VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Metrô e CPTM: Contratos somam superfaturamento de R$ 3,3 bi


09/04/2014 - 17h25

Só em 2013, com os contratos do cartel com a  CPTM, os cofres públicos paulistas foram lesados em cerca R$ 810 milhões

por Conceição Lemes

Em 19 de julho do ano passado, a IstoÉ revelou a existência do cartel que superfaturava licitações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e irrigava o propinoduto do tucanato paulista.

A base foi o primeiro relatório da Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), feito entre maio e junho de 2013.

A Siemens, vale relembrar, fez acordo de leniência com o Cade, o Ministério  Público Federal e do Estado de São Paulo, e abriu o bico em troca de imunidade civil e criminal para si e seus executivos envolvidos na armação.

A multinacional alemã confessou como ela e outras companhias formaram cartel para manipular e superfaturar concorrências, quais empresas integravam o esquema de corrupção e como elas corromperam autoridades ligadas ao PSDB e a servidores públicos de alto escalão.

A Siemens delatou também as outras empresas que atuavam no “projeto”:  Alstom, Bombardier,  CAF, Temoinsa,  ABB, Mitsui,Trans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Iesa e Serveng-Civilsan

A fraude, segundo a Siemens, teria durado de 1998 a 2008. Na época, estimava-se que os cofres paulistas tivessem sido lesados em, pelo menos, R$ 450 milhões.

Em 26 de agosto, porém, o Viomundo denunciou que, em 2013, Alckmin havia contratado por R$ 2,7 bilhões empresas acusadas de fraude nas licitações e envolvidas no propinoduto tucano.

A reportagem referia-se a estas oito concorrências da CPTM, cujos contratos tinham sido assinados no ano passado, indicando que o cartel continuava a operar, apesar de as primeiras denúncias já terem vindo a público.

Pois bem. Com base nos documentos obtidos na busca e apreensão realizada, em 4 de julho de 2013, por agentes da Polícia Federal e do Cade em 19 empresas, empresas, o Cade elaborou o seu segundo relatório, divulgado há alguns dias.

Ele confirma o que o Viomundo denunciou, em primeira mão, em agosto passado: 1) a suspeita de fraude nos seis contratos de reforma/ manutenção de trens já em circulação e nos dois de compra de carros novos para a CPTM; 2) e que o cartel envolvido no propinoduto ganhou licitações até 2013.

O novo relatório aponta indícios fortes de corrupção em vários outros contratos firmados de 2000 a 2013 pelos governos tucanos paulistas com empresas do cartel.

Cruzando os contratos em que o Cade reconhece a ação do cartel metroferroviário com informações deles publicadas no Diário Oficial do Estado de São Paulo e no site Negócios Públicos, elaboramos a tabela abaixo.

Resultado: os contratos do Metrô e da CPTM sob suspeição já somam pelo menos R$11,2 bilhões, em valores corrigidos pelo IGP-DI.

Isso é o que já está documentado. Levantamentos realizados pela bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo e que constam de mais de 14 representações ao MPE-SP mostram que os contratos do cartel da corrupção com os sucessivos governos tucanos nos últimos anos podem chegar a R$ 40 bilhões.

O próprio Ministério Público admite que o número de contratos com indícios de fraudes pode se ampliar, com o avanço das investigações.

Segundo o MPE-SP, o superfaturamento chegou a cerca de 30% dos respectivos valores nos contratos em que houve a ação do cartel.

Isso quer dizer superfaturamento em torno de R$ 3,3 bilhões. Ou seja, oito vezes os valores estimados inicialmente. Vale ainda ressaltar que ainda há muito a ser apurado.

Quanto à propina paga, segundo um dos denunciantes ao MPE-SP, era, em média, de 8%. O que corresponderia a cerca de R$ 900 milhões ao longo dos últimos 20 anos.

Em tempo. Só em 2013, com os contratos do cartel com a  CPTM, os cofres públicos do Estado de São Paulo foram lesados em cerca R$ 810 milhões, sendo que R$ 216 milhões destinados ao pagamento de propina. Dois deles — no valor de R$ 1,8 bilhão — foram assinados quando as denúncias já eram públicas.Tudo sob a vista grossa do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

PS do Viomundo: Devido a problemas técnicos, adiaremos por um dia a publicação de e-mails comprometedores, que confirmam o cartel. Será nesta sexta-feira e não nessa quinta, como havíamos previsto.

