VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Secretaria reconhece que lei cria vagas para planos privados em hospitais públicos


06/09/2011 - 19h07

por Conceição Lemes

A Justiça derrubou na semana passada, em 31 de agosto, a lei estadual 1.131/2010, a lei da dupla porta, nos hospitais públicos de São Paulo.

O juiz Marcos de Lima Porta, da Quinta Vara da Fazenda Pública, acatou representação dos promotores Arthur Pinto Filho e Luiz Roberto Cicogna  Faggioni, do Ministério Público Estadual (MPE) e  concedeu liminar, proibindo o governo paulista de vender 25% dos serviços dos hospitais públicos geridos por Organizações Sociais de Saúde (OSs) para planos de saúde, como permite a lei 1.131/2010.

Em nota oficial, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informa que vai recorrer da decisão.  Eis a íntegra  do comunicado:

INFORMAÇÕES ERRADAS, DINHEIRO PARA OSS E VAGAS PARA USUÁRIOS DE  PLANOS

A nota oficial da Secretaria de Estado da Saúde incorre em alguns equívocos e reconhece, de forma explícita, o objetivo da lei 1.131/2010.

“A nota oficial afirma, sem qualquer embaraço, ‘que é do Ministério Público, bem como da Agência Nacional de Saúde Suplementar, que o crescimento do número de clientes de planos privados não foi acompanhado pela expansão da rede de Hospitais e serviços de saúde credenciados para atender estes pacientes’”, observa o promotor Arthur Pinto Filho, da Promotoria de Justiça de Direitos Humanos e Saúde Pública do MPE.

“Sim, o Ministério Público tem conhecimento desses dados”, atenta o promotor. “Mas não sabia, como agora sabe já que a Secretaria assume explicitamente, que o objetivo da lei é retirar leitos  SUS para criar vagas para planos de saúde privados  e resolver problemas deles, que, em função  do crescimento do Brasil, aumentaram substancialmente o número de clientes. E, tais planos, visando lucros estratosféricos, não criaram condições adequadas para o atendimento para estes novos clientes.”

“Na verdade, a nota oficial confirma o que já suspeitávamos”, afirma Mário Scheffer, presidente do Grupo Pela Vidda, entidade que liderou a representação ao MPE. “A partir da constatação óbvia de que o mercado de planos de saúde cresceu mais do que a rede credenciada das operadoras, a Secretaria da Saúde assume a parceria pretendida pela lei 1131. As OSs ganham dinheiro novo para tentar manter  uma vitrine assistencial.  Já os planos agregam valor aos produtos que eles comercializam, ostentando em sua rede, atualmente medíocre, os melhores hospitais do SUS em São Paulo.”

“Ocorre que não cabe ao Estado solucionar problemas dos planos privados”, volta à carga o promotor. “Ainda mais retirando 25% dos leitos SUS dos hospitais de alta complexidade.  A razão, agora explicitada, não tem por base resolver problemas de eventuais financiamentos da saúde, mas solucionar problemas dos planos de saúde.”

A nota diz que a “finalidade é permitir que hospitais estaduais gerenciados por OS possam ser ressarcidos pela assistência médica que prestem a pacientes beneficiários de planos de saúde”.  Tal informação não procede.

“Como o Viomundo já registrou, a lei estadual n° 9.058, de 29 de dezembro de 1994, e a lei federal 9.656, de 3 de junho de 1998, permitem que o Estado cobre o referido ressarcimento de 100% dos pacientes dos planos de saúde atendidos via SUS”, relembra Arthur Pinto Filho. “Aliás, exatamente por esses motivos, o ex-governador José Serra vetou em 2009 uma lei idêntica à 1.131/2010.”

Assim como é absolutamente incorreto o argumento de que a leis existentes não se aplicam às organizações sociais, porque “a lei federal quando criada, na década de 90, não previu a figura jurídica de gestão de hospitais públicos”.

“Os hospitais gerenciados por OSs são públicos e não perdem esse caráter”, alerta o promotor. “Todo o dinheiro utilizado nesses hospitais é 100% público. Assim, é evidente que as leis que permitem o ressarcimento podem ser aplicadas, como são, aos hospitais públicos gerenciados por OSs.”

Diante de tudo isso, o promotor Arthur Pinto faz um apelo ao secretário de Saúde, Guido Cerri. “Considerando que as entidades e movimentos sociais da área de saúde são unanimemente contra a lei 1.131/10, tenha sensibilidade social e não adote, em São Paulo, uma política pública que, como bem marcou o Dr. Marcos de Lima Porta, ‘ofende o Estado democrático de direito e ao interesse público primário da coletividade’”.

