VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Altamiro Borges: O cerco contra Lula se fecha. E agora?


11/12/2012 - 23h10

por Altamiro Borges, no seu blog

Reportagem do Estadão de hoje confirma, até para os mais ingênuos, que a direita midiática e partidária não vai recuar um milímetro na sua ofensiva para desconstruir a imagem de Lula – e para, logo na sequência, bombardear a presidenta Dilma. Ela teve como base um depoimento prestado por Marcos Valério, em 24 de setembro último, à Procuradoria-Geral da República, que “vazou” no jornal da famiglia Mesquita. Nela o publicitário afirma que pagou “despesas pessoais” do ex-presidente Lula e que sofreu “ameaças de morte”.

Ainda segundo o sinistro depoimento, prestado após o empresário ser condenado a 40 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal, Lula teria dado aval aos empréstimos que irrigaram o “mensalão” que comprou deputados da base aliada do seu governo. Marcos Valério fez as novas denúncias às procuradoras Raquel Branquinho e Cláudia Sampaio – esta última mulher de Roberto Gurgel, procurador-geral da República. Com isto, ele tentou ser incluído no programa de proteção a testemunhas para reduzir a sua pena.

Direita em plena ofensiva

O depoimento “vazado” deu novo fôlego à oposição midiática e partidária. Em plena ofensiva, ela atua em várias frentes. Explora ao máximo o midiático julgamento do “mensalão do PT”, que já estava nos seus estertores e agora ganha nova dinâmica, e ainda abusa das baixarias, inclusive moralistas, no caso Rosemary Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo. Tudo é calculado para fustigar a popularidade do ex-presidente Lula e, de quebra, para fragilizar o governo da sua sucessora.

Neste esforço, o que há de mais reacionário na política nativa se une. Logo após o factóide do Estadão, o PSDB anunciou que pedirá a imediata convocação de Marcos Valério para depor no Congresso Nacional. “Queremos ouvi-lo para que ele diga ao país o que disse ao procurador. O que se sabe são vazamentos. É oportuna a presença dele para confirmar o que saiu na imprensa”, justificou o exótico Álvaro Dias, líder tucano no Senado. Os demos, mais sujos do que pau de galinheiro, também pedem a convocação.

Aécio Neves bebeu novamente?

Já o cambaleante presidenciável do PSDB, Aécio Neves, disse que “o PT e o governo deveriam terminar este ano de luto”. Será que ele bebeu novamente? Será que ele já se esqueceu dos péssimos resultados das eleições municipais? Para o senador mineiro, as denúncias de Marcos Valério confirmam que “o nível das relações íntimas do governo federal nos tráficos de influência que lesaram o erário público… O mensalão está aí na sua fase final e já temos outras denúncias que justificam a investigação da Procuradoria-Geral”.

Outras lideranças políticas, de legitimidade próxima à nulidade, também ficaram excitadas com a denúncia do Estadão. Roberto Freire, o chefão do PPS, novamente tentou se colocar como o capacho da direita. Já o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que andava meio na moita por puro oportunismo eleitoral, voltou a esbravejar que “o PT se transformou num verdadeiro carrasco da ética” e que o governo Dilma é “incompetente”. Alguns “viúvos do Demóstenes”, que se travestem de esquerda, também já se ouriçaram.

Reação tímida dos atingidos

Diante deste verdadeiro linchamento, amplificado pela mídia, a reação das vítimas desta nova ofensiva da direita ainda é muito tímida. Na França, onde participa de um seminário internacional, Lula disse apenas que o depoimento de Marcos Valério “é uma mentira e eu não posso acreditar em mentiras”. Já a presidenta Dilma Rousseff, também presente ao evento em Paris, lamentou “estas tentativas de desgastar a imagem de Lula. Repudio todas as tentativas de destituir Lula de sua imensa carga de respeito pelo povo brasileiro”.

O PT divulgou hoje à tarde uma nota, assinada pelo presidente da sigla, Ruy Falcão, em repúdio às acusações. “A direção nacional do PT lamenta o espaço dado pela imprensa para as supostas denúncias assacadas pelo empresário Marcos Valério contra o partido e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Caso essas declarações efetivamente tenham sito feitas em uma tentativa de ‘delação premiada’, deveriam ser tratadas com a cautela que se exige nesse tipo de caso. Infelizmente, isso não aconteceu”.

Superar o pragmatismo e a conciliação

Ainda segundo a nota, “as supostas afirmações desse senhor ao Ministério Público Federal, vazadas de modo inexplicável por quem teria a responsabilidade legal de resguardá-las, refletem apenas uma tentativa desesperada de tentar diminuir a pena de prisão que Marcos Valério recebeu do STF. Trata-se de uma sucessão de mentiras envelhecidas, todas já claramente desmentidas. É lamentável que denúncias sem nenhuma base na realidade sejam tratadas com seriedade”.

Os pronunciamentos e notas, porém, não são suficientes para conter a fúria da direita midiática e partidária. A conjuntura política fica cada vez mais delicada, com forte tendência à radicalização. Os demotucanos, sempre pautados pela mídia, já decidiram “endurecer” e precipitar a sucessão presidencial de 2014. As forças de esquerda, especialmente o PT, precisam reavaliar o cenário. Não podem ficar acuadas em função das visões pragmáticas e conciliadoras. O momento exige partir para a ofensiva. Antes que seja tarde!

 Leia também:

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



74 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Francisco

12 de dezembro de 2012 às 19h37

De pequeno na escola, eu munca procurava briga, até porque sou baixinho.

Depois que a briga começa, quem não quer briga, até engole uma ofensa, ou um empurrão, para a coisa não render. Para não “zangar” mais ainda o agressor.

Mas tem uma hora que você sente que, ou reage, ou a coisa não vai ter um ponto final previsivel. Vai bater sem parar até eu morrer?

Nessa hora, quem é baixinho, não briga: mata. Vai na jugular, na cabeça, pega a primeira coisa pesada que acha e mete com gosto.

Baixinhos não têm como se dar ao luxo de dizer: “pare, se não…”.

Baixinhos têm que ser decisivos e terminantes.

Assim fazem os baixinhos, depois que a coisa sai do controle.

A coisa saiu do controle para o PT quando aquele juiz encarregado de proteger a constitucionalidade, porque é um juiz do STF, declarou publicamente que um golpe militar contra a Constituição é um “mal necessário”.

É o equivalente juridico de um policial dizer que “às vezes é correto achacar”, ou “assaltar”, ou “matar e ocultar cadáver”.

Nenhum policial, por mais branco que fosse, ficaria no emprego se desse uma declaração dessas.

Alí, naquele dia, por não ter providênciado demissão sumária e escândalosa do farsante travestido de jurista, o PT perdeu a mão. E o Brasil, as garantias democráticas.

Estamos, literalmente, sub judice: “alea jacta est”.

Responder

prova de bala

12 de dezembro de 2012 às 16h30

em minha modesta opinião o “começo” do processo se deu no “começo” do governo Dilma, quando ela acenou o tal acordão com a direita, foi o começo da ruína,, nem tudo esta perdido, mas é preciso reagir.

acordo com inimigos não existe…

no entanto vamos aguardar as próximas pesquisas de popularidade tanto de lula ou dilma,

para ver o real impacto da onda de denuncias…

uma coisa fica claro, material de campanha para oposição não vai faltar em 2014.

Responder

Antonio Donizeti - SP

12 de dezembro de 2012 às 16h15

Ricardo Kotscho – do Balaio do Kotscho

Publicado em 12/12/12 às 12h01
Ofensiva contra Lula não tem mais limites

Julgamento do mensalão, Operação Porto Seguro e agora o vazamento na imprensa de novo depoimento feito à Procuradoria-Geral da República por Marcos Valério, réu condenado a 40 anos de prisão: a ofensiva contra o ex-presidente Lula não tem mais limites, é uma guerra sem quartel, sem data para acabar.

