À sombra do Pinheirinho

Tempo de leitura: 2 min

por Luiz Carlos Azenha

Visita em dois tempos.

No primeiro, estávamos na Vila da Paz, uma comunidade de cerca de 2 mil habitantes em Itaquera, perto de onde está sendo construído o Itaquerão. Os moradores estavam em polvorosa. Sabem que serão removidos, por causa das obras que serão feitas no entorno do futuro estádio do Corinthians.

Nem precisei puxar conversa. A primeira palavra que veio das duas líderes comunitárias que discutiam a provável remoção foi Pinheirinho!

Ah, é o terror de quem mora precariamente na periferia de São Paulo: o Pinheirinho… Ser jogado para fora de casa, pela polícia, com bombas e cães. Perder tudo.

E tem alguém ajudando vocês?

— O padre.

Algum vereador?

— Não.

Algum partido?

— Não.

E o que é que vocês querem?

— Pagar prestação no programa Minha Casa, Minha Vida.

Segundo tempo, numa comunidade bem próxima, também ameaçada de expulsão. Os moradores insistem, insistem, insistem, até que uma equipe de televisão concorda em acompanhá-los para registrar o protesto.

Quando a equipe chega lá, é proibida por um grupo de militantes — que não são moradores do bairro — de filmar.

Os moradores ficam chateados, queriam aparecer na TV com suas demandas.

Mas os militantes, que não se identificam, dizem que é preciso acordar previamente com eles antes de registrar qualquer reunião.

Os líderes comunitários ficam visivelmente chateados.

A sorte do Partido dos Trabalhadores é que alguns partidos à esquerda dele são tão politicamente ineptos e tratam o “povo” de forma tão infantil que jamais vão conseguir eleger um vereador, o que dizer fazer revolução. Revolução, em Itaquera, é o Minha Casa, Minha Vida.

Perguntei às duas líderes daquela primeira comunidade, especificamente, sobre o PT: “O Lula arranjou o dinheiro para fazer o estádio, mas se esqueceu de nós”.

Leia também:

PSTU diz que polícia do Rio intima quem convoca manifestação


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

CC.Brega.mim

então tá.
revolução.
eu espero a hora mágica em que todos vão sair às ruas quebrando tudo
sem saber o que querem construir
sentada com meu saquinho de pedras
atirando-as em todos
amigos e inimigos
tudo fica como está
porque não largo meu saco..

mas eu conheço um cara
que saiu da merda
e chegou à condição
de fazer 2 milhões de casas de uma vez
hidrelétricas
ter petróleo
saúde
educação
botou 700 mil pobres na universidade
emprestou dinheiro pro chefe

mas não,
sou eu que sou revolucionária.
eu e o meu saquinho de pedras..

Roberto

Pinheirinho News.
.
Nesta segunda-feira, moradores remanescentes ameaçaram funcionário da prefeitura com paus e barra de ferros… O Clima é tenso e a PM está proibida de prestar qualquer assistência.
A situação continua muito tensa.

assalariado.

Aprendi o que é politica de luta de classes (capitalismo), dentro do Partido (que era) dos Trabalhadores. Historicamente, no Brasil, os partidos ditos de esquerda (do 1º ao último), nunca acreditaram/ acreditam que o povo, 'encostado" num partido de esquerda e da massas, se politizado, pode e poderá fazer a tranformação necessária para implantarmos a sociedade/ Estado Socialista em terras Brasilis. Esta é a (nossa), grande infantilidade ideologica, dos iluminados esquerdistas de não quererem descer do alto de seu pedestal e socializar seus conhecimentos politicos com as massas.

Reconheço que, os vários partidos de esquerda tem lá suas táticas de atuação. Porém, o PT, quando dos trabalhadores provou na pratica que isso foi, e é possivel. Foi o único partido que, através dos tempos, desceu até povo da periferia e frequentou portas das fabricas/ escritórios para dialogar com os assalariados. Hoje sem medo de dizer, já vou dizendo, estes partidos esquerdistas aburguesados, tem medo de nós da periferia, dizendo que aqui tem muito bandido. É isto mesmo, foi o que escutei de um ex- vereador da cidade que moro (ele se diz de esquerda), quando o convidei para uma reunião em meu bairro. Mas sou muito teimoso, sou Brasileiro, sem ser bairrista. Não desisto de transformar minha patria, meu planeta, numa casa socialista. Será que esta tarefa (trabalho de base), terá que ser iniciada pelos "blogs sujos"?

