VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Apesar da “crise”, aprovação de Dilma fica em 62%


14/12/2012 - 12h36

Governo Dilma mantém recorde de aprovação de 62%
14/12/2012 – 11h55

por Pedro Peduzzi

Repórter da Agência Brasil

Brasília – A aprovação do governo Dilma Rousseff ficou estável em dezembro. No total, 62% da população avaliaram a gestão como boa ou ótima – mesmo índice registrado em setembro pela pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao Ibope, que teve o último levantamento de 2012 divulgado hoje (14).

A estabilidade na avaliação se manteve também no que se refere ao percentual de pessoas que consideram o governo regular (29%) e ruim/péssimo (7%).

Apenas o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no segundo mandato, obteve avaliação mais alta no mesmo período: 73%. Em dezembro de seu segundo mandato, o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi avaliado como bom ou ótimo por 25% da população. Para 59% dos entrevistados, o governo Dilma é igual ao governo Lula, enquanto 29% o considera pior, e 19%, melhor.

Já a aprovação do modo de governar da presidenta subiu um ponto percentual, passando dos 77% registrados em março, junho e setembro, para 78% em dezembro. Estável e em patamar elevado ficou também a confiança da população em Dilma, com 73% em dezembro (mesmo índice registrado em setembro).

Houve estabilidade também na expectativa positiva das pessoas em relação ao restante de governo, com 62% (ótimo/bom) – mesmo índice da pesquisa anterior. Em relação às áreas de atuação, o combate à fome e à pobreza registrou recorde de aprovação (62%), bem como as medidas para conter o desemprego (56%). A área da saúde foi a pior avaliada, com apenas 25% de aprovação. Impostos e segurança pública registraram 30% de aprovação; taxa de juros, 41%.

O índice de pessoas que consideram as notícias recentes mais favoráveis ao governo registrou queda de 29%, em setembro, para 24% em dezembro, enquanto 18% consideram as notícias foram desfavoráveis.

Para 23%, as notícias mais lembradas foram sobre o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). O anúncio de redução do custo de energia elétrica foi citado por 14% dos entrevistados, e 10% citaram a Operação Porto Seguro, da polícia Federal, e as referentes ao contraventor Carlinhos Cachoeira.

A Pesquisa CNI/Ibope fez 2.002 entrevistas em 142 municípios entre os dias 6 e 9 de dezembro. A margem de erro é 2 pontos percentuais, e o grau de confiança, 95%.

Edição: Talita Cavalcante

Leia também:

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Aumenta a indignação popular contra a política econômica

15 de dezembro de 2012 às 15h14

[…] “Hoje, a imprensa divulgou a pesquisa CNI/IBOPE, indicando que 78% da população aprovam o governo Dilma. Porém, quando se analisa áreas específicas de atuação do governo, tal “aprovação” se transforma em uma ampla rejeição. No que se refere aos impostos, o percentual de aprovação – que já era baixo na última pesquisa, em setembro – teve grande queda: de 38% para 30%. No quesito “juros”, tal percentual caiu de 49% para 41%, apesar da ampla propaganda oficial sobre uma suposta queda nas taxas. No que se refere à política de combate à inflação, este percentual caiu de 50% para 45%.
Tal descontentamento também aumentou em relação a importantes áreas sociais. Na área da saúde, a aprovação de apenas 33% em setembro caiu ainda mais em dezembro, para 25%. No quesito segurança, tal percentual caiu de 40% para 30%, e na educação, de 47% para 43%.
Portanto, de acordo com os dados da CNI/IBOPE, é inverídico que a atual política econômica seria aceita amplamente pela população, que identifica claramente a alta carga tributária, e a ausência de retorno destes recursos em termos de políticas sociais.” […]
Fonte: http://www.auditoriacidada.org.br/jornal-estado-de-minas-repercute-ilegitimidades-da-divida-de-mg-com-a-uniao/

Responder

Jose Mario HRP

15 de dezembro de 2012 às 11h08

Apesar a Globo News e a Globo bombardearem todo santo di a condição economica do país e criticar o governo sem clemencia a Dilma sai mais por cima ainda!