Em texto publicado aqui mesmo no Balaio no último dia 2 de novembro, eu já previa: “O alvo agora é Lula na guerra sem fim”.

Não bastava condenar os dirigentes do PT acusados no processo do mensalão. O objetivo maior era demolir a imagem do principal líder do partido que completa dez anos no governo central agora em janeiro.

Os antigos donos do poder simplesmente não se conformam de ter perdido o controle do país depois de 500 anos de dominío.

Como não conseguiram recuperá-lo em sucessivas eleições, buscam agora outros meios para impedir a reeleição da presidente Dilma Rousseff, atingindo o seu principal eleitor, o ex-presidente Lula.

Para atingir este objetivo, tentam desde o início do governo Dilma jogar um contra o outro, buscando desqualificar o PT e as forças sociais que o levaram à vitória em 2002.

Até hoje não funcionou. Ainda ontem, durante visita oficial à França, a presidente Dilma foi a primeira autoridade brasileira a sair em defesa de Lula:

“É sabida a minha admiração, meu respeito e a minha amizade pelo presidente Lula. Portanto, eu repudio todas as tentativas – e esta não será a primeira vez – de tentar destituí-lo da imensa carga de respeito que o povo brasileiro lhe tem”.

A iniciativa do debate político no país para a discussão dos grandes temas nacionais deixou de ser do Executivo e do Legislativo e hoje é determinado por uma ação coordenada entre a mídia e as instituições jurídico-policiais, que estabelecem a pauta do noticiário.

Na mesma terça-feira em que uma reportagem do “Estadão” vazou as declarações feitas por Marcos Valério em depoimento à Procuradoria-Geral da República, em setembro, envolvendo Lula no mensalão, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, ao ser indagado sobre a necessidade da abertura de novas investigações, não pensou duas vezes: “Creio que sim”.

Foi o que bastou para que a concorrente “Folha” saísse com a manchete garrafal: “Presidente do Supremo quer Lula investigado no mensalão”.

Faltando ainda dois anos para as eleições presidenciais de 2014, só posso atribuir esta ofensiva contra Lula agora ao desespero de setores alijados do poder pelo PT que não conseguem encontrar um candidato viável e confiável. Na falta de um candidato, procuram destruir o outro lado.

Cada vez que sai uma nova pesquisa de opinião mostrando a força de Dilma e Lula no eleitorado e a fragilidade dos candidatos da oposição, parece aumentar o furor dos que não se conformam com as conquistas sociais e econômicas dos últimos anos que garantem a alta popularidade dos líderes petistas, apesar do bombardeio sofrido nos últimos meses.

Desta forma, antes mesmo do julgamento do mensalão terminar, vai começar tudo de novo, quem sabe esticando o caso até as próximas eleições presidenciais, enquanto repousam no Supremo Tribunal Federal toneladas de processos antigos envolvendo outros políticos de outros partidos.

Responder

Geraldo Souza

12 de dezembro de 2012 às 15h15

Perdeu a “capacidade de reagir” por incompetência política tentando uma postura do “paz e amor”! A eleição acabou – o mundo real voltou a influir nos desígnios políticos da Nação e dos que nele são responsáveis. A individualidade e o narcisismo político está presente nos líderes do PT no Congresso. Querem sobre si o foco da mídia para interesses particulares – eleições 2014! Nesta hora, precisariam serem corporativistas políticos e partidários… isto é palavrão? Ao governo petista cabe igualmente despir-se da esquizofrênica receita de ativismo econômico, de um lado, e alucinado menosprezo ao engajamento político, do outro. Enquanto isto, a oposição arrasa de forma escandalosa na mídia, tentando anular tudo de positivo que o país possuiu a partir do Governo Lula e continua com a Dilma! As forças de esquerda, especialmente o PT, precisam reavaliar o cenário. Não podem ficar acuadas em função das visões pragmáticas e conciliadoras. O momento exige partir para a ofensiva. Antes que seja tarde!

Responder

Marcelo de Matos

12 de dezembro de 2012 às 14h35

Um ataque piguista como esse do caso Rosemary não é campanha eleitoral fora de época. O PIG usou a estratégia de que a melhor defesa é o ataque. Antes que alguém fosse investigar a relação de Alckmin com Gilberto Miranda, ou com a construtora CR Almeida, do falecido Cecílio do Rego Almeida, tão conhecido da mídia, partiram para o ataque contra Lula. Tanto Gilberto Miranda, quanto a CR Almeida, têm grandes interesses no porto de Santos e adjacências. São muitos milhões em questão. Essa deveria ser a preocupação de qualquer investigação séria. Operários já estavam trabalhando na obra do futuro porto, como constatou a reportagem da Folha. Isso não tem nada a ver com Rosemary: a Ilha dos Bagres é patrimônio federal e os invasores devem ser os mesmos que encomendaram os pareceres fraudados. Houve um desvio de foco blindando Alckmin e o Papa, prefeito de Santos.

Responder

Nelson

12 de dezembro de 2012 às 14h30

Dando sequência ao meu comentário da 12:17h.

Aos que perdemos grande parte da esperança no partido, talvez haja um consolo: o de que o PT não está de todo corrompido. Estivesse nesta situação, o partido teria chegado ao ponto em que o sistema deseja e estaríamos assistindo a um quase-silêncio da mídia diante de tantas denúncias que aparecem no dia a dia.

Basta lembrarmos da reação dessa mesma mídia hegemônica e de seus (de)formadores de opinião diante das privatizações feitas pelo governo FHC, esse sim “o maior (disparado) escândalo de corrupção da história do Brasil”. Basta vermos a reação quase inexistente dessa mídia diante da corrupção, em proporção muitas vezes maior que a do PT, que grassa até a medula nos partidos tradicionais como PSDB, PMDB, DEM, PP e outros.

Responder

Bruce Guimarães

12 de dezembro de 2012 às 13h57

Como que o PT vai reagir? Ele está enrolado até o pescoço nessa sujeira!!!

Responder

Gregório Bezerra

12 de dezembro de 2012 às 13h29

Meninos, golpe? Duvido, mas e se vier? Como seria ele processado? Alguém tem idéia? E daí? Quem vai reagir, uma meia dúzia de gatos pingados? Nós temos uma esquerda unida? PCB, PC do B, PSTU, PT, PSOL, PCO, PV, PSB, prá que que serve essa sopa de letrinhas auto-denominadas de pseudo esquerdistas? Pensemos…………………………!!!!!!!!!!!!!! Enfim, mais do mesmo, a mesma esquerda idiotizada que quer competir com a direita escrota, onde TODOS QUEREM SER O CHEFE DA PARADA(partido).

Responder

Emanuel Cancella

12 de dezembro de 2012 às 13h14

A mídia golpista esta em campanha para 2014. Eles querem destruir Lula que consideram ímbatível. A tática é um órgão de imprensa planta noticias negativas contra Lula e o PT e os outros órgão midiaticos reproduzem. Há um revezamento entre eles, uma ora é a Folha, depois o Estadão, o Globo, e também ora sai a Veja na frente, essa tática é para o desgaste não se concentrar em um só e também para mostrar que não é só perseguição desse ou daquele. Eles agem como verdadeira quadrilha. E para mostrar que não tem nenhum pudor se utilizam de condenados pela justiça para alimentar esse jogo sujo, como Marcos Valério e Carlinhos Cachoeira. Eles sabem que essas denuncias não vão dar em nada, são conhecidas também como nati morta, mas é a única arma que possuem para destruir Lula e derrotar o PT. Como diria o craque Garrrincha, quando o seu técnico propôs: Dribla um, dribla dois e depois cruza para linha de fundo. Garrincha retrucou ” já combinou com o adversário”. Resta saber se a sociedade depois de se aperceber dessa tramoia vai concordar com esses métodos praticados pela mídia golpista.

