VIOMUNDO

Diário da Resistência


Doutor que prevê “ruína” do Mais Médicos precisa ler Privataria Tucana
Denúncias

Doutor que prevê “ruína” do Mais Médicos precisa ler Privataria Tucana


28/04/2014 - 20h38

De pai para filho: Miguel Srougi, o “desistente” César Câmara e Thomaz Srougi

por Conceição Lemes

A cobertura da Folha de S. Paulo sobre o Mais Médicos é distorcida desde o início do programa. Um exemplo de mau Jornalismo.

Lembram-se de quando a Folha descobriu o caso dos médicos “desistentes”?

E de que um dos “descobertos” fazia parte do corpo clínico do setor de Urologia do Hospital Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, cujo professor titular é o dr. Miguel Srougi?

E de que o “desistente” trabalhava também numa clínica particular do dr. Thomaz Srougi, filho do dr. Miguel, na entrada da favela do Heliópolis?

Como tem leitores novos chegando, vale a pena relembrar a história.

Em julho de 2013, a Folha deu na  capa do caderno Cotidiano: Médicos alegam falta de direitos e desistem de programa de Dilma. Subtítulo: Profissionais recuam de inscrição ao saber que não há décimo-terceiro e FGTS (grifo nosso).

Um dos “desistentes” encontrados pela Folha foi o dr. Cesar Camara:

“Não há direito algum. Fica complicado aceitar um trabalho nessas condições”, diz o urologista Cesar Camara, 38, de São Paulo, que fez a inscrição e desistiu de efetivá-la.

Camara era assistente do dr. Miguel Srougi na Urologia do Hospital das Clínicas de São Paulo e no Hospital Sírio-Libanês.

Também trabalhava na clínica privada do dr. Thomaz Srougi, filho do dr. Miguel, que fica na entrada da favela de Heliópolis e só realiza consultas particulares, que custavam de R$ 40 (clínica-geral) a R$ 60 (especialidades). Não aceitava convênio, tampouco cartão do SUS.

Na época, uma leitora indignada nos procurou para protestar contra a cobertura distorcida que, segundo ela, era dada pela Folha ao setor saúde do governo Dilma , especialmente ao programa Mais Médicos. Ela apontou a seguinte sequência de eventos:

O dr. Miguel Srougi escreveu um artigo de opinião no jornal detonando as ações do governo Dilma no setor de saúde:

Senhora presidente, mais um clamor, respeitoso. Assuma a determinação política de priorizar recursos para as áreas sociais. Atue na saúde com competência e sensatez, não com respostas transloucadas aos gritos indignados da nação. Para que os brasileiros possam vislumbrar o alvorecer com esperança. E combata com arrojo o grupo de ímprobos e incompetentes instalados no teu entorno. Sem esquecer o arcebispo Desmond Tutu: “Se ficarmos neutros numa situação de injustiça, teremos escolhido o lado do opressor”.

O dr. Miguel Srougi é o mesmo que, em 2010, havia rasgado elogios ao então candidato ao Planalto José Serra, do PSDB, adversário de Dilma:

Difícil conseguir isso? Não, se reconhecermos entre nossos dirigentes aqueles dotados de sabedoria e integridade, capazes de transformar a sociedade, tornando-a mais justa para seus filhos. Com esses sentimentos, coloco-me ao lado de José Serra.Pode-se concordar ou não com sua forma de se relacionar, muitas vezes difícil, mas não há como ignorar algumas marcas incomparáveis da sua atuação política. Nos cargos públicos que ocupou, suas ações beneficiaram não apenas os mais desprotegidos, mas todos os estratos da nação. Na saúde, Serra opôs resistência quase solitária aos interesses indevidos que, com uma frequência além do razoável, rondam o setor.

Neste domingo 27, Srougi voltou a atacar. O seu alvo: o Mais Médicos.  Raivoso, agressivo, ele “recebeu” Mãe Dináh e prevê a “ruína” do programa. O título e um trecho do seu artigo dão uma amostra do tom.

Rui Daherno Jornal GGN,  espantou-se com o tom do texto de Miguel Srougi (na íntegra, abaixo).

Para quem o conhece, nenhuma novidade.

