VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de um deputado


07/05/2012 - 21h13

22/02/2005 15:24
Jornalista diz ter gravações de conversas de André Luiz

sugerido pelo Remindo Sauim, via e-mail, da Agência Câmara

Começou há pouco reunião do Conselho de Ética da Câmara, que investiga a acusação de extorsão feita pelo empresário de jogos Carlos Cachoeira contra o deputado André Luiz (sem partido-RJ). Neste momento, presta depoimento o editor especial da revista Veja Policarpo Júnior, que afirmou possuir um CD com cerca de cinco horas de gravação de conversas de André Luiz com emissários de Cachoeira. Em uma das conversas, o deputado teria pedido a Cachoeira R$ 4 milhões para evitar a inclusão de seu nome no relatório da CPI da Loterj, da Assembléia Legislativa do Rio.

Policarpo afirmou também que, antes de publicar as gravações, a revista submeteu a fita ao perito Ricardo Molina, da Unicamp, que atestou sua autenticidade. Daqui a pouco, o próprio Molina vai prestar depoimento.

Reportagem – José Carlos Oliveira
Edição – Wilson Silveira

PS do Viomundo: André Luiz foi cassado. Perguntinha básica: quem gravou o CD?



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


56 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

STF anula processo e reú vai responder na primeira instância « Viomundo – O que você não vê na mídia

16 de agosto de 2012 às 11h22

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Carta Maior: Advogado fala em sentença “ditada por editorialistas” « Viomundo – O que você não vê na mídia

15 de agosto de 2012 às 11h12

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Estadão: Cuidado para não tomar tombo de empresa aérea « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de agosto de 2012 às 16h56

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Demóstenes a Cachoeira: “Show de bola, show de bola. Aí vai ser show mesmo” « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de agosto de 2012 às 12h26

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Renato Janine Ribeiro: Um caso quase de vida ou morte « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de agosto de 2012 às 11h29

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Celso Bandeira de Mello: O respiro é a internet « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de agosto de 2012 às 11h28

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Jefferson diz que não vendeu voto e acusa Lula de ser o mandante de tudo « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de agosto de 2012 às 20h27

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Leandro Fortes: Globo tenta salvar Policarpo Jr. com matéria plagiada de CartaCapital « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de agosto de 2012 às 13h29

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

Paulo Teixeira: Chegou a hora de convocar diretor da Veja « Viomundo – O que você não vê na mídia

31 de julho de 2012 às 01h28

[…] O dia em que o “empresário de jogos” cassou o mandato de deputado bandido […]

Responder

JORGE

08 de maio de 2012 às 22h37

Azenha.

Aproveito espaço para sugerir uma pauta:

Um fato curioso, recente e intrigante (NADA PUBLICADO NO PIG) foi a DECISÃO DO STJ DE SOLTAR 03 BICHEIROS CARIOCAS, CRIMINOSOS CONDENADOS HÁ MAIS DE 100 ANOS.

Que justificativas foram dadas pelo STJ, o Tribunal da Cidadania?

A própria transferência do Cachoeira para Brasília foi justificada pelo calor do presídio federal. Pode? E outros que lá ficaram são presos comuns ou especiais?

Quantos presos pobres não poderiam ganhar a liberdade com as mesmas e suspeitíssimas justificativas SEM NORTE DA CÚPULA DO JUDICIÁRIO.

A leitura mediana que se faz do judiciário brasileiro é o de que TEM PRESO E PRESO, PESO E PESO, com dinheiro e sem dinheiro. Infelizmente.

Responder

luiz pinheiro

08 de maio de 2012 às 20h46

Segundo a Veja e O Globo, uma cachoeira é apenas uma fonte a mais. E a usam, e abusam, dirigindo a enxurrada contra seus inimigos de sempre – os que estão ao lado do povo brasileiro. Essa relação Veja/Globo/Cachoeira alterou para sempre o sentido dos vocábulos jornalísticos “fonte” e “cascata”. Ficou claro que esse “jornalismo” é lama fétida, usada em defesa dos mais espúrios interesses de uma elite economica despreparada para o século 21, que recusa conviver em mínima harmonia com o povo brasileiro

Responder

    Fabio Passos

    08 de maio de 2012 às 22h10

    Uma “fonte” que mandava publicar notas indicando inclusive a coluna da revista?
    Quem vai acreditar nesta tolice?