PS do Viomundo: A nota da Secretaria da Saúde afirma que os planos privados oneram o SUS em cerca de R$ 500 milhões. Esse valor, no entanto, diz respeito ao Brasil inteiro e não apenas a São Paulo, como pode dar margem a entender o comunicado oficial. Segundo o doutor Renato Azevedo Júnior, presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp),  anualmente os planos privados de saúde deveriam ressarciar o SUS em R$ 500 milhões por atendimentos recebidos por seus usuários nos hospitais públicos.  “É gente que foi atendida no sistema público e que pagou o plano de saúde, só que o plano faz de conta que não é com ele”, salientou em entrevista a mim, Conceição Lemes.

Leia também:

Justiça derruba a lei da dupla porta nos hospitais públicos de SP

Cremesp condena os fura-fila no SUS

Hospitais públicos gerenciados por OSs têm rombo de R$ 147,18 milhões

Arthur Chioro: “Planos de saúde vão economizar e paulistas pagarão a conta”

Mário Scheffer: “Lei da Dupla Porta é o maior ataque ao SUS desde o PAS, do Maluf”

Ministro Padilha, até quando vai dar dinheiro do SUS para São Paulo entregar aos planos privados de saúde?

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



51 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Paulo Capel: As OSs vão continuar dando as cartas na saúde em SP? « Viomundo – O que você não vê na mídia

11 de dezembro de 2012 às 13h51

[…] Secretaria reconhece que lei cria vagas para planos privados em hospitais públicos […]

Responder

Para o bem da saúde pública dos paulistanos, Haddad precisa abrir a caixa-preta das OSs « Viomundo – O que você não vê na mídia

30 de outubro de 2012 às 21h18

[…] Secretaria reconhece que lei cria vagas para planos privados em hospitais públicos […]

Responder

Lei paulista que autoriza venda de 25% dos leitos do SUS a planos de saúde será julgada na próxima terça « Viomundo – O que você não vê na mídia

10 de maio de 2012 às 14h00

[…] Secretaria reconhece que lei cria vagas para planos privados em hospitais públicos […]

Responder

#primaveradasaude e regulamentação da emenda 29 | Viomundo - O que você não vê na mídia

11 de setembro de 2011 às 09h32

[…] Secretaria reconhece que lei cria vagas para planos privados […]

Responder

jura

07 de setembro de 2011 às 18h50

Depois dessa só resta ao picolé de chuchu e ao 'socialista' Skaf darem as mãos a outro 'socialista' – Cid Gomes – e exigir a volta da CPMF (pros ricos como eles) que eles derrubaram.

Responder

ZePovinho

07 de setembro de 2011 às 15h19

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Atendimento médico infantil no mundo: Cuba tem o 8º melhor sistema, EUA o 15º e Brasil, o 35º

Ranking da ONG Save the Children mensura número de profissionais da área da saúde disponíveis, alcance de sistema de vacinação pública e atendimento a gestantes e parturientes em 161 países. Estudo foi entregue à ONU para pressionar por execução do projeto “Toda Mulher, Toda Criança”. A cada ano, 8,1 milhões de crianças morrem por falta de atendimento.

