VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Relator do CONAR sobre Hope: “estereótipos presentes na campanha são comuns à sociedade”

16 de outubro de 2011 às 18h10

por Conceição Oliveira do Blog Maria Frô, twitter: @maria_fro

Abaixo reproduzo o resultado do julgamento do CONAR sobre a representação contra a campanha publicitária da HOPE. O que chama atenção no julgamento do CONAR é o fato de seus conselheiros reconhecerem que a propaganda trabalha com estereótipos, mesmo assim, por serem comuns na sociedade e facilmente identificado pelas pessoas, são vistos como inofensivos.

Alô, alô, publicitários! Podem continuar a fazer suas campanhas toscas representando as mulheres como objeto sexual, o CONAR, não vê nenhum problema nisso. Mas fiquem atentos, as mulheres que não se acham objeto-sexual vão boicotar marcas cuja publicidade nos desrespeitam.

Conselho de Ética do Conar recomenda arquivamento da Representação Hope/Gisele Bündchen

Do site do CONAR

13/10/2011

As 1ª, 5ª e 8ª Câmaras do Conselho de Ética do Conar deliberaram por unanimidade, em primeira instância, pela recomendação de arquivamento da Representação 225/11, movida contra campanha em TV da Hope, estrelada por Gisele Bündchen e criada pela Giovanni+DraftFCB.

Os membros do Conselho de Ética presentes à sessão de julgamento, realizada na manhã de hoje, na sede do Conar, em São Paulo, acompanharam o voto do relator, que considerou que os estereótipos presentes na campanha são comuns à sociedade e facilmente identificados por ela, não desmerecendo a condição feminina. (grifos nossos)

A Representação foi aberta a partir de denúncias formuladas junto ao Conar por cerca de 40 consumidores e também pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (grifos nossos). Representantes da Secretaria, do anunciante e da agência participaram da sessão de julgamento, tendo podido expor seus pontos de vistas. Cabe recurso da decisão.

Também foram julgadas também na manhã de hoje as seguintes representações:

Recurso extraordinário Nº 242/10, “Oral-B Pró Saúde – Desenvolvido com dentistas. Clinicamente comprovado”. Resultado: alteração por unanimidade.

Recurso ordinário Nº 372/10, “O incrível café”. Resultado: sustação por unanimidade.

Representação Nº 061/11, “Viti Vinicola Cereser – Disney Spunch Cereser”. Resultado: arquivamento por maioria de votos.

Recurso ordinário Nº 134/11, “LG Líbero Inverter V”. Resultado: alteração por unanimidade.

Representação Nº 142/11, “Close Up – Dentista”. Resultado: arquivamento por unanimidade.

Representação Nº 152/11, “Brahma – Casa X Bar”. Resultado: arquivamento por unanimidade.

Representação Nº 197/11, “Amaciante Downy – Merchandising no Domingão do Faustão”. Resultado: sustação por unanimidade.

Representação Nº 216/11, “Omo Super Concentrado – Imbatível”. Resultado: alteração por unanimidade.

Representação Nº 219/11, “Dia das Crianças Riachuelo 2011”. Resultado: alteração por maioria de votos.

Leia também:
Custo do machismo no país de Rafinha: placas e pinos no braço porque disse “não”

Rafinha Bastos e suas piadas de apologia ao estupro denunciados no MPF

Ministra pede punição de Roger Abdelmassih por manipular embriões e abuso sexual

SPM sobre Zorra Total: Solidarizar-se com as mulheres não é pedir censura

30/09 – Conar instaura processo ético para investigar campanha “Bündchen – Hope Ensina”

Ana Arantes: O Sexismo Benevolente

Iriny Lopes: “O que fizemos foi respeitar as solicitações recebidas pela nossa ouvidoria”

Metroviárias de SP denunciam o programa Zorra Total

Sexismo emburrece e mata

Ministra Iriny Lopes: “Sugerir não tira pedaço de ninguém”

SPM sobre Zorra Total: Solidarizar-se com as mulheres não é pedir censura

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

22 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alana

19/10/2011 - 19h56

são muitaaas as marcas que fazem isso hoje em dia, aquela cervejinha (que em geral, todas usam desse estereotipo, muito mais escancarado.) pra falar a verdade, esses dias passando em uma das principais ruas da minha cidade, vi uma propaganda de material para construção, usando mulher pelada, como propaganda!
é e eu penso, o que tem haver? nada haver, é de ficar abismada mesmo.
a verdade é que vamos ter que parar de usar todas as marcas nacionais então, desde a industria de vestuário até ao material de construção…

Responder

@heltersk

19/10/2011 - 16h04

Queimem sutiãs então…. feministas radicais!

Responder

Luci

19/10/2011 - 11h02

Quem são os membros do Conselho de ética?
A afirmação de que "estereótipos presentes na campanha são comuns à sociedade", demonstra um conservadorismo e protecionismo atroz, para uma causa relacionada aos direitos das mulheres no Brasil e no mundo, a dignidade da pessoa humana.
A dignidade da pessoa humana está acima de valores e lucros da propaganda.Esta inversão de valores são prejudiciais ao país

Responder

aurica_sp

17/10/2011 - 22h59

Quando a Gisele fez a propaganda da sky limpando chão, sendo a dona de casa dedicada não fizeram barulho algum. Agora que fez essa propaganda da hope só de langerie, para que tudo isso ( não vi nada demais e nem me senti ofendida com o comercial) achei normal. Vai entender viu cada UMA tem uma opinião, essa é a minha.