    O PIG realmente acha que seus leitores são todos imbecis.

ed nelson

08 de maio de 2012 às 20h44

Pura guerra de quadrilhas, o povo brasileiro é roubado de qualquer maneira.

Responder

oziel f. de albuquerque

08 de maio de 2012 às 15h35

Vamos ficar de olho nos juizes, até porque, muuitos deles recebia dinheiro do Cachoeira. A lei destes juizes corruptos é o dinheiro, se o povo não fizer pressão, estes senhores da lei solta toda a quadrilha.

Responder

Hélio Pereira

08 de maio de 2012 às 13h49

Neste ato de cassação aparecem alem de Cachoeira,o Jornalista Policarpo Junior da Veja e o famoso “Perito Molina”,figurinha carimbada que sempre aparece na Rede Globo pra dar “credibilidade” a fatos que interessam a Globo.

Responder

hccoelho

08 de maio de 2012 às 13h04

Veja e cachoeira já operavam há muito tempo. A quadrilha começa aí. 2005. Com sucesso. Sera que a PF tem registros de todo este tempo? Tomara.

Responder

hccoelho

08 de maio de 2012 às 12h48

Quer dizer que veja e o cachoeira já ooperavam ha muito tempo. Será que a PF tem material de todo este tempo.
Uma pergunta escandalosa: Os governadores do PSDB continuam oferecendo esta revista desinformadora, criminosa e corrupta para leitura diária dos seus professores e alunos? Querem formar bandidos? Pagando com o nosso dinheiro???????? Estão??

Responder

TANCHIM

08 de maio de 2012 às 12h44

A revista veja, seu propiotario, e diretores, no minimo deveriam ser conde
nados por formação de quadrilha e por estelionato, por ter fraudado toda sociedade, pois desde 2009, a mesma sabia a real postura do demostenes, e vendeu para todos a imagem de homem probo, defensor da moralidade, honestidade e dos bons costumes, só não disse que o mesmo sempre gostou foi de um bom banho de Cochoeira.

Responder

Paciente

08 de maio de 2012 às 11h04

O pior dano provocado pelo Putsch da Veja é que não há mais como saber o que é verdade e o que é Cachoeira.

Para uma revista “comprometida com a verdade” é uma realização e tanto…

Responder

Regina Braga

08 de maio de 2012 às 10h53

Que orgulho, para um pai mafioso, ter um filho como o cachoeira.Charge do Caruso(colocada no jornal da noite).

Responder

Athos

08 de maio de 2012 às 10h03

Vamos com calma…
Azenha, vc esta dizendo que o deputado não pediu dinheiro?
Esta dizendo que o deputado é uma pessoa honesta?
É isso?

Responder

carlos vicente

08 de maio de 2012 às 08h25

Alessandro Calazans descarta quebra de decoro na CPI da Loterj e diz que gravaçao era armaçao de Cachoeira http://va.mu/VFDz
O @alecalazans conhece o omodus operandi da quadrilha,(VEJA/Policarpo/Cachoeira), que opera desde 2005. http://twitpic.com/9iqesn
———————————————— Alessandro Calazans também disse que a gravação da conversa foi uma armadilha preparada por Carlinhos Cachoeira, que em julho de 2004 havia perdido um contrato fraudulento com a Loteria do Estado do Rio (Loterj) no valor de R$ 170 milhões.

Responder

Yarus

08 de maio de 2012 às 06h01

“Não há mal provocado ao Brasil pela imprensa. Só o bem”

“Miro Teixeira, moleque de recados da mídia?

Pedro Pomar – Página 13
29.09.2010

A revista Veja publicou, em sua edição de 18/9, entrevista com o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), que esteve à frente do Ministério das Comunicações no início do primeiro mandato presidencial de Lula. A finalidade da entrevista é legitimar a tese dos oligarcas da mídia de que o governo e os movimentos sociais supostamente controlados por ele são uma ameaça à liberdade de expressão no país.

“Governo não gosta de notícia” é o título da matéria, na qual Miro declara frases como 1) “O governo apresenta faces autoritárias”; 2) “Não há mal provocado ao Brasil pela imprensa. Só o bem” e 3) a “Confecom é ilegítima” e se suas propostas forem aprovadas, “devem ser revogadas no Supremo Tribunal Federal, que já demonstrou que o direito à informação não pode ser arranhado nem por emenda constitucional”.