Da Redação

Responder

ZePovinho

07 de setembro de 2011 às 15h08

A LÓGICA DOS GUARDA-COFRES DA PLUTOCRIA

"Defendo que a Saúde, como prioridade de Estado, tem que ter um financiamento específico e completamente diferenciado. No entanto, isso não pode representar, de forma alguma, o aumento da carga tributária, que já está num nível insuportável. Então, não podemos cogitar a criação de novos tributos fora do contexto de uma ampla reforma tributária" (Antonio Anastasia; governador tucano de MG; Globo, 07-09). O que o governador tucano de Minas Gerais está dizendo, afinal? O de sempre. Ou seja, aquilo que é prioridade de interesse público tem que ser resolvido por alguma fórmula mágica que não afete a ganancia privada do dinheiro que ele representa e o serve. O caixa do governo brasileiro foi expropriado em R$ 40 bi por ano com a extinção da CPMF em dezembro de 2007, em meio a uma intensa campanha nesse mesmo tom pastoso. Sim, nem todo o valor arrecadado ía para a saúde pública: uma parte era desviada criminosamente ao bolso dos endinheirados, na forma de superávit para pagar juros da dívida pública. Mas a perda afetou gravemente um arcabouço que já era precário: o investimento per capita em saúde pública no Brasil é entre sete a 10 vezes inferior ao dos países desenvolvidos. O que isso significa na vida de pessoas que esperam na fila, anos, por uma cirurgia, ou meses, por uma mamografia que pode representar a diferença entre um câncer ou a sua prevenção? Significa a morte. Os bancos brasileiros tiveram um lucro de R$ 55 bilhões em 2010 (lucro declarado, bem entendido). É quase o dobro do valor adicional que o SUS precisa para ampliar e qualificar um atendimento heroico que hoje inclui 11 milhões de internações por ano, 3 milhões de partos, 400 milhões de consultas, ademais de cirurgias de hérnia a transplante de fígado. Mas não. O Brasil não pode ‘de forma alguma', veta o tucano mineiro, elevar 'a carga insuportável'. Os assalariados brasileiros pagam uma carga 4,5 vezes maior que a dos bancos à Receita. A proposta do governo de se criar uma Contribuição Social para a Saúde, discutida desde 2008 –mas hoje defendida com coragem apenas pelo governador Jacques Wagner, da Bahia– tem o mérito de suprir o buraco da CPMF com vantagens que evitam desvios e fragilidades: a CSS será permanente e não provisória, eliminando-se o risco renitente de um ataque conservador ; sua receita será exclusiva da saúde e a alíquota ainda menor; em vez de 0,38% , algo como 0,27% com isenção para quem possui renda mensal inferior a R$ 3.000,00. O que é melhor para a saúde pública, isso ou a pastosa lógica dos guarda-cofres da plutocracia?

(Carta Maior; 4ª feira, 07/09/ 2011)

Responder

Leo

07 de setembro de 2011 às 14h10

Como no brasil ainda é gigantesca a desiguadade econômica e grande o desrespeito aos pobres nos seus direitos ocorreria ou pode ocorrer o seguinte: de darem preferencia a atendimentos tomando a frente aos clientes com planos e esses mesmo iriam querer tratamentos e internamentos diferenciados como os criminosos que tem diploma vai para cadeia especial.

Responder

ZePovinho

07 de setembro de 2011 às 13h26

A hipocrisia é,mesmo,uma homenagem que o vício faz à virtude,como dizia La Rochefoucauld.Sarah Palin(enquanto chama de socialista o sistema de saúde que Obama que queria estender aos mais pobres) usa o sistema de saúde pública do Canadá:

"We used to hustle over the border for health care we received in Canada. And I think now, isn't that ironic?" Sarah Palin, American politician and former governor of Alaska, (admitting that her family used to get treatment in Canada's single-payer health care system, despite having demonized such government-run programs as socialized medicine that will lead to death-panel-like rationing, March 6, 2010)

The Decline of the United States of America: The Moral, Political and Economic Causes

by Prof. Rodrigue Tremblay
http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va

O Celso amorim está certo em querer tirar nossas tropas do Haiti.Não podemos seguir o caminho do império.A melhor maneira de se expandir pelo mundo é chegar com diplomacia,cultura e solidariedade:

“The deterioration of every government begins with the decay of the principles on which it was founded.” Montesquieu, (Charles Louis de Secondat) (1689-1755)

Responder

FrancoAtirador

07 de setembro de 2011 às 13h20

Marcha contra a Corrupção

MESQUITA, FRIAS, MARINHO ou CIVITA

QUEM VAI SER O PORTA-BANDEIRA?

<img src="http://www.computerworld.com.pt/media/2011/05/bandeira_pirata.jpg"&gt;

Responder

beattrice

07 de setembro de 2011 às 13h08

A Secretaria de Saúde de SP já teve nomes corretos à sua frente, nota lamentável, argumentos falaciosos, lei abominável.
E segue a festa tucana na Bastilha do Morumbi.

Responder

FrancoAtirador

07 de setembro de 2011 às 12h37

.
.
Ranking da corrupção no Brasil

Quantidade de políticos cassados por corrupção desde 2000:

1º) DEM (69);

2º) PMDB (66);

3º) PSDB (58);

4º) PP (26)

5º) PTB (24);

6º) PDT (23);

7º) PR (17);

8º) PPS (14);

9º) PT (10);

10º) PV, PHS, PRONA, PRP (1)

Dados do Tribunal Superior Eleitoral – TSE

http://cmarinsdasilva.com.br/wp/prontofalei/ranki

Responder

Fran

07 de setembro de 2011 às 11h57

Ei perai,,que dizer q os hospitais atendem pacientes de plano de saúde,é isso mesmo?Puzt e pq q eles n param de atender então?Absurdo os contribuintes pagar imposto para o estado da leito para plano de saúde.É a jestão tucana..