[A produção de conteúdo próprio do Viomundo é toda bancada por nossos assinantes. Contribua!]

 Leia também:

Propinoduto tucano: Contratos com o governo chegam a R$ 40 bilhões

IstoÉ: Máfia dos trens superfaturou em quase R$ 1 bi na gestão Serra

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zilda

12 de abril de 2014 às 11h34

Se depois de todas essas denúncias – comprovadas, é bom que se diga – os paulistas ainda elegerem, majoritariamente, tucanos, é porque gosta mesmo de ser roubado, espezinhado, ludibriado…..por homens com cara de sérios, vestimenta de sérios, mas malandros nas ações.

Responder

Daniel

11 de abril de 2014 às 16h04

e os emails comprometedores?

Responder

    Conceição Lemes

    11 de abril de 2014 às 17h05

    Publicaremos em outra reportagem ainda hj. abs

Daniel

11 de abril de 2014 às 15h57

E os emails?

Responder

Francisco

10 de abril de 2014 às 23h41

Se tivesse um petista envolvido no escândalo Alston, com certeza haveria punição. Punição do petista, claro…

Responder

ANDRE

10 de abril de 2014 às 22h12

enquanto isto em minas gerais:
http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/candidato-de-aecio-em-minas-ex-ministro-pimenta-da-veiga-e-indiciado-por-lavagem-de-dinheiro/

Candidato de Aécio em Minas, ex-ministro Pimenta da Veiga é indiciado por lavagem de dinheiro
Pimenta da Veiga, ex-ministro das Comunicações e candidato do PSDB ao governo de Minas, foi indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro. Ele prestou, no fim de março, depoimento em Brasília como parte de um inquérito que apura o repasse de recursos da SMPB, de Marcos Valério Fernandes de Souza.

O relatório final será encaminhado ao Ministério Público Federal, que decidirá se abre ou não processo contra Pimenta.

O tucano admitiu ter recebido em 2003 R$ 300 mil da agência de publicidade, mas disse que o valor se referia ao pagamento por serviços de advocacia. Porém, não apresentou comprovação dos serviços.

Aberta em 2013, a investigação da PF é um desdobramento da denúncia oferecida em 2007 pela Procuradoria-Geral da República com base no inquérito do mensalão mineiro. O novo procedimento apura outros repasses da agência de Valério, que cumpre prisão após ser condenado no mensalão federal.

Responder

Maurici Aazevedo

10 de abril de 2014 às 18h08

O golpe foi: político/civil/militar. Vejam se aqueles que estão a frente do movimento que procura uma CPI somente para a Petrobrás, pode procurar pelos sobre nomes, e constatem a ligação desses nomes com o movimento que depôs Jango e suspendeu a Constituinte de 1946.

Responder

abolicionista

10 de abril de 2014 às 17h56

PSDB é o partido mais sujo do Brasil, revela ranking da justiça eleitoral
Análise dos 317 políticos brasileiros que foram impedidos de se candidatar pela lei Ficha Limpa traz uma descoberta interessante: o PSDB é o partido político mais sujo do Brasil. Veja o ranking

Os TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) barraram até agora a candidatura a prefeito de 317 políticos com base na Lei da Ficha Limpa, de acordo com levantamento feito nos 26 Estados do país.
O número deve aumentar, já que em 16 tribunais ainda há casos a serem julgados. Entre esses fichas-sujas, 53 estão no Estado de SP.
Na divisão por partido, o PSDB é o que possui a maior “bancada” de barrados, com 56 candidatos –o equivalente a 3,5% dos tucanos que disputam uma prefeitura. O PMDB vem logo atrás (49). O PT aparece na oitava posição, com 18 –1% do total de seus postulantes a prefeito.

