VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

A foto que causou demissão de professora


01/11/2012 - 11h19

31/10/2012 – 21h16

Professora demitida por ‘diário de classe’ volta ao trabalho no Maranhão

FELIPE LUCHETE

DE SÃO PAULO, na Folha, sugerida pela Conceição Oliveira

Uma professora da rede municipal de Imperatriz (MA) que foi demitida após publicar fotos de uma sala de aula no Facebook poderá voltar ao trabalho.

Uiliene Santa Rosa, 24, havia postado no feriado de 12 de outubro imagens de alunos usando guarda-chuva enquanto faziam prova, por causa de goteiras, na escola Guilherme Dourado.

A Secretaria Municipal de Educação decidiu demiti-la na semana passada, ao constatar a publicação. Após a repercussão do caso, porém, a prefeitura da cidade anunciou ontem que revogaria a decisão.

Uiliene disse que decidiu divulgar as imagens por não concordar com a “situação degradante” vivida por uma turma do 7º ano.

Dias depois, recebeu a notícia de que não fazia mais parte do quadro docente, por “não se enquadrar na postura da escola”.

A professora de história lecionava na escola desde o início do ano, com contratação temporária. O contrato valia até o fim do ano.

Segundo ela, outras salas têm goteiras, rachaduras na parede e instalações precárias. A escola funciona em um prédio alugado pela administração municipal.

Segundo a prefeitura, o problema das goteiras foi solucionado antes da demissão da professora. O prefeito Sebastião Madeira (PSDB) afirmou que a demissão foi “afobada”, por isso determinou processo de apuração dos fatos.

Mesmo com o retorno ao trabalho, a professora diz que vai cobrar na Justiça indenização por danos morais. “Eu me senti muito mal. A revogação [da demissão] é a prova de que eles haviam abusado do poder.”

Leia também:

O discurso de vitória de Fernando Haddad

Bonifa: Só carisma de Lula não basta para vencer no NE

Leitores atribuem derrota do PT em Salvador a Jaques Wagner

Merval Pereira: O mito e os fatos

Vereador sugere que Serra vem aí

PT mantém cinturão vermelho em SP

E a Globonews consegue derrotar Lula…

Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social





35 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

A lei

03 de novembro de 2012 às 11h39

Não importa qual é a situação. Funcionário público só pode levar as coisas para o meio público depois que oficiar os seus superiores e esperar tempo suficiente para ter solução. Assim, sabendo, por exmeplo que uma quadrilha rouba algo, faça um ofício, assine e reconheça firma e protocole junto ao superior.

Responder

lia vinhas

02 de novembro de 2012 às 14h15

Cabe ao PT e o que sobrea de partidos progressistas politizar aquele povo. Tanto sofrimento e desmandos e continuam elegendo a mesma corja.
ACORDE, IMPERATRIZ!

Responder

Jairo Fernando

02 de novembro de 2012 às 12h42

Eu me posicionei contra a atitude da professora porque sigo a máxima de que você não deve falar mal do lugar onde trabalha. Tudo bem, é um órgão público, mas a professora tinha outras formas de denunciar. A demissão pode ter sido apressada, mas há regras (eu pensei que ela era servidora e foi exonerada após um processo aberto). Ela é contratada e pode sim, ser despedida por justa causa. As redes sociais são excelentes para denúncias, mas cuidado, não vamos abusar. Quem trabalha em órgãos públicos tem conhecimento de que alguns procedimentos (serviços, compras, etc) demandam tempo e necessitam de licitação. Ah, e só agora sabemos que o prefeito é do PSDB… Poderia tripudiar em cima disto, mas vou ser coerente e manter minha posição inicial.