Responder

Carlos

07 de setembro de 2011 às 11h54

Alguém aqui sonhava que o PSDB fosse fazer na saúde alguma coisa diferente disso? Tudo normal. 25% a maisde elitos para planos de saúde , 25% a menos de leitos para a população carente que depende do serviço público.

Responder

Gerson Carneiro

07 de setembro de 2011 às 11h50

EXTRA! EXTRA!

Organizador do CANSEI revival joga a toalha:

@alvarodias_ tentei, mas fiquei praticamente só.

Às 11h50 da manhã, contabilizando todos os participantes do protestos daria para lotar uma towner.

Responder

FrancoAtirador

07 de setembro de 2011 às 09h52

.
.
.
.
“Marcha contra corrupção”. Quem agita?

Por Altamiro Borges, jornalista, no Blog do Miro

Estão previstas para este 7 de setembro, Dia da Independência, “marchas contra a corrupção” em capitais e importantes cidades do país. O objetivo até parece nobre, mas seus organizadores são mais sujos do que pau de galinheiro. Visam utilizar a bandeira da ética para esconder sua frustração com a derrota nas eleições presidenciais de 2010. O intento é desgastar o governo Dilma.

Entre os promotores do “protesto espontâneo” estão os velhacos tucanos. “No 7 de setembro, a Juventude do PSDB-SP realizará atos contra a corrupção. Aproveitando as comemorações da data, a JPSDB-SP reunirá os jovens do Estado de São Paulo para se manifestar contra as sucessivas denúncias de corrupção que atingem membros do governo federal”, revela o sítio dos tucaninhos.

O cinismo dos tucaninhos

O cinismo dos organizadores é escancarado. Para enganar os ingênuos, eles generalizam as críticas à corrupção, citando inclusive a deputada federal Jaqueline Roriz, que acaba de escapar de um processo de punição na Câmara Federal. Só deixaram de avisar os incautos que a parlamentar foi eleita pela primeira vez pelo PSDB e que ela foi flagrada com dinheiro no bolso no famoso “escândalo do mensalão do DEM”, liderado pelo ex-governador José Roberto Arruda, o “vice-careca” do tucano José Serra.

“Em um dia histórico para o nosso país, as juventudes municipais do PSDB de todo o Estado estarão reunidas por um único motivo: pedir um basta à corrupção”, agita Paulo Mathias, presidente da Juventude do PSDB de São Paulo. Ele poderia aproveitar para pedir a apuração das denúncias de desvio do dinheiro público na prefeitura de Pindamonhangaba, lideradas pelo cunhado do governador Geraldo Alckmin, ou para exigir que a mídia demotucana dê mais notícias sobre Paulo Preto, o “caixa” de Serra.

O patético blogueiro da Veja

Outro “agitador” das marchas é o blogueiro da Veja, Reinaldo Azevedo. Ele até publicou um roteirinho dos protestos. “Diversos grupos espalhados por todo país preparam pelo menos 38 manifestações contra a corrupção em 35 cidades. Milhares de pessoas já confirmaram presença nos eventos por meio das redes sociais”, comenta, excitado, o patético capacho da famiglia Civita.

Nos últimos dias, ele ficou meio atordoado com as denúncias sobre os crimes da Veja para espionar o ex-ministro Dirceu. Ele até reclamou do restante da mídia demotucana, que preferiu não apoiar as ações mafiosas da sua empregadora. Daí sua agitação em defesa da “marcha contra a corrupção” para desviar a atenção. Se Dilma fosse mais ousada, a famiglia Civita seria processada e o seu blogueiro predileto até poderia perder sua boquinha!

Os aliados perigosos

Por último, entre os apoiadores do “marcha”, vale citar a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Nesta terça-feira, dia 6, ela homenageou com a “medalha do mérito” os senadores que lutam contra a corrupção. A Firjan só não falou nada sobre os empresários que sonegam impostos, que desviam dinheiro para os paraísos fiscais ou que abocanham bilhões de subsídios públicos.

Entre os homenageados, a senadora ruralista Ana Amélia, do PP – que nada falou sobre o trabalho escravo no campo brasileiro – e o senador Pedro Simon, do PMDB gaúcho. Este aproveitou para elogiar a convocação da “marcha contra a corrupção”. “Esta é a primeira vez em que atos são convocados no país, através das redes sociais e, pelo resultado verificado nos países árabes, estamos esperançosos”.