Responder

    Mário SF Alves

    12 de dezembro de 2012 às 13h57

    São métodos pós-modernos, não prezado Cancella? Fico pensando em até que ponto a informática, especialmente a Internet, não os acuou ou os motivou a seguirem este caminho. Parece que “golpes à la Paraguay” são a nova modalidade de golpe sob contingenciamento da ideologia neoliberal, não?

Carlos Lima

12 de dezembro de 2012 às 12h50

Azenha, estou colocando comentários nuns blogs que há um GOLPE em curso, os portais estão massacrando o PT e o Governo,a mais quente saiu agora no TERRA, numa coluna de um tal Silvio do Pernambuco, ” Afirmando que um HACKER, modificou o resultado das eleições este ano. vejam vocês a coisa está afunilando e como sabem não é preciso mais provas para nossa justiça, bastou falar tá condenado. Dilma acorda, a coisa está ficando insustentável, não espere nada do PT, o PT não ataca ninguém, só se defende e ainda por cima muito mau, leva gol de todo jeito e gol contra todo dia da própria defesa. Se melarem as eleições acabam com a autonomia do povo que é a unica coisa que ainda mantém o governo em pé, vejam que os caminhos estão sendo abertos, o governo vai cair, aguardem… A Dilma tem que chamar a base na honestidade, ou defenada o governo ou está fora. O TEMER é de SP, acorda DILMA, este é seu ITAMAR da vida, doidão doidão por uma oportunidade, acorda presidenta!

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

12 de dezembro de 2012 às 12h46

O grande problema político da direção do PT é que ela trabalha, o tempo todo, com a convicção de que ,”enquanto a economia estiver bem, o povo não dará a menor bola para a campanha denuncista da oposição”. Subestima-se, desse modo, o caráter de classe do Estado e superestima-se a capacidade de confrontar esse Estado com a política econômica pautada pela parcela de poder representada pela posse da Presidência da República ( muita gente confunde essa parcela de poder com o poder propriamente dito. Outros trabalham com a falsa ideia de que o Estado “pertence” à sociedade ou está acima da sociedade).Dessa maneira,o PT é vítima , a meu ver, de dois preconceitos. Primeiro, o que pressupõe que a maioria do povo jamais será afetada por essa campanha midiática, ou,pior ainda, mesmo que seja de algum modo afetada, não trocará o seu voto por conta da correção da política econômica. Confia-se exageradamente nessa tese, esquecendo-se que a oposição não precisa conquistar a maioria dos 54% de votos que Dilma recebeu em 2010, além de assegurar os 46% de votos recebidos por Serra. Tal campanha de desgaste sem contraditório, quando referenciada a 2010,grosso modo, precisa somente conquistar 5 % dos votos de Dilma ( lembro, para tanto, que como Dilma teve 54% dos votos válidos e Serra,portanto, teve 46% destes votos, então,se 5% apenas dos eleitores de Dilma fundados na classe média inverterem o seu voto por razões moralistas, Dilma teria 49% dos votos e Serra 51%). Portanto, trabalhar com convicção economicista de que essa campanha jamais produzirá os efeitos políticos eleitorais buscados é ser um ingênuo e contraditoriamente um arrogante ao mesmo tempo.
O segundo problema da direção do PT é que ela trabalha com a ideia de “povo-cliente”,ou seja, um povo ao qual se deve servir por convicções ideológicas, por se desejar fazer uma política justa, se esquecendo, entretanto, de uma ideia central para todo partido político que se crê dos trabalhadores,ou seja, de que a política deve ser conduzida com base na consciência de que o proletariado é o agente social das transformações sociais que interessam à maioria do povo. Essa ideia é válida em qualquer situação política e não apenas nas situações ditas revolucionárias. Mesmo um período que se abre claramente para a conquista de grandes vitórias dos trabalhadores e do povo pela via das reformas, tal como o que estamos vivendo ( é lamentável que ainda exista gente que se considera de esquerda que não consegue perceber esse período como um momento em que se pode acumular grande quantidade de forças sociais passíveis de viabilizarem novas conquistas no futuro) os trabalhadores devem ser tomados como a força social motriz destas reformas, não apenas porque se beneficiam delas , mas principalmente porque são passíveis de serem mobilizados para lutarem por elas ,de forma unitária e organizada, nas ruas, contra os ataques da direita.
Sim, não é possível que se continue acuado, permanentemente na defensiva, denúncia após denúncia, limitando-se a respondê-las com notas e breves declarações na mídia. Urge partir para ofensiva! Mas o que seria “partir
para ofensiva” nesse momento de articulação da direita a partir de seu controle sobre grande parte do Estado,controle esse que independe das escolhas eleitorais feitas pelos cidadãos (refiro-me,por exemplo,ao seu controle sobre o Poder Judiciário e sobre o Poder Midiático que, embora exista quem não se dê conta disso, também faz parte do Estado,tanto que é uma concessão do Estado)? A meu ver, a defesa de Lula e do próprio PT e de seus aliados à esquerda passa pela luta combinada por duas reformas urgentes, de tal sorte que o encaminhamento dessas três lutas devem ser simultâneo, sendo que , cada luta considerada isoladamente, se fortalecerá por conta do encaminhamento das demais, ao mesmo tempo que deve sempre referir-se às duas outras. Refiro-me às reformas do Judiciário e dos meios de comunicação.
Sobre a reforma do Judiciário, tenho lido alguma artigos interessantes no blog do Nassif. Uma delas apresentou o modelo de controle da constitucionalidade na França que é inteiramente diverso do daqui. Postarei abaixo, no campo resposta, o teor dessa matéria que deliberei arquivar no meu PC. Penso que , talvez, a luta por um modelo de controle de nossa constitucionalidade semelhante ao adotado na França poderia ser vitoriosa no âmbito do Congresso Nacional, nos preservando da arbitrariedade do nosso atual controle representado pelo STF, se houvesse um mínimo de pressão política vindo de baixo, das ruas, da sociedade civil organizada.

Responder

    Darcy Brasil Rodrigues da Silva

    12 de dezembro de 2012 às 12h49

    MATÉRIA PUBLICADA NO BLOG DO LUIS NASSIF SOBRE O MODELO DE CONTROLE FRANCÊS DA CONSTITUCIONALIDADE.

    Dos países ocidentais, a França, por razões históricas, foi o país que mais teve dificuldades em aceitar o controle de constitucionalidade, e, quando o fez, adotou um modelo de controle com tantas peculiaridades em relação aos controles europeu e americano que merece ser analisado em tópico específico.

    Determinado sistemas constitucionais, reconhecendo que o controle de constitucionalidade das leis tem efeitos políticos e confere ao órgão exercitante uma posição de preeminência no Estado, cuidam mais adequado e aconselhável cometê-lo a um corpo político, normalmente distinto do Legislativo, do Executivo e do Judiciário. Deixam assim de confiá-lo aos tribunais.

    Esse órgão pode ser uma assembléia como um conselho ou comitê. O país onde tal controle primeiro floresceu foi a França, que o viu nascer da obra de um dos principais legisladores da Revolução Francesa: o jurista Seyès. Com propor ele um mecanismo político de controle, cuidava interpretar e remediar o sentimento nacional de desconfiança contra os tribunais do ancien régime.

    Os excessos dos juízes no período pré-revolucionário causaram grande desconfiança dos franceses em relação ao Judiciário. A soberania do parlamento simbolizava a força da vontade do povo, que definia suas próprias leis, não cabendo ao Judiciário a apreciação da vontade popular.

    A soberania parlamentar confunde-se com a soberania da lei. […]

    A revolução criou, desenvolveu e prolongou no tempo a ‘desconfiança’ pelo Judiciário. Sieyes, quando optou por um órgão político e distinto dos demais para o exercício de controle ainda incipiente, não era estranho ou infenso a esse clima desfavorável, cujos elementos negativos provinham da história do Ancién Régime.