As críticas e acusações do médico que faz o exame de próstata de boa parte do PIB brasileiro não são porque ele se preocupa sinceramente com a população pobre, os usuários do SUS e a saúde pública. Ao contrário. O motivo é ideológico. Ódio de classe.  Temor direitista de que Dilma se reeleja e leve junto alguns candidatos a governador. Estaria então tresloucado (palavra que gosta de usar para desqualificar ações do governo da presidenta) com essa possibilidade?

Em tempo.  Srougi associa o governo da presidenta à corrupção.

Sugiro-lhe que aproveite o  feriado de  1º de Maio para colocar em dia as leituras sobre José Serra, a quem ele considera como dotado de “integridade”.

Pode começar lendo as matérias sobre o propinoduto tucano.  Em Leia também, damos algumas sugestões.

Agora, uma leitura indispensável é o livro A Privataria Tucana, do jornalista Amaury Ribeiro Jr, que denuncia irregularidades na privatização das teles e um suposto esquema de evasão de divisas para paraísos fiscais durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

O livro traz uma revelação que parece ter sido esquecida pelos tucanos defensores da CPI da Petrobras: o doleiro Alberto Youssef já teria operado para Ricardo Sérgio de Oliveira, o ex-diretor internacional do Banco do Brasil e ex-caixa de campanha do ex-ministro José Serra, duas vezes candidato derrotado à Presidência.

******

Na Folha, fala em “ruína” do Programa Mais Médicos

seg, 28/04/2014 – 11:01 – Atualizado em 28/04/2014 – 11:09

por Rui Daher, no Jornal GGN, sugestão de Júlio Cesar Macedo Amorim 

Vindo de um dos médicos mais importantes do Brasil, respeitado no exterior, e que sempre publicou textos equilibrados e de fundamento humanista nas folhas e telas cotidianas nacionais, é surpreendente o artigo de Miguel Srougi, publicado ontem, 27/04, na Folha de São Paulo.

Título e lide resumem o espírito que nutre o autor:

“Mais Médicos: Fragmentos sobre a loucura”.

Lamento ver a ruína do Mais Médicos. Os nossos governantes esforçam-se para esconder os frangalhos da ação tresloucada.

E para onde navega o pensamento crítico de Srougi? Para o Caribe. Para Cuba. Para a ditadura dos Castros. Pegou-lhe no fígado, de que não trata, pois é urologista.

Trazer os médicos cubanos, para ele, foi “iniciativa ilegítima, injusta, inconsistente e empulhadora”.

Daí em diante, repete chavões políticos, repisados pela Associação Médica Brasileira, que mais tratam do regime cubano do que das deficiências de saúde na Federação de Corporações, aliás, onde a dos médicos é das mais fortes.

Talvez, viessem os estrangeiros da Austrália ou da Colômbia, seriam mais bem aceitos.

O artigo fala dos apenas 10% da remuneração que vão para os médicos cubanos, e que vivem em cativeiros onde não podem expressar seus sentimentos.

Que fosse. Não estariam tais “escravos” vindo ao Brasil para melhorarem suas vidas? Como haitianos têm feito. Ou, por acaso, há certo receio de que se comprove a eficácia da medicina da ilha?

Segue: “em três anos serão transferidos R$ 5 bilhões para Cuba”. Não pode? Entramos na do embargo dos EUA? Elefantes brancos esportivos são mais necessários?

Bem, tem de tudo no artigo, tudo o que vocês têm lido por aí, de forma ainda mais estapafúrdia, pois com raiva certeira e explícita a Alexandre Padilha.

Incensa-se a excelência e boa-vontade dos profissionais médicos brasileiros, treinados por professores catedráticos sempre presentes.

Leia também:

A armação para fraudar contratos de R$ 2,7 bi da CPTM

Metrô e CPTM: Contratos somam superfaturamento de R$ 3,3 bi

Propinoduto tucano: Contratos com o governo chegam a R$ 40 bilhões

O dia em que Alckmin foi à Alstom e autorizou trens que seriam superfaturados

Júlio Cerqueira César: Sem racionamento, SP chegará a outubro sem água

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



40 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alves Reis

12 de maio de 2014 às 23h02

Esse tal Dr. Srougi, é um legítimo mercenário, que pelas entrevistas não deve nada ao HITLER, ou seja, um verdadeiro neo-nazista.

Responder

Antonio

03 de maio de 2014 às 12h33

Brasil da Dilma: os números falam por si mesmo

Fonte: Blog Conversa Afiada

Os números com
que Lula foi pra cima !