O senador, que gosta de se apresentar como um ético franciscano, só não explicou porque nunca apoiou os protestos contra as maracutaias descaradas da ex-governadora Yeda Crusius, a quem deu apoio até a última hora. Como se observa, a “marcha contra a corrupção” no 7 de setembro tenta se aproveitar de um mote aparentemente justo, o da ética na política, com interesses mais sujos do que pau de galinheiro.

<img src="http://1.bp.blogspot.com/_nIhHylcueUs/SoYvgBSYmhI/AAAAAAAAbs4/Qy7WbHk9Dtc/s400/Yeda-lama-RS.jpg"&gt;

Responder

FrancoAtirador

07 de setembro de 2011 às 09h40

.
.
Marcha contra a Corrupção ganha o BraZil

Já garantiram a prestimosa participação:

Em Brasília: JOSÉ ROBERTO ARRUDA e JOAQUIM RORIZ.

Em São Paulo: VERÔNICA SERRA e PAULO PRETO.

No Rio Grande do Sul: YEDA CRUSIUS e ELISEU PADILHA.

Em Minas Gerais: EDUARDO AZEREDO e ANDRÉA NEVES.

Prossigam por mim, porque eu CANSEI!
.
.

Responder

    EUNAOSABIA

    07 de setembro de 2011 às 10h06

    Tu nunca ficou preocupado com o dinheiro que os petistas enfiam nas cuecas ou enchem as malas pra comprar dossiês fajutos?… esse dinheiro sai do teu bolso mesmo rapaz, antes de bancar o engraçadinho inútil, reflita sobre isso.

    Você tá cansado de ser roubado e nem liga mais, é isso?

    FrancoAtirador

    07 de setembro de 2011 às 12h30

    [youtube OMw146Lm_NM http://www.youtube.com/watch?v=OMw146Lm_NM youtube]

    cronopio

    07 de setembro de 2011 às 12h58

    E o subsídio da Veja, sai do bolso de quem?

    Silvio I

    07 de setembro de 2011 às 22h53

    EUNAOSABIA:
    Você e um papagaio, por repetir coisas que foram usadas em desonesta campanha eleitoral. Acusou-se alguém, que levava dinheiro que não pertencia a nenhum partido apenas por esse homem ser irmão de um político. E se acusou o político, porque e fácil acusar, e sendo difícil provar.E a justiça não faz pagar, a quem acusa gratuitamente.Agora si você esta inteirado você não e papagaio, e desonesto. Em quanto a os aloprados esse e um negociam nebuloso. O certo e que si existiu um dossiê das ambulâncias, isso determinou que se deriva se em outro sentido, porque si não Serra, e provável que estivesse, em maus lençóis.

Melinho

07 de setembro de 2011 às 07h27

FORA DE PAUTA

Logo que você tiver tempo, insira o vídeo com o ponunciamento da Dilma no seu blog.

Nunca vi tanto pessimismo nas versõs online do /Globo, Folha, Estadinho, Uol e outras porcarias do gênero.

Responder

Gustavo Pamplona

07 de setembro de 2011 às 01h39

Analisem este vídeo aí
http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edic

Eles anunciaram como se fosse uma hecatombe devastadora que iria acabar com a vida das pessoas e detalhe: Isto foi depois da Dilma ter feito o pronunciamento de 7 de setembro e que ela falou sobre inflação

Detalhe: Eu até ri da "reporcagem" hahahahahaaa

—-
Gustavo Eduardo Paim Pamplona – Belo Horizonte – MG
Desde Jun/2007 devastando hecatombemente o PORCO no "Vi o Mundo"! ;-)
Fundador do PORCO – Partido de Oligarcas Representantes de Capitalistas Opressores (PIG)

Responder

    EUNAOSABIA

    07 de setembro de 2011 às 10h12

    Mas vem cá rapaz, a informação é falsa ou verdadeira de que a inflação acumulada é maior em 12 meses?? tu queria o quê?

    cronopio

    07 de setembro de 2011 às 13h02

    Calma, Filombeta! Gente, achei que o EUNAOSABIA ia puxar o três oitão! Lembrei do saudoso Fleury!
    Não tomou o remédio de hoje, foi?