Confecom, para quem não sabe, é a 1ª Conferência Nacional de Comunicação, realizada pelo governo Lula em dezembro de 2009. Reuniu milhares de pessoas de todo o Brasil em diferentes etapas e contou com a participação de movimentos sociais, diversos níveis e esferas do poder público e expressiva parcela do empresariado ― embora a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), liderada pela TV Globo, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e outras entidades tenham-se recusado a participar.

As mais de 600 propostas aprovadas pela Confecom resultaram de debate intenso e democrático e, em alguns casos, negociação entre os segmentos participantes. São medidas destinadas a desconcentrar e democratizar a comunicação social no Brasil, várias delas relacionadas à regulamentação de dispositivos já existentes na Constituição Federal mas nunca aplicados, como os artigos 220 e 221…” LER TUDO:
http://www.direitoacomunicacao.org.br/content.php?option=com_content&task=view&id=7182

Responder

Yarus

07 de maio de 2012 às 23h42

“#VejaBandida: Boicote aos patrocinadores da imprensa corrupta

Lembre-se que o movimento “Cansei”, criado para derrubar o governo popular do Presidente Lula e voltar com da elite arcaica ao poder, foi debelado pelo boicote às empresas que patrocinavam aquele golpe.

Eis a lista de anunciantes, na semana, da revista Veja, ligada à organização de Carlinhos Cachoeira:”
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/05/vejabandida-boicote-aos-patrocinadores.html

Responder

    carlos vicente

    08 de maio de 2012 às 01h33

    Alguns jornais publicaram que o deputado Miro Teixeira irá propor, com base no artigo 207 do Código de Processo Penal, que jornalistas – por exemplo, o parceiro de Carlos Cachoeira, Policarpo Jr., da “Veja” – não pudessem ser convocados à CPMI para depor. Segundo o deputado, o citado dispositivo legal proibiria “o depoimento de testemunha que por ofício tenha de manter sigilo”.

    Se for verdade a notícia, trata-se de um engano do deputado. As razões para convocar Policarpo Jr. nada têm a ver com o ofício de jornalista. Pelo contrário, o problema é exatamente que ele usou o suposto ofício de jornalista para atividades estranhas à profissão, isto é, usou-a como fachada para estabelecer conluio com um criminoso. Portanto, não é por suas atividades jornalísticas, mas por suas atividades criminais, que Policarpo Jr. deve ser chamado a depor.

    Policarpo Jr. já depôs, em virtude de uma CPI, no Conselho de Ética da Câmara, quando o então deputado André Luiz foi acusado de extorsão ao sr. Carlos Cachoeira no caso da Loterj. No dia 22 de fevereiro de 2005, Policarpo Jr. depôs contra André Luiz, portanto, a favor de Carlos Cachoeira, e não arguiu nem pretextou sigilo, apesar das ligações ocultas que mantinha com o polvo do Centro-Oeste.

    Portanto, a argumentação do deputado Miro Teixeira equivale a estabelecer que Policarpo Jr. só pode depor, como já fez, para defender Cachoeira ou atacar seus desafetos. Não seja por isso. Estamos ansiosos para ver Policarpo Jr. defender Cachoeira na CPMI ou atacar os inimigos do bicheiro. O que é mais uma razão para chamá-lo à CPMI. O deputado deveria perceber que dar um salto ornamental nessa fossa não vale algumas linhas na “Veja”, mais suja do que pau de galinheiro, ou seja lá onde for. Até porque essa malta é muito ingrata e não vai ser ela que lhe proporcionará os votos que precisa, e que já estão escassos.

    José Ferreira Vilela

    08 de maio de 2012 às 09h53

    Miro Teixeira, sua proposta, se confirmada, vai mostrar ao Brasil inteiro que a máfia comandada pelo “bandido cachoeira” tem mais adeptos do que se imagina. Por isso, nobre deputado, q vc está perdendo a credibilidade junto a seus eleitores que o consideram “o deputado só do auê”. Verdade, vc faz ALGUM BARULHO,E SÓ! Vc deveria é estar pedindo cadeia prá este comparsa do cachoeira “emporcalhou” uma profissão tão nobre que é a do jornalismo. Será q vc também estava chafurdando nos chiqueiros do cachoeira?