Fala, Dilma, fala !

O Conversa Afiada reproduz os números que o Nunca Dantes usou no comicio do PT .

O Arrocho Neves e o Dudu 3% foram soterrados …

O BRASIL DE 2014

➢ É a 7ª economia mundial

➢ É o 2º maior país exportador de alimentos

➢ É o 1º produtor e exportador de soja

➢ É o 1º produtor e exportador de café

➢ É o 1º produtor e exportador de açúcar

➢ É o 1º produtor e exportador de suco de laranja

➢ É o 1º produtor e exportador de carne bovina

➢ É o 1º produtor e exportador de frango

➢ É o 3º maior produtor de frutas

➢ É o 1º fabricante de jatos regionais

➢ É o 3º fabricante de aviões comerciais

➢ É o 4º mercado de veículos

➢ É o 7º produtor mundial de veículos

➢ Tem a 4ª maior indústria naval

➢ É o 2º maior produtor de minério de ferro

➢ É o 9º maior produtor de aço

➢ É o 4º maior produtor de cimento

➢ É o 4º maior produtor de celulose

➢ É o 1º em celulose de eucalipto

➢ É o 9º maior produtor de papel

➢ É o 7º maior fabricante de produtos químicos

➢ É o 8º maior produtor de alumínio primário

➢ É o 4º maior produtor de bauxita

➢ É o 3º maior produtor de alumina

➢ É o 5º maior produtor de têxteis

➢ É o 4º maior produtor de confecções

➢ É o 3º maior produtor de calçados

➢ É o 2º maior gerador de energia hidrelétrica

➢ É o 1º produtor de etanol e o 3º de biodiesel

➢ É o 7º maior gerador de energia elétrica e 9º maior consumidor

➢ É o 3º maior mercado de computadores pessoais

➢ É o 5º em telefones celulares e o 5º em telefones fixos.

➢ É o 4º país em usuários de internet e o 3º em número de servidores

➢ É o 4º país em extensão de rodovias

➢ É a 4ª maior força de trabalho (104 milhões)

➢ É o 7º maior mercado de consumo do mundo

➢ É o 5º em reservas internacionais (US$ 377 bilhões)

ENTRE OS PAÍSES DO G20 O BRASIL DE 2014

➢ Teve o 9º maior crescimento do PIB em 2013 (2,3%0)

➢ É o 1º na proporção entre reservas e dívida de curto prazo (10 vezes)

➢ É o 2º na proporção entre reservas e importações (18 meses)

➢ Teve o melhor resultado primário médio entre 2008 e 2013 (2,54%)

➢ É a 6ª menor dívida pública bruta em relação ao PIB (57,2%)

➢ Tem o 4º maior investimento Educação (5,8% do PIB)

➢ Tem o 9º maior investimento em Saúde (8,9% do PIB)

Responder

    Manoel

    23 de março de 2015 às 18h05

    Eu pergunto. Já que nós estamos num ranking otimo, porquê essa riqueza não e dividida com os brasileiros? O que agente vê o tempo todo são os escândalos e roubalheiras. Sempre falam em Fernando Henrique, etc como se o povo estivesse atrás dele ou de algum tucano, papagaio, macaco, etc. o que se fala e de alguém ou algum brasileiro que tenha moral e carácter pra tirar essa nação do buraco.

Jose C. Filho

02 de maio de 2014 às 11h20

O médico tucano, estaria preocupado com a queda de suas gordas receitas, ou, dada à sua especialidade, com ciúmes dos pacientes que serão tratados pelos profissionais do mais médicos?

Responder

Marat

01 de maio de 2014 às 21h04

Esses médicos também precisam ler “O Brasil privatizado”, do Aloysio Biondi

Responder

Adriano Medeiros Costa

01 de maio de 2014 às 15h48

Esses médicos são uma vergonha para o país.

Responder

Zanchetta

01 de maio de 2014 às 09h42

Além do Privataria Tucana, devia ler também o “Assassinato de Reputações”…

Responder

Fernando

30 de abril de 2014 às 21h14

O Aécio e o Dudu vão passar a campanha inteira dizendo que são a favor do Mais Médicos, do ProUni, do vestibular do Enem, das cotas raciais, do Bolsa Familía, do Minha Casa Minha Vida, do Luz Para Todos, enfim são a favor de tudo, contudo todos os que combateram e continuam combatendo todos estes programas e iniciativas estão apoiando um outro, e por que será? Claro que contam com eles para desmantelar todos estes programas.

