VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Altamiro Borges: Kassab e o “mensalão” da Veja


04/10/2012 - 22h56

Kassab e o “mensalão” da Veja

Por Altamiro Borges, em seu blog

Na edição da semana passada, na reta de chegada das eleições municipais, a revista Veja publicou em seu encarte paulistano, Vejinha, uma bajuladora reportagem em defesa de Gilberto Kassab. Na capa, uma foto glamorosa do atual prefeito e um título garrafal: “Será que estamos sendo justos com ele?”. Na chamada da matéria, outra declaração de amor e de perplexidade: “Uma radiografia da gestão Kassab, que após sete anos deixa a prefeitura com avanços em algumas áreas importantes, mas a popularidade em baixa”.

A edição teve nítidos propósitos políticos-eleitorais. Visou ajudar o eterno candidato tucano José Serra, amigo da famiglia Civita que patina na campanha em razão, entre outros fatores, da forte rejeição do ex-demo Kassab. Mas não foi só isto. A reportagem de capa também teve motivos comerciais mais banais – e pouco éticos. O blogueiro Luis Nassif acaba que descobrir que a prefeitura da capital paulista adquiriu um novo lote de assinaturas da revista Nova Escola, da Fundação Victor Civita, por R$ 493 mil.

As relações promíscuas com a mídia “privada”

A informação está registrada no Diário Oficial do município de 20 de setembro. Para usar um termo da moda, ela revela a existência de um “mensalão” para comprar a revista Veja. Este tipo de corrupção não é novidade na mídia “privada”. Luis Nassif lembra que “anos atrás, o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, foi destaque nas Páginas Amarelas da Veja. Na mesma semana que saiu a entrevista, uma blogueira de Brasília levantou no Diário Oficial o pagamento de R$ 500 mil em assinaturas da Veja”.

No caso de São Paulo, as relações promíscuas entre os governos tucanos e os veículos de comunicação são ainda mais descaradas. Em apenas cinco anos, o Estado desembolsou R$ 608,9 milhões com publicidade oficial – o equivalente a 30% dos gastos da União. Este volume não computa a publicidade de fundações e estatais, como o Metrô e a Sabesp. O auge deste rombo nos cofres públicos se deu exatamente na segunda metade do governo José Serra, quando ele já havia se lançado como candidato à presidente da República.

TV Globo: menos audiência, mais grana

Em 2009, o governador Serra doou à mídia “privada” R$ 173 milhões em anúncios, quase o triplo do início da sua gestão em 2007. Em 2010, o desembolso total recuou 9% em decorrência da norma que proíbe publicidade oficial nos três meses que antecedem a eleição. Já a média dos nove meses permitidos de 2010 acabou sendo o recorde dos cinco anos: R$ 17,6 milhões por mês. Dos R$ 609 milhões gastos nos cinco anos, 70% deles bancaram anúncios na TV; 17,1%, nas rádios; 7,7% nos jornalões; e 2% nas revistonas.

Das emissoras com sinal aberto, a Globo recebeu R$ 210 milhões, 49,5% do total em TVs. Isto apesar do Ibope apontar que a audiência da emissora caiu de 41%, em 2007, para 38%, em 2011. Baita “mensalão” para a famiglia Marinho. Já entre os jornais, o Estadão garfou R$ 4,7 milhões e a Folha abocanhou R$ 4,4 milhões. Não foram divulgados os valores recebidos pela Veja, mas com certeza ela ficou com boa parte dos 2% do total de R$ 609 milhões dedicados às revistonas. Bob Civita é muito amigo dos tucanos!

“Calunistas” deviam devolver seus altos salários

Cerca de 20% desta fortuna também enriqueceu as agências de publicidade. Por mera coincidência, a maior beneficiária foi a empresa Lua Propaganda. Ela venceu uma licitação de 2007 no valor estimado em R$ 34,6 milhões por ano. A Lua está registrada no nome de Rodrigo Gonzalez e três sócios. Rodrigo é filho de Luiz Gonzalez, o marqueteiro das campanhas de Serra e Alckmin. Como se observa, o “mensalão” corre solto na mídia “privada”. E ainda tem “calunista” que faz discurso contra o jornalismo “chapa branca”.