Isto mesmo, sair pelas cidades fazendo panfletagem do que se discute nos blogs (contra ponto à imprensa burgusesa?) Isto seria a contra revolução, via informação? Sim, o cerebro do nosso povo esta sob o cabresto da midia burguesa, este é o "X" da questão. Digo tudo isto, para quem pensa socialista (de fato). O que fazer? Como começar fazer?

Saudações Socialistas.

FrancoAtirador

.
.
A politicagem e a busca do Poder pelo Poder

deixam o povo necessitado à própria sorte.

As pessoas abandonadas pelos governos

num País que se pretende desenvolvido.

É uma constatação muito triste. Lamentável.
.
.

Leo V

Bom relato. Curto, e vai ao ponto. Tanto em relação ao PT quanto os toscos e autoritários partidos de extrema-esquerda.

Fabio_Passos

A população pobre está lascada. Os interesses econômicos passam por cima de direitos constitucionais sem nenhuma cerimônia.

francisco.latorre

revolução?..

..

Morvan

Bom dia.

Esta deveria ser a vocação natural do "Minha Casa, Minha Vida": resolver os problemas mais prementes de moradia. Aí tu vens e perguntas: "mas tem dinheiro para pagar a rentista, não tem?"; bom, a única coisa que eu posso fazer é assentir. Tem dinheiro sim, para escorchadores da Nação. Não para este povo humilde, que fica esmolando um lugar digno para viver e chamar de seu.
Aí, quando vêm um bocado de milicos ameaçar as instituições democráticas do país, construída com o sangue de muitos brasileiros e brasileiras, o Governo se cala ou fica falando sozinho, pois o povo humilde não consegue enxergar além dos seus problemas comezinhos, pois tanto não se identifica com ninguém, já que ninguém interveio por eles, bem como não foi educado para saber de qual lado ficar.
Política e ideologia não podem ser dissociados. Dá nisso…

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Eduardo Guimarães

Infelizmente – e escrevi sobre isso ontem -, o povo de São Paulo pensa que tudo é responsabilidade do governo federal. Lula não é prefeito de São Paulo e essa é uma questão municipal. É a mesma coisa que cobrar o governo federal pelo que aconteceu no Pinheirinho. A questão municipal – ou, no máximo, estadual – foi atribuída pela mídia e pelo PSDB ao governo federal. É piada. Este país tem mais de 5 mil municípios. Está na hora de esse povo começar a cobrar quem tem que ser cobrado, mas, para isso, precisa saber quais são as atribuições de cada esfera de poder. Por isso, outro dia, escrevi pedindo a volta da matéria OSPB (Organização Social e Política do Brasil) no currículo escolar, de preferência no ensino fundamental.

    Porco Rosso

    No caso das obras desse estádio o Governo Federal pode não ter responsabilidade direta, mas é importante lembrar que ele age da mesma forma, por exemplo, com obras de usinas hidrelétricas no Norte do País, impostas às populações tradicionais da região que serão (ou já estão sendo prejudicadas) de forma verdadeiramente ditatorial.

    Não se pode tratar desses abusos contra as populações pobres como uma luta eleitoral do PT contra o PSDB, porque elas são, na verdade, uma clara luta de classes; e o PT, infelizmnte, está do lado das elites, e isso tem ficado cada vez mais evidente ao longo deste governo capitalista da Dilma, apesar de ainda haver gente que nega com todas as forças.

Gerson Carneiro

A construção do estádio deveria estar condicionada à efetiva integração desse povo no programa Minha Casa, Minha Vida.

    Fabio_Passos

    Exato.

caioha

Belo texto Azenha.

Deixe seu comentário

Leia também

Política

Berenice Bento: Carta aos que não sepultei

Não sairemos iguais após o horror em Gaza

Política

O alerta de Paulo Nogueira Batista Jr à esquerda

Emprego, renda, injustiça social, imigração

Política

Jeferson Miola: Impunidades diplomáticas

Simas Magalhães, Eduardo Saboia, Ernesto Araújo…