A PIG só se dá mal!

http://maureliomello.blogspot.com.br/

Responder

Messias Franca de Macedo

15 de dezembro de 2012 às 10h04

… Atualmente, no Brasil, crise só se for a de identidade: [atroz] crise de identidade da – em polvorosa – [eterna, estúpida e antinacionalista] DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL!…

… E a presidente Dilma Rousseff, A Magnífica, surfando também favorecida por esta onda, ou seja, a da crise de identidade da DIREITONA sem discurso, sem projetos de nação, mais suja do que o conteúdo que percorre as canaletas da MARGINAL do Tiêtê…

BRASIL NAÇÃO – em homenagem ao eterno presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à presidente Dilma Rousseff, A Magnífica!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

FrancoAtirador

15 de dezembro de 2012 às 00h10

.
.
Meus amigos e minhas amigas:

A vida da maioria das pessoas se resume a emprego, salário e consumo.

Sendo que o emprego é o meio de obter o salário para realizar o consumo.

Enquanto o governo, através de um gerenciamento razoável da economia,

oportunizar a essas pessoas a obtenção de um emprego que as proporcione

receberem um salário suficiente para proverem-se de determinados bens

e, portanto, de alcançarem uma meta subjetiva de satisfação pessoal,

não haverá, da parte dessa maioria, a necessidade de mudança de status.

Por ora, do ponto de vista meramente eleitoral, a situação é confortável.

Estamos no estágio do ‘quanto mais tenho comprado, mais quero comprar’.

Entretanto, essa realização ocorre no ambiente particular e individual,

à revelia da atuação do Estado, onde orbita a esfera pública e coletiva.

E quando as partes isoladas, auto-alienadas, não respondem pelo todo,

há sérios riscos de desagregação social, de desassociação da sociedade.

O senso de coletividade, por conseguinte, é abandonado pelo indivíduo.

Obviamente que as aspirações individuais são legítimas e até necessárias,

mas não devem estar desacompanhadas dos sonhos coletivos de uma Nação.

E, infelizmente, é assim que se vislumbra o futuro, a partir do presente:

Primeiro o cidadão sonha com um prato de comida e consegue comprar comida,

enquanto a Rede Globo de Televisão repercute a Veja, a Folha e o Estadão;

Depois passa a sonhar com três refeições ao dia e consegue fazer as três,

enquanto a Rede Globo de Televisão repercute a Veja, a Folha e o Estadão;

Depois sonha em comprar um aparelho de TV e efetivamente obtém sucesso,

enquanto a Rede Globo de Televisão repercute a Veja, a Folha e o Estadão;

Depois realiza o sonho da casa própria, e o do carro e o do computador,

e a Rede Globo repercutindo as mentiras da Veja, da Folha e do Estadão;

Aí, o indivíduo começa a sonhar em comprar os produtos anunciados na TV,

e, enquanto a Globo repercute as mentiras da Veja, da Folha e do Estadão,

troca a poupança da Caixa por uma conta no Bradesco ou no Itaú-Unibanco,

adquire cartões de crédito e compra tudo o que vê na vitrine do shopping.

Então, como no êxtase de quem realiza o sonho de consumo mais desejável,

vai à banca e compra um exemplar da Veja e outros da Folha e do Estadão.

Assim, já não importa mais se o JN repercute a Veja, a Folha e o Estadão.

Nesse dia, talvez a situação eleitoral não esteja tão confortável assim.
.
.

Responder

saulo

14 de dezembro de 2012 às 22h53

Ricardão, fica frio !!! Vai pescar !!! Da nada não !!!

Responder

J Souza

14 de dezembro de 2012 às 20h03

O STF condena “corruptos” e a Dilma é que fica com os louros!!!
“Chupa”, Barbosa!

Responder

Messias Franca de Macedo

14 de dezembro de 2012 às 19h19

‘FATOS E DOMÍNIOS’!

