VIOMUNDO

Diário da Resistência


Prefeito espera decisão favorável sobre cubano que atendeu emergência
Denúncias

Prefeito espera decisão favorável sobre cubano que atendeu emergência


10/02/2014 - 22h32

Paulo Argollo, presidente do Simers, disse que o caso não era grave, mas dias depois o paciente morreu

por Conceição Lemes

Candiota fica a cerca de 400 quilômetros de Porto Alegre (RS), população estimada em 10 mil habitantes e uma peculiaridade: possui 32 assentamentos de reforma agrária e várias comunidades quilombolas.

Até o início de janeiro, provavelmente poucos fora do Sul do Brasil tinham ouvido falar desse município gaúcho, na faixa de fronteira.

Foi quando então ganhou destaque na mídia nacional.

O médico cubano Maikel Ramirez Valle,  do Programa Mais Médicos, foi  denunciado pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) por atender um paciente em estado grave no Hospital de Candiota. Pelo contrato,  os participantes só podem atuar  em unidades de atenção básica dos municípios.

Candiota tem sete médicos, apenas um reside na cidade. É justamente Maikel Ramirez Valle, o único credenciado no Programa Mais Médicos.

Tudo aconteceu em 2 de janeiro.

O médico escalado para o plantão tinha ido a Bagé acompanhar um paciente, e o substituto atrasou-se. Deveria entrar às 8h, chegou às 9h15.

Nesse período, um doente grave chegou ao hospital. Como não havia outros médicos no município naquele horário, Valle foi chamado em casa para atender o caso.

“A Secretaria de Saúde foi comunicada que não havia médico para realizar o atendimento. E, devido ao risco de morte, solicitada a autorização para que o profissional do Mais Médicos o fizesse”, conta ao Viomundo  o prefeito Luiz Carlos Folador. “Ao perceber a urgência do quadro, ele encaminhou o paciente para o pronto-socorro da Santa Casa de Bagé, com maior estrutura e referência para a nossa região.”

Em Bagé, o médico responsável pela internação percebeu que a requisição não continha o número do registro profissional e denunciou o caso ao Simers, cujo presidente é Paulo de Argollo Mendes. Ele está  há 16 anos no poder, sempre foi contra a vinda de médicos estrangeiros, embora tenha dois filhos formados em Medicina, em Cuba.

Ao Jornal Minuano, Argollo disse: “A informação que nós temos é de que não tinha nenhum médico atrasado. Outra informação que chegou até nós é de que o quadro do paciente não era tão grave”.

O caso era grave. Tanto que, depois de alguns dias internado na Santa Casa de Bagé, o paciente morreu, mostrando o encaminhamento correto do médico cubano.

Quanto à outra acusação de Argollo – a de que não havia médico atrasado –, Folador afirma: “Realmente, o plantonista estava atrasado. Está tudo relatado e comprovado na defesa que encaminhamos ao Ministério da Saúde”.

“Desde o primeiro momento, o presidente do Simers não estava preocupado com o fato em si, com a verdade. Só queria achar um motivo que pudesse desmoralizar o programa Mais Médicos”, diz o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS). “O Simers  e o seu presidente sempre se posicionaram abertamente contra o programa.”

O futuro do médico cubano e de Candiota no Programa Mais Médicos está na berlinda. A decisão final do caso deve sair nos próximos dias.

Perguntamos ao prefeito Luiz Carlos Folador o que significa para Candiota perder o doutor Maikel Ramirez Valle e o eventual descredenciamento do município do Mais Médicos.

“Não contamos com essa possibilidade. Confiamos na sensibilidade do Ministério da Saúde, pois foi, de fato, um caso excepcional, isolado, e já comprovamos isso. Não temos nenhum médico morando em Candiota, a exceção é o profissional do Mais Médicos. A quantidade de médicos em nossa cidade não é suficiente. Nosso Pronto-Atendimento recebe pessoas de outros municípios que veem trabalhar aqui. Também temos núcleos de famílias assentadas e comunidades quilombolas”, analisa Folador.  “O descredenciamento seria uma perda irreparável, seria o maior dos prejuízos.”