    Ordinariamente, por prevenção, os revolucionários de todos os tempos sempre nutriram desconfianças contra o espírito conservador dos juízes. […]

    O período revolucionário legou, assim, dois dados fundamentais para situar negativamente, na França, o problema do controle das constitucionalidade das leis: a diminuição institucional do Poder Judiciário e a idéia da soberania da lei.

    Essas circunstâncias históricas criaram um movimento contrário ao controle de constitucionalidade, o qual, porém, sendo expressão do constitucionalismo, e marcando a evolução da proteção aos direitos fundamentais, tão defendidos na Revolução, não poderia ser evitado. A França acabou por adotar uma forma de controle de constitucionalidade, adaptando-a a suas peculiaridades.

    Afastou-se, de logo, a possibilidade de controle realizado pelo Judiciário, defendendo-se a criação de uma corte constitucional – o que não era novidade, pois Kelsen já defendia o mesmo na Áustria. Cria-se o Conselho Constitucional, órgão de natureza política , diverso do Poder Judiciário, com atribuição precípua de analisar a constitucionalidade das leis.

    De conformidade com o art. 62 da Constituição da França, de 1958, “as decisões do Conselho Constitucional não são suscetíveis de recurso” e “se impõe a todos os poderes públicos e a todas as autoridades administrativas e jurisdicionais”.

    Em 1795, na elaboração da Constituição do ano III, Sieyès sugeriu a criação de um órgão político, corpo representativo da nação, incumbido de anular atos violadores da Constituição. Essa sugestão não prosperou, sendo bastante criticada pelos parlamentares. Na Constituição de 1799, houve a instituição do Senado Conservador para manter a Constituição, mas tal controle não se mostrou eficaz, deixando de anular atos inconstitucionais de Napoleão Bonaparte. A Constituição de 1852 manteve o Senado Conservador, que continuou sendo um órgão de controle meramente semântico.

    Só em 1946 foi efetivamente instituída a fiscalização constitucional, com a criação do Comitê Constitucional, órgão político, mantido, com algumas modificações, pela vigente Constituição de 1958, que passa a denominá-lo Conselho Constitucional.

    No sistema francês, a obrigatoriedade do controle depende do tipo de norma: é vedado o controle quando o povo adota a lei por via de referendo; quando se tratar de leis orgânicas ou de regimentos da Assembléia Nacional ou do Senado, o controle passa a ser obrigatório; e, enfim, nos demais casos, não se tratando de lei ratificada por referendo ou de leis orgânicas ou de regimentos da Assembléia Nacional ou do Senado, o controle é facultativo.

    O art. 41 da Constituição francesa prevê um controle preventivo a ser realizado pelo Conselho Constitucional durante o procedimento legislativo. É preventivo porque ainda não existe espécie normativa em vigor, encontrando-se em processo de deliberação. Poderá, neste caso, o Conselho Constitucional, desde que provocado pelo Presidente de qualquer das Casas Legislativas, analisar a constitucionalidade do projeto de ato normativo.

    Também pode ocorrer o controle em face de um ato normativo já votado e aprovado, desde que não tenha sido promulgado. São legitimados para provocar o Conselho Constitucional a realizar o controle constitucional, no caso de lei já aprovada, o Presidente da República, o Primeiro Ministro, o Presidente da Assembléia Nacional, o Presidente do Senado Federal, ou, em iniciativa conjunta, o total de sessenta deputados ou sessenta senadores. Em qualquer caso, deverá o Conselho se pronunciar no prazo de um mês, salvo no caso de pedido de urgência pelo Governo, quando o prazo passa a ser de oito dias. Durante esse período, fica suspenso o prazo para a promulgação da lei impugnada.

    Diferentemente da corte constitucional preconizada no modelo europeu, a corte francesa não faz o controle de leis após sua eficácia, o controle de constitucionalidade é realizado antes da eficácia da lei, sendo obrigatório para leis complementares e facultativo para leis ordinárias, as quais, após publicação, permanecem sem eficácia por trinta dias, após esse prazo, se não houver alegação de inconstitucionalidade, a lei passa a ter eficácia. O controle exclusivamente a priori é a característica marcante e inovadora do modelo francês.

    O controle de constitucionalidade francês, portanto, é realizado de maneira preventiva, por um órgão especial, distinto dos três Poderes clássicos, denominado Conselho Constitucional. Antes da promulgação, as leis são enviadas a esse conselho que declara ou não a sua constitucionalidade, e essa decisão vincula as autoridades administrativas e judiciárias.

    Não há, em nenhuma hipótese, controle após a decisão, sempre prévia, do Conselho. Deste modo, o modelo francês preza pela segurança jurídica, a lei só tem eficácia após passar pelo controle do Conselho Constitucional – obrigatório, para as leis complementares e facultativo, para as leis ordinárias – e, após o início de sua eficácia, não cabe mais qualquer tipo de controle de constitucionalidade, a lei será definitivamente tida por constitucional.

    Não se pode esquecer, contudo, que a fiscalização (em certos casos de provocação obrigatória, em outros de provocação facultativa) exercitada pelo Conselho Constitucional é meramente preventiva, razão pela qual, uma vez promulgado o ato legislativo, caberá às autoridades públicas não mais do que cumpri-lo. Após a promulgação da lei não há mais lugar, na França, portanto, para a manifestação de qualquer mecanismo de aferição da sua legitimidade constitucional.

    O Poder Judiciário, desta forma, não detém competência para o controle, abstrato ou difuso, de constitucionalidade, na França, sendo essa competência exclusiva do Conseil Constitutionnel, órgão político e autônomo, não vinculado ao Executivo, Legislativo ou Judiciário.

    Esse controle, bastante eficiente na França, possui dificuldades de ser exportado para outros países, pelo menos em sua formação integral, já que construído em uma realidade tão marcada pela vontade da lei, reconhecida como expressão máxima da vontade do povo.

Miranda afonso

12 de dezembro de 2012 às 12h37

O lula e a Presidenta Dilma, não devem alimentar este tipo de demuncia, é isto que eles querem. Hoje, pode não parecer, mas o povo é mais politizado, não vai ser fácil derrubar, apenas com este tipo de procedimento. Éles estão querendo o acirramento.

Responder

Helio Filho

12 de dezembro de 2012 às 12h23

Não vai dar certo, de novo.

Responder

Nelson

12 de dezembro de 2012 às 12h17

O que vem acontecendo serve também como alerta para alguns partidos de esquerda que, para tentar extrair frutos políticos da crise moral que se abateu sobre o PT, andaram, em alguns momentos, fazendo coro com a direita. Essa direita irá tratá-los da mesma forma, caso, no futuro, venham a galgar uma posição de maior destaque no cenário de poder do país.

O certo é que, ou o PT não é corrupto ou não é corrupto tanto quanto a mídia hegemônica e a direita gostariam que fosse (a segunda alternativa me parece mais adequada à realidade). Caso o partido da estrela estivesse mergulhado de vez na corrupção, alguém acredita que estaríamos vendo na mídia “ilibada” todo esse alvoroço?

Responder

    Mário SF Alves

    12 de dezembro de 2012 às 13h48

    “Caso o partido da estrela estivesse mergulhado de vez na corrupção, alguém acredita que estaríamos vendo na mídia “ilibada” todo esse alvoroço?”