Eles deveriam devolver os seus altos salários!

Leia também:

Em Minas, Dilma rebate acusação de que é “estrangeira”. Aécio responde: é gaúcha

Lewandowski, Genoino e a oligarquia latifundiária

Paulo Metri, os leilões do petróleo e a “mídia vergonhosa”

João Pedro Stedile: Só o governo e os capitalistas é que estão agindo

Portal Imprensa: As ameaças ao repórter André Caramante

Comparato: No Brasil, o povo não tem poder algum

Ibope em SP: O potencial de crescimento dos candidatos até domingo

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



31 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Haddad: “Para nós não foi exatamente uma surpresa” « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de outubro de 2012 às 23h16

[…] Altamiro Borges: Kassab e o “mensalão” da Veja […]

Responder

ZePovinho

06 de outubro de 2012 às 16h31

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/as-manchetes-do-caderno-poder-da-folha

As manchetes do caderno Poder da Folha
Enviado por luisnassif, sab, 06/10/2012 – 16:04
Por Adjutor Alvim

Veja isso:

Jornal apartidário é isso aí…

Caderno PODER da Folha de São Paulo, 06 de outubro, VÉSPERA DE ELEIÇÃO

21 Manchetes
Negativas ao PT (8)
Novo inquérito vai apurar relação entre Dantas e PT
Mensalão – o julgamento: Punição de petistas ‘dói muito’, diz ministro
Aécio pergunta ‘onde mineira Dilma votará’
Lula diz viver eleição mais complicada em São Paulo
Imprensa: Repórter-fotográfico da Folha é agredido em ato do PT no centro
PT deve parar de crescer na Grande SP
Petista em Fortaleza esconde Duda Mendonça
PT corre risco de ter derrota histórica no RS
Positivas ao PT (1)
PT e PSDB lideram nas grandes cidades

Negativas ao PSDB (0)
Neutras ao PSDB (1)
Aécio pergunta ‘onde mineira Dilma votará’
Positivas ao PSDB (1)
PT e PSDB lideram nas grandes cidades

Responder

Julio Silveira

06 de outubro de 2012 às 13h25

Eu tenho sido um admirador do Ministro Barbosa, mas essa aparição na capa da Veja me levanta um alerta. Me passa um mal sinal de cooptação. O Barbosa deveria se preocupar ao ver sua imagem aproveitada por um veiculo tão evidentemente ligado a atos de uma imprensa marrom do País.
Aparecer na capa da Veja, ou em suas paginas amarelas, hoje, desqualifica o curriculo do cidadão.

Responder

Messias Franca de Macedo

06 de outubro de 2012 às 13h16

[“TÁ TUDO DOMINADO!” OU A TÃO ESPERADA E PREVISÍVEL ‘BALA DE PRATA’ DO PIG! ENTENDA]

‘O MENINO POBRE QUE MUDOU O BRASIL’

Sim, é isto mesmo que o(a) leitor(a) está pensando: a manchete de capa do [nefasto e famigerado] folhetim golpista/terrorista que responde pela indecorosa alcunha de ‘veja’!

em http://mariafro.com/2012/10/06/ministro-joaquim-barbosa-heroi-de-veja/comment-page-1/#comment-52090

Pequena contribuição de um matuto ‘bananiense’ à mediocridade do mundo: é verdade, de tão decrépito o PIG mais parece uma criança! Que me perdoem as crianças!

República Destes Bananas da [eterna] Oposição ao Brasil – fascista, histriônica, MENTEcapta, terrorista, golpista de meia-tigela, entreguista…
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Aroeira

06 de outubro de 2012 às 12h37

COITADO DO CERRA!

“José Serra, candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, carrega carrinho com laranjas durante visita ao Ceagesp nesta sexta-feira”, diz a Folha de São Paulo, que comprovou a notícia com uma foto do Cerra carregando o carrinho.

Um lembrete aos trabalhadores da Ceagesp: eu aposto que o Cerra não tem competência para exercer este tipo de profissão.