É só ler as colunas e matérias sobre eles no pig, e também os comentaristas (internautas) simpatizantes das candidaturas deles para ver as expectativas dos mesmos, em tantos comentários cheios de racismo, sexismo, homofobia, elitismo, fascismo, e reacionarismo.

Que tipo de gente apoia estes candidatos da oposição, eles só vão mostrar quem interessa como Marina Silva no caso do Dudu. Vão esconder todo mundo no armário até a eleição.

Precisamos associar Aécio e Dudu a seus apoiadores.

Responder

    Fernando

    30 de abril de 2014 às 21h17

    …contudo todos os que combateram e continuam combatendo todos estes programas e iniciativas estão apoiando um outro ou outro…

Fernando

30 de abril de 2014 às 20h35

O grande plano do Alckmin para acabar com os Médicos cubanos e de quebra com os imigrantes haitianos é mata-los de sede, portanto a crise no sistema de abastecimento de água foi deliberada.

Os paulistas e paulistanos que também vão acabar morrendo de sede, será apenas um efeito colateral, baixas de guerra.

Aproveitando, também informo que o trensalão foi apenas uma política para fomentar a indústria e o transporte ferroviários, tudo feito com a melhor das intenções.

Responder

Clayton Benevides

30 de abril de 2014 às 16h26

Não gosto da postura da maioria dos médicos brasileiros. Talvez essa seja uma característica dos médicos do mundo capitalista onde medicina é um bom negócio. Como não considero medicina um negócio não respeito a classe médica brasileira. Se tiver sorte, espero morrer uma morte simples e rápida e que não dê tempo de um médico deste naipe tocar em mim!

Responder

ZePovinho

30 de abril de 2014 às 15h36

Mas ele tem um mérito,Azenha!!!Não sejamos tão injustos!!!O cara enfia o dedo no fiofó de grande parte do PIB nacional!!!Meu ódio de classe contra o capitalismo patrimonialista semi-capitalista brasileiro homenageia o doutor !!!

…As críticas e acusações do médico que faz o exame de próstata de boa parte do PIB brasileiro não são porque ele se preocupa sinceramente com a população pobre, os usuários do SUS e a saúde pública. Ao contrário. O motivo é ideológico. Ódio de classe. Temor direitista de que Dilma se reeleja e leve junto alguns candidatos a governador. Estaria então tresloucado (palavra que gosta de usar para desqualificar ações do governo da presidenta) com essa possibilidade?

Responder

Carlos Eduardo Cardoso

30 de abril de 2014 às 14h58

O Doutorzinho em questão, sem querer, reconhece que a situação dos que não eram atendidos antes da chegada do mais Médicos era de horror e, se eles forem embora, esta situação retornará.
O que ele não disse, mas teme é que a situação dele e a do filho se torne um horror quando a população brasileira perceber, graças à prática cubana de medicina, que não precisa gastar rios de dinheiro para ter saúde.

Responder

Mardones

30 de abril de 2014 às 13h31

O mais médico vai acabar com os tucanos! Se ainda houver água em São Paulo, ‘gerenciada’ há décadas pelo PSDB. rs rs rs rs rs.

Responder

Francisco

30 de abril de 2014 às 03h12

Pelo tom do texto do tal médico, pensei que ele ia se retar, pedir para Dilma botar os médicos gringos para fora, economizar a grana paga a gringos, cobrar que ela fosse aplicada no SUS e exigir que médicos brasileiros cumprissem com sua obrigação: ir para os rincões do pais!

Mas não. Ele esbravejou para, para, para quê mesmo?

Responder

Messias Franca de Macedo

30 de abril de 2014 às 00h05

O PIGolpista prova que o José Dirceu é um preso político! ENTENDA!

*Oposição visita a Papuda e diz que Dirceu tem cela maior, TV e microondas.