Elza

07 de setembro de 2011 às 01h13

Eitaa cambada pra gostar de mamar nas tetas do governo. Falam mal dos SUS, mas querem tirar proveitos. Já foi citado aqui, a falta de investimento na rede hospitalar privada é isso msm, aqui no meu estado (RN) tah difícil ter vaga na rede credenciada pelos planos de saúde. Uma amiga minha há duas semanas foi p/ o hospital c o marido, que é um caso depressão profunda e teve que ficar 36 horas no setor de emergência pq ñ tinha vaga para internar e olha, q é considerado um dos melhores planos.

O poder aquisitivo do povo melhorou e como a saúde pública ñ tah boa ficam com medo entram para os planos de saúde, quer dizer aumenta a demanda, mas ñ aumenta o nº de leitos, eles querem só lucros, lucros…. igual as companhias telefônicas, conclusão, tudo farinha do mesmo saco

Responder

Polengo

06 de setembro de 2011 às 23h02

É claro que sabem.
E fizeram sabendo.

Responder

edmil

06 de setembro de 2011 às 22h59

AQUI NO RIO CABRALALAU QUER FAZER A MESMA COISA ,SE´RA QUE O PT VAI APOIAR ESSA COVARDIA COM QUEM PRECISA . SE PEDER NA ALERJ CABRAL DISSE QUE DEMITIRÁ OS DOIS SECRETÁRIOS DO PT .
FOOOOOOOOOOORA CAOBRAL!!!!!

Responder

Sebastião Medeiros

06 de setembro de 2011 às 21h55

A Prefeitura de São Paulo esta fazendo a mesma coisa com a rede de educação Municipal.Só na região da Subprefeitura Jaçanâ-Tremembê,Zona Norte de São Paulo,a Secretaria da Educação do Município fechou 77 SALAS DE AULA ! Quem ganha com isso? As escolas Privadas da região que oferecem um ENSINO DE BAIXA QUALIDADE.

Responder

Gerson Carneiro

06 de setembro de 2011 às 21h44

José Serra e Geraldo Alckmin conseguiram com essa tentativa de privatização dos hospitais públicos reunir unanimidade contra. A cada dia aumenta o consenso sobre o quanto ela é nociva, escandalosa, e ameaçadora para a rede pública de saúde.

Responder

    Silvio I

    07 de setembro de 2011 às 08h01

    Gerson Carneiro:
    Isso e de uma imoralidade sem tamanho. Este tipo de governantes, (me refiro aos do executivo, e o legislativo, e ao pessoal do judiciário, por não intervir) tem que ser radiados da política, o mais rápido que se puder. E ao judiciário estudar a forma de mudar, sua estrutura o moralizar alguns. Esta não foi nada mais que uma forma a mais, de poder derivar os dinheiros públicos. Não existe no Brasil uma lei, que algumas questões sejam obrigatórias de o povo ser consultado, não pudendo o governante resolver. Exemplo as privatizações,como estão indiretamente chegando a ela,nos hospitais.

    EUNAOSABIA

    07 de setembro de 2011 às 10h09

    """unanimidade contra""""… está tendo a sandice estalinista do Ti Parti Tabajara de controlar a liberdade de imprensa, Dilma já disse que não quer nem conversa… notícia triste pra vocês não é rapaz??

    Vocês só se queimam perante a sociedade, por isso não ganham nada entre os mais escolozarizados e grandes centros urbanos….. é isso que dá defender quem responde por 3 crimes no STF.

    Zé Francisco

    07 de setembro de 2011 às 10h54

    Pois é, seo Gerson Carneiro, até o jurídico dos tucanos (leia-se MP/SP) são contra isso. Tamo esperando esse jurídico combater os homicídios da Força Tática e ROTA (leia-se elite da PM e herdeiros da Oban), o buraco do metrô, rodanel (do geito que o governadô fala) e o Paulo afrodescendente. São Paulo seria muito melhor.

Zé Fake

06 de setembro de 2011 às 21h32

O que me deixa indignado é que os políticos paulistas de oposição não se manifestam, não protestam, não toma nenhuma atitude, não fazem nada, absolutamente nada! Deveriam estar gerando fatos políticos, gerando notícia, fazendo barulho em tudo quanto é lugar, na mídia, nas redes sociais, pra protestar contra essa transferências de vagas públicas do SUS, pagas por todos, de graça para os planos privados.

Infelizmente, os políticos paulistas de oposição são uma cambada de vagabundos mesmo!