Responder

Gerson Carneiro

06 de outubro de 2012 às 12h18

O menino pobre da Veja mudou o Brasil: agora você pode ser condenado sem provas. Basta o depoimento de um inimigo teu.

Ah, e a Veja retirou da internet a página aonde acusava o menino pobre de ter espancado a ex-esposa.

http://veja.abril.com.br/404.shtml

link que estava aqui: http://alertabrasil.blogspot.com.br/2009/04/esse-e-o-joaquim-barbosa-aquele-que.html#.UFUXlQ9bYol.twitter

Responder

    Messias Franca de Macedo

    06 de outubro de 2012 às 14h15

    Prezado Jorge Carneiro, já que – num surto singular de paroxismo ‘nunca antes produzido neste país’ – aquele surrado e decrépito engodo voltou à tona, o de que “estamos passando o Brasil a limpo!”, creio que a sua *explosiva, irrefutável e cabal denúncia constitui-se em elemento sobejamente consistente no sentido de a sociedade civil brasileira ingressar com uma ação junto a alguma instituição/instância internacional, objetivando condenar [o nefasto e famigerado] folhetim golpista-terrorista que responde pela indecorosa alcunha de ‘veja’…

    Afinal, nós não estamos na ‘pré-idade média’ nem tampouco os meios de comunicação, concessões públicas, representam entes inimputáveis e, portanto, inexpugnáveis, nem aqui nem na Conchinchina nem nos “raios que os partam”!…

    *Ah, e a Veja retirou da internet a página aonde acusava o menino pobre de ter espancado a ex-esposa.
    http://veja.abril.com.br/404.shtml
    link que estava aqui: http://alertabrasil.blogspot.com.br/2009/04/esse-e-o-joaquim-barbosa-aquele-que.html#.UFUXlQ9bYol.twitter

    Ademais, nós temos as nossas obrigações: responsabilidades para com a família, os nosso trabalhos, os nossos estudos, enfim, não é justo que fiquemos em polvorosa, a todo momento, por conta de ardis condenáveis e abomináveis perpetrados pela chamada “grande” imprensa nativa (sic), na ‘República de ‘Nois’ Bananas apelidada de PIG, duplo sentido: Partido da Imprensa Golpista; ‘pig’, no idioma inglês, porco!…

    AS RUAS ESPERAM POR VOZES! OU NÃO?!…

    … O golpismo – sempre à espreita – está sendo, no momento, televisionado…

    Felicidades ao amigo!

    Saudações democráticas, progressistas, nacionalistas e civilizatórias,

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia
    República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, impunemente terrorista, golpista de meia-tigela…

    Messias Franca de Macedo

    06 de outubro de 2012 às 14h17

    Respeitosas desculpas,

    Prezado Gerson Carneiro – em vez de ‘Jorge Carneiro’!

    Felicidades ao amigo!

    Saudações democráticas, progressistas, nacionalistas e civilizatórias,

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia
    República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, impunemente terrorista, golpista de meia-tigela…

Geysa Guimarães

06 de outubro de 2012 às 12h01

IMPRENSALÃO pode?

Responder

Aroeira

06 de outubro de 2012 às 11h51

Mário, hoje é o LINCHAMENTO do “mensalão” do Dirceu. Depois o LINCHAMENTO do “mensalão” do Lula.

E quando chegar a minha vez, eu não vou ter a quem reclamar.

Responder

Mario

06 de outubro de 2012 às 11h47

Muitas pessoas têm me telefonado para saber o que acho a respeito do “mensalão” do Dirceu. E eu respondo:
RIDICOLOUS, RIDICULORUM EST.

Ou seja, as pessoas que se expõem ao ridículo merecem ser ridicularizadas.

Responder

Mailson

06 de outubro de 2012 às 07h43

LEMBRANÇAS DA ADOLESCÊNCIA

Quando tomo cosciência de picaretagens dessa natureza, eu sempre me lembro das frases do Grande Filósofo Fumanchu. Era assim que a gente, no ginasial, falávamos sobre um filósofo fictício ao qual atribuíamos uma frase “feliz” que havia escapado de nossas bocas num determinado momento.