NOTA: a inacreditável e fascista *manchete acima está estampada no topo do portal uol/folha!
FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1447363-dirceu-tem-cela-privilegiada-na-papuda-diz-oposicao.shtml

Responder

    Álvares de Souaz

    01 de maio de 2014 às 09h30

    Depois da reação dos médicos brasileiros ao “mais médicos”, das barbaridades que eles foram capazes de praticar, minha desconfiança frente à eles só aumentou. Penso duas vezes quando tenho que procura-los, embora tenha plano de saúde que pode me assegurar um bom atendimento.
    Me tornei amigo dos três médicos cubanos que atuam no município onde permaneço a maior parte do meu tempo por força de minhas atividades profissionais e acompanho o trabalho fantástico que eles realizam a mais de cinco meses, e que mudaram completamente as condições de atendimento das populações mais carentes.
    Tenho certeza que esta situação se repete em todos as centenas de municípios onde eles, os médicos cubanos, estão atuando. Quem duvidar que indague a qualquer morador dessas cidades.

Barreto

29 de abril de 2014 às 23h17

O sus também e permanentemente dilapidado!por médicos! clínicas e hospitais, Os médicos não vão trabalhar mas recebem como se trabalhassem. Muitos utilizam equipamentos e recursos do SUS em seu proveito. Clínicas e hospitais criam atendimentos que não foram efetuados ou inventam procedimentos mais custosos para receber mais dinheiro do SUS.

Responder

J Souza

29 de abril de 2014 às 21h45

Se o “mais médicos” é um “sucesso” total, por que se preocupar com as críticas da oposição???

Ah, esqueci… O “mais médicos” mal começou, e ainda precisa mostrar resultados concretos, como diminuição da mortalidade materno-infantil ou das complicações de diabetes e hipertensão arterial (ações fundamentais na estratégia de promoção da saúde do Ministério da Saúde há décadas) nas áreas atendidas pelo programa…

E agora que a Dilma está caindo progressivamente nas pesquisas, tendo voltado ao patamar de 37%, que são os votos tradicionais do PT, é preciso criticar os críticos, até com ofensas, se necessário, como já fizeram em vários comentários anteriores.

Responder

    Luiz

    30 de abril de 2014 às 00h25

    Quer dizer que os canalhas da direita e da extrema-direita podem falar o que quiser, vomitar preconceitos e as maiores mentiras e bobagens, ofender à vontade, e nós da esquerda e/ou que buscamos um Brasil melhor para todos, e não somente para os sinhozinhos da Casa Grande, temos que ficar calados?! Vá catar coquinhos, zé mané.

Marlon

29 de abril de 2014 às 19h54

Pode me processar, vou dizer o que penso de verdade: ESTOU CANSADO DESSA CANALHA DA DIREITA! O Brasil, o povo, não merecem esses criminosos.

Responder

renato

29 de abril de 2014 às 19h45

Este homem falou isto..
Lamenta que o mais médicos vai acabar????
Ele é um insano.Um desvairado…um louco.
Aqui na minha cidade, só nesta semana começou
dezesseis Médicos Estrangeiros….
O meu prefeito, ou seja da cidade de Ponta Grossa..
Não é burro, esta dando saúde para as pessoas…
E estão reformando todos os postos de saúde…
Médico RIDICULO, não conhece o Brasil.
Aqui na Minha cidade do Paraná, as escolas públicas
da prefeitura….dá para lamber o chão, mas não dá
para este Médico pisar…
Minha Sogra foi hoje para reconsulta pelo SUS, na Santa
Casa, esperamos normalmente, tranquilamente, tivemos a
presença dos Palhaços Trabalho Humanitário…divertido,
na medida do possível, e após uma hora e trinta já tínhamos
sido atendidos e dispensados…
Tem gente maluca como este Médico…se duvidam tenho mais a
contar….
Meu filho fez cirurgia pelo SUS, da apendicite com direito
a Tomografia e tudo mais, meia hora após ser avaliada, cirurgia
imediata. e ponto final…
Minha mãe ganhou aparelho para surdez pelo SUS…é brincadeira.
A reavaliação da minha sogra foi por uma cirurgia de retirada
da VISICULA…NÂO gastei nada….
Querem mais….esta tudo registrado no SUS, tanto que me escreveram
para ver se eu tinha sido cobrado por algo, e se fui bem atendido..
Querem mais…
É obvio, que nem tudo é flores…mas este Médico de “B”, falar isto.
Vá ser médico de torturador, para não deixar desfalecer o torturado!!