Responder

Morvan

06 de setembro de 2011 às 21h18

Boa noite.
Tadinhos dos planos de saúde (financeira?); tudo que eles querem não é nada que os privatistas também não o queiram: defender o "Estado mínimo" e tirar deste mesmo Estado o máximo que puder. Pensamento totalmente sincronizado com os "jênios" do PSDB / PFL. Que mal há em se aproveitar da estrutura do SUS em prol dos empresários? Só porque, no Brasil, saúde e educação são faculdades propiciadas a uma pequeníssima casta? Ô promotores com mania de perseguição. Não!
Se tivéssemos Governo (e nós também) com "atributos genitais em formato amendoado destinados à geração de espermatozóides", certamente nem estaríamos discutindo este problema, pois teríamos uma saúde – realmente – universal e pública.
É por isso que estes privatistas adoram um estrutura estatal, para locupleção, deles e de seus amiguinhos.

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

Silvio I

06 de setembro de 2011 às 20h50

Azenha:
Existe um erro inicial, que e do governo e da secretária da saúde. Tenha ou não tenha convenio médico tem direito todos os cidadãos ao tratamento no SUS, que e do estado, e mantido pelos impostos pagos por todos os cidadãos. O que não pode e que se vendam leitos a os convênios médicos. Si uma pessoa tem convenio médico, ele está pagando duas vezes uma em impostos para o estado, e outra para o convenio. Si essa pessoa se quer tratar pelo SUS se trata pelo SUS, e o hospital, não deve interessar se si essa pessoa tem convenio, o si no o tem. O trata e pronto. O que não pode e que não sendo tratado pelo SUS, caia de pára-quedas no hospital, tenha uma porta especial de entrada, (que passa a ser anticonstitucional por problema da igualdade) e que despelasse a outro que não tem convenio. Porque razão se tem entregado a ONGs os hospitais. Estas são instituições que dirigem um hospital, a troco de nada? Como si um hospital fosse uma coisa fácil de dirigir. Perdoem-me mais não acredito em DUENDES. Baixo de esse angu tem caroço!

Responder

    Augusto

    06 de setembro de 2011 às 21h50

    Cara, você parece que não entendeu nada ainda ou então caiu agora no Azenha. É claro que o SUS tem de atender qualquer cidadão (desde que seja sem qualquer diferença), com convênio médico ou não. A questão é que as empresas de saúde querem vender a seus clientes os bons hospitais do SUS. Eles oferecerão esses 30% de vagas a seus clientes, aos quais dirão que terão atendimento preferencial e terão mesmo. Esse é o ponto. Vão usar hospitais públicos, pagos com dinheiro público, para ser usados para fins privados, para fins lucrativos privados, ou seja, vão oferecer esses hospitais como se fossem produtos a seus clientes. Ou você acha que a gente diferenciada (que paga planos de saúde) vai querer ser tratada no mesmo local que os bolsa-famílias, que as empregadas domésticas, que boias frias, etc???? O que eles querem fazer é segregar. Pois bem, que segreguem, mas não nos hospitais públicos. Lamentável. Um absurdo total.

    Silvio I

    07 de setembro de 2011 às 07h48

    Augusto:
    Parece-me que você não leu bem o que escrevi. Diz que não poderia ser que pessoal de convênios, caíssem de pára-quedas com porta especial, e deixa se de lado outros pacientes. Com e lógico essa lei está feita para roubar ao SUS, como já o fazem os hospitais conveniados.Isso não vê a secretária da saúde, porque deverá a todos chegar algum pouco de algum assunto, que eles adoram.

Governo de São Paulo vai recorrer na justiça pela dupla porta

06 de setembro de 2011 às 20h47

[…] Por Conceição Lemes, do Viomundo. […]

Responder

Operante Livre

06 de setembro de 2011 às 20h38

A luta agora é não deixar que a mera administração privada de serviços públicos seja transformada em doação, entrega total de bens públicos comuns.As coisas começam devagar e se não revertermos ou revermos este modelo de OSs, teremos um dia a saúde pública como nos USA (precária).

No Brasil, além de termos que enfrentar os saqueadores de grana pelos juros há também outra classe interessada em outros bens públicos para transformá-los em fontes de renda.

Responder

francisco p.neto

06 de setembro de 2011 às 20h21

E precisa comentar?

Responder

Avelino

06 de setembro de 2011 às 19h47

Caro Azenha
Nada mais do que um neoliberal incompetente, querendo vender os bens do povo, para assim não precisar governar o muito adquirido.
Saudações

Responder

O_Brasileiro

06 de setembro de 2011 às 19h46

Isso daria um bom tema para as aulas de Harvard sobre "Justice: what`s the right thing to do", na série "The moral side of murder".
Gostaria de ver os médicos governador e secretário de saúde defendendo suas posições sobre quem deve viver ou morrer usando os hospitais públicos do SUS de SP!