Um dia discutíamos sobre o país, sob a ditadura militar,quando um colega se saiu com esta frase, bem compatível com o momento do LINCHAMENTO do “mensalão”.

A frase foi a seguinte: no Brasil, a vida é um barco de merda navegando num mar de mijo e fustigado por uma tempestade de peido, já dizia o Grande Filósofo Fumanchu.

O que ele estava querendo dizer com esta frase era que no Brasil de então a vida das pessoas não valia absolutamente nada, e que você poderia ser preso a qualquer momento e julgado por um tribunal militar de exceção, ser condenado, e seu corpo aparecer boiando num rio ou esgoto a céu aberto de sua cidade no dia seguinte. Esta foi a discussão que precedeu à frase.

Ajustando a frase ao momento atual de ditadura do judiciário, eu diria: no Brasil, a vida é um barco de merda navegando num mar de mijo e fustigado por uma tempestade de peido, já dizia a grande maioria dos ministros da suprema corte.

Responder

Messias Franca de Macedo

06 de outubro de 2012 às 03h24

‘O DOMÍNIO DO FATO’ DA ‘veja'(!) ENTENDA

http://www.youtube.com/watch?v=HvhimevpXXg&feature=relmfu

República Destes Bananas da [eterna] Oposição ao Brasil – fascista, histriônica, MENTEcapta, terrorista, golpista de meia-tigela, entreguista…
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Francisco

06 de outubro de 2012 às 02h50

O único responsável é o PT no poder.

Ninguém denuncia isso, porque o país vive um monopólio.

Artista, coitado, esta proibido de ter cérebro. Se tiver, dê adeus ao sofá do Jô. Idem escritor, dramaturgo, cineasta… Qualquer um que precise de divulgação para sobreviver.

Quem poderia fazer esse serviço? Mais oferta de mídia, certo?

Pois é. Não fez, agora toma!

Responder

Fabio Passos

06 de outubro de 2012 às 01h54

Este é o PiG.
Mamando nas tetas do Estado para idiotizar parte da classe média e fazer propaganda eleitoral para a direita.
Com a rede a vida mansa do PiG acabou.rsrs

Responder

Marat

06 de outubro de 2012 às 00h24

Antes desta laudatória matéria eu pensava que a veja fosse um lixo, um esgoto… Agora percebo que ela é escória. Talvez aqueles 2 ou 3% da população que é profundamente burra e ignorante, seja persuadida pela “reportági”… mas o que fica melhor evidenciado é que a semanal não vale nada…

Responder

lulipe

05 de outubro de 2012 às 23h22

O melhor é a capa da veja com o “caçador de mensaleiros”!!!!

Responder

    FrancoAtirador

    06 de outubro de 2012 às 09h49

    .
    .
    O MENINO RICO QUE MUDOU O BRAZIL

    BRANCO, LOIRO E PAULISTANO DE HIGIENÓPOLIS

    FrancoAtirador

    06 de outubro de 2012 às 11h06

    .
    .
    Candidatos do PSDB são os mais ricos do país,

    conforme patrimônio total declarado ao TSE

    De acordo com dados publicados pela Justiça Eleitoral do Brasil, os cerca de 36 mil candidatos tucanos têm um patrimônio somado de R$ 7 bilhões, ou R$ 196 mil por candidato.

    Essa taxa de riqueza per capita dos tucanos é 46% mais alta do que a média geral dos candidatos de todos os partidos políticos registrados nesta eleição municipal de 2012.

    É também 57% maior na comparação com os bens declarados pelos candidatos do PT.


    Fonte: Estadão

    Messias Franca de Macedo

    06 de outubro de 2012 às 15h28

    Prezado Franco Atirador, não podemos esquecer que o PSDB é, disparado, o campeão nacional dos fichas sujas! “O time do (S)erra & do FFHH!” conseguiu realizar a façanha inédita de superar os escretes do DEMo e do PMDB!…

    Felicidades!

    Hasta la Victoria Siempre!