Responder

Abelardo

29 de abril de 2014 às 19h33

Tucano quando começa a perder as penas é que está com baixa imunidade de rendimentos, de dinheiro e de lucro. A sopa está acabando para os que fazem da medicina um balcão de comércio. Não quero dizer que seja o caso de fulano, beltrano ou desse já velho conhecido Srougi, mas que a sopa está acabando está e é por essa razão que muitos dos que estavam a ganhar fácil, a custas do governo, estão ficando com baixa imunidade nos bolsos e a peçonha escorrendo feito baba de quiabo.

Responder

    Dário ferreira

    30 de abril de 2014 às 12h31

    mandou muito bem Abelardo!

roberto

29 de abril de 2014 às 19h05

O k tem de medico roubando o sus . Mais da metade na cadeia

Responder

edir

29 de abril de 2014 às 18h21

Com certeza um grande “médico”, ô errei !!! um grande sonegador de imposto.

Responder

Professor Iso

29 de abril de 2014 às 16h50

As declarações de Lula caíram como bomba sobre a mídia, porque qualquer crítica ao julgamento do mensalão é uma ameaça à sua credibilidade, visto que todos sabem o papel que ela desempenhou nesse processo.
O próprio Joaquim Barbosa não criticou acerbamente a decisão do plenário do STF de inocentar os réus da Ação Penal 470 do crime de quadrilha? Aí sim, houve uma ultrapassagem dos limites, porque Barbosa tentou desqualificar seus próprios pares. E ainda lançou um ridículo e golpista alerta à nação: “a decisão de não caracterização de quadrilha foi uma decisão com influência política”.
Finalmente Joaquim Barbosa falou uma verdade. De fato, Lula não entende nada de Judiciário. A prova disso é que nomeou Joaquim Barbosa.
O próprio Joaquim Barbosa, ao vivo e em cores na TV Senado, sentado na cadeira de presidente do STF em sessão oficial, disse isso, de forma muito pior, quando foi voto vencido pela maioria de seus colegas.

Em fevereiro deste ano, no julgamento de embargos infringentes, que absolveu alguns réus de alguns crimes que haviam sido sentenciados antes por placar apertado, Barbosa atacou o próprio STF dizendo que havia sido formado ali uma “maioria de circunstância formada sob medida”.

Por coerência, Barbosa deveria ter emitido uma nota de repúdio a si mesmo.
2014 seriam para nos brasileiros um ano de avanços. Pessoas diferenciadas e preparadas nos informariam de seus planos para educação, saúde, crédito, avanços sociais, energia, moradia, trabalho, etc.
Não haveria embates em torno de CPI, instrumento já gasto e não mais convincente. O embate seria de idéias. Isto também na midias. Não seriam palavrões, racismo, preconceitos e ódios. Seriam discussões que nos levassem a escolher o que nos pareceria melhor. Quem conhece os planos para mudança do modelo adotado. Pode alguem dizer que existe. Mas quai são?
Chegou o momento. E o que se vê? Tudo de novo. CPI.
Será que não perceberam ainda que este negócio de forçar irracionalmente a barra para ganhar eleição é tiro no pé. Todo o brasil joga futebol. Quem joga futebol sabe o que é fita. Não gostamos de quem faz fita. Isto é fita. Mas qual é afinal de contas? Vão perder a eleição, de novo, usando o mesmo esquema tático. Errar é humano, persitir é burrice.
http://www.youtube.com/watch?v=oWVL2GqkYfQ (vale a pena)

Responder

Urbano

29 de abril de 2014 às 13h38

Esse mau jornalismo, eu o transformo em mau caratismo dos donos do pig…

Responder

Julio Siveira

29 de abril de 2014 às 13h29

Uma coisa é certa, quando um tucano chia é por que a coisa tá melhorando para outros menos bicudos.

Responder

José Xavier

29 de abril de 2014 às 10h18

Vejo de uma forma simples. O filho do autor da materia é dono de uma clinica em uma região onde provávelmente foi atendida com médicos do programa, onde se conclui que alguns pacientes ao invés de pagarem pela consulta poderão optar pela consulta pelo SUS, ou seja, a clinica particular está ameaçada de perder “clientes”.

Responder

Luís Carlos

29 de abril de 2014 às 08h51

Sim. Dói demais a verdade da ineficiência da medicina brasileira defendida pelo médico articulista, defrontada por prática médica que caiu no gosto da população brasileira.
O mais Médicos é o maior sucesso dentre todas políticas públicas lançadados após o Bolsa Família. Levará Dilma e Padilha ao sucesso eleitoral e a população ao acesso universal à saúde.