    _______________________________________________

    Nada como certa dose de boa inteligência. É isso aí, companheiro, não tenha dúvida. O ódio contra o PT não é ódio contra a ideologia que o move ou que o moveu um dia; o ódio contra o PT, amigo, é ódio contra tudo aquilo que o PT faz – aquilo que o torna praticamente imbatível nas urnas – e que jamais poderia fazer se tivesse se tornado um igual em termos de corrupção. Seria um partido totalmente indiferenciado e faltaria dinheiro para alavancar o progresso do País. Outra coisa, ainda a hipótese remota de que tenha havido um pacto de silêncio frente a auto corrupção, ora, nem isso seria admissível, pois equivaleria a um surto de esquizofrenia política. Imagine a singularidade ideológica da hipótese de um Lula ou um Zé Dirceu, multibilionários, torrando dinheiro em Cuba (ou nos EUA, que fosse). Estranho, absurdo, impossível. Seria o assassínio da própria história ou da própria razão de existir.
    _____________________________________
    PT, Lula, Zé Dirceu e Zé Genoino e Dilma sem povo são o mesmo que capitalista sem dinheiro e oposição midiática lacerdista sem intriga, calúnia e/ou difamação. Lula não é santo, ninguém é santo, mas, Lula só é o que é em razão direta do compromisso que ele assumiu com o povo.

João Alexandre

12 de dezembro de 2012 às 11h12

“O momento exige partir para ofensiva. Antes que seja tarde!” Isto resume tudo, a não ser que o rabo preso não permita sair do lugar…

Responder

Jorge Portugal

12 de dezembro de 2012 às 11h02

O blog do Eduardo Guimarães editou mais uma vez apoio ao Presidente Lula,que é muito justo! Mas com a omissão e a covardia do pt para isso tudo que está acontecendo, somos nós que resolveremos? Não vi até agora um deputado ou senador do pt subir na tribuna para defende-lo em época nenhuma, é por isso que escrevi e fui censurado. Tá difícil ser Lula.
Eu coloquei pt com letras minusculas, pois é assim que está o pt, minusculo.

Responder

Mário SF Alves

12 de dezembro de 2012 às 10h59

Depoimento “vazado”?!! Ah! Valei-me meu São Serapião das Voltas Que o Mundo Dá! Mas, o que é isto? Será algum Assange, versão mercenária, a soldo do capitalismo subdesenvolvimentista brasileiro?
_______________________________________
Alguém anda jogando pesado. E depois nós é que somos os sujos.
_______________________________________________

Mas, afinal, o que move as oposições, midiática e política, no Brasil de hoje? Por que tanto alvoroço?
Simples crise de abstinência de poder absoluto ante o risco de perderem mais uma eleição presidencial em 2014? Sede de petróleo? Pressão imposta pelas corporações norte-americanas e outras a exigir sua parte no eterno e incomensurável butim? Inconformismo ante os dividendos políticos decorrentes da plena superação da miséria que há séculos fez sofrer e humilhar mais da metade do povo brasileiro? Teríamos entrando em algum túnel do tempo e retornados aos idos/malditos de 64? Ou… na verdade, na verdade ainda tem muito mais coisa por trás desse horizonte cinzento que emoldura nossa frágil quase-democracia ?
___________________________________________________
Não. Não respondam. Já sei, o Lula da noite para o dia virou um superpoderoso super comunista e sozinho vai reconstituir a ex-URSS, para, ato contínuo, destruir o Império (norte-americano) do Bem, declarar o fim da propriedade privada no Brasil, sequestrar a poupança dos ricos, e em seguida dividir tudo com o povo (latifúndios, carros de luxo, apartamentos de alto luxo, tratores e bancos privados). Só pode ser isso. Alguém tem mais alguma pista que justifique tamanha irresponsabilidade cívica das oposições ao tornarem públicos tanto ódio, tanta difamação contra o Lula e o PT?
____________________________________________________________
Enquanto isso os “cachoeiras”, os privatas, os donos de opportunitys da vida seguem livres, leves e soltos, esfregam as mãos, lambem os beiços e se pocam de tanto rir. Vá entender. Pelo visto o capitalismo subdesenvolvimentista brasileiro possui razões que a própria razão desconhece. Só pode ser isso.

Responder

Mardones Ferreira

12 de dezembro de 2012 às 10h47

Será que o PT vai agir como o Jango? Não vai lutar, resistir?

Esse ‘remake ‘ pode acabar mal.

Responder

    Carlos Cruz

    12 de dezembro de 2012 às 11h31

    O Pt, desde quando baixou-se a Gilmar Mendes no tal “audio sem fio” e combateu a Operação Sathiagraha (é assim que se escreve?) deixou o fundo das calças de fora e mostrou que não tinha força de enfrentar a midia e a direita que tanto mal fizeram (e fazem!) ao pais. Mostrou-se um partido amedrontado e acovardado no enfrentamento de seus INIMIGOS (não adversarios!)e envergonhado de ser poder. Talvez ache que agindo como a avestruz o tempo passe e soterre as acusações que lhes são imputadas, engano seu. Tambem age como adversario de seus fieis apoiadores, sindicatos e funcionalismo publico, afastando-os de sua base de apoio. Sem responder e agir a contento faz um mea culpa, incriminando-se.

    Nelson

    12 de dezembro de 2012 às 12h09

    Muito bem colocado, Cruz. Os governos do PT, Lula e Dilma, pisam em compromissos históricos do partido – exemplo, o fim do fator previdenciário, para ficar só nesse – e querem agradar tanto a direita, que vão se afastando de seus apoiadores, daqueles que garantiram as vitórias nas eleições.

Carlos Lima

12 de dezembro de 2012 às 09h48

O Mêdo do PT, está custando a democracia brasileira, os bandidos estão usando a mesma tática, transfere o onus da bandidagem para o PT, que passivo assiste de camarote a velha mídia bandida confudir o povo, a democracia brasileira está por um triz, a cobaia foi o Paraguai, estou falando o governo vai cair, e cair numa trama espetacularmente cinematografica redigida e produzida no projac, aguardem.

Responder

    Daniel

    12 de dezembro de 2012 às 10h43

    Concordo. Ou o PT reage ou a nossa democracia já era.

    Carlos Cruz

    12 de dezembro de 2012 às 12h31

    Falta ao Pt um homem da estatura e a coragem de um Brizola, sem medo de enfrentar a direita entreguista e escravocata. Não se mostra a altura de sua missão, o que custara caro a democracia brasileira.

Izaltino Fonseca Costa Lima

12 de dezembro de 2012 às 09h45

O Altamiro tem toda razão, o PT precisa reagir com mais firmeza e o mais rápido possível em defesa do ex-presidente Lula e do próprio PT.

Responder

Alexandre Carlos Aguiar

12 de dezembro de 2012 às 09h44

Engraçado é que um monte de gente inocente achava que a direita que tanto mandou e desmandou, mamou e chupou o que pode durante anos no Brasil iria sair de cena assim, sem uma reaçãozinha. Alguns petistas históricos, inclusive, correram do pau na primeira cara feia, o que demonstra a total incapacidade de reação destes infelizes militantes de sofá.
E é melhor se prepararem porque isso é só o começo. Há gente grande e escolada por trás dessas “denúncias”, que ninguém se iluda. A briga vai ser na porrada mesmo, e isso não é figura de retórica.
Quando houve aquela história do dinheiro fotografado pela mídia, em 2006, e a história do falso dossiê, eu dizia para amigos que era a hora certa de desmascarar tudo e expor as feridas, antes que o tumor se alastrasse. Agora, a cicatriz parece não fechar mais.
O cheiro de podre de um golpe no ar está cada vez mais forte.

Responder

José Ricardo Romero

12 de dezembro de 2012 às 09h28

Os avisos e advertências ao PT e ao governo estão dados a muito tempo. Se adensam agora com a ofensiva da direita. Denúncias verdadeiras (sim, muitas delas são verdadeiras) e falsas não são respondidas, a não ser por desmentidos e declarações puerís vindo da direção do PT. A base aliada se assanha porque percebe que o PT e o governo se entregam sem se defender e sem lutar. Conceitos tipo petralha e corrútos petistas, embora injustos, já ganharam permeabilidade e é um fato da nossa cultura. Em muito pouco tempo, se é que isso já não ocorre, o governo não terá mais base aliada. Estarão todos na oposição, brigando entre sí, para ver quem leva a maior parte do espólio petista. A derrocada da era lulista e da promessa, nada mais do que promessa, dilmista já é um fato que se revela cada vez mais. A responsabilidade desta derrota vergonhosa do PT, apesar de todo o apoio do povo, se deve única e exclusivamente ao PT e ao governo.