    Saudações democráticas, progressistas, nacionalistas e civilizatórias,

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia
    República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, impunemente terrorista, golpista de meia-tigela…

    FrancoAtirador

    06 de outubro de 2012 às 16h27

    .
    .
    Meu ‘ínclito’ camarada Messias Franca de Macedo.

    Cá está, não o indício, mas a prova cabal:

clodoaldo

05 de outubro de 2012 às 21h36

LCA, esta revista é mesmo assim, lembra-se no ano de 2010, quando eles colocaram uma foto do Aécio Neves com uma tecla da urna eletronica no peito com a palavra confirma? Insinuando que ele era um senador eleito, e bem votado em Minas, e que ele fazia a diferença na escolha dos brasileiros para presidente? Isso na semana do 2º turno. O que mais me deixa preocupado é que isso é tratado pelo judiciário (TESE) como algo normal.

Responder

Messias Franca de Macedo

05 de outubro de 2012 às 20h43

ENQUETE SEN-SA-CI:O-NAL, SENSACIONAL!

Quem tinha o “domínio do fato” no MENSALÃO da ‘veja’?!

letra a: Robert(o) Civita

letra b: Policarpo Junior “dos Civitas”(!)

letra c: o espírito de ACM – e alma bondosa (sic) do (S)erra

letra d: Reinaldo AZEDOvedo “dos Civitas”(!)

letra: todas as alternativas são verdadeiras

E O LEITOR “PODE VER E OPINAR TAMBÉM”!

Quem tinha o “domínio do fato” na Privataria ?
Fernando Henrique
Padim Pade Cerra

em http://www.conversaafiada.com.br/

República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, terrorista, golpista de meia-tigela…

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Vlad

05 de outubro de 2012 às 20h40

E o que dizer da doação de área pública no valor de 20 milhões de reais para institutos/lavanderias?
Esse Kassab!
Parece que transita pelos dois lados…a voz do povo…ah esse povo!

Responder

José Carlos Araújo

05 de outubro de 2012 às 20h36

Está chegando a Hora!…
Petistas, Lulistas, Dilmistas, militantes dos Partidos de Esquerda…
Vamos dar uma resposta a essa mídia Golpista(P_I_G), aos Ministros do S_T_F, ao M_P_F e a esses Partidos da Direita reacionária…
Vamos Votar nos candidatos do P_T e nos candidatos de esquerda… Vamos derrotar mais uma vez esses traidores do povo Brasileiro.

Responder

J Souza

05 de outubro de 2012 às 20h35

Tanta amizade com os militares, com os tucanos e com o Ricardo Teixeira tornaram as famiglias Marinho e Civita na 6ª e na 14ª mais ricas do Brasil, segundo a lista da Forbes.
Ou seja, o negócio dos empresários da mídia não é ideologia, nem amizade, é grana, muita grana!

Responder

Messias Franca de Macedo

05 de outubro de 2012 às 20h29

“A ORAÇÃO” DE ‘NOIS’ BANANAS!

“Eu só queria entender” “quais Diabos” de prejuízo teria o governo da presidente Dilma Rousseff, A Magnífica, recorde de aprovação popular, “FATIANDO” (sic) em cerca de, digamos, 90% (idem sic) as verbas publicitárias dirigidas ao PIG?… Não deve ser temor de retaliações abjetas, receio de a governabilidade ficar comprometida/combalida por conta das represálias verbais dos ‘jornalistas amigos dos patrões'(!)… Não deve ser pavor de conspirações engendradas nas masmorras/enxovias das redações da “grande” mídia nativa!… Quais seriam “os Diabos” destes prejuízos e/ou riscos e/ou temores, horripilantes?!…

República da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista eterna, MENTEcapta, terrorista, golpista de meia-tigela…

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

FrancoAtirador

05 de outubro de 2012 às 00h15

.
.
A prova está lá no sítio da Revista Nova Escola editada pelo Grupo Civita,

a quem os trabalhadores paulistanos acabam de pagar meio milhão de reais

para que os professores de seus filhos tenham a Veja como leitura diária

e a apliquem nos “Planos de Aula” nas escolas municipais de São Paulo:

Nova Escola

Especial

Sociologia

Plano de Aula Ensino Médio

Afinal, o que é a classe média?