Responder

FrancoAtirador

29 de abril de 2014 às 08h02

.
.
E eu prevejo a ruína dos Maus Médicos,

particularmente dos Mercenários Elitistas.
.
.

Responder

Romanelli

29 de abril de 2014 às 07h15

visto de outra forma..

O sucesso do Mais Médicos pode ser entendido pelo FRACASSO da nossa Educação ..e do Nosso sistema de saúdes ..e aí ?!

Responder

Antônio

29 de abril de 2014 às 02h03

NO BLOG DA CIDADANIA DE EDUARDO GUIMARÃES

Cobertura do Mais Médicos em SP fortalece Padilha e explica ataques
Posted by eduguim on 28/04/14 • Categorized as Análise

Uma breve pesquisa na internet ajuda a explicar a tempestade que se abateu sobre o pré-candidato do PT a governador de São Paulo, Alexandre Padilha. São Paulo, para quem não sabe, é um dos principais destinos dos profissionais do programa Mais Médicos, implantado pelo pré-candidato do PT durante sua gestão no Ministério da Saúde.

Vamos aos números. Até aqui, o Sudeste foi a região que mais recebeu profissionais do programa federal, com 4.170 médicos; o Nordeste ficou em segundo, com 4.147 médicos; o Sul, com 2.261; o Norte, com 1.764; o Centro-Oeste, com 893. Juntas, as regiões Sul e Sudeste receberam 6.431 dos 13.235 profissionais do Mais Médicos existentes hoje no país.

São Paulo tem 287 municípios contemplados pelo Mais Médicos, ou 44% dos seus 645 municípios. Nesse universo de pequenas e grandes cidades paulistas, a população mais carente desses lugares passa a ter, muitas vezes pela primeira vez, a presença de um médico por perto.

São Paulo, portanto, agora tem 100% da sua demanda por médicos atendida pela iniciativa do governo federal. São 2.101 médicos em 287 municípios. A atuação desses profissionais vai beneficiar 7,2 milhões de paulistas, ou quase um quarto do eleitorado do Estado – hoje com cerca de 30 milhões de eleitores.

As classes média-média e média-alta, com seus planos de saúde, acham que embromam o povão com essa história de médicos cubanos escravos. O povão está vivendo ao lado desses médicos. Devido à natureza do povo cubano, seus médicos estão se misturando à população, estão ficando conhecidos. Alguém acha que nesses locais beneficiados irão acreditar nessa história?

O povo atendido pelo Mais Médicos sabe muito bem quanto esses profissionais eram necessários nessas regiões em que médico não dava as caras, obrigando legiões de pobres coitados a se deslocarem para as regiões que dispõem de médicos, mas sofrendo durante horas com a viagem para muitas vezes conversarem com eles durante 15 minutos.

A expectativa da direita paulista é a de que exista mais classe média-média e média-alta em São Paulo do que povão sem plano de saúde e que não tinha acesso a médicos e que agora passa a ter. Tolice. Ignorância da realidade. A classe social beneficiada pelo Mais Médicos é maioria esmagadora.

Ora, mas são “só” 7 milhões de beneficiados pelo Mais Médicos em São Paulo, dirão os mais desatentos. Não é bem assim. Os 7 milhões beneficiados são os atendidos diretamente, mas essas pessoas beneficiadas têm amigos, parentes, colegas de trabalho etc. E sobre essas pessoas de seu círculo de relações sociais exercerão influência, contando do benefício.

O mesmo vale para o Brasil. Quem tenta enxergar a realidade do país através da mídia acha que todo mundo é contra o PT. Ocorre que na mídia quem fala é um contingente diminuto, quem ouve é um contingente diminuto dos brasileiros. A maioria vive em outro mundo e não é ouvida nem em pesquisas de opinião.

Padilha, portanto, ainda será muito alvejado, nesta campanha. Isso porque na hora em que o eleitorado beneficiado pelo Mais Médicos souber que o autor do programa é candidato a governar o Estado por certo irá votar nele em peso, pois o programa implantado pelo pré-candidato do PT tem uma aprovação próxima à unanimidade no país todo.

