VIOMUNDO

Diário da Resistência


Blog da Mulher

SPM sobre Zorra Total: Solidarizar-se com as mulheres não é pedir censura


07/10/2011 - 00h19

por Conceição Oliveira do Blog Maria Frô, twitter: @maria_fro

Nunca o termo ‘censura’ foi tão pronunciado e tão esvaziado de sentido. Está ficando cansativo ler tanta gente falando sobre o que não domina. Assim, antes que a desinformação – que em tempos de mídias sociais corre feito rastilho de pólvora – se instale, reproduzo nota da SPM sobre o quadro Zorra Total.

Nota sobre quadro do programa Zorra Total da TV Globo

Da Secretaria de Políticas para Mulheres

06/10/2011

Noticias divulgadas nesta quinta-feira, 6, por vários veículos nacionais de comunicação, informam sobre um hipotético pedido desta Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SPM), dirigido à Rede Globo de Televisão, para que retire do ar um dos quadros de humor do programa Zorra Total.

A Secretaria esclarece que em nenhum momento dirigiu qualquer solicitação desta natureza para a emissora de televisão.

No dia 29 de setembro, a sub-secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, enviou uma nota de apoio à Secretaria de Assuntos das Mulheres do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, que protestavam contra o referido quadro do programa.

Em Carta Aberta à População de São Paulo, as trabalhadoras do Metrô afirmaram que o quadro, que apresenta as personagens chamadas Valéria e Janete, banaliza o assédio sexual, problema enfrentado com frequência por mulheres que utilizam o transporte público coletivo.

Na nota, a secretária afirma: “Parabenizamos a iniciativa e endossamos a necessidade de debater e ações como esta, que visam desconstruir discursos de uma cultura que, até mesmo camuflada de humor, perpetua a violência simbólica contra as mulheres”.

É prática da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, desde a sua implantação, se solidarizar com manifestações que contestem todas as formas de banalização da condição da mulher.

A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres reafirma a importância deste debate, e de forma especial nos meios de comunicação de massa, pois eles são importantes instrumentos de formação da sociedade.

Brasília, 06 de outubro de 2011

Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres

30/09 – Conar instaura processo ético para investigar campanha “Bündchen – Hope Ensina”

Ana Arantes: O Sexismo Benevolente

Iriny Lopes: “O que fizemos foi respeitar as solicitações recebidas pela nossa ouvidoria”

Metroviárias de SP denunciam o programa Zorra Total

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



31 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Rômulo, agressor de Rhanna, tem habeas corpus preventivo negado | Viomundo - O que você não vê na mídia

06 de dezembro de 2011 às 11h26

[…] SPM sobre Zorra Total: Solidarizar-se com as mulheres não é pedir censura […]

Responder

Relator do CONAR sobre Hope: “estereótipos presentes na campanha são comuns à sociedade” | Viomundo - O que você não vê na mídia

16 de outubro de 2011 às 18h15

[…] SPM sobre Zorra Total: Solidarizar-se com as mulheres não é pedir censura É prática da SPM se solidarizar com manifestações que contestem todas as formas de banalização da condição da mulher. […]

Responder

Custo do machismo no país de Rafinha Bastos: placas e pinos no braço porque disse não | Viomundo - O que você não vê na mídia

14 de outubro de 2011 às 20h10

[…] Também: SPM sobre Zorra Total: Solidarizar-se com as mulheres não é pedir censura 30/09 – Conar instaura processo ético para investigar campanha “Bündchen – Hope […]

Responder

LUIZ DE M. R. FILHO

14 de outubro de 2011 às 12h36

Tem que tirar sim o quadro da Valéria e da Janete.
Aproveita e tira o quadro do Agildo Ribeiro personificando um certo senador do Amapá? Maranhão? Um absurdo!
Um acinte, insinuar que o probo senador roube.

Responder

Julio Silveira

08 de outubro de 2011 às 16h11

Acredito em pontaria errada, o SPM devia mirar sua pontaria nas autoridades que permitem, fazendo vista grossa ao fato real, as mulheres vitimas no metro ou qualquer outro meio de transporte, ou mais ainda em qualquer lugar. Mirar na ficção humoristica parece coisa de maluco. Esse papo tá qualquer coisa e já tá prá lá de marraquesh.

Responder

Ricardo

08 de outubro de 2011 às 14h47

O que me deixa mais revoltado é que essa tal de secretária é mantida com o dinheiro dos nossos impostos! Talvez o Klaus tenha razão – É melhor criarem a empresa publica das piadas: Piadabras, para controlar que piadas devem ou não devem ir ao ar.

Responder

Pedro Luiz Paredes

08 de outubro de 2011 às 13h11

Eu vejo um vazio quando tenta justificar seu moralismo.
Consegue no máximo demonstrar sua opinião, carente de razão ou lógica.
Sem problema; ninguém é obrigado a dominar um tema para escrever sobre ele.
O telejornalismo faz isso o tempo inteiro.

Responder

Luci

08 de outubro de 2011 às 00h47

Este tipo de piada demonstra que o nível dos programas de humor literalmente está abaixo de qualquer avaliação,o que defendem como criatividade e liberdade de expressão é reprodução do que está superado nas relações de gênero.

Responder

Paulo

07 de outubro de 2011 às 15h37

Segunda-feira às 17hs 30min, todos nas barcas!
Vamos invadir Niterói!

Quem sabe, sabe!
Quem não sabe, mas tem disposição, junte-se a gente!

A chapa vai esquentar.
"Quem for da FRENTE pode então chegar; quem não for, vamos …!"

Quem quiser entender melhor a situação, ligue para 8025-8627, e saiba o porquê do verdadeiro movimento de torcedores marcar uma reunião pacífica para segunda-feira às 17hs 30min nas Barcas.

Responder

Fabio SP

07 de outubro de 2011 às 15h05

"É prática da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, desde a sua implantação, se solidarizar com manifestações…"

Meu Deus, quer dizer que eu sustento Secretaria do Governo para se solidarizar com quem quer que seja. Acho que Governo existe é para resolver assuntos e não se solidarizar com ninguém. É um absurdo… Imagina só, o Ministro da Saúde se solidariza com as dezenas de pessoas que vão morrer de dengue este ano…

Era o que faltava…

Responder

Marcelo

07 de outubro de 2011 às 14h34

Nesse caso acho que a piada da visibilidade para um problema serio que é sistematicamente ignorado pelas autoridades .

Responder

Alexandre Felix

07 de outubro de 2011 às 14h27

Censura? Um ex.: Ontem o JN mostrou uma matéria sobre como a greve dos bancários prejudica os idosos…ficaram um tempão mostrando os pobres velhinhos que não conseguiam sacar o dinheiro da aposentadoria. Triste, concordo! Mas em nenhum momento a porcaria da Rede Globo entrevistou algum bancário, ou alguém do sindicato…isso sim é censura…velada, covarde e disfarçada em prestação de serviço à sociedade. Compreensível, afinal os banqueiros são o futuro do país…na visão da Globo…

Responder

    Fabio SP

    07 de outubro de 2011 às 15h07

    É porque eles não acharam ninguém do Sindicato para entrevistar… só tinha piqueteiro free lancer contratado na porta do banco…

    mfs

    08 de outubro de 2011 às 14h59

    Certo, faltou completar: o aumento dos salários prejudicará o lucro dos bancos, o que levará ao aumento da taxa de juros, à recessão, ao desemprego, à ampliação da fome e da miséria. Se os trabalhadores fossem patriotas e socialmente engajados, aceitaram trabalhar mais e ganhar menos, porque essa boa-vontade e espírito de desprendimento seriam efetivas, claro, se contassem com um governo disposto a ampliar o mercado externo para os produtos que por acaso não fossem mais vendidos aqui por redução do poder de compra. Assim, q.e.d., a fome e a miséria no Brasil só poderão acabar quando a fome e a miséria e a miséria forem mantidas…

Urbano

07 de outubro de 2011 às 14h16

Se os humoristas inteligentes embruteceram-se, imaginem-se os zés-manés das últimas três décadas e que compõem a maioria, pois a exceção, ou seja, os que são bons pra valer mesmo vêm a ser, quando muito, meia dúzia de gatos pingados.

Responder

Orsola Ronzoni

07 de outubro de 2011 às 12h02

Em 31/10/2007 uma menina de 15 anos 1m50 de altura e 38 kg foi presa por furto em uma casa de Abaetetuba, interior do Pará. A delegada de plantão Flávia Verônica Monteiro Teixeira mandou trancafiá-la na única cela do lugar ocupada por homens. Após 10 dias de cativeiro foi levada à da juíza Clarice de Andrade, que mandou devolvê-la à cela. Durante 25 dias o bando de machos se serviu da única fêmea disponível. O Tribunal de Justiça do Pará afirmou que o comportamento da juíza Clarice não mereceia qualquer reparo.
O pesadelo de 2007 foi reprisado me passado na colônia penal agrícola Heleno Fragoso, também no interior do Pará que abriga 320 presos, de novo com a conivência de funcionários da instituição, uma menina de 14 anos ficou 4 dias em poder de cinco presos.
A SPM, uma inutilidade mantida por Dilma Rousseff, não deu um pio sobre os casos. Também não se sabe qual a posição de prioridade dada por Iriny Lopes, ministra-chefe da secretaria, para meninas violentadas em cadeias.
Por que Iriny Lopes cismou com a Valéria e a Janete, com a Gisele Bündchen, e não com os exploradores da prostituição infantil, pedófilos impunes, pais que violentam filhos e outras obscenidades que vão transformando o país num viveiro de crianças traídas?
Será por que a Valéria, a Janete e a Gisele a fazem aparecer na mídia?

Responder

    mariafro

    07 de outubro de 2011 às 14h57

    A Procuradoria Especial da Mulher da Câmara dos Deputados, o Ministério Público Federal estão cuidando do Caso.

    mariafro

    07 de outubro de 2011 às 15h00

    Lembrando ainda que temos o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Secretaria dos Direitos Humanos.

    Iva

    07 de outubro de 2011 às 19h44

    Desde que este "argumento" apareceu num bloguinho da Veja, esses parvos vem repetindo isso. Será que a cada 10 comentários eles recebem um mês de assinatura grátis da revista? Hoje a Folha, que segue a mesma linha "ditatorial" da Veja não esqueceu de estampar uma materiazinha tentando desqualificar o trabalho da secretaria. Acho que esse é o objetivo dessa canalha, desqualificar o trabalho de qualquer órgão que defenda a segurança, a independência e a emancipação da mulher na sociedade. Não enguliram ainda que a maior autoridade neste país é uma mulher. Assim como não enguliram que o melhor presidente do país foi um ex-operário. Como essa gentinha me cansa!

    Orsola Ronzoni

    08 de outubro de 2011 às 14h29

    Para Iva
    “Enguliram” ou engoliram?
    Realmente os argumentos da VEJA e da FSP são estapafúrdios. Bons são os seus, que para contrapor os deles torpedeia “que a maior autoridade neste país é uma mulher…” e finaliza “que o melhor presidente do país foi um ex-operário”.
    Você se enganou, a mulher apenas ocupa o cargo oficial, quem manda de fato ainda é o ex-operário, isso quando o marajá maranhão-amapaense, JOSÉ Ribamar Ferreira Araújo da Costa SARNEY permite.
    Por fim, se a tal Secretaria de Políticas para Mulheres defendesse, como diz você: “a segurança, a independência e a emancipação da mulher na sociedade” ela teria se pronunciado sobre os dois casos acima, e pararia de meter o bedelho em coisas que apenas a faz aparecer na mídia, para aatenuar a sua total inutilidade.

    M. S. Romares

    08 de outubro de 2011 às 17h10

    "aatenuar" ou atenuar? Diga aí, "jênio". Orsola=Maria=Eunãosabia= carmen=….

    Pedro Luiz Paredes

    08 de outubro de 2011 às 16h24

    Iva, a mulher que não esta emancipada neste país é porque não quer ou não teve oportunidade, agora pasme, o homem que não esta emancipado neste pais é porque não quer ou não teve oportunidade.
    O homem são submissos às mulheres que sabem se impor. Depende só delas, mas infelizmente a maioria é insegura.
    As inseguras estão querendo tratar suas inseguranças coagindo a sociedade a adotar seus padrões morais, mas nunca se sentirão seguras o suficientes, e como todos, você sabem disso.
    Para isso é preciso crescer amadurecer, não censurar.
    Mesmo o homem submisso ser muito mais comum do que você imagina, não vê eles fazendo blogs pra reclamar, mandando carta para a globo, fazendo organização para pedir segurança, independência e emancipação, e etc.
    Quantos deles aguentam de tudo e ainda estão nos pé da mesma mulher?
    Não são todas as mulheres que se sentem inferiores aos homens e isso é uma realidade que vocês tem que aceitar.

    Precisam entender também que o fato de várias mulheres se identificarem com os mesmos problemas na relação com os homens não aproxima esse problema do sexismo como definem; só o aproxima de todos os outros que são também sequelas ou frutos da educação que cada pessoa teve, do ambiente familiar, entre outros ambientes importantes no processo de formação da personalidade.
    Isso torna a questão pessoal e se manifesta de maneiras diferentes no homem e na mulher.

    * Eu comparo a veja com papel higiênico e não vi a matéria acima através dela.
    A Dilma faz bilhões com uma canetada, através dos juros decide quantos bilhões os bancos vão tomar da gente por ano, mexe no dólar, reservas, obras, ONU, decide quem pode ter emissora de TV, entre outras coisas.
    Criticar o descaso do Governo Dilma na questão carcerária, justamente feminina, é canalhice?
    Transformar isso numa questão política indo contra tudo que você defende só por causa da veja?
    Não seria imaturo de sua parte, ou são mesmo essas as prioridades?
    Prioridades das mulheres para o Brasil:
    "Censura aplica-se agora.
    Problema carcerário resolve depois".

    **Se a prisioneira for gordinha eu posso fazer uma piada dizendo que foi um favor que a delegada fez pra ela, ou não?
    Estuprar pode, fazer piada não!

    Deixa eu parar que se não logo vem a Dilma com o porrete!

    *** É esse o respeito que vocês querem ter?

Liz Lee

07 de outubro de 2011 às 08h58

A verdadeira censura é esta abaixo que a mídia corrompida não mostra:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed…!

Responder

Klaus

07 de outubro de 2011 às 08h40

Já passou da hora do governo criar uma pasta que cuide de piadas, sei lá, uma Piadobras. Acho que é consenso entre todos que piadas que denigrem (ops!!!) raças, religiões, gêneros devam ser banidas. Mas quem vai cuidar dos gagos (saudades José Vasconcelos!), dos bêbados ou alcoólatras (saudades Mussum!!!), dos homossexuais (saudades Costinha!!!) ? Até quando estas pessoas vão ser vítimas de anedotas e do humor politicamente incorreto? Como bem disse Bemvindo, o humor deve ser a favor da pessoa humana ( e porque não da pessoa animal, como os papagaios?) e não para machucar. Não cabe uma censura prévia às piadas, é claro, mas talvez após a piada ser contada, ela devesse se analisada por uma comissão com representantes da sociedade civil e dos movimentos sociais que emitiriam um parecer acerca do conteúdo e abrangência da piada, anedota ou chiste. Alternativamente poderia se criar cotas para os diversos grupos anedóticos. Fica a ideia.

Responder

    Luca

    07 de outubro de 2011 às 11h13

    Muito bem, mas, afinal, vc apóia ou não a carta aberta das trabalhadoras do metrô?

    Lucas Parente'

    07 de outubro de 2011 às 11h17

    Muito bem, mas, afinal, vc apóia ou não a carta aberta das trabalhadoras do metrô?

    Klaus

    07 de outubro de 2011 às 11h36

    Não só apoio como defendo a ampliação do debate. Por que nos restringir ao debate de piadas, anedotas e chistes que submetem a situações vexatórias apenas determinadas pessoas de raças, credos ou gêneros específicos? A interlocução dos diversos espectros da sociedade civil organizada deve ser chamado ao amplo debate junto a mídia, corporativa ou independente, visando discutir todos os aspectos do humor, tanto no pré quanto no pós-piada. Gagos, bêbados, homossexuais, portugueses e, por que não?, papagaios, devem ser chamados para, a partir de sua experiência pessoal, formularmos políticas públicas de inclusão destes personagens na sociedade enquanto pessoas, e não meros objetos de chacota pública (ou privada).

    mfs

    08 de outubro de 2011 às 14h54

    Partindo do pressuposto de que tudo pode ser piada (e só não o é para os autoritários que não a entendem ou não a aceitam), então deveríamos retirar do Código Penal tudo que se refere à injúria e à difamação. Quantro à defesa dos papagaios alvos de piadas discriminatórias (o que é questionável, os papagaios de piada em geral parecem dotados de razão – o que talvez seja ofensivo para algumas pessoas), parece que não se compreendeu que apenas os que dominam a linguagem humana é que podem se sentir ofendidos.

    Orsola Ronzoni

    07 de outubro de 2011 às 12h10

    Para Lucas Parente
    Afinal seu nome é Luca ou Lucas Parente. Não importa, o que importa é que você não entendeu nada do comentário do Klaus. Você já ouviu falar de sarcasmo?

    Lucas Parente

    08 de outubro de 2011 às 10h16

    Na primeira postagem, alguma coisa deu errado e ficou só Luca, mas é Lucas Parente mesmo. Só queria que o Klaus se posicionasse. Mas parece que ele quer apenas fazer graça… pena.

    Ah, e fica aqui uma sugestão para o Viomundo: a gente poderia poder excluir ou, quando menos, solicitar a exclusão de comentários que saiam com erros ou repetidos como nesse caso.

    Iva

    07 de outubro de 2011 às 19h51

    Encurta um pouco o seu texto, dá uma enxugada, seja mais objetivo. Seu texto ficou muito prolixo, a ironia e o sarcasmo pretendidos ficaram diluídos, se perderam. Tente novamente e boa sorte..


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!