Paulo Moreira Leite: Folha e justiça informam que ‘Petralha’ é lenda

A liberdade de expressão permite que cada um fale o que quer e escreva como quiser mas às vezes a literatura deve ceder seus direitos a matemática.
Trazida ao mundo político durante o governo Lula, o termo “petralha” é uma falsificação, revela um levantamento da Folha de S. Paulo.
Ao juntar PETista com metRALHA, dos irmãos Metralha, de Disney, aquele que tinha simpatias pelo fascismo, o que se pretende é sugerir que o Partido dos Trabalhados é, como diz o procurador-geral da República, uma “organização criminosa.”
Será?
Analisando os 317 políticos brasileiros que foram impedidos de se candidatar pela lei Ficha Limpa, a Folha de S. Paulo fez uma descoberta fantástica.
Os petistas tem 18 candidatos que a Justiça impediu de candidatar-se em função daquilo que em outros tempos se chamava de folha corrida. Não é pouco, certamente.
Homens públicos devem ter uma reputação sem manchas e seria preferível que nenhum candidato – do PT ou de qualquer outro partido – tivesse uma condenação nas costas.
O problema é que os supostos petralhas são apenas o 8o. partido em condenações. Se houvesse um campeonato nacional de ficha-suja, estariam desclassificados nas quartas-de-final e voltariam para casa sob vaias da torcida, que iria até o aeroporto jogar casta de laranja no desembarque da delegação.
E se você pensa que o primeiro colocado é o PMDB, tão associado às más práticas da política, símbolo do atraso, da fisiologia e da corrupção – em especial depois que se aliou a Lula, nunca antes — enganou-se. O líder é o PSDB.
Está lá, na Folha. Os tucanos tiveram 56 candidatos rejeitados pela Lei dos Ficha Suja. Isso dá três vezes mais do que os petistas. Para falar em termos relativos: a porcentagem de ficha suja tucana entre seus candidatos é de 3,5%. Dos petistas, 1%.
Em sua entrevista em Paris, logo depois da entrevista de Roberto Jefferson onde ele denunciou o mensalão, Lula disse que o PT apenas fazia “o que os outros partidos sempre fizeram.”
Lula foi muito criticado por isso, na época. Vê-se que Lula errou, mas por outro motivo: o PT fazia menos do que os outros partidos.
O levamento mostra, por exemplo, que até o PSD de Gilberto Kassab tem mais condenados do que os petistas. O PPS, que é infinitamente menor do que o PT, tem 9 condenados. O PMDB, tem 46.
E agora?

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/09/psdb-partido-mais-sujo-brasil-ranking-justica-eleitoral.html

Responder

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 21h26

    “O PPS, que é infinitamente menor do que o PT, tem 9 condenados. O PMDB, tem 46.”

    Foi bom lembrarem da questão da proporcionalidade. Um alívio pra quem vive submetido aos humores da mídia golpista que não hesita um só instante em comparar negativamente alhos com bugalhos; Cuba com Venezuela; Venezuela com o Brasil e o Brasil com os SPYstates. Claro, só quando convém.
    ____________________________
    E agora?

    Quer saber, mesmo? Pergunte pro cabeção da (in)Veja, aquele sopa de letrinhas e papel carbono do Carlos Lacerda; aquele mesmo, o corvo; o arrependido.

Rogério Ferraz

10 de abril de 2014 às 15h56

O que mais impressiona é com Geraldo Alckmin escapa de tudo. Ele está nisso desde o início, pois era vice de Mário Covas, tendo assumido o governo com a morte deste. Desses 20 anos tucanos no governo paulista, Alckmin deve ter governado entre 14 e 16. E se forem ver se houve desvios na construção do Rodoanel, a coisa pode ficar mais grave ainda. Não me entra na cabeça que 43 quilômetros de estrada tenham custado 5 BILHÕES de reais.

Responder

abolicionista

10 de abril de 2014 às 15h54

O melhor de tudo é poder contar com o jornalismo imparcial e objetivo da mídia brasileira. A Globo, por exemplo, apura tudo, doa a quem doer (ainda que doa mais em uns do que noutros). Quem precisa de democratização da mídia quando se tem uma mídia tão qualificada?

Responder

    abolicionista

    10 de abril de 2014 às 23h58

    Modo ironia ligado, né gente?