Paulo Pimenta também acredita numa decisão favorável: “Não vamos permitir que posições corporativistas busquem contaminar e confundir a opinião pública sobre o Mais Médicos, que, além de requisitar profissionais estrangeiros, também está fazendo investimentos em infraestrutura e ampliando os cursos de graduação em medicina no país”.

Leia também:

Prefeitura de Candiota: Médico brasileiro se atrasou uma hora

Deputado e prefeito vão defender atendimento de médico cubano

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



27 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

iranice pereira de lima

05 de agosto de 2015 às 19h02

O corporativismo está acima do bem público maior, que é a vida. Como já disse, gostaria que o SIMERS se preocupasse também com os “colegas”, que não são do Progama Mais Médicos, que não cumprem horário, que tem 4 ou 5 empregos, ou mais,
e outras situações não condizentes com a profissão.

Responder

Sergio Alves

05 de agosto de 2015 às 04h17

Se o medico Cubano recusa-se de atender seria criticado e tudo isso geraria uma outra novela mas todos sabem que ninguém perdoaria uma omissão de socorro e mais muitas vezes as pessoas deixam agravaram-se uma enfermidade para depois procurar recursos muitas vezes comprometendo a credibilidade de um profissional quando ja não há muito o que fazer!!!

Responder

Gerson Carneiro

13 de fevereiro de 2014 às 05h16

A fraude da Oposição. Ou, o Mais do Mesmo da Oposição.

Critica a invasão dos imigrantes ilegais Haitianos (ao tempo em que os trata com desprezo sob alegação de representarem mão de obra desqualificada).

Comemora a ínfima deserção dos médicos cubanos do programa Mais Médicos (ao tempo em que tenta colocar em dúvida a capacidade técnica deles, os abriga quando abandonam o programa).

O Haiti não é um país comunista. E nem sofre embargo, oficialmente imposto pelos EUA.

Ao contrário, o Haiti é um país historicamente saqueado por nações apoiadas pelos EUA.

O Haiti não exporta médicos. Cuba exporta médicos.

Oras, se uma das “preocupações” dos opositores do programa Mais Médicos são as alegadas “condições análogas a de escravos” dos médicos cubanos, por que não dão a mínima para a situação de indigência dos imigrantes haitianos? Por que não os abrigam?

O que faz a Oposição?
Apenas sabota o Governo Federal.

Por quê?
Porque quer apenas retomar a Presidência da República, sem projeto, sem preocupação com o social, sem votos da maioria.

Em tempo: o médico brasileiro Paulo Argollo, presidente do SIMERS (Sindicato Médico do Rio Grande do Sul), há 16 anos na Presidência do Sindicato, ferrenho opositor do programa Mais Médicos, tem dois filhos médicos formados em Cuba.

Responder

Sergio Santos

12 de fevereiro de 2014 às 15h29

Lamentável é a postura dos representantes das entidades classistas de médicos brasileiros. Suas intervenções são desastrosas, simplórias, até. Nem parece que são pessoas com nível superior e especalistas na área falando. Só o que demonstram é xenofobia, preconceito e corporativismo. Qualquer brasileiro sabe do que os médicos brasileiros são capazes de fazer – e fazem – para fugir do trabalho. Há pouco tempo foi noticiado que uma médica (se não me engano) foi flagrada com “dedos de silicone” contendo impressões digitais de colegas faltosos, a fim de fugir do controle de ponto. Fraude; crime, portanto. A “banda podre” da classe médica brasileira etá com medo de ser desmascarada e ser obrigada a trabalhar para sobreviver, como qualquer cidadão brasileiro.

Responder

Valdeci Elias

12 de fevereiro de 2014 às 13h56

Se não me engano, policial , bombeiro e medico , mesmo estando de férias são obrigados a socorrer alguem ferido. Se não prestarem socorro e depois for descoberto , podem ser punidos administrativamente ou legalmente.