Bases Legais
Ciências Humanas e suas Tecnologias

Conteúdo
Desigualdade social [link para outras matérias da Veja]

Objetivos
Compreender e debater os critérios que definem as divisões dos segmentos sociais

Conteúdo relacionado

REPORTAGEM DA VEJA:
O movimento dos Sem-Bolsa [link para o post do Reinaldo Azevedo]

Introdução
Um ríspido debate público vem assumindo a cena principal na imprensa brasileira. Ele tem significado e peso sociopolíticos que devem ser levados a sério, mas seus protagonistas não são os chamados políticos profissionais, atores costumeiros vinculados a legendas partidárias. Renascidas das cinzas após o fracasso do socialismo, surgem na discussão as classes sociais. A argumentação de Reinaldo Azevedo, que defende as manifestações e posições da classe média, enquadra-se nesse cenário. O texto permite que você explore alguns conceitos sociológicos bastante atuais – e outros que remontam às teorias marxistas.

Atividades
1ª aula – Com o auxílio do professor de Língua Portuguesa, promova a leitura coletiva do artigo, cuidando para que a turma compreenda plenamente as idéias do autor. Destaque a ironia da frase “Quem tem boca vaia Lula”, que parodia um conhecido ditado popular. Se for o caso, lance mão de um dicionário para esclarecer o sentido de expressões pouco usuais, como desídia, digressão, nhonhô, disjunção, caudatários, emular e antípoda. E discorra acerca do significado do neologismo esquerdopatia, uma doença que supostamente aflige os políticos de orientação socialista.

Faça ver que o ensaísta de VEJA defende a legitimidade da intervenção da classe média na vida política. Contra o que e contra quem se insurge esse estrato social? E as demais classes, que posições assumem nesse contexto? Encontrar a resposta não é fácil, pois tudo merece antes outra análise. Afinal, o que é a classe média? Quais são as outras? É produtivo observar a sociedade com base na divisão de classes?

Ressalte que a existência de tais segmentos nem sempre é evidente. Conforme os critérios adotados, enxergamos classes que não perceberíamos seguindo parâmetros diferentes.

Um fato, no entanto, é emblemático: um setor da sociedade paulistana, com apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), lançou um movimento denominado Cansei. Adesões e críticas à iniciativa vêm ocorrendo com ampla divulgação da mídia. O fenômeno traz à tona algo que se enuncia como uma expressão em desuso: o seu “caráter de classe”. Em outras palavras, mesmo sem saber, seus signatários parecem falar em nome dos interesses de alguns, e não da coletividade. E quem seriam esses “alguns”? Para certos críticos, as “elites” endinheiradas e, para outros, a classe média. Também há quem entenda que os dois termos soam como sinônimos. Resta muito a refletir sobre essa questão, que reforça divisões, marca diferenças, acelera ressentimentos etc. Um bom caminho é trabalhar com os adolescentes as noções mais utilizadas de classe social, tema que será explorado em seguida.

2ª e 3ª aulas – Levante alguns tópicos para debater com os estudantes.
• As diferenças sociais e o critério de renda – Conte que as sociedades modernas proporcionam a seus membros uma liberdade individual e uma participação na vida política inviáveis no passado. Tanto do ponto de vista pessoal quanto do coletivo, as tendências passaram a ser democráticas. E, no plano econômico, o acesso à riqueza é, em tese, mais aberto do que foi sob os moldes tradicionais. Mas, na prática, a realização das sociedades contemporâneas é bastante complexa e boa parte de suas dinâmicas diverge da teoria. Em suma, esses conjuntos são internamente muito desiguais. Ao longo do tempo, foram desenvolvidas várias formas de detectar e interpretar tais diferenças. Nesse esforço é que se consagrou o conceito de classe social. Pergunte se as classes existem de modo inequívoco e todos as enxergam da mesma maneira. Estabeleça um prazo para que os jovens manifestem suas opiniões e as justifiquem.