    A propósito, sempre desconfiei que a USP servia para fazer caixa dois de campanha tucana. Agora ficou meio óbvio que minhas suspeitas tinham fundamento. O reito Rodas, indicado pelo Serra, torrou os tubos e a universidade está à beira da falência. E ele pegou a universidade com dinheiro sobrando.

henrique de oliveira

10 de abril de 2014 às 15h44

O psdb não se contentou em roubar o BRASIL com fhc e gangue , roubaram o estado de SP por 20 anos somando tudo faz a graninha do mensalão do PT (grana da visanet e não grana pública)virar dinheiro de pinga.
Mas todos sabemos no que isso vai dar, em nada , afinal Meus Parceiros (MP) e outras instituições tucanas como stf , tcu nada farão apenas vão assistir e sentar em cima dos processos.

Responder

Urbano

10 de abril de 2014 às 14h44

Pela blindagem ampla, geral e irrestrita que é dada, foi até pouco. Tanta gente pra comer nessa festança…

Responder

Bacellar

10 de abril de 2014 às 14h19

Curioso aqui pra ver os emails

é o trem da alegria… http://cartunssujos.wordpress.com/2014/02/27/trem-da-alegria/

O pior é saber que os pilantras da Siemens e das outras corps não vão sofrer nenhum tipo de punição por seus crimes! Nem sequer serão esculhambados pela imprensa…

Responder

Mário SF Alves

10 de abril de 2014 às 14h16

Pausa para a reflexão:

“A massa sustenta a marca, a marca sustenta a mídia e a mídia controla a massa.” – GEORGE ORWELL


_______________________
Os subterrâneos do poder se ocultam e a maioria não os vê, entorpecidas que estão com a venal mídia desinformativa e com o sucateado ensino formatador de mentes resignadas, competitivas entre si e subservientes ao poder opressivo e explorador. Os dois marionetes de luxo no vagão estão à serviço das megas empresas, composta por grupos sanguinários, construtoras, bancos, estes é que manipulam as cordinhas e que realmente governam esta nação, a massa mantidade entorpecidade e resignada, ignora que é o sustentáculo deste triste espetáculo. Sem a anuência e a colaboração da massa, este poder desaba. Zenn Bell
Fonte: https://plus.google.com/101639552075833064194/posts/a9XmmwMFEFD

https://lh5.googleusercontent.com/-wNeYWAWE59I/UDeeWI1dSbI/AAAAAAAAh-k/8m4-dLnhk4k/w506-h372/aboieoooo.jpg

Responder

Rilke

10 de abril de 2014 às 12h07

Praga 1 do Brasil: cargos de confiança. São desnecessários, não ajudam, escondem incompetentes, e fazem cortina de fumaça contra os que poderiam denunciar alguma coisa. Se denunciarem perdem a boquinha. Só concursados podem denunciar, devido à segurança no emprego.

Praga 2 do Brasil: a estrutura do estado, em geral. A falta de transparência, que já faz rir até gente do bolsa família.

Responder

GERALDO GALVÃO FILHO

10 de abril de 2014 às 11h37

O que me impressiona é que os tucanos não se contentam em ficar milionários, eles querem ficar bilionários.

Responder

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 11h50

    Ah! Se fosse apenas isso… nisso a gente daria jeito.

Dinir

10 de abril de 2014 às 11h27

Há uma evidente disparidade de tratamento entre PT e PSDB no que se refere à corrupção. Quando existem acusações contra o PT, a mídia já condena os envolvidos, acusa de quadrilha, lavagem de dinheiro, mensalão, tráfico de influências, contrabando, máfia de doleiro e o escambau. Quando o PSDB está envolvido em denúncias, se fala apenas em suspeitas de desvios, cartel, dossies, pessoas envolvidas que já estão afastadas, acusações eleitoreiras e etc. Rodrigo Garcia e Edson Aparecido, antigos aproveitadores do governo paulista, conhecidos cupins da Republica, continuam ai firmes e fortes! O Azeredo sequer foi julgado pelo STF e numa covarde atuação daquela corte teve seu processo remetido à 1a instância, para aguardar mais muitos anos de julgamento! Que país é este?

Responder

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 12h20

    É, companheiro. É o grau de elitização e de apropriação antidemocrática do Estado, e a ditadura militar, resultante do golpe civil-militar contra o presidente João Goulart, contribuiu e ainda contribui muito nisso.