P.S.: A falta de ação da Agência Nacional de Saúde Suplementar vai acabar fazendo com que morra muito mais gente nas filas dos planos de saúde, que em muitos lugares do país têm serviços precários, piores do que os públicos!

Responder

alex

06 de setembro de 2011 às 19h41

KASSAB – O CAÇADOR DE COVEIROS

Kassab quer punir coveiros que ganham R$440,39

Blog do Ricardo Kotscho – 06/09/11 às 13h22

Homem valente é o prefeito de São Paulo. Por uma tripinha de pé de página publicada na "Folha" desta terça-feira, ficamos sabendo que "Kassab cria comissão para punir coveiros".
Como se não tivesse nenhum outro problema para resolver na cidade de São Paulo, o prefeito Gilberto

Kassab agora dedica seu precioso tempo para, além de criar um novo partido, "descobrir quais funcionários do Serviço Funerário paulistano participaram da greve da semana passada e ameaça punição, inclusive com demissão".

Kassab criou até uma comissão de inquérito para investigar "procedimento irregular de natureza grave", ou seja, fazer greve para conseguir aumento salarial.

Que maravilha, quanta coragem, que espírito público! E os caros leitores deste Balaio sabem qual é o salário-base dos coveiros que entraram em greve para conseguir um aumento de 39%?
Pois fiquem todos sabendo que o salário-base de um coveiro é de estratosféricos R$ 440,39!
Vou repetir por extenso para evitar dúvidas: quatrocentos e quarenta reais e trinta e nove centavos!

Só para lembrar: isto acontece na mesma administração municipal onde procuradores estavam ganhando até R$ 70.000,00 por mês, e só agora o prefeito descobriu e resolveu tomar providências.
Como pode um servidor municipal em São Paulo, a maior e mais rica cidade do país, como a elite quatrocentona não se cansa de repetir, ter um salário-base menor do que o salário mínimo?

Leia artigo completo: http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/

Responder

EUNAOSABIA

06 de setembro de 2011 às 19h37

Uma bela matéria.

Responder

José do Ceará

06 de setembro de 2011 às 19h32

Políticas públicas(Saúde-educação-transporte etc) ,na visão tucana, são MERCADORIAS e obedecem à lei de mercado(quem tiver dinheiro, adquire-as). O exemplo chileno é mais do que claro,onde cada familia tem que escolher qual filho vai fazer faculdade em detrimento dos demais.Tucanos e dementes são EXCLUDENTES por natureza ,está no dna deles.Faculdade na ótica tucana é um privilégio para POUCOS, no máximo,se tiver sorte, um pobre vai fazer um curso técnico. Saúde, só para quem pode pagar plano de saúde. Se eles estivessem no poder,o pig safado faria a maior campanha a favor dessa coisas e teriamos que pagar não só os pedágios, mas também faculdade e hospitais. Que mundo maravilhoso ,esse dos tucanos…

Responder

Augusto

06 de setembro de 2011 às 19h29

Que vergonha! Os caras querem usar os recursos públicos para lucrar na iniciativa privada. Esse escândalo não aparece em lugar nenhum, nem na Record. É inacreditável: os hospitais do SUS que são bons vão ser usados pelas empresas de saúde; os hospitais que são um lixo ficam com o povo. Esse governador de merda deve estar ganhando muito dinheiro para ter proposto isso.

Responder

Antonio

06 de setembro de 2011 às 19h23

O Governo do Estado de São Paulo é uma pouca vergonha. Os tucanalhas não se cansam de usar a máquina pública para beneficiar os amigos neoliberais. O povo precisa ir para a rua e protestar veementemente contra essa sandice do Governador Chuchu.

Responder

Pedro

06 de setembro de 2011 às 19h16

Medicina privada não é medicina, pois seu objetivo e que haja bastante gente que possa dar lucros aos planos de saúde.

Responder

    beattrice

    07 de setembro de 2011 às 13h08

    Que haja bastante gente DOENTE diga-se de passagem.

Fabio_Passos

06 de setembro de 2011 às 19h12

Tirando vagas dos pobres para oferecer saúde apenas a quem pode pagar.
Estes neoliberais roubam de tudo sem o menor escrúpulo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.