    Gil Rocha

    08 de maio de 2012 às 02h08

    Uai, a tv Record não faz mais
    patrocínio na Veja?
    Uma postagem feita aqui na semana
    passada ela constava.
    E as estatais hein?
    Particularmente eu acho isso uma
    grande bobagem.
    Boicote? huehuehue
    Mas cada um cada um não é.

    Gil Rocha

    08 de maio de 2012 às 02h27

    Desculpe Azenha, acho que não
    posso citar nomes não é.

    luis

    08 de maio de 2012 às 21h54

    Gil, a Veja não é uma revista jornalística ela é parte de um movimento que altera, inventa fatos de acordo com seus interesses. Agora fossem seus interesses minimamente razoáveis tolerar-se-ia. Afinal de contas esperar imparcialidade é utopia. Acontece que esta publicação assumiu como seu objetivo maior, derrubar e ou dar instabilidade para os governos Lula e Dilma. E o maior crime que se pode cometer é o que conspira contra a democracia. É bom para um país que se tenha uma oposição dura, agora o que eles fazem é criminoso! Tida e havida como investigativa, só investigava pra um lado? E mais, ajudava o bandido, afinal de contas, foi depor com uma fita do Cachoeira para livrar Cachoeira? Isso é de gente séria!
    Eu acho que quem é sério não auncia na Veja e ponto final!
    Assim como acho que quem tem conta em banco privado hoje, é bobo!

    Gil Rocha

    09 de maio de 2012 às 00h22

    Luis, me diz aí qual das
    denuncias da Veja servirão
    para derrubar o governo Lula
    ou Dilma que foram mentira?
    No Brasil não existem leis que
    um ofendido ou quem foi vítima
    de calunia, podem recorrer neste
    caso?
    Quantos processos deste tipo o governo
    ou políticos que foram objetos de denuncias
    estão movendo contra a Veja?
    Porque se eu sou caluniado por um veículo de
    comunicação e sei que sou inocente, eu vou processar.
    E não preciso ser político não é?
    E que negócio é esse de investigativa só para um lado?
    Se eu bem me lembro, o PT não é governo a 40 anos.
    Eu realmente não havia percebido que nos anos em que o PT não
    era governo, a Veja simplesmente não noticiou nenhuma denuncia?
    É mesmo?Tem certeza?
    E que história é essa do Policarpo ir defender o Cachoeira na CPI?
    Ele não estava lá para confirmar que o deputado santinho do pau oco
    realmente estava chantageando?
    E quem disse que nesta época o seu Cachoeira era considerado bandido?
    Você sabia disso é?Porque eu desconhecia.
    Nesta época ele era dono de bingo, que não era considerado crime se não
    lembra mais.
    Agora, que CPI foi essa que não investigou o seu Cachoeira?
    Ou investigou e não achou nada?
    E a perguntinha básica, quem gravou os CDs?
    Foi a Veja ou foi o Cachoeira?
    A CPI não perguntou nem descobriu?
    E na época ninguém aí berrou é?
    Porque hein?

    Gil Rocha

    09 de maio de 2012 às 00h23

    Desculpe pelo erro grotesco
    na palavra serviram.
    Escrevi “servirão” porque sou
    burro huehuehue.

    Gil Rocha

    09 de maio de 2012 às 00h33

    E mais uma coisinha.
    Denuncia não é para derrubar
    governo ou desestabilizar.
    Pela tua lógica não pode existir
    denuncia é isso?
    Eu ainda estou meio sem saber, quais
    da denuncias da Veja foram pura lorota.
    O mais interessante, é que esse pessoal
    envolvido em denuncias somem.
    A confiança dos próprios governos é tanta,
    que nunca vi ninguém ser renomeado.
    Mas posso estar enganado claro, eu gostaria
    muito de saber qual destes políticos “injustiçados”
    voltou ao seu antigo cargo.

    Fabio Passos

    09 de maio de 2012 às 18h30

    hmmm…
    você escreveu tudo isso prá tentar justificar sua defesa da corrupção do PIG?
    O fato da revista veja criticar o governo dá direito ao civita de ser um corrupto? Um vagabundo da quadrilha de carlinhos cachoeira?