Responder

Pedro - Jaú

17/10/2011 - 16h10

Concordo com Marcio H Silva. Quem deve decidir é o indivíduo, seja como cidadão, seja como consumidor, a depender do contexto da questão. O que não pode é um grupo de burocratas querer censurar uma propaganda.

Responder

Klaus

17/10/2011 - 15h15

Bem, depois que a Gisele Bundchem começou a fazer comercial para o Hope, o pedido de franquias dobrou. E olha que ela não é "gostosa paca" como a mulher do caracol, hein!
http://modaspot.abril.com.br/news/procura-por-fra

Responder

FrancoAtirador

17/10/2011 - 12h26

.
.
Daí por que a auto-regulamentação da mídia nunca funcionará.
.
.

Responder

rafael

17/10/2011 - 11h15

A mulher definitivamente não é um objeto, o comercial da Hope provou isso, como senhora de seu corpo e de seu poder de sedução a personagem manipulou o companheiro, e quantas e quantas vezes, em quantos e quantos lares isso não ocorre?

Responder

Magnus

17/10/2011 - 10h05

Estranho que não vi tanto alarde e boicote na época do Miss Universo… Lá não tem estereótipo?

Responder

Caracol

17/10/2011 - 09h29

Primeiro: a modelo do comercial é um varapau que não aguenta tranco. Parece vara de pescar lambari.

Segundo: como já se pode notar, não me falta humor. Mal comecei a escrever e já estou dando gargalhada.

Terceiro: o homem que se torna vítima dos argumentos do comercial é um babaca. Se acha graça é porque é babaca mesmo.

Quarto: se o comercial fala só de brincadeirinha, então o humor ali é do nível do Rafinha Bastos: baixo nível,
conheço coisa melhor.

Quinto: minha Mulher (um Mulheraço, é gostosa paca) não vai comprar a marca anunciada por decisão própria. Ela é Mulher com M maiúsculo.

Responder

    Klaus

    17/10/2011 - 15h33

    Dedinho pra cim pra você caracol…rs

Julio Silveira

17/10/2011 - 08h32

Todo respeito as mulheres brasileiras, mas num país que faz sucesso um homem como o Nelson Rodrigues, que diz "todas as mulheres gostam de apanhar e só as neuroticas reagem", só isso já dava conta da possivel, retumbante, derrota das que pretendem mudar esteriotipos.
O Conar pensa como o Nelson Rodrigues.

Responder

    Klaus

    17/10/2011 - 15h12

    Não foi isto que ele disse. Perguntado se todas as mulheres gostavam de apanhar ele respondeu; "Não, só as normais." Se vai desancar, desanca direito, pô!

Juliana Paiva

16/10/2011 - 23h39

Olha, o último mês foi particularmente repleto de discussões sobre o politicamente correto, as propagandas sexistas e os pq's – e as vias- da violência simbólica alimentar a violência física contra a mulher…daí vem gente aqui e, again!… e lasca fogo querendo falar do politicamente (in)correto, e no "é só humor"….sério?!

( me pergunto de onde vem esse tipo de leitor q retoma, pela DÉCIMA/ CENTÉSIMA/BLA vez a mesma pauta… a mesma!!! daqui a pouco, pela demanda, teremos uni esquina oferecendo curso : "politicamente incorreto: os divertidos e incompreendidos", tire seu diploma de mestre!)

Responder

jacó

16/10/2011 - 22h00

TU que pensa a maioria das mulheres irão não comprar esta marca.

Responder

Thiago_Leal

16/10/2011 - 21h59

Dizer que o status quo se justifica simplesmente por existir não é argumento. Pelo contrário, é justamente pelo fato de estarem profundamente arraigados na realidade que precisam ser urgente e diligentemente combatidos. Mas parece que o objetivo do CONAR, como foi bem observado por aí, não é regular a publicidade, mas sim o mercado publicitário…

Responder

Fabio SP

16/10/2011 - 21h36

Vamos dizer a verdade… que homem não gosta de se saber desejado pelas mulheres, e que mulher não gosta de se saber desejada pelos homens? Ah, esqueci, as boicotadoras…

Responder

Murdok

16/10/2011 - 21h34

Que absurdo esse entendimento dos caras em relação à questão da mulher. Ainda bem que aqui no Brasil mulher dirige e vota.

Responder

Pedro

16/10/2011 - 20h58

O Conselho agiu bem, no meu modo de ver. É apenas uma propaganda bem humorada. Não tem nada de mais ali. Duas ou três mulheres boicotando não vai fazer diferença, pois graças ao barulho que fizeram em cima da propaganda, eles vão é vender mais, pois a exposição foi enorme.

Responder

Ze Duarte

16/10/2011 - 20h27

Que bom que há no mundo pessoas com algum senso de humor, e que não estão dominadas pelo patético sentimento politicamente correto.

Responder

Marcia Costa

16/10/2011 - 20h11

Já enviei uma mensagem para a Hope: enviem as suas, meninas – http://www.hopelingerie.com.br/institucionais/fal

Responder

Marcio H Silva

16/10/2011 - 19h40

Se toda mulher boicotar a marca Hope, eles retiram o anuncio do ar. Temos de mostrar que quem manda no mercado é o consumidor. Se todas as mulheres resolvessem boicotar a marca, jamais fariam pouco caso das reclamações.
Se todos boicotassem os shopings por um mes, o estacionamento voltava a ser grátis, ou pelo menos, com nota fiscal de compra o consumidor estaria isento da taxa do estacionamento.
Temos a força, só não nos organizamos para usa-la.

Responder

Deixe uma resposta