    Vivemos hoje a mais escandalosa e falaciosa campanha midiática do tudo [só e somente só] contra o PT. Mas, não há motivo para estranhamentos. Sempre foi assim. No Brasil, basta isso, basta elegermos governos progressistas e sempre vai ser assim. Foi assim com o último governo do Getúlio Vargas; foi assim com o Juscelino; foi assim com o João Goulart; foi assim com o Lula, e está sendo assim com a presidenta Dilma.

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 20h37

    “É o grau de elitização e de apropriação antidemocrática do Estado, e a ditadura militar, resultante do golpe civil-militar contra o presidente João Goulart, contribuiu e ainda contribui muito nisso.”
    _____________________
    Desculpem, cometi um erro grosseiro. O golpe foi contra o povo brasileiro. Goulart era um riquíssimo dono de estância no Rio Grande do Sul. Financeiramente precisava do exercício de demagogia e nem de política eleitoreira.

    Luís Carlos

    10 de abril de 2014 às 23h36

    Tucano é imune a cadeia. Não é genético mas historicamente construído. Barbosa e Mendes e os barões da mídia corporativa que o digam.

Mário SF Alves

10 de abril de 2014 às 11h26

Ah, agora entendi. Então é por isso que andam fugindo da CPI ampla mais do que o diabo foge da cruz.

Humm…, entendi, então é essa a razão daquela presepada toda de os líderes da oposição “invocarem jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF), ao impetraram na manhã desta terça-feira (8) junto àquela Corte mandado de segurança para a instalação de CPI exclusiva para investigar a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras.”
_____________________________
Então é por isso que o cabeção/boca de caçapa/sopa de letrinhas/lacerdomaníaco chegou ao extremo de invocar o Marques de Sadi, inspiração maior do sadismo, ao dizer que:

“A orgia legal petista não tem ordem nenhuma, não tem método, não tem nada. Sade podia narrar as piores cenas, mas tudo com muita elegância, coisa que a companheirada não tem. É grossa. Mata a bola de canela. Vejam vocês: o Senado adiou a decisão sobre a CPI para a próxima terça-feira. Só então o plenário vai decidir se acata ou não o parecer da CCJ, que optou pela comissão mais ampla, conforme a proposta dos governistas. No seu requerimento, investigam-se, além das lambanças na Petrobras, acusações de mau uso do dinheiro público em São Paulo, Pernambuco e Minas. Tudo ao mesmo tempo agora.”

Responder

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 11h46

    Agora entendi:

    I-

    II-

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 11h48

    Agora entendi (III):

Mário SF Alves

10 de abril de 2014 às 11h10

Numa só palavra: MÁFIA.
_________________________
Quanto mesmo, Conceição Lemes? Qual o tamanha do rombo?
R$ 11,2 bi e superfaturamento, a R$ 3,3 bi?
3,3 bilhões de reais??????????????????!!!!!!!!!!!!!! P.Q.P.!!!
_________________________________
É… parece que infelizmente tal adjetivo ainda não exprime tudo. Infelizmente para entender essa MÁFIA é preciso mais; é preciso mais História; é preciso compreender a o quê e a quem esse dinheiro roubado serve; é preciso entender como esse dinheiro roubado é usado contra o Brasil e os brasileiros; é preciso entender mais de geopolítica; é preciso entender mais geoestratégia. E é fundamental entender o julgamento e o ESQUARTEJAMENTO de Tiradentes.
_____________________________________
Não. Infelizmente isso ainda não basta. É preciso mais. É preciso dose cavalar de paciência. Infelizmente essa é uma faca de dois gumes. É a mesma paciência que teve o Jango e que através da qual o enterraram moral e politicamente.

Responder

FR Albuquerque

10 de abril de 2014 às 08h28

Propinoduto é nome muito sofisticado. O nome disso é: Propinão Tucano.

Responder

Pedro Sanches

10 de abril de 2014 às 07h05

O próprio Ministério Público admite que o número de contratos com indícios de fraudes pode se ampliar, com o avanço das investigações.

Segundo o MPE-SP, o superfaturamento chegou a cerca de 30% dos respectivos valores nos contratos em que houve a ação do cartel.

Isso quer dizer superfaturamento em torno de R$ 3,3 bilhões. Ou seja, oito vezes os valores estimados inicialmente. Vale ainda ressaltar que ainda há muito a ser apurado.