Responder

Vixe

12 de fevereiro de 2014 às 11h12

O médico se atrasou devido ao congestionamento em Candiota.
“Cidade Grande”, dez mil habitantes, certamente sofre dos mesmos problemas de metrópoles com São Paulo e Rio de Janeiro.
O coitado do dr. ficou preso em meio aos veículos, devido às obras da copa na cidade e então, levou duas horas e meia para chegar ao local de trabalho.
Pronto!
Tá explicado…
*OBS: – MODO IRÔNICO ATIVADO…

Responder

lulipe

11 de fevereiro de 2014 às 22h12 Responder

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 22h51

    Não se desaponte. Você terá que esperar muito, muito mesmo para apagar a luz. As mudanças já estão acontecendo e nem Caiado, nem você conseguirão impedir que população seja assistida e apóie o Mais Médicos. Se não acreditas, aguarde, e não esuqeça de apagar a luz da oposição. Mais Médicos é a vitória da população e derrota da oposição.

nigro

11 de fevereiro de 2014 às 20h23

O caso- o atendimento prestado- merece ser analisado com cautela. Afinal, seria omissão não atuar.

O método lulopetista é o método do “bem maior”. Vale mensalão (ou caixa 2 “só”, como queiram), vale aliança com maluf, vale aliança com Sarney depois de detoná-lo, vale aliança com Collor, depois de detoná-lo.

Vale também distorcer a lei, e fazer terrorismo com os coitados que não tem médicos, ENTRE OUTRAS COISAS.

Tudo pelo bem maior. Afinal eles são menos corruptos.

Pagam 10 paus para Cuba, a médica com sorte recebe 400 paus. Os outros médicos recebem 10 paus. Para o Lulopetismo vale até mesmo distorcer e deturpar a lei trabalhista para fazer populismo e de quebra ajudar a ilha prisão de Fidel.

A galera só não deserta toda por que tem medo, tem família lá na ilha-prisão comunista dos Castro.

Realmente precisamos de mais médicos. Mas estes médicos, desta maneira…não.

Ora, imaginem-se como um médico cubano. O cara vem para o fim do mundo por 400 paus/mês? Isso é coisa de senhorio e peão. Vamos ver o desenrolar na justiça trabalhista.

Responder

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 21h11

    Bom mesmo é a médica chamada de “empregada” por aqueles que hoje a ‘defendem” trabalhar para AMB por R$ 3.000,00 mês. Porque não pagam para ela R$ 20.000,00 recusados PR médicos brasileiros para atender na atenção básica no interior do Brasil, que eles não aceitam? O que ela vai receber da AMB é no mínimo igual do que cubanos estão recebendo no Mais Médicos entre pagamento feito pelo MS e auxílios pagos por municípios para gastos com moradia e alimentação, conforme normas do programa, com uma diferença: ela morará em Brasília, cidade muito mais cara do que o interior do PA. Só de aluguel em Brasília ela pagará quase o total que ganhará, se ela quiser morar no plano piloto.

    Alberto

    11 de fevereiro de 2014 às 23h38

    É exatamente assim!!!

