ou desviar o foco.

Se o deputado Miro Teixeira fosse incumbido de analisar o papel do advogado Miro Teixeira, quais seriam as suspeitas? Enfatizo: apenas suspeitas que precisam ser investigadas, não sentenças definitivas. Mas, repito, se o episódio fosse submetido à leveza com que o deputado Miro ataca reputações alheias (independentemente de serem ou não virtuosas), haveria as seguintes suspeitas:

1. Está claro que o alvo de suas ações é a Delta Engenharia. É uma boa batalha política: todos estamos curiosos em saber a extensão da atuação da Delta. Mas, por outro lado é o bolo mais disputado pelos grandes escritórios de advocacia, o maior pacote advocatício da República dos escândalos desde o caso Opportunity. Pergunta: o escritório Ferrão atua em alguma ponta? Tentou se aproximar da Delta e foi rechaçado? Qual o quinhão do bolo com que o escritório foi contemplado, se é que foi?

2. O escritório Ferrão foi defensor de Fernando Sarney em um episódio que começou em 2008. O deputado Miro Teixeira foi um dos mais férreos denunciadores de Fernando Sarney. Na época, Miro já era sócio do escritório ou a sociedade foi celebrada depois apenas?

3. Quais os pagamentos efetuados até agora pelo escritório a Miro Teixeira, e referentes a quais trabalhos? São questões mais cabulosas do que meros encontros em Paris, convenhamos, na certeza de que o deputado Miro Teixeira terá elementos concretos para absolver o advogado Miro de todas as suspeitas.

Responder

Moacir Moreira

14 de agosto de 2012 às 15h15

Defender os bandidos vagabundos e ordinários que se apossaram dos meios de comunicação do Brasil a partir do golpe nazi-fascista de 64 sob o argumento de proteger a livre expressão criminosa seria o mesmo que dar voz ao Carlinhos Cachoeira em editorial do Jornal Nacional fazendo apologia de suas atividades econômicas pouco éticas.

Não se pode confundir democracia com liberdade total e absoluta para delinquentes que desrespeitam cotidianamente os ditames legais mais comezinhos de nossa Carta Magna por mais remendada e desfigurada que esteja no presente momento por obra e graça desses mesmos mafiosos e seus advogados do diabo.

Responder

    Miguel

    14 de agosto de 2012 às 17h48

    Antes mesmo de ler esta página eu mandei minha mensagem de indignação ao Dep. Miro Teixeira, com cópia para outros deputados como Jilmar Tatto e Rosinha. Miro Teixeira envergonha o estado do Rio de Janeiro.

    Sugiro que todos façam o mesmo: [email protected], [email protected], [email protected]

    Ele acha que só porque a notícia não sai na Globo (adivinha porque!) os eleitores não estão sabendo o que ele faz em Brasília. É inacreditável.

Maria Izabel L Silva

14 de agosto de 2012 às 14h35

Desde quando jornalista não pode depor em comissão institucionalizada para tal?? Qual é a lei que diz que jornalista é intocável??? O deputado Miro Teixeira tem “rabo preso” com a Veja? Só pode. Ele não viu a materia que esta na Carta Capítal dessa semana?? Por que depor na CPI seria coerção?? Se a CPI promove um inquerito, como o proprio nome já diz, os depoimentos são para elucidar os fatos e não para “coagir”. Miro Teixeira joga para a “platéia”, leia-se PIG. Quer fazer pose de mocinho. Com essa ele ganhou 100 anos de blindagem na midia golpista. Pode fazer o que quiser …

Responder

Geysa Guimarães

14 de agosto de 2012 às 14h31

Show de bola e show de poder.
4o Poder, a Imprensa?
Uma ova!
Misturada com a banda podre dos demais poderes, ela permanece INTOCÁVEL!

Responder

Mardones Ferreira

14 de agosto de 2012 às 14h24

Miro Teixeira sabe muito bem a diferença entre bandido e jornalista, tanto que usa seu mandato para proteger o poderoso-chefão da gangue da mídia brasileira, o Sr Civitta.

Com um representante como o Miro quem precisa de capangas?

Proteger a gangue da mídia brasileira é uma das funções de muitos políticos brasileiros. O Miro é um deles. Outro é o Temer, o vice-presidente do Brasil.