[REFORMA MINISTERIAL! SÓ FALTA O FRANKLIN MARTINS, PARA O MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES! ENTENDA]

REQUERIMENTO DE COLLOR É APROVADO.
BATATA DO GURGEL ASSA !

O Procurador-Geral da República está convidado para audiência pública na Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência – CCAI.
Publicado em 13/12/2012
em http://www.conversaafiada.com.br/tv-afiada/2012/12/13/video-requerimento-de-convite-de-collor-a-gurgel-e-aprovado/#comment-995832
LÁ VEM!…

… No atual momento da inércia do ‘PT da governança’, Fernando Collor de Mello exerce o cargo de ministro da Defesa!… E o Paulo Skaf [da FIESP!], “responde” pelo Ministério das Minas e Energia!… Em comum, os dois “ministros do governo petista” (sic) – além de “ministros” -, “peitam a DIREITONA!”… Sim, é pra lá de surreal!… Ô!…

… Por outro lado, “o supremo do supremoTF”, Celso de Mello, gripou a partir de uma febrícula! [o sinal amarelou(!)] É hora de consultar “o ‘dotô’ enciclopédia” Merval da Globo!… Portanto, é deveras ‘plausível’ o não comparecimento do palestrante(!) Brindeiro Gurgel! O procurador irá – mais uma vez – prevaricar, agora alegando que comeu uma ‘buchada com pimenta malagueta’, resultando-lhe um quadro agudo de disenteria, o que provocou-lhe sucessivos (sic) ‘vazamentos’, digamos, fluidos, ‘tênues’, miasmáticos… ‘Cheirosos’, segundo a Eliane Cantanhêde!…

Lá isto é Procuradoria e/ou ‘Prevaricadoria’ e/ou ‘Vazadoria’ [Seletiva!] Genérica – perdão, ato falho -, Geral da República de ‘Nois’ Bananas?!…

Lá isto é jornalismo, sô?!…

… É ou não é uma Republiqueta de ‘Nois’ Bananas?!…

… O fim do mundo é aqui!…

Que país é esse, sô?!…

República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Lula, Dilma e os Cebolinhas das grandes redações « Espresso Curto

14 de dezembro de 2012 às 16h26

[…] do governo Dilma: 78% aprovam o seu jeito de governar e 62% acham seu governo bom ou ótimo (aqui, ó). Mesmo assim, Merval Pereira (o “mula” da direita raivosa) e sua patota decidiram […]

Responder

francisco pereira neto

14 de dezembro de 2012 às 14h44

Se a pesquisa é verdade ou não, o que em condições normais de temperatura e pressão, sempre dá margem para duvidar, em se tratando desses institutos, mas a verdade as vezes é tão notória e cristalina que não tem como mentir.
Eu não me baseio no que eles dizem simplesmente acreditando de maneira cega. Mas os fatos são tão evidentes que não tem como eles mentirem. A minha percepção, com ou sem pesquisa, é de que Dilma está fazendo um governo nesses dois primeiros anos, de mudanças conjunturais. Mexeu na Selic, está atacando as tarifas de energia, continua fortalecendo os laços com os países do continente, reforçando o Mercosul, rechaçando o Paraguay, se abrindo para a Venezuela. Continua os programas sociais do governo Lula e até melhorando-os. Enfim, não é preciso acreditar em pesquisas, seja elas tendenciosas ou não.

Responder

Julio Silveira

14 de dezembro de 2012 às 14h18

É a poupança do ingresso no mercado de muita gente brasileira. Mas alerto para ter cuidado, o brasileiro é de resultado, já começa a ter urubu sobrevoando o território criando e esperando oportunidade para rapinar mais amiude.

Responder

RicardãoCarioca

14 de dezembro de 2012 às 13h09

Só pode ser pesquisa comprada, sem credibilidade alguma, né, militância demotucana? Mesmo sendo o Globope – O GLOBOPE! – o realizador da pesquisa.

Continuem assim! Lunáticos desse jeito!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.