Responder

henrique de oliveira

12 de dezembro de 2012 às 09h18

Os homens honestos da veja , estadão folha e globo.
Cacciola , Marcos Valerio , Daniel Dantas , Gilmar Mendes , Roberto Jeferson , Demóstenes Torres , Carlinhos Cachoeira , Arruda , etc etc.
Alguem acredita nessa laia?
DILMA 2014.

Responder

    José Ricardo Romero

    12 de dezembro de 2012 às 10h52

    Não foram feitos para que se acredite neles. Não necessitam de credibilidade. A ação, a estratégia é outra.

Horridus Bendegó

12 de dezembro de 2012 às 09h11

O Golpe já está em estado bastante avançado…

Denúncias seletivas; julgamento seletivo; Cachoeira solto, mas o PIG a bradar petistas na cadeia; câncer seletivo (Cháves, Cristina, Lugo, Lula e Dilma)…. aí tem as pegadas de Tio Sam…

Responder

LEANDRO

12 de dezembro de 2012 às 09h02

Depois dizem que é perseguição…

“Apontado pelo publicitário Marcos Valério como intermediário para o repasse de dinheiro do mensalão para pagamento de despesas pessoais do ex-presidente Lula, Freud Godoy continua recebendo pagamentos do PT.

Até o ano passado, a empresa dele, a Caso Sistemas de Seguranças, recebeu mais de R$ 1 milhão do fundo partidário da sigla.”

chega a ser hilário

Responder

abolicionista

12 de dezembro de 2012 às 08h48

Por que o Humberto Costa não fala sobre o papel da mídia nessa história? Por que o PT não age como partido?

Responder

claret

12 de dezembro de 2012 às 08h40

Mas qual é a direita , a qual tanto se teme? Aquela do Sarney,Calheiros,Collor, Jucá, Temer, Maluf, sócia do PT,ou a direita não sócia? A solução dos problemas do PT está tão perto, basta colocar seus aliados na luta. Todos experientes em falcatruas, corrupções, tudo aquilo que o PT fez e deixou rastros. Alguns destes citados já passaram alguns dias na cadeia? Aliados servem para isto, também.

Responder

José X.

12 de dezembro de 2012 às 08h33

A verdade é que infelizmente o Brasil está sendo dominado por uma quadrilha midiática-judiciária.

Essas solturas do Cachoeiras SEMPRE PELO MESMO SUJEITO (o tal Tourinho) são uma afronta a qualquer “pessoa de bem”.

Tá na hora de tacar fogo nesse judiciário e criar um outro que seja mínimamente imputável por suas ações, pois esse que está aí é medieval, deita e rola nos direitos e nas leis, e tudo isso ainda regiamente pagos por nós.

Acho que se dona Dilma não começar a exercer seu PODER a coisa vai realmente degringolar, pois a sociedade está anestesiada e não reage. Ela “tem a força”: as chaves do cofre. Mas ela tem que sair do torpor político em que entrou desde que foi eleita. O golpe já está em andamento.

Responder

abolicionista

12 de dezembro de 2012 às 08h21

Quem sabe o PT acorda? Acho que só vai acordar quando cari da cama…

Responder

    José Ricardo Romero

    12 de dezembro de 2012 às 10h50

    PT não vai cair da cama. Vai cair do catre.

renato

12 de dezembro de 2012 às 07h57

O Cachoeira, parece que não assistiu o filme ” Garganta profunda”
Parece ter aprendido algo na cadeia, quando diz ser o garganta profunda
do PT, até o Cachoeira esta ameaçando o Governo e o PT.
Amanha ele fala que o Lula que comprou a casa, O Lula que é culpado pela
crise na Europa ( Aplaudido de pé pelos alemães e Franceses, alguém esta morrendo de inveja).

Responder

CAI

12 de dezembro de 2012 às 07h53

Até o Carlinhos Cachoeira, solto ontem pelo Tourinho, disse que era o garganta profunda do PT. Se ele é o garganta profunda, deve ter praticado muita felação em tudo quanto foi preso que encontrou na prisão onde se encontrava.

Agora, falando sério. Disse o Miro ao longo da matéria: Os pronunciamentos e notas, porém, não são suficientes para conter a fúria da direita midiática e partidária.O momento exige partir para ofensiva. Antes que seja tarde!”

O que o Miro sugere com “partir para ofensiva?” Convocar o povo às ruas? Pela internet?

A Dilma está pagando caro por ter tentado conviver decentemente com a PIG e com o que resta da oposição eleita pelo povo. Essas pessoas foram eleitas, mas nao têm escrúpulos. E agora, Dilma?

Responder

renato

12 de dezembro de 2012 às 07h52

Lula e Dilma estão na Europa, momento propício para
falar de corrupção perante o Mundo!
Fazer perguntas ao Lula e Dilma, num momento em
que o BRASIL, é representado pelos dois.
E dizem que o PSDB esta morto, estas noticias
saíram logo de pois da reunião do Bando Tucanos.
Onde diziam que o foco agora era a Dilma, é obvio
atacando o Lula.
Estes caras estão brincando com fogo!
Medidas drásticas do governo devem ser tomadas
isto já esta influenciando na Economia Nacional!
Hoje eu entendi porque voces, chamam Miriam Leitão
de URUBóLOGA.
Lei dos medios e cortes na verba para propagandas
para TVs e Jornais, empresas particulares que parasitam
com dinheiro publico. Como fez o Requião!
A oposição deixa de fazer sua colaboração com o pais
num momento delicado para o Mundo, possivelmente
atendendo solicitações de gente de fora! Dinheiro!
Estou revoltado com esta situação, porque com certeza há
algo de podre nestas relações.

Responder

Jose Mario HRP

12 de dezembro de 2012 às 06h27

Agora que Lula soltou a voz tudo ficará mais fácil.
Essa era a senha para a reação. Provavelmente os podres da tucanagem vão ser novamente lembrados a quem de direito e possiveis perdedores com a apuração devida.
Tempo de “recadinhos”
Vamos ver quem tem mais garrafas!

Responder

Jose Mario HRP

12 de dezembro de 2012 às 06h00

Orrrrrrrra meu essa coisa contra o Lula, by M.Valério, cheira a naftalina!
De novo esse papo furado e velho?
Conta outra CAGUETA cabra saf,,,,,,,,!

Responder

Alexandro Rodrigues

12 de dezembro de 2012 às 04h41

Quando a Dilma e o PT perceberem o governo fraco e covarde que estão fazendo poderá ser tarde demais!

Responder

anac

12 de dezembro de 2012 às 04h05

Se eles ousarem – PiG, Judiciario de Joaquim Barbosa, PSDB e Demo -vamos promover uma marcha passifica a Brasilia por Lula passando por todas as capitais conclamando o povo a participar. Milhões marcharão por Lula. Os golpistas não passarão.

Responder

    anac

    12 de dezembro de 2012 às 04h16

    Marcha pacífica que passará por todas as capitais em direção a Brasilia.

    lulipe

    12 de dezembro de 2012 às 15h49

    Chame o papai-noel, ele já tem a cor do PT, para liderar a marcha!!!

Leonardo Câmara

12 de dezembro de 2012 às 03h16

Bom, tudo bem que a direita bate, mas… quem foi o “herói do povo brasileiro” que aproximou o PT desses meliantes? Esse sim é o verdadeiro pilantra. Alguém vai cantar a pedra? A culpa é toda dele.