    Robinson Dias

    12 de fevereiro de 2014 às 11h23

    Nigro? se você tivesse de fato consciência e tanta razão, começava pela explicitação da sua cara, do seu nome, mas vemos que não mais que um simples membro dos Balck Blocs disfarçado de entendido. O que falta no seu discurso é assumir a inveja e o ódio que sente pelas derrotas do seu lado preferido na politica e o bom senso.
    Pessoas assim como vc não são mais que meros caoticidas da turma do quanto mais o caos atinja o pais pra desmoralizar os programas sociais trazidos pelo governo do PT que tem erros, porém menos que todos os outros já empossados no poder juntos, melhor.
    Mas podes tirar seu jumentinho da chuva porque a revolução já esta acontecendo. Esta posição medíocre, sonsa, sem noção, pobre a com toda a masquinharia só o faz parecer cada dia mais rancoroso e amedrontado em ver hoje em dia gente pobre, preta vicejando nos campos onde antes só ima pra limpar, cuidar e carregar. Voce e a gentalha sua laia só estão tentando a duras penas desconstruir o que o Lula/Dilma/Pt fizeram em apenas 12 anos enquanto nos 5012 anos todo o resto não fez 10%. Sua inveja juntada ao resto brasileiro que torce e luta contra o desenvolvimento do pais só faz a cada dia mais gente vir pro lado do bem, pro lado certo, o lado da visão, o lado dos que preferem ser aquela metamorfose ambulante do que continuar com essa velha e retrógrada opinião formatada sobre tudo. Gente assim com vc se assemelha com a maior parte da minha família, dos paulistas e paulistanos que sempre votaram no maluf, no PTB, Psdb, pmdb, em Serra, no Gerundio Alkmin, FHC e noutros homens porcos que corromperam a nação. Gente como vc só conseguem ser o que são, pobres de espírito. Gente como vc são da banda pobre dos ideais brasileiros, gente como vc envergonham o conhecimento histórico do Brasil, sua opinião soa muito com o fascismo dos que estão incomodados com o avanço do pais que só começa a chegar depois da vinda de gente da esquerda, do PT ao poder e fazer bem mais e melhor quanto os pangarés que aprendeu amar como revolucionários. Gente como vc é que envergonham todo o processo democrático nacional, que querem a volta da ditadura a qualquer custo, gente assim como vc são a pobreza juntada á mediocridade, do ócio cultural, da falta de visão, do sem noção, dos que só levantam a bandeira pra tentar desfazer o bom que outros fazem e que os que credita votos, aplausos e glórias não tiveram a capacidade de construir. Sugiro a pessoas pobretonas de argumentos a estudara mais um pouco…

    abolicionista

    12 de fevereiro de 2014 às 19h50

    Que desonestidade, essa questão dos 400 reais. Mesmo a tal médica, sem apresentar nenhuma prova concreta, disse que ganhava 400 dólares, que dá em torno de 1000 reais. Se ela tiver ganhando apenas isso, já seria um absurdo. Mas a sanha de vocês é tão grande que precisam mentir e distorcer o número. Não percebe que isso só retira a pouca credibilidade de uma informação já duvidosa? É desse jeito que vocês da direita querem ter seus argumentos respeitados?

Wildner Arcanjo

11 de fevereiro de 2014 às 19h27

Mais um que jurou o juramento de hipócritas.

Responder

Luís Carlos

11 de fevereiro de 2014 às 18h58

Candiota era desconhecida até pelo SIMERS? Parece que sim, pois o presidente não sabia dos fatos? Não sabia do óbito do paciente atendido, à pedido, pelo médico cubano? Não sabia que médicos brasileiros (filiados do SIMERS?) não estavam no plantão?
Fico com grande pergunta em mente: como se chamava, afinal, médico do Pronto Socorro de Bagé que recebeu paciente e que denunciou o médico cubano? É filiado do SIMERS? Trabalha apenas em Bagé ou em outros municípios da região? Trabalharia em Candiota também?

Responder

José Renato

11 de fevereiro de 2014 às 14h40

Mas é verdade que os médicos cubanos ganham apenas R$ 400,00?

Responder

    abolicionista

    11 de fevereiro de 2014 às 17h49

    Caro José, isso é desonestidade. Mesma a médica que está acusando falou, de passagem, em 400 dólares (e seiscentos que ficariam com Cuba), ou seja, cerca de 960 reais. Ainda assim, uma quantia pífia, convenhamos. Contudo, a afirmação é desmentida numa matéria veiculada pelo G1 (ou seja, não estou falando de uma fonte “de esquerda”, pelo contrário). A matéria afirma que a remuneração é de R$10.000,00, embora não caiba ao Brasil determinar quanto disso vai parar nas mãos dos médicos. Os salários do Mais Médicos serão pagos à Opas, que os repassa a Cuba.