    O PIG é a organização mais corrupta do Brasil.
    Quem defende o PIG… defende a corrupção.

Fabio Passos

07 de maio de 2012 às 23h27

Imperdível análise do Nassif:

“O problema de Veja é criminal, não apenas ético”
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-problema-de-veja-e-criminal-nao-apenas-etico

confiram:


O comportamento da Veja é passível de enquadramento no Código Penal. Está-se falando de suspeita de atividade criminosa, não apenas de mau jornalismo. Sua atuação se deu na associação com organizações criminosas visando objetivos ilegais, de obstrução da Justiça até conspiração.

O acordo da revista com o crime organizado trazia ganhos para ambos os lados:

1. O principal produto de uma revista é a denúncia. O conjunto de denúncias e factóides plantados por Cachoeira permitiram à revista a liderança no mercado brasileiro de opinião – influenciando todos os demais veículos -, garantiu vendagem, permitiu intimidar setores recalcitrantes. O poder foi utilizado para tentar esmagar concorrentes da Abril no setor de educação. Principalmente, fê-la conduzir uma conspiração visando constranger Executivo, Legislativo, Supremo e Ministério Público.

2. A parceria com Veja tornou Cachoeira o mais poderoso contraventor do Brasil moderno, com influência em todos os setores da vida pública.

Responder

    Gil Rocha

    08 de maio de 2012 às 01h57

    Eu estou aguardando provas de tudo isso.
    Até agora ouvi somente um telefonema e
    nada mais.
    Mas vão fazendo força que pode ser que
    consigam provar que a Veja inclusive, plantou
    todos os políticos e diretores de estatais no
    quarto dele naquele hotel.

    Fabio Passos

    08 de maio de 2012 às 07h10

    Aguardando provas?
    Da sociedade civita&cachoeira?
    Você está brincando ou se fazendo de bobo? rsrs

    Bonifa

    08 de maio de 2012 às 08h38

    Você se esqueceu de citar a banda de hip-hop, as dançarinas de cabaré da Lapa, os cientistas da NASA e as Carmelitas Descalças, que também estiveram lá no apartamento do Dirceu e o Jairo apagou da fita. Tudo gente suspeita. E que toda esta multidão deve ter entrado no Hotel às escondidas, subornando outro porteiro brasileirinho e esgueirando-se pelos escuros e dramáticos corredores secretos.

    Alexandre Bitencourt

    08 de maio de 2012 às 09h16

    A questão não é quem foi ou deixou de ir no apto do Dirceu … as pessoas que estão lá é fato …. o problema é que a Veja montou um roteiro acusando o Dirceu de comandar o governo de fora e “não conseguiu provar” tal afirmação … além do mais usou gravações ilegais para poder contruir uma estória para colocar o governo em crise …. e agora sabe-se pelas gravações que a estorinha montada por “Veja” teve a participação do contraventor … que mais tarde pede para soltar “notinhas” de seu interesse.

Millenium Boy

07 de maio de 2012 às 22h52

What? Há 7 anos atrás o Policarpo livrou a cara do Cachoeira? Isso só pode ser brincadeira, não? Isso tá parecendo a piada do português que seguiu a mulher até um motel e ficou em dúvida se ela o traiu pois depois de entrarem no quarto ela e o acompanhante apagaram a luz e ele não viu mais nada…

Responder

Sergio

07 de maio de 2012 às 22h37

Policarpo Junior, Perito Molina juntos no mesmo recinto? O cheiro deve ter ficado insuportável. Só um Fruet mesmo para suportar. Quanto á Cachoeira; devia ser morto na cadeia.

Responder

    adilson fernajndo

    07 de maio de 2012 às 23h07

    O cachoeira morrer na cadeia é o que muita gente anda desejando!

    Luis Fernando

    08 de maio de 2012 às 10h53

    Só se for depois que ele abrir a boca.