Responder

    Roberto Lira

    02 de novembro de 2012 às 16h33

    Caro Jairo Fernando,

    Louvo seu interesse em emitir opinião acerca da denúncia feita pela professora da rede municipal de Imperatriz (MA). Longe estou de me considerar dono da verdade, contudo, discordo de sua crítica à utilização do Facebook, como instrumento de denúncia utilizado pela professora. E mais, entendo que discutir o instrumento utilizado pela docente para externar o total descaso da direção da Escola Guilherme Dourado para com os alunos e alunas, é tirar o foco da questão. No meu entendimento, deve-se analisar quem é o responsável pela utilização desse imóvel, inadequadamente utilizado como escola. Pelas condições do telhado, é possível imaginar o estado caótico de todo o prédio. Foi feita licitação para o contrato entre a Prefeitura e o proprietário do imóvel? O preço do aluguel estava compatível com o preço de mercado? Será que o proprietário do imóvel tem algum vínculo familiar com o (a) diretor (a) da escola? Essas são algumas das muitas questões que poderemos tentar desvendar para punir pseudos profissionais que ocupam indevidamente cargos de gestão da coisa pública. Portanto, meu caro missivista, entendo que, se as professoras e professores de nosso país, agirem como fez a professora Uiliene Santa Rosa, teremos uma evolução qualitativa no desempenho das funções de diretor de escola, secretário de educação e até de prefeito. Você não acha?

Haroldo Cantanhede

02 de novembro de 2012 às 10h28

É o PSDB trabalhando p’ra você!! Com o figurante PPS ajudando!!

Responder

francisco niterói

02 de novembro de 2012 às 08h58

Azenha e conceicao

De um fato “simples”, podemos avancar um pouco, nao?

Tem um comentarista que diz que os predios das escolas sao alugados (haverá super-faturamento?????rsrsrs) e, em relacao ao predio em questao, ele diz que a direcao da escola é a proprietaria do predio.

Indo alem, vcs se lembram que o “empresario do ramo de jogos” Cachoeira queria diversificar o seu portfolio ( ficou chique, nao? rs) ingressando no ramo de construcao de predios pra alugar pra escolas?

Sera que no Brasilzao isto seria uma constante? Alem do previsivel super-faturamento, direcionamentos, etc., ainda podemos ter situacoes bizarras como a dessa escola onde a direcao da mesma nao tem o menor interesse em resolver o problema.

Em relacao ao aluguel de predios pro servico publico, devemos atentar que este é um dos casos de possibilidade de dispensa de licitacao. Vc necessitar de um predio de X metros quadrados pra instalar o orgao X no bairro Y faz com que haja um direcionamento pois do contrario em certame haveria a oferta de predios sem a devida adequacao.

Ocorre que, exagerando na quantidade de predios alugados, vc consegue aumentar o volume de despesas que sao efetuadas sem licitacao. Acho que isto ( a foto) deve se inserir num contexto de drible da legislacao muito mais amplo e espalhado por todo o país.

Responder

Porém

02 de novembro de 2012 às 07h21

É só esperar que a turma vai querer encher tudo quanto é faceb com votos falsas como se fosse de universidade pública federal. É só isso que tais coisas geram.

Responder

Martins Andrade

01 de novembro de 2012 às 23h57

Mas o PSDB é cheio de afobados…
Serra, Artur Virgílio, Tasso, esse prefeito de Impereatriz…

Responder

Geysa Guimarães

01 de novembro de 2012 às 20h52

É uma “miserância” geral no MA, e abastança na praia do Calhau.
Infelizmente, Lula teve que engolir a sarneyzada.
Mas Verdade seja dita, em prefeituras paulistas como esta daqui,
não é preciso tirar foto. Se a prefeitirana imaginar que o professor
enxerga as falhas de seu governo, TÁ FORA!

Responder

Gerson Carneiro

01 de novembro de 2012 às 20h07

O STF inaugurou a Era do “Cada um faz sua Lei”.

Em Piracicaba-SP um cidadão foi expulso da Câamara Municipal de Vereadores porque não ficou em pé durante a leitura, pelo presidente da Câmara, de um trecho da Bíblia.

Casa do Povo ou Casa do José Manoel dos Santos (Presidente da Câmara)?

http://www.youtube.com/watch?v=jtM-_FQeygM

e-mail do todo poderoso: [email protected]

Responder

    Ninguém

    01 de novembro de 2012 às 20h38

    Gerson, fiquei curioso: o que está escrito nessa sua camisa?

    Cassio Zecati

    01 de novembro de 2012 às 23h28

    Deve ser primeiro de Abril. KKKKKK, a família Civita gosta muito desta data…

Roberto Ribeiro

01 de novembro de 2012 às 19h52

Parte do que estou pensando ao ver e ler essa matéria não posso escrever sob pena de ser processado por esse prefeito.
Ele deveria se cassado.