Forneça um exemplo para alimentar a polêmica: quando falamos em classe média, supomos que ela ocupa uma posição intermediária em relação a dois extremos, um superior e outro inferior. Mas como se determina isso? O que é esse grupo intermediário? Mostre que só parece lógico definir como médio algo que pode ser aferido numericamente. Não por acaso, a palavra média faz parte do jargão estatístico. O que caracteriza a classe média é seu quinhão de riqueza – ou renda. Os membros dessa categoria, portanto, se enquadram numa faixa de renda mediana. No caso brasileiro, em que o salário mínimo atual é de 380 reais, quem ganha até cerca de seis salários para sustentar a família pode ser chamado de pobre. Os que recebem de sete a uns quarenta salários formam a classe média (com suas subdivisões média-baixa e média-alta). A renda mensal superior a 20000 reais situa o início da escalada para as classes altas. Deixe claro que esses números são mais ou menos arbitrários. Delimitar classes sociais assim é suficiente? Esse padrão traduz toda a complexidade das desigualdades brasileiras? Agora já é possível identificar o estrato a que o ensaio de VEJA dá voz? Então, quais são os valores, os desejos, os comportamentos e os interesses desse setor? Provoque os alunos: será que pertencem às camadas pobres um professor ou um advogado cuja renda é bem menor que a de um operário metalúrgico?

• A estrutura social vista por outro ângulo – Explique que a obra de Karl Marx traz uma das mais célebres descrições de classe social. Segundo o pensador alemão, compõem um determinado segmento todos aqueles que ocupam na estrutura produtiva a mesma função e posição. Nessa concepção, os donos dos meios de produção – as fábricas, por exemplo – formam a burguesia. Os que possuem apenas a força de trabalho e a vendem por um salário ao burguês pertencem ao proletariado. Eis as duas classes fundamentais para o marxismo. O restante configuraria a “pequena burguesia”: profissionais autônomos – médicos, advogados, administradores públicos etc. – que, se não são burgueses, em alguma medida comungam valores com eles.

Ensine que esse jeito de definir classes perdeu prestígio e poder explicativo com o passar do tempo, porém ainda conta e se relaciona fortemente com as noções de esquerda e direita, mencionadas no artigo. Digamos que é uma dimensão da sociedade que não coincide com a distribuição de renda, mas que também está presente no debate. Para dar continuidade às discussões, você pode pedir que os alunos pesquisem outros critérios de divisão social. Os modelos citados nesta lição, no entanto, continuam formando opiniões, embora não sejam tão fiéis à realidade do mundo em que vivemos. Lembre que a propalada desproteção à classe média desconsidera a absurda concentração de renda que persiste no país. Para encerrar, encomende dissertações individuais sobre o tema.

Consultoria Jaime Tadeu Oliva
Geógrafo e professor do UniFIEO, de Osasco (SP)

http://revistaescola.abril.com.br/ensino-medio/afinal-classe-media-428089.shtml

Responder

FrancoAtirador

04 de outubro de 2012 às 23h36

.
.
Essas negociatas do PSDB com a mídia oligárquica são por demais gritantes.

Tanto que os paulistanos, e os demais paulistas, já estão desconfiando:

Talvez por isso que a eleição de Serra, em São Paulo, seja tão importante

para os donos de jornais diários e revistas semanais e para a Rede Globo.

Graças a Deus que os jovens brasileiros não leem jornais nem assistem TV.
.
.

Responder

    Zé Capiau

    06 de outubro de 2012 às 10h12

    E depois dizem que vão tirar as drogas das escolas…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Últimas matérias
Amigo de Bolsonaro, Trump proíbe exportação de máscaras, apesar de alerta sobre “crise humanitária” na América Latina

Da Redação O presidente Donald Trump anunciou hoje que assinará um decreto proibindo a exportação, por empresas dos Estados Unidos, de equipamento médico utilizado no combate à pandemia de coronavírus. Isso apesar de a empresa 3M, especificamente acusada de lucrar com a emergência médica, ter dito que a decisão de Trump teria “implicações humanitárias significativas” […]

Ler matéria