    Dimas Antonio Granado de Pádua

    08 de maio de 2012 às 20h37

    É mais do que evidente que Carlinhos Cachoeira só está vivo,porque o episodio ainda está pipocando na blogosfera e nas redes sociais.Mas Cachoeira é um arquivo que se for aberto,terá o efeito de uma bomba nuclear na oposição e no PIG.E na hora em que ele tiver convicto de que não tem nada a perder,é capaz que ele abra a boca.Mas mesmo assim tem muita gente querendo a cabeça de Carlinhos Cachoeira.Ele,vivo,é um perigo para muita gente grauda,principalmente para um ex candidato derrotado à presidencia da República(2002 e 2010)

spin

07 de maio de 2012 às 22h35

Policarpo Jr é piolho de CPI, desde que na defesa de Cachoeira
http://www.advivo.com.br/blog/jose-carlos-lima/policarpo-jr-e-piolho-de-cpi

Responder

César Bento

07 de maio de 2012 às 22h24

Molina é o “novo” Badan Palhares

Responder

Luiz

07 de maio de 2012 às 22h14

Veja a ponta desse lamaçal todo nesta reportagem da TV Record, ou seja, a ligação de Veja e o submundo do crime:

http://noticias.r7.com/brasil/noticias/domingo-espetacular-mostra-a-influencia-de-carlinhos-cachoeira-sobre-a-revista-veja-20120506.html

Responder

Gil Rocha

07 de maio de 2012 às 22h09

Coitado do deputado hein?
Bem, eu acredito que se o jornalista
não mostrou as gravações a culpa é de
quem?
A CPI não tinha poder para isso?
Agora, prestem atenção como Cachoeira nesta
época era chamado.
E a CPI não investigou o seu Cachoeira na época?
Não quis saber afinal porque o deputado iria incluir
o nome do empresário no relatório?
André Luiz se elegeu pelo PMDB e antes havia sido
segurança do bicheiro Castor de Andrade.
Gente boa

Responder

    Gil Rocha

    07 de maio de 2012 às 22h21

    Sempre lembrando que nesta
    época o PMDB era o Satã para
    os petistas.
    Se fosse hoje…

    Giorgio

    08 de maio de 2012 às 10h39

    Sim o PMDB era o Sata para os petistas naquela epoca, que com o PSDB no poder, chegou a ter renan calheiros como “ministro da justiça”….

    Gil Rocha

    08 de maio de 2012 às 18h45

    O PSDB fazer acordinho com o
    PMDB é novidade?
    Fazer parte do governo do PSDB?
    Alguém ficou surpreso com isso?
    Agora pode explicar se puder o PT
    defensor dos frascos e comprimidos
    de mãozinha dada com o PMDB.
    O poder, o poder muda tudo não é?
    E nem falei do Collor…

    Bonifa

    08 de maio de 2012 às 08h41

    Calma, Poli. Supondo que você seja o Policarpo, o que se está dizendo é apenas que você já depôs em CPIs, o que não é coisa que qualquer jornalista ande fazendo rotineiramente. Apenas isso. E que seu depoimento, por pura coincidência, foi a respeito de uma questão onde um dos principais personagens era justamente seu amigo Cachoeira. Só isso.

    Fabio Passos

    08 de maio de 2012 às 15h47

    Poli. rsrs
    Ele fica alterado o tema são as bandalheiras da mídia-corrupta. mexe com ele…

    Gil Rocha

    11 de maio de 2012 às 20h07

    Primeiro que CPI não é delegacia.
    Então acredita-se que não são
    organizadas por qualquer queixa.
    Talvez seja por isso que não se vê
    jornalistas depondo.
    Segundo que o Policarpo foi chamado
    porque a reportagem era de sua responsabilidade.
    Nada mais natural que fosse chamado para explicar
    a situação da gravação.
    Terceiro, não existe prova de amizade, somente que
    o Cachoeira passava informações.

ccbregamim

07 de maio de 2012 às 22h02

ah bom,
se é o ricardo molina que atestou
então eu acredito..

Responder

lck

07 de maio de 2012 às 21h39

Bom, se chantageou, merecia ser cassado, mas se o jornalista tinha as gravações porque não mostrou? Não mostrou porque a gravação ao mesmo tempo incriminava o deputado e o bicheiro. O jornalista sabia da atividade ilegal do bicheiro, tinha provas e não apresentou.

Responder

Luiz Müller

07 de maio de 2012 às 21h38

Como é? Molina, o sujeito que identificou um UFO quando o objeto era uma bolinha de papel…É a máfia em ação.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!