O PT tem uma candidatura forte para o governo do Estado e um adversário dessa candidatura que está se enfraquecendo e que pode se enfraquecer muito mais quando as pessoas passarem a pensar em eleição.

O cartel tucano no metrô e na CPTM sumiu da mídia para não afetar Alckmin, mas durante a campanha eleitoral o assunto vai ressurgir. Uma CPI está sendo criada no Congresso. Não vai dar para esconder dos paulistas que o sofrimento deles nos trens decorre da corrupção na compra e na reforma destes.

Alckmin não é cobrado na mídia, mas será cobrado na campanha.

Aliás, a premissa que embasa este texto vale para as eleições em todos os níveis. Hoje, só a oposição fala – através da mídia “isenta”. Mas se a campanha na TV e no rádio for bem feita, ficará difícil convencer os brasileiros a trocar a melhora de vida que vêm experimentando por catilinárias ideológicas contra Cuba ou sobre “corrupção”.

Na hora em que o brasileiro tiver que colocar seu ganha-pão e seu novo padrão de vida em jogo numa aposta eleitoral, quem conhece este povo sabe que irá votar pelo que tem na mão, não pelo que lhe prometem dar aqueles que, quando ocuparam o Poder, não deram nada, razão pela qual foram defenestrados pelos eleitores.

Responder

Antônio

29 de abril de 2014 às 01h43

Coitado desse Miguel Srougi. Mais um desinformado expondo-se ao ridículo.

Nada mais importante para as pessoas sem médicos do que o Mais Médicos.
Pode ser que o Miguel Srougi seja até um bom profissional em sua área. Mas em termos de conhecimentos do que acontece no Brasil é um pobre coitado. Dá pena.

Responder

    sergio m pinto

    29 de abril de 2014 às 11h54

    Não tenha pena dele, não. Deve conhecer muito mais da situação da medicina pública no Brasil, que muitos de nós. A questão é de que “lado do balcão” ele está. Simples assim.

Fabio Passos

28 de abril de 2014 às 23h09

Coitado deste miguel srougi. O artigo do dr neura transborda bílis.
Estado avançado de infecção pelo PiG.
Tomara que um psiquiatra cubano o acuda

Responder

upc

28 de abril de 2014 às 22h59

Esse é um tema onde todos tem um pouco de razão.
Menos as nossas associações médicas !
O governo foi preciso em identificar e demonstrar a falta de médicos no Brasil.
Entretanto, politizou de maneira demasiada uma questão técnica.
Não considerou o enorme sucateamento dos recursos físicos e humanos da rede de média e alta complexidade.
Os investimentos para modernizar e equipar a rede são de centenas de bilhões de reais.
Qualquer investimento na área de saúde leva anos ou décadas para trazer resultados.
Trataram o programa que vai custar bilhões de reais como um bolsa médico, uma alavanca eleitoral, mas a questão é muito mais complexa e intricada.
A oposição também tratou de maneira ideológica a questão.
Que diferença faz para o paciente que está a nas sem atendimento primário se o médico é brasileiro, alemão, armênio ou cubano ?
Mesmo que de maneira inadequada o regime está injetando dinheiro no sistema que carece de investimentos.
As questões trabalhistas devem ser debatidas na esfera do ministério do trabalho e da justiça.
Que os políticos tirem proveito de um programa extremamente caro e sem planejamento sequencial não causa surpresa.
Mas as entidades médicas faltaram com o respeito para com os nossos colegas e se atolaram nesse lodaçal criado por uma disputa eleitoral.
O tratamento dispensado aos colegas cubanos foi deselegante para não dizer criminoso.
Devemos receber nossos colegas com dignidade, independente das suas origens.
Conheço a realidade de Cuba e as terríveis mazelas daquela sociedade que ambiciona liberdade mas não quer abrir mão do seu sistema de segurança, educação e saúde.
Eles como nós, sofrem diariamente com as gestões políticas que visam unicamente a retomada ou a perpetuação do poder.
Não se iludam, os políticos e seus agregados não estão preocupados com os médicos ou com os pacientes.

Responder

Walter

28 de abril de 2014 às 22h18

A folha é um covil jornalístico. Defende o 13 e fgts para médicos milionários. E a retirada dos mesmos direitos dos trabalhadores em geral, como preveem as diferentes propostas de reformas trabalhistas tucano petista que uma hora dessas ainda vingam por aí…

Vai entender

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!