Responder

Gerson Carneiro

12 de dezembro de 2012 às 02h48

Duvido da existencia de tais depoimentos. Se existissem já teriam sido exibidos no Jornal Nacional.

A cúpula do PT tem responsabilidade sobre esses ataques. Ao livrar a cara do Gurgel do relatório da CPMI do Cachoeira abriu o flanco para os inimigos.

Quem mandou esmorecer e dizer que o Gurgel era questão secundária?

Responder

Sérgio Vianna

12 de dezembro de 2012 às 02h37

Enquanto a direita faz política, com seus ataques diários, o PT faz burocracia, com suas notas insossas.

Parece que o mundo virou de ponta cabeça, pois há 15 anos era exatamente o contrário.

Responder

Sérgio

12 de dezembro de 2012 às 02h18

Estão com saudades de 64:
A união entre os derrotados (PSDB/DEM), uma parcela da população que até então usufruía do Estado Brasileiro, um PGR sob suspeita e a velha e golpista mídia de sempre.

Responder

José BSB

12 de dezembro de 2012 às 01h50

Com o pauteiro da veja em liberdade, a tendência é piorar.
Aliás, mais um caso de HC relâmpago. O sujeito é condenado a quase 40 anos de cadeia, mas após algumas horas a decisão que decretara a prisão é suspensa, em caráter liminar, por um desembargador que leva em consideração apenas os argumentos da defesa. Os fundamentos da ordem de prisão são solenemente igonrados, apesar de tudo que já foi revelado pela instrução criminal quanto ao poder de organização da quadrilha.
E os coleguinhas acreditam no trolóló que anuncia uma nova era no combate à corrupção inaugurada é, claro, tão somente pela condenção do mensalão.

Responder

    LEANDRO

    12 de dezembro de 2012 às 07h24

    Como manter preso esse homem…”Ao deixar prisão, Cachoeira diz ser ‘garganta profunda’ do PT”

    “Agora eu acho que vou falar realmente. Amanhã tem a coisa da CPI, né, o relatório final. Vou falar de alguns personagens que a Delta tem diretamente participado na vida deles e que hoje estão na CPI fazendo um relatório totalmente sem escrúpulo nenhum”

    vai ver pagaram até os advofados dele também…

    José BSB

    12 de dezembro de 2012 às 12h31

    Se o cachoeira resolver falar, vai seguir o mesmo padrão do marcos valério. Se surgir a “informação” que o Lula comprou o título da libertadores para o Corinthians, tá valendo. A mulher do bicheiro foi indiciada porque ameaçou o juiz federal com um dossiê que seria encomendado ao policarpo jr. Estranho, pois esta barbaridade não rendeu manchetes. O PT mija nas calças e desiste do indiciamento do jornalista.
    Se o Perillo fosse petista, já teria rodado sem necessidade de provar o domínino do fato.

    Jairo Falcucci Beraldo

    12 de dezembro de 2012 às 09h29

    E ainda ameaçou: “Sou o Garganta Profunda do PT”, disse o patrão do tucno Perillo. Ele também prometeu revelações sobre a Delta: “Vou falar de alguns personagens que a Delta tem participado da vida deles (sic). Esses personagens estão na CPI”, declarou ao deixar o estágio para curió,dizendo que revelará tudo que sabe “amanhã”, após conversar com seu advogado.

Ana Giulia Zortea

12 de dezembro de 2012 às 01h39

Esta história toda ja foi longe demais. Se o presidente Lula não se manifestar de maneira ofensiva como vem sendo atacado, vai deixar duvidas na cabeça do povo. Não se pode esquecer que o povo brasileiro é muito influenciável pela mídia, por coisas que saem na TV. Acho que agora é hora de partir pra cima, não se pode aceitar este tipo de denuncias contra si e apenas dizer que não vai acreditar em mentiras. O problema não é ele acreditar em mentiras, as pessoas que pensam um pouco sacam logo que isto é um jogo de poder pra manchar a imagem do presidente Lula, mas o povo em geral, o povão que muitas vezes não tem muita informação, não lê, não se informa e não é critico, corre um grande risco de se deixar enganar por estas denuncias vazias que saem na TV todos os dias. É pensando nestas pessoas que o presidente deve agir de maneira mais radical. Estou chocada com o que vem acontecendo. Até na vida particular do presidente estão se envolvendo, e desrespeitando a sua família inclusive a sua esposa Dona Marisa. Este povo tem tanto ódio do Presidente Lula que não da pra entender, vejo isto nos comentários de outros sites, tudo é motivo pra falar mal dele, de tentar ridiculariza-lo e de diminui-lo. Fala-se o tempo todo que quem acredita no Lula e no PT, ou é “petralha”, ou são pessoas sem cultura. Está oposição só mostra com tudo isto que são um bando de elitistas que não se conformam com a mudança de nível sócio econômico que vem acontecendo no Brasil.

Responder

    anac

    12 de dezembro de 2012 às 04h13

    O povo reinteradamente nas eleições já demonstrou que esta com Lula. A eleição de Haddad contra o maior representante da direita é prova cabal e insofismavel. Mas se eles querem uma MARCHA POR LULA o povo fará.Não duvide o povo esta com Lula. Parte da classe mrdia é que na extrema covardia se deixa influenciar pelo PiG.São poucos mesmo tendo a midia golpista do lado.

    FrancoAtirador

    12 de dezembro de 2012 às 10h00

    .
    .
    Esta é a grande Pequena Aninha !

    Brilhante, como sempre !

    Este comentário merece um post no Viomundo.
    .
    .

Leitor Euler: PT perdeu capacidade de reagir « Viomundo – O que você não vê na mídia

12 de dezembro de 2012 às 00h54

[…] Em comentário no site […]

Responder

Euler

12 de dezembro de 2012 às 00h50

Ao que parece, de tão golpeado, o PT perdeu a capacidade de lutar e de reagir aos ataques da direita. Uma nota de repúdio, apenas, é algo ridículo diante do que tem sido vítima diariamente. Se o PT não reagir à altura (ou à baixeza dos inimigos), será melhor pedir perdão aos brasileiros e entregar o governo.

É inaceitável, nestes 10 anos de governo federal, que o PT não tenha conseguido uma mídia de grande alcance para se defender. Poderia incentivar um grupo de jornalistas independentes, em cooperativa, a adquirir uma TV nacional, rádios e jornais regionais, com o patrocínio de bancos e empresas estatais. Até o bispo Macedo conseguiu montar uma máquina midiática nacional para se defender dos ataques da Globo; só o PT leva cacete dia e noite e permanece incapaz de reagir.

O PT não consegue sensibilizar e mobilizar a militância e nem tampouco os aliados, mesmo os fisiológicos, que disputam cargos no governo, mas se abstêm de defender as lideranças e o governo federal.

Ora, o que está em jogo, por parte da mídia dos tucanos (Globo, Folha, Veja, Estadão, jornais e rádios regionais) e do STF majoritariamente tucano (apesar ter sido indicado majoritariamente pelos governos petistas) é a destruição da imagem do principal líder do PT, do próprio PT e do governo Dilma. Uma coisa é a crítica à esquerda ao governo do PT, por não ter tido a coragem de enfrentar as elites em questões fundamentais, como: reforma agrária, investimento na Educação básica, monopólio da mídia, juros da dívida interna, etc; outra coisa é esse agressivo ataque moralista da direita udenista. Até quando o PT vai engolir isso sem esboçar uma reação que mereça o respeito da maioria dos brasileiros?

Pode ser que essa incapacidade de combate se deva à inexistência de quadros políticos capazes de conduzir este enfrentamento com a direita. Algumas das principais lideranças do PT foram feridas de morte com o processo do mensalão. O partido foi tomado em grande parte por oportunistas que sabem apenas defender os seus interesses pessoais e dos grupos que os apoiam eleitoralmente.