    Remuneração dos cubanos
    De acordo com Barbosa, o governo brasileiro não tem informação sobre o valor exato que os médicos cubanos devem receber pela atuação no Mais Médicos. Segundo o secretário, eles deverão ter o mesmo salário que recebem trabalhando em Cuba ou em outras missões no exterior.

    Pelo acordo firmado entre o Ministério da Saúde e a Organização Panamericana de Saúde (Opas) para contratar 4 mil médicos cubanos, o governo brasileiro pagará à Opas o valor equivalente à remuneração dos demais profissionais do Mais Médicos (R$ 10 mil), e a organização repassará esse dinheiro para o governo cubano.
    O governo não sabe quanto dos R$ 10 mil ficará com os médicos e quanto irá para o governo cubano. A declaração foi feita em uma reunião nesta quinta-feira (22) com representantes dos municípios de São Paulo sobre o programa federal.
    “Não podemos pagar diretamente ao médico cubano. O governo cubano só aceita enviar médicos sob a forma de um acordo bilateral, e é isso o que está sendo feito”, disse Barbosa. Questionado sobre as declarações de entidades médicas brasileiras, que mostraram preocupação com as condições de trabalho dos profissionais cubanos, ele enfatizou que os médicos estão vindo para o Brasil voluntariamente.
    Segundo Barbosa, o Brasil já recebeu médicos cubanos em situação parecida na década de 1990.
    “Cuba já faz esse tipo de cooperação há muito tempo. Já teve inclusive com o Brasil na década ade 1990 e em vários outros países do mundo. Eu desconheço qualquer caso em que os médicos cubanos se insubordinaram ou não trabalharam de maneira adequada. Pelo contrário. Quando trabalharam no Brasil, tendo a formação específica em atenção básica, eles prestaram um excelente trabalho”, disse”.
    Barbosa afirmou que os profissionais cubanos têm pleno domínio da língua portuguesa e que o idioma não deve ser uma barreira para a atuação dos médicos. Quando chegarem ao país, farão nova avaliação e aqueles que não atenderem a todos os critérios serão automaticamente desligados do programa.
    “O programa não prevê ter um tradutor junto do médico na hora de prestar atendimento”, afirmou.
    Questionado sobre o risco de os médicos permanecerem no país após o programa, atuando sem a devida validação do diploma, o secretário assegurou que eles não terão validação plena para trabalhar no Brasil fora do contexto do Mais Médicos.
    “Isso, inclusive, é uma cegueira de algumas entidades médicas. Eles não tiram postos de médicos brasileiros”, disse.

    Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/08/cubanos-de-mais-medicos-receberao-mesmo-salario-que-ganham-em-cuba.html

    abolicionista

    11 de fevereiro de 2014 às 17h52

    Pelo que descobri, ela exerceria cargo administrativo. Segundo AMB (associação médica brasileira), ela iria receber salário de R$ 3 mil, além de vales-transporte e refeição e plano de saúde. Ao todo, a remuneração ficará em torno de R$ 4 mil. Bem mais do que a média dos brasileiros, infelizmente.

    nigro

    11 de fevereiro de 2014 às 20h14

    Que bom para ela.

Henrique from Curitiba-PR

11 de fevereiro de 2014 às 13h09

Peraí Senhor Argollo. O médico de plantão chegou às 9:30 (deveria estar às 8:00) e o que deixou o plantão NÃO PASSOU O PLANTÃO, logo abandonou o plantão. Então ficamos com dois médicos que não cumpriram com suas obrigações e penalizamos justamente o médico cubano que cumpriu com sua obrigação! Tá tudo errado Senhor Argollo! Não deu para V.Excia perceber isso?

Responder

tiao

11 de fevereiro de 2014 às 12h54

Médico punido por atender paciente !Como dizia Raulzito,quando acabar o maluco sou eu…

Responder

abolicionista

11 de fevereiro de 2014 às 01h23

Agora é tirar o Argollo do cargo…

Responder

Iza

11 de fevereiro de 2014 às 01h09

Esse presidente do Simers, além de ser preso, deveria ter o registro cassado. Essa coisa aí, (me nego a chama-lo de médico) esqueceu o juramento que fez!