Responder

Genghis Khan

14 de agosto de 2012 às 14h20

Espero que os eleitores do Rio de Janeiro,sempre tão poliizados, dêem a resposta a esse cidadão. Deputado é eleito para servir aos interesses da sociedade e não de uma societas sceleris. Que ele seja lembrado no momento oportuno. Aliás, os eleitores do rio deveriam entupir a caixa de email desse deputado que, na verdade, não passa de um office boy dos filhos do ‘doutor’ roberto. Vergonha alheia, miro!!!

Responder

mello

14 de agosto de 2012 às 14h13

Miro Teixeira envergonha os Fluminenses e cariocas….Virou um lacaio da ANJ e do o globo !

Responder

Valmont

14 de agosto de 2012 às 14h09

Como diz Requião: pisaram no rabo do gato. Vejamos por quais bocas o bichano mia. Miro Teixeira (PDT) já miou. Esperemos o próximo.

Responder

O_Brasileiro

14 de agosto de 2012 às 14h03

E depois falam do corporativismo dos policiais, dos juízes, dos médicos…

Responder

Nisio

14 de agosto de 2012 às 13h58

Cabe a Blogosfera e aos cidadãos conscientes construirem campanhas para alijar o dep. Miro Teixeira na próxima eleição e ao mesmo tempo questionar o PDT sobre sua presença no Partido. Está sempre defendendo interesse dos barões da mídia, e há muito tempo já pulou o alambrado. Deveria ser expulso do PDT, partido com uma história de luta em defesa dos injustiçados e das desigualdades sociais em contrário ao PIG.

Responder

trombeta

14 de agosto de 2012 às 13h57

Miro Teixeira, estado policial é o que seus amigos da mídia fazem com a democracia brasileira.

Esse nunca me enganou!

Responder

Augusto Soares

14 de agosto de 2012 às 13h57

Logo logo convocam o Caneta.

Tudo a seu tempo.

Já o Gurgel e a esposa estão, digamos, em maus lençóis.

(E o corporativismo, ó . . . )

Responder

Fabio Passos

14 de agosto de 2012 às 13h48

miro teixeira está protegendo bandidos…
Será que miro teixeira recebe propina do crime organizado?

A situação é clara: policrápula jr foi flagrado pela polícia em tramóias com carlinhos cachoeira. A sociedade de rupert civita com o crime organizado é um fato.

Se miro teixeira tenta bloquear o avanço das investigações… pode ser mais um comparsa da quadrilha infiltrado no congresso.

Responder

Vander Ferreira Salles

14 de agosto de 2012 às 13h41

Se o grande Brizola estivesse vivo já teria expulsado esse Miro Teixeira do PDT há muito tempo. Esse sujeito não passa de institor dos barões da nossa mídia reacionária.

Responder

Eduardo Guimarães

14 de agosto de 2012 às 13h41

Azenha, antecipei tudo em post que publiquei hoje pela manhã. Já se sabia que não seria votado hoje. Faltam 4 votos. Sairão do PMDB. Já há 11 votos. Só falta convencer o PMDB

Responder

RicardãoCarioca

14 de agosto de 2012 às 13h25

Sabia.

Responder

O JUIZ

14 de agosto de 2012 às 13h25

Pelo jeito esse Miro Teixeira não sabe distinguir um bandido de um Jornalista. Está fazendo seu papel na defesa de seus amigos.
Está mais do que provado o envolvimento do jornalista com o Crime Organizado. A Polícia Federal não inventaria uma história dessas.
Acho que os eleitores do Miro, deverão pensar mais nas próximas eleições.
O nobre Deputado, está mostrando a que veio nessa CPI.
Quanto ao “DONO” da Veja…
Como dia Paulo Henrique Amorim, a Veja é o detrito de maré baixa.
Todos sabemos o que isso significa. Mau cheiro !

Responder

    Bonifa

    14 de agosto de 2012 às 17h44

    É quem mais sabe distinguir. Mas está do lado do bandido e não do verdadeiro jornalista. Miro Teixeira é o mais forte esteio político da podridão midiática que estrangula o jornalismo brasileiro.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.