Quanto à propina paga, segundo um dos denunciantes ao MPE-SP, era, em média, de 8%. O que corresponderia a cerca de R$ 900 milhões ao longo dos últimos 20 anos.

Em tempo. Só em 2013, com os contratos do cartel com a CPTM, os cofres públicos do Estado de São Paulo foram lesados em cerca R$ 810 milhões, sendo que R$ 216 milhões destinados ao pagamento de propina. Tudo sob a vista grossa do governador Geraldo Alckmin (PSDB), já que foram assinados quando as denúncias de manipulação de licitações e superfaturamento já eram públicas.

Responder

IVAN MONTE

10 de abril de 2014 às 06h01

Isso dá uns 224 “mensalões”. E isso é VERDADE!

Responder

Giordano

09 de abril de 2014 às 23h38

É isso aí, amigos, eu sempre questionei neste e outros sites, como era possível a tucanalha financiar tantas campanhas milionárias, estando fora do gov federal e na maioria dos estados. Taí a explicação.

Responder

Hélio Pereira

09 de abril de 2014 às 19h01

Espero que desta vez o PT leve este caso até o final e não AMARELE como fez na CPI da Privataria,onde seu lider na época,Dep Federal Paulo Teixeira,em quem fiz a BESTEIRA de votar em 2010 se RECUSOU a assinar o pedido de CPI da Privataria !

Responder

Fabio Passos

09 de abril de 2014 às 19h00

O psdb já roubou muito do povo de SP.
Agora em 2014 é hora de tocar estes tucanos larápios para os quintos…

É preciso resgatar SP das mãos desta quadrilha ncompetente e ladra do psdb-PiG.

Responder

    Zanchetta

    09 de abril de 2014 às 23h48

    Eu acho que devemos, em 2014, trocar os corruptos do PSDB pelos corruptos do PT, para variar um pouquinho…

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 12h58

    Kkkkkkkkkkkkkk… se engana que eu gosto.

    abolicionista

    10 de abril de 2014 às 15h51

    Corruptos no PSDB? Como assim? Ora bolas, rapazote, aquilo é um partido probo e sem jaça. Onde já se viu, insinuar que há corrupção no PSDB…

    marco

    10 de abril de 2014 às 09h16

    muito difícil, o pessoal do psdb está mui infiltrado, ou seja eles acusam o pt de aparelhamento mas é justamente uma forma de prevenir para que os seus não sejam substituídos, o pessoal do pt frente ao do psdb são primários se não mudarem de tática e seguir por outro rumo irão sempre entrar nas escaramuças criadas pelo psdb. vejam como todas estas denúncias(metro,cptm) serão queimadas antes das eleições, vejam pimenta da veiga, inclusive, é bem provável que seja o seguinte ao anastásia

Paulo

09 de abril de 2014 às 18h00

Por isso temos que votar no PT. Eles são fiscalizados, se roubarem a coisa aparece. Às vezes aparece até coisa que não existe, como no caso do mensalão. Já, o PSDB, bate a carteira do estado de SP há 20 anos e quase nada aparece na mídia. Quando aparece é em notinha de pé-de-página. E quando vai pro ministério público ou pro STF é engavetada para ser esquecida. E ainda posam de paladinos da honestidade (já viram a cara-de-pau do Álvaro Dias, do Artur Virgílio e daquele líder do partido no Senado, tão ruim que nem lembro o nome dele, todos demonstrando a maior indignação com a “roubalheira” no pais?).

Responder

    Mário SF Alves

    10 de abril de 2014 às 13h43

    É. Votar no PT também por isso.
    Mas, sobretudo, votar no PT também pela independência e soberania do Brasil.
    Votar no PT pela superação definitiva desse singular e sádico capitalismo subdesenvolvimentista que antes mais do que hoje nos aflige, humilha e envergonha.
    Votar no PT por um Brasil de todos os brasileiros.
    Votar no PT pela libertação de toda a América Latina.
    ____________________
    Difícil?
    Sim.
    Impossível?
    Não.
    _____________________________
    Na República que temos, infelizmente, onde a rês, de pública não tem quase nada, parece que vamos ter de fazer mais do que simplesmente ir às urnas.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.