Responder

FrancoAtirador

11 de fevereiro de 2014 às 00h41

.
.
Extraído de: Governo/RS – 3 meses atrás
Justiça.inf

Municípios de Bagé e Candiota são os primeiros a aderir ao Passe Livre Estudantil

Bagé foi o primeiro município gaúcho a assinar o termo de adesão ao programa Passe Livre Estudantil Intermunicipal, após a regulamentação da lei, ocorrida nessa quinta-feira (7).

O ato ocorreu na manhã desta quinta-feira (8), na prefeitura, e contou com a participação do secretário da Casa Civil, Carlos Pestana, dos prefeitos de Bagé, Dudu Colombo, e de Candiota, Luiz Carlos Folador, e de vereadores e líderes estudantis da Região da Campanha.

À tarde, o município de Candiota também assinou o termo de adesão ao programa.

“Estamos muito satisfeitos enquanto Governo do Estado em ir ao encontro das vozes nas ruas”, disse Pestana, referindo-se às manifestações de junho pelo passe livreno país. Construída de forma concertada pelo Governo do Estado e entidades estudantis, a legislação do passe livre vai beneficiarestudantes de todo o Estado com renda per capita de 1,5 salário mínimo e que residem em uma cidade e estudem em outra.

Polo universitário da região, Bagé recebe diariamente mais de mil estudantes de municípios vizinhos, entre eles Candiota, Santana do Livramento, Lavras do Sul, Hulha Negra e Aceguá.
Em contrapartida, cerca de 70 bageenses de baixa renda estudam em Dom Pedrito, Pelotas e Santa Maria.

De acordo com Colombo, o dia foi especial para o município, por dois motivos:
“começamos com o Mais Médicos e terminamos celebrando a conquista dos estudantes”, ressaltou. Pela manhã, Bagé recebeu cinco médicos estrangeiros, entre uruguaios e cubanos, ligados ao programa federal Mais Médicos.

RS Mais Igual
Pestana tambémreuniu-se com a secretária do Trabalho e Assistência Social de Bagé, Andreia Rosa, para celebrar o sucesso do RS Mais Igual no município.
Bagé tem 1,8 lares beneficiadas pelo Bolsa Família e pela complementação do RS Mais Igual.

“É o município onde conseguimos o maior número de adesões ao programa. Com certeza, isso contribuiu para a estatística de 28% na redução da extrema pobreza no país”, destacou.

“Cada vez mais, o programa está empoderando as pessoas, pois aqui também promovemos o Pronatec, para que possam crescer e se emancipar”, garantiu Andreia Rosa.

Neste sábado (9), em Santama do Livramento,Pestana participa de mais uma edição da Caravana da Inclusão do RS Mais Igual.

Entenda o passe livre estudantil
A partir de dezembro, os estudantes cadastrados e que se enquadram nos critérios – renda per capita de 1,5 salário mínimo e que residem em uma cidade e estudem em outra – terão direito a dois passes livres estudantis para utilização em dias de aula, e em trechos pré-definidos no cadastro e que contemplem o percurso: município de origem (cidade onde mora) e município de destino (cidade onde estuda).

A Lei 14.307/2013 institui o passe livre estudantil para os estudantes da Região Metropolitana de Porto Alegre e aglomerados urbanos Norte, Sul e Nordeste e estabelece o subsídio para o transporte dos estudantes das demais regiões do Estado.
No total serão investidos R$ 16 milhões para garantir o benefício.

Pioneira no país, a Lei do Passe Livre Estudantil foi proposta pelo Governo do Rio Grande do Sul a partir das demandas apresentadas pela população durante as manifestações de junho.

Municípios da Região Metropolitana e aglomerados urbanos
Para ter acesso ao benefício, os estudantes que residem nos municípios e aglomerados urbanos atendidos pela Metroplan utilizarão a Carteira de Identificação Estudantil, expedida pela União Gaúcha dos Estudantes Secundaristas (Uges) e União Estadual dos Estudantes (UEE-RS) e distribuídas pelos Diretórios Centrais de Estudantes (DCEs) e Uniões Municipais de Estudantes Secundaristas.

