VIOMUNDO

Conar: Propaganda de cerveja terá de ser mudada

02 de março de 2012 às 12h43

do Instituto Mídia Étnica , sugestão de Luana Tolentino

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) determinou que o grupo responsável pela produção da Devassa altere o polêmico anúncio da cerveja Devassa Negra. Segundo o órgão, a propaganda continha informações e associações ambíguas de teor racista e sexista.  A decisão foi comunicada na última quarta-feira (29) à Ouvidoria da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), em resposta ao processo instaurado e encaminhado pelo órgão ao Conar e ao Ministério Público.

Além de evidenciar o corpo da mulher negra, o conteúdo continha a seguinte frase: “É pelo corpo que se reconhece a verdadeira negra. Devassa negra encorpada. Estilo dark ale de alta fermentação. Cremosa com aroma de malte torrado”. O Conar entendeu que as infrações cometidas pela publicidade estão previstas nos artigos do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária.

Para o ouvidor da Seppir, Carlos Alberto de Souza e Silva Júnior, houve a propagação de veiculação de uma imagem deturpada da mulher negra. “A frase utilizada na peça associa a imagem de uma mulher negra à cerveja, reforçando o processo de racismo e discriminação a que elas estão submetidas historicamente no Brasil e que é caracterizado, entre outras manifestações, pela veiculação de estereótipos e mitos sobre a sua sexualidade”, considerou.

Atuação do Conar

O Conar é uma organização não governamental cujo objetivo é impedir a publicidade enganosa ou abusiva que cause constrangimento ao consumidor ou a empresas. O órgão é formado por publicitários e profissionais de outras áreas. A missão principal é o atendimento à denúncias de consumidores, autoridades, associados ou formuladas pelos integrantes da própria diretoria. Todas as denúncias passam pela avaliação do Conselho de Ética, com garantia de direito de defesa aos responsáveis pelo anúncio. Uma vez que seja confirmada a denúncia, a organização recomenda alteração ou suspensão completa da veiculação do anúncio.

Fonte –  Ibahia

Leia também:

Fátima Oliveira: Duvanier Paiva Ferreira morreu à míngua

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
75 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fabricante de camisinha tira anúncio polêmico do ar « Viomundo – O que você não vê na mídia

30/07/2012 - 18h32

[…] Conar: Propaganda de cerveja terá de ser mudada […]

Responder

joel

13/07/2012 - 17h34

vamos falar serio essa controladora de propaganda chamada conar e uma piada voces se lembra da propaganda da bombril a vagaba se fazia de mandona e que o homem teria que ser seu capacho, e se fose ao contrario isso com serteza nao nen ao ar por se tratar de violencia contra a mulher vamos falar serio CONAR voceis sao uma verdadeira merda isso que dizer que nos homem tem que ser manipulado ,xingado,maltratado, ter que se expor ao ridiculo ,voces homem pense muito bem na propaganda e na marca do produtos qual a finalidade da propaganda,incentivar o consumo ou expor o homem ao ridiculo,eu faso minha parte nao compro nen um produto da empresa da qual a propaganda coloca a imagem do homem ao ridiculo e hora de mudar afinal sao com os nossos salario nossos dinheiro nosso consumo que as empresas se sustenta.HOMENS TAMBM SAO CONSUMISTA pense nisto empresarios.

Responder

ABGLT solicita retirada do ar de comercial de cerveja « Viomundo – O que você não vê na mídia

27/05/2012 - 19h58

[…] Conar: Propaganda de cerveja terá de ser mudada […]

Responder

gui

09/03/2012 - 12h24

Quando a cerveja era loura, não havia problema, mas agora que é negra vão proibir. Na verdade, não deveria existir propaganda de cerveja. O álcool é droga e causa mais vítimas q todas as outras juntas. São mortes no trânsito, violência doméstica, cirroses, doenças mentais e demais mortes violentas como afogamentos, brigas por motivos banais e demais acidentes.

Responder

    andreza

    07/11/2012 - 21h26

    eu acho uma coisa influenciadora e que cada pessoa que bebe fica louco so isso

Caçamba

03/03/2012 - 13h10

Eu prefiro uma loira gelada.

Responder

E S Fernandes

03/03/2012 - 10h03

Claro que esta propaganda de cerveja é racista e sexista. Quanto a isto não há duvidas.

Mas a questão é saber qual propaganda de cerveja não são ambas as coisas? Qual? Ainda quando trate de loiras.

O Conar deveria analisar, melhor, todas as propagandas de cerveja. A começar por esta, é claro!

Responder

Dani G

03/03/2012 - 03h28

Agora pq as outras propagandas nao "sofreram" da mesma polemica, essa perde o credito? afff

Responder

mateus

02/03/2012 - 22h25

Poque que o CONAR não ePorque que o CONAR não cobra a Globo também por causa da Globelesa? Quando essa mulher esta dançando, ela esta fazendo propaganda de uma programação da Globo. O CONAR poderia muito bem questionar a Globo.
A representação da mulher negra pela Globelesa é incomparavelmente racista em relação a essa propaganda de cerveja. Acho que beleza da mulher negra esta muito melhor representada nesse desenho do que nas mulheres que dançam o carnaval. omeçar pelo estilo de cabelo. A Globelesa atual alisa o cabelo fugindo da sua essência. Enquanto a mulher retratada no desenho, esta com os cabelos amarrados como os de algumas cantoras da MPB. Ou seja, cabelos de quem não tem vergonha da sua cor. A rosa no braço, a simulação de uma flor no cabelo. O vestido vermelho contrastando com a pele.
Não defendo as cervejarias. Sei que elas não são santas e só querem vender.

Responder

Gerson Carneiro

02/03/2012 - 21h09

Para começar, não entendo porquê mulher tem que ser associada à cerveja. Não entendo essa relação obrigatória.

Responder

    leandro

    03/03/2012 - 09h13

    Porque é o que a maioria dos homens adora..cerveja, mulher e futebol…quer vender bem? Use isso e ganhe clientes.

    Gerson Carneiro

    03/03/2012 - 12h49

    Bobagem… pessoas bebem cerveja independente do gênero e opção sexual.

    Inventaram essa relação imbecil.

pap

02/03/2012 - 21h00

Nao so o anuncio deve ser tirado do ar, mas toda e quaisquer propaganda de bebida alcoolicas.

Responder

aurica_sp

02/03/2012 - 20h47

Quem ganha com toda essa discussão e a polêmica e a cervejaria que acaba tendo uma divulgação bem maior do que esperava.

Responder

Paulo Preto

02/03/2012 - 20h21

Tem que ir cima mesmo. Sexismo barato, voltado ao público jovem. Execrável. Publicitários com preguiça mental querem ver o jovem identificados com a bebedeira é a depravação sexual, como se todos fossem os filhinhos de papai, iguais às suas crias, com a vida ganham, que vivem a vida na balada, sustentados pelos papais. Porém, o mesmo se deu em relação à loira, lembram? Exploraram também a figura da mulher loira e esse nome tosco, Devassa. Recordo que houve proibição da propaganda. Tentaram de novo

Responder

Joe

02/03/2012 - 20h16

Bela ilustração, mas anúncio é sexista. Tanto quanto o resto da campanha. Todas as mulheres da campanha foram tratadas como objeto. Aliás, como todas as mulheres em qualquer propaganda de cerveja. A Devassa não está inovando em dada. (em qualquer propaganda de cerveja sempre rola uma "luz de bunda" ou a "luz de peito", { é aquela luzinha que dá os dois brilhos na poupa da bunda, ou aquela que dá brilhinho nos peitos}), todo mundo com copo na mão e ninguém bebe, "ninguém", se não associa com bebedeira (????!!!)
Há propagandas horriveis, alguém daquela em que o motoboy para do lado da mulher " chic " em um carro, ai se ouve"" mulher tem que aguentar cada uma…..", ai corta para mulheres felizes e homens bonitos….. Pobre trabalhador é feio e ofende??? Acho que era de absorvente, ou sei lá…..

Responder

felixmaranganha

02/03/2012 - 20h15

As propagandas são feitas tomando como base uma pesquisa por amostragem do público consumidor, o que a grosso modo chamamos de Segmentação de Mercado.

No Brasil, a maioria dos consumidores de cerveja são homens, e a maioria dos consumidores de sabão em pó são mulheres, e realizar uma propaganda é nada mais que criar uma identificação pessoal entre o consumidor e o produto consumido. Assim, quando se fizer uma propaganda, ela será voltada para um público consumidor. Devido a isso, uma propaganda com um Paulo Zulu não venderia tanto quanto uma propaganda com uma Isabel Filardes. Colocar uma Sandy na propaganda vende mais cerveja que colocar um Júnior.

O mesmo com o sabão em pó. Propagandear um sabão em pó em que mostra um homem tendo dificuldades para lavar roupas não venderia tanto, mas colocar uma mulher vende, e a razão é simples: o público que acaba se identificando mais é o público que, em seu dia-a-dia, faz mais uso do produto, no caso, as mulheres.

Propagandas de sabão em pó investem em mães que têm de lavar as roupas dos filhos, propagandas de carros mostram homens brancos de classe média, cosméticos usam mais as mulheres brancas, propagandas roupas usam mais adolescentes e propagandas de hotéis focam no público mais idoso. Simples assim!

Não tem nada de político. Nada de errado. Nada de antiético. É tão somente uma estratégia de venda e de marketing de um produto.

Se a maior parte dos consumidores de meus produtos forem intelectuais evangélicos paulistanos, não fará o menor sentido em colocar em suas propagandas a caracterização de um analfabeto satanista nordestino.

Responder

Vlad

02/03/2012 - 19h42

Baniram a negra e não baniram a loira!
Racistas!

Responder

marcosomag

02/03/2012 - 18h13

Considero um erro do governo reconhecer como legítima a autoregulamentação de setores da economia pelos empresários. Evidentemente, o caso da cerveja é tão aberrante que seria um escândalo se o comercial não fosse retirado do ar. Nem a velha mídia conseguiria abafar o caso. Mesmo assim, o governo deveria ter recorrido diretamente ao Judiciário, evitando recorrer ao CONAR.

Responder

Bárbara

02/03/2012 - 17h58

O pior é que não só o anúncio é sexista e racista, desenham a mulher negra com traços de mulher branca (pra poder se considerada atraente, imagino).

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    02/03/2012 - 18h25

    Um dos temas mais interessantes sobre os quais li recentemente tem relação com a invenção do mito do negro predador sexual, que surgiu durante a colonização europeia da África…

    Luana

    02/03/2012 - 20h45

    "O sexismo e o racismo, atuando juntos, perpetuam uma iconografia de representação da negra que imprime na consciência cultural coletiva a idéia de que ela está neste planeta principalmente para servir aos outros. Desde a escravidão até hoje, o corpo da negra tem sido visto pelos ocidentais como símbolo quintessencial de uma presença feminina “natural”, orgânica, mais próxima da natureza, animalística e primitiva. (…) Mais que qualquer grupo de mulheres nesta sociedade, as negras tem sido consideradas “só corpo, sem mente”. bell hooks

    Sergio saraiva

    02/03/2012 - 21h04

    Devassa é um grande nome para uma cerveja. Sexista? Sem dúvida. Racista? Não creio. A loira não era devassa? Loira ou preta, desde que bem gelada, você não gosta de uma Devassa?
    Ou mudou de time e só toma Esporão?

    Gerson Carneiro

    03/03/2012 - 12h52

    É livro, Azenha? Indique aí pra nós.

    renato

    02/03/2012 - 20h46

    Tá resolvido? Podem parar a discussão. ela é branca pintada de negra, a negra não recebeu nem o cachê.

    Francisco

    02/03/2012 - 21h33

    Fico um pouco preocupado com isso. Combater o racismo é dez, milito nisso a minha vida toda, mas depois de extraidos os defeitos (o rosto tem traços brancos e a má redação final), fica a valorização estética do povo negro. Fosse outro colocava uma loira e ninguém reclamava. A loira dabe a importância do lobby…

    Pô, eu quero ser desejado, caramba! E não tem jeito politicamente correto de dizer a alguém: "Gostosa…"! ou "Gostoso…!". É da proposta comunicativa do comercial a "ousadia", a "transgressão", a "ruptura".

    Já vai longe o tempo do "Black is beautfull". Eu quero agora é black is "tezudo"! Posso??

    A meu ver o maior crime do publicitário foi… publicitário. Veja como fica diferente:

    "É pela corpo forte que se conhece a verdadeira negra". Fica outra coisa, né?

Gustavo Pamplona

02/03/2012 - 17h53

Eu quando leio estas coisas eu só penso: "É por estas e outras que o racismo não vai acabar nunca…"

Se um negro chama um branco de "branquelo" você não pode acusá-lo de ser racista… afinal… os brancos sempre oprimiram os negros pobrezinhos mas quem conhece realmente a história da escravidão na humanidade caso deste insolente vassalo que escrevee estas linhas sabe que não é verdade.

Agora se um branco chamar um negro de "preto" a história é bem diferente… costumo dizer que os negros hoje tem proteção até demais… eu por ser branco, posso ser acusado de racista enquanto um negro jamais poderá ser acusado de discriminar racialmente um branco. E olhem que existem casos de discriminação racial por parte de negros.

Eu não ligo para "raças" e estas coisas aí… Eu se fosse "negro" nem ligava também… tenho coisas melhores a fazer na vida… alguns estudiosos dizem que não existem "raças" na espécie humana e a partir do momento que você rotula certos grupos como negros, pardos, brancos você é automaticamente um racista.

Eu por exemplo… vi aquela história do PHA x Heraldo… e só olhava para aquilo com um certo desdém… o ódio do PHA contra a Globo é tão cômico que tem horas que dá pena dele.

—-
Desde Jun/2007 avassalando insolentemente no "Vi o Mundo"! ;-)

Responder

Thiago

02/03/2012 - 17h47

Somos, de fato, um país racista. Temos evidências disso todos os dias. Cadeias repletas de pretos. Universidades repletas de brancos.
Somos, de fato, um país sexista. Temos evidências disso todos os dias. Homens ganham muito mais que mulheres de mesma situação profissional. E estranhamos e chamamos de sapatão qualquer fêmea comandando o volante de um ônibus.
Mudar isso é obrigação.
O problema é quando se começa a enxergar chifre em cabeça de cavalo.
O CONAR censurou o comercial por que o considerou racista e sexista.
O mesmo Órgão não considerou sexista a propaganda da Sandy como devassa.
Na época da Paris Hilton, a polêmica foi só por conta do nome singular da cerveja: Devassa.
Quando se fez a propaganda com a vadia americana, intuíram que se tratava de “sexismo” associar a loira ao adjetivo “devassa”.
Considero muito sexista aquela propaganda da Tigre em que o coitado do gordinho imagina a casa perfeita, com churrasqueira e o “Recanto do Guerreiro”, enquanto a esposa dele, pelas costas, diz ao pedreiro o que realmente deve ser feito. Afinal, como mulher, “entende do assunto”. Cadê o CONAR pra defender o gordinho e os homens em geral do sexismo?

Thiago.

Responder

rosa

02/03/2012 - 17h29

Creio que foi pelo racismo apenas. Sexismo nunca foi, é ou será motivo para retirara qualquer propaganda do ar (fosse assim, tantas outras seriam …hope..skol..etc, etc et giseles)..

Responder

Hans Bintje

02/03/2012 - 17h27

Azenha:

Eu fabrico cerveja e jamais precisei apelar. "Bondade" holandesa?

Jamais foi.

É que eu pretendo viver e morrer no meio da colônia, respeitado por meus conterrâneos.

Jorge Ben canta esse desafio:

"Eu posso não ser um band leader
Mas lá em casa todos meus camaradas me respeitam
E essa é a razão da simpatica de poder do algo mais e da alegria"

Eu pergunto: não havendo prazer (a "alegria" do Jorge Ben) o apelo à baixaria é inevitável?

Responder

MAUFERRI

02/03/2012 - 17h11

Clara ou negra essa Crveja devassa é uma "M. Pííííííí", tudo tem gente que tomaessa "P".

Isso é uma coisa democratica.

Responder

Bonifa

02/03/2012 - 16h49

A Devassa ainda é brasileira? Ou já a venderam para alguma cervejaria multinacional, como todas as outras?

Responder

Vinicius Garcia

02/03/2012 - 16h14

O cartaz quer vender cerveja ou a mulher? Se for a cerveja, estão expondo o produto errado.
Afe! Ainda tem uns que dizem que não é sexista ou preconceituoso o contexto da propaganda, vai entender.

Responder

RicardãoCarioca

02/03/2012 - 15h02

Essa cerveja é ruim pra dedéu…

Responder

    Fi_de_rapariga

    02/03/2012 - 17h40

    Discordo. A propaganda é de péssimo gosto, mas a cerveja não. Talvez pra quem está acostumado a tomar Skol, não sei se é o seu caso.

    Hans Bintje

    02/03/2012 - 17h59

    Eis o motivo da apelação, a cerveja é abaixo da média ( fonte: http://www.brejas.com.br/cervejas/brasil/Devassa-… )

    Média das avaliações de: 116 usuário(s)

    Avaliação Geral 2.4 pontos em 5
    Aroma 4 pontos em 10
    Aparência 3 pontos em 5
    Sabor 9 pontos em 20
    Sensação 3 pontos em 5
    Conjunto 5 pontos em 10

    EUNAOSABIA

    02/03/2012 - 19h42

    Eu só bebo cerveja "Marba"… de excelente qualidade, posso garantir…

ana paula j.moura

02/03/2012 - 15h02

É cultural,porém execrável a forma que a sociedade preconceituosa e sexista,desde o tempo em q as mulheres negras e índias,tinham q servir aos senhores de engenho por serem escrevas,hj em dia vivemos numa luta constante contra o preconceito e exclusão sócio-cultural de nós negras e negros!
" “É pelo corpo que se reconhece a verdadeira negra. Devassa negra encorpada."nesta frase fica implícito a associação da a mulher negra com a promiscuidade.

Para cima deles com o pedido de mudanças imediatas sob pena de prisão e multa com o não cumprimento de ordem judicial!

Responder

nadja rocha

02/03/2012 - 14h57

Lamentável só a CONAR dá um aviso, onde o certo seria haver um julgamento onde teria uma multa e outras coisas mais.Ser mulher nesse país é triste e muito cansativo, pq temos todos os dias de implorar, mendigar a todos os brasilieros homens que amadureçam, sejam homens completos, pq a vida não restringe a sexo, cerveja e carro.

Responder

    Willian

    02/03/2012 - 16h12

    Verdade, tem o futebol também.

mello

02/03/2012 - 14h29

Quem acredita em autorregulação….Esse anúncio tinha mesmo que ser retirado, mas….e os dos falsos remédios? e os dos "alimentos " com alto teor de sódio, gorduras ou açúcar? Com esses, o tal conar não mexe….Autorregulação é falsa regulação.

Responder

Valdeci Elias

02/03/2012 - 14h18

Quer dizer que a mulher negra, não pode ser sexualmente atrativa feito as loiras ?

Responder

Mauricio Patricio Jr

02/03/2012 - 14h16

Fora que a posição em que ela se encontra sugere que está esperando pelo coito.

Responder

marta

02/03/2012 - 14h08

Mas, para mim o problema não está na figura e sim no nome "devassa", que literalmente já diz tudo e desde o surgimento da mesma o nome tinha a intenção de representar a mulher e irônicamente até Sandy entrou nessa. Então, agora porque essa polêmica em torno da figura negra? A polêmica deveria ter sido há muito tempo em torno do nome, que remete a sexismo e promiscuidade: devassa_substantivo feminino: mulher vulgar, depravada

Responder

Miriam

02/03/2012 - 14h01

Está tão arraigado que as pessoas não percebem (e não se esforçam). Quem sabe se der um insigth, deus queira!

Responder

Eduardo Di Lascio

02/03/2012 - 13h53

É pelo cérebro que se reconhece a verdadeira mulher. Que tal?

Responder

    renato

    02/03/2012 - 20h20

    Que cor é o cérebro?
    O site da devassa parece uma boate?

EUNAOSABIA

02/03/2012 - 13h32

Mais uma de porras loucas desocupados.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    02/03/2012 - 13h36

    A mulher como mercadoria. E vc acha normal!

    Luana

    02/03/2012 - 13h40

    Meu sonho é que alguém invente um remédio contra a ignorância pra ser vendido em farmácias, supermercados e padarias. Tem que ser muito ignorante pra não achar a propaganda da Devessa racista e sexista.

    Sergio Santos

    03/03/2012 - 10h18

    E as propagandas da Skol? Lembra de uma delas que sugeria um bacanal na praia? Mas essa é da AMBEV, essa aberração que só foi criada por uma decisão do CADE que só pode ter sido motiivada por muita corrupção, pois criou um monopólio com 85% do mercado à época. Hoje, o CONAR só pune as propagandas dos concorrentes da AMBEV que utilizou dinheiro do BNDES e depois foi vendida para a cervejaria belga que a fez mudar o nome para INBEV. Na minha opinião TODA propaganda de bebida alcoólica deveria ser PROIBIDA, pois o álcool causa muito mais mortes do que o cigarro (embora eu goste dos dois).

    gui

    09/03/2012 - 12h32

    Até hj não entendo como ng proíbe as propagandas de cerveja na tv. Podiam, ao menos, mostrar aquele quadro azul com a seguinte msg: " o álcool é dorga e causa dependência"

    abolicionista

    02/03/2012 - 14h06

    É o único jeito dele conseguir uma…

    EUNAOSABIA

    02/03/2012 - 16h22

    Não me lembro desses indignados contra a música da "Loira burra"… e mais… a loira da Devassa também é tratada como mercadoria, além daquela propaganda onde aparece o tal do "rei da pegação"…ocorre que ali é tudo loira… ou seja,.. como é tudo loira, não tem como alegar essa sandice de racismo, daí que fica tudo por isso mesmo, não importa se é mulher ou não, só não pode se for negra, é o que se conclui.

    Pelo que li no texto, a bronca não é pelo fato de ser veiculada a "mulher como mercadoria", é pelo simples de ser uma "mulher negra" o que deixa a entender que se fosse loira não teria problema.

    Aquele PM de São Paulo que agrediu o aluno da USP foi acusado de racismo pelo fato do aluno ser negro, partindo deste princípio, a PM do Rio de Janeiro também comete atos de racismo todos dias.

    Volto a repetir, o problema da mulher como mercadoria só não pode pelo fato de ser negra, se fosse loira como a Paris Hilton ou as modelos do rei da pegação poderia.

    Barack Obama em entrevista a David Leterman, foi questionado sobre o fato de que protestos eram feitos contra ele nos EUA e lembrando o fato de ser negro, Leterman perguntou a Obama se isso não seria um tipo de discriminação ou qualquer coisa neste sentido, Obama tascou: “EU JÁ ERA NEGRO QUANDO FUI ELEITO”, foi aplaudido na hora, se fosse por aqui certamente iria aparecer esses movimentos anti racistas acusando que era racismo explícito e bla bla bla… sabemos com quem lidamos…. fosse por aqui, o normal seria Obama se fazer de coitadinho e de vítima de uma “elite” branca e escravista… a casa grande tal e tal… mas como?? Se Obama mesmo sendo negro foi eleito por seu povo, a maioria de brancos aliás…..

    Tem muita gente usando cor da pele como arma político e eleitoral, não que não se deva denunciar qualquer forma de discriminação ou racismo, isso deve ser feito sempre, mas ocorre que hoje em dia qualquer coisa envolvendo um negro é tudo “racismo explícito”…. se alguém for mal atendido por uma caixa de super mercado e for negro já se configura…”racismo explícito”…. paranóia.

    Outra coisa, podem apostar, se aquela menina que foi atropelada pela “Moto Aquática” acionada pelo menino de 14 anos fosse negra e pobre… advinha o que ia ter de gente destacando esse “detalhe”…. menina negra e pobre morre atropelada e bla bla bla… aquilo foi um trágico acidente na mesma linha daquele do menino que se chocou a pilastra da ponte rebocado em uma bóia pelo próprio pai, foi na mesma linha do acidente do menino de 14 anos, falta de fiscalização do governo e de responsabilidade de adultos.

    No caso de menina que foi atropelada, a coisa chegou a ganhar ares de “nós contra eles”… nunca perdem uma chance… claro…

    Só quero deixar claro que não sou branco e não tenho sobre nome pomposo de estrangeiro – muita gente gosta de bancar uma de nome de estrangeiro – estudei em uma universidade onde alguns bobalhões riam de mim – de forma velada – pelo fato de ter um nome “nacional”…eram todos “italianos” dando a entender que eram “superiores”, ora, os italianos que vieram para cá vieram para substituir mão de obra escrava, pegar no pesado mesmo, lembro de uma menina que se orgulhava se ter “dupla cidadania”… loucos…

    Volto a dizer, não sou branco, não faço o estereótipo da beleza, me visto de forma simples até hoje, só vim usar meu primeiro par de sapatos aos 18 anos quando comecei a trabalhar, aos 17 eu já estudava em uma universidade federal, sempre estudei em escola pública e nunca tive bolsas…. ou seja… não creio que me enquadre no estamento da “elite”

    Temos que combater o racismo, mas não podemos permitir que isso seja apropriado por um grupo e usado por espertalhões como arma de política eleitoral.

    Resumo: “se fosse uma branca como a Paris Hilton chamada de gostosa ou algo nessa linha não teria problema”. É o que eu acho sobre este caso.

    abolicionista

    03/03/2012 - 15h39

    Muita frustração, hein? Se quer um conselho, vá procurar um psicólogo, tenho certeza que suas tendências fascistas vêm daí, aposto que é um daqueles casos a que Freud denominou "temperamento anal", que tem origem na pequena burguesia. O texto fornece indícios claros de paranoia e histeria: no final, você até estrutura uma fantasia na qual seria a Paris Hilton e gostaria de ser "chamada de gostosa ou algo nessa linha" (talvez até ser violado, não?). Procure tratamento urgentemente.

    Rodrigo

    03/03/2012 - 16h00

    Insabível, o racismo a gente combate dentro de nós mesmos enxergando tudo aquilo que o sistema político-econômico-social que você tanto defende em teus comentários (mesmo com tua "multipla personalidade esquizóide") nos impingiu travestido de educação e sociabilidade, principalmente sociabilidade.
    O problema do sexismo vai pela mesma linha de pensamento.
    Bom, me desculpe, mas eu nunca lembro, com todo o esforço que você faz parar parecer inteligente, se você realmente não sabe dessas coisas.

    juan

    03/03/2012 - 19h08

    Ixi, primeira vez que concordo com esse EUNAOSABIA.

    Não vi a propaganda como racista. talvez sexista, mas se formos lutar contra é melhor nos mexermos, pq propaganda do mesmo estilo tem aos montes.

    Miguel

    05/03/2012 - 10h26

    e' tao boboca que nao sabia nem que uma propaganda da devassa justamente com a paris hilton tambem foi vetda?

    Rodrigo Leme

    02/03/2012 - 16h34

    Aí o papel higiênico Neve faz uma propaganda onde duas mulheres esfregam o Gianechini de fraque, no melhor estilo boy toy, e acham graça. A mercadoria não é o homem ou a mulher, e sim a sensualidade, o sentimento despertado por um belo corpo feminino ou masculino, o desejo e o prazer, e sentimanto ao qual estamos somos sujeitos, falsos purismos à parte.

    Geralmente se ofende quem não se identifica com a sensualidade (particularmente, não me diz nada, não é o que me faz comprar algo), mas até aí a propaganda não é direcionada para essas pessoas.

    renato

    02/03/2012 - 13h55

    Concordo é paranóia, mas beba com moderação.
    Ah, se você for pego na Blitz, e eles descobrirem que você tomou cerveja preta,daí eu tbem não sei.

    Miguel

    05/03/2012 - 10h24

    por que direitinhas condenam avancos civilizatorios sempre que podem? antes nao havia condenacao a essas atitudes, como antes tambem nao se condenava escravidao, punicoes fisicas por padres nos colegios, e uma serie de outras coisas. a historia humana e' a historia do desenvolvimento cultural e civilizatorio, acumulo de conhecimento que evita repeticao de erros.

leandro

02/03/2012 - 13h20

Quanta paranoia……Se fosse uma "loira gelada" e botassem “É pelo corpo que se reconhece a verdadeira loira. Devassa loira encorpada. Estilo yellow de alta fermentação."

Responder

    Fernando

    02/03/2012 - 14h02

    Uma propaganda dessas jamais seria veiculada simplesmente porque a mulher loira nunca foi simplesmente um corpo, Nunca foi um objeto, alvo da propriedade e dos desejos de um senhor. A mulher branca, no Brasil, nunca foi coisa, nunca foi escrava. A propaganda remete sim a estereótipos ligados imediatamente à imagem da negra como mero corpo sensual sobre o qual recaem os desejos do homem, uma imagem diretamente ligada à casa-grande, onde a "loira", respeitável mãe e senhora, se opõe à devassa e quente escrava. Nojento. Só não vê quem não quer.

    Luis

    02/03/2012 - 14h49

    "Uma propaganda dessas jamais seria veiculada simplesmente porque a mulher loira nunca foi simplesmente um corpo, Nunca foi um objeto, alvo da propriedade e dos desejos de um senhor."

    Marilin Monroe não te diz nada ???
    E a Loira do Tchan ???

    Enfim, a propaganda é sexista, porém não considero racista.

    Willian

    02/03/2012 - 14h57

    Devassa. Bem loira. Este é o slogan da cerveja Devassa. Mais racista eu acho a propagada do azeite Gallo: Nosso Azeite é rico. O vidro escuro é o segurança.

    Dani G

    03/03/2012 - 03h25

    Eh q o pessoal nao consegue analisar as coisas de maneira historica. ;)

    leandro

    03/03/2012 - 09h11

    Nunca foi????E o estereótipo "loira burra"??? Gostosa mais burrinha……..

    Mauricio Patricio Jr

    02/03/2012 - 14h14

    Seria sexista do mesmo jeito, o problema é que se aceita isso demais.

Marcelo de Matos

02/03/2012 - 13h07

Esse comercial não tem nada de racista. Há uma paranóia com relação a racismo: muitas pessoas se julgam autoridade no assunto. O Conar foi criado para evitar a censura prévia na propaganda e tornou-se o maior censor prévio de publicidades. Esse post deveria ir para a seção Humor.

Responder

    HOJENÃO

    02/03/2012 - 14h26

    Só mesmo um HOMEM e BRANCO para dizer com propriedade que não há racismo ou sexismo na propaganda.
    Todas as propagandas da Devassa deveriam ser revistas porque tem um teor altamente sexista

    juan

    03/03/2012 - 19h16

    Todas as propagandas de cerveja deveriam ser revistas então. e de muitas outras coisas tb.

    cronopio

    04/03/2012 - 22h13

    Verdade, os publicitário são ingênuos, essas coisas nem passam pela cabeça deles.rs

pperez

02/03/2012 - 13h03

Só para entender.
Caso o anuncio tivesse somente a figura da mulher valeria?
Porque não ocorreu a polemica com as demais"Devassas" ,Paris Hilton e a nossa querida Sandy?

Responder

    Mauricio Patricio Jr

    02/03/2012 - 14h15

    Porque os movimentos de defesa das mulheres aceitam isso com facilidade.

Deixe uma resposta