O principal líder do partido está sendo diariamente massacrado pela mídia, inclusive em assuntos pessoais. E a presidenta Dilma talvez tenha se dado conta de que não conta com uma força política capaz de defender seu governo, e com isso tenta, em vão, salvar-se com uma certa distância dos fatos. Mas é claro que ela está na mira da direita, que já se prepara para golpeá-la, como agora fazem com Lula e outras lideranças.

Ao aceitar jogar o jogo da direita fazendo todas as concessões, o PT se tornou muito igual aos partidos das elites; e o que ganhou em votos para eleger prefeitos e presidentes, parece ter perdido em apoio social dos movimentos organizados. Hoje, quem defende o governo federal são alguns poucos jornalistas independentes, através da Internet. Os sindicatos e centrais sindicais, ao agirem como autarquias do governo, perderam credibilidade e não conseguem mobilizar os trabalhadores em defesa do governo federal – que por sua vez, não consegue discutir um projeto de política social mais radical, capaz de empolgar os movimentos sociais.

Neste dramático quadro, se a economia declinar, a direita terá condições de derrotar o governo do PT. O que representará um enorme retrocesso para a maioria da população. Não pelo fim em si do governo petista, que muito deixa a desejar, mas pelo retorno das piores forças do atraso ao governo federal.

Responder

    Palomino

    12 de dezembro de 2012 às 08h01

    A sua análise foi perfeita, Euler. Só queria acrescentar que muito do que passa o PT agora é fruto de erros praticados ainda no governo passado. O presidente Lula sempre fugiu ao enfrentamento com a direita buscando inutilmente o caminho da conciliação com os adversários, e terminando invariavelmente chantageado por eles. É inexplicável as nomeações da cúpula do judiciário feitas por Lula. Faltou assessoria, ou quis agradar a direita? E o que o Jobim, Delfim Neto, Lobão e outros mais fazem (ou faziam) dentro do governo? Esse pessoal tem alguma afinidade com o PT? Esse governo de “concertacion” praticados por Lula e Dilma foi um desastre no Chile e permitiu a volta da direita rançosa por lá.

    Fabio

    12 de dezembro de 2012 às 08h33

    Excelente texto Euler, sabias palavras.

    Horridus Bendegó

    12 de dezembro de 2012 às 09h19

    Euler, com o comportamento que temos visto dos políticos do PT em face da CPI do Cachoeira, fica difícil mobilizar a militância ou qualquer simpatizante…

    O PT que não se cuide, ou logo será defenestrado da vida política do país.

    Conseguiu ser o primeiro grande partido brasileiro a ter altos dirigentes na iminência de irem pra cadeia!

    Isso num país que tem o DEM!

    Infelizmente, o PT é um partido de covardes!

iza

12 de dezembro de 2012 às 00h34

Partir para a ofensiva JÁ – AGORA – antes que seja tarde!
Fora golpistas do supremo, fora golpistas da mídia partido!

TEMOS QUE IR PARA O PAU!

Responder

    ricardo

    12 de dezembro de 2012 às 09h11

    Partir para o pau? Então preparem-se para levar mais paulada. O PT está fazendo o certo, fingindo-se de morto até que o perigo se afaste. O que vocês ainda não entenderam é o seguinte: quem deve, teme.

    José Ricardo Romero

    12 de dezembro de 2012 às 11h08

    É verdade sim, que quem deve teme e que este silêncio, esta dormência do PT tem uma boa razão de ser: rabo preso. Acontece que, tendo estado por 10 anos no poder o PT também tem muito conhecimento (com provas) não apenas da oposição, mas também de partidos aliados que se bandearam para a oposição com oportunismo (leia-se PSB e PMDB). Ninguém escapa se jogarem merda no ventilador, nem mesmo a grande maioria do STF e da PGR escapa. Lembra que o Lula, antes mesmo de tomar posse em 2003 fez um pacto com FHC para só olhar para o futuro com a condição de uma oposição civilizada? A oposição rompeu o trato dois anos depois, no mensalão. E até hoje o PT não fez nada, com todo o arsenal de provas envolvendo muita gente importante, inclusive na mídia. E não faz nada. Deixa-se derrotar. Tinha que partir pro pau enquanto é governo e está numa posição de força.

Vagner Freitas: Chega de medidas paliativas! « Viomundo – O que você não vê na mídia

12 de dezembro de 2012 às 00h26

[…] Altamiro Borges: O cerco contra Lula se fecha. E agora? […]

Responder

Bonifa

12 de dezembro de 2012 às 00h13

Partir para a ofensiva, sim. Usar toda a influência possível para tirar da prateleira alguns dos escabrosos casos de corrupção que pairam sobre as cabeças de certos demos e tucanos de prestígio, e que estão dormitando inexplicamente, ajudaria e muito. Fogo se combate com fogo, em certos momentos cruciais. Este pessoal sujo não pode se passar por santo, de forma alguma.

Responder

Messias Franca de Macedo

12 de dezembro de 2012 às 00h12

… Nunca é demais relembrar: ‘a DIREITONA [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL – mais uma vez – está apostando todas as fichas(!) nas últimas consequências!’

“… O momento exige partir para ofensiva. Antes que seja tarde!” Leandro Fortes

O matuto ‘bananiense’: AS RUAS, BECOS, GUETOS, AVENIDAS… CANSARAM DE ESPERAR, ANSIOSOS, POR VOZES!…

EM TEMPO I: o golpe é multifacetado e segue o rito do gradualismo!… Estamos na iminência de permitirmos tornarmo-nos uma ‘Brazinduras’ e/ou um ‘Brazilguai’!…

EM TEMPO II: se não fosse a internet e os blogueiros sujos, a DIREITONA já teria retomado o poder há muitos carnavais!…

RESCALDO: estamos (quase-)perdidos!..

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

ricardo silveira

12 de dezembro de 2012 às 00h09

Não se desaloja do poder, impunemente, uma elite criminosa que nele viveu e se lambuzou por décadas e décadas, desde o tempo da casa grande. O preço da ousadia de um metalúrgico e seu Partido dos Trabalhadores em tentar civilizar a distribuição da riqueza do país terá como único limite a resistência de uma sociedade esclarecida sobre tanta canalhice. O que vai ser difícil sem lei de meios. Com a Constituição de 89 achei que o Brasil havia entrado na modernidade. Ledo engano.

Responder

    Rose PE

    12 de dezembro de 2012 às 09h51

    Falou tudo, Ricardo!

J Souza

11 de dezembro de 2012 às 23h55

Essa semana vai ter festa em Pernambuco!!!
PG(“e Tucana”)R, ST(“ucano”)F, mídia (“Clarín brasileiro e asseclas) e PSDB fazendo campanha de graça para o Eduardo Campos, não tem preço!!!
Se continuar assim, o PSDB, o partido sem votos, não vai para o 2º turno contra a Dilma em 2014!!!
Eu quero é frevo!!!

Responder

    anac

    12 de dezembro de 2012 às 12h52

    A minha maior tristeza é pernambucanos servirem ao PiG na destruição de um pernambucano que fez tanto pelo Estado Pernambuco e o Brasil. Até pouco tempo os grandes nomes de pernambuco eram dois Cearenses: Miguel Arraes, Helder Camara. Até Lula o pernambucano salvar o Brasil. Retirar 40 milhões da indigencia. Fazer crescer o nordeste ao nivel da China. O maior preconceito sofrido foi por sua origem PERNAMBUCANORDESTINA. Se nascido no sul ou sudeste sua aceitação teria enfrentado menos obstaculos. Pernambucano que apoia o PiG na desocntrução de Lula no minimo sofre de complexo de vira-lata ou é mal intencionado.

Cibele

11 de dezembro de 2012 às 23h52 Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.