A partir desta sexta-feira (8), aqueles que desejam garantir o benefício deverão procurar suas entidades estudantis e preencher o cadastro do programa Passe Livre.
Além disso, o estudante deverá apresentar os documentos que comprovam a matrícula em instituição regular de ensino, especificando os dias de aula, além de comprovante de residência e renda de todos os membros do grupo familiar.
O benefício será para utilização nas linhas da modalidade comum do transporte intermunicipal.

Demais municípios do Estado
Nas demais regiões, o benefício será concedido através de repasses aos municípios. Para isso, as prefeituras deverão assinar um termo de adesão ao programa Passe Livre, impreterivelmente, até o próximo dia 29 de novembro.

Para a adesão, os municípios deverão apresentar um cadastro dos estudantes que utilizarão o benefício, além do comprovante de matrícula em instituição regular de ensino, com os dias de aula, e comprovante de residência e renda de todos os membros do grupo familiar. As prefeituras deverão, também, indicar uma conta corrente específica para o recebimento dos repasses.

Confira os municípios atendidos pelas linhas interurbanas da Metroplan:

Região Metropolitana de Porto Alegre
Porto Alegre
Alvorada
Araricá
Arroio dos Ratos
Cachoeirinha
Campo Bom
Canoas
Capela de Santana
Charqueadas
Dois Irmãos
Eldorado do Sul
Estância Velha
Esteio
Glorinha
Gravataí
Guaíba
Ivoti
Montenegro
Nova Hartz
Nova Santa Rita
Novo Hamburgo
Parobé
Portão
Rolante
Santo Antônio da Patrulha
São Jerônimo
São Leopoldo
Sapiranga
Sapucaia
Taquara
Triunfo
Viamão

Aglomeração Urbana Nordeste
Bento Gonçalves
Carlos Barbosa
Caxias do Sul
Farroupilha
Flores da Cunha
Garibaldi
Monte Belo do Sul
Nova Pádua
São Marcos
Santa Tereza

Aglomeração Urbana do Litoral Norte
Arroio do Sal
Balneário Pinhal
Capão da Canoa
Capivari
Caráa
Cidreia
Dom Pedro de Alcântara
Imbé
Itati
Mampituba
Maquiné
Morrinhos do Sul
Osório
Palmares do Sul
Terra de Areia
Torres
Tramandaí
Três Forquilhas
Xangri-lá

Aglomeração Urbana Sul
Capão do Leão
Pelotas

Texto: Josiane Picada
Edição: Redação Secom

(http://governo-rs.justica.inf.br/noticia/2013/11/municipios-bage-candiota-primeiros-aderir-passe-livre-estudantil)
.
.

Responder

Gerson Carneiro

11 de fevereiro de 2014 às 00h24

É esse Paulo Argollo que tem dois filhos médicos formados em Cuba? Será que ele pretende mandar algum dos filhos dele pra substituir o médico cubano caso este vá embora?

Responder

    Alberto

    11 de fevereiro de 2014 às 23h54

    Já ouviu dizer que o Brasil é um país de contrastes? Pois é! Este é um típico caso. O problema é que, além de contraditório, ainda cospe no prato que comeu. Se fosse ao me nos um único filho, eu entenderia. Daria para pensar que a experiência foi ruim em Cuba. Mas DOIS filhos formados em Cuba?! É cuspir duplamente nos pratos que comeu. Isso, sim, é que é ter um espírito pobre, uma alma sebosa. Foge a qualquer lógica. Isso, sim, é ter uma mentalidade de cidadão de segunda categoria. Lula estava errado nesse quesito: aqui se tem, sim, e em larga escala, cidadãos de segunda classe, principalmente na suposta elite deste país.

Marat

10 de fevereiro de 2014 às 22h39

O Argollo que arque com as consequências. Está na hora de os boquirrotos também começarem a pagar suas faturas!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!