Responder

strupicio

01 de novembro de 2012 às 19h25

é…não é por falta de gente “indignada” que as coisas não melhoram…

Responder

Roberval

01 de novembro de 2012 às 17h54

Demitiram a pessoa errada! Não é a professora a responsável pelas condições da sala de aula.

Precisam ser demitidos os verdadeiros responsáveis, à saber:

– O Prefeito de Imperatriz
– o Secretária(o) Municipal de Educação

Responder

Araujo

01 de novembro de 2012 às 17h11

Eu moro nesta cidade, onde a maioria das escolas da rede pública de ensino são conveniadas, ou seja, paga-se uma fortuna pelo aluguel de imóveis que geralmente pertencem a pessoas ligadas a grupos políticos, existem casos onde uma mesma pessoa possui mais de um imóvel alugado para a prefeitura, e em alguns casos a direção da escola fica por conta dos próprios donos dos imóveis (como neste caso em particular) e o resultado é este, péssimas condições estruturais, desvalorização do trabalho dos profissionais e consequentemente baixa qualidade do ensino oferecido a população. E por incrível que possa parecer o prefeito foi reeleito para mais um mandato.

Responder

FrancoAtirador

01 de novembro de 2012 às 16h13

.
.
TSE
Imperatriz MA
159.326 ELEITORES
18,35% AUSENTES
81,65% VOTANTES

Prefeito

1º SEBASTIÃO TORRES MADEIRA (PSDB) Reeleito 57,61% 71.878 VOTOS
Vice: PASTOR PORTO (PPS)
(Coligação ‘PRA FAZER MUITO MAIS’ (PSDB/PPS/PP/PTB/PSL/PMN/PTdoB/PV/PSD)

2º ROSANGELA APARECIDA DA SILVA BARROS (DEM) 31,83% 39.718 VOTOS
Vice: PASTOR LAERCIO (PRB)
(Coligação ‘A FORÇA DAS NOVAS IDEIAS'(DEM/PRB/PMDB/PSC/PSDC/PRTB/PHS/PPL)

3º Carlinhos Amorim (PDT) 5,46% 6.814 VOTOS
Vice: CLAYTON NOLETO (PCdoB)
(Coligação ‘IMPERATRIZ É DE TODOS NÓS’ (PDT/PCdoB/PR/PRP)

4º ADALBERTO FRANKLIN PEREIRA DE CASTRO PT 2,83% 3.527 VOTOS
Vice: PROFESSOR JORGE (PT)
SEM COLIGAÇÃO

5º Justino Filho PTC 0,71% 892 VOTOS
6º Major Melo PSOL 0,55% 691 VOTOS
7º Kleber Miranda PSB 0,51% 641 VOTOS
8º Wilson Leite PSTU 0,29% 358 VOTOS
9º Aluisio Melo PCB 0,20% 253 VOTOS

http://placar.eleicoes.uol.com.br/2012/1turno/ma/imperatriz

Responder

    Jair Fonseca

    01 de novembro de 2012 às 23h09

    Pois é, o professor, do PT, em quarto lugar…

O DOUTRINADOR

01 de novembro de 2012 às 15h50

Professora! Aproveite a fama e começe a fazer sua campanha e na próxima eleição candidate a Vereadora seja eleita, e faça oposição a este Perfeito(Prefeito)Incompetente. Tem algum parente dele estudando nesta Escola? Tenho CERTEZA QUE NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Urbano

01 de novembro de 2012 às 15h10

Se havia alguém a ser demitido, esse seria o prefeito agora em outubro; quando nada o secretário de educação.

Responder

Vlad

01 de novembro de 2012 às 15h05

Piada.
Só mais piada que isso é uma moça que desistiu de estudar depois de ter gasto suas economias em um supletivo e o Encejja que ela ia fazer “sumiu”.

http://encceja.org/encceja-2009-prova-de-21-de-fevereiro/#comments

MAs não se preocupem. O PROUNi das ONG’s corruptas vai muito bem.

Responder

Eline

01 de novembro de 2012 às 14h46

A professora foi demitida, mas já foi readmitida. O prefeito, reeleito, Sebastião Madeira, que é do PSDB, desautorizou o secretário de esducação dizendo que ele foi afobado, desnecessariamente. Agora é acompamhar o desenrolar. Falam que quem perdeu o cargo foi o secretário.

Responder

Radamés A. P. Silva

01 de novembro de 2012 às 14h36

Madeira(PSDB) reeleito prefeito de Imperatriz com 57,61%.

Responder

renato

01 de novembro de 2012 às 13h46

E vão ontinuar, é só passar o tempo, e nos esquecer.

Responder

josaphat

01 de novembro de 2012 às 13h18

Esta foto é uma instalação dadaísta, certo?

Responder

renato

01 de novembro de 2012 às 13h12

Quem demitiu é louco!
Agora vamos ver situação do povo indigena, Kaiwoas!
É verdade que vão cometer suicido coletivo. ou vão matar os indios de uma vez só.
Mato Grosso, esse peso voces vão carregar, em prol de meia duzia de fazendeiros.No dia do Indio vão levar flores num monumento e dar 21 salvas de tiro de canhão.
Em 1988 o indio foi consideraso HUMANO, mas os donos de fazenda parece que não entendem isto. ( absurdo só de pensar no fato).
Governo Brasileiro, parece que já esta marcada a morte de lideranças.
Coloque o Exercito lá, sem precisar tirar o exercito do HAITI.
Desde 1949 estão enrolando este povo!

Responder

RicardãoCarioca

01 de novembro de 2012 às 13h11

Continuem votando em quem tem sobrenome Sarney, continuem…

Responder

    Willian

    01 de novembro de 2012 às 14h18

    Companheiro Sarney, Ricardão!

Rogerio augusto

01 de novembro de 2012 às 12h38

essa professora é uma verdadeira heroina,
exemplos como esse devem ser seguidos em todo o pais
ate que soluçoes sejam tomadas, as denuncias devem ser feitas nas redes sociais sim, uma vez que raramente a imprensa local iria tomar as dores
enfim, qualquer escola particular, sabia, deveria contrata-la

Responder

Vinicius Garcia

01 de novembro de 2012 às 11h33

É com avanços de recursos tecnológicos, está cada vez mais difícil para mal gestores. A foto foi da professora, mas poderia ser de qualquer aluno, basta para isso um celular com razoável resolução.
Creio que foi um ato não muito inteligente do sr. prefeito do Município, querer resolver o problema com a demissão da professora, consertar telhados fica mais barato, ou não?

Responder

francisco niterói

01 de novembro de 2012 às 11h28

Ao ver crianças “estudando” numa escola como essa, fico a me perguntar:

AS SENZALAS ACABARAM NO BRASIL OU SÓ MUDARAM DE FORMA?

Em tempo: tratar a educacao como tratamos no BRASIL só demonstra a elite politica, economica e midiatica que temos. Qq elite “com 1%de esclarecimento” saberia que o mais precioso de uma naçao é a educaçao das criancas.

ELITE DE MERDA! VERGONHA DE VCS.

Responder

    francisco niterói

    01 de novembro de 2012 às 11h34

    Complementando: como uma prefeitura aluga um predio como esse?

    A professora esta de PARABÉNS por “nao se enquadrar na postura da escola”. Se as instalacoes fisicas sao assim, imagine a postura.

    Mário SF Alves

    02 de novembro de 2012 às 10h09

    Enquanto isso… educação política, que é fundamental, passa ao largo de toda e qualquer escola. Até quando???
    _____________________

    Que mais e mais professores e professoras usem a força da rede que se propaga pelo “espectro eletro-magnético de domínio público”. Que isolem cada vez mais a intermediação perniciosa da mídia corporativa. Que mostrem a realidade.

Valdeci Elias

01 de novembro de 2012 às 11h26

Na educação, uma professora,que reclama da goteira é punida. No futebol um juiz, que anula um gol de mão, está errado. É mesmo o fim dos tempos !!

Responder

    Julio Silveira

    01 de novembro de 2012 às 11h41

    Concordo em genero, numero e grau.
    E tenho dito o seguinte sobre isso: nossa sociedade adora flertar com a ilicitude e só gosta de reclamar quando a vitima é a própria. Sendo que o exemplo maior se demonstra na defesa politica da sua representação anti ética e imoral. Ilicitos podem ser arduamente atenuados ou atacados conforme o lado de quem pratica.
    O Brasil consagra a relatividade